Sei sulla pagina 1di 8

4.

6 Sombras de sólidos
geométricos
Geometria Descritiva
2006/2007

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Sombras de sólidos geométricos


„ Os corpos opacos produzem sombras
quando expostos a uma fonte luminosa
„ Fonte luminosa
„ A posição da fonte luminosa pode ser qualquer
ponto do espaço
„ A fonte luminosa pode ser:
„ uma fonte de raios divergentes
„ Situada a uma distância finita
„ uma fonte de raios paralelos
„ Situada a uma distância infinita

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

1
Sombras de sólidos geométricos
„ Fonte luminosa convencional
„ Situada a uma distância infinita
„ Fonte de raios paralelos
„ Direcção convencional dos raios
luminosos:
„ Paralela à diagonal de um cubo com duas
faces de nível e duas faces de frente,
orientada da esquerda para a direita, de cima
para baixo e do primeiro para o terceiro
quadrante 45º
X
„ A sua projecção horizontal faz um ângulo de
45º com o eixo X com abertura para a 45º
esquerda
„ A sua projecção frontal faz um ângulo de 45º
com o eixo X com abertura para a esquerda

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Sombras de sólidos geométricos


„ A sombra pode ser:
„ Sombra própria
„ Sombra dos sólidos sobre si
próprios (zonas não iluminadas
dos sólidos)
„ Sombra produzida
„ Zona espacial privada de luz
pelo sólido
„ Sombra projectada
„ Sombra dos sólidos sobre outros
corpos ou superfícies

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

2
Sombras de sólidos geométricos
„ A identificação das sombras provocadas por
sólidos é feita a partir da identificação dos
contornos aparentes, substituindo o observador
por uma fonte luminosa
„ O contorno aparente corresponde à linha que separa a parte
iluminada da parte não iluminada e designa-se por linha de
separação da sombra e luz ou linha separatriz
„ A linha separatriz
„ Limita a sombra própria do sólido
„ Limita a sombra projectada pelo sólido sobre outro
sólido ou superfície

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Sombra de um ponto
„ Sombra real de um ponto
corresponde ao traço do raio
luminoso que passa pelo ponto P2
no plano de projecção que
X Pv1
encontrar primeiro Ps2

„ Sombra virtual de um ponto


Ps1 Pv2
corresponde ao traço do raio
luminoso que passa pelo ponto P1

no plano de projecção que


encontrar em último lugar
„ Corresponde à sombra do ponto
se o primeiro plano de projecção
fosse retirado

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

3
Sombra de um segmento
„ Determinar a sombra do segmento
AB
„ A sombra real do ponto A está no plano B2
horizontal de projecção
„ A sombra real do ponto B está no plano frontal A2 Bv1
Bs2
de projecção
X As2 Ps1
„ Como as sombras reais de A e B estão em Bs1 Bv2
planos de projecção diferentes é necessário
mais um ponto que determine a direcção das As1
B1
sombras em ambos os planos de projecção
„ Determina-se a sombra virtual por exemplo do A1
ponto B (ou do ponto A), que determina sobre o
eixo X um ponto a que se chama ponto de
quebra (P)
„ É neste ponto que a sombra flecte do plano
horizontal de projecção para o plano frontal de
projecção

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Sombra de um polígono
„ Determinar a sombra do B2

polígono ABCD A2
Bs2
D2
„ As sombras reais dos pontos A, B e D As2 C2
estão no plano frontal de projecção
„ A sombra real do ponto C está no plano X As1 Ds2 Cs2 Cv1
horizontal de projecção Ds1 Bs1
Cs1 Cv2
„ Como as sombras reais de dos pontos que A1
B1
D1
definem os segmentos BC e CD estão em
C1
planos de projecção diferentes é
necessário determinar os pontos de quebra
sobre o eixo X

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

4
Sombra de um círculo
„ Determinar a sombra do
círculo de nível
„ A sombra do círculo no plano horizontal de
projecção é circular
„ A sombra do circulo no plano frontal de X
projecção é uma elipse e pode ser obtida
identificando a sombra de vários pontos do
círculo

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Sombra de um círculo
„ Determinar a sombra do
círculo de nível
„ A sombra do circulo no plano horizontal de
projecção é circular
„ A sombra do circulo no plano frontal de X
projecção é uma elipse e pode ser obtida
identificando a sombra de vários pontos do
círculo

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

5
Sombra de um círculo
„ Determinar a sombra do
círculo de nível
„ A sombra do circulo no plano horizontal de
projecção é circular
„ A sombra do circulo no plano frontal de X
projecção é uma elipse e pode ser obtida
identificando a sombra de vários pontos do
círculo

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Sombra de um prisma
„ Determinar a sombra de um
A’1 B’1 F’1 C’1 E’1 D’1
prisma hexagonal com
bases de nível F’s2 F’v1
„ As faces iluminadas são: E’s2 E’v1
A1 B1 F1 C1 E1 D1
„ AA’B’B
X
„ BB’C’C D’s1
„ FF’A’A Fs1
„ A base superior (A’B’C’D’E’F’) F1≡F’1
E1≡E’1 C’s1
As1
„ A sombra própria é constituída pela
base inferior e pelas faces não A1≡A’1
iluminadas Bs1 D1≡D’1
Cs1
„ A linha separatriz é ABCC’D’E’F’FA B1≡B’1
C1≡C’1
„ A sombra projectada é limitada pela
sombra da linha separatriz
Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

6
Sombra de um cilindro
„ Determinar a sombra de um
cilindro com bases de frente
E2≡E’2
„ A sombra própria do cilindro é
constituída pela base posterior e pela Es2
face lateral delimitada pelas geratrizes O2≡O’2
D’2
AA’ e EE’ e pelo arco de círculo
A’B’C’D’E’ pertencente à base anterior A2 ≡A’2 Os2 C’2
„ A sombra projectada do cilindro é X B’2
As2
limitada pela sombra da linha separatriz
E’s1
„ As geratrizes do cilindro são de topo
A1 O1 E1 D1
logo não é necessário determinar
sombras virtuais de quaisquer pontos O’s1
D’s1
pois:
„ as sombras de segmentos de topo no plano A’s2
horizontal de projecção fazem ângulos de 90º C’s1
com o eixo X B’s1
„ As sombras de segmentos de topo no plano
O’1 ≡B’1 E’≡C’
D’1
frontal de projecção fazem ângulos de 45º com A’1 1 1

o eixo X.
Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Sombra de uma pirâmide


„ Determinar a sombra de
uma pirâmide com base
de nível
„ No caso de pirâmides nem sempre é
fácil determinar quais são as faces
iluminadas
X
„ As faces iluminadas são
determinadas analisando qual a
sombra produzida
„ Como a sombra do vértice está no
plano frontal e a sombra de todos os
vértices da base da pirâmide estão
no plano horizontal é necessário
determinar pontos de quebra sobre
o eixo X

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

7
Sombra de um cone
„ Determinar a sombra V2

de um cone com base


de nível Vs2 Vv1

„ A linha separatriz determina-se


analisando a sombra produzida B2 O2 A2
X
„ Como a sombra do vértice está Bs1
no plano frontal e a sombra da B1
maioria dos pontos da base do
cone estão no plano horizontal é Os1
As1
necessário determinar pontos de
O1≡V1
quebra sobre o eixo X
A1

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Bibliografia
„ [1] Vaz, Manuel (1983/1984) Geometria Descritiva.
Textos de apoio da FCTUC
„ [2] Castro, Luís; Soares, Óscar,Geometria Descritiva B.
Texto Editora.
„ [3] Ricca, Guilherme (1992) Geometria Descritiva.
Fundação Calouste Gulbenkian.
„ [4] Ribeiro, Carlos (1991) Geometria projectiva.
Conceitos, Metodologias, Aplicações. Europress.
„ [5] Standiford, Kevin; Standiford, Debbie (2000).
Descriptive Geometry. Delmar Learning.
„ [6] Albuquerque, Luís (1969) Elementos de Geometria
Projectiva e Geometria Descritiva. Livraria Almedina.

Cidália Fonte – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra