Sei sulla pagina 1di 153

INTRODUÇÃO AO

GREGO BÍBLICO

autora
FERNANDA LEMOS DE LIMA

1ª edição
SESES
rio de janeiro  2019
Conselho editorial  roberto paes e gisele lima

Autora do original  fernanda lemos de lima

Projeto editorial  roberto paes

Coordenação de produção  andré lage, luís salgueiro e luana barbosa da silva

Projeto gráfico  paulo vitor bastos

Diagramação  bfs media

Revisão linguística  bfs media

Revisão de conteúdo  brian gordon lutalo kibuuka e antonio sérgio giacomo


macedo

Imagem de capa  dedek | shutterstock.com

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta obra pode ser reproduzida ou transmitida
por quaisquer meios (eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e gravação) ou arquivada em
qualquer sistema ou banco de dados sem permissão escrita da Editora. Copyright seses, 2019.

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (cip)

L732g Lima, Fernanda Lemos de


Grego bíblico / Fernanda Lemos de Lima.
Rio de Janeiro: SESES, 2019.
152 p: il.

isbn: 978-85-5548-663-0.

1. Língua grega. 2. Novo Testamento. 3. Gramática grega. 4. Gramática


grega. I. SESES. II. Estácio.
cdd 485

Diretoria de Ensino — Fábrica de Conhecimento


Rua do Bispo, 83, bloco F, Campus João Uchôa
Rio Comprido — Rio de Janeiro — rj — cep 20261-063
Sumário
Prefácio 7

1. Introdução à língua grega: os primeiros


passos no idioma do Novo Testamento 9
Conhecendo a língua grega 11

As fases da língua grega 11


A koiné Neotestamentária 13

O alfabeto grego e escrita das palavras 14


Alguns detalhes sobre o alfabeto 15
As vogais 16
Os ditongos 16
Os espíritos 17
Os acentos 17
As sílabas 18
Transliteração do alfabeto grego 19
Sinais de pontuação 21

Sintaxe e morfologia iniciais da frase grega 22


As palavras gregas e a noção de caso 22
Casos da língua grega e suas funções sintáticas básicas 24

A declinação grega 26
Declinação dos artigos definidos 26
Declinação temática ou segunda declinação 27

Conhecendo o verbo εἰμί (ser/estar) 30

Imperfeito do indicativo 31

2. As consoantes gregas, a primeira declinação


nominal, noções gerais do sistema verbal grego 37
As consoantes e suas classificações e combinações 39

Mais detalhes das regras de acentuação da Língua Grega 41


O acento agudo 42
O acento grave ou barítono 42
O acento circunflexo ou perispômeno 42

A primeira declinação nominal feminina 43


Os nomes femininos em α puro 44
Os nomes femininos em α impuro ou misto 44
Os nomes femininos em η 45
Relembrando as funções sintáticas através da primeira declinação 45

A primeira declinação nominal masculina 46


Nomes em -ης 46
Nomes em -τής e nomes de povos 47
Os nomes masculinos em α puro (ou em -ας). 48

O sistema verbal grego: noções gerais no âmbito da koiné 48


O conceito de verbo 48
Noções de tempo e aspecto na língua grega 49
Os modos da língua grega 51
As formas nominais do verbo grego 52
As vozes do verbo grego 52
Elementos formadores do verbo 53
Verbos temáticos e atemáticos 54
Verbos temáticos – tempos presente e futuro do indicativo 54

A conjugação do tempo presente do indicativo nos verbos temáticos 54


Presente dos verbos temáticos vocálicos não contratos 54
Presente dos verbos temáticos consonânticos 55

A conjugação do tempo futuro no indicativo 56


Futuro dos verbos temáticos não contratos 56
Futuro dos verbos temáticos consonânticos 56

3. Verbos temáticos, adjetivos, pronomes pessoais,


pronomes demonstrativos e preposições 63
Verbos temáticos contratos no presente e futuro do indicativo 65
Os verbos temáticos vocálicos contratos no presente do indicativo 66
Os verbos temáticos vocálicos contratos no futuro do indicativo 67
Verbos temáticos consonânticos em líquidas e nasais 69
Verbos temáticos consonânticos em líquidas e nasais no presente
do indicativo 70
Verbos temáticos consonânticos em líquidas e nasais no futuro do
indicativo 71

Os tempos imperfeito e aoristo dos verbos temáticos 72


O imperfeito 72
O aoristo 75

Os pronomes 80
Os pronomes pessoais 80
A declinação dos pronomes pessoais 81
Pronomes demonstrativos 83

Os adjetivos 84

4. Verbos atemáticos, terceira declinação,


pronomes e preposições 91
Verbos atemáticos ou verbos em -μι 92
O presente dos verbos atemáticos no indicativo 93
Verbos atemáticos com redobro de presente 94
Futuro dos verbos atemáticos no indicativo 96

A terceira declinação 97
Os nomes em dentais 98
Os nomes em guturais 100
Os nomes em labiais 101
Os nomes em nasais 102
Os nomes em líquidas 103
Os nomes em vogais 104
Os nomes irregulares 106

Preposições e suas combinações 107


Preposições que acompanham um só caso 107
Preposições que acompanham mais de um caso 109
As preposições na formação vocabular grega 110
Os pronomes interrogativos 111

Os pronomes indefinidos 112

5. Formas nominais dos verbos e dos pronomes


relativos 117
As formas nominais dos verbos 118
O particípio 118
O infinitivo 133

Os pronomes relativos 140


Prefácio

Prezados(as) alunos(as),

Ἐν ἀρχῇ ἦν ὁ λόγος…

No princípio estava o verbo...


Desse modo, inicia-se o Evangelho de João, em que o logos, a palavra, o ver-
bo era Deus. Apenas as primeiras linhas do Evangelho de João já demonstram a
beleza de um texto que nos fala de Deus. A beleza desse texto já é perceptível em
português, ou seja, em uma tradução do original. A partir do momento em que
lemos o original em grego, um universo de significados mais amplo se descortina.
É com grande alegria que apresento este livro que se propõe a ser uma intro-
dução à língua grega empregada na composição dos textos do Novo Testamento.
Convido você a mergulhar nesse universo da língua grega que oferece a oportu-
nidade de uma exegese mais profunda dos textos fundamentais do cristianismo.
Na presente obra, você será introduzido ao alfabeto grego, bem como, aos
detalhes da escrita grega, compreendendo as construções das mais básicas àquelas
que apresentam certa complexidade.
Você poderá observar as formas dos nomes, dos adjetivos, dos verbos, sempre
por meio de exemplos claros. A partir do aprofundamento do estudo, você per-
ceberá que os paradigmas serão retirados diretamente dos textos da koinéneotes-
tamentária, ou seja, dos textos originais escritos na língua grega empregada nos
textos dos Evangelhos, das Cartas e do Apocalipse.
No contexto do Novo Testamento, καιρός (kairós) é o tempo favorável, a
oportunidade. Aproveite esse momento!

Bons estudos!

7
1
Introdução à língua
grega: os primeiros
passos no idioma
do Novo Testamento
Introdução à língua grega: os primeiros
passos no idioma do Novo Testamento

A partir de agora, você terá a oportunidade de conhecer a língua por meio da


qual a Septuaginta e o Novo Testamento foram escritos. Embora pareça se tratar
de um idioma distante, você poderá observar, ao longo de seu estudo, que o grego
está muito mais próximo da língua portuguesa do que poderia imaginar.
Ao estudar a língua grega, tendo por objetivo a compreensão dos escritos cris-
tãos, você será conduzido a um universo de compreensão mais ampla dos tex-
tos do Novo Testamento, pois sua exegese não estará restrita apenas às traduções
disponíveis.
Ao aprender a língua grega, você compreenderá construções e ideias presentes
no vocabulário helênico escolhido pelos evangelistas para contar a “boa nova”.
Neste primeiro capítulo, você encontrará uma breve abordagem das diferen-
tes fases da língua grega e, em especial, da chamada koiné helenística, ou língua
grega comum do período helenístico, a qual foi utilizada nos escritos do Novo
Testamento e, portanto, ferramenta fundamental para o estudo teológico.
Você será apresentado ao alfabeto grego e à sua transliteração para os caracte-
res latinos. Além disso, terá contato com a sintaxe básica de frases e de morfologias
nominais e verbais, sempre buscando alguma articulação com o vocabulário pre-
sente no Novo testamento.
Você terá a oportunidade ainda de começar a ler frases e trechos retirados
dos textos originais dos evangelhos, além de se exercitar na escrita do alfabeto,
de palavras e frases em grego. Desse modo, você dará início a uma compreensão
mais ampla dos escritos presentes no Novo Testamento, percebendo detalhes do
vocabulário grego e a maneira como os argumentos dessa obra foram construídos.

OBJETIVOS
•  Compreender as diferentes fases da língua grega e, especialmente, o lugar da koiné
helenística;
•  Aprender a ler e escrever e pronunciar o alfabeto grego;
•  Estudar as vogais, os ditongos, a sílaba, a acentuação, os espíritos e a pontuação na lín-
gua grega;

capítulo 1 • 10
•  Estudar a sintaxe básica dos termos da frase grega, a partir do estudo da flexão dos subs-
tantivos em casos;
•  Estudar a segunda declinação;
•  Conhecer o verbo ser/estar na língua grega;
•  Exercitar a escrita, a leitura e a compreensão de palavras e frases simples retiradas do
original grego do Novo Testamento.

Conhecendo a língua grega

Por mais que a língua grega possa parecer distante de nós, especialmente, por
apresentar um alfabeto aparentemente muito diferente daquele que você encontra
na língua portuguesa, muito do que você fala em português tem origem na mesma
língua em que foi escrito o Novo Testamento. Observe a seguinte frase:

A crise econômica é um problema também político.

Uma frase como essa é extremamente comum e pode ser lida em matérias de
jornais e ouvida em noticiários e em outros contextos. Ao pronunciar uma frase
com esse vocabulário, você estará falando português, certamente, mas estará falan-
do igualmente grego. Observe que os vocábulos “crise”, “econômica”, “problema”
e “político” são todos de origem grega. Ou seja, você também “fala” grego.
Esse dado torna o estudo do grego do Novo Testamento tanto fascinante,
quanto mais fácil, pois toda vez que você consegue correlacionar o vocabulário
grego com o da língua portuguesa, aprende mais palavras em grego, o que facilita
a leitura dos textos gregos de seu interesse, e, ao mesmo tempo, acaba ampliando
sua compreensão vocabular da língua portuguesa.
Diante dessas informações, você pode observar como uma língua que tem ao
menos 3500 anos de existência, dividida em diversos períodos, pode ser tão pró-
xima da língua portuguesa.

As fases da língua grega

A língua grega é uma língua de origem indo-europeia e apresenta, segundo


o filólogo grego Geórgios Babiniótis, em sua fase histórica1, quatro grandes fases:

1  Ou seja, já sendo uma língua plenamente formada

capítulo 1 • 11
De 1400 a 300 a.C – inclui desde as primeiras
A FASE ARCAICA inscrições em linear B até os textos literários, re-
tóricos e filosóficos.

De 300 a.C ao século VI d.C – momento em que


a língua grega se torna a língua de comunicação
A FASE DA KOINÉ das várias comunidades do Mediterrâneo Orien-
HELENÍSTICA OU tal, após a expansão da cultura grega efetivada
pelas conquistas de Alexandre Magno. Nessa
ALEXANDRINA fase se insere a produção da Septuanginta, do
Novo Testamento e de muitos textos cristãos.

A FASE MEDIEVAL OU Dos séculos VI ao XVIII – em que há larga produ-


BIZANTINA ção de literatura cristã.

A FASE NEO-HELÊNICA OU Desde o século XIX até os dias de hoje.


DO GREGO MODERNO

CONCEITO
As línguas indo-europeias fazem parte de uma família de diferentes línguas e dialetos
que abarca o grego, o latim, o sânscrito, além das principais línguas europeias, dialetos da
Índia, do Irã entre outras regiões.

CURIOSIDADE
Alexandre Magno rei grego da Macedônia que conquista o Império Medo-Persa e é
considerado o “libertador” do Egito, terra que vivia sob o poderio dos Persas. Por meio de suas
conquistas, Alexandre Magno levou a cultura grega para vários pontos do Oriente, dessa
forma,expandindo a presença da língua grega.

A partir dessa brevíssima divisão, você pode observar a extensão no tempo


de uma das línguas mais antigas do mundo e que é falada até hoje. A língua gre-
ga que você começa a estudar agora já era falada em tempos bastante remotos e
segue, com as variações pertinentes da passagem do tempo, sendo falada, escrita
e cantada.

capítulo 1 • 12
MULTIMÍDIA
Se tiver curiosidade, em uma série de sites e vídeos do Youtube, você pode ouvir o grego
moderno, por meio de músicas, filmes etc. Aproveite!

Observe que você terá contato, neste curso, com a fase da koiné alexandrina,
que literalmente se refere a uma língua comum (koiné) marcada por ser produzida
especialmente a partir do período helenístico ou alexandrino, assim chamado por
ser o período literário da língua grega em que a cidade de Alexandria do Egito
passou a ser o centro cultural do mundo helênico.

CONCEITO
Período Alexandrino é o período em que a produção dos textos em grego se concentra
na cidade de Alexandria do Egito, espaço que se torna, a partir do final do IV século a.C., o
grande centro de produção cultural do Mediterrâneo Oriental. Essa produção cultural será
feita em grego e essa mesma língua se tornará uma língua de comunicação entre diferen-
tes povos.

A koiné Neotestamentária

A língua grega em que foram escritos os textos presentes no Novo Testamento


é, como você já sabe, a koiné alexandrina, entretanto, há peculiaridades próprias
do vocabulário que é utilizado no contexto desses escritos cristãos. Os escritos
do Novo Testamento trouxeram ressignificações de palavras da língua grega em
função das ideias religiosas que são ali apresentadas. Note ainda que haverá um
vocabulário da língua original das primeiras comunidades cristãs e da tradição
judaica que será transliterado para o grego, como a palavra ἀββᾶ (αbbâ – pai), de
origem aramaica.
Enfim, estudando a koiné neotestamentária, você terá a oportunidade de com-
preender melhor as várias implicações religioso-culturais envolvidas na composi-
ção do Novo Testamento, além de ter acesso igualmente à leitura da tradução do
Antigo Testamento para o grego, a chamada Septuaginta.

capítulo 1 • 13
O alfabeto grego e escrita das palavras

O alfabeto grego utilizado na koiné alexandrina é composto por 24 letras2.

NOME DA
MAIÚSCULA MINÚSCULA SOM TRANSLITERAÇÃO
LETRA
Α α alfa a a

B β beta b b

g como em
Γ γ gama g
“gato”

Δ δ delta d d

Ε ε épsilon e breve e

Ζ ζ dzeta dz z

e longo
Η η eta ē*
(éé)

th (como
Θ θ theta the em th
inglês)

Ι ι iota i i

Κ κ kapa k k

Λ λ lambda l l

Μ μ my m m

Ν ν ny n n

x (como
Ξ ξ ksi x
em taxi)

Ο ο ômikron** o breve (ô) o

2  Observe que, em fases anteriores da língua, havia outros sinais gráficos e alfabetos com ligeiras diferenças
conviviam.

capítulo 1 • 14
NOME DA
MAIÚSCULA MINÚSCULA SOM TRANSLITERAÇÃO
LETRA
Π π pi p p

r como
Ρ ρ rho r
“barato”

Σ σ, ς sigma s s

Τ τ tau t t

Υ υ hypsilón y/u ü do alemão

Φ φ phi f f ou ph

Χ χ khi kh ch ou kh

ps (como
Ψ ψ psi em ps
psicologia)

o longo
Ω ω ômega*** ō****
(óó)

* Note que há um traço sobre a letra “e”. Esse traço indica que se trata de um “e” longo, ou seja, a transcrição da letra “eta” – η.
** Mikron, em grego, significa pequeno.
*** Mega, em grego, significa grande.
**** Note que há um traço sobre a letra “o”. Esse traço indica que se trata de um “o” longo, ou seja, a transcrição da letra “ômega” – ω.

Alguns detalhes sobre o alfabeto

•  Você deve ter notado que há duas formas para representar o sigma minúscu-
lo. A forma σ, você encontrará no início e meio de palavras, como em σῶμα (sôma
– corpo). Já a forma ς você notará no final de uma palavra, como em ποταμός
(potamós – rio)
•  O ν (som “n”) é representado pela letra γ diante das letras κ, γ, χ e ξ, como
no caso das palavras ἄγγελος (ángelos – anjo) e ἄγκυρα (ánkyra – âncora)3.

3  Você poderá aprofundar seu estudo sobre as consoantes gregas ao longo dos próximos capítulos.

capítulo 1 • 15
As vogais

Em grego, as vogais apresentam quantidade. O que isso quer dizer? Quer dizer
que as vogais podem ser breves ou longas, como você viu ao aprender letras como
“o-mega”, ou seja, o som “o” longo, emitido por mais tempo, em oposição ao som
“o-mikron”, o som “o”emitido mais rapidamente.

VOGAIS LONGAS η e ω.

VOGAIS BREVES ε e ο.

VOGAIS AMBIVALENTES (PODEM SER BREVES OU LONGAS) α, ι, υ.

Os ditongos

Na língua grega antiga, você poderá observar que existem apenas ditongos
decrescentes. Eles podem ser divididos em próprios e impróprios:
•  Ditongos próprios são formados por uma vogal breve (α, ε ou ο) e uma
semivogal (ι ou υ): αι, ει, οι, αυ, ευ, ου (pronuncia-se “u”) .

CONCEITO
O ditongo ου é chamado de “falso” ditongo por ser escrito como ditongo, mas pronuncia-
do como um único som vocálico, o som de “u”.

•  Há ditongos próprios formados por vogal longa (η ou ω) e semivogal υ:


ηυ ωυ.
•  Você ainda encontrará os ditongos impróprios, formadospor vogal longa
(η ou ω) e semivogal ι que vem escrita debaixo da letra, é o chamado “iota subs-
crito”: ῃ e ῳ. O “ι” é grafado, mas não é pronunciado, por isso são chamados de
ditongos impróprios, pois não apresentam dois sons vocálicos.
•  Observe que a acentuação dos ditongos próprios é peculiar, pois o acen-
to sempre será grafado na semivogal, como na palavra δοῦλος (doûlos – servo).

capítulo 1 • 16
Quando uma palavra começar por ditongo, você notará que o acento e o espírito,
sinal que você conhecerá em seguida, também recairão sobre a semivogal, como
em εὐαγγέλιον (euangélion – boa nova/evangelho) ou em οἴκος (oikós – casa).

Os espíritos

As palavras começadas por vogais recebem um sinal gráfico chamado “espí-


rito”, o qual indica a presença ou ausência de aspiração na vogal ou ditongo que
inicia a palavra.
•  No caso do espírito forte, você notará o sinal ῾, como em ἁμαρτία, que é
transliterada hamartía (erro/pecado), recebendo um h para indicar que há uma
aspiração quando você pronuncia o “α”.
•  No caso do espírito fraco, ou seja, quando não há aspiração, você notará o
sinal ᾽, como em ἀγάπη (agápe – amor).
•  Observe que a consoante ρ (rho), quando iniciar uma palavra, também rece-
berá espírito forte e sua pronúncia será aspirada, como em ῥίζα (rhíza – raiz). Ele
será transliterado com o acréscimo de um “h” para marcar a aspiração.

Os acentos

Ao ler as palavras gregas e, em breve, os textos do Novo Testamento, você ob-


servará que, além do espírito, poderá aparecer um acento na palavra4.
Em grego temos três tipos de acentos:

AGUDO Como em λόγος (lógos – palavra/verbo).

Como em καλὸςἄνθρωπος (kalòsánthopos). Este acento


aparecerá apenas em contexto frasal, em palavras que re-
GRAVE cebem acento agudo na última sílaba (ou oxítonas) e pas-
sam a ter o acento grave quando seguidas por outra palavra
acentuada.

CIRCUNFLEXO OU Como em δῶρον (dôron – dom/presente). Note que o acen-


PERISPÔMENO to circunflexo só recai sobre vogais longas e ditongos.

4  Você voltará a ver mais detalhes sobre os acentos ao longo de seu estudo do Grego Bíblico.

capítulo 1 • 17
As sílabas

Como poderá comprovar ao começar a ler e escrever as palavras gregas, nelas


você encontrará sílabas, ou seja, um som ou uma reunião de sons articulados em
uma só emissão de voz. Em grego, toda sílaba traz um som vocálico. Observe
os exemplos:

PALAVRA DIVISÃO SILÁBICA


οἰκία (oikía – casa) οἰ κί α

θεός (theós – deus) θε ός

εὐαγγέλιον (euangélion – boa nova /evangelho) εὐ αγ γέ λι ον

ἄνθρωπος (ánthrōpos – ser humano) ἄνθρωπος

προφήτης (profetes – profeta ) προφήτης

Observe que as sílabas, em grego, podem ser breves ou longas. As sílabas lon-
gas apresentam uma vogal longa ou um ditongo:

ἐγώ (egō – eu) ἐ γώ

ἀδελφοί (adelfoí – irmãos) ἀ δελ φοί

As sílabas breves apresentam vogal breve, como você pode observar nas pala-
vras a seguir:

νόμος (nómos – lei) νό μος

τέλος (télos – fim) τέ λος

Nas duas palavras, todas as sílabas são breves por apresentarem apenas vo-
gais breves.

capítulo 1 • 18
Transliteração do alfabeto grego

Você notará que não há dificuldade em transliterar a maior parte das letras.
Entretanto, é preciso prestar atenção à transliteração das vogais longas e dos espí-
ritos e acentos.
•  Observe a transliteração da letra “υ” (hypsilon): normalmente, o “υ” será
transliterada “y”:

ὑπποποταμός hyppopotamós (hipopótamo)

Entretanto, quando o “υ” for a semivogal de um ditongo, será transliterada


“u”:

δοῦλος doûlos (servo).

Note a seguinte palavra:

ψυχή psychē (alma)

Ao transliterar a letra “η” (o “e” longo) com acento agudo, você coloca um
traço por sobre a letra “e” e o acento agudo. Esse traço é chamado de mákron e in-
dica que a vogal é longa, como você já viu na coluna de transliteração do alfabeto.
Lembre-se de que o “ω” (o “o” longo) também receberá o mákron para in-
dicar, na transliteração, que o “o” presente na palavras é longo. Note o exemplo:

βαπτίζω baptízō (batizo)

capítulo 1 • 19
ATENÇÃO
Quando a palavra apresentar o acento circunflexo ou perispômeno ῀, não haverá necessi-
dade de colocar o mákron– sobre o “ω” e sobre o “η”. Como o acento circunflexo recai apenas
em vogais longas ou ditongos, se a vogal apresenta esse acento na transliteração, ela será
necessariamente longa. Observe os exemplos:

δῶρον dôron (dom/presente)

ἦν ên (era – pretérito imperfeito do verbo ser/estar)

Depois de conhecer os detalhes da transliteração, experimente transliterar as


seguintes palavras:

Ἰερουσαλήν (Jerusalém)

ἐκκλησία (assembleia)

φόβος (medo)

ἀνήρ (homem)

δύναμις (força)

Observe agora algumas palavras presentes no vocabulário do Novo Testamento


e a sua transliteração em caracteres latinos:

alfa (primeira letra do alfabeto e, conju-


ἄλφα
gada à letra ω, simboliza Deus*)

ἀγάπη agápe (amor)

ἀρχή archē (princípio)

βαπτίζω baptízō (batizo)

γλῶσσα glôssa (língua)

capítulo 1 • 20
διδάσκαλος (didáskalos – mestre/professor)

ἡμέρα heméra (dia)

Θεός Theós (Deus)

λόγος lógos (palavra – verbo)

πνεῦμα pneûma (espírito/sopro)

ῥαββί (rhabbí – palavra de origem hebraica)

ψυχή psychē (alma)

Cf. CHATZIARGYROS, Anastasíos. Λεξικό της Καινής Διαθήκης (Léxico do Novo Testamento). Atenas: Armós, 2012, p. 15.

Leia as palavras anteriores e as copie, para poder treinar a escrita do alfabeto


grego e, ao mesmo tempo, adquirir um vocabulário inicial grego do NT.

Sinais de pontuação

Em grego, você encontrará sinais iguais aos da língua portuguesa, como


•  O ponto ( . ) e a vírgula ( , ).
•  Entretanto, o ponto e vírgula e o dois-pontos serão representados por um
sinal denominado ponto no alto ( • ).
•  A interrogação será representada por ( ; ).

Agora leia a primeira frase do Evangelho de João:

Ἦν ἀρχὴ ἦν ὁ λόγος. ênarché ênhologos (no princípio era o verbo)

Observe que, na frase apresentada, você encontra as vogais, os acentos, as


sílabas, o espírito e um sinal de pontuação. Note que você já começou a ler um
texto original do Novo Testamento. Esse é apenas o primeiro de muitos. Por isso,
o seu próximo passo será começar a entender como as palavras e os verbos gregos
se organizam em uma frase.

capítulo 1 • 21
Antes de passar ao ponto seguinte, leia em voz alta e copie a frase anterior,
para que você vá experimentando o Grego Bíblico. Sempre que possível, busque
escrever as palavras gregas com o alfabeto grego e as pronuncie também.
Outro bom modo de ampliar seu vocabulário é procurar fazer correlações
entre as palavras gregas e as palavras da língua portuguesa.

Sintaxe e morfologia iniciais da frase grega

Agora que você já se familiarizou com o alfabeto grego, com os acentos, espí-
ritos e sinais de pontuação, poderá passar à leitura de estruturas simples da língua
grega, as quais você encontrará em muitas passagens dos Evangelhos, por exemplo.
Note que, aos poucos, o grego bíblico vai se tornar mais familiar, e você encontrará
prazer em sua leitura e em tudo que a língua grega revela sobre o Novo Testamento.

As palavras gregas e a noção de caso

A língua grega, do mesmo modo que a língua portuguesa, apresenta flexões5,


isto é, alterações na maneira como se escreve a palavra em função, por exemplo de
ser singular ou plural, caso da palavra “menino”, que passa a ser escrita “meninos”
no plural, ou seja, houve uma flexão de número (do singular para o plural).
Em grego, os substantivos, adjetivos e outras classes de palavras podem se
flexionar em gênero, número e caso, formando declinações.
A língua grega apresenta:
•  Três gêneros:

MASCULINO Θεός (Deus), κύριος (senhor), δοῦλος (servo).

FEMININO δούλη (serva), γλῶσσα (língua), ζωή (vida).

NEUTRO πλοῖον (navio), παιδίον (criança), δῶρον (dom).

5  Você verá mais detalhes da formação vocabular grega ao longo do livro.

capítulo 1 • 22
•  Três números:

SINGULAR δοῦλος (servo).

PLURAL δοῦλοι (servos).

muito raro na língua grega antiga e, no Novo Testamento, apresen-


DUAL ta vestígios de sua existência.

Você conhece tanto a ideia de número quanto a ideia de gênero. Entretanto,


o que vem a ser caso? Caso é o nome que se dá à forma que uma palavra assume
de acordo com sua função sintática na frase. Ou seja, se a palavra desempenhar o
papel de sujeito da frase, apresentará uma terminação, se ela for o objeto direto de
um verbo, poderá apresentar outra terminação. Veja o exemplo:

Ὁ ἵππος τρέχει. O cavalo corre.

O sujeito da frase é “cavalo” e em grego o “caso” que desempenhará o papel de


sujeito é o nominativo.
Mas como fica a palavra se ela estiver complementando um verbo? Ou seja, se
ela for objeto direto, por exemplo?

Βλέπω τὸν ἵππον. Vejo o cavalo.

Note que a palavra ἵππος (cavalo) apresentará uma terminação para o nomi-
nativo (caso do sujeito) e uma terminação para o acusativo (caso do objeto direto
– ἵππον).
Há vantagem em estudar uma língua que apresenta as palavras declinadas em
casos. Essa vantagem está no fato de que você poderá reconhecer, na forma da pa-
lavra, a sua função em uma frase. Isso facilita a leitura da língua grega, em que há
maior liberdade na ordenação das palavras na frase. Observe o exemplo:

Βλέπω τὸν ἵππον. Vejo o cavalo.

Τὸν ἵππον βλέπω. O cavalo vejo.

capítulo 1 • 23
Observe que você pode reconhecer a forma do acusativo (caso do objeto dire-
to) em qualquer posição que ele aparece na frase.

Casos da língua grega e suas funções sintáticas básicas

São cinco os casos da língua grega:


•  Nominativo: caso que, como o próprio nome indica “nomeia” o objeto ou
a ideia expressa por um vocábulo. Corresponde ao sujeito ou ao predicativo do
sujeito em português.
Exemplo:

Ὁ δοῦλοςκαλός ἐστιν. O servo bom é.

No exemplo, tanto δοῦλος quanto καλός estão no caso nominativo.

•  Vocativo: caso ligado à ideia de evocar, ou seja, é o caso que corresponde


à invocação.
Exemplo:

ἁμαρτολός εἰμι κύριε Pecador sou, senhor

No exemplo, κύριε é o vocativo de κύριος (senhor).

•  Acusativo: caso que expressará o objeto direto de um verbo.


Exemplo:

ὁ μαθητὴς ἀγαπᾷ τον διδάσκαλον. O aluno ama o mestre.

•  Genitivo: caso ligado à ideia de posse e de origem ou ponto de partida,


podendo desempenhar papel de adjunto adnominal e complemento nominal.
Exemplo:

ὁ δοῦλος τοῦ κυρίου Ο servo do senhor.

No exemplo, κυρίου é o genitivo de κύριος (senhor).

capítulo 1 • 24
•  Dativo: caso que desempenhará o papel de objeto indireto.
Exemplo:

ὁ ἄγγελος εἶπεν αὐτῷ. O anjo disse a ele.

No exemplo, αὐτῷ (ele) é o objeto indireto e está no caso dativo de αὐτός.


Observe que o caso dativo desempenhará outras funções sintáticas por ter, ao
longo da história da língua, assimilado a função de dois outros casos, o locativo e o
instrumental6. Ou seja, ele poderá indicar o instrumento com o qual eu faço algo
e, igualmente, indicar um local.

•  Dativo Instrumental:
Exemplo:

Βλέπω τοῖς ὀφταλμοῖς Vejo com os olhos.

No exemplo, ὀφταλμοῖς (com os olhos) é o instrumento com o qual o sujeito “vê”.

•  Dativo locativo:
Exemplo:

Μένω τῷοἴκῳ. Fico na casa.

No exemplo, οἴκῳ (na casa) é o local indicado.

ATENÇÃO
Além dos casos, marcados morfologicamente pelas desinências, há ainda a combinação
de preposições e casos que formarão os adjuntos adverbiais os quais expressam a ideia de
modo, de tempo, de lugar etc.
Um ótimo exemplo é a combinação da preposição ἐν com a palavra no caso dativo, indi-
cando o lugar onde (sem movimento):
ἐν ἀρχῇ (preposição ἐν + dativo singular da palavra ἀρχή – princípio) no princípio

6  Você terá a oportunidade de aprofundar o estudo dos casos ao longo dos outros capítulos. Por agora, essas
noções básicas já podem começar a auxiliar na leitura de algumas frases simples.

capítulo 1 • 25
A declinação grega

Agora que você já conhece os casos da língua grega, pode avançar no seu estu-
do e ter contato com as declinações dos substantivos, dos adjetivos e dos artigos.
Em grego, os artigos também são declinados e concordam em gênero, número
e caso com o vocábulo ao qual se referem, ou seja, se o artigo se refere a um subs-
tantivo masculino no caso dativo singular, ele virá no mesmo caso.
Observe o seguinte exemplo:

Ὁ λόγος τοῦ ἀγγέλου. A palavra do anjo.

Nesse exemplo, encontramos um artigo definido que se refere à palavra λόγος no


nominativo e outro que se refere à palavra ἀγγέλου, que está no genitivo.

Declinação dos artigos definidos

Os artigos definidos apresentam todos os casos da declinação, menos o vocati-


vo. Eles apresentam os três gêneros, masculino, feminino e neutro, além dos dois
números, singular e plural.

MASCULINO FEMININO NEUTRO


SINGULAR
Nominativo ὁ ἡ τό

Acusativo τόν τήν τό

Genitivo τοῦ τῆς τοῦ

Dativo τῷ τῇ τῷ

capítulo 1 • 26
MASCULINO FEMININO NEUTRO
PLURAL
Nominativo οἱ αἱ τά

Acusativo τούς τάς τά

Genitivo τῶν τῶν τῶν

Dativo τοῖς ταῖς τοῖς

Declinação temática ou segunda declinação

A declinação que você começa a estudar agora se refere aos substantivos, isto
é, “uma palavra que designa pessoas, animais, lugares ou coisas.”7. Os substantivos
designam elementos os quais podem ser eles reais (homem), imaginários (unicór-
nio), concretos (casa) ou abstratos (verdade).
Os elementos básicos que formam um substantivo na língua grega são:

RAIZ Guarda a ideia essencial e geral do vocábulo.

Guarda a ideia mais específica do vocábulo e pode apresentar


TEMA elementos diferencias ligados à raiz, por exemplo, uma vogal
temática.

Elementos que são acrescidos ao tema e indicam a flexão de


DESINÊNCIAS caso e de número.

Exemplo:

οἴκος (casa/família) é a palavra completa

οικ é a raiz

οἴκο é o tema

ς é a desinência de nominativo singular

7  Cf. REGA, Lourenço Stelio. Noções do Grego Bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1995, p. 31.

capítulo 1 • 27
A declinação temática é assim chamada por apresentar uma vogal temática
em sua composição. Você perceberá que é uma das declinações mais simples da
língua grega e muito próxima, no que diz respeito às terminações, da declinação
dos artigos masculinos.
A segunda declinação apresenta nomes masculinos e neutros em maior nú-
mero. Mas há, igualmente, nomes femininos. Para facilitar seu aprendizado, os
substantivos serão declinados antecedidos por seus respectivos artigos definidos.

MASCULINO FEMININO NEUTRO


SINGULAR
Nominativo ὁ λόγος ἡ ὁδός τὸ δῶρον

Vocativo λόγε ὁδέ δῶρον

Acusativo τὸν λόγον τὴν ὁδόν τὸ δῶρον

Genitivo τοῦλόγου τῆς ὁδοῦ τοῦ δώρου

Dativo τῷλόγῳ τῇ ὁδῷ τῷ δώρῳ

MASCULINO FEMININO NEUTRO


PLURAL
Nominativo οἱ λόγοι αἱ ὁδοί τά δῶρα

Vocativo λόγοι ὁδοί δῶρα

Acusativo τοὺς λόγους τάς ὁδούς τά δῶρα

Genitivo τῶν λόγων τῶν ὁδῶν τῶν δώρων

Dativo τοῖς λόγοις ταῖς ὁδοῖς τοῖς δώροις

capítulo 1 • 28
Veja um exemplo de tradução de uma palavra em suas funções básicas ligadas
a cada caso:

Nominativo ὁ λόγος a palavra (sujeito ou predicativo do sujeito)

Vocativo λόγε palavra! (vocativo)

Acusativo τὸν λόγον a palavra (objeto direto)

da palavra (adjunto adnominal ou comple-


Genitivo τοῦ λόγου
mento nominal)

Dativo τῷ λόγῳ à palavra (objeto indireto)

Nominativo οἱ λόγοι as palavras (sujeito ou predicativo do sujeito)

Vocativo λόγοι palavras! (vocativo)

Acusativo τοὺς λόγους as palavras (objeto direto)

das palavras (adjunto adnominal ou comple-


Genitivo τῶν λόγων
mento nominal)

Dativo τοῖς λόγοις às palavras (objeto indireto)

Tendo estudado as declinações dos artigos e dos nomes de segunda declinação,


você já pode começar a ler estruturas básicas da língua grega que aparecem com
frequência no Novo Testamento.
•  Experimente ler as seguintes expressões em grego e as copie também:

υἱὸς τοῦ Θεοῦ (filho de Deus)

ὁ λόγος τοῦ ἀγγέλου (a palavra do anjo)

capítulo 1 • 29
Conhecendo o verbo εἰμί (ser/estar)

Um verbo essencial na língua grega, como no português, é o verbo “ser/es-


tar”, em grego εἰμί (eu sou/estou). O verbo εἰμί não apresenta conjugação regular
e, igualmente, não apresenta todos os tempos que um verbo regular apresenta.
Entretanto, como você pode supor, trata-se de um verbo extremamente usado.
Como em português, você notará que os verbos gregos apresentam três pes-
soas (1a, 2a e 3a) e dois números (singular e plural).
Veja a conjugação do verbo εἰμί nos três tempos do modo indicativo acompa-
nhada das formas dos pronomes pessoais:

Presente do indicativo

1a p. ἐγὼ εἰμί (eu sou/eu estou)

2a p. σὺ εἶ (tu és/tu estás)

3a p. αὐτὸς ἐστί(ν) (ele é/ele está)

1a p. ἡμεῖς ἐσμέν (nós somos/nós estamos)

2a p. ὑμεῖς ἐστέ (vós sois/vós estais)

3a p. αὐτοὶ ἐστί (ν) (eles são/eles estão)

ATENÇÃO
A letra “ν” entre parênteses indica que essa letra pode aparecer ou não na forma verbal.
Esse é o chamado “ν” eufônico, ou seja, que tem um “bom som” e aparece quando essa forma
verbal é seguida de palavra iniciada por vogal ou por sinal de pontuação.

capítulo 1 • 30
Imperfeito do indicativo

SINGULAR
1a p. ἐγὼ ἦν (eu era/eu estava)

2a p. σὺ ἦσθα (tu eras/tu estavas)

3a p. αὐτὸς ἦν (ele era/ele estava)

PLURAL
1a p. ἡμεῖς ἦμεν (nós éramos/nós estávamos)

2a p. ὑμεῖς ἦτε (vós éreis/vós estáveis)

3a p. αὐτοὶ ἦσαν (eles eram/eles estavam)

Futuro do Indicativo

SINGULAR
1a p. ἐγὼ ἔσομαι (eu serei/eu estarei)

2a p. σὺ ἔσῃ (tu serás/tu estarás)

3a p. αὐτὸς ἔσται (ele será/ele estará)

PLURAL
1a p. ἡμεῖς ἐσόμεθα (nós seremos/nós estaremos)

2a p. ὑμεῖς ἔσεσθε (vós sereis/vós estareis)

3a p. αὐτοὶ ἔσονται (eles serão/eles estarão)

capítulo 1 • 31
Essas formas do verso εἰμί no modo indicativo têm um uso muito amplo e de-
vem ser aprendidas. Experimente copiar os verbos conjugados e faça frases simples
em grego. Assim, você aprenderá a usar o verbo sem ter de “decorar” a conjugação.
Aproveite as atividades propostas neste capítulo para rever os pontos estuda-
dos e exercitar seus conhecimentos iniciais da língua grega. Com empenho, em
breve, você estará lendo passagens do Novo Testamento em grego. Aproveite!

ATIVIDADES
01. Leia as palavras em voz alta e as translitere em caracteres latinos.
a) αὐτός __________ i) λέγω _____________
b) ἄνθρωπος _____________ j) νεκρός___________
c) υἱός _____________ k) οὐρανός ____________
d) ἡμέρα ___________ l) εἰρήνη ____________
e) ἄγγελος ______________ m) δόξα ____________
f) εἰμί ______________ n) τόπος _____________
g) μαθητής ___________ o) Γαλιλαία ___________
h) κύριος ______________

02. Escreva o artigo correspondente ao caso e ao número em que a palavra aparece.


a) ____ ἄγγελοι g) ____ νόμῳ
b) ____ πλοῖα h) ____ οἴκος
c) ____ λὀγου i) ____ ἀδελφοί
d) ____ κυρίου j) ____δρόμους
e) ____ ἵππον k) ____ μακάριος
f) ____ διδἀσκαλοις l) _____ μισθῶν

03. Com o auxílio do vocabulário, traduza as expressões a seguir e indique a função sintática
da palavra a partir do que você aprendeu neste capítulo:

Vocabulário

Θεός – Deus ἀπόστολος – enviado/apóstolo


ἀδελφος – irmão κόσμος – mundo
ζώον – animal ὀφθαλμός – olho
ἵππος – cavalo ἄρτος – pão
φίλος – amigo λἰθος – pedra

capítulo 1 • 32
a) Τοῦ Θεοῦ f) ὁ ἀπόστολος
b) Τῶν ἀδελφῶν g) τὸν κόσμον
c) Τὰ ζώα h) τῷ ὁφθαλμῷ
d) Τοὺς ἵππους i) τοῦ ἄρτου
e) Τοῖς φίλοῖς j) οἱ λίθοι

04. Ligue os pronomes pessoais às formas verbais do verbo εἱμί e indique sua tradução:

σύ ἔσονται (futuro)
ὑμεῖς εἰμί (presente)
αὐτοί ἦν (imperfeito)
ἐγώ ἐστέ (presente)
ἡμεῖς ἦσθα (imperfeito)
αὐτός ἐσμέν (presente)

05. Traduza, com o auxílio do vocabulário, os seguintes trechos retirados do Novo Testamento:

Vocabulário

Θεός – Deus
Ἐν ἁρχῂ – no princípio (preposição Ἐν + dativo singular de ἀρχή)
Λόγος – verbo/palavras
Καί – conunção aditiva “e”
Βίβλος – livro
γενέσεως – do nascimento (genitivo singular de palavra de terceira declinação)
Ἰησοῦ – de Jesus (genitivo singular de Ἰησούς – nome hebraico)
Χριστός – Cristo
υἱός – filho
Δαυίδ – Davi
Ἀβραάμ – Abraão
ἐγγὺς – perto, próximo
τὸ πάσχα – A páscoa
Ἰουδαίος – judeu

Ἐν ἁρχῂ ἦν ὁ λόγος, (...) καὶ θεὸς ἦν ὀ λόγος. (João, 1)


Βίβλος γενέσεως Ἰησοῦ Χριστοῦ υἱοῦ Δαυὶδ υἱοῦ Ἀβραάμ. (Mateus,1)
Καὶ ἐγγὺς ἦν τὸ πάσχα τῶν Ἰουδαίων. (João, 13)

capítulo 1 • 33
07. Escreva as seguintes frases em grego, utilizando o vocabulário, além do conhecimento
do verbo εἰμί e dos pronomes pessoais:

Vocabulário Deus é bom.


Eu sou o caminho.
Deus – Θεός
Bom – καλός No princípio era o verbo.
Caminho – ὁδός Eu serei servo do senhor.
No princípio – Ἐν ἁρχῄ
Verbo – λόγος
Servo – δοῦλος
Senhor – κύριος

REFLEXÃO
Ao longo do capítulo 1 do livro Grego Bíblico, você teve a oportunidade de conhecer
brevemente as diferentes fases de existência da língua grega, desde 1400 a.C. até os dias
de hoje. Além disso, você observou que a língua utilizada na composição dos textos do Novo
testamento é a chamada koiné alexandrina ou helenística e, além disso, que há peculiarida-
des de traduções de palavras e conceitos concernentes à cultura judaica. Esses detalhes
você observou por meio da apresentação de algumas palavras em grego que são de origem
aramaica, por exemplo.
Além do estudo da parte histórica da língua, você teve seu primeiro contato prático com o
idioma grego, aprendendo o alfabeto e as peculiaridades da escrita grega, para, em seguida,
poder conhecer um pouco da sintaxe básica dos casos gregos e a composição de frases
simples.
Para complementar essa primeira etapa de seu estudo, você conheceu a morfologia
dos substantivos de segunda declinação, além do verbo εἰμί em todos os três tempos do
indicativo. Grandes passos foram dados por você na direção do desenvolvimento de seus
conhecimentos de grego bíblico. Nesse sentido, é importante que você realize bem as ativi-
dades e, se possível, repita-as mais de uma vez. Siga seu estudo com afinco e, antes do que
você possa imaginar, já estará lendo com mais desenvoltura trechos do Novo Testamento.

capítulo 1 • 34
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BABINIÓTIS, Geórgios. Συνοπτική ιστορία της ελληνικής γλώσσας. (História Sinótica da língua
grega). Atenas: Centro de Lexicologia, 2017.
CHATZIARGYROS, Anastasíos. Λεξικό της Καινής Διαθήκης (Léxico do Novo Testamento). Atenas:
Arós, 2012.
HORTA, Guida Nedda Barata Parreiras. Os gregos e seu idioma. Rio de Janeiro: Editora J. Di
Giorgio, 1978.
OLIVEIRA, Luciene de Lima. Gramática do Grego Bíblico. Rio de Janeiro: Edição do autor, 2008.
REGA, Lourenço Stelio. Noções do Grego Bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1995.
The Greek New Testament. Nova York: United Bible Societies, 1975.

capítulo 1 • 35
capítulo 1 • 36
2
As consoantes
gregas, a primeira
declinação nominal,
noções gerais do
sistema verbal
grego
As consoantes gregas, a primeira declinação
nominal, noções gerais do sistema verbal grego

No capítulo anterior, você teve o primeiro contato com a língua grega, conhe-
cendo o alfabeto e as regras de transcrição do grego para os caracteres latinos. Além
disso, você teve a oportunidade de conhecer o verbo εἰμί, um verbo de grande im-
portância da língua grega. Igualmente, você já começou a conhecer as declinações
dos substantivos da língua grega do NT e a sintaxe dos casos.
Certamente, após realizar os exercícios propostos e os repetir algumas vezes,
você deve estar se sentindo mais familiarizado com o grego.
No presente capítulo, você continuará a estudar a língua do NT e terá contato
com mais detalhes da classificação dos sons da língua grega, os quais serão fun-
damentais para que você possa compreender melhor os encontros consonantais
presentes em formas nominais e verbais. Além disso, verá alguns detalhes a mais
das regras de acentuação grega.
Você também conhecerá o sistema verbal no Grego Bíblico, tomando conhe-
cimento de um panorama geral de tempos e modos utilizados na koiné neotes-
tamentária. Em seguida, você conhecerá os tempos presente e futuro, a partir de
alguns verbos paradigmáticos que serão bastante úteis no estudo da língua e para
a leitura e compreensão dos textos gregos.
Neste capítulo, você também seguirá o estudo das declinações dos substantivos,
observando agora a primeira declinação e exercitando a leitura de textos do NT.
Ao final do capítulo, você perceberá como seus conhecimentos da língua gre-
ga terão avançado e sua capacidade de leitura de textos do NT terá se ampliado
bastante.

OBJETIVOS
•  Conhecer mais detalhes sobre as consoantes, sua classificação e suas combinações;
•  Conhecer os substantivos e os nomes de primeira declinação;
•  Estudar as linhas gerais do sistema verbal grego;
•  Estudar os tempos presente e futuro;
•  Desenvolver sua habilidade de leitura e compreensão do Grego Bíblico, além de exercitar
a tradução de termos e pequenos textos.

capítulo 2 • 38
As consoantes e suas classificações e combinações

No capítulo anterior, você conheceu o alfabeto grego, aprendeu a correspon-


dência de cada letra grega ao alfabeto latino. Em relação às vogais, você observou
que elas apresentam quantidades, podendo ser breves, longas ou ambivalentes.
Agora, você conhecerá um pouco mais sobre as consoantes gregas, algo importan-
te para compreender porque alguns verbos, substantivos e adjetivos apresentam
algumas mudanças ao longo de suas flexões.
Como você se lembra, no dialeto em que foi escrito o Novo Testamento, o
alfabeto apresenta 17 consoantes, as quais se subdividem em três categorias: oclu-
sivas, contínuas e duplas. Observe o quadro adiante e em seguida as explicações.

OCLUSIVAS CONTÍNUAS DUPLAS


Nasais Sibilante Oclusiva +
Surdas Sonoras Aspiradas Líquidas
(sonoras) (surda) Sibilante
Labiais

Π π Β β Φ φ ------ Μ μ ------ Ψ ψ
Dentais

Τ τ Δ δ Θ θ Λ λ Ν ν Σ σ ς Ζ ζ

Γ γ
Guturais

Κ κ Γ γ Χ χ ῾Ρ ρ (nasal ν ------ Ξ ξ
guturalizada)

ATENÇÃO
Você não precisa decorar a classificação das consoantes, mas deve observar como cada
uma é articulada em seu aparelho fonador. Ou seja, você deve entender como cada uma é
pronunciada em sua boca. Por isso, é importante que você leia as letras e as palavras em voz
alta, para entender como cada letra e cada som se articula em sua boca.

capítulo 2 • 39
A primeira divisão do quadro de consoantes se refere aos grupos:

Ao pronunciar as consoantes dessa categoria, você rea-


liza uma oclusão ou interrupção da corrente respiratória,
unindo dois órgãos da fala e, em seguida libera brusca-
mente o ar. Note que você realiza o mesmo procedimento
ao pronunciar a vogal b em português. Experimente falar
OCLUSIVAS a palavra “bobo”. Ao pronunciar essa palavra, note como
você interrompe a corrente respiratória e a libera brus-
camente, ao articular a consoante b. O mesmo processo
ocorre com a consoante β (beta) do alfabeto grego na
palavra βίβλος (bíblos – livro), por exemplo.

Note que, nessa categoria, como o próprio nome diz,


não haverá interrupção da corrente respiratória, apenas
a aproximação dos órgãos da fala. Tome a letra n, por
CONTÍNUAS exemplo, na palavra “nada”. Perceba como não há a oclu-
são e brusca liberação de ar, como nas oclusivas. Expe-
rimente falar as palavras λόγος (lógos – palavra/verbo) e
ἄρτος (ártos – pão).

Como o próprio nome indica, as consoantes duplas apre-


sentam dois sons consonantais unidos. Um ótimo exem-
plo na língua portuguesa é a palavra psicologia, em que
DUPLAS as letras ps são dois sons consonantais unidos. Em gre-
go, o som correspondente a ps, como você teve a opor-
tunidade de notar ao aprender o alfabeto, é a consoante
ψ (psi), letra que inicia a palavra ψυχή (psyché – alma).

As consoantes se dividem, também, como você deve ter notado no quadro


anterior, em labiais, dentais e guturais, esses nomes se referem ao lugar (ou ponto)
em que articulamos o som em nosso aparelho fonador.
Por exemplo, ao pronunciarmos β, π ou φ, o ponto de articulação estará nos
lábios, por isso, essas são consoantes labiais. Caso da palavra βάλλω (lanço).
Observe que as guturais são pronunciadas na parte mais próxima da garganta
(guttur em latim)8, caso do γ, κ e χ. Α letra que inicia a palavra κοινή (koiné) é
uma gutural. Experimente pronunciar a palavra prestando atenção em onde você
produz o som.

8  Cf. HORTA, Guida N. B. P. Os gregos e seu idioma. Rio de Janeiro: J. Di Giorgio, 1978, p.113.

capítulo 2 • 40
As dentais, como o nome indicam, são pronunciadas nas proximidades dos
dentes, caso de δ, τ, e θ. A palavra δούλη (doúle – serva) se inicia por uma dental.
As consoantes, de acordo com a natureza da articulação, são chamadas de:

Nesse caso, a produção do som envolve a vibração das


SONORAS cordas vocálicas. Como a letra b na palavra “banho”. Ex-
perimente falar a palavra βουλή (vontade).

Nesse caso, a produção do som não envolve a vibração


SURDAS das cordas vocálicas. Caso da letra p na palavra “pada-
ria”. Pronuncie a palavra πάτηρ (pai).

Nesse caso, há uma leve aspiração e não há vibração das


ASPIRADAS cordas vocálicas. Caso da letra s na palavra “sábio”. Ex-
perimente pronunciar a palavra σοφία (sofía – saberoria).

Que tal exercitar um pouco do que você aprendeu até o momento? Copie as
seguintes expressões e frases e as fale em voz alta, prestando atenção em como você
articula os sons:

Σοφία Θεοῦ (sabedoria de Deus)

Καὶ τὸ φῶς ἐν τῇ σκοτίᾳ φαίνει (e a luz na escuridão brilha)

Καὶ ὁ λόγος σάρξ ἐγένετο (e o verbo carne se tornou)

Mais detalhes das regras de acentuação da Língua Grega

No primeiro capítulo, você viu que há três tipos de acentos em grego: agudo,
grave e perispômeno ou circunflexo.
Além disso, é importante saber que os acentos só podem recair até a antepe-
núltima sílaba, ou seja, como em português, encontraremos acentos até a terceira
sílaba contada de trás para frente.
Note que há regras para essa acentuação. Veja:

capítulo 2 • 41
O acento agudo

O acento agudo pode recair na última sílaba, na penúltima ou na antepenúl-


tima. Ou seja, teremos palavras que serão oxítonas, paroxítonas e proparoxítonas.
Observe os exemplos:

Ποιητής (poeta) – oxítona: recebe o acento agudo (oxis) na última sílaba.

(palavra/verbo) – paroxítona: recebe o acento agudo na penúlti-


Λόγος
ma sílaba.

(mestre/professor) – proparoxítona: recebe o acento agudo na


Διδάσκαλος
antepenúltima sílaba.

ATENÇÃO
Para que a palavra receba acento na antepenúltima sílaba, ou seja, para que a palavra
seja paroxítona, a última sílaba precisa ser breve. Sempre que a palavra apresentar a última
sílaba longa, o acento só poderá recair até a penúltima sílaba.

O acento grave ou barítono

O acento grave recai apenas na última sílaba. Ele aparece apenas em contexto
frasal e isso se dá quando uma palavra oxítona é seguida de uma palavra acentuada
em uma frase. Sempre que isso ocorrer, a palavra acentuada na última sílaba pas-
sará a receber acento grave. Veja o exemplo:

Λέγω τὸν καλὸν λόγον. (Falo a bela palavra.)

Originalmente, τόν e καλόν são palavras oxítonas que passaram a receber


acento grave dentro da frase.

O acento circunflexo ou perispômeno

O acento circunflexo recai apenas sobre sílabas longas, ou seja, sílabas que
apresentam vogal longa ou ditongo. E pode cair apenas na última ou na penúltima

capítulo 2 • 42
sílaba, formando palavras classificadas como perispômenas ou properisômenas.
Veja os exemplos:

ἡμεῖς (nós – pronome pessoal)

Δῶρον (presente/dom)

Como no caso das proparoxítonas, a palavra, para ser perispômena, precisa ter
a última sílaba breve.

ATENÇÃO
•  Nos verbos, o acento ficará o mais distante possível da última sílaba.
•  Nos nomes, o acento, sempre que for possível, permanecerá na sílaba em que aparece no
nominativo. Em função do aumento da quantidade da última sílaba, esse acento pode avan-
çar, fazendo uma palavra passar de proparoxítona para paroxítona ou de properispômena
para perispômena.

A primeira declinação nominal feminina

No capítulo 1, você teve contato com a declinação dos artigos definidos e,


igualmente, com a segunda declinação. Agora você estudará a primeira declinação,
que apresenta nomes femininos, majoritariamente, além de nomes masculinos.
Para os nomes femininos, a primeira declinação nominal apresenta três tipos:
•  Nomes em α puro.
•  Nomes em α impuro ou misto.
•  Nomes em η.

Para os nomes masculinos, a primeira declinação apresenta dois tipos:


•  Nomes em ας.
•  Nomes em ης.

capítulo 2 • 43
Os nomes femininos em α puro

Os nomes femininos em α puro são assim denominados por apresentarem a


vogal α nas terminações de todos os casos no singular. Todas as palavras de primei-
ra declinação, em que o α final seja precedido ou pela consoante ρ ou pelas vogais
ε e ι, serão consideradas do tipo α puro. Observe a declinação completa da palavra
ἀλήθεια (a verdade), acompanhada do artigo feminino:

CASOS SINGULAR PLURAL


Nominativo ἡ ἀλήθεια αἱ ἀλήθειαι

Vocativo* ἀλήθεια ἀλήθειαι

Acusativo τὴν ἀλήθειαν τὰς ἀληθείας

Genitivo τῆς ἀληθείας τῶν ἀληθειῶν

Dativo τῇ ἀληθείᾳ ταῖς ἀληθείαις

* Observe que não há artigo para o caso vocativo.

Outras palavras que serão declinadas da mesma maneira serão σοφία (sabedo-
ria), ἁμαρτία (pecado), ἡμέρα (dia), οἰκία (casa).

Os nomes femininos em α impuro ou misto

Os nomes femininos em α impuro ou misto são assim denominados por apre-


sentarem, ao longo da declinação singular, a alternância entre as vogais α e η.
Observe a declinação da palavra θάλασσα (mar), acompanhada de artigo definido.

CASOS SINGULAR PLURAL


Nominativo ἡ θάλασσα αἱ θάλασσαι

Vocativo θάλασσα θάλασσαι

Acusativo τὴν θάλασσαν τὰς θαλάσσας

capítulo 2 • 44
CASOS SINGULAR PLURAL
Genitivo τῆς θαλάσσης τῶν θαλασσῶν

Dativo τῇ θαλάσσῃ ταῖς θαλάσσαις

Como θάλασσα, declinam-se γλῶσσα (língua), δόξα (glória), δέσποινα (se-


nhora), δίψα (sede), entre outras.

Os nomes femininos em η

Os nomes femininos em η são assim denominados por apresentarem, ao lon-


go da declinação singular, a vogal η. Observe a declinação da palavra φωνή (voz),
acompanhada de artigo definido.

CASOS SINGULAR PLURAL


Nominativo ἡ φωνή αἱ φωναί

Vocativo φωνή φωναί

Acusativo τὴν φωνήν τὰς φωνάς

Genitivo τῆς φωνῆς τῶν φωνῶν

Dativo τῇ φωνῇ ταῖς φωναῖς

Como φωνή, declinam-se ἀγάπη (amor), εἰρήνη (paz), ἀρχή (princípio)


e outras.

Relembrando as funções sintáticas através da primeira declinação

Que tal relembrar, agora, as funções sintáticas dos casos e declinar a primei-
ra declinação que você acabou de conhecer? Leia as seguintes frases, observando
como cada caso desempenha uma função sintática diferente na frase.
•  ἡ δούλη κυρίουλέγει τῷ ἀγγέλῷ. – Aqui você observa o caso nominativo: ἡ
(Α serva do senhor fala ao anjo) δούλη é o sujeito do verbo λέγει.

capítulo 2 • 45
•  Ὁ κύριος ἀγαπᾷ την δούλην. – Aqui você observa o caso acusativo: (O
senhor ama a serva). την δούλην é o objeto direto do verbo ἀγαπᾷ.

•  Ὁ υἱὸς τῆς δούλης βαίνει εἰς Ναζαρέθ. – Aqui você observa o caso geni-
tivo: τῆς
(O filho da serva vai para Nazaré) δούλης é o complemento nominal do su-
jeito Ὁ υἱὸς.

•  ῾Ο ἄγγελος λέγει τῇ δούλῇ. – Aqui você observa o caso dativo:


(O anjo falou à serva) τῇ δούλῇ é o objeto indireto do verbo λέγει.

A primeira declinação nominal masculina

Os nomes da primeira declinação masculina serão sempre sigmáticos no no-


minativo singular, ou seja, apresentarão sempre a consoante ς em sua terminação,
que poderá ser em ας e em -ης.
As palavras de primeira declinação masculina seguirão integralmente a decli-
nação feminina no plural. Entretanto, no singular, você observará que o nomina-
tivo apresentará o sigma já mencionado e, além disso, o caso genitivo apresentará
a mesma terminação -ου – por analogia com a segunda declinação masculina.

Nomes em -ης

Dentre as duas terminações da primeira declinação masculina, você encon-


trará um detalhe diferencial nos nomes terminados em -ης. No caso dos nomes
terminados em -της, como em μαθητής (discípulo), e igualmente em palavras
que indiquem nomes de povos, como na palavra πέρσης (persa), o vocativo será
feito em α, como você observará na declinação da palavra μαθητής (discípulo).
Observe as declinações e note suas pequenas diferenças.

capítulo 2 • 46
Nomes em -τής e nomes de povos

CASOS SINGULAR PLURAL


Nominativo ὁ μαθητής οἵ μαθηταί

Vocativo μαθητά μαθηταί

Acusativo τὸν μαθητήν τοὺς μαθητάς

Genitivo τοῦ μαθητοῦ τῶν μαθητῶν

Dativo τῷ μαθητῇ τοῖς μαθηταῖς

Observe o vocativo singular apresentando a terminação α, além do genitivo


singular apresentando a terminação -ου. Veja ainda que o plural permanece idên-
tico ao da primeira declinação feminina.
Como μαθητής, declinam-se προφήτης (profeta), κριτής (juiz), ποιητής (poe-
ta), πολιτής (cidadão), por exemplo.

Nomes em -ης

Os nomes em ης da primeira declinação, que não apresentam o vocativo em


α, serão próprios em geral, caso do nome Ἰωάννης (João).Note que não há plural
para os nomes próprios.

CASOS SINGULAR
Nominativo ὁ Ἰωάννης

Vocativo Ἰωάννη

Acusativo τὸν Ἰωάννην

Genitivo τοῦ Ἰωάννοῦ

Dativo τῷ Ἰωάννῇ

capítulo 2 • 47
Os nomes masculinos em α puro (ou em -ας).

Os substantivos de primeira declinação terminados em -ας são raros no NT.


Você encontrará a palavras νεανίας (jovem) e a palavra Μεσσίας (Messias)9.
Entretanto, há os nomes próprios que seguem essa declinação, caso de Ἡλίας (Elias)
e de Ἰερεμίας (Jeremias).

CASOS SINGULAR PLURAL


Nominativo ὁ νεανίας οἵ νεανίαι
Vocativo νεανία νεανίαι
Acusativo τὸν νεανίαν τοὺς νεανίας
Genitivo τοῦ νεανίου τῶν νεανιῶν

Dativo τῷ νεανίᾳ τοῖς νεανίαις

Declinam-se da mesma forma alguns nomes próprios como Σύλλας (Silas),


Ἰερεμίας (Jeremias), Ἡλίας (Elias), por exemplo.

O sistema verbal grego: noções gerais no âmbito da koiné

O sistema verbal da língua grega apresenta peculiaridades interessantes, e a


compreensão suas generalidades irá auxiliar muito em seu estudo da língua grega.
Você notará um detalhe em seu estudo, o foco aqui será o sistema verbal da língua
grega referente à koiné helenística, dialeto utilizado na composição do NT. Esse
detalhe faz diferença na medida em que você poderá observar os usos mais pecu-
liares de tempos verbais nos textos do Novo Testamento, os quais terão influência
nas modificações da língua grega.

O conceito de verbo

O verbo é uma palavra variável que pode expressar uma ação, por exemplo, o
“correr”, um estado como o de “ser”, uma mudança de estado, como ao “tornar-
se” ou um fenômeno, como o de “chover”10.

9  Cf. REGA, Lourenço Stelio. Noções do grego bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1995.
10  Cf. OLIVEIRA, Luciene de Lima. Gramática de Grego Bíblico. Rio de Janeiro, edição da autora, 2008, tomo
II, p. 93.

capítulo 2 • 48
Noções de tempo e aspecto na língua grega

Na koiné neotestamentária você encontrará seis tempos, uns mais comuns


outros menos usuais. Eles são divididos em tempos primários e secundários.
É importante que você compreenda alguns detalhes da expressão verbal grega,
a qual leva em consideração o aspecto do processo verbal indicado por cada tempo.

Os tempos primários

São chamados tempos primários o presente, o futuro e o perfeito. São os tem-


pos que expressam o processo verbal em três momentos diferentes: no presente, no
futuro e no passado terminado. Ou seja, eles expressam as noções básicas de tempo.

•  O presente
O presente expressa a ação que se dá no momento presente, que está em pro-
cesso (o chamado aspecto durativo do verbo). Observe um exemplo:

Οἱ λαμπάδες ἡμῶν σβέννυνται (Μτ. 25:8) 11


As lâmpadas nossas se apagam.
As lâmpadas nossas estão se apagando.

Na primeira tradução, utilizou-se a ideia de presente mais próximo do portu-


guês, que guarda a ideia de uma ação linear, ou seja, naquele momento, as lâmpa-
das se apagam. Já, na segunda, você pode observar outra tradução possível, que
marca mais o processo de apagamento das lâmpadas, ou seja, elas não se apagam
de uma vez, mas vão se apagando.
•  O futuro
O tempo futuro indica o que acontecerá. Em sua origem, era um presente de-
siderativo, ou seja expressava um desejo de que algo ocorresse no futuro. O futuro
pode tanto expressar uma ação pontual no futuro, como uma ação linear, ou seja,
que terá início e se desenrolará no futuro. Observe o exemplo:

Ἐγὼ λύσω Eu libertarei.

Ἡμεῖς λύσομεν Nós começaremos a libertar.

11  Cf. OLIVEIRA, Luciene de Lima. Gramática de Grego Bíblico. Rio de Janeiro, edição da autora, 2008, tomo
II, p. 104.

capítulo 2 • 49
As duas traduções são possíveis e você verificará qual é a mais adequada levan-
do em conta o contexto em que o verbo se encontra.

•  O pretérito perfeito
O pretérito perfeito expressa uma ação acabada cujo resultado pode perdurar
no presente ou seja, o resultado da ação verbal se mostra no presente e, por esse
motivo, ele carrega o aspecto resultativo. Observe o exemplo:

Αὐτὸς τέτθνηκε. Ele morreu, ele está morto.

Em ambas as traduções você pode observar a ideia de um processo verbal aca-


bado, sendo que, na segunda, fica mais destacado o aspecto resultativo: o resultado
de morrer é permanecer morto no presente.

Os tempos secundários

Os tempos secundários ou históricos são aqueles que trazem diferentes nuan-


ces do tempo passado.

•  O pretérito imperfeito
O pretérito imperfeito é o tempo verbal que expressa uma ação não acaba-
da no passado, ou seja, algo que no tempo passado ainda estava acontecendo.
Observe o exemplo:

Ὁ ἀνὴρ τοὺς ἵππους ἔλυεν. O homem os cavalos libertava.

O pretérito imperfeito será um tempo que ocorrerá apenas no modo indicativo.

•  O pretérito mais-que-perfeito
Expressa o resultado de uma ação acabada anteriormente ao tempo passado,
indicando “o estado resultante de uma ação anterior”12 e, por isso, pode ser tradu-
zido pelo imperfeito. Veja um exemplo:

E Pedro ficava junto da porta,


Ὁ δὲ Πέτρος εἰστήκει πρὸς τῇ θύρᾳ ἔξω.
(do lado de) fora.

12  Cf. HORTA, Guida N. B. P. Os gregos e seu idioma. Rio de Janeiro: J. Di Giorgio, 1978, p. 153.

capítulo 2 • 50
A ação de “ficar” dura no passado. Como explica Rega13, Pedro estava fora e,
como resultado, continuava fora.
Note que o pretérito mais-que-perfeito também só ocorrerá no modo
indicativo.

•  Aoristo
O aoristo é um tempo verbal muito usado e que expressa a ação verbal em
si. Como seu nome indica, ele é um tempo sem limitação, sem determinação.
O aoristo, embora seja um tempo ligado ao passado no modo indicativo, por
apresentar o aumento épsilon (ε) característico dos tempos secundários, ele não
apresentará essa marca fora do modo indicativo e expressará a ação verbal pontual.
O aoristo, como você verificará mais a diante, apresentará nuances que realçarão o
início da ação ou seu término. Desde o período clássico da língua grega, ele é utili-
zado na narrativa histórica e será um tempo bastante usado no Novo Testamento.
Veja um exemplo do Evangelho de João:

Καὶ ὁ κόσμος δι᾽αὐτοῦ ἐγένετο (Jo1:10) E o mundo através dele foi feito.

Note que na frase anterior, o aoristo marca, sobretudo, a ação de “fazer” e não
precisamente quando.

Os modos da língua grega

Tendo compreendido um pouco dos tempos verbais gregos, é importante que


você saiba quais são os modos que a língua grega apresenta em sua expressão ver-
bal. São quatro os modos verbais:
•  Indicativo.
•  Imperativo.
•  Subjuntivo.
•  Optativo.

É importante que você recorde o que vem a ser o modo no contexto do es-
tudo dos verbos. O modo indica a maneira como a expressão verbal se dará. Por
exemplo, no indicativo a expressão verbal seria algo mais objetivo, ou seja, algo
que é certo de ocorrer. Já o subjuntivo expressa um fato possível ou hipotético. O

13  Cf. REGA, Lourenço Stelio. Noções do grego bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1995, p. 131.

capítulo 2 • 51
imperativo expressa a ordem e o optativo pode expressar vontade, potencialidade,
em linhas gerais.
Você voltará a estudar os modos ao longo de seu processo de aprendizagem da
koiné neotestamentária.

As formas nominais do verbo grego

Além dos modos, os verbos apresentam as chamadas formas nominais, ou


seja, formas que apresentam tanto características de verbo, como tempo, quanto
características de nomes, como casos.
As formas nominais do verbo são:
•  Infinitivo;
•  Particípio;
•  Adjetivos verbais.

O particípio tem um uso bastante amplo nos textos do Novo Testamento.


Você terá a oportunidade de conhecer essas formas ao longo de seu estudo.

As vozes do verbo grego

Em grego, os verbos apresentam três vozes:


•  Voz ativa;
•  Voz média;
•  Voz passiva.

Você deve recordar que a voz do verbo se refere a quem realiza/sofre o processo
verbal, ou seja, ao sujeito. Na voz ativa, o sujeito pratica a ação verbal. Observe
o exemplo:

Ὁ ἀνὴρ τὸν ἵππον λύει. O homem o cavalo solta.

Na voz passiva, o sujeito sofre ação expressa pelo verbo. Veja o exemplo:

Ὁ ἴππος ὑπὸ τὸν ἄνδρα λύεται. O cavalo pelo homem é solto.

capítulo 2 • 52
Na voz média, também chamada de voz média de interesse, o sujeito realiza a
ação para seu próprio proveito. Veja a seguinte frase:

Ὁ ἀνὴρ τὸν ἵππον λύεται. O homem o cavalo solta para si (em seu interesse).

Elementos formadores do verbo

RADICAL OU TEMA Guarda o sentido fundamental da ação ou do estado que se


GERAL quer exprimir).

Indica o tempo e o aspecto atribuídos à ação ou ao esta-


TEMA TEMPORAL do verbal) composto de tema + sufixo temporal (quando
houver).

DESINÊNCIAS Pessoa, número e voz).


PESSOAIS

Observe o verbo κρίνεις (tu julgas/tu decides). Ele pode ser dividido em tema
κριν, vogal temática ε e desinência número pessoal ις.

Desinências pessoais dos verbos temáticos

DESINÊNCIAS ATIVAS DESINÊNCIAS MÉDIO-PASSIVAS


Primárias Secundárias Primárias Secundárias

Singular Singular Singular Singular


1a ---- 1a ν 1a μαι 1a μην
2a ις 2a. ς 2a σαι 2a σο
3a Ι 3a τ >desaparece 3a ται 3a το

Plural Plural Plural Plural


1ª. μεν 1a μεν 1a μεθα 1a μεθα
2a τε 2a τε 2a σθε 2a σθε
3a σι 3a ντ ou σαν 3a νται 3a ντο

capítulo 2 • 53
O quadro anterior ajudará a você poder compreender melhor as construções
dos verbos gregos. Aos poucos, as desinências se tornarão mais familiares para você.

Verbos temáticos e atemáticos

Na língua grega, podem-se dividir os verbos basicamente em dois tipos. O


primeiro tipo seria o de verbo em -ω, ou chamados verbos temáticos. O segundo
tipo seria o de verbo em -μι, ou atemáticos.

Verbos temáticos – tempos presente e futuro do indicativo

Os verbos temáticos são assim chamados por apresentarem no presente do


indicativo uma vogal temática “ο” que se alterna com “ε”. Eles podem ser vocá-
licos ou consonânticos, ou seja, podem apresentar raízes terminadas por vogal ou
consoante.

•  A conjugação temática vocálica


Apresenta a subdivisão em vocálicos contratos, ou seja, que apresentam con-
tração entre a vogal da raiz e a vogal temática; e os vocálicos não contratos, ou
seja, que não apresentam contração entre a vogal da raiz e a vogal temática.
•  A conjugação temática consonântica
Ela seguirá a formação dos temáticos vocálicos, entretanto, apresentará encon-
tros entre consoantes que provocarão algumas mudanças nas consoantes da raiz.
Você a estudará ainda no presente capítulo.

A conjugação do tempo presente do indicativo nos verbos temáticos

O tempo presente apresentará as vozes ativa e médio-passivas (ou seja, uma


só forma para expressar uma ou outra das vozes). É formado da raiz do verbo,
acompanhado da vogal temática (ο diante de nasais e da vogal ε nos outros casos)
e das desinências primárias.

Presente dos verbos temáticos vocálicos não contratos

Em um primeiro momento, você terá contato com a conjugação mais regular


dos verbos gregos e, igualmente, mais numerosa no NT. Como você já viu, os

capítulo 2 • 54
verbos temáticos vocálicos podem ser não contratos ou contratos. Você vai estu-
dar, inicialmente, as formas dos não contratos.

PRESENTE ATIVO PRESENTE MÉDIO-PASSIVO


Singular Singular
1a λύω (eu liberto) 1a λύομαι (liberto para mim/ sou libertado)
2a λύεις 2a λύῃ
3a λύει 3a λύεται

Plural Plural
1a λύομεν 1a λυόμεθα
2a λύετε 2a λύεσθε
3a λύουσιν 3a λύονται

Como o verbo λύω, conjugam-se os verbos παύω (eu faço parar), ἀκούω (eu
ouço), πιστεύω (eu creio), λούω (eu lavo),

Presente dos verbos temáticos consonânticos

Os verbos temáticos consonânticos são aqueles cujas raízes terminam por con-
soante. No tempo presente, não apresentarão diferença entre os verbos temáticos
vocálicos, como você poderá observar no quadro a seguir, na conjugação do tempo
presente do verbo ἄρχω (iniciar):

PRESENTE ATIVO PRESENTE MÉDIO-PASSIVO


Singular Singular
1a ἄρχω (inicio) 1a ἄρχομαι (inicio para mim/sou iniciado)
2a ἄρχεις 2a ἄρχῃ
3a ἄρχει 3a άρχεται

Plural Plural
1a ἄρχομεν 1a ἀρχόμεθα
2a ἄρχετε 2a ἄρχεσθε
3a άρχουσιν 3a ἄρχονται

capítulo 2 • 55
A conjugação do tempo futuro no indicativo

O tempo futuro apresentará uma forma para cada voz, ou seja, você encontra-
rá uma forma para o futuro ativo, outra para o futuro médio e uma terceira para
o futuro passivo. Além disso, o futuro apresentará sufixo temporal para a voz ativa
e média, o sufixo σο antes de consoantes nasais e σε em todos os outros casos ; a
voz passiva apresentará o sufixo θησο que se alterna com θησε, seguindo a mesma
lógica do sufixo das vozes ativa e média.

ATENÇÃO
Trata-se do mesmo sufixo com mudança da vogal, ou seja, com apofonia de ο para ε.

Futuro dos verbos temáticos não contratos

FUTURO ATIVO FUTURO MÉDIO FUTURO PASSIVO


Singular Singular
Singular
1a λύσομαι (libertarei 1a λυθήσομαι (se-
1a λύσω (eu libertarei)
para mim) rei libertado)
2a λύσεις
2a λύσῃ 2a λυθήσῃ
3a λύσει
3a λύσεται 3a λυθήσεται

Plural Plural Plural


1a λύσομεν 1a λυσόμεθα 1a λυθησόμεθα
2a λύσετε 2a λύσεσθε 2a λυθήσεσθε
3a λύσουσιν 3a λύσονται 3a λυθήσονται

Futuro dos verbos temáticos consonânticos

Observe que haverá peculiaridades na formação do tempo futuro dos verbos


temáticos consonânticos. Tais mudanças são motivadas pelos encontros entre a
consoante que termina a raiz verbal e o σ do sufixo temporal do futuro.

capítulo 2 • 56
O futuro dos verbos temáticos consonânticos terminados em gutural (κ, γ, χ)

O futuro dos verbos terminados por gutural será marcado pelo encontro entre
a gutural e uma sibilante, o σ, e esse encontro resultará na consoante dupla ξ. Se
você observar o som dessa consoante, perceberá que ela guarda um som gutural e
um som sibilante em seguida (ksi).
Você se perguntará, em seguida, como ficará o futuro passivo dos verbos ter-
minados em κ, γ, χ, afinal, o sufixo não será o mesmo. No caso da voz passiva, a
gutural que termina a raiz verbal receberá a aspiração do θ e se tornará uma gu-
tural aspirada χ, ou permanecerá sendo um χ caso o verbo tenha a raiz terminada
por essa consoante.
Observe agora como fica o verbo ἄρχω (iniciar) no futuro das três vozes:

FUTURO ATIVO FUTURO MÉDIO FUTURO PASSIVO


Singular Singular Singular
1a ἄρξω (iniciarei) 1a ἄρξομαι (iniciarei para mim) 1a ἀρχθήσομαι (serei iniciado)
2a ἄρξεις 2a άρξῃ 2a ἀρχθήσῃ
3a ἄρξει 3a ἄρξεται 3a ἀρχθήσεται

Plural Plural Plural


1a ἄρξομεν 1a ἀρξόμεθα 1a ἀρχθησόμεθα
2a ἄρξετε 2a ἄρξεσθε 2a ἀρχθήσεσθε
3a ἄρξουσιν 3a ἄρξονται 3a ἀρχθήσονται

Como o verbo ἄρχω, conjugam-se os verbos διώκω (persigo/sigo em frente),


ἄγω (conduzo/levo), além de alguns verbos que poderão apresentar a terminação
-σσω, mas têm raiz em gutural, caso do verbo πράσσω (faço/ajo apresenta o fu-
turo πράξω).

O futuro dos verbos temáticos consonânticos terminados em labial (π, β, φ)

O futuro dos verbos terminados em labial seguirá a mesma lógica dos temáti-
cos terminados por gutural. A diferença residirá no resultado da contração, nesse
caso, o resultado do encontro entre a consoante labial que termina a raiz verbal
com o σ do sufixo temporal será ψ.
No caso da voz passiva, teremos a labial aspirada ao lado do sufixo θησο/θησε.
Observe a conjugação do tempo βλέπω (olhar/contemplar).

capítulo 2 • 57
FUTURO ATIVO FUTURO MÉDIO FUTURO PASSIVO
Singular Singular Singular
1a βλέψω (olharei) 1a βλέψομαι (olharei para mim) 1a βλεφθήσομαι (serei olhado)
2a βλέψεις 2a βλέψῃ 2a βλεφθήσῃ
3a βλέψει 3a βλέψεται 3a βλεφθήσεται

Plural Plural Plural


1a βλέψομεν 1a βλεψόμεθα 1a βλεφθησόμεθα
2a βλέψετε 2a βλέψεσθε 2a βλεφθήσεσθε
3a βλέψουσιν 3a βλέψονται 3a βλεφθήσονται

Como o verbo βλέπω, conjugam-se os verbos γράφω (escrever), τρίβω


(esmago/trituro). Você notará que alguns verbos como βλάπτω (prejudico – raiz
βλαβ), ῥίπτω (lanço/arremesso – raiz ῥιπ-) serão conjugados da mesma maneira
por apresentarem raiz em labial.

O futuro dos verbos temáticos consonânticos terminados em dental (τ, δ, θ)

O futuro dos verbos terminados em dental seguirá, igualmente, a mesma ló-


gica dos temáticos terminados por gutural ou por labial. A diferença residirá no
resultado da contração, nesse caso, o resultado do encontro entre a consoante
dental da raiz verbal com o σ do sufixo temporal seráa queda da dental, ou seja,
seu desaparecimento.
No caso da voz passiva, teremos a dental se tornando uma sibiliante diante do
sufixo θησο/θησε. Observe a conjugação do tempo πείθω (persuadir/convencer):

FUTURO ATIVO FUTURO MÉDIO FUTURO PASSIVO


Singular Singular
Singular
1a πείσομαι (convencerei 1a πεισθήσομαι (se-
1a πείσω (convencerei)
para mim) rei convencido)
2a πείσεις
2a πείσῃ 2a πεισθήσῃ
3a πείσει
3a πείσεται 3a πεισθήσεται

Plural Plural
1a πείσόμεθα 1a πεισθησόμεθα
2a πείσεσθε 2a πεισθήσεσθε
3a πείσονται 3a πεισθήσονται

capítulo 2 • 58
Do mesmo modo que o verbo πείθω é conjugado, temos os verbos ψεύδω (min-
to, engano) e ἀπολείπω (abandono/deixo completamente). Observe que o verbo
γυμνάζω (exército) será conjugado como um verbo em dental.
Você estudou tipos muito importantes de verbos temáticos os quais apresen-
tam amplo emprego no NT. No próximo capítulo, você conhecerá mais alguns
tipos de verbos, além de outros tempos, como o aoristo e o imperfeito.
A partir dos estudos realizados no capítulo um e no presente capítulo, você
teve contato com informações importantes para poder se desenvolver na língua
grega do NT. Agora, você deverá realizar as atividades propostas para poder fixar
melhor o conteúdo estudado. Note que você lerá mais trechos do NT. Aproveite!

ATIVIDADES
01. Ligue os artigos da coluna A à palavra correspondente na coluna B, combinando gênero,
número e caso corretamente:

A B

τὰς ζωαῖς
τῷ Ἰωάννης
ὁ ἀρχῇ
ἡ γραφήν
τῶν υἱού
τῇ ἄρτος
τοῦ ἀγγέλῳ
τὴν ἀδελφή
ὁ μαθητῶν
ταῖς ψυχάς

02. Indique o gênero, número e caso das seguintes palavras:


a) ἡ ἀγάπη
b) τὸν χρόνον
c) τοῦ ἀγγέλου
d) τὰς ἀδελφάς
e) τῇ εἰρήνῃ

capítulo 2 • 59
03. Indique a pessoa, o número, a voz e à qual verbo pertence cada uma das formas verbais
a seguir e as traduza para o português (use o quadro de vocabulário adiante):

VOCABULÁRIO
ἄγω – eu guio/ eu conduzo
βαίνω – eu vou
βαπτίζω – eu batizo
γράφω – eu escrevo
λέγω – eu falo
πείθω – eu persuado/eu convenço
παύω – eu faço parar

a) βαίνεις c) γράψομεν e) λέγετε g) γραψόμετα


b) ἄγει d) βαπτίζουν f) πείσομαι h) παυθήσεσθε

04. Leia em voz alta e traduza os trechos do Novo Testamento, usando o vocabulário abaixo:
I. Μακάριοι οἱ καθαροὶ τῇ καρδίᾳ, ὅτι αὐτοὶ τὸν θεὸν ὄψονται. (Mt 5:8)
II. Ὑμεῖς εστε τὸ φῶς τοῦ κόσμου. (Mt 5:14)
III. ὁ πατὴρ ὑμῶν ὁ οὐράνιος τρέφει αὐτά: οὐχ ὑμεῖς μᾶλλον διαφέρετε αὐτῶν; (Mt 6:26)

VOCABULÁRIO
ὅτι – porque
αὐτά – essas coisas/isso
οὐράνιος – celeste/ do céu
αὐτοί – eles
οὐχ – não
αὐτῶν – deles
ὄψονται – terceira pessoa do plural do
διαφέρω –
futuro médio do indicativo do ver ὁράω
εἰμί – sou/ estou
(ver/olhar) verão. Trata-se de um ver-
θεός – deus
bo irregular.
καθαρός – puro
πατήρ – pai
καρδία – coração
τρέφω – alimentar/fazer crescer
κόσμος – mundo
φῶς – luz
μακάριος – bem-aventurado
ὑμεῖς – vós
μᾶλλον – certamente
ὑμῶν – de vós

Note que as palavras no vocabulário aparecem no singular. Apenas as formas irregula-


res ou ainda não estudas serão comentadas na forma que aparecem no texto.

capítulo 2 • 60
REFLEXÃO
Ao longo do capítulo 2 do livro Grego Bíblico, você teve a oportunidade de conhecer mais
em detalhe a percepção do sistema consonantal grego, tendo a oportunidade de compreen-
der melhor a classificação desses sons, algo que você já pode observar como um conheci-
mento importante, especialmente, para as conjugações verbais.
Você teve oportunidade de conhecer por inteiro a 1a declinação nominal grega, tendo,
igualmente, relembrado conceitos básicos da sintaxe dos casos, os quais você estudou no
capítulo 1.
O seu estudo das formas verbais avançou consideravelmente, pois agora você já tem no-
ção panorâmica do sistema verbal da língua grega e já conheceu diferentes tipos de verbos,
além do tempo presente e do tempo futuro nas vozes ativa, média e passiva. Esse estudo
será complementado ao longo dos capítulos.
Aproveite para exercitar a leitura em voz alta e a tradução dos textos. Você leu tre-
chos originais do Novo Testamento e continuará a fazê-lo cada vez melhor. Siga com afinco
seu estudo e, em breve, você lerá mais e mais textos das Sagradas Escrituras em grego.
Bom estudo!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
HORTA, Guida N. B. P. Os gregos e seu idioma. Rio de Janeiro: J. Di Giorgio, 1978.
OLIVEIRA, Luciene de Lima. Gramática de Grego Bíblico. Rio de Janeiro, edição da autora, 2008,
tomo II.
REGA, Lourenço Stelio. Noções do grego bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1995.

capítulo 2 • 61
capítulo 2 • 62
3
Verbos temáticos,
adjetivos, pronomes
pessoais, pronomes
demonstrativos e
preposições
Verbos temáticos, adjetivos, pronomes
pessoais, pronomes demonstrativos e
preposições
No capítulo anterior, você conheceu as linhas gerais do sistema verbal gre-
go, além de ter estudado a primeira declinação nominal. Desse modo, você pode
aumentar muito seu conhecimento sobre as formas verbais e nominais da língua
grega. Além disso, você pode ampliar o seu exercício de leitura e tradução de textos
gregos.
Neste capítulo, você estudará um pouco mais das formas verbais gregas e,
igualmente, poderá ganhar mais conhecimentos para traduzir mais amplamente
os textos que são fundamentais para seu estudo de teologia.
Você estudará igualmente, os pronomes pessoais e demonstrativos que têm
uso bastante relevante nos textos neotestamentários.
Você estudará ainda a organização dos adjetivos na língua grega, as formas
que seguem a primeira e a segunda declinações e aplicará esses conhecimentos na
leitura de textos originais do NT.
Aproveite os paradigmas para ampliação de vocabulário. Esse é um tema im-
portante para o estuda do Grego Bíblico, pois torna não apenas a leitura mais fácil,
mas contribui para que o estudante realize exegeses mais complexas das sagradas
escrituras. Aproveite!

OBJETIVOS
•  Conhecer verbos temáticos contratos e consonânticos nos tempos presente e futuro;
•  Aprender os verbos temáticos no imperfeito e aoristo;
•  Estudar os pronomes pessoais e demonstrativos;
•  Estudar os adjetivos que seguem a primeira e a segunda declinações;
•  Ler e traduzir trechos originais do Novo Testamento.

capítulo 3 • 64
Verbos temáticos contratos no presente e futuro do indicativo

No capítulo anterior, você viu os verbos temáticos terminados em vogal e que


não apresentam contração entre a vogal da raiz e a vogal temática. Agora, você
conhecerá os verbos temáticos contratos. Eles diferem, por pequenos detalhes, dos
verbos que você já estudou.
Observe, antes de estudar a morfologia dos verbos contratos, as seguin-
tes frases:

Λέγω δὲ ὑμῖν τοῖς φίλοις μου (Lc 12:4) Digo então a vós, meus amigos.

Παρακαλῶ δὲ ὑμᾶς, ἀδελφοί (Rom 15:30) Exorto-vos então, irmãos.

Λέγω e Παρακαλῶ são verbos que estão na primeira pessoa do singular do


presente ativo do indicativo. A diferença qual é? Você consegue perceber?
Se prestar atenção, o primeiro verbo – Λέγω (digo) – recebe acento agudo,
como você viu em todos os verbos conjugados no presente ativo dos verbos temá-
ticos não contratos e consonânticos.
Já o verbo παρακαλῶ (exorto/demando) recebe um acento circunflexo na
última sílaba. Isso é o indício de que houve contração entre a vogal da raiz, no
caso “ε”, e a vogal temática.
•  Esses encontros vocálicos provocarão modificações específicas na forma fi-
nal do verbo, pois as desinências que você conheceu serão modificada sem fusão
das contrações, mas haverá um padrão de modificação que facilitará o reconheci-
mento dos verbos.
•  Note ainda, que haverá modificação na acentuação desses verbos em relação
aos verbos temáticos vocálicos não contratos. Toda vez que o primeiro elemento
da contração (ou seja, a primeira vogal a se contrair) for acentuada, o acento da
sílaba resultante passará a ser circunflexo, como no verbo que você viu anterior-
mente – παρακαλῶ, em que houve uma contração da vogal final da raiz é “ε”, ou
seja, a forma do verbo sem contração (forma distrata) é παρακαλέω.
Vamos estudar as formas verbais temáticas contratas?

capítulo 3 • 65
Os verbos temáticos vocálicos contratos no presente do indicativo

Os verbos temáticos vocálicos cujas raízes terminem por α, ε ou ο apresenta-


rão contração com a vogal temática na sua formação. Isso ocorre pelo fato de essas
formas verbais originalmente apresentarem um “j” iode em suas origens. Esse som
sofreu uma síncope, ou seja, desapareceu e houve o encontro da vogal final da raiz
com a vogal temática, gerando a contração, caso do verbo παρακαλέω que passa
a παρακαλῶ.
Veja agora como fica a conjugação do presente ativo nos três tipos de verbos
contratos, observando a forma distrata (sem contração) e a forma contrata:

PRESENTE ATIVO DO INDICATIVO


Singular

ἀγαπάω> ἀγαπῶ πολεμέω >πολεμῶ δουλόω> δουλῶ

ἀγαπάεις > ἀγαπᾷς πολεμέεις > πολεμεῖς δουλόεις> δουλοῖς

ἀγαπάει > ἀγαπᾷ πολεμέει >πολεμεῖ δουλόει > δουλοῖ

Plural

ἀγαπάομεν > αγαπῶμεν πολεμέομεν > πολεμοῦμεν δουλόομεν > δουλοῦμεν

ἀγαπάετε > ἀγαπᾶτε πολεμέετε > πολεμεῖτε δουλόετε > δουλοῦτε

ἀγαπάουσιν > ἀγαπῶσιν πολεμέουσιν > πολεμοῦσιν δουλόουσιν > δουλοῦσιν

No quadro apresentado, você observa a forma distrata (sem contração) e, em


seguida, a forma contrata, mais comum nos textos.
Note ainda como a acentuação muda sempre que o primeiro elemento da
contração é acentuado. Veja: ἀγαπάω > ἀγαπῶ

πολεμέετε > πολεμεῖτε

capítulo 3 • 66
Vamos ver como fica o presente médio-passivo?

PRESENTE MÉDIO PASSIVO DO INDICATIVO


Singular

ἀγαπάομαι> ἀγαπῶμαι πολεμέομαι >πολεμοῦμαι δουλόομαι> δουλοῦμαι

ἀγαπάῃ > ἀγαπᾷ πολεμέῃ > πολεμῇ δουλόῃ > δουλοῖ

ἀγαπάεται > ἀγαπᾶται πολεμέεται >πολεμεῖται δουλόεται > δουλοῦται

Plural

ἀγαπαόμεθα > αγαπώμεθα πολεμεόμεθα >πολεμούμεθα δουλοόμεθα> δουλούμεθα

ἀγαπάεσθε > ἀγαπᾶσθε πολεμέεσθε > πολεμεῖσθε δουλόεσθε> δουλοῦσθε

ἀγαπάονται > ἀγαπῶνται πολεμέονται > πολεμοῦνται δουλόονται> δουλοῦνται

Observe como são pequenas as diferenças entre as formas contratas e as formas


dos verbos que conhecemos no capítulo anterior.
Note ainda como o fenômeno da acentuação se dá em alguns casos e em ou-
ros não:

Primeiro elemento acentuado leva a utilização de um


ἀγαπάομαι > ἀγαπῶμαι
circunflexo.

Nesse caso, como é o segundo elemento da contração


πολεμεόμεθα > πολεμούμεθα
que recebe o acento, ele permanece agudo.

Vamos agora ver como ficam as formas no futuro do indicativo.

Os verbos temáticos vocálicos contratos no futuro do indicativo

A conjugação dos verbos temáticos contratos no futuro é muito fácil de ser


reconhecida. Por quê? Porque a única diferença entre os verbos não contratos será
o fato de que a vogal que termina a raiz será alongada, ou seja, as raízes terminadas
em “α” e em ε apresentarão a vogal “η” e as raízes terminadas em “ο” apresentarão
a vogal “ω”. Vamos ver como fica?

capítulo 3 • 67
FUTURO ATIVO DO INDICATIVO (RAIZ COM VOGAL FINAL ALONGADA +
SUFIXO σο/σε + DESINÊNCIAS)
Singular

1a ἀγαπήσω πολεμήσω δουλώσω

2a ἀγαπήσεις πολεμήσεις δουλώσεις

3a ἀγαπήσει πολεμήσει δουλώσει

Plural

1a ἀγαπήσομεν πολεμήσομεν δουλώσομεν

2a ἀγαπήσετε πολεμήσετε δουλώσετε

3a ἀγαπήσουσιν πολεμήσουσιν δουλώσουσιν

Você viu como é bem parecido com o futuro dos verbos não contratos?
Agora você vai conhecer as formas médias do futuro do indicativo

FUTURO MÉDIO DO INDICATIVO (RAIZ COM VOGAL FINAL ALONGADA +


SUFIXO σο/σε + DESINÊNCIAS)
Singular

1a ἀγαπήσoμαι πολεμήσομαι δουλώσομαι

2a ἀγαπήσῃ πολεμήσῃ δουλώσῃ

3a ἀγαπήσεται πολεμήσεται δουλώσεται

Plural

1a ἀγαπησόμεθα πολεμησόμεθα δουλωσόμεθα

2a ἀγαπήσεσθε πολεμήσεσθε δουλώσεσθε

3a ἀγαπήσονται πολεμήσονται δουλώσονται

capítulo 3 • 68
E como fica o futuro passivo? Veja no quadro a seguir.

FUTURO PASSIVO DO INDICATIVO (RAIZ COM VOGAL FINAL ALONGADA


+ SUFIXO θησο/θησε + DESINÊNCIAS)
Singular

1a ἀγαπηθήσoμαι πολεμηθήσομαι δουλωθήσομαι

2a ἀγαπηθήσῃ πολεμηθήσῃ δουλωθήσῃ

3a ἀγαπηθήσεται πολεμηθήσεται δουλωθήσεται

Plural

1a ἀγαπηθησόμεθα πολεμηθησόμεθα δουλωθησόμεθα

2a ἀγαπηθήσεσθε πολεμηθήσεσθε δουλωθήσεσθε

3a ἀγαπηθήσονται πολεμηθήσονται δουλωθήσονται

Assim, vimos todas as formas possíveis de verbos temáticos vocálicos nos tem-
pos presente e futuro do indicativo nas três vozes. Agora, vamos ver como ficam
as formas para os verbos temáticos consonânticos cujas raízes terminam por con-
soantes líquidas e nasais.

Verbos temáticos consonânticos em líquidas e nasais

Você talvez se pergunte: quais são as consoantes líquidas e nasais em grego.


Vamos lembra?
As líquidas são as consoantes ρ e λ e as nasais são as consoantes μ e ν. Os
verbos em líquidas e nasais podem apresentar raiz terminada por uma dessas con-
soantes. A história desses verbos, ou seja, sua formação traz elementos que pro-
vocam diferenças na maneira como o verbo apresenta seu tema nos diferentes
tempos. Quer ver?

capítulo 3 • 69
Verbos temáticos consonânticos em líquidas e nasais no presente do indicativo

No presente do indicativo, os verbos apresentam μ detalhes como:

Haverá duplicação da consoante, caso do verbo


NOS VERBOS βάλλω – eu lanço/arremesso (raiz βαλ), do verbo
TERMINADOS EM λ ἀγγέλλω – eu anuncio (raiz ἀγγελ) e do verbo στελλω
(raiz στελ).

Encontraremos uma modificação na vogal da raiz que


NOS VERBOS precede o ρ. É o caso de verbos como σπείρω semeio
TERMINADOS EM ρ (raiz σπερ), καθαίρω – purifico (raiz καθαρ), φθείρω –
corrompo (raiz φθερ), por exemplo.

Encontraremos o mesmo fenômeno daqueles termi-


NOS VERBOS nado em ρ, ou seja, uma ditongação da vogal da raiz,
TERMINADOS EM ν caso de τείνω – tensiono/objetivo (raiz τεν) e φαίνω
mostro (raiz φαν).

Podem apresentar o sufixo ν, caso de τέμνω – corto


ALGUNS VERBOS EM μ (raiz τεμ) e κάμνω – trabalho/fatigo (raiz καμ).

Vamos ver como ficam conjugados?


Você verá aqui o verbo φαίνω conjugado. Os outros não serão conjugados
aqui por seguirem a mesma conjugação de φαίνω. De fato, você perceberá que a
modificação que há está na raiz e não na maneira como se conjuga o verbo. Ou
seja, não há dificuldades em relação às suas terminações.

PRESENTE ATIVO PRESENTE MÉDIO PASSIVO


Singular Singular
1a φαίνω φαίνομαι
2a φαίνεις φαίνῃ
3a φαίνει φαίνεται

Plural Plural
1a φαίνομεν φαινόμεθα
2a φαίνετε φαίνεσθε
3a φαίνουσιν φαίνονται

capítulo 3 • 70
Verbos temáticos consonânticos em líquidas e nasais no futuro do indicativo

Agora veja esse mesmo verbo no futuro do indicativo.


Há uma observação relevante para as formas do futuro:
•  Elas apresentarão raízes sem alongamento e o sufixo temporal será εσο/εσε
e isso fará com que as terminações desse tipo de verbo fiquem idênticas às dos
verbos contratos no presente.
Veja como fica a conjugação desses verbos no futuro:

FUTURO ATIVO FUTURO MÉDIO FUTURO PASSIVO


Singular Singular Singular
1a φανῶ φανοῦμαι φανήσομαι
2a φανεῖς φανῇ φανήσῃ
3a φανεῖ φανεῖται φανήσεται

Plural Plural Plural


1a φανοῦμεν φανούμεθα φανησόμεθα
2a φανεῖτε φανεῖσθε φανήσεσθε
3a φανοῦσιν φανοῦνται φανήσονται

Como o verbo φαίνω, é conjugado o verbo σπείρω, por exemplo.


Evidentemente, alguns verbos podem apresentar ligeiras diferenças, cmo no
caso do verbo ἀγγελλω, que apresentará futuro passivo com sufixo θήσο/θήσο,
veja o primeira pessoa do singular: ἀγγελθήσομαι. O mesmo acontece com o ver-
bo νέμω, que se apresentará assim: νεμηθήσομαι. Ao final do estudo das formas
verbais do presente capítulo, será oferecida uma lista com formas importantes
desses verbos.
Embora nosso curso seja uma introdução à koiné neotestamentária, é impor-
tante que você conheça os detalhes da língua até para que possa aprofundar seus
estudos e, assim, realizar exegeses mais precisas no texto original em que foi escrito
o Novo Testamento.
Além disso, há muitas ferramentas que podem auxiliar nos estudos, como a
página na internet do projeto Perseus. Embora seja em inglês, ao digitar uma pa-
lavra que você não conheça, ela indica o verbo ou nome ao qual se refere à palavra
indicando ainda o caso ou a pessoa e tempo.

capítulo 3 • 71
CONEXÃO
O site está disponível em: <www.perseus.tufts.edu/hopper/search>. Acesso em:
10 ago. 2018. Aproveite!

Os tempos imperfeito e aoristo dos verbos temáticos

Depois de ter estudado as diversas formas dos verbos temáticos no presente e


no futuro, você dará mais um passo no aprofundamento de seus conhecimentos
em língua grega, estudando os tempos imperfeito e aoristo.
No capítulo 2, você teve a oportunidade de conhecer as linhas gerais do sis-
tema verbal grego e, igualmente, começou a conhecer as nuances dos tempos ver-
bais. Agora, você estudará dois tempos do grupo de chamados tempos secundá-
rios, ou seja, que não fazem parte do grupo de tempos básicos ou primários, mas
apresentam diferentes nuances do passado e do aspecto da ação, especialmente, no
que diz respeito ao aoristo.
Você começará observando a morfologia desses tempos verbais e, em seguida,
vamos exercitar a leitura, a compreensão e a tradução de textos originais do Novo
Testamento, observando, para tanto, como se dá a sintaxe dos complementos ver-
bais e as possíveis tradições para os tempos verbais.
Vamos lá?

O imperfeito

Como você já estudou, o pretérito imperfeito é o tempo verbal que expressa


ação não acabada no passado, ou seja, algo que no tempo passado ainda estava
acontecendo. Ele ocorre apenas no indicativo, mas tem uso significante nos textos
bíblicos. Observe o exemplo:

Ἐγὼ ἐδίωκον τὴν ἐκκλησίαν τοῦ Θεοῦ. Eu perseguia a igreja do Deus.

Aqui, você observa o verbo ἐδίωκον, forma do pretérito imperfeito do indi-


cativo do verbo διώκω (persigo). Ou seja, esse tempo verbal se refere a uma ação
que estava em andamento no passado, “eu perseguia”.

capítulo 3 • 72
A formação do imperfeito

O imperfeito mantém as características do tempo de presente, ou seja, ele


apresenta o mesmo radical do presente. Como característica dos tempos secundá-
rios no indicativo, o radical verbal (em que se inclui a vogal temática) será precedi-
do de um elemento chamado aumento, que pode ser silábico com o acréscimo da
vogal “ε” antes de verbos iniciados por consoante ou “temporal”, o qual consiste
no alongamento da vogal inicial do verbo (de “α”para “η”, de“ε” para“η” ou de
“ο” para“ω”).
O radical verbal, acrescido do aumento será seguido de desinências secundá-
rias. Quais são essas desinências? Elas já apareceram no capítulo 2, mas você pode
revê-las aqui. Veja o quadro a seguir14:

DESINÊNCIAS ATIVAS DESINÊNCIAS MÉDIO PASSIVAS


Secundárias Secundárias
Singular Singular
1a ν 1a μην
2a ς 2a σο
3a τ > desaparece 3a το

Plural Plural
1a μεν 1a μεθα
2a τε 2a σθε
3a ντ ou σαν 3a ντο

A conjugação do imperfeito nos verbos vocálicos não contratos e contratos

Imperfeito ativo – aumento “ε” + radical e vogal temática ο/ε + des. secundá-
rias ativas.

14  Você observará o emprego de cada desinência nos tempos estudados.

capítulo 3 • 73
λύω ἀγαπάω/ ἀγαπῶ πολεμέω/ πολεμῶ δουλόω/ δουλῶ
Singular Singular Singular Singular
1a ἔλυον ἠγάπαον > ἠγάπων ἐπολέμεον > ἐπολέουν ἐδούλοον > ἐδούλουν
2a ἔλυες ἠγάπαες > ἠγάπας ἐπολέμεες > ἐπολέμεις ἐδούλοες > ἐδούλους
3a ἔλυε(ν) ἠγάπαε(ν) > ἠγάπα(ν) ἐπολέμεε(ν) > ἐπολέμει(ν) ἐδούλοε(ν) > ἐδούλου(ν)

Plural Plural Plural Plural


1a ἐλύομεν ἠγαπάομεν > ἠγαπῶμεν ἐπολεμέομεν > ἐπολεμοῦμεν ἐδουλόομεν > εδουλοῦμεν
2a ἐλύετε ἠγαπάετε > ἠγαπᾶτε ἐπολεμέετε > ἐπολεμεῖτε ἐδουλόετε > ἐδουλοῦτε
3a ἔλυον ἠγάπαον > ἠγάπων ἐπολέμεον > ἐπολέμουν ἐδούλοον > ἐδούλουν

Imperfeito médio passivo – aumento “ε” + radical e vogal tem. ο/ε + des. sec.
médio-passivas

λύω ἀγαπάω/ ἀγαπῶ πολεμέω πολεμῶ δουλόω δουλῶ


Singular
Singular Singular Singular
1a ἐλύομην
ἠγαπαόμην > ἠγαπώμην ἐπολεμεόμην > ἐπολεμούμην ἐδουλοόμην > ἐδουλούμην
2a ἐλύου
ἠγαπάου > ἠγαπῶ ἐπολεμέου > ἐπολεμοῦ ἐδουλόου > ἐδουλοῦ
(ἐλύεσο)*
ἠγαπάετο > ἠγαπᾶτο ἐπολεμέετο > ἐπολεμεῖτο ἐδουλόετο >ἐδουλοῦτο
3a ἐλύετο

Plural Plural Plural Plural


1a ἐλυόμεθα ἠγαπαόμεθα > ἠγαπώμεθα ἐπολεμεόμεθα > ἐπολεμούμεθα ἐδουλοόμεθα > ἐδουλούμεθα
2a ἐλύεσθε ἠγαπάεσθε > ἠγαπᾶσθε ἐπολεμέεσθε > ἐπολεμεῖσθε ἐδουλοεσθε > ἐδουλοῦσθε
3a ἐλύοντο ἠγαπάοντο > ήγαῶντο ἐπολεμέοντο > ἐπολεμοῦντο ἐδουλόοντο > ἐδουλοῦντο

* O sigma intervocálico sofre síncope e desaparece, provocando a contração entre a vogal temática e a desinência.

A conjugação do imperfeito nos verbos vocálicos consonânticos

Agora que você já viu as formas dos verbos temáticos vocálicos, vamos obser-
var os verbos consonânticos. Você notará que não haverá nada de diferente ocor-
rendo na raiz, uma vez que não ocorrerão encontros consonantais que poderiam
provocar mudanças, como no caso das formas do futuro.
Veja como ficam conjugados os verbos consonânticos:
Imperfeito ativo – aumento “ε” + radical e vogal temática ο/ε + des. secundá-
rias ativas

capítulo 3 • 74
ἄρχω βλέπω πείθω βάλλω
Singular Singular Singular Singular
1a ἤρχον ἔβλεπον ἔπειθον ἔβαλλον
2a ἤρχες ἔβλεπες ἔπειθες ἔβαλλες
3a ἤρχε(ν) ἔβλεπε(ν) ἔπειθε(ν) ἔβαλλε(ν)

Plural Plural Plural Plural


1a ἤρχομεν ἐβλέπομεν ἐπείθομεν ἐβάλλομεν
2a ἤρχετε ἐβλέπετε ἐπείθετε ἐβάλλετε
3a ἤρχον ἔβλεπον ἔπειθον ἔβαλλον

Como você pode observar, no quadro anterior, não há mistérios ou dificulda-


des nas formas do imperfeito ativo dos verbos consonânticos. Do mesmo modo,
não encontraremos dificuldades nas formas médio passivas. Que tal observá-las?
Imperfeito ativo – aumento “ε” + radical e vogal temática ο/ε + des. secundá-
rias ativas

ἄρχω βλέπω πείθω βάλλω


Singular Singular Singular Singular
1a ἠρχόμην ἐβλεπόμην ἐπειθόμην ἐβαλλόμην
2a ἤρχου ἐβλέπου ἐπείθου ἐβάλλθου
3a ἤρχετο ἐβλέπετο ἐπείθετο ἐβάλλετο

Plural Plural Plural Plural


1a ἠρχόμεθα ἐβλεπόμεθα ἐπειθόμεθα ἐβαλλόμεθα
2a ἤρχεσθε ἐβλέπεσθε ἐπείθεσθε ἐβάλλεσθε
3a ἤρχοντο ἐβλέποντο ἐπείθοντο ἐβάλλοντο

Viu como é bastante simples a formação do imperfeito nos verbos temáticos


consonânticos? Vamos exercitá-los com nossas atividades ao final deste capítulo.

O aoristo

Você deve lembrar que o aoristo é um tempo bastante peculiar da língua gre-
ga, como foi visto no capítulo 2. Ele expressa a ação verbal em si.
•  Como seu nome indica, ele é um tempo sem limitação, sem determina-
ção. O aoristo é um tempo ligado ao passado no modo indicativo e apresenta o
aumento épsilon (ε) característico dos tempos secundários. Alguns obras, como

capítulo 3 • 75
Fundamentos do Grego Bíblico14, recomendam traduzir o aoristo pelo pretéri-
to perfeito.
•  Fora do indicativo, ele não apresentará essa marca e expressará a ação ver-
bal pontual. O aoristo apresentará nuances que realçarão o início da ação ou seu
término e será um tempo utilizado na narrativa histórica e muito frequente no
Novo Testamento.
Veja alguns exemplos:

ἔλεγε δὲ πρὸς πάντας (Lc. 9.23)

A formação do aoristo

Por ser um tempo secundário, o aoristo apresentará o aumento já estudado


no tempo imperfeito. Além disso, apresentará o sufixo “σα” e as desinências se-
cundárias. Ele apresentará formas diferenciadas para as três vozes, ou seja, teremos
formas para a voz ativa, para a voz média e para a voz passiva.

A conjugação do aoristo nos verbos vocálicos não contratos e contratos

Vejamos como ficam as formas de aoristo em nossos paradigmas verbais:


Aoristo ativo – aumento “ε” + radical + sufixo σα + des. secundárias ativas

λύω ἀγαπάω/ ἀγαπῶ πολεμέω/ πολεμῶ δουλόω/ δουλῶ


Singular Singular Singular Singular
1a ἔλυσα ἠγάπησα ἐπολέμησα ἐδούλωσα
2a ἔλυσες ἠγάπησες ἐπολέμησες ἐδούλωσες
3a ἔλυσε(ν) ἠγάπησε(ν) ἐπολέμησε(ν) ἐδούλωσε(ν)

Plural Plural Plural Plural


1a ἐλύσαμεν ἠγαπήσαμεν ἐπολεμήσαμεν ἐδουλώσαμεν
2a ἐλύσατε ἠγαπήσατε ἐπολεμήσατε ἐδουλώσατε
3a ἔλυσαν ἠγάπησαν ἐπολέμησαν ἐδούλωσαν

Observe que não há dificuldade. No caso dos verbos contratos, temos apenas
o alongamento da vogal final da raiz, o mesmo fenômeno que vimos nas formas
de futuro. Veja agora as formas médias e as passivas:

14  Cf. MOUNCE, Willian D. Fundamentos do Grego Bíblico. São Paulo: Editora Vida, 2009, p. 234.

capítulo 3 • 76
Aoristo médio – aumento “ε” + radical + sufixo σα + des. secundárias mé-
dio passivas

λύω ἀγαπάω/ ἀγαπῶ πολεμέω/ πολεμῶ δουλόω/ δουλῶ


Singular
Singular Singular Singular
1a ἐλύσαμην
ἠγαπήσαμην ἐπολεμήσαμην ἐδουλώσαμην
2a ἐλύσω
ἠγαπήσω ἐπολεμήσω ἐδουλώσω
(ἐλύσασο)*
ἠγαπήσατο ἐπολεμήσατο ἐδουλώσατο
3a ἐλύσατο

Plural Plural Plural Plural


1a ἐλυσάμεθα ἠγαπησάμεθα ἐπολεμησάμεθα ἐδουλωσάμεθα
2a ἐλύσασθε ἠγαπήσασθε ἐπολεμήσασθε ἐδουλώσασθε
3a ἐλύσαντο ἠγαπήσαντο ἐπολεμήσαντο ἐδουλώσαντο

* Nesse caso, há a síncope do sigma intervocálico e a contração da vogal α do sufixo σα com ο, tendo por resultado ω.

Aoristo passivo – aumento “ε” + radical + sufixo θη + des. secundárias ativas

λύω ἀγαπάω/ ἀγαπῶ πολεμέω/ πολεμῶ δουλόω/ δουλῶ


Singular Singular Singular Singular
1a ἐλύθην ἠγαπήθην ἐπολεμήθην ἐδουλώθην
2a ἐλύθης ἠγαπήθης ἐπολεμήθης ἐδουλώθης
3a ἐλύθη ἠγαπήθη ἐπολεμήθη ἐδουλώθη

Plural Plural Plural Plural


1a ἐλύθημεν ἠγαπήθημεν ἐπολεμήθημεν ἐδουλώθημεν
2a ἐλύθητε ἠγαπήθητε ἐπολεμήθητε ἐδουλώθητε
3a ἐλύθησαν ἠγαπήθησαν ἐπολεμήθησαν ἐδουλώθησαν

A conjugação do aoristo nos verbos vocálicos consonânticos

No caso dos verbos vocálicos consonânticos, poderemos encontrar tanto as


formas regulares do aoristo, com as modificações resultantes dos encontros con-
sonantais quanto as chamadas formas segundas, formas mais antigas que foram
preservadas em alguns verbos. Vejamos.
Aoristo ativo – aumento “ε” + radical + suf. σα + des. sec. at.
Forma II Aum.+ raiz pura + vt+ des. sec. ativas

capítulo 3 • 77
ἄρχω βλέπω πείθω βάλλω (raiz βαλ)
Singular Singular Singular Singular
1a ἤρξα ἔβλεψα ἔπεισα ἔβαλον
2a ἤρξες ἔβλεψες ἔπεισες ἔβαλες
3a ἤρξε(ν) ἔβλεψε(ν) ἔπεισε(ν) ἔβαλε(ν)

Plural Plural Plural Plural


1a ἤρξαμεν ἐβλέψομεν ἐπείσαμεν ἐβάλομεν
2a ἤρξατε ἐβλέψετε ἐπείσατε ἐβάλετε
3a ἤρξαν ἔβλεψαν ἔπεισαν ἔβαλον

Os verbos que seguem a declinação dos paradigmas ἄρχω, βλέπω, πείθω não
apresentam diferenças. Os verbos em líquidas, entretanto, podem apresentar ao-
risto assigmático, ou seja, apresentando apenas a vogal “α” e sem o sufixo “σα”, ou
o aoristo segundo, como o caso de βάλλω.
Vejamos ainda as formas médias e passivas desses aoristos:
Aoristo média – aumento “ε” + radical + suf. σα + des. sec. Médio passivas
Forma II Aum.+ raiz pura + vt + des. sec. m-p.

ἄρχω βλέπω πείθω βάλλω (raiz βαλ)


Singular Singular Singular Singular
1a ἠρξάμην ἐβλέψαμην ἐπείσαμην ἐβαλόμην
2a ἤρξω ἐβλέψω ἐπείσω ἐβάλω
3a ἤρξατο ἐβλέψατο ἐπείσατο ἐβάλετο

Plural Plural Plural Plural


1a ἠρξάμεθα ἐβλεψάμεθα ἐπεισάμεθα ἐβαλόμεθα
2a ἤρξασθε ἐβλέψασθε ἐπείσασθε ἐβάλεσθε
3a ἤρξαντο ἐβλέψαντο ἐπείσαντο ἐβάλοντο

Aoristo passivo – aumento “ε” + radical + suf. θη + des. sec. ativas


Aum.+ raiz modificada + suf. θη + des. sec. ativas

βάλλω
ἄρχω βλέπω πείθω
(raiz βλη alongada)
Singular Singular Singular Singular
1a ἠρχθην ἐβλέφθην ἐπείσθην ἐβλήθην
2a ἤρχθης ἐβλέφθης ἐπείσθης ἐβλήθης
3a ἤρχθη ἐβλέφθη ἐπείσθη ἐβλήθη

capítulo 3 • 78
βάλλω
ἄρχω βλέπω πείθω
(raiz βλη alongada)
Plural Plural Plural Plural
1a ἤρχθημεν ἐβλέφθημεν ἐπείσθημεν ἐβλήθημεν
2a ἤρθητε ἐβλέφθητε ἐπείσθητε ἐβλήθητε
3a ἤρθησαν ἐβλέφθησαν ἐπείσθησαν ἐβλήθησαν

Você certamente percebeu a regularidade dos verbos ἄρχω, βλέπω e πείθω,


em que há apenas a acomodação fonética da consoante final da raiz em relação
ao sufixo temporal. Assim, diante do θ do sufixo temporal, as consoantes guturais
(γ, κ χ) usam a forma aspirada χ; no mesmo caso, as consoantes labiais (μ, β φ)
diante do θ, apresentam a forma aspirada φ; por fim, as dentais (δ, τ θ) diante do
θ do sufixo se aspiram e tomam a forma de um σ.
Note que, mesmo que você não se lembre dos fenômenos fonéticos precisa-
mente, há detalhes para que você perceba o tempo do verbo que está lendo: um
deles é o sufixo temporal θη. Ele é exclusivo para o aoristo passivo. Além disso, o
aumento ajuda a perceber que se trata de um tempo secundário.
Em relação às formas segundas, embora sejam pouco numerosas, são impor-
tantes por aparecerem em verbos bastante usados. Segue uma lista de verbos que
têm formas segundas no aoristo no futuro e pode ser útil para seus estudos:

FUT. FUT. FUT. AOR. AOR. AOR.


VERBO
AT. MÉD. PASS. AT. MÉD. PASS.
ἀγγέλω
ἀγγελῶ ἀγγελοῦμαι ἀγγελθήσομαι ἤγγειλα ἠγγειλάμην ἠγγέλθην
(anuncio)

στέλλω
στελῶ στελοῦμαι σταλήσομαι ἔστειλα ἐστειλάμην ἐστάλην
(envio)

σπείρω
σπερῶ σπεροῦμαι σπαρήσομαι ἔσπειρα ἐσπειράμην ἐσπάρην
(semeio)

καθαίρω
καθαρῶ καθαροῦμαι καθαρήσομαι ἐκάθηρα ἐκαθηράμην ἐκαθάρην
(purifico)

νέμω
νεμῶ νεμοῦμαι νεμηθήσομαι ἔνειμα ἐνειμάμην ἐνεμήθην
(distribuo)

capítulo 3 • 79
Depois de conhecer as formas de imperfeito e aoristo, você passará aos prono-
mes e aos adjetivos. Mais tarde, nas atividades, você exercitará tudo que aprendeu
até agora.

Os pronomes

Os pronomes pessoais

No primeiro capítulo de nosso livro, você teve a oportunidade de observar os


pronomes pessoais que funcionam como sujeito. Eles foram apresentados junto
com a conjugação do verbo εἰμί. Agora você recordará os pronomes pessoais e o
verbo εἰμί no presente.

Presente do indicativo

1a p. ἐγὼεἰμί (eu sou/eu estou)

2a p. σὺεἶ (tu és/tu estás)

3a p. αὐτὸςἐστί (ν) (ele é/ele está)

1a p. ἡμεῖςἐσμέν (nós somos/nós estamos)

2a p. ὑμεῖςἐστέ (vós sois/vós estais)

3a p. αὐτοὶ ἐστί (ν) (eles são/eles estão)

Esses pronomes estão todos no nominativo porque funcionam como sujeito


da forma verbal. Vale a pena rememorar as funções dos casos. Ter esse conheci-
mento adquirido ajuda muito na leitura dos textos gregos.
Veja agora como os pronomes pessoais aparecem com outros verbos e em ou-
tras funções, nos textos do Novo Testamento.

Σὺ τίς εἶ; (Jo.1.19) Tu quem és?

capítulo 3 • 80
•  Aqui temos o pronome de segunda pessoa do singular no nominativo σὺ (tu).

Ὑμεῖς δὲ ἐστε μάρτυρες τοῦτων


Vós então sois testemunhas dessas coisas.
(Lc. 24.48)

•  Aqui temos o pronome de segunda pessoa do plural no nominativo (vós).


•  Temos também um pronome demonstrativo no genitivo neutro plural
τοῦτων, normalmente traduzido por “disso” ou por “dessas coisas”.

Ἀμὴν ἀμὴν λέγω ὑμῖν (Jo.1.51) Em verdade, em verdade, digo a vós.

•  Aqui temos o pronome de segunda pessoa do plural no dativo (caso do


objeto indireto) ὑμῖν (a vós).

Καὶ ἰδοῦ ἐγὼ ἀποστέλλω τὴν ἐπαγγελίαν του Πάτρος μου ἐφ` ὑμᾶς (Lc. 24.48)

•  Aqui temos os pronomes de primeira pessoa do singular no nominativo


(ἐγὼ – caso do sujeito) e no genitivo singular (μου indicando posse).
•  Aqui temos também o pronome de segunda pessoa do plural no acusativo
combinado à preposição ἐπί que sofre modificações fonéticas diante de ὑμᾶς (so-
bre vós).
Pelos exemplos, você já pode ver como são bastante utilizados os pronomes
pessoais e os demonstrativos nos textos neotestamentários. Você conhecerá agora
a declinação completa desses pronomes.

A declinação dos pronomes pessoais

Os pronomes pessoais, em grego, são flexionados em caso e em número.


Apenas a terceira pessoa pode apresentar flexão de gênero, ou seja, uma forma
para o masculino, outra para o feminino e uma para o neutro.
Você pode perguntar por que isso ocorre?
Porque as formas dos pronomes de terceira pessoa foram aproveitadas dos
pronomes demonstrativos, uma vez que a forma original desapareceu da língua
grega em estágios anteriores ao da koiné alexandrina.
Vale ressaltar que os pronomes são utilizados na escrita grega para dar ênfase.
Ou seja, quando, por exemplo, deseja-se dar ênfase ao sujeito.

capítulo 3 • 81
Veja os exemplos:

Εἰμί ὁ προφήτης. Sou o profeta.

Ἐγώ εἰμι ὁ προφήτης. Eu sou o profeta.

Na segunda frase, quer se dar ênfase ao sujeito da oração.


Agora observe a declinação dos pronomes pessoais:

1a PESSOA 2a PESSOA
Singular

Nominativo ἐγώ (eu) Nominativo σύ (tu)


Acusativo ἐμέ /με (me) Acusativo ἐσέ/σε (te)
Genitivo ἐμου/μου (de mim) Genitivo σου (de ti)
Dativo ἐμοι /μοι (a mim) Dativo σοι (a ti)

Plural

Nominativo ἡμεῖς (nós) Nominativo ὑμεῖς (vós)


Acusativo ἡμᾶς (nos) Acusativo ὑμᾶς (vos)
Genitivo ἡμῶν (de nós) Genitivo ὑμῶν (de vós)
Dativo ἡμῖν (a nós) Dativo ὑμῖν (a vós)

É importante lembrar que os pronomes pessoais de terceira pessoa serão ex-


pressos por um pronome de intensificação, que será adaptado para desempenhar a
função de pronome pessoal: αὐτός (ele), αὐτή (ela), αὐτό (ele), respectivamente,
masculino, feminino e neutro.
Observe o quadro.

3a PESSOA MASCULINO FEMININO NEUTRO


Singular

Nominativo αὐτός αὐτή αὐτό


Acusativo αὐτόν αὐτήν αὐτό
Genitivo αὐτοῦ αὐτῆς αὐτοῦ
Dativo αὐτῷ αὐτῇ αὐτῷ

capítulo 3 • 82
3a PESSOA MASCULINO FEMININO NEUTRO
Plural

Nominativo αὐτοί αὐταί αὐτά


Acusativo αὐτούς αὐτάς αὐτά
Genitivo αὐτῶν αὐτῶν αὐτῶν
Dativo αὐτοῖς αὐταῖς αὐτοῖς

Como pronome, αὐτός, αὐτή, αὐτόν significa “o próprio” ou “o mesmo”,


como no exemplo a seguir:

Αὐτὸς ὁ προφήτης O próprio profeta, o mesmo profeta

Pronomes demonstrativos

Em grego, você encontrará dois pronomes demonstrativos muito utilizados


nos textos do Novo Testamento são eles:

οὖτoς, αὕτη, τοῦτο respectivamente, esse, essa, isso.

ἐκεῖνος, ἐκείνη, ἐκεῖνο respectivamente, aquele, aquela, aquilo

Observe a declinação dos pronomes demonstrativos οὖτoς, αὕτη, τοῦτο

3a PESSOA MASCULINO FEMININO NEUTRO


Singular

Nominativo οὗτoς αὕτη


τοῦτο
Acusativo τοῦτoν ταύτην
τοῦτο
Genitivo τούτoυ ταύτης
τοῦτoυ τούτῳ
Dativo τούτῳ ταύτῃ

Plural

Nominativo οὗτοι αὗται ταῦτα


Acusativo τούτους ταύτας ταῦτα
Genitivo τούτων τούτων τούτων
Dativo τούτοις ταύταις τούτοις

capítulo 3 • 83
Você deve ter observado a semelhança das terminações das formas masculinas
e neutras com as terminações de segunda declinação. Já as formas femininas apre-
sentam semelhanças com as terminações da primeira declinação. Aproveite essas
semelhanças para poder memorizar melhor as formas!
Veja agora a declinação de ἐκεῖνος, ἐκείνη, ἐκεῖνο

3a PESSOA MASCULINO FEMININO NEUTRO


Singular

Nominativo ἐκεῖνoς ἐκείνη


ἐκεῖνo
Acusativo ἐκεῖνoν ἐκείνην
ἐκεῖνo
Genitivo ἐκείνoυ ἐκείνης
ἐκείνoυ ἐκείνῳ
Dativo ἐκείνῳ ἐκείνῃ

Plural

Nominativo ἐκεῖνοι ἐκεῖναι ἐκεῖνα


Acusativo ἐκείνους ἐκείνας ἐκεῖνα
Genitivo ἐκείνων ἐκείνων ἐκείνων
Dativo ἐκείνοις ἐκείναις ἐκείνοις

Observe como as formas desse outro demonstrativo também seguem a se-


gunda declinação (para formas masculinas e neutras) e primeira declinação (para
as femininas).
Há ainda outros pronomes demonstrativos como τοιοῦτος, τοιαύτη, τοιοῦτο
(esse tal/tal como esse, essa tal/tal como essa, isso tal/tal como isso). Eles se decli-
nam com as mesmas desinências de ἐκεῖνος, ἐκείνη, ἐκεῖνο.

Os adjetivos

Em grego, como os substantivos, também os adjetivos são declinados e eles


se flexionarão, igualmente, em gênero. O que isso quer dizer? Quer dizer que o
adjetivo se flexiona em gênero (masculino, feminino e neutro), número (singular
e plural) e caso (nominativo, acusativo etc.).

capítulo 3 • 84
Os adjetivos que você estudará agora são os de 1a classe. Eles podem ser:
•  Triformes, isto é apresentam uma forma para masculino, outra para femini-
no e outra para neutro. As formas masculinas e neutras seguem a segunda declina-
ção, já as femininas seguem a primeira declinação.
Veja o exemplo:

ἱερός, ἱερά, ἱερόν (sagrado, sagrada, sagrado).

Agora observe como ele se posiciona em relação ao substantivo ao qual


se refere:

ὁ ἱερὸς ἄνθρωπος O sagrado homem (em português: o homem sagrado)

ἡ ἱερὰ γραφή A sagrada escritura (em português: a escrita sagrada)

τὸ ἱερὸν βιβλίον O sagrado livro (em português: o livro sagrado)

•  Biformes, isto é, apresentam a mesma forma para masculino e feminino,


seguindo a segunda declinação, e uma forma para neutro, também seguindo a
segunda declinação.
Veja o exemplo:

ἀθάνατος, ἀθάνατον (imortal)

Note exemplos com ficam em relação aos substantivos:

ὁ ἀθάνατος αἰων A imortal eternidade (em português: a eternidade imortal)

ἡ ἀθάνατη ψυχή A imortal alma (em português: a alma imortal)

τὸ ἀθάνατον βιβλίον O imortal livro (em português: o livro imortal)

capítulo 3 • 85
A declinação dos adjetivos de primeira classe

MASCULINO FEMININO NEUTRO


Singular

Nominativo ἀγαθός ἀγαθή ἀγαθόν


Acusativo ἀγαθόν ἀγαθήν ἀγαθόν
Genitivo ἀγαθοῦ ἀγαθῆς ἀγαθοῦ
Dativo ἀγαθῷ ἀγαθῇ ἀγαθῷ

Plural

Nominativo ἀγαθοί ἀγαθαί ἀγαθά


Acusativo ἀγαθούς ἀγαθάς ἀγαθά
Genitivo ἀγαθῶν ἀγαθῶν ἀγαθῶν
Dativo ἀγαθοῖς ἀγαθαῖς ἀγαθοῖς

A declinação dos adjetivos biformes será idêntica à dos triformes, apenas não
apresentará uma forma só para o feminino. Ou seja, os adjetivos femininos e mas-
culinos seguirão a segunda declinação, assim como o neutro.

MASCULINO/FEMININO NEUTRO
Singular

Nominativo ἀθάνατος ἀθάνατον


Acusativo ἀθάνατον ἀθάνατον
Genitivo ἀθανάτου ἀθανάτου
Dativo ἀθανάτῳ ἀθανάτῳ

Plural

Nominativo ἀθάνατοι ἀθάνατα


Acusativo ἀθανάτους ἀθάνατα
Genitivo ἀθανάτων ἀθανάτων
Dativo ἀθανάτοις ἀθανάτοις

capítulo 3 • 86
Por meio da observação do quadro anterior, você pode perceber melhor como
ficam os adjetivos biformes de primeira classe. Não há mistério algum.
Aliás, para saber bem os adjetivos, basta ter estudado bem a primeira e a se-
gunda declinações nominais.
Depois de tanto estudo, você realizará agora as atividades. Aproveite para fazê-
-las mais de uma vez, para poder exercitar mais o conteúdo aprendido. Assim, mui-
to antes do que você possa esperar, estará lendo os textos bíblicos. Bom exercício!

ATIVIDADES
01. Ligue as colunas, combinando os pronomes pessoais com os verbos correspondentes.

A B

εγώ εἶ
αὐτός δουλώσουσιν
αὐτοί ἐλύθητε
σύ ἀγγελοῦμαι
ὑμεῖς λύει

02. Leia e traduza os seguintes trechos do novo testamento. Note que, no vocabulário, os
verbos serão apresentados na primeira pessoa do singular do presente ativo do indicativo.
Ou seja, para realizar bem essa atividade, é preciso que você tenha estudado bem as formas
verbais. O mesmo se aplica às palavras de primeira e segunda declinação. Elas serão apre-
sentadas no nominativo.
a) ἔλεγε δὲ πρὸς πάντας (Lc. 9.23)
b) Καὶ ἀπέστειλεν ἀγγέλους πρὸ προσώπου αὐτοῦ (Lc. 9. 52)
c) ὡς καὶ Ἠλίας ἐποίησε (Lc. 9.54)
d) ἐν ταῖς ἡμέραις ἐκείναις παραγίνεται Ἰωάννης ὁ βαπτιστὴς κηρύσσων ἐν τῇ ἐρήμῳ τῆς
Ἰουδαίας (Mt. 3.1)

capítulo 3 • 87
VOCABULÁRIO
λέγω – falo/digo ποιέω - faço
δὲ - conjunção que pode indicar transição ἐν – preposição em que se completa
(então) com dativo
πρὸς πάντας – para todos/ a todos ἡμέρα- dia
(prep. πρός + acusativo ἐκείνος, η, ον – pronome demonstrativo
ἀποστέλλω – enviar aquele, aquela, aquilo
ἄγγελος – mensageiro/anjo παραγίνεται – 3ª. Pessoa do plural do
πρὸπροσώπου– antes da figura/antes presenta do indicativo do verbo
da presença παραγίνομαι – estar próximo/estar junto
αὐτός, ή, όν – pronome pessoal de Ἰωάννης - João
3ª. pessoa βαπτιστὴς - batista
ὡς - como κηρύσσων – particípio presente ativo
καὶ - também do verbo
Ἠλίας - Elias κηρύσσω – proclamar/ pregar
ἐρήμος (ἡ)* - deserto
Ἰουδαία

* Quando você vir um artigo entre parênteses, isso indicar o gênero da palavra. No caso, ἐρήμος é uma palavra feminina de
segunda declinação.

REFLEXÃO
Neste capítulo, você avançou bastante em relação aos seus estudos, sobretudo, por ter
aprendido as formas dos verbos temáticos nos quatro tempos aos quais você dedicará seu
estudo ao longo de seu curso.
É importante que você saiba bem os paradigmas, tanto dos nomes quanto dos verbos,
pois eles serão ótimos guias em suas leituras. Mesmo diante de verbos que possam apresen-
tar detalhes diferentes, o conhecimento da formação dos tempos pode ajudar na compreen-
são de qual forma verbal é a que você está observando.
Do mesmo modo, você já aprendeu duas das três declinações da koiné neotestamentá-
ria. Esse conhecimento permitirá que você amplie bastante seu vocabulário.
A partir do próximo capítulo, você terá acesso ao estudo sistematizado das preposições.
Esse estudo ajudará muito a compreender como o vocabulário grego se forma. E, uma vez
compreendida essa formação, você perceberá como seu conhecimento do léxico grego
avançará. Bons estudos!

capítulo 3 • 88
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
CHATZIARGYROS, Anastasíos. Λεξικό της Καινής Διαθήκης (Léxico do Novo Testamento). Atenas:
Armós, 2012.
Η κοινή Διαθήκη. Atenas: EllinikíVivlikíEtería, 2015.
HORTA, Guida Nedda Barata Parreiras. Os gregos e seu idioma. Rio de Janeiro: Editora J. Di
Giorgio, 1978.
MOUNCE, Willian D. Fundamentos do Grego Bíblico. São Paulo: Editora Vida, 2009
OLIVEIRA, Luciene de Lima. Gramática do Grego Bíblico. Rio de Janeiro: Edição do autor, 2008.
REGA, Lourenço Stelio. Noções do Grego Bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1995.

capítulo 3 • 89
capítulo 3 • 90
4
Verbos atemáticos,
terceira declinação,
pronomes e
preposições
Verbos atemáticos, terceira declinação,
pronomes e preposições

Nos capítulos anteriores, você teve a oportunidade de estudar as duas primei-


ras declinações, os pronomes demonstrativos e o sistema verbal grego, com foco
especial nos verbos temáticos. Assim, você já teve acesso a uma base expressiva da
língua grega.
Neste capítulo, vamos estudar os verbos atemáticos, menos numerosos nos
textos do Novo Testamento, entretanto, muito importantes. Veremos que a con-
jugação desses verbos não apresenta diferenças muito grandes em relação à conju-
gação temática, o que facilitará o seu estudo.
Além disso, conheceremos a terceira declinação e, dessa forma, completaremos
nosso estudo das declinações nominais da koiné neotestamentária. Observaremos
também, em mais detalhes, como se apresentam as preposições no grego. Por fim,
conheceremos mais pronomes: os pronomes interrogativos e indefinidos, bastante
usados na koiné neotestamentária.
Aproveitaremos, ainda neste capítulo, para continuar lendo, compreendendo
trechos originais do Novo Testamento nas exemplificações do conteúdo do pre-
sente capítulo.

OBJETIVOS
•  Estudar os verbos atemáticos;
•  Conhecer a terceira declinação;
•  Aprofundar o estudo das preposições;
•  Estudar os pronomes interrogativos e indefinidos.

Verbos atemáticos ou verbos em -μι

Tendo visto os verbos temáticos em seus mais importantes detalhes nos tem-
pos presente, futuro, imperfeito e aoristo do indicativo, você passa agora a estudar
os verbos atemáticos. O que são esses verbos? São verbos que não apresentam
vogal temática no tema de presente.

capítulo 4 • 92
É interessante perceber que a koiné neotestamentária dá preferência às formas
temáticas dos verbos e percebe-se um uso menos corrente dos verbos atemáticos.
Mounce15 inclui apenas sete verbos regulares atemáticos em sua lista de verbos
que aparecem cinco vezes ou mais, nos textos do Novo Testamento. E ntretanto,
ainda há formas desse tipo de verbo no Novo Testamento e eles são muito im-
portantes como as do verbo φημί, eu falo e δίδωμι, eu dou. Note que o verbo
δίδωμι pode apresentar a forma temática διδώ.
Em capítulos anteriores, você já conheceu um importante verbo atemático, o
verbo εἰμί.
Os verbos atemáticos, no âmbito da koiné neotestamentária, apresentam pra-
ticamente os tipos a seguir:
•  Verbos atemáticos com redobro (no presente e imperfeito).
•  Como os verbos δίδωμι (dar), τίθημι (por), ἵστημι (colocar, fixar).
•  Verbos sem redobro ou sufixo.
•  Como εἰμί e φημί (dizer, afirmar). Veremos que esses verbos apresen-
tam irregularidades.

No grego clássico, havia uma terceira forma que apresentava o sufixo de pre-
sente νυ, entretanto, nos textos do Novo Testamento, já praticamente não encon-
tramos verbos atemáticos com essas características, tendo eles sido substituídos
por equivalentes temáticos16.

O presente dos verbos atemáticos no indicativo

Vejamos as desinências de presente:

DESINÊNCIAS ATIVAS DESINÊNCIAS MÉDIO PASSIVAS


Singular

1a μι 1a μαι
2a ς 2a σαι
3a σι (ν) 3a ται

15  MOUNCE, William D. Basics of Biblical Greek. S/L., edição do autor, 2000, p. 33.
16  Cf. BLASS, F, DEBRUNNER, A. A Greek Grammar of The New Testament (trad. FUNK). Cambridge/
Chicago: CUP e UCP, 1961, p. 46.

capítulo 4 • 93
DESINÊNCIAS ATIVAS DESINÊNCIAS MÉDIO PASSIVAS
Plural

1a μεν 1a μεθα
2a τε 2a σθε
3a σι(ν) ou ασι(ν) 3a νται

Podemos notar que as diferenças se concentram nas desinências singula-


res ativas.

Verbos atemáticos com redobro de presente

Veja agora como fica o presente dos verbos atemáticos no indicativo:


Observe o verbo δίδωμι (dar) que apresenta redobro de presente.
Aliás, o que é mesmo redobro?
Redobro de presente é a repetição da primeira consoante que inicia a raiz ver-
bal seguida da vogal ι (iota).
No caso do verbo δίδωμι, a raiz pura é δο. O redobro será δί.
Outra observação: no presente ativo singular, a raiz apresentará vogal longa ω.
No restante da conjugação do presente, a raiz será breve (δο).

DESINÊNCIAS ATIVAS DESINÊNCIAS MÉDIO PASSIVAS


Singular

1a δίδωμι 1a δίδομαι
2a δίδως 2a δίδοσαι
3a δίδωσι (ν) 3a δίδοται

Plural

1a δίδομεν 1a διδόμεθα
2a δίδοτε 2a δίδοσθε
3a δίδοασι(ν) 3a δίδονται

capítulo 4 • 94
Observe agora outro verbo que também aparece no novo testamento e apre-
senta redobro: ἵστημι (colocar, pôr, fixar)

DESINÊNCIAS ATIVAS DESINÊNCIAS MÉDIO PASSIVAS


Singular

1a ἵστημι 1a ἵσταμαι
2a ἵστης 2a ἵστασαι
3a ἵστησι (ν) 3a ἵσταται

Plural

1a ἵσταμεν 1a ἱστάμεθα
2a ἵστατε 2a ἵστασθε
3a ἵστασι(ν) 3a ἵστανται

O redobro, no caso dos verbos cuja raiz se inicia por σ (sigma) consiste na
colocação da vogal ι (iota) antes da raiz. Assim, a raiz de ἵστημι é στα.
Observe ainda que a raiz στα se alonga em στη no presente ativo singular.

DESINÊNCIAS ATIVAS DESINÊNCIAS MÉDIO PASSIVAS


Singular

1a ἵστημι 1a ἵσταμαι
2a ἵστης 2a ἵστασαι
3a ἵστησι (ν) 3a ἵσταται

Plural

1a ἵσταμεν 1a ἱστάμεθα
2a ἵστατε 2a ἵστασθε
3a ἵστασι(ν) 3a ἵστανται

Agora vejamos a conjugação dos verbos sem redobro. Nossos exemplos serão
os verbos φημί (dizer, falar) e εἰμί.
Como são verbos irregulares, não apresentarão formas para a voz médio passiva.

capítulo 4 • 95
DESINÊNCIAS ATIVAS DESINÊNCIAS MÉDIO PASSIVAS
Singular

1a φημί 1a εἰμί
2a φῄς 2a εἶ
3a φησί(ν) 3a ἐστί(ν)

Plural

1a φαμέν 1a ἐσμέν
2a φατέ 2a ἐστέ
3a φασί(ν) 3a εἰσί(ν)

Observe que no verbo φημί, você encontrará a raiz alongada φη e, no singular,


a raiz sem alongamento φα.

Futuro dos verbos atemáticos no indicativo

Depois de estudar o presente e suas peculiaridades, você verificará que as ou-


tras formas desses verbos, desde que regulares (o que não se aplica a φημί e εἰμί),
serão semelhantes às formas dos verbos temáticos que estudamos antes.
Aqui, conjugaremos apenas as formas do verbo δίδωμι, pois as outras formas
serão idênticas às formas dos verbos temáticos já estudados.
Futuro de δίδωμι

FUTURO ATIVO FUTURO MÉDIO FUTURO PASSIVO


Singular

1a δώσω 1a δώσομαι 1a δοθήσομαι


2a δώσεις 2a δώσῃ 2a δοθήσῃ
3a δώσει 3a δώσεται 3a δοθήσεται

Plural

1a δόσομεν 1a δοσόμεθα 1a δοθησόμεθα


2a δόσετε 2a δόσεσθε 2a δοθήσεσθε
3a δόσουσι(ν) 3a δόσονται 3a δοθήσονται

capítulo 4 • 96
O único detalhe a ser destacado nas formas de futuro dos verbos com redobro
de presente é o fato de, nos futuros ativo e médio, as formas de singular apresen-
tarem a raiz alongada, como ocorre no singular do presente ativo.
De resto, a declinação dos verbos atemáticos apresentará as mesmas configu-
rações da declinação temática não contrata.

A terceira declinação

Você já estudou a primeira e a segunda declinações nominais, bem como os


adjetivos que apresentam as formas dessas duas declinações. Agora, você conhece-
rá a terceira declinação nominal. Trata-se de uma declinação com raízes diferen-
tes e que podem apresentar encontros consonantais em alguns casos, do mesmo
modo que os verbos temáticos consonânticos já estudados por você.
Seu estudo começará pelas desinências da terceira declinação:

CASOS SINGULAR PLURAL


Masc./Fem. Neutro Masc./Fem. Neutro
Nom.
Voc. ς / des. zero des. zero ες α
Acus. ς ou des. zero des. zero ες α
Gen. α ou ν des. zero ας α
Dat. οςος ων ων
ι ι σι (ν) σι(ν)

Como não haverá presença de vogal temática, as desinências vão se combinar


diretamente às raízes das palavras de terceira declinação.
Observe que, em geral, será no caso genitivo que encontraremos a raiz plena,
ou seja, completa da palavra.
A terceira declinação apresentará as seguintes divisões, de acordo com suas
raízes terminadas em consoante ou vogal:
•  Radicais em dentais.
•  Radicais em guturais.
•  Radicais em nasais.
•  Radicais em líquidas.
•  Radicais em vogais.
•  Radicais em sigma.

capítulo 4 • 97
Vale ressaltar que a declinação que você estuda agora também poderá apre-
sentar alguns nomes irregulares, ou seja, que não se encaixam exatamente em
nenhuma dessas classificações.

Os nomes em dentais

Os nomes em dentais são aqueles cujas raízes terminam por uma consoante
dental. As dentais, como você deve se lembrar, são δ, τ e θ. Veja agora as declina-
ções de nomes masculinos, femininos e neutros.
Tome o paradigma:

ἡ ἐλπίς, ἐλπίδος (esperança).

Neste caso, a dental sofre síncope diante do ς, ou seja, desaparece. Por isso,
temos no nominativo ἐλπίς.

SINGULAR PLURAL
ἡ ἐλπίς (ἐλπίδ + ς gera síncope do δ) αἱἐλπίδες

ὦ ἐλπίς ὦ ἐλπίδες

τὴνἐλπίδα τὰςἐλπίδας

τῆςἐλπίδος τῶνἐλπίδων

τῇἐλπίδι ταῖςἐλπίσι (ἐλπίδ + σι gera síncope do δ)

Como ἐλπίς, declinam-se as palavras λαμπάς, λαμπάδος (lâmpada) e ῥαφίς,


ραφίδος (agulha).
Observe que as declinações masculinas e femininas serão iguais, ou seja, utili-
zarão as mesmas desinências. Apenas a declinação neutra se diferenciará.
Há palavras que são terminadas por dental e apresentam, também, uma con-
soante gutural em sua raiz, caso da palavra νύξ, νύκτος (noite). Veja como fica
a declinação:

capítulo 4 • 98
SINGULAR PLURAL
ἡ νύξ αἱ νύκτες

ὦ νύξ ὦ νύκτες

τὴν νύκτα τὰς νύκτας

τῆς νυκτός τῶννυκτῶν

τῇνυκτί ταῖςνυξί

Observe que, com a queda da dental no nominativo, a gutural da raiz se en-


contra com o ς da desinência, resultando em um ξ.
Veja os nomes neutros agora. Começando por um exemplo de nomes termi-
nados em -ματ. Vejamos a palavra τὸπνεῦμα (espírito/sopro).

SINGULAR PLURAL
τὸπνεῦμα τὰ πνεύματα

ὦ πνεῦμα τὰ πνεύματα

τὸπνεῦμα τὰ πνεύματα

τοῦ πνεύματος τῶν πνευμάτων

τῷ πνεύματι τῷπνεύμασι

Como πνεῦμα, declinam-se σῶμα, σώματος (corpo), αἶμα, αίματος (sangue),


ῥῆμα, ῥήματος (verbo), στόμα, στόματος (boca), ὄνομα, ὀνομάτος (nome). Pelo
número de palavras terminadas em ματ, você pode compreender como é impor-
tante conhecer bem essa declinação.
Agora você conhecerá as palavras com raízes em dental que apresentam ντ.
O chamado grupo ντ, que ocorre bastante no vocabulário grego, sofre síncope
diante de ς, ou seja, desaparece. Quando isso ocorrer, haverá na raiz da palavra um
alongamento “compensatório” pelo desaparecimento do grupo ντ. Esse é o caso da
palavra ὁ ὀδούς, ὀδόντος (dente). Observe a declinação:

capítulo 4 • 99
SINGULAR PLURAL
ὁ ὀδούς (ὀδόντ + ς – alongamento da raiz) οἱὀδόντες

ὦ ὀδούς ὦ ὀδόντες

τὸν ὁ ὀδόντα τοὺςὀδόντας


τοῦ ὁ ὀδόντος τῶνὀδόντων

τῷὀδόντι τῷὀδοῦσι (ὀδόντ + σι – alongamento da raiz)

Entretanto, há palavras que apresentam o mesmo grupo ντ na raiz e serão


assigmáticas no nominativo, ou seja, não apresentarão desinência alguma, apenas
a raiz alongada em função da queda da dental, a qual desaparece em posição final.
Observe o exemplo λέων, λέοντος (leão).

SINGULAR PLURAL
ὁ λέων (λέοντ + ς – queda do τ e alongamento) οἱ λέοντες

ὦ λέον ὦ λέοντες

τὸν λέοντα τοὺς λέοντας

τοῦ ὁ λέοντος τῶν λεόντων

τῷ λέοντι τῷλέοῦσι (λέοντ + σι – alongamento da raiz)

Observe ainda que o vocativo singular apresente a raiz pura, ou seja,


sem alongamento.
A partir do estudo da declinação das dentais, você já pode compreender como
encontraremos detalhes diferentes na terceira declinação. Entretanto, se você
prestar atenção nas desinências, reconhecerá perfeitamente o caso e o número
da palavra.

Os nomes em guturais

Os nomes em guturais são, como você já deve imaginar, aqueles cujas


raízes terminam por gutural, ou seja, por γ, κ ou χ. O encontro de qualquer
uma dessas consoantes com ς resulta na consoante ξ. Verifique o exemplo:
ἡ σάρξ, σαρκός (carne):

capítulo 4 • 100
SINGULAR PLURAL
ἡ σάρξ (σάρκ+ς) αἱ σάρκες

ὦ σάρξ ὦ σάρκες

τὴν σάρκα τὰς σάρκας

τῆς σαρκός τῶνσαρκῶν

τῇ σαρκί ταῖςσαρξί (σαρκ + σι)

Como σάρξ, σαρκός, declinam-se σάλπιγξ, σάλπιγγος (trombeta), σκώληξ,


ηκος (verme), ἀλώπηξ, ἀλώπηκος (raposa).

Os nomes em labiais

São nomes terminados pelas vogais β e π, que, encontrando-se com o ς


da desinência, geram a consoante ψ. Vejamos o exemplo, ὁ λίψ, λιβός (vento
do sudoeste).

SINGULAR PLURAL
ὁ λίψ (λίβ+ς) oἱ λίβες

ὦ λίψ ὦ λίβες

τὸν λίβα τοὺς λίβας

τοῦλιβός τῶνλιβῶν

τῷλιβί τοῖςλιψί (λιβ + σι)

Como λίψ, λιβός, declinam-se Αἰθίοψ, Αἰθίοπος (etíopes), σκόλοψ,


σκολοπός (espinho).

capítulo 4 • 101
Os nomes em nasais

A terceira declinação com raiz em nasal apresenta palavras bastante impor-


tantes dentro dos textos do Novo Testamento, caso de ποιμήν (pastor), ἀγών
(combate) e αἰών (época), por exemplo.
Observe que são palavras que não apresentam desinência no nominativo.
Note ainda que a nasal sofre síncope diante da desinência σι do dativo plural.
Veja a declinação de ὁ αἰών, αἰῶνος:

SINGULAR PLURAL
ὁ αἰών oἱ αἰῶνες

ὦ αἰών ὦ αἰῶνες

τὸναἰῶνα τοὺςαἰῶνας

τοῦαἰῶνος τῶναἰώνων

τῷαἰῶνι τοῖςαἰῶσι (αἰῶν + σι – queda da nasal)

Como αἰών, declina-se ἀγών, ἀγῶνος (combate).


É importante notar que alguns vocábulos não apresentarão a raiz com vogal
longa, mas apresentarão alongamento na vogal da raiz nos casos nominativo e vo-
cativo do singular, como em ποιμήν (pastor), cujo genitivo será ποιμένος. Tirando
esse detalhe, a declinação será idêntica à de αἰών. Veja como fica a declinação:

SINGULAR PLURAL
ὁ ποιμήν oἱ ποιμένες

ὦ ποιμήν ὦ ποιμένες

τὸν ποιμένα τοὺς ποιμένας

τοῦ ποιμένος τῶν ποιμένων

τῷποιμένι τοῖςποιμέσι (ποιμέν + σ ι– queda da nasal)

capítulo 4 • 102
Os nomes em líquidas

As consoantes líquidas são ρ e λ. Entretanto, como assinala Oliveira17, há ape-


nas uma palavra terminada em λ na língua grega: ἅλς, ἁλός (sal).

SINGULAR PLURAL
ὁ ἅλς oἱ ἅλες

ὦ ἅλς ὦ ἅλες

τὸνἅλα τοὺςἅλας

τοῦἁλός τῶνἁλῶν

τῷἁλί τοῖςἁλσί

Os nomes terminados em ρ, em geral, apresentam o nominativo sem desinên-


cia e com a vogal da raiz alongada. Esse é o caso de palavras como πατήρ (pai),
ἀνήρ (homem), ἀστήρ (estrela), μήτηρ (mãe).
Vamos ver como fica a declinação da palavra ὁ πατήρ:

SINGULAR PLURAL
ὁ πατήρ oἱ πατέρες

ὦ πάτερ ὦ πατέρες

τὸν πατέρα τοὺς πατέρας

τοῦ πατρός τῶν πατέρων

τῷ πατρί τοῖςπατράσι

Como πατήρ, serão declinados μήτερ, μετρός (mãe), com algumas diferenças
em relação à acentuação, como no nominativo singular.

17  OLIVEIRA, Luciene de Lima. Gramática de Grego Bíblico. Rio de Janeiro: edição do autor, 2008, p. 139

capítulo 4 • 103
Vamos observar que
•  no genitivo e dativo singulares, a vogal da sílaba que antecede a desinência
desaparece. O mesmo ocorre no dativo plural, havendo ainda a inclusão de um
α antes da desinência.
•  em relação à acentuação, haverá irregularidade, por isso, você encontrará a
última sílaba acentuada no genitivo e dativo singulares.

Os nomes em vogais

Os nomes em vogais podem apresentar tanto raiz terminada em vogal, quanto


raiz terminada em ditongo. Podem apresentar nomes masculinos, femininos e neutros.
Vamos conhecer os tipos que poderemos encontrar.
Você vai começar com as palavras terminadas em vogais ι ou υ.

ATENÇÃO
•  Observaremos que há palavras que apresentarão variação nas vogais que terminam o radi-
cal, ou seja, termos “alternância vocálica” ou seja, alteração de vogais.
•  É o caso de palavras como πόλις, πολέως (cidade) e πρέσβυς, πρεσβέως (ancião). Essa
alternância ocorre porque, no genitivo e dativo singular e em todas as formas do plural, há
a presença de uma sonante “iode” ou “digama” (sons antigos que estavam na formação da
língua grega e desapareceram).

O mais importante é que você saiba como são declinadas essas palavras.
Vamos ver?

SINGULAR PLURAL
ἡ πόλις αἱ πόλεις (πόλε + ες contração resulta em εις)

ὦ πόλι ὦ πόλεις

τὴν πόλιν τὰς πόλεις


τῆς πόλεως τῶν πόλεων

τῇ πόλει ταῖςπόλεσι

capítulo 4 • 104
Note que, no nominativo, vocativo e acusativo singulares, encontraremos a
raiz terminada em ι (πόλι). Já nos outros casos, encontraremos πόλε.
Observe ainda que a desinência do acusativo singular é “ν”.
O genitivo apresenta a vogal da desinência alongada.
Observe agora as palavras terminadas em ευ βασιλεύς (rei) γραμαθεύς (escri-
ba), ἱερεύς (sacerdote). Vamos ver como fica a declinação:

SINGULAR PLURAL
ὁ βασιλεύς oἱ βασιλεῖς

ὦ βασιλεύ ὦ βασιλεῖς

τὸν βασιλέα τοὺς βασιλέας


τοῦ βασιλέως τῶν βασιλέων

τῷβασιλεῖ τοῖςβασιλεῦσι

Note que o genitivo apresenta a vogal da desinência alongada.


A partir do acusativo singular, observamos que o υ desaparece e volta a apare-
cer no dativo plural. Isso ocorre em função da presença de uma sonante “digama”
no final da raiz que influencia nos encontros fonéticos com as desinências casuais.

Nomes em sigma

Os nomes em sigma apresentam a raiz terminada em ες, como τὸ γένος (raça/


geração). Notaremos que se trata de uma palavra neutra. Vamos ver a declinação.

SINGULAR PLURAL
τὸ γένος τὰ γένη (γενεσ+ α)

ὦ γένος τὰ γένη

τὸ γένος τὰ γένη
τοῦ γένους (γενεσ+ ος) τῶνγενῶν (γενέσ+ ων)

τῷ γένει (γενεσ+ ι) τῷ γένεσι (γενεσ+ σι)

capítulo 4 • 105
Esse tipo de palavra apresenta os encontros vocálicos que vimos quando estu-
damos os verbos contratos.

Temos γενες + ος, em que há a síncope do σ intervocálico e


GENITIVO a contração que resulta no ditongo ου.

Ocorre o mesmo fenômeno, γενες + ι, em que há a queda


DATIVO do σ intervocálico e a contração que resulta no ditongo ει.

No vocativo e no acusativo plural, temos o mesmo fenôme-


NOMINATIVO no e como resultado a vogal longa η.

Temos o mesmo fenômeno, com mudança da acentuação


GENITIVO em função de a última sílaba ser longa e de o primeiro ter-
mo da contração ser acentuado.

Há a assimilação do σ da raiz pelo σ da desinência, o que


DATIVO impede a contração entre vogais, pois o σ permanece.

Os nomes irregulares

A terceira declinação apresenta também nomes irregulares. Um deles é


ἡ γυνή, γυναίκος (mulher), que apresenta nominativo e vocativo sem a presença
da gutural e, a partir do acusativo, a consoante aparece:

SINGULAR PLURAL
ἡ γυνή αἱ γυναίκες

ὦ γύναι ὦ γυναίκες

τὴν γυναίκα τὰς γυναίκας

τῆς γυναικός τῶνγυναικῶν

τῇ γυναικί ταῖς γυναιξί

É importante destacar essa palavra em função de seu emprego no


Novo Testamento.

capítulo 4 • 106
Preposições e suas combinações

Na língua grega, você encontrará, muitas vezes, preposições combinadas a


casos, indicando o lugar, indicando o modo, o tempo etc. Ou seja, muitas vezes,
elas realçam um valor adverbial que já pode estar presente em um caso.
Ao longo dos capítulos anteriores, você teve contato com frases e trechos que
apresentavam preposições combinadas a algum caso. Vamos retomar o Evangelho
de João que acabamos de verificar a presença de preposições:

“ἐναὐτῷζωὴἦν” (Jo. 1.4) “Em ele (nele) vida estava”

Algumas preposições, na língua grega, combinam-se apenas com um único


caso, como a preposição ἐν, por exemplo. Ela se combina apenas com o caso dati-
vo e indica o “lugar onde (sem movimento)”, ou seja, forma um adjunto adverbial
de lugar.
Note que as preposições têm um papel importantíssimo na língua e interfe-
rem na exegese do texto do NT. De acordo com Wallace , a preposição ἐν aparece
no NT 2752 vezes, sendo a mais empregada nesse contexto.

Preposições que acompanham um só caso

Há, na língua grega, preposições que acompanham um único caso. Você as


conhecerá agora. Observe o quadro de preposições.

SIGNIFICADO (ADJUNTO
PREPOSIÇÃO CASO ADVERBIAL RESULTANTE)

Em, sobre (sem movimento); pode apresentar


ἐν Dativo nuance temporal, sendo traduzida por durante;
dentro de, dentre

σύν Dativo Com a ajuda de; em companhia de

capítulo 4 • 107
SIGNIFICADO (ADJUNTO
PREPOSIÇÃO CASO ADVERBIAL RESULTANTE)

Para, em direção de (com movimento); próximo


εἰς Acusativo de; para com; contra. No NT, pode ter a ideia de
lugar em (substituindo a combinação ἐν + dativo)

ἀνά Acusativo De cima para baixo, em cima

Em frente de, em oposição a, contra; em lugar


ἀντί Genitivo
de, ao invés de

Longe de, a partir de, de, desde, indicando um


ἀπό Genitivo ponto do qual há afastamento/origem, ou seja,
de onde estou partindo/afastando-me

Fora de, de (indicando de onde vem, origem),


ἐκἐξ Genitivo
dentre

πρό Genitivo Diante de, antes, para, na frente de

Leia um texto do Evangelho de Marcos que apresenta algumas preposições:

ΚαὶὅτεἐγγίζουσινεἰςἸερουσαλήμ, εἰςΒηθσφαγὴκαὶΒηθανίαν,
πρὸςτὸὌροςτῶνἘλαιῶν, ἀποστέλλει δύο τῶνμαθητῶναὐτοῦ (Mc. 11.1)

VOCABULÁRIO
ἀποστέλλω: envio
αὐτός, ή, όν: ele, ela, isto
Βηθανίαν: Betânia
Βηθσφαγὴ: Betfagé
Δύο: dois
ἐγγίζω: estou próximo, chego próximo
Ἐλαία, ας: Oliveira
Ἰερουσαλήμ: Jerusalém
μαθητής, οῦ: discípulo
τὸὌρος: o Monte (acusativo)
ὅτε: quando
πρὸς: preposição que pode acompanhar acusativo – junto a

capítulo 4 • 108
Veja como fica a tradução e procure observar como os casos estão se combi-
nando às preposições.

E quando chega próximo/está chegando pró-


ΚαὶὅτεἐγγίζουσινεἰςἸερουσαλήμ,
ximo de Jerusalém (na direção de Jerusalém)

εἰςΒηθσφαγὴκαὶΒηθανίαν, para (na direção de) Betfagé e Betânia,

πρὸςτὸὌροςτῶνἘλαιῶν, ἀποστέλλει junto ao Monte das Oliveiras, envia

δύο τῶνμαθητῶναὐτοῦ (Mc. 11.1) dois dos discípulos dele.

Você observou como foram usadas as preposições εἰς, que você viu no quadro
de preposições que acompanham um só caso, e πρός. Wallace18 assinala que a
preposição εἰς aparece 1767 vezes. Já a preposição πρός aparece 700 vezes. Diante
desses números, você pode compreender a importância desses elementos dentro
da koiné neotestamentária. Daí ser fundamental o estudo das preposições e, de
preferência, o conhecimento adquirido de seus possíveis significados, algo que
ajudará na aquisição de vocabulário.
É interessante notar que o uso das preposições se modifica na koiné em relação
aos estágios anteriores da língua. Algo que vimos, por exemplo, no uso de εἰς subs-
tituindo a preposição locativa ἑν.

Preposições que acompanham mais de um caso

A preposição πρός, que apareceu anteriormente no texto de Marcos é uma das


preposições que se combinam com mais de um caso. Para facilitar o estudo desse
tema, é interessante observar o quadro a seguir:

PREPOSIÇÃO ACUSATIVO GENITIVO DATIVO


Por, através de, por
διά Por causa de
meio de

Sobre, para, con- Em, sobre, na


ἐπί Sobre, a, em
tra, na direção de presença de

18  WALLACE, Daniel B. Uma sintaxe exegética do Novo Testamento. São Paulo: Editora Batista Regular do
Brasil, 2009, p. 354.

capítulo 4 • 109
PREPOSIÇÃO ACUSATIVO GENITIVO DATIVO
Segundo, de
κατά Para baixo, contra
acordo, por

μετά Depois, após Junto a, com, entre Ao lado de

Ao lado de, para o


παρά De, do lado de
lado de, contra

Ao redor, em
Acerca de, a
περί volta de, cerca de,
respeito de
sobre

Para, em direção Junto de, próximo


πρός para
de de, perto de

Sobre, acima, para Por, em favor de,


ὑπερ
além de em lugar de

Sob, debaixo de,


ὑπό Por, por meio de
abaixo de

No quadro anterior, há as definições mais gerais das combinações de prepo-


sições e casos. Vale reforçar a importância de conhecer essas definições, pois elas
auxiliarão na compreensão mais ampla dos textos estudados e farão diferença na
sua exegese do Novo Testamento.

ATENÇÃO
A preposição ὑπό combinada ao caso genitivo, além de poder formar um adjunto adver-
bial, também poderá desempenhar a função de agente da passiva. Eis um exemplo:

῾Ο ἵπποςὑπὸτοῦ κυρίουλύεται. O cavalo pelo senhor é libertado.

As preposições na formação vocabular grega

Você pode perceber, há pouco, o papel relevante das preposições na língua


grega e, especialmente, na koiné neotestamentária. Perceba que, do mesmo modo

capítulo 4 • 110
que as preposições se combinam aos casos e geram uma nuance adverbial nessa
combinação, as preposições podem funcionar como prefixos na formação de pa-
lavras e prefixos que modificam tanto raízes de verbos quanto raízes de nomes.
Um bom exemplo desse processo é a observação da formação de determinados
verbos, como é o caso do verbo φέρω (levo/carrego/suporto).
O verbo φέρω pode receber preposições como prefixos, ou seja, as preposições
podem acrescentar significados que modificam seu sentido.
Por exemplo, você encontrará o verbo εἰσφέρω, formado pelo acréscimo da
preposição “εἰσ” à raiz do verbo φέρω.
Reflita sobre como fica o significado desse novo verbo εἰσφέρω.
Note que, se a preposição εἰσ indica direção para onde (com movimento) e o
verbo é um verbo de movimento (levo/carrego/suporto), temos
Para + levo, ou seja, levo para. A preposição que, combinada à raiz verbal, com-
pôs o novo verbo, realçou a ideia de direção para o movimento do verbo: “levo para”.
Você poderá encontrar, em um dicionário menos completo, a tradução do
verbo εἰσφέρω simplesmente como “levar”. Entretanto, justamente por ter o co-
nhecimento do significado da preposição, você poderá perceber o significado do
verbo para além da raiz verbal φέρω, que guarda o significado de “levar”, uma vez
que você tenha a ideia do que significa a preposição “εἰσ”.
Agora observe outra possibilidade: e se a preposição que se combinasse ao
verbo φέρω fosse ἀπό?
Teríamos o verbo ἀποφέρω. Para chegar ao seu significado é preciso refletir
sobre o que ἀπό significa (a partir de, desde, de, indicando um ponto do qual
há afastamento, ou seja, de onde estou partindo/afastando-me) e lembrar de que
φέρω significa “levo/carrego/suporto”. Assim, o significado do verbo seria “levo
desde, levo de”. Há a ideia de levar de um lugar de onde se parte.
Ou seja, se, em εἰσφέρω, tem-se a ideia de “levar para”, em ἀποφέρω, tem-se
a ideia de “levar de”.
Dessa forma, fica evidente para você como as preposições são importantes
para realçar nuances de raízes verbais e modificar até seus significados.

Os pronomes interrogativos

Agora que você já estudou a terceira declinação, conhecerá a declinação dos


pronomes interrogativos. Eles se assemelham à terceira declinação e apresentam
uma forma para feminino e masculino e outra para neutro. Observe ver como eles
se apresentam.

capítulo 4 • 111
Os pronomes que, em grego, fazem a pergunta “Quem? O quê?” são τίς, τί.

MASCULINO/FEMININO NEUTRO
Singular

Nom. τίς τί
Ac. τίνα τί
Gen. τίνος τίνος
Dat. τίνι τίνι

Plural
Nom. τίνες τίνα
Ac. τίνας τίνα
Gen. τίνων τίνων
Dat. τίσι (ν) τίσι (ν)

•  Os pronomes interrogativos τίς, τί nunca terão o acento transformado em


grave. É uma marca desse interrogativo a manutenção do acento agudo.
•  Observe que eles utilizam as desinências de terceira declinação.
•  O uso desses pronomes é muito amplo. A forma τίς é registrada 546 vezes
no Novo Testamento, de acordo com Wallace (cf. WALLACE, 2009, 354).
Observe um exemplo do uso do pronome interrogativo:

Τί ἡ γενέααὕτησημεῖονἔπιζητεῖ;
Que a geração esta sinal deseja/busca?
(Mc. 8.12)

Note que o pronome interrogativo concorda com o neutro σημεῖον (sinal).


Assim, em português, o trecho fica:
Que sinal esta geração deseja?
É interessante observar que o pronome interrogativo Τί pode ser traduzido,
também por “por que”. Assim, encontraremos o trecho anterior traduzido as-
sim também:
Por que esta geração deseja um sinal?

Os pronomes indefinidos

Os pronomes indefinidos seguem a mesma declinação dos pronomes inter-


rogativos, entretanto, apresentam diferença na acentuação, uma vez que poderá

capítulo 4 • 112
haver a modificação do acento agudo para o grave. Além disso, o acento, nos casos
que apresenta mais de uma sílaba, recai na última sílaba. Veja agora:

MASCULINO/FEMININO NEUTRO
Singular

Nom. τίς τί
Ac. τινά τί
Gen. τινός τινός
Dat. τινί τινί

Plural
Nom. τινές τινά
Ac. τινάς τινά
Gen. τινῶν τινῶν
Dat. τισί (ν) τισί (ν)

•  O pronome indefinido pode ser traduzido como: um, algum, um certo.


Veja um exemplo:

Τινῶνἀνθρώπωναἱἁμαρτίαιπρόδηλοί εἰσιν De alguns homens os pecados evidentes


(I Tm. 5.24) são

Note que o pronome indefinido está no genitivo plural, concordando com a


palavra ἀνθρώπων, também no genitivo plural.

ATIVIDADES
Agora você vai exercitar tudo que aprendeu até agora. Vamos começar pelas preposições.

01. Combine as preposições da coluna a com os casos da coluna b e indique seus possíveis
significados. Note que há preposições que se combinam com mais de um caso.

a – preposições b – casos

ἐν Genitivo
πρός Acusativo
εἰς Dativo

capítulo 4 • 113
02. Você estudou várias palavras da terceira declinação. Agora para exercitar esse conheci-
mento, escreva a forma pedida dos vocábulos a seguir:
a) ὁ βασιλεύς – genitivo singular
b) ὁ πατήρ – dativo plural
c) ἡ σάρξ – nominativo plural
d) ἡ ἐλπίς – acusativo singular
e) τὸπνεῦμα – vocativo plural

03. Traduza as seguintes expressões do português para o grego:


a) O pai nosso –
b) A esperança é bela –
c) O espírito de Deus –

REFLEXÃO
Você acabou de encerrar o estudo do quarto capítulo de seu livro. Ou seja, você já está
bem adiantado nesse processo de aprendizagem dos fundamentos do Grego Bíblico.
Neste capítulo você concluiu o estudo básico dos verbos, por meio do contato com a con-
jugação atemática. Além disso, concluiu também o estudo geral das declinações nominais
gregas com o estudo da terceira declinação. Esses novos elementos que se agregaram ao
conhecimento anteriormente construído nos capítulos anteriores permitirão que você amplie
sua capacidade de leitura, compreensão e tradução dos textos originais do Novo Testamento.
Outro passo importante foi a ampliação dos estudos dos pronomes, com o contato com
os pronomes interrogativos e indeterminados, os quais apresentam um uso considerável na
koiné neotestamentária.
Finalmente, você estudou mais amplamente as preposições gregas, tanto no que diz
respeito à sintaxe, quanto à formação vocabular em língua grega, algo que será retomado no
próximo capítulo.
Definitivamente, você está progredindo no seu estudo de Grego Bíblico e, certamente,
isso já começou a fazer diferença em sua percepção exegética dos textos da koiné neotes-
tamentária. Bom estudo!

capítulo 4 • 114
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BLASS, F., DEBRUNNER, A. A Greek Grammar of The New Testament (trad. FUNK). Cambridge/
Chicago: CUP e UCP, 1961.
CHATZIARGYROS, Anastasíos. Λεξικό της Καινής Διαθήκης (Léxico do Novo Testamento). Atenas:
Armós, 2012.
Η κοινή Διαθήκη. Atenas: EllinikíVivlikíEtería, 2015.
HORTA, Guida Nedda Barata Parreiras. Os gregos e seu idioma. Rio de Janeiro: Editora J. Di
Giorgio, 1978.
MOUNCE, Willian D. Fundamentos do Grego Bíblico. São Paulo: Editora Vida, 2009.
OLIVEIRA, Luciene de Lima. Gramática do Grego Bíblico. Rio de Janeiro: Edição do autor, 2008.
REGA, Lourenço Stelio. Noções do Grego Bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1995.
WALLACE, Daniel B. Uma sintaxe exegética do Novo Testamento. São Paulo: Editora Batista
Regular do Brasil, 2009.

capítulo 4 • 115
capítulo 4 • 116
5
Formas nominais
dos verbos e dos
pronomes relativos
Formas nominais dos verbos e dos pronomes
relativos

No presente capítulo, terminaremos nosso estudo introdutório à língua grega


empregada na composição dos textos do Novo Testamento. Até o momento, você
já ampliou muito o horizonte de compreensão da língua grega, podendo realizar
exegeses dos textos originais cada vez mais profundas, em função do seu conheci-
mento mais amplo do vocabulário e da estrutura da língua.
Agora, você estudará as formas nominais dos verbos, os particípios e os infini-
tivos, muito utilizados na koiné neotestamentária e observará, igualmente, alguns
elementos que poderão se combinar às formas verbais que você verá.
Veremos ainda os pronomes relativos, que aparecem mais de 500 vezes nos
textos do Novo Testamento. Todo esse estudo sempre será relacionado com textos
originais. Aproveite para ampliar mais ainda seus conhecimentos!

OBJETIVOS
•  Estudar as formas nominais dos verbos;
•  Observar o emprego das conjunções
•  Aprender os pronomes relativos.

As formas nominais dos verbos

Como você havia estudado no capítulo 2 deste livro, além dos diferentes mo-
dos verbais, a língua grega apresenta as chamadas formas nominais, ou seja, formas
que apresentam tanto características de verbo quanto características de nomes.
Agora, você conhecerá o particípio.

O particípio

Ἰερουσαλὴμ, Ἰερουσαλὴμ, ἡ Jerusalém, Jerusalém, a que mata os


ἀποκτένουσα τοὺς προφήτας profetas

capítulo 5 • 118
καὶ λιθοβαλοῦσα τοὺς ἀπεσταλμένους
e que joga pedras (n) os enviados para ela.
πρὸς αὐτήν. (Mt. 23.37)

Na passagem anterior, retirada do evangelho de Mateus, você observará for-


mas verbais que não conhece. Elas são as formas de particípio: ἡ ἀποκτένουσα – a
que mata –, λιθοβαλοῦσα – a que joga pedra, apedreja – e τοὺς ἀπεσταλμένους –
os enviados (os que são enviados).
O particípio é uma forma nominal do verbo, que apresenta

•  Como os verbos, tempos e vozes diferentes:


– os tempos presente, futuro, aoristo e perfeito.
– as vozes ativa, média e passiva.
•  Como os adjetivos, apresenta:
– declinação com os três gêneros (feminino, masculino e neutro).
– os casos nominativo, acusativo, genitivo e dativo.

A partir de agora, você vai conhecer as formas do particípio nos tempos pre-
sente e aoristo. Você compreenderá como eles são empregados na língua grega e
observará ainda que, muitas vezes, o particípio poderá ser traduzido pelo gerúndio
da língua portuguesa, ou seja, “matando”, “apedrejando” e, outras vezes, poderá
ser traduzido por uma frase desenvolvida, “que mata”, “que apedreja”.
Você notará ainda que a noção de tempo é menos precisa que a noção de
aspecto da ação verbal, ou seja, se ela é durativa (dura no tempo) ou se é pontual.

O particípio presente

As formas de particípio no tempo presente são muito usuais na koiné neo-


testamentária. Suas formas são declinadas como se fosse um adjetivo, ou seja,
apresentam declinação para cada gênero e, ao mesmo tempo, podem apresentar
vozes diferentes.
Em termos de significação, o particípio presente pode apresentar o aspecto
durativo do presente, daí algumas vezes podermos traduzir o particípio grego pelo
gerúndio em português: comendo, bebendo etc. Todavia, nem sempre uma tra-
dução como essa será possível, por isso, como veremos mais adiante, é importante
ficar atento ao contexto em que é empregado o particípio.

capítulo 5 • 119
•  O particípio presente dos verbos temáticos e do verbo εἰμί
Conheça agora as formas ativas do presente dos verbos temáticos não contratos:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. λύων λύουσα λύον

Acus. λύοντα λύουσαν λύον

Gen. λύοντος λυούσης λύοντος

Dat. λύοντι λυούσῃ λύοντι

PLURAL MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. λύοντες λύουσαι λύοντα

Acus. λύοντας λυούσας λύοντα

Gen. λύοντων λυουσῶν λύοντων

Dat. λύουσι(ν) λύουσαις λύουσι(ν)

Você notará que as formas masculinas e neutras seguem a terceira declinação.


Já as formas femininas seguem a primeira declinação.
Observe que as formas masculinas e neutras são constituídas pelo tema do
presente, ou seja, λυο, acrescida de ντ e das desinências de terceira declinação.
– No caso do nominativo masculino, a vogal temática – ο – é alongada,
daí tem-se λύων.
– No caso do nominativo neutro, a vogal temática – ο – permanece, daí
tem-se λύον.
As formas femininas seguem a primeira declinação em alfa impuro e são for-
madas pelo tema do presente λυο acrescido de ντ e uma sonante j (iode) e as desi-
nências da primeira declinação.

capítulo 5 • 120
Agora, você conhecerá o particípio do verbo εἰμί:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. ὤν οὖσα ὄν

Acus. ὄντα οὖσαν ὄν

Gen. ὄντος οὔσης ὄντος

Dat. ὄνντι οὔσῃ ὄντι

PLURAL MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. ὄντες οὖσαι ὄντα

Acus. ὄντας οὖσας ὄντα

Gen. ὄντων οὔσῶν ὄντων

Dat. οὔσι(ν) οὔσαις οὔσι(ν)

Você notará que o particípio presente do verbo εἰμί será idêntico ao presente
dos verbos temáticos, porém sem a raiz. Compare as formas: λύων e ὤν.
Conheça agora as formas médio passivas do presente dos verbos temáticos
não contratos:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. λυόμενος λυομένη λυόμενον

Acus. λυόμενον λυομένην λυόμενον

Gen. λυομένου λυομένης λυομένου

Dat. λυομένῳ λυομένῃ λυομένῳ

capítulo 5 • 121
PLURAL MASCULINO FEMININO NEUTRO
Nom. λυόμενοι λυόμεναι λυόμενα

Acus. λυομένους λυομένας λυόμενα

Gen. λυομένων λυομένων λυομένων

Dat. λυομένοις λυομέναις λυομένοις

As formas médio passivas do particípio presente têm o tema de presente, o


sufixo μεν e as desinências da segunda declinação para os masculinos e neutros,
além das desinências de primeira declinação para os femininos.
Note que as formas contratas dos particípios presentes terão ligeiras diferenças
em função dos encontros vocálicos da vogal final da raiz com a vogal temática.
Verifique como ficam essas formas de particípio:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


ἀγαπάων >
Nom. ἀγαπάουσα > ἀγαπῶσα ἀγαπάον > ἀγαπῶν
ἀγαπῶν

ἀγαπάοντα >
Acus. ἀγαπάουσαν > ἀγαπῶσαν ἀγαπάον > ἀγαπῶν
ἀγαπῶντα

ἀγαπάοντος >
Gen. ἀγαπαούσης > τιμώσης ἀγαπάοντος > ἀγαπῶντος
ἀγαπῶντος

ἀγαπάοντι >
Dat. ἀγαπαούσῃ > ἀγαπώσῃ ἀγαπάοντος > ἀγαπῶντος
ἀγαπῶντι

A partir do exemplo anterior, verifica-se como ficam os verbos contratos ter-


minados em α. Observe que a contração permanecerá a mesma, apenas poderá
haver mudança na acentuação, ou seja, a presença de um acento perispômeno
quando o primeiro elemento da contração for acentuado e de um acento agudo
quando o segundo elemento da contração for acentuado.

capítulo 5 • 122
Observe agora como ficam as contrações dos verbos cuja as raízes terminam
em ε:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Πολεμέων > Πολεμέουσα >
Nom. Πολεμέον > πολεμοῦν
πολεμῶν πολεμοῦσα

Πολεμέοντα > Πολεμέουσαν >


Acus. Πολεμέον > πολεμοῦν
πολεμοῦντα πολεμοῦσαν

Πολεμέοντος > Πολεμεούσης >


Gen. Πολεμέοντος > πολεμοῦντος
πολεμοῦντος πολεμούσης

Πολεμέοντι > πολεμεούσῃ >


Dat. Πολεμέοντι > πολεμοῦντι
πολεμοῦντι πολεμούσῃ

Observe agora como ficam as contrações dos verbos cujas raízes terminam
em o:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Δουλόουσα >
Nom. Δουλόων > δουλῶν Δουλόον > δουλοῦν
δουλοῦσα

Δουλόοντα > Δουλόουσαν >


Acus. Δουλόον > δουλοῦν
δουλοῦντα δουλοῦσαν

Δουλόοντος > Δουλοούσης >


Gen. Δουλόοντος > δουλοῦντος
δουλοῦντος δουλούσης

Δουλόοντι > δουλοούσῃ >


Dat. Δουλόοντι > δουλοῦντι
δουλοῦντι δουλούσῃ

As formas médio passivas do presente dos verbos contratos serão formadas do


mesmo modo que as dos verbos temáticos não contratos, apenas apresentarão as
contrações que se manterão as mesmas durante toda a declinação:

capítulo 5 • 123
SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO
Nom. ἀγαπώμενος ἀγαπωμένη ἀγαπώμενον
Gen. ἀγαπωμένου ἀγαπωμένης ἀγαπωμένου

Nom. πολεμούμενος πολεμουμένη πολεμούμενον


Gen. πολεμουμένου πολεμουμένης πολεμουμένου

Nom. δουλούμενος δουλουμένη δουλούμενον


Gen. δουλουμένου δουλουμένης δουλουμένου

Os verbos temáticos consonânticos apresentam a mesma construção dos ver-


bos temáticos não contratos. Veja os exemplos dos verbos βλέπω, πείθω e φαίνω:

Formas ativas

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. βλέπων βλέπουσα βλέπον
Gen. βλέποντος βλεπούσης βλέποντος

Nom. πείθων πείθουσα πεῖθον


Gen. πείθοντος πειθούσης πείθοντος

Nom. φαίνων φαίνουσα φαῖνον


Gen. φαίνοντος φαινούσης φαίνοντος

Formas médio-passivas

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. βλεπόμενος βλεπομένη βλεπόμενον
Gen. βλεπομένου βλεπομένῃ βλεπομένου

Nom. πειθόμενος πειθομένη πειθόμενον


Gen. πειθομένου πειθομένης πειθομένου

Nom. φαινόμενος φαινομένη φαινόμενον


Gen. φαινομένου φαινομένης φαινομένου

capítulo 5 • 124
•  O particípio presente dos verbos atemáticos
Observe agora como ficam os particípios presentes ativos e médio passivos dos
verbos atemáticos, respectivamente, δίδωμι, ἵστημι e φημί.

Ativos

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. διδούς διδοῦσα διδόν
Gen. διδόντος διδούσης διδόντος

Nom. ἱστάς ἱστᾶσα ἱστάν


Gen. ἱστάντος ἱστάσης ἱστάντος

Nom. φάς φᾶσα φάν


Gen. φάντος φάσης φάντος

Médio passivos

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. διδόμενος διδομένη διδόμενον
Gen. διδομένου διδομένης διδομένου

Nom. ἱστάμενος ἱσταμένη ἱστάμενον


Gen. ἱσταμένου ἱσταμένης ἱσταμένου

Nom. φάμενος φαμένη φάμενον


Gen. φαμένου φαμένης φαμένου

Observe que, na formação desses particípios, temos os temas de presente sem


vogal temática, como no presente do indicativo dos verbos atemáticos.

O particípio aoristo

Veja agora como se compõem as formas do particípio aoristo nas vozes ativa,
média e passiva. Note que o aumento em ε só aparece no modo indicativo, fora
desse modo, o aoristo não o apresenta.

capítulo 5 • 125
É interessante refletir sobre o papel do aoristo, que poderá expressar ação an-
terior e pontual, dependendo do contexto em que se encontra.

•  O particípio aoristo nos verbos temáticos


O particípio aoristo apresenta formas distintas para as três vozes.
A voz ativa se forma do tema de aoristo: λυσα, acrescido do sufixo ντ e das de-
sinências de terceira declinação para masculinos e neutros, e de primeira declinação
para os femininos, como o particípio presente. Note que o nominativo masculino será
sigmático, ou seja, apresentará um ς. Veja agora os exemplos dos temáticos vocálicos:

Formas ativas

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. λύσας λύσασα λῦσαν
Gen. λύσαντος λυσάσης λύσαντος

Nom. ἀγαπήσας ἀγαπήσασα ἀγαπῆσαν


Gen. ἀγαπήσαντος ἀγαπησάσης ἀγαπήσαντος

Nom. πολεμήσας πολεμήσασα πολεμῆσαν


Gen. πολεμήσαντος πολεμησάσης πολεμήσαντος

Nom. δουλώσας δουλώσασα δουλῶσαν


Gen. δουλώσαντος δουλωσάσης δουλώσαντος

Agora veja os exemplos dos verbos temáticos consonânticos na voz ativa. Note
que os encontros consonantais aparecerão também aqui, bem como as modifica-
ções nas raízes, como no caso de φαίνω:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. βλέψας βλέψασα βλέψαν
Gen. βλέψαντος βλεψάσης βλέψαντος

Nom. πείσας πείσασα πεῖσαν


Gen. πείσαντος πεισάσης πείσαντος

Nom. φήνας φήνασα φῆναν


Gen. φήναντος φηνάσης φήναντος

capítulo 5 • 126
A voz média é formada do tema de aoristo médio λυσά acrescido da desinên-
cia μεν e das desinências masculinas, femininas e neutras.

Formas médias

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. λυσάμενος λυσαμένη λυσάμενον
Gen. λυσαμένου λυσαμένης λυσαμένου

Nom. ἀγαπησάμενος ἀγαπησαμένη ἀγαπησάμενον


Gen. ἀγαπησαμένου ἀγαπησαμένης ἀγαπησαμένου

Nom. πολεμησάμενος πολεμησαμένη πολεμησάμενον


Gen. πολεμησαμένου πολεμησαμένης πολεμησαμένου

Nom. δουλωσάμενος δουλωσαμένη δουλωσάμενον


Gen. δουλωσαμένου δουλωσαμένης δουλωσαμένου

Agora veja os exemplos dos verbos temáticos consonânticos na voz média:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. βλεψάμενος βλεψαμένη βλεψάμενον
Gen. βλεψαμένου βλεψαμένης βλεψαμένου

Nom. πεισάμενος πεισαμένη πεισάμενον


Gen. πεισαμένου πεισαμένης πεισαμένου

Nom. φηνάμενος φηναμένη φηνάμενον


Gen. φηναμένου φηναμένης φηναμένου

As formas passivas são constituídas pelo tema do aoristo passivo λυθε (com
a vogal do sufixos abreviada) acrescido do sufixo ντ e das desinências de terceira
declinação para masculinos e neutros, e de primeira declinação para femininos.

capítulo 5 • 127
Formas passivas dos verbos temáticos vocálicos

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. βλεψάμενος βλεψαμένη βλεψάμενον
Gen. βλεψαμένου βλεψαμένης βλεψαμένου

Nom. πεισάμενος πεισαμένη πεισάμενον


Gen. πεισαμένου πεισαμένης πεισαμένου

Nom. φηνάμενος φηναμένη φηνάμενον


Gen. φηναμένου φηναμένης φηναμένου

Observe:
•  Temos a presença do iode (j) na formação do feminino.
•  Temos as acomodações fonéticas presentes nas formas do aoristo
do indicativo.
•  No caso do verbo φαίνω, temos uma forma II, ou seja, uma forma diferente
da que esperaríamos.

O particípio aoristo nos verbos atemáticos

Observe agora como ficam os particípios aoristos ativos, médios e passivos dos
verbos atemáticos, respectivamente, δίδωμι, ἵστημι e φημί.

Ativos

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. δούς δοῦσα δόν
Gen. δόντος δούσης δόντος

Nom. στάς στᾶσα στάν


Gen. στάντος στάσης στάντος

Nom. φήσας φήσουσα φήσαν


Gen. φήσαντος φησούσης φήσαντος

capítulo 5 • 128
O aoristo ativo de δίδωμι e de ἵστημι apresenta radical puro, sem redobro.
Agora você conhecerá as formas médias do particípio.

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. στησάμενος στησαμένη στησάμενον
Gen. στησαμένου στησαμένης στησαμένου

Nom. φάμενος φαμένη φάμενον


Gen. φαμένου φαμένης φαμένου

Note que não há forma para o verbo δίδωμι na voz média.


Finalmente, você conhecerá as formas passivas do aoristo atemático dos verbos
δίδωμι e ἵστημι:

SINGULAR MASCULINO FEMININO NEUTRO


Nom. δοθείς δοθεῖσα δοθέν
Gen. δοθέντος δοθείσης δοθέντος

Nom. σταθείς σταθεῖσα σταθέν


Gen. σταθέντος σταθείσης σταθέντος

Vale ressaltar que a conjugação atemática apresenta verbos que não têm todos
os tempos em suas conjugações.

Os usos do particípio

As formas do particípio podem ser empregadas, de modo geral, como explica


Mounce19, com sentido adverbial e adjetival.

•  Particípio com valor adjetival


Com valor adjetival, o particípio pode modificar um substantivo ou um pro-
nome, ou seja, atribui características que estão presentes na significação do parti-
cípio. Tomemos o exemplo que apareceu no início deste capítulo.

Ἰερουσαλὴμ, ἡ ἀποκτένουσα τοὺς προφήτας


19  Cf. MOUNCE, Willian D. Fundamentos do Grego Bíblico. São Paulo: Editora Vida, 2009, p. 290.

capítulo 5 • 129
Aqui, o particípio está relacionado à palavra Jerusalém e atribui a ela a carac-
terística marcada pela ação do verbo ἡ ἀποκτένουσα pode ser traduzido, como
“aquela que mata” e, igualmente, por um substantivo: a assassina, ou seja, aquela
que realiza a ação de matar.
Note ainda que o particípio pode ter um complemento, ἡ ἀποκτένουσα
τοὺς προφήτας, a que mata os profetas. Ou seja, você estaria diante de uma oração
participial, pois o particípio – na sua feição de verbo – apresentaria um objeto
direto (τοὺς προφήτας).

ATENÇÃO
Nos particípios que trazem a noção adjetival não aparecerá nuance adverbial. Todavia, é
preciso indicar que não haverá diferença morfológica entre as formas de particípio, ou seja,
eles terão a mesma forma e apenas o contexto poderá indicar se o particípio é adjetival ou
adverbial.

Em outro exemplo, observe o particípio qualificando um substantivo:

ἠκρίβωσε παρ` αὐτῶν τὸν χρόνον τοῦ Indagou junto deles o tempo da brilhando
φαινομένου ἀστέρος. (Mt. 2.7) estrela.

Aqui você observa como o particípio φαινομένου (que se mostra/que brilha –


se mostrando/ brilhando) concorda com a palavra ἀστέρος e está igualmente no
genitivo singular masculino, ou seja, “Junto a eles indagou acerca do tempo em
que a estrela brilhou”. Note que o particípio será traduzido, em termos temporais,
de acordo com o contexto da oração.
Observe outro exemplo de particípio modificando um substantivo:

πᾶς ὁ βλέπων γυμναίκα (Mt. 5.28) Todo aquele o que olha uma mulher

Aqui, o particípio está especificando quem é esse πᾶς (todo aquele): é “o que
olha uma mulher”

capítulo 5 • 130
•  Particípio com valor adverbial
O particípio adverbial, como o nome indica, trará nuance adverbial em sua
interpretação, podendo indicar o modo, o tempo, a causa, a finalidade, entre ou-
tras possibilidades. Observe o seguinte trecho de Mateus:

Em então os dias aqueles (naqueles


Ἐν δὲ ταῖς ἡμέραις ἐκείναις
dias então)

παραγίνεται Ἰωάννης ὁ βαπτιστῆς aparece João o Batista

κηρύσσων ἐν τῇ ἐρήμῳ τῆς Ἰουδαίας (Mt. 3.1) pregando em o deserto de Judá.

No exemplo anterior, κηρύσσων, particípio presente ativo do verbo κηρύσσω


(anuncio, proclamo, prego) está indicando o modo como Ἰωάννης ὁ βαπτιστῆς apa-
rece, ou seja, indicando a circunstância em que João o Batista aparece: pregando.

ATENÇÃO
Nesse caso, note que o particípio concorda em gênero, número e caso com o termo ao
qual se refere, mas não é antecedido por artigo.

Veja mais um trecho do evangelho de Mateus e observe o uso dos particípios:

Vendo então muitos dos


Ἰδὼν δὲ πολλοὺς τῶν Φαρισαίων καὶ Σαδδουκαίων
Fariseus e dos Saduceus

ἐρχομένους ἐπὶ τὸ βάπτισμα αὐτοῦ, (Mat. 3.7) vindo para o batismo dele,

•  Aqui você verifica o particípio Ἰδὼν no nominativo singular masculino


do aoristo ativo do verbo εἶδον (ver – verbo defectivo que não apresenta for-
mas de presente), o qual se refere ao sujeito (João) implícito e por isso, vem no
nominativo.

capítulo 5 • 131
•  Já o particípio ἐρχομένους está no acusativo masculino plural do verbo
ἔρχομαι (vou/venho) por se referir a πολλοὺς, que complementa a forma Ἰδὼν,
ou seja, é seu objeto direto. Assim, o termo “muitos” que o sujeito está vendo é
caracterizado como “os que estão vindo”, ou seja, se indica a circunstância em que
os “muitos” se encontram: vindo.

Observe que os particípios com valor adverbial podem apresentar conjunções


que indicam tempo, finalidade, causa, mas não necessariamente. Algumas vezes, a
nuance adverbial poderá ser inferida, como no seguinte trecho de João:

ἐχάρησαν οὖν οἱ μαθηταὶ ἰδόντες alegraram(-se) então os discípulos vendo o


τὸν κυρίον (Jo. 20.20) Senhor. (quando viram/ao verem)

Note a presença do particípio ἰδόντες, que concorda com o sujeito


οἱ μαθηταὶ. Aqui, o particípio indicaria a circunstância em que os discípulos se
alegraram, “quando viram o Senhor” ou “ao verem o Senhor”. Entretanto, você
poderia perceber uma nuance causal, “porque viram o Senhor”.
Vejamos mais um exemplo do valor adverbial em um trecho de Atos
dos Apóstolos:

Καὶ προσευξάμενοι εἶπον (Atos 1.24) E ao orarem disseram

Veja que προσευξάμενοι é um particípio aoristo do verbo προσεύχομαι que


está no nominativo plural masculino e se refere ao sujeito do verbo εἶπον (3a pes-
soa do plural). Aqui há um nuance temporal, ou seja, o particípio ressalta aspecto
temporal do ato de orar que ocorre no tempo em que “disseram”. Por isso, esse
trecho pode ser traduzido como “ao orarem”, “quando oravam”. Observe que mais
importante que o tempo verbal, é o aspecto como a ação verbal é apresentada.
Neste capítulo, você pode ter uma breve noção do uso do particípio. Siga
seu estudo do grego bíblico e, certamente, você poderá dominar mais e mais o uso
dessas formas nominais do verbo que são de extrema relevância.
Caso tenha dúvidas sobre alguma forma verbal, durante sua leitura do Novo
Testamento, utilize as ferramentas gratuitas disponíveis na internet como o site do
Projeto Perseus, disponível em: <http://www.perseus.tufts.edu/hopper/search>.
Acesso em: out. 2018.

capítulo 5 • 132
O infinitivo

Tendo visto as formas do particípio, vamos aos infinitivos. O infinitivo apa-


rece mais de 2000 vezes no Novo Testamento e, justamente por sua frequência, é
preciso conhecer suas formas e seus empregos.
Veremos que o infinitivo, como o particípio, terá características verbais e apre-
sentará, diferentemente do português, a noção de tempo: presente, futuro, aoristo
e perfeito. Também apresentará as vozes ativa, média e passiva. Mas, como forma
nominal do verbo, poderá funcionar como substantivo, sendo acompanhado de
artigo, todavia, não é declinável como o particípio.
Conjunções e preposições podem preceder as formas de infinitivo, atribuin-
do às orações infinitivas valores adverbiais, como o valor final, temporal, causal
e modal.
Neste capítulo, você terá contato com as formas do infinitivo presente e ao-
risto dos verbos temáticos e atemáticos que teve a oportunidade de conhecer ao
longo dos capítulos.
Você terá a oportunidade de começar a compreender essa forma verbal impor-
tante da língua grega, de modo introdutório, para que tenha meios de aprofundar,
posteriormente, seus estudos do Novo Testamento.

As formas do infinitivo presente

O infinitivo presente, assim como o particípio presente, apresentará formas


para a voz ativa e para a voz médio passiva. Entretanto, diferentemente do parti-
cípio, o infinitivo não será flexionado em declinação, apresentando apenas uma
forma para cada uma das diferentes vozes.
•  No presente, o infinitivo ativo é formado pelo tema temporal de presente
(com a vogal temática) acompanhado do sufixo εν.
•  Já o infinitivo médio passivo é formado pelo tema de presente (com a vogal
temática) acompanhado do sufixo σθαι.

capítulo 5 • 133
Infinitivo presente dos verbos temáticos

VERBO NO INFINITIVO MÉDIO


INFINITIVO ATIVO
INDICATIVO PASSIVO
λύω λύε εν > λύειν λύεσθαι

ἀγαπάς ἀγαπάε εν > ἀγαπᾶν ἀγαπά ε σθαι > ἀγαπᾶσθαι

πολεμέω πολεμέ ε εν > πολεμεῖν πολεμέ ε σθα ι> πολεμεῖσθαι

δουλόω δουλό ε εν > δουλοῦν δουλό ε σθαι > δουλοῦσθαι

βλέπω βλέπ ε εν > βλέπειν βλέπ ε σθαι > βλέπεσθαι

πείθω πείθ ε εν > πείθειν πείθε ε σθαι > πείθεσθαι

φαίνω φαίν ε εν > φαίνειν φαίν ε σθαι > φαίνεσθαι

Infinitivo presente dos verbos atemáticos

•  O infinitivo presente ativo dos verbos atemáticos é formado pelo tema de


presente, apresentando raiz com vogal breve, acrescido do sufixo ναι.
•  Já o infinitivo presente médio passivo é formado pelo tema de presente,
apresentando raiz com vogal breve, acrescido do sufixo σθαι.

VERBO NO INFINITIVO MÉDIO


INFINITIVO ATIVO
INDICATIVO PASSIVO
εἰμί εἶναι Não há

δίδωμι δίδοναι δίδοσθαι

ἵστημι ἵσταναι ἵστασθαι

φημί φάναι Não há

capítulo 5 • 134
É importante lembrar que alguns verbos atemáticos, especialmente, os que
não apresentam redobro de presente, são muito irregulares e defectivos, ou seja,
não apresentam formas para todos os tempos.

As formas do infinitivo aoristo

O infinitivo aoristo apresentará formas diferentes para as vozes ativa, média


e passiva.
Veja primeiramente os verbos temáticos:
•  A voz ativa do aoristo será formada do tema de aoristo ativo – λυσα –acres-
cido do sufixo ι (iota).
•  A voz media do infinitivo aoristo será formada do tema temporal do aoristo
médio – λυσα – acrescido do sufixo σθαι.
•  A voz passiva do infinitivo aoristo será formada do tema temporal do aoristo
passivo – λυθη – acrescido do sufixo ναι.

INFINITIVO
VERBO NO INFINITIVO INFINITIVO AORISTO
INDICATIVO AORISTO ATIVO AORISTOMÉDIO PASSIVO
λύω λύσαι λύσασθαι λυθῆναι

ἀγαπάς ἀγαπῆσαι ἀγαπήσασθαι ἀγαπηθῆναι

πολεμέω πολεμῆσαι πολεμήσασθαι πολεμηθῆναι

δουλόω δουλῶσαι δουλώσασθαι δουλωθῆναι

βλέπω βλέψαι βλέψασθαι Βλεφθῆναι

πείθω πείσαι πείσασθαι πεισθῆναι

φαίνω φῆναι φήνασθαι φανῆναι

capítulo 5 • 135
ATENÇÃO
•  Os fenômenos fonéticos que ocorrem nas formas de aoristo do indicativo voltam a apare-
cer nas formas de infinitivo. Ou seja, no caso do verbo βλέπω, você verá o encontro conso-
nantal entre β e σ resultando em ψ, como em βλέψαι.
•  Os verbos que apresentam formas segundas no indicativo, voltarão a apresentar no infini-
tivo, como no caso do verbo φαίνω.
•  A acentuação das formas passivas é especial e não segue a regra geral de acentuação
dos verbos.

Vamos observar agora os verbos atemáticos:


•  A voz ativa do infinitivo aoristo se forma do tema de aoristo ativo acresci-
do da desinência ναι. Ο tema pode variar em função da irregularidade dos ver-
bos atemáticos.
•  A voz média apresenta tema de aoristo médio acrescido da desinência σθαι.

INFINITIVO INFINITIVO
VERBO NO INFINITIVO AORISTO AORISTO
INDICATIVO AORISTO ATIVO MÉDIO PASSIVO
δίδωμι δοῦναι ἀποδόσθαι δοθῆναι

ἵστημι στῆναι (II)/στῆσαι στήσασθαι σταθῆναι

φημί φῆσαι Não há Não há

•  Observe que o verbo εἰμί não apresenta formas para o aoristo.


•  O verbo δίδωμι, na voz média, só apresenta forma no verbo compos-
to ἀποδόσθαι.
•  O verbo ἵστημι apresenta forma segunda στῆναι e forma primeira στῆσαι.
•  O verbo φημί apresenta desinência σαι na única forma de infinitivo aoristo.
•  A acentuação das formas passivas é especial e não segue a regra geral de
acentuação dos verbos.

capítulo 5 • 136
É importante perceber quão irregulares são os verbos atemáticos. Isso ajuda a
compreender as razões que a língua do Novo Testamento preferiu utilizar formas
equivalentes dos verbos temáticos, muito mais regulares.

O uso do infinitivo

Como foi dito anteriormente sobre o infinitivo, ele poderá apresentar nuances
adverbiais, acompanhado de conjunções ou preposições e, por isso mesmo, pode
formar orações adverbiais as quais podem indicar noções de modo, tempo, causa,
finalidade etc.
Além disso, ele pode funcionar como “substantivo”, seria o infinitivo subs-
tantivado, por exemplo, em português eu poderia dizer “o amar”, “o viver”. Nesse
caso, em grego, o infinitivo poderá vir precedido do artigo neutro e poderá desem-
penhar funções diferentes em uma frase, como sujeito, objeto direto etc.

•  O infinitivo substantivado
Como o próprio nome indica, o infinitivo substantivado será aquele que fun-
ciona como substantivo em uma frase, ou seja, pode desempenhar o papel de
sujeito, objeto direto, objeto indireto ou predicativo do sujeito.
Note que o infinitivo, desempenhando a função de sujeito, por exemplo, não
vem necessariamente precedido do artigo neutro.
Vamos ver um exemplo do evangelho de João em que a oração infinitiva será
o sujeito de um verbo impessoal, o verbo ἔδει (era necessário):

ἔδει δὲ αὐτὸν διέρχεσθαι διὰ τῆς era necessário então ele atravessar pela a
Σαμαρείας (Jo 4.4) Samaria.

• A oração infinitiva, como um todo, será o sujeito do verbo impessoal


ἔδει.
A pergunta para verificar isso é: o que era necessário?
Sendo a resposta a oração infinitiva como um todo:
ele atravessar pela Samaria.

capítulo 5 • 137
Aqui cabe uma observação importante:

• O sujeito de um infinitivo vira, em geral, no acusativo.


Agora, veja um exemplo em que temos infinitivos precedidos de artigo fun-
cionando como sujeitos:

ἐμοὶ γὰρ τὸ ζῆν Χριστὸς καὶ τὸ ἀποθανεῖν para mim pois o viver (é) Cristo e o
κέρδος. (Fp. 1.21) morrer (é) lucro.

Note que temos o infinitivo ζῆν precedido do artigo neutro τὸ e o predicativo


Χριστὸς (sabemos que é o predicativo por não apresentar artigo).
Paralelamente, temos τὸ ἀποθανεῖν como sujeito da oração seguinte e κέρδος,
sem artigo, funcionando como predicativo do sujeito.
Observe que o verbo “ser” está subentendido.
O infinitivo substantivado pode desempenhar papel de complemento de ver-
bos de percepção, de vontade, de comunicação, como ἀγγέλω (anuncio), νομίζω
(penso), κρίνω (distingo/ julgo), σπουδάζω (faço com vigor, empenho-me).
Veja um exemplo:

Σπούδασον ἐλθεῖν προς με ταχέως. (Tm. 4.9) Empenha-te vir a mim rapidamente.

Aqui o infinitivo aoristo ἐλθεῖν é o complemento do verbo que expressa von-


tade Σπούδασον.

•  O uso adverbial do infinitivo


O infinitivo, em sua feição mais próxima do verbo, poderá formar orações
que expressem o modo como uma ação se dá, o tempo em que a ação se dá, a
finalidade da ação, entre outras nuances e por isso mesmo será chamado de infi-
nitivo adverbial.
Vamos observar alguns exemplos dos casos mais comuns de infinitivo com
valor adverbial.
Para começar, você estudará o infinitivo que indica a finalidade:
Ele pode ser expresso por:

capítulo 5 • 138
Um infinitivo precedido de preposição. Veja um exemplo:

Os então principais sacerdotes e


Οἱ δὲ ἀρχιερεῖς καὶ ὅλον τὸ συνέδριον ἐζήτουν
todo o sinédrio buscavam

κατὰ τοῦ Ἰησοῦ μαρτιρίαν contra o Jesus testemunho

εἰς τὸ θανατῶσαι αὐτόν, (Mt. 14.55) para matar ele

Observe que há um infinitivo precedido da preposição εἰς e do infinitivo


τὸ θανατῶσαι.
Você saberia dizer que infinitivo é esse?
Trata-se do infinitivo aoristo ativo do verbo contrato θανατόω (matar/ con-
denar à morte).
No caso do aoristo, ele não se refere exatamente ao tempo passado, mas a uma
ação pontual e a finalidade é marcada pela preposição εἰς combinada ao infinitivo
τὸ θανατῶσαι.
A finalidade poderá ser marcada também pela construção πρὸς τὸ e in-
finitivo ou por infinitivo simples, ou seja, que não é precedido por conjunção
ou preposição.
Para indicar a consequência, uma estrutura muito comum é a que apresente a
conjunção ὥστε e infinitivo.

ἔπλησαν ἀμφότερα τὰ πλοῖα ὥστε Você consegue compreender e traduzir este


βυθίζεσθαι αὐτά (Lc 5.7) trecho de Lucas com a ajuda do vocabulário?

Vocabulário

ἔπλησαν: aoristo ativo do indicativo do verbo πἰμπλημι (encho)


ἀμφότερος, α, ον: ambos, ambas, ambos
πλοῖον, ου (το): barco
ὥστε: conjunção que expressa resultado – de modo que
βυθίζω: afundo

capítulo 5 • 139
Encheram ambos os barcos de modo que começaram a afundar
Note que o particípio está precedido da conjunção que pode expressar um
resultado não intencional. Segundo Wallace, o emprego de ὥστε e infinitivo é
comum para indicar a consequência19.
Note que as combinações εἰς το e infinitivo também pode vir a expressar a con-
sequência. É preciso verificar o contexto para saber qual a melhor interpretação.
O tempo também pode ser expresso pela combinação de preposição e infinitivo:
Uma ação anterior ao tempo principal pode ser expressa por μετά το e
infinitivo.
Veja o exemplo:

Depois de ter sido acordado/ ressu-


Μετὰ δὲ τὸ ἐγερθῆναί με
citado eu(sujeito do infinitivo)

προάξω ὑμᾶς εἰς τὴν Γαλιλαίαν. (Mat. 26.32) irei adiante de vós para a Galileia.

No exemplo, o infinitivo indica uma ação anterior à do verbo da ora-


ção principal.
O tempo pode ser expresso ainda por ἐν τῷ e infinitivo, podendo ser traduzi-
do por “à medida que”, “enquanto”.
A causa pode ser expressa por διὰ τό e infinitivo, como no seguinte exemplo:

E por não ter raiz se tornou seca


Καὶ διὰ τὸ μὴ ἔχειν ῥίζαν ἐξηράνθη. (Mc 4.6)
(aoristo passivo de ξηραίνω)

Neste estudo introdutório da língua grega do Novo Testamento, não há espa-


ço para falar de todas as possíveis expressões adverbiais do infinitivo, mas você já
teve a oportunidade de ter noção ampla das formas mais utilizadas.

Os pronomes relativos

Os pronomes relativos, como o próprio nome indica, são aqueles que apresen-
tam uma relação com um termo que aparece anteriormente na frase. Esse termo
anterior ao qual o pronome relativo se refere será o antecedente.

19  Cf. WALLACE, Daniel B. Gramática grega. São Paulo. p. 593

capítulo 5 • 140
Em grego, você encontrará pronomes relativos que apresentarão declinação e
formas diferentes para masculino, feminino e neutro. Eles podem ser:

DEFINIDOS: ὅς, ἥ, ὅν (podem ser traduzidos por “que, quem ou o qual”).

ὅστις, ἥτις, ὅτι ὅ,τι (podem ser traduzidos por “quem quer que
INDEFINIDOS: seja, qualquer que seja, qualquer que”).

Se você observar as formas dos pronomes relativos indefinidos, observará a


presença do pronome indefinido τις, τι em sua formação.
Veja agora a declinação dos pronomes relativos definidos:

MASCULINO FEMININO NEUTRO


Singular

Nom. ὅς ἥ ὅ
Ac. ὅν ἥν ὅ
Gen. οὗ ἧς οὗ
Dat. ᾧ ᾗ ᾧ

Plural

Nom. οἵ αἵ ἅ
Ac. οὕς ἅς ἅ
Gen. ὧν ὧν ὧν
Dat. οἷς αἷς οἷς

Veja agora a declinação dos pronomes relativos indefinidos:

MASCULINO FEMININO NEUTRO


Singular

Nom. ὅστις ἥτις ὅ,τι ὅτι


Ac. ὅντινα ἥντινα ὅ,τι ὅτι
Gen. οὗτινος/ ὅτου ἧστινος οὗτινος/ ὅτου
Dat. ᾧτινι/ὅτῳ ᾗτινι ᾧτινι/ὅτῳ

capítulo 5 • 141
MASCULINO FEMININO NEUTRO
Plural

Nom. οἵτινες αἵτινες ἅτινα


Ac. οὕστινας ἅστινας ἅτινα
Gen. ὧντινων ὧντινων ὧντινων
Dat. οἷστισι (ν) αἷστισι (ν) οἷστισι(ν

•  Observe que, pelo fato de ser uma forma composta, ela não segue as regras
de acentuação que esperaríamos.
•  Há formas que convivem, como as de dativo e genitivo singular.

Veja agora um exemplo que apresenta um pronome relativo:

ἐπιλάβου τῆς αἰωνίου ζωῆς, εἰς ἥν Toma/apodera-te da eterna vida,


ἐκλήθης (Tm 6.12) para a qual foste chamado.

Aqui, observe o pronome relativo ἥν que se refere à vida.


Vamos ver um exemplo que compreende as duas formas nominais estudadas
neste capítulo em especial:

Οἱ δὲ βουλόμενοι πλουτεῖν ἐμπίπτουσιν ε Os que desejam enriquecer caem


ἰς πειρασμόν (Tm 6.9) para tentação

Aqui, o particípio Οἱ δὲ βουλόμενοι é o sujeito e o infinitivo πλουτεῖν (do


verbo πλουτέω) é o complemento do particípio.
Vamos realizar algumas atividades para fixar o conteúdo estudado?

ATIVIDADES
01. Indique o tempo e a voz das seguintes formas nominais:
a) δοῦναι:
b) πλουτεῖν:
c) εἶναι:
d) οὖσα:
e) ὄντος:

capítulo 5 • 142
02. Ligue as expressões aos significados mais apropriados.

Expressão Significado

Τὸ ζῆν Para viver


Εἰς τὸ ζῆν Depois de viver
Μετὰ τὸ ζῆν Enquanto viver
ἐν τῷ ζῆν O viver

03. Leia e traduza o seguinte trecho da carta aos Filipenses 1.7.


Καθώς ἐστι δίκαιον ἐμοὶ τοῦτο φρονεῖν ὑπὲρ πάντων ὑμῶν, διὰ τὸ ἔχειν με ἐν τῇ καρδίᾳ ὑμᾶς

VOCABULÁRIO
Καθώς: assim, desse modo
δίκαιος, α, ον: justo
ἐμοὶ: para mim
τοῦτο: isto
φρονέω: penso
ὑπὲρ πάντων: a respeito de todos
ἐχω: tenho, carrego
καρδία, ας: coração
ὑμᾶς: vós, no acusativo, funciona como sujeito do infinitivo

REFLEXÃO
Você encerra agora o estudo do material apresentado neste pequeno livro que não teve
a pretensão de ser mais do que um primeiro convite à leitura do Novo Testamento em sua
língua original: a koiné alexandrina.
Ao longo dos cinco capítulos, você teve a oportunidade de estudar os detalhes da mor-
fologia nominal e verbal dessa língua que expressa pensamento fascinante. Além de ter
estudado, igualmente, a sintaxe mais comumente empregada na expressão dos primeiros
textos do cristianismo.
A partir de agora, você decidirá se aprofundar nesse estudo ou não. Entretanto, não
perca de vista que, para uma exegese mais aprofundada dos textos do Novo Testamento, o
conhecimento mais amplo da língua sempre será importante.

capítulo 5 • 143
Ou seja, desejo a você um caminho repleto de estudo da língua grega, apoiado pe-
los mais diversos materiais! Aproveite a internet... lá encontramos vários recursos para nos-
sos estudos.
Por fim, parabéns por ter chegado ao fim desse primeiro desafio!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BLASS, F., DEBRUNNER, A. A Greek Grammar of The New Testament (trad. FUNK). Cambridge/
Chicago: CUP e UCP, 1961.
CHATZIARGYROS, Anastasíos. Λεξικό της Καινής Διαθήκης (Léxico do Novo Testamento). Atenas:
Armós, 2012.
Η κοινή Διαθήκη. Atenas: Ellinikí Vivlikí Etería, 2015.
HORTA, Guida Nedda Barata Parreiras. Os gregos e seu idioma. Rio de Janeiro: Editora J. Di
Giorgio, 1978.
MOUNCE, Willian D. Fundamentos do Grego Bíblico. São Paulo: Editora Vida, 2009.
OLIVEIRA, Luciene de Lima. Gramática do Grego Bíblico. Rio de Janeiro: Edição do autor, 2008.
REGA, Lourenço Stelio. Noções do Grego Bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1995.
WALLACE, Daniel B. Uma sintaxe exegética do Novo Testamento. São Paulo: Editora Batista
Regular do Brasil, 2009.

GABARITO
Capítulo 1

01.
a) autós i) légō
b) ánthrōpos j) nekrós
c) hyiós k) ouranós
d) hēméra l) irēnē
e) ángelos m) dóxa
f) eimí n) tópos
g) mathētēs o) Galilaía
h) kyrios

capítulo 5 • 144
02.
a) οἱἄγγελοι g) τῳνόμῳ
b) τὰ πλοῖα h) ὁοἴκος
c) τοῦλὀγου i) οἱἀδελφοί
d) τοῦκυρίου j) τοὺς δρόμους
e) τὸν ἵππον k) ὁμακάριος
f) τοῖςδιδἀσκαλοις l) τῶν μισθῶν

03.
a) de Deus (adjunto adnominal)
b) dos irmãos (adjunto adnominal)
c) os animais (sujeito ou objeto direto)
d) os cavalos (objeto direto)
e) aos irmãos (objeto indireto)
f) o apóstolo (sujeito)
g) o mundo (objeto direto)
h) ao olho (objeto indireto)
i) do pão (adjunto adnominal)

04.

σύ ἔσονται (futuro)
ὑμεῖς εἰμί (presente)
αὐτοί ἦν (imperfeito)
ἐγώ ἐστέ (presente)
ἡμεῖς ἦσθα (imperfeito)
αὐτός ἐσμέν (presente)

05.
No princípio era o verbo (...)
E deus era o verbo.
Livro do nascimento de Jesus Cristo filho de Davi, filho de Abraão.
E perto estava a páscoa dos judeus.

capítulo 5 • 145
06.
Deus é bom.
Eu sou o caminho.
No princípio era o verbo.
Eu serei servo do senhor.

Capítulo 2

01.

A B

τὰς ζωαῖς
τῷ Ἰωάννης
ὁ ἀρχῇ
ἡ γραφήν
τῶν υἱού
τῇ ἄρτος
τοῦ ἀγγέλῳ
τὴν ἀδελφή
ὁ μαθητῶν
ταῖς ψυχάς

02.
a) nominativo, singular, feminino (o amor - sujeito)
b) acusativo, singular, masculino (o tempo – objeto direto)
c) genitivo, singular, masculino (do anjo – complemento nominal)
d) acusativo, plural, feminino (as irmãs – objeto direto)
e) dativo, singular, feminino (à paz – objeto indireto)

03.
a) 2ª pessoa do singular do presente ativo do verbo βαίνω – tu vais
b) 3ª pessoa do singular do presente ativo do verbo ἄγω – ele guia/ele conduz
c) 1ª pessoa do plural do futuro ativo do verbo γράφω – ele escreverá
d) 3ª pessoa do plural do presente ativo do verbo βαπτίζω – eles batizam
e) 2ª pessoa do plural do presente ativo do verbo λέγω – vós falais

capítulo 5 • 146
f) 1ª pessoa do singular do presente médio-passivo do verbo πείθω – eu sou persua-
dido/eu persuado em meu interesse
g) 1ª pessoa do plural do futuro médio do verbo γράφω – escrevemos em nos-
so interesse.
h) 2ª pessoa do plural do futuro passivo do verbo παύω – vós sereis parados.

04.
I. Bem-aventurados os puros “no” coração, porque eles verão (em seu interesse) o
deus.
II. Vós sois a luz do mundo.
III. O pai de vós (o vosso pai), o celeste, as alimenta; vós não vos diferenciais mais do
que elas?

Capítulo 3

01.

A B

εγώ εἶ
αὐτός δουλώσουσιν
αὐτοί ἐλύθητε
σύ ἀγγελοῦμαι
ὑμεῖς λύει

02.
a) Disse então para todos (Lc. 9.23)
Note que o verbo λέγω está no imperfeito ativo. Você observará a presença de pre-
posição seguida de acusativo, essa combinação indica a quem se dirigiu o sujeito ao falar
(para todos).
b) E enviou mensageiros antes da figura/presença dele (Lc. 9. 52)
Observe o verbo ἀπέστειλεν, ele é o aoristo ativo do verbo ἀποστέλλω. A diferença desse
verbo para o verbo στέλλω está na presença da preposição ἀπό, a qual oferece a nuance ao
verbo de enviar a partir de, uma vez que é uma preposição que se combina ao caso genitivo,
que indica origem. Note outra tradução para a palavra ἄγγελος (mensageiro). Ou seja, o “anjo
do senhor” é, literalmente, “o mensageiro do senhor”.

capítulo 5 • 147
c) Como também Elias fez? (Lc. 9.54)
Nessa frase, você encontra um aoristo ativo de um verbo vocálico contrato.
d) Em aqueles dias, estava próximo João o batista, pregando no deserto da Judeia.
Aqui, temos o pronome demonstrativo ἐκείναις que está combinado à palavra dia e à pre-
posição em, formando um adjunto adverbial de tempo. Note a presença da forma κηρύσσων,
um particípio presente ativo do verbo κηρύσσω (proclamo/ sirvo como arauto/prego/anun-
cia). As formas de particípio são de grande importância e você as estudará no capítulo 5.

Capítulo 4

01.

a – preposições b – casos

ἐν Genitivo
πρός Acusativo
εἰς Dativo

•  ἐν se combina ao dativo e indica o lugar onde, sem movimento. Algumas vezes pode ter
valor temporal.
•  προς é a preposição que se combina a três casos: acusativo, genitivo e dativo. Com acusa-
tivo significa para, em direção de; com acusativo, para; com dativo, junto de perto de, próximo
de.
•  εἰς se combina ao acusativo e indica a direção para, a proximidade.

02.
a) τοῦ βασιλέως
b) τοῖςπατράσι
c) αἱ σάρκες
d) τὴνἐλπίδα
e) τὰ πνεύματα

03.
a) Ὁ πάτερ ἡμῶν
b) Ἡ ἐλπίς καλή ἐστιν
c) ΤὸτοῦΘεοῦπνεῦμα

capítulo 5 • 148
Saber pensar em grego ajuda muito em nossa leitura dos textos neotestamentários. Note
que a primeira expressão que você traduziu do português para o grego está presente na
oração ensinada por Jesus a seus discípulos.

Capítulo 5

01.
a) infinitivo aoristo ativo do verbo δίδωμι
b) infinitivo presente ativo do verbo πλουτέω (enriquecer)
c) infinitivo presente do verbo εἰμί
d) particípio presente nominativo feminino singular do verbo εἰμί
e) particípio presente genitivo masculino/neutro singular do verbo εἰμί

02.

Expressão Significado

Τὸ ζῆν Para viver


Εἰς τὸ ζῆν Depois de viver
Μετὰ τὸ ζῆν Enquanto viver
ἐν τῷ ζῆν O viver

03. Assim, é justo para mim isto pensar a respeito de vós, porque vós me tendes (ter)
no coração

capítulo 5 • 149
ANOTAÇÕES

capítulo 5 • 150
ANOTAÇÕES

capítulo 5 • 151
ANOTAÇÕES

capítulo 5 • 152