Sei sulla pagina 1di 15

01-01-2018 Português

9º ANO
Processos Fonológicos das Palavras

1. Associa a palavra da coluna A e o processo fonológico indicado na coluna B.


A B
a) forma>forminha 1) Assimilação
b) giolhos>joelhos 2) Crase
c) legere>leer>ler 3) Ditongação
d) manus>mãos 4) Nasalização
e) lege>lee>lei 5) Redução vocálica
f) persona>pessoa 6) Metátese

Página 01
Frase complexa - Coordenação Ficha n.º 1

Coordenação - as orações coordenadas juntam-se, mas não dependem umas das


outras; podem existir isoladas, como frases simples.

Orações coordenadas Exemplos


Assindéticas – a articulação é assegurada por vírgulas Fui ao cinema, vi um filme, regressei a
casa.
Copulativa – estabelece e, nem Vi um filme e comi pipocas. (1)
Sindéticas – a uma relação de adição com não só… mas
articulação é a oração a que se junta. também
assegurada por
conectores
Adversativa – estabelece mas Vi o filme até ao fim, mas não gostei.
uma relação de contraste (1)
ou oposição.

Disjuntiva – exprime ou … ou Ou ia ao cinema ou ficava em casa


alternativa ou alternância. ora… ora sozinha.

Conclusiva – apresenta logo Estava aborrecida, logo fui ao cinema.


uma conclusão. (1)
Explicativa – exprime uma pois, que, Despe o casaco, pois está calor. (1)
justificação para o que se porquanto
diz na oração com que se
coordena.

(1) Fixa: A conjunção coordenativa nunca é colocada no início da frase.

1. Classifica as orações presentes nas frases.

1.1. Não só o João foi ao futebol como viu o jogo todo, mas não ficou satisfeito.

1.2. A Ana foi aos saldos, fez muitas compras, mas não gastou muito dinheiro.

1.3. Os jogadores esforçaram-se muito, logo ganharam o jogo.

1.4. Calem-se todos, que não consigo ouvir a música.

1.5. Ouviu-se um grande estrondo, mas não ocorreu qualquer dano.

Página 02
1.6. Não fales agora, pois estás a comer.

PREDICADO - Função sintática desempenhada pelo GV.

verbo. Chove.
verbo e A Ana emprestou-me o lápis. Ela é
Pode ser constituído complementos ou simpática.
por predicativos.
verbo e O meu vizinho casou ontem.
modificadores.
verbo, A criança comeu a sopa na cozinha.
complementos e
modificadores.
1.7. O João entrou no edifício, cumprimentou o porteiro e dirigiu-se ao elevador.

1.8. Ora chove torrencialmente, ora regressa o sol.

FUNÇÕES SINTÁTICAS – PREDICADO FICHA N.º 2

TESTES PARA IDENTIFICAÇÃO DO PREDICADO

Para identificares o predicado duma frase, podes fazer as perguntas:


(1) O que fez o sujeito?
A criança brincou alegremente.
O que fez a criança? Brincou alegremente.

(2) O que aconteceu ao sujeito?


O Luís ontem estava doente.
O que aconteceu ao Luís? Estava doente ontem.

Como podes observar, a resposta às perguntas formuladas constitui o


predicado de cada frase.

Página 03
1. Observa as frases.

a) No poema Quasi, o sujeito poético exprime a sua angústia.


b) Ao sujeito lírico, resta o desencanto.
c) Mário de Sá-Carneiro é um poeta modernista.
d) Este poeta conheceu Fernando Pessoa.
e) A vida do poeta foi breve.
f) Mário de Sá-Carneiro viveu em Paris.
g) A morte do escritor foi prematura.
h) Muitos gostam da poesia deste escritor.

1.1. Identifica, nas frases, os segmentos que desempenham a função sintática de


predicado.
1.2. Explicita a constituição de cada predicado.

Página 04
FUNÇÕES SINTÁTICAS - SUJEITO E VOCATIVO
FICHA N.º 3
1.

SUJEITO - Função sintática desempenhada por um GN. Controla a


concordância verbal.

Sujeito simples É constituído por O António trabalha pouco.


um único GN.
Sujeito composto É constituído por O João e o Miguel são bons
dois ou mais GN leitores.
ligados através de
coordenação.
Sujeito subentendido Não está expresso [ -] Viste o filme? (Tu viste o
nulo na frase, mas pode filme?)
ser recuperado [ - ] Vamos todos à praia.(Nós
através da flexão vamos todos à praia.)
verbal ou do
contexto.
indeterminado Não está expresso [ - ] Dizem que os feriados vão
na frase e refere-se acabar.
a uma entidade [ - ] Diz-se que os feriados vão
não específica. É acabar.
parafraseável por (Alguém diz que os feriados vão
“alguém”. acabar.)

Página 05
TESTE PARA IDENTIFICAÇÃO DO SUJEITO

Substituição por um pronome pessoal (forma nominativa).


O meu aluno ganhou o concurso de leitura. = Ele ganhou o concurso de leitura.

2.
VOCATIVO Função sintática desempenhada Ana, empresta-me o
por um constituinte que não casaco. (sujeito nulo
controla a concordância verbal. subentendido - tu)
É utilizado para chamar ou
interpelar o interlocutor. Tu, André, já leste o
Ocorre com frequência em frases livro? (sujeito simples –
imperativas, interrogativas e tu)
exclamativas.
Ocorre com o sujeito e é
delimitado por vírgulas.

1. Observa as frases.

a) O João e o primo leram o Auto da Barca do Inferno.


b) Fizemos uma leitura dramatizada do auto.
c) O Frade era cortesão e praticava esgrima.
d) Ele pensava que ia para o paraíso.
e) Frade, vais para o inferno.
f) Vou ver a representação do auto.
g) Os meus alunos e os colegas querem representar o texto.
h) Dança menos, padre mundanal, e arrepende-te dos teus pecados.
i) Pensa-se pouco na vida para além da morte.
j) Ó Diabo, não me levas para o inferno.
k) Atualmente, não se aprecia teatro.

Página 06
1.1. Identifica e classifica o sujeito de cada uma das frases.

MODIFICADOR DE FRASE – Função sintática desempenhada por um constituinte


que traduz uma avaliação do locutor.

GAdv Felizmente, chegou o calor.


Pode ser constituído GPrep Com certeza, os alunos obterão bons
por: resultados na prova final.
1.2. Nas frases em que for possível, substitui o sujeito por um pronome adequado.
1.3. Identifica o vocativo nas frases em que ocorre.

2. Identifica a função sintática desempenhada pelos segmentos sublinhados nas


frases.
a) Entrai, padre reverendo!
b) Haveis, padre, de vir.
c) Por minha la tenho eu.
d) Dê Vossa Reverência lição d’esgrima.
e) Não vai em tal caravela minha senhora Florença.
f) Gentil padre mundanal, a Berzabu vos encomendo.

FUNÇÕES SINTÁTICAS - MODIFICADOR DE FRASE

FICHA N.º 4

TESTES PARA IDENTIFICAÇÃO DO MODIFICADOR DE FRASE

(1) Se experimentares suprimir o modificador de frase, verificarás que a frase


mantém a sua gramaticalidade.
Felizmente, chegou o calor.
Teste - Chegou o calor. (frase gramatical)

(2) Podes, ainda, aplicar o esquema – Foi/É + GAdv + que + frase


Felizmente, chegou o calor.

Página 07
Teste - Foi felizmente que chegou o calor. (frase agramatical)
Verificas que como este modificador não é selecionado pelo verbo, se o
incluíres no GV obténs uma frase agramatical.

2. Observa as frases.

i) Vasco da Gama e os marinheiros, certamente, ficaram felizes por


chegarem à Índia.
j) Lamentavelmente, nem todos reconheceram o seu esforço.
k) Curiosamente, os nautas foram tratados com muito respeito pelas ninfas.
l) Naturalmente, a viagem de regresso decorreu sem problemas.
m) O capitão foi, indiscutivelmente, recebido como um herói.
n) Vasco da Gama é, evidentemente, um navegador reputado.
o) Os navegadores são, com certeza, reconhecidos como modelos a seguir.

2.1. Identifica, nas frases, os segmentos que desempenham a função sintática de


predicado.
2.2. Indica os constituintes que desempenham a função sintática de modificador
de frase.
2.3. Para confirmares a resposta anterior, aplica um dos testes de identificação
desta função sintática.

Página 08
Funções sintáticas – Modificador do nome Ficha n.º 5

Modificador do nome
Modificador do Restringe (torna GAdj O tio do principezinho era
nome restritivo mais específica) a um homem bravio.
referência do nome
que modifica. GPrep A aia era mãe dum
escravozinho de cabelo
negro.

Oração subordinada Era uma vez um rei que


adjetiva relativa restritiva partira a batalhar por terras
distantes.

Modificador do Não restringe a GN A aia, mulher do povo, era


nome apositivo referência do nome fiel ao seu amo.
que modifica. É
delimitado por Oração subordinada A aia, que era fiel aos seus
vírgulas e introduz adjetiva relativa explicativa amos, protegeu o
uma informação principezinho.
acessória (pode ser
suprimido).

1. Lê as frases.

a) A aia, que era dedicada ao rei, salvou o príncipe.


b) A rainha chorou o marido, que amava profundamente.
c) O tio bastardo queria ser rei.
d) O rei partira para uma batalha que foi fatal.
e) O escravozinho, cujo cabelo era negro, dormia junto do príncipe.
f) O bebé moreno era filho da aia, o louro, da rainha.
g) O tio cruel abafou a criança.
h) A rainha deu um grito terrível.
i) A serva nem olhou para o tesouro, que brilhava intensamente.
j) A aia aceitou o punhal que a rainha lhe ofereceu.
k) O tio e os seus homens viviam como animais selvagens.
l) A rainha, que era frágil, não conseguiu proteger o filho.

1.1. Identifica a função sintática dos constituintes sublinhados nas frases.

1.2. Classifica as orações introduzidas por pronomes ou por determinantes


relativos.

Página 09
Frase complexa - Subordinação Ficha n.º 6

Subordinação – as orações subordinadas são, geralmente, dependentes de outras,


as orações subordinantes. Podem ainda, em alguns casos, depender de um
elemento subordinante(1).

Orações subordinadas Exemplos (retirados de A palavra


mágica, de Vergílio Ferreira)
Relativas (sem antecedente) Quem iniciou a polémica foi o Ramos
Substantivas da loja.
(desempenham (1)
Completivas - completam a Pregavam-lhe que o Paulino ia logo de
funções sintáticas ideia expressa ou introduzida casa dele derretê-lo em vinho.
geralmente pelo verbo.
desempenhadas por
nomes ou por
pronomes)
(1)
Restritivas – O Carmelo não comprava nada livros ou
Adjetivas Relativas introduzem cadernos ao filho que andava na
(desempenham (com restrições em instrução primária.
funções sintáticas antecede relação ao NB: a oração subordinada clarifica a
geralmente nte) antecedente. qual filho do Carmelo se refere o
desempenhadas por narrador (o que andava na instrução
adjetivos ou primária e não outro).
expressões Explicativas - Como nesse dia, que era domingo,
equivalentes) acrescentam Paulino entrara em casa com a
uma informação bebedeira…
ao antecedente,
mas podem ser NB: a informação de que era domingo é
suprimidas, pelo acessória.
que são
delimitadas por
vírgulas.
Causais – apresentam a Como nesse dia, que era domingo,
causa do facto referido na Paulino entrara em casa com a
oração subordinante. bebedeira do seu descanso, a mulher
Adverbiais praguejou.
(desempenham Temporais - estabelecem Quando a palavra caiu da boca da
funções sintáticas uma referência temporal em mulher, vinha já tinta de carrascão.
geralmente relação à situação
desempenhadas por apresentada na oração
advérbios; podem subordinante.
ser deslocadas para Condicionais - exprimem a Se as pessoas fossem mais instruídas,
o início da frase) condição de que depende o não teriam considerado “inócuo” um
facto expresso na oração insulto.
subordinante.

Página 10
Finais- exprimem a intenção Salvemo-lo, para nos salvarmos.
(finalidade) da realização da
situação descrita na oração
subordinante.
Comparativas - contêm o A mim não me mata você à fome como
segundo termo de uma fez a seu pai.
comparação que se
estabelece em relação à
situação apresentada na
oração subordinante.
Consecutivas - exprimem a Semeava tão facilmente as economias,
consequência do facto que ninguém via naquilo um sintoma
apresentado na oração de pena ou de justiça.
subordinante.
Concessivas - transmitem O filho do Gomes decidiu vingar-se
uma ideia de contraste embora conhecesse o significado de
relativamente ao que é “inócuo”.
apresentado na oração
subordinante.

Página 11
1. Lê as frases.

a) Caso o Silvestre não tivesse ido à loja, nada teria acontecido.


b) Silvestre apenas disse que o trabalho dos agricultores não era bem pago.
c) O Ramos ficou tão exaltado que lhe chamou inócuo.
d) O Silvestre, que era boa pessoa, ficou admirado.
e) Quando as pessoas ouviram aquela palavra desconhecida, pensaram que
era um insulto.
f) Embora a palavra fosse desconhecida, as pessoas formularam juízos
negativos.
g) Todos atribuíam sentidos errados à palavra, porque não a conheciam.
h) O Silvestre devolveu o insulto ao Ramos, para que não o julgassem parvo.
i) Quem teve a atitude mais inteligente foi o rapazinho.
j) “Inócuo” tornou-se tão ofensivo como o calão é grosseiro.
k) O juiz que o Bernardino procurou esclareceu-o sobre o significado da
palavra.
l) O filho do Gomes, que andava no colégio, procurou a palavra no
dicionário.
m) A mãe do rapaz pediu-lhe que ignorasse a palavra.
n) Mal o rapazito compreendeu o significado de “inócuo”, foi contar a toda
a gente.
o) A palavra continuou a ser mal utilizada ainda que já se conhecesse o seu
significado.
p) Bernardino procurou o juiz a fim de que encontrassem um castigo para o
agressor.

1.1. Classifica as orações sublinhadas nas frases.

2. Transforma cada par de frases simples em frases complexas que expressem o


valor indicado. Faz as alterações necessárias.

a) A confusão instalou-se no povoado.


O Ramos chamou inócuo ao Silvestre. (CAUSA)

b) Silvestre era um homem pacífico.


Silvestre não gostou de ser insultado. (CONTRASTE)

c) Inócuo era uma palavra estranha.


Todos atribuíam à palavra um sentido negativo. (CONSEQUÊNCIA)

d) As pessoas apresentavam queixas no tribunal.

Página 12
O juiz perguntava o significado atribuído à palavra. (TEMPO)

e) O Ramos não tinha ouvido a palavra.


A confusão não se tinha desencadeado. (CONDIÇÃO)

f) Silvestre chamou “inoque” ao Ramos.


Ramos não sairia vencedor da discussão. (FIM)

Funções sintáticas Ficha n.º 7

Funções sintáticas internas ao GV


direto – é selecionado por um verbo O João leu o livro.
Complemento transitivo direto (ou transitivo direto e O João leu-o.
indireto). Em geral, é colocado depois do
verbo.
Pode ter a forma de GN e pode ser
substituído por um pronome pessoal
acusativo (o, a, os, as).
indireto – é selecionado por um verbo O João telefonou ao primo.
transitivo indireto (ou transitivo direto e O João telefonou-lhe.
indireto). Tem a forma de GPrep e pode A Ana ofereceu um livro à irmã.
ser substituído por um pronome pessoal A Ana ofereceu-lhe um livro.
dativo (lhe, lhes).
oblíquo - é selecionado por um verbo O João vive no Porto.
transitivo indireto (ou transitivo direto e *O João vive-lhe.
indireto). Pode ter a forma de GPrep, não Hoje, os meninos portaram-se
substituível por um pronome pessoal bem.
dativo (lhe, lhes), ou de GAdv.
agente da passiva – função sintática O banco foi assaltado por alguém
desempenhada por um GPrep presente conhecido. (frase passiva)
numa frase passiva e que corresponde ao Alguém conhecido assaltou o
sujeito na frase ativa. banco. (frase ativa)
Predicativo do é selecionado por um verbo copulativo. O João é mecânico de
sujeito Geralmente, ocorre em posição pós- automóveis.
verbal. Pode ter a forma de GN, GAdj, Os alunos continuam distraídos.
GPrep, GAdv. O António está em casa.
A fotografia ficou bem.
Modificador não é selecionado pelo verbo, logo pode Ontem, o António foi ao cinema.
ser deslocado ou suprimido. O João viu a Ana na biblioteca.
Quando o António saiu, o
telefone tocou.

Página 13
2. Lê as frases.
m) O João colocou a jarra na prateleira com cuidado.
n) Quando chove, as pessoas permanecem em casa.
o) O João leu o romance com agrado.
p) O António encontrou a Ana no café.
q) A notícia foi redigida rapidamente pelo jornalista.
r) Mal tocou, os alunos guardaram os livros nas mochilas.
s) O João pediu à Ana que o acompanhasse a casa.
t) A Ana continua doente.
u) O João deslocou-se a Paris em serviço.
v) O tesouro permanece escondido na mata.
w) À noite, o João lê o romance à namorada.
x) Naturalmente, o João lerá o livro à irmã.
y) A Ana assiste à aula com atenção.
z) O João foi ao futebol, no domingo à tarde.
aa) A extensão do texto, certamente, limita a sua compreensão.
bb) O João leu o texto com expressividade.
cc) O João e a Ana assistiram a essa peça de teatro.
dd) Os textos do jornal foram escritos pelos alunos.
ee) Efetivamente, hoje está frio.
ff) Jogar xadrez desenvolve o raciocínio.
gg) Quem tudo quer tudo perde.
hh) Os ladrões entraram silenciosamente na casa do meu vizinho.
ii) Desaparecido para sempre foi escrito por Harlan Coben.
jj) O recluso saiu da prisão assim que cumpriu a pena.
kk) O funcionário do banco foi ferido pelos assaltantes.
ll) A solução encontrada para resolver o problema revelou-se eficaz.

2.1. Identifica a função sintática dos constituintes sublinhados nas frases.

Página 14