Sei sulla pagina 1di 22

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA

Portal Educação e Sites Associados

CURSO DE
PONTUAÇÃO

Aluno:
EAD - Educação a Distância. Parceria entre Portal Educação e Sites Associados

1
CURSO DE
PONTUAÇÃO

MÓDULO • ÚNICO

Atenção: O material deste módulo está disponível apenas como parâmetro de estudos para
este Programa de Educação Continuada, é proibida qualquer forma de comercialização do
mesmo. Os créditos do conteúdo aqui contido são dados aos seus respectivos autores
descritos na bibliografia consultada.

2
SUMÁRIO

1 NOÇÕES GERAIS
1.1 O PONTO
1.2 O PONTO DE INTERROGAÇÃO
1.3 O PONTO DE EXCLAMAÇÃO
1.4 A VÍRGULA
1.5 PONTO E VÍRGULA
1.6 DOIS-PONTOS
1.7 ASPAS
1.8 TRAVESSÃO
1.9 PARÊNTESES
1.10 RETICÊNCIAS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

3
PONTUAÇÃO
1 NOÇÕES GERAIS

Muitos acreditam que aprender pontuação tem uma relação direta


somente com as pausas da fala. Isso não é de todo verdade. Assim como as
pausas, entoações e melodias servem para a organização dos textos falados,
os sinais de pontuação têm como função organizar de forma lógica os textos
escritos.
Portanto, para pontuar adequadamente o principal não é considerar
somente as pausas e a melodia da língua oral, mas também e, principalmente,
a organização sintática e significativa das frases escritas. Ou seja, o
conhecimento de análise sintática da língua portuguesa é fundamental para se
obter uma pontuação correta e eficiente.
Para isso, a fim de reproduzir na língua escrita essa organização
sintática os inumeráveis recursos da fala, contamos com uma série de sinais
gráficos denominados sinais de pontuação. São eles:

ponto dois-pontos

. ;
ponto de interrogação aspas

? “”
ponto de exclamação travessão

! –
vírgula reticências

, ...

4
ponto e vírgula parênteses

; ()

Podemos dividir os sinais de pontuação em dois grupos distintos:

1. Aqueles que INDICAM PAUSA CONCLUÍDA:


 ponto (ou ponto final)
? ponto de interrogação
! ponto de exclamação

2. Aqueles que INDICAM PAUSA NÃO CONCLUÍDA:


, vírgula
; ponto e vírgula
: dois-pontos
... reticências
() parênteses
– travessão
“” aspas

Alguns sinais de pontuação servem, fundamentalmente, para marcar


pausas (o ponto, a vírgula, o ponto e vírgula). Outros têm a função de marcar a
melodia, a entoação da fala motivada pelo objetivo a ser alcançado com ela (o
ponto de exclamação, o ponto de interrogação etc.). A seguir, passaremos a
expor algumas orientações sobre o assunto.

1.1 O PONTO

É utilizado para encerrar qualquer tipo de período, menos os


terminados por orações interrogativas ou exclamativas. Indica pausa longa.

5
Choveu ontem.
Gosto de estudar.
Refiz o caminho para encontrar o meu destino.

O ponto é também usado para indicar abreviação de palavra.

Senhor  Sr.
Sra.  Sra.
Senhorita  Srta.
Vossa Excelência  V. Exa.
Exemplo  Ex.
etc.

1.2 O PONTO DE INTERROGAÇÃO

É usado no fim de orações interrogativas diretas. Nunca é colocado no


fim de uma oração interrogativa indireta.

Está claro?
Tu virás amanhã?
Professor, se eu terminar os exercícios, posso ir embora?

1.3 O PONTO DE EXCLAMAÇÃO

É colocado após determinadas palavras, como as interjeições e no fim


de orações enunciadas com entoação exclamativa. Significa, entre outras
coisas, entusiasmo, alegria, dor, surpresa, espanto, ordem.

6
Oi!
Ah, sim! Agora entendi!
Excelente!
Que susto!
Mãos ao alto!

1.4 A VÍRGULA

Embora às vezes indique uma pausa de curta duração, a vírgula


também tem como função ordenar alguns termos sintáticos dentro da oração e
também entre orações. Ao contrário do que muitos pensam, a vírgula não
marca fim de período.

A – A VÍRGULA NO INTERIOR DA ORAÇÃO

Em português, a ordem normal dos termos na frase é a seguinte:


SUJEITO + VERBO + COMPLEMENTOS DO VERBO + ADJUNTOS
ADVERBIAIS.
Exemplo:

O Presidente da República anunciou um novo plano econômico na


segunda-feira.
SUJEITO VERBO COMPLEMENTO DO VERBO
ADJUNTO ADVERBIAL

Quando os termos da oração se dispõem nessa ordem, dizemos que


estão na ordem direta (ou ordem lógica). Quando ocorre qualquer alteração na
sequência lógica dos termos, temos a ORDEM INDIRETA (ou ORDEM
INVERSA).

7
Na segunda-feira, o Presidente da República anunciou novo plano
econômico.
ADJUNTO ADVERBIAL SUJEITO VERBO
COMPLEMENTO DO VERBO

Quando a oração se dispõe em ORDEM DIRETA, não se separam por


vírgulas seus termos mediatos. Assim, NÃO se usa vírgula entre o sujeito e o
predicado, entre o verbo e seu complemento, e entre o nome e seu
complemento ou adjunto. No interior da oração, a vírgula é utilizada nos casos
seguintes:

 ENTRE OS TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO

O sujeito e o predicado são chamados termos essenciais porque


constituem a estrutura básica das orações mais típicas da língua portuguesa.
Por isso, a ligação que mantêm entre si não pode ser interrompida por
uma vírgula, mesmo quando o sujeito é muito longo ou vem posposto ao
predicado:

Muitas formas de estudar gramática entre os estudantes


secundaristas resultaram em fracasso.
 SUJEITO
 PREDICADO
O sujeito e o predicado não podem ser separados por vírgula.

Aconteceram muitos roubos de cargas.


 SUJEITO
 PREDICADO
O sujeito e o predicado não podem ser separados por vírgula.

No entanto, em algumas ocasiões, o uso da vírgula (ou de vírgulas) é


permitido. Observe os casos:

 Intercalando termos entre o sujeito e o predicado:

8
A intercalação de termos entre o sujeito e o predicado deve ser
marcada por vírgulas. É indispensável que, nesses casos, haja uma vírgula
antes e outra depois do termo intercalado:

SUJEITO PREDICADO

Os alunos, ontem à tarde, prepararam o trabalho.


TERMO INTERCALADO

 Para separar os termos que formam o sujeito composto:

Carlos, José, Sônia viajaram para o Pantanal.


Livros velhos, papéis usados, cadernos envelhecidos,
pastas amareladas foram abandonadas no quarto de despensa.

OBS.: Caso o último desses termos seja introduzido pelas conjunções e, ou ou


nem, não será separado por vírgula.

Carlos, José e Sônia viajaram para o Pantanal.


Livros velhos, papéis usados, cadernos envelhecidos e
pastas amareladas foram abandonados no quarto de despensa.

 Usa-se a vírgula entre sujeito e predicado se cada um

dos termos vier introduzido por conjunção (polissíndeto):


Corriam alegremente as crianças, e os adultos, e os animais.

 Quando a oração tiver predicado verbo-nominal, em que

o predicativo do sujeito é anteposto ao verbo:


Atordoada, a mulher foi embora.
A mulher, atordoada, foi embora.

 Quando indicar omissão de um verbo:

Ana é boa secretária; Palmira, não.


No exemplo acima, para não repetir o verbo ser (“é”), usou-se a vírgula
para evidenciar que o verbo não aparece, mas está subentendido.

9
 ENTRE OS TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO
Os complementos verbais e o complemento nominal integram o sentido
de verbos e nomes, estabelecendo com eles conjuntos significativos. Essa
relação não deve ser interrompida por uma vírgula, mesmo quando os
complementos estiverem antepostos ao termo que complementam:

Fique atenta à aula de Matemática.


O termo à aula de Matemática complementa o nome atenta,
por isso não pode ser deste separado por vírgula.

Antônio organizou uma festa.


O termo uma festa complementa o verbo organizou,
por isso não pode ser separado deste por vírgula.

Há casos, todavia, em que a vírgula deve ser utilizada, a saber:

 Quando aparece, entre o complemento do verbo ou do

nome, um termo intercalado:


Organize, caro colega, sua vida urgentemente.
O termo caro colega aparece entre o verbo organizar e o complemento sua vida,
porque está isolado por vírgulas.

Amália comprou, por um preço muito baixo, um terreno.


O termo por um peço muito baixo aparece entre o verbo transitivo direto comprou e o seu
complemento, “sua vida”, por isso aparece isolado por vírgulas.

 Complementos verbais ou nominais formados por mais

de um núcleo:
Comenos salgadinhos, sanduíches, doces.
O verbo comemos veio complementado por três objetos (complementos verbais). Logo,
esses complementos são isolados por vírgulas, pois estão sendo enumerados.

 ENTRE TERMOS ACESSÓRIOS E COM VOCATIVO

10
Os adjuntos adnominais fazem parte do termo sintático a que pertence
o substantivo a que se ligam. Por isso, devem ser separados desse substantivo
por vírgula:

Os constantes usos de termos de baixo calão do professor


revelam seu estresse.
Os termos os, constantes, de termos de baixo calão do professor modificam
o substantivo usos, por isso não podem ser separados dele por vírgula.

Podem, contudo, ser separados por vírgulas nos seguintes casos:

 Adjuntos adverbiais entre verbos e seus complementos:

Encontrei alguns amigos, ontem à noite, na praça.


ou
Encontrei alguns amigos ontem à noite na praça.
O adjunto adverbial de tempo ontem à noite foi isolado por vírgulas na primeira oração,
mas na segunda, não. O isolamento, nesse caso, é opcional.

 Adjuntos adverbiais deslocados

Em 1922, aconteceu a Semana de Arte Moderna.


Mariana, ontem à tarde, teve uma vertigem.
Os adjuntos adverbiais (em forma de locução) Em 1922 e ontem à noite
estão isolados por vírgulas porque foram deslocados de sua posição normal,
que normalmente fica no final da oração.

OBS: Caso o adjunto adverbial seja apenas uma palavra (de pequena
extensão), o uso da vírgula é dispensável:

Antigamente cinema era cinematógrafo.


ou
Antigamente, cinema era cinematógrafo.
O uso da vírgula para isolar o adjunto adverbial de pequena extensão é opcional.

 O aposto é separado do termo a que se refere por

vírgulas, dois-pontos ou travessões, menos o aposto


especificativo:

11
Seus cabelos, tochas de fogo, impressionaram os jurados.
Apenas dois alunos foram punidos: João e Otávio.
Chico Buarque, compositor consagrado, estará em São Paulo
amanhã.
O ator Francisco Cuoco não foi escalado para a próxima novela.

O aposto comparativo tochas de fogo, o distributivo João e Otávio


e o explicativo compositor consagrado foram isolados por sinais de pontuação.
Já o aposto especificativo Francisco Cuoco não aparece separado por vírgulas,
pois este aposto não deve ser isolado.

 O vocativo sempre deve vir isolado por vírgula,


independente da posição em que apareça:
Cala-te, menino!
Maria, José está ao telefone.
Não deixe acontecer isso, meu Deus!
Caro amigo, por que você nunca me telefona?
Participação, cidadãos, é o caminho para um país melhor.
Observe que todos os vocativos estão isolados por vírgula(s), independente da
posição em que estejam.

B – A VÍRGULA ENTRE ORAÇÕES


Usa-se a vírgula para:

 SEPARAR ORAÇÕES COORDENADAS ASSINDÉTICAS:


Vim, vi, venci.
Antônia foi à feira, comprou tomates, voltou para casa.

As orações dos períodos acima são coordenadas (independentes). Assindéticas


porque não são iniciadas por conjunção, então são separadas por vírgulas.

 SEPARAR ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS,


MENOS AS INICIADAS PELA CONJUNÇÃO E:

Vim, vi e venci.
O Brasil é uma nação rica, todavia uma grande parte de sua
população continua miserável.
12
Maria está sempre em casa, portanto posso visitá-la a qualquer
momento.
Corra, pois a chuva está chegando!

Com exceção do primeiro período, em que a oração sindética foi iniciada pela conjunção e, as
outras são sindéticas adversativa, conclusiva e explicativa, respectivamente. Todas devem ser
separadas da oração anterior por uma vírgula.

 ORAÇÕES COORDENADAS SINDÉTICAS INTRODUZIDAS


PELA CONJUNÇÃO E, MAS COM SUJEITO DIFERENTE
DA ORAÇÃO ANTERIOR:
Tatiana leu trechos de obras de Machado de Assis,
e Cleonice declamou poemas de Cora Coralina.

Apesar de a oração e Cleonice declamou poemas de Cora Coralina aparecer introduzida


pela conjunção aditiva e, seu sujeito, “Cleonice”, é diferente do sujeito da oração anterior,
que é “Tatiana”, portanto devem essas orações ser separadas por vírgula.

 USA-SE VÍRGULA PARA SEPARAR ORAÇÕES


INTERCALADAS:
O problema das enchentes, disse o candidato, será prioritário.

A oração disse o candidato aparece intercalada, ou seja, no meio da oração O problema das
enchentes será prioritário, por isso foi separada por vírgulas.

 SEPARAR AS ORAÇÕES ADJETIVAS EXPLICATIVAS:


O homem, que é um ser racional, vive pouco.

O isolamento da oração adjetiva que é um ser racional por vírgulas denota que
todos os homens são racionais. Caso fosse O homem que é um ser racional vive pouco, ou
seja, sem as vírgulas, tornando a oração adjetiva restritiva, o sentido seria outro: dentre os
homens, alguns somente seriam racionais.

 SEPARAR AS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS


(DESENVOLVIDAS OU REDUZIDAS), PRINCIPALMENTE QUANDO
APARECEREM ANTEPOSTAS À ORAÇÃO PRINCIPAL:

13
Quando o cantor entrou no palco, todos aplaudiram.
Entrando o cantor, todos devem aplaudir.

No primeiro caso, a oração Quando o cantor entrou no palco é uma oração subordinada
adverbial temporal. Ela aparece anteposta (colocada antes) à oração principal, por isso
obrigatoriamente deve ser isolada por vírgula. O mesmo acontece com a oração subordinada
Entrando o cantor, que é uma adverbial reduzida de gerúndio. Anteposta, foi isolada
por vírgula.

OBS.: Caso a oração adverbial venha após (posposta) a principal, o uso da


vírgula não é necessário, embora em alguns casos se possa utilizá-la.

Maria não veio, visto que estava chovendo.


Maria não veio porque estava chovendo.

No primeiro caso, o uso da vírgula foi adequado, enquanto que no segundo não há
necessidade de utilizar a vírgula.

 SEPARAR ORAÇÕES SUBSTANTIVAS ANTEPOSTAS À


PRINCIPAL:
Que virá arrumada amanhã, ela disse.

A oração Que virá arrumada amanhã é uma substantiva objetiva direta. Aparece
deslocada, pois seu lugar habitual é geralmente após a oração principal, onde aparece
o verbo transitivo direto. Na ordem direta seria: Ela disse que virá arrumada amanhã. Nesse
caso, o uso da vírgula para separar as orações é inadequado.

1.5 PONTO E VÍRGULA

O ponto e vírgula ( ; ) marca uma pausa mais longa que a vírgula, no


entanto menor que a do ponto. Justamente por ser um sinal intermediário entre
a vírgula e o ponto, fica difícil sistematizar seu emprego. Entretanto, há
algumas normas para sua utilização, a saber:

 SEPARAR ORAÇÕES COORDENADAS QUE JÁ VENHAM


QUEBRADAS NO SEU INTERIOR POR VÍRGULA OU DEVIDO AO
DESLOCAMENTO DA CONJUNÇÃO DO INÍCIO PARA O MEIO
DA ORAÇÃO:
14
Os indignados réus mostravam suas razões para as
autoridades de forma firme; alguns, no entanto, por receio de
punições, escondiam detalhes aos policiais.
A segunda oração do período teve de ser separada por ponto e vírgula da oração principal
(anterior a ela, no caso) porque teve a conjunção coordenativa adversativa no entanto
deslocada do início para o meio da oração (depois do sujeito alguns), assim como também
houve inversão do adjunto adverbial de causa por receio de punições para o meio da oração,
o que forçou o seu isolamento por vírgula. Observe que se isso não tivesse ocorrido, o uso do
ponto e vírgula não seria necessário: Os indignados réus mostravam suas razões para as
autoridades de forma firme, no entanto alguns escondiam detalhes aos policiais por
receio de punições.

 SEPARA ORAÇÕES COORDENADAS QUE SE OPÕEM QUANTO


AO SENTIDO:
Muitos se esforçam; poucos conseguem.
Uns trabalham; outros descansam.

As orações coordenadas acima, além de assindéticas (sem a presença de conjunção),


possuem sentidos adversos (contrários), por isso separam-se por ponto e vírgula.

 SEPARAR OS DIVERSOS ITENS: DECRETOS, LEIS,


PORTARIAS, ENUMERAÇÕES ETC.:
Considerando:
a) a alta taxa de desemprego no país;
b) a excessiva inflação;
c) a recessão econômica;
Solicitamos especial atenção ao nosso pedido.

Art. 92. São órgãos do poder Judiciário:


I – o Supremo Tribunal Federal;
II – o Superior Tribunal de Justiça;
III – os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais;
IV – os Tribunais e Juízes do Trabalho;
V – os Tribunais e Juízes Eleitorais;
VI – os Tribunais e Juízes Militares;
VII – os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Federal e Territórios.

15
1.6 DOIS-PONTOS

Os dois-pontos têm a função básica de introduzir uma citação, uma


enumeração ou um esclarecimento.

 DAR INÍCIO À FALA (DISCURSO DIRETO), CITAÇÃO TEXTUAL


DE OUTREM, ENUMERAÇÃO E ESCLARECIMENTO:
CITAÇÃO:
Afirma Maria Luiza Tucci Carneiro, em seu livro O racismo na História do
Brasil: “No Brasil há um racismo camuflado, disfarçado de democracia racial”.

INTRODUZIR O DISCURSO DIRETO:


Clara disse: “Não irei mais!”.
ou
Clara disse:
– Não irei mais!

CITAÇÃO:
“A porta abriu-se, um brado ressoou:
– Até que enfim, meu rapaz!” (Eça de Queiroz – Os Maias)

ENUMERAÇÃO
Já lhe dei tudo: amor, carinho, compreensão, apoio.

ESCLARECIMENTO:
Descobri a grande razão da minha vida: você.
Tivemos uma ótima ideia: abandonar a sala.

1.7 ASPAS

Empregam-se as aspas para:

 ISOLAR CITAÇÃO TEXTUAL:

16
Como afirma Caio Prado Jr., em História econômica do Brasil: “A
questão da imigração europeia do século passado está intimamente ligada à da
escravidão”.

Os títulos de obras literárias ou artísticas devem vir entre aspas se o


material é manuscrito ou datilografado; se o material é impresso, o
procedimento normal é colocar o nome da obra em itálico. As aspas só
aparecem depois da pontuação quando abrangem todo o período.

“Não tenhas ciúmes de tua mulher para que ela não se meta a enganar-
te com a malícia que aprender de ti.”
(Machado de Assis)

 ISOLAR PALAVRAS OU EXPRESSÕES ESTRANHAS À LÍNGUA


CULTA, TAIS COMO: GÍRIAS, EXPRESSÕES POPULARES,
ESTRANGEIRISMOS, NEOLOGISMOS, ARCAÍSMOS ETC.:

Ele era um “gentleman”.


Ele estava “numa boa”.
O rapaz ficou “grilado” com o resultado.
Emocionado, o rapaz deu-lhe um “ósculo” ardente.

 MOSTRAR QUE UMA PALAVRA ESTÁ SENDO UTILIZADA EM


SENTIDO DIVERSO DO HABITUAL (GERALMENTE, EM
SENTIDO IRÔNICO):

Fizeste “excelente” serviço.


Sua ideia foi mesmo “fantástica”.

 DAR DESTAQUE A UMA PALAVRA OU EXPRESSÃO:

Já entendi o “porquê” de seu projeto: só não percebo “como” executá-lo.

 INDICAR A MUDANÇA DE INTERLOCUTOR NOS DIÁLOGOS:

17
Marta correu a dar as ordens ao mordomo. Voltou e permaneceu em pé
ao lado de Antônio de Souza, que o olhava com certa ansiedade.
“Conseguiu o que te pedi?”, disse o governante.
“Eh. Não senhor, quer dizer, sim senhor.”
“Muito bem. Então... senta-te. Senta-te aí e lê para mim.”
(Ana Miranda)

1.8 TRAVESSÃO

Emprega-se o travessão para:

 INDICAR A MUDANÇA DE INTERLOCUTOR NOS DIÁLOGOS


(DISCURSO DIRETO):

“– De quem são as pernas?


– Da Madalena, respondeu Gondim.
– Quem?
– Uma professora. Não conhece? Bonita.
– Educada, atalhou João Nogueira.
– Bonita, disse outra vez Gondim. Uma lourinha aí de uns trinta anos.
– Quantos?, perguntou João Nogueira
– Uns trinta anos, pouco mais ou menos.”
(Graciliano Ramos – São Bernardo)

 SUBSTITUIR DUPLA VÍRGULA, SOBRETUDO QUANDO SE QUER


DAR ÊNFASE OU DESTAQUE AO TERMO ISOLADO – NESSE
CASO USA-SE O DUPLO TRAVESSÃO (– –):

O menino – profundo conhecedor do mercado internacional – está


consciente das dificuldades.

Machado de Assis – grande romancista brasileiro – também escreveu


contos.

18
 ISOLAR ORAÇÕES INTERCALADAS, QUE TAMBÉM PODEM VIR
SEPARADAS POR VÍRGULAS:
Eu, disse o eminente jurista, não aceito tal decisão:
ou
Eu – disse o eminente jurista – não aceito tal decisão.

 LIGAR PALAVRAS OU GRUPO DE PALAVRAS EM EXPRESSÕES


DO TIPO:
O trajeto Rio-São Paulo.
A viagem Cuiabá-Campo Grande.

1.9 PARÊNTESES

Os parênteses são empregados, geralmente, para isolar palavras,


expressões ou frases que não se encaixam na sequência lógica no enunciado,
a saber:

 UMA EXPLICAÇÃO CIRCUNSTANCIAL:

Do grupo dos Yanomâmi (um dos últimos grupos isolados da América)


restam apenas cerca de 10.000 sobreviventes, ameaçados de destruição física,
moral e cultural. (Maria Luiza Tucci Carneiro)

 UMA REFLEXÃO OU UM COMENTÁRIO:

Para evitar os prejuízos econômicos que a saída em massa dos judeus


traria ao reino português, Dom Manuel tentou dificultá-la (limitando-a, por
exemplo, ao porto de Lisboa), e ao mesmo tempo induzi-los à conversão
(garantindo que por certo tempo não seriam incomodados ou perseguidos).
(Mary Del Priore)

19
 INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS, DATAS ETC.:

Quem observasse Aurélia naquele momento, não deixaria de notar a


nova fisionomia que tomara o seu belo semblante e que influía em toda
a sua pessoa. (José de Alencar)

Naquela manhã de sábado (11/3/1911) ela passeava muito


calmamente pela rua.

 INDICAÇÕES CÊNICAS (RUBRICAS) NUMA PEÇA DE TEATRO:

ANTÔNIA: (Abraçam-se) Pedro! (Contém os soluções) Pedro!

 ORAÇÕES INTERCALADAS:

Dizem (não se confirma) que quase todos os dias morre operário em


acidente. (Ignácio de Loyola Brandão)

Obs.: Nesse caso, os parênteses substituem as vírgulas ou os


travessões.

 COMENTÁRIOS ACESSÓRIOS:

“Fui hoje cedo a casa deste último, apresentar desculpas (deve ter
ficado aborrecido com a minha ausência no local determinado para o encontro)
e repetir o convite para a pretendida visita.”
(Cyro dos Anjos – O amanuense Belmiro)

1.10 RETICÊNCIAS

As reticências marcam uma interrupção na sequência lógica da frase.


Podem ser usadas com valor estilístico, ou seja, com a intenção deliberada de

20
permitir que o leitor complete o pensamento que foi suspenso, ou para marcar
fala quebrada e desconexa, própria de quem está nervoso ou inseguro.
Observe alguns exemplos:

Não vou dizer mais nada. Você já deve ter percebido que ele...

“Depois de um instante, Carlos lançou lá, entre um rumor de água que


caía:
– Não sei... Talvez... Logo te digo...”
(Eça de Queiroz – Os Maias)

Também se usam as reticências (de preferência, entre parênteses) para


indicar que parte de uma citação foi omitida.

“O sertanejo... um forte.” (Euclides da Cunha – Os sertões)


“(...) nenhum tinha os olhos de ressaca, nem os de cigana oblíqua e
dissimulada.” (Machado de Assis – Dom Casmurro)

21
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, Nílson Teixeira de. Gramática da Língua Portuguesa para


concursos, vestibulares, ENEM, colégios técnicos e militares. São Paulo:
Saraiva, 2003. p. 446-459.

MESQUITA, Roberto Melo. Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo:


Saraiva, 1999. p. 471-487.

SARMENTO, Leila Lauar. Gramática em Textos. 2. ed. rev. São Paulo:


Moderna, 2005. p. 427-432.

FIM DO MÓDULO!

22