Sei sulla pagina 1di 3

Sobre o Batismo de criança.

Primeiro, não há a afirmação nas Sagradas Escrituras de que as


faculdades de se arrepender e crer sejam caráteres intrínsecos e necessários ao Batismo.
Quando Jesus é questionado a respeito do "nascer de novo", i.e., do Batismo, Jesus responde:
“Em verdade, em verdade te digo: quem não renascer da água e do Espírito não poderá entrar
no Reino de Deus." (Jo 3,5). Os caráteres de arrependimento e de crença em Jesus estão
sempre nas Escrituras separados do Batismo em si, não existe algo no sentido de "crer para
poder batizar" ou "arrepender para poder batizar". Mas além da matéria da água e da Graça
infundida pelo Espírito, dito por Jesus (Jo 3,5), há também outro elemento intrínseco e
necessário ao Batismo em si, que é o batizar em Nome da Santíssima Trindade (Mt 28,19).

Segundo, não se pode afirmar inequivocamente, segundo as Escrituras, que os Apóstolos


batizavam as crianças, nem tampouco, por outro lado, que não batizavam as crianças. Uma vez
que lemos que toda a casa de Lídia foi toda batizada (At 16,14-15), e daí se pode pressupor
que também as crianças foram batizadas.

Entretanto, se faz necessário que se entenda o porquê de as crianças serem batizadas: Pecado
Original. Teologicamente falando, há duas formas distintas de tratar o Pecado Original, i.e., há
o Pecado Original Originante (pecado de Adão e Eva) e o Originado (estado de pecado em que
nascemos por causa do pecado de nossos pais).

64) Como é possível que o pecado original se transmita a todos os homens? O pecado original
transmite-se a todos os homens porque havendo Deus conferido ao gênero humano, em Adão,
a graça santificante e os outros dons preternaturais, com a condição de que ele não
desobedecesse, e tendo este desobedecido na sua qualidade de cabeça e pai do gênero
humano, tornou a natureza humana rebelde a Deus. Por isso a natureza humana é transmitida
a todos os descendentes de Adão em estado de rebelião contra Deus, destituída da graça
divina e dos outros dons. 65) Quais danos o pecado original nos causou? Os danos em nós
causados pelo pecado original são: a privação da graça, a perda da bem-aventurança, a
ignorância, a má inclinação, todas as misérias desta vida e, finalmente, a morte. 66) Todos os
homens contraem o pecado original? Sim, todos os homens contraem o pecado original,
exceto a Santíssima Virgem que dele foi preservada por Deus por um privilégio especial, em
vista dos méritos de Jesus Cristo, nosso Salvador. 553) Quais são os efeitos do Sacramento do
Batismo? O Sacramento do Batismo confere a primeira graça santificante, que apaga o pecado
original e também o atual se houver; perdoa toda a pena devida por eles; imprime o caráter de
cristão; torna-nos filhos de Deus, membros da Igreja e herdeiros do Paraíso, e torna-nos
capazes de receber os outros Sacramentos. (Catecismo maior do Papa São Pio X)

Voltando às Sagradas Escrituras. Ambas distinções do Pecado Original têm fundamento na


Revelação segundo as Escrituras: Originante (Gêneses capítulo 2 e 3 e 1Co 15,21-22) e
Originado (Sl 51,5 ou Sl 50,57; Rm 5,12-21, Sl 58,3 Sl 57,4). Eis uma tradução apropriada do
Salmos 58,3, que muitas traduções, por má tradução, perdem a exatidão do conteúdo: “Os
ímpios erram o caminho desde o ventre; desviam-se os mentirosos desde que nascem.”
(Tradução NVI)

Eis os ditos dos Bispos da Igreja primitiva, que são sucessores dos Apóstolos e instituídos para
reger as ovelhas e a Igreja de Cristo (At 20,28).
Santo Irineu, Bispo de Lyon, nascido ano 130 e martirizado ano 202: “Não foi por nada que
Naamã de idade, sofrendo de lepra, foi purificada por ser batizada, mas para dizer-nos que,
como leprosos no pecado, somos purificados por meio da água sagrada e a invocação do
Senhor, de nossas transgressões, sendo espiritualmente regenerados como os bebês recém-
nascidos, quando o Senhor disse: ‘Se alguém não nascer de novo da água e do Espírito, não
entrará no reino dos céus.’ [cf. Jo 3,5]” (Fragmentos de escritos, Fonte:
http://www.newadvent.org/fathers/0134.htm) “Porque Ele veio para salvar a todos: digo a
todos, ou seja, todos aqueles renasceram a Deus sejam eles bebês, crianças, adolescentes,
jovens ou adultos. Então, quis passar por todas as idades: fez-se bebê como os bebês para
santificar os bebês; criança como as crianças, a fim de santificar aos de sua idade, dando-lhes
um exemplo de piedade, e sendo para eles modelo de justiça e obediência; se fez jovem como
os jovens, para dar aos jovens, exemplo, e santificá-los para o Senhor.” (Contra as Heresias –
Livro II, 24,4)

São Cipriano, Bispo de Cartago, nascido ano 210 e martirizado ano 258: “Porém em relação
com o caso das crianças, na qual disse que não devem ser batizados no segundo diz ou terceiro
dia depois do nascimento, e que a antiga lei da circuncisão deve ser considerada, pela qual
pensa que alguém que de nascer não deve ser batizado e santificado dentro de 8 dias, todos
nós pensamos de uma maneira muito diferente em nosso concílio. Por que neste curso que
pensas tomar, nada está de acordo, se não que todos julgamos que a misericórdia e graça de
Deus não devem ser negada a nenhum nascido do homem. Por que como disse o senhor em
seu evangelho: “o Filho do Homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para
salvá-las.” Na medida em que possamos, devemos depois procurar que se possível, que
nenhuma alma se perca... Por outro lado, a fé nas escrituras divinas nos declara que todos,
sejam crianças ou maiores, temos a mesma igualdade nos dons divinos... A razão pela qual
cremos que ninguém deve ser impedido de obter a graça da lei, por que na lei que foi
ordenada, e a circuncisão espiritual não deve ser impedida pela circuncisão carnal, senão que
absolutamente todos os homens tem que ser admitidos à graça de Cristo., já que também
Pedro nos Atos dos Apóstolos fala e diz: “Deus me mostrou que eu não deveria ligar para
qualquer homem comum ou imundo.”. Mas se nada poderia impedir a obtenção da graça aos
homens, e o mais atroz de todos os pecados não pode por obstáculos aos que são maiores.
Mas se até aos que são os maiores pecadores, e os que haviam pecado contra Deus, quando
creem, lhes é concedido a remissão dos pecados e nada se vê impedindo o batismo e a graça,
deveríamos impedir um bebê? Que sendo recém-nascido, não há pecado, salvo, que nascido
da carne de Adão, contraiu o contágio da morte antiga em seus nascimentos?... E, portanto,
querido irmão, esta foi nossa opinião no concílio, que por nós, nada deve impedir o batismo e
a graça de Deus, que é misericordioso, amável e carinhoso para com todos. Que, posto que é
observado e mantido em respeito a tudo, nos parece que se deve respeitar em todos os casos
inclusive nos das crianças...” (Carta 58, 4-6 a Fidus, Fonte:
http://www.newadvent.org/fathers/050658.htm )

Embora só tenha sido apenas um Padre (ou Presbítero) de Alexandria, eis o dito de Orígenes,
nascido ano 184 e morto 254: “A Igreja recebeu dos Apóstolos o costume de administrar o
batismo até mesmo para crianças. Pois aqueles a quem foram confiados os segredos dos
mistérios divinos sabiam muito bem que todos carregam a mancha do pecado original, que
deve ser lavada com água e o espírito.” (Orígenes In Rom. Com. 5,9)
“E a vos (deu a vida espiritual), quando estáveis mortos pelos vossos delitos e pecados, nos
quais andastes outrora, segundo o costume deste mundo, segundo o príncipe que exerce o
poder sobre este ar, espirito que agora domina sobre os filhos da incredulidade, entre os quais
também todos nós vivemos outrora, segundo os desejos da nossa carne, fazendo a vontade da
carne e dos apetites, e éramos por natureza filhos da ira, como todos os outros.” (Ef 2,1-3).
“Porque, se, sendo nos inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito
mais, estando já reconciliados, seremos salvos por sua vida. E não só isto, mas também nos
gloriamos em Deus por Nosso Senhor Jesus Cristo, por quem agora recebemos a reconciliação.
Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado (original) neste mundo, e pelo
pecado a morte, e assim passou a morte a todos os homens, (por aquele homem) no qual
todos pecaram.” (Rm 5,10-12)