Sei sulla pagina 1di 33

Procedimento Opera-

cional Padrão
Faturamento e Núcleo Interno de Re-
gulação
Versão 1.0

GAS/SRAS
Procedimento Operacional Padrão

Faturamento e Núcleo Interno de Regulação

Versão 1.0
® 2014, Ebserh. Todos os direitos reservados
Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares – Ebserh
www.Ebserh.gov.br

Ficha Catalográfica
Nomes dos integrantes da Equipe que produziu e cargo
HISTÓRICO DE REVISÕES

Data Versão Descrição Gestor do POP Autor/responsável por


alterações

15/01/2018 1.0 Fluxogramas do faturamento e Tayane Andrade Tayane Andrade


Núcleo Interno de Regulação
SUMÁRIO

POP/2018 Faturamento e Núcleo Interno de Regulação


Versão 1.0 Página 5 de 28
OBJETIVO

Tornar mais eficiente o trabalho da equipe de faturamento e Núcleo Interno de Regulação.

DOCUMENTOS RELACIONADOS

GLOSSÁRIO

APLICAÇÃO
LISTA DE FIGURAS

LISTA DE QUADROS
FATURAMENTO
Procedimento Operacional
Padrão (POP)
POP Nº 1
Faturamento
Fluxo do prontuário- Alta Versão: 01 Próxima revisão:
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Hospitalar
Hospital Universitário Gaffrée e Guinle

Elaborado por: Tayane Andrade e Aline Costa Data de criação: 11/01/2018


Revisado por: Data de Revisão: 14/06/2018
Aprovado por: Data de Aprovação:
Responsável pelo POP: Tayane Andrade
Objetivo: Estabelecer o fluxo do prontuário na Alta Hospitalar

1. Paciente de alta na enfermaria


2. Alta do paciente pelo Aplicativo de Gestão de Hospitais Universitários (AGHU) na enfermaria
3. Prontuário é encaminhado para o setor do faturamento
4. Médico codifica e verifica se há a necessidade de mais de uma AIH, transferência de procedimento.
5. Alta na plataforma da SMS
6. Prontuário é organizado e encapado
7. Elaborar a fatura de internação
8. Possui alguma pendência?
9. Se sim, alimentar a planilha de pendência
10. Após resolvido as pendências, digitar no SISAIH
11. Preencher a planilha de controle dos prontuários e encaminhar ao SAME
12. Caso o prontuário não tenha pendência, proceder com a digitação no SISAIH, preencher planilha de controle de
prontuários e encaminhar ao SAME
Procedimento Operacional
Padrão (POP)
POP Nº 2
Faturamento
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Hospital Universitário Gaffrée e Guinle Fluxo no faturamento do Versão: 01 Próxima revisão:


Boletim de Atendimento
Ambulatorial

Elaborado por: Tayane Andrade Data de criação: 11/01/2018


Revisado por: Data de Revisão:
Aprovado por: Data de Aprovação:
Responsável pelo POP: Tayane Andrade
Objetivo: Estabelecer o fluxo do faturamento Ambulatorial
Informações Gerais:

O Sistema de Informação Ambulatorial (SIA) foi implantado na década de 1990 no Brasil, com a finalidade de regis-
trar os atendimentos realizados no âmbito ambulatorial, por meio do Boletim de Produção. Em 2007 a portaria N° 709
estabelece o Boletim de Produção Ambulatorial- BPA magnético constituído de duas formas de entrada de dados de pro-
dução, BPA consolidado e BPA individualizado.
1. No setor acolhimento e atendimento ao paciente
2. Preenchimento da folha de faturamento
3. Entrega da folha de produção ambulatorial ao faturamento
4. No faturamento digitação dos procedimentos no aplicativo de captação do BPA mag
5. Atualização do aplicativo, consistência e exportação do arquivo de BPA
6. Junção de todos os arquivos de BPA
7. Consistência e exportação de um único arquivo
8. Envio até o 3º dia útil do mês via e-mail o arquivo de produção ambulatorial à Coordenadoria Geral de Controle
e Avaliação (CGCA) da Secretaria Municipal de Saúde. E Verificação de problemas na importação do SIA no si-
te da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.
9. Houve problema de importação?
10. Caso sim, faturamento ajusta e reenvia no prazo de 24 horas
11. Caso não, acompanhar a partir da última semana do mês do relatório de glosas no site da Secretaria Municipal de
Saúde do Rio de Janeiro
12. Houve glosa?
13. Caso sim, treinamento da equipe de faturamento baseado no relatório de glosas. Ajuste e reapresentação da pro-
dução glosada na próxima competência
14. Caso não, publicação e pagamento
Procedimento Operacional
Padrão (POP)
POP Nº 3
Faturamento
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Fluxo de processamento Versão: 01 Próxima revisão:
Hospital Universitário Gaffrée e Guinle da produção Hospitalar

Elaborado por: Aline Costa e Tayane Andrade Data de criação:


Revisado por: Data de Revisão:
Aprovado por: Data de Aprovação:
Responsável pelo POP: Tayane Andrade
Objetivo: Estabelecer fluxo de processamento e análise de produção hospitalar
Informações Gerais:

O Ministério da Saúde (MS) com a Portaria GM/MS n. º 896/1990 implanta o Sistema de Informação Hospitalar
(SIH/SUS). A Autorização de Internação Hospitalar (AIH) é uma ferramenta utilizada por gestores e prestadores de
serviços ao SUS e apresenta a proposta de pagamento de valores fixos por procedimentos.

1. Realização de procedimentos na enfermaria


2. Preenchimento de prontuário (evolução, prescrição, Boletim operatório)
3. Alta de paciente e envio de prontuário ao faturamento
4. No faturamento, organização e verificação de procedimentos, pendências no prontuário
5. Digitação SISAIH
6. Identificação de prontuário que irão para auditoria
7. Consistência e exportação de arquivo
8. Envio do arquivo de exportação via e-mail à Coordenadoria Geral de Controle e Avaliação (CGCA) da Secreta-
ria Municipal de Saúde até o 3 dia útil do mês
9. CGCCA / SMS emite a prévia
10. No faturamento, conferência de AIHs que irão para auditoria e comprovantes necessários
11. Emissão de espelhos e comprovantes diversos (OPMs, laudos de exames ) para assinatura do diretor
12. Na SMS, autorização de AIH bloqueadas (de auditoria) no relatório de prévia
13. Faturamento ajusta e reenvia a SMS as AIHs auditadas e glosadas
14. SMS emite relatório de glosa no final do mês
15. Houve glosa?
16. Se houver glosa, o faturamento ajusta e reenvia a produção na próxima competência
17. Não houve glosa, SMS realiza pagamento e publica.
Procedimento Operacional Pa-
drão (POP)
POP Nº 4
Faturamento

Fluxo de processamento de Versão: 01 Próxima revisão:


Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro autorização de procedimento
Hospital Universitário Gaffrée e Guinle de alto custo (APAC)

Elaborado por: Aline Costa e Tayane Andrade Data de criação:


Revisado por: Data de Revisão:
Aprovado por: Data de Aprovação:
Responsável pelo POP: Tayane Andrade
Objetivo: Estabelecer fluxo de processamento e análise de APAC
Informações Gerais:
A APAC é instituída na Portaria GM/MS n º 545, de 20 de maio de 1993 (NOB93) sob a denominação de
Autorização de Procedimentos Ambulatoriais de Alto Custo (APA). Mas foi só após a publicação da Portaria
GM/MS nº 2.203, de 6 de novembro de 1996 (NOB96) que é implementada já sob a demonização de APAC,
com objetivo de registrar os atendimentos de nefrologia.

A diferença da APAC em comparação com outros instrumentos de registro ambulatoriais, é que os pro-
cedimentos registrados exigem autorização prévia do gestor para serem realizado.
1. Setor atende o paciente
2. Preenche laudo de solicitação de APAC
3. Faturamento digita o laudo de APAC no Sistema de Solicitação de Atendimento (SISSA)
4. Envia o relatório para SMS para que possa ser auditado e autorizado
5. Autorizado pela SMS, digitar no Apac mag
6. Gerar arquivo de APAC mag
7. Enviar o arquivo por via e-mail até o 3º dia útil do mês à Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro
8. Acompanhamento no site da Secretaria Municipal de Saúde do Relatório de Ocorrências na consistência
9. Verificar no relatório se houve glosa
10. Houve glosa?
11. Caso sim, ajustar e reenviar na próxima competência
12. Caso não, publicação e pagamento
Procedimento Operacional Pa-
drão (POP)
POP Nº 5
Faturamento

Fluxo de processamento do Versão: 01 Próxima revisão:


Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro CNES
Hospital Universitário Gaffrée e Guinle

Elaborado por: Aline Costa e Tayane Andrade Data de criação:


Revisado por: Data de Revisão:
Aprovado por: Data de Aprovação:
Responsável pelo POP: Tayane Andrade
Objetivo: Estabelecer fluxo de processamento do CNES
Informações Gerais:

O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde foi instaurado em 1999 por meio da PT-SAS 376. O
MS/SAS implantou as fichas de cadastro de estabelecimento e disponibilizou para a consulta pública. Foi em 2000, por
meio da PT-SAS 511, o MS/SAS aprova e ratifica a ficha de cadastro de estabelecimento e seus respectivos manuais e
determina ao DATASUS a criação do banco de dados nacional de estabelecimentos de saúde.

O CNES visa melhorar todo o processo de coleta de dados feita nos estados e municípios sobre a capacidade
física instaladas, serviços de saúde, equipamentos disponíveis subsidiando os gestores, com dados de abrangência
nacional, no planejamento de ações em saúde.
1. RH ou setores fornecem uma lista de funcionários admitidos e residentes. A lista deve constar as seguintes infor-
mações: nome completo, CPF, especialidade, carga horária e tipo de vínculo. Comunicam também os funcioná-
rios desligados.
2. No faturamento é realizado os novos registros ou exclusão de profissionais no aplicativo do CNES
3. Atualização, consistência e exportação do arquivo do CNES
4. Envio por via e-mail do arquivo de CNES à Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro até no máximo o úl-
timo dia do mês
5. SMS emite o relatório de advertência e consistência
6. Houve inconsistência?
7. Caso sim, ajuste e envio na próxima competência
8. Caso não, SMS publica no site do CNES
Procedimento Operacio- POP Nº 6
nal Padrão (POP)
Núcleo Interno de Regu-

lação
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Versão: Próxima revisão:
Registro no BPA magné- 01
Hospital Universitário Gaffrée e Guinle tico e SISAIH e APAC

Elaborado por: Tayane Andrade Data de criação:


11/01/2018
Revisado por: Data de Revisão:
Aprovado por: Data de Aprovação:
Responsável pelo POP: Tayane Andrade
Objetivo: Melhorar o registro no aplicativo BPA mag a fim de minimizar as glosas
1. Antes do registro no aplicativo BPA mag, SISAIH e APAC mag consultar a ficha de profissionais com
o objetivo de verificar se o médico a realizar o procedimento está cadastrado no hospital e consultar o
CNS desse profissional. Site para consulta: http://cnes2.datasus.gov.br/Mod_Profissional.asp?
VCo_Unidade=3304552295415

Obs: Em relação ao CNS, ao registrar atentar-se a não utilização do CNS máster do profissional, com objetivo
de evitar erros de consistência. Assim como visualizar se o profissional está de acordo com a portaria SAS/MS
134 de 4 de abril de 2011 .

Figura 1: Consulta de Estabelecimento Profissionais


2. Antes do registro no aplicativo BPA mag consultar o Sistema de Gerenciamento da Tabela de Proce-
dimentos do SUS (SIGTAP). O SIGTAP é uma tabela que possui todas as ações de saúde realizadas no
âmbito do SUS, atualizado periodicamente pelas áreas técnicas do Ministério da Saúde. É através do
SIGTAP que se conhece as características de um procedimento, tais como tipo de financiamento,
instrumento de registro, valor, Código Brasileiro de Ocupação CBO, CID, serviço/classificação, habili-
tações, incrementos financeiros, complexidade, assim como outros.

Obs: Verificar se o Código Brasileiro Ocupação (CBO) é compatível com o procedimento assim como o Códi-
go Internacional de Doenças (CID), caso seja necessário o CID no procedimento.

Figura 2- Consulta a Tabela de Procedimentos


NUCLEO INTERNO DE REGULAÇÃO
Procedimento Operacional POP Nº 1
Padrão (POP)
Núcleo Interno de Regulação

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Protocolo de Atendimento Versão: 01 Próxima revisão:
– agendamento de consul-
Hospital Universitário Gaffrée e Guinle tas

Elaborado por: José Wilson Sobrenome, Flávia Pestana, Bianca Sobrenome e Data de criação: 11/01/2018
Tayane Andrade
Revisado por: Data de Revisão:
Aprovado por: Data de Aprovação:
Responsável pelo POP:
Objetivo: Estabelecer fluxo de agendamento de consultas

1. No balcão da recepção será realizada a triagem e orientação da fila

2. Encaminhar para o guichê indicado. Caso paciente não preencha o critério de admissibilidade, encaminhar pa-
ra atenção primária (onde ser atendido) segundo as orientações de um profissional do NIR.

Os pacientes que estiverem fora deste perfil, deverão ser gentilmente esclarecidos e encaminhados para a
APS de referência, com entrega da folha impressa pelo “onde ser atendido” em caso de munícipe do Rio de
Janeiro.

3. Cadastrar/atualizar o paciente no Aplicativo de Gestão de Hospitais Universitários (AGHU) e agendar consul-


ta/ exame.

Critérios para marcação de consulta

I- Consultas de 1ª Vez:

a) Pacientes SISREG que tenham sido desmarcados por responsabilidade da especialidade;


b) Encaminhamento interno “de” especialidade e “para” outra especialidade. É necessário ter a folha de
encaminhamento do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle com assinatura e carimbo do médico so-
licitante, necessariamente profissional cadastrado no HUGG.

Especialidades que podem encaminhar para qualquer serviço:

- Clínica Médica

- Obstetrícia

- Pediatria
Critérios para marcação de consulta

Especialidade que podem receber encaminhamento de qualquer serviço

- Cirurgia

- Imagem - TC

- Serviço Social

- Laboratório de análises clínicas

- Laboratório histopatológico

Importante

Encaminhamento interno “de” e “para” os seguintes serviços deverão apresentar justificativa:

- Oncologia

- Genética

- Imunologia

II- Consultas de retorno:

- Ultima consulta realizada no ano anterior. As solicitações de consultas superiores a este período (12
meses) deverão ser preferencialmente encaminhadas para APS.
Procedimento Operacio- POP Nº 2
nal Padrão (POP)
Núcleo Interno de Regu-

lação
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro FLUXOGRAMAS DE Versão: 01 Próxima revisão:
ACESSO
Hospital Universitário Gaffrée e Guinle

Elaborado por: Tayane Andrade, André Ramos Data de criação: 11/01/2018


Revisado por: Data de Revisão:
Aprovado por: Data de Aprovação:
Responsável pelo POP:
Objetivo: Melhorar a organização da recepção e dos guichês do NIR

A recepção será responsável por gerenciar o totem e dar as senhas. Dois funcionários estarão no Posso ajudar, estes
terão como função orientar e auxiliar o paciente. O guichê terá sua função pré-estabelecida, como descrito mais
adiante.
Fluxograma Guichê 1 (Visitante/Acompanhante)

1. Pedir a identidade ao visitante/ acompanhante

2. Planilhar no excel: nome, CPF ou nº de identidade e destino

3. Em caso de exame, preencher no excel na coluna destino resultado de exame

4. Entrega de resultado de exame ao paciente

5. No caso de visitante/acompanhante entregar etiqueta ( Visitante ou acompanhante)


Fluxograma Guichê 2 (Ambulatorial)

1. Identificação do paciente
2. Fazer o check in no SISREG
3. Cadastrar no AGHU
4. Abrir o prontuário Único
5. Entregar a etiqueta e encaminhar ao serviço
Fluxograma Guichê 3 e 4 (Ambulatorial)

1. Cadastro do paciente antigo no AGHU


2. Confirmação do paciente na agenda física
3. Entrega de etiqueta ambulatório
Fluxograma NIR- Guichê 5 e 6 ( Internação)

1. Recebimento da autorização de internação hospitalar (AIH)


2. Cadastro no AGHU
3. Avaliação do preenchimento da autorização de internação hospitalar
4. Tem CID/ procedimento/código?
5. Se não, sinaliza ao médico solicitante.
6. Se tiver CID/ procedimento/ código, interna o AGHU
7. Elaboração dos Espelhos de AIH (3 Vias: 1º para o prontuário, 2º serviço social,, 3º Faturamento)
8. Orientação para dirigir-se ao serviço social
9. Imprimir e entregar pulseira ao paciente ou médico que entregou a solicitação de AIH
10. Arquiva a AIH do paciente novo no NIR
11. Funcionário da mesa auxiliar fará o prontuário adicionará a AIH e as folhas de evolução
12. Encaminha o prontuário e o paciente para a enfermaria
13. Informar ao email da chefia de enfermagem os dados de pacientes regulados externamente e lançar como ce-
dido na plataforma SMS
14.
Setor Comercial Sul - SCS, Quadra 09, Lote "C",
Edifício Parque Cidade Corporate, Torre "C",
1° pavimento, Asa Sul
Brasília - Distrito Federal - 70308-200
Telefone: (61) 3255-8900