Sei sulla pagina 1di 15
Avaliação Educacional PROVEI 2009 Aplicação: dezembro de 2009 Eletricista de Manutenção
Avaliação Educacional PROVEI 2009
Aplicação: dezembro de 2009
Eletricista de
Manutenção

Instruções

1 | Este caderno contém a prova objetiva de Conhecimentos Específi- cos. Ao recebê-lo, confira se ele contém trinta questões corretamen- te ordenadas de 1 a 30 e com quatro alternativas cada.

2 | Caso o caderno esteja incompleto ou tenha qualquer defeito, solicite ao Aplicador que tome as providências cabíveis.

3 | Não utilize material de consulta.

4 | Durante a prova, não se comunique com outros alunos nem se le- vante sem a autorização do Aplicador.

5 | A duração da prova é de quatro horas, já incluído o tempo destina- do ao preenchimento da folha de resposta.

6 | Os alunos dos Cursos Técnicos e Superior de Tecnologia poderão sair após 1 hora do início da prova. Os alunos dos Cursos de Aprendi- zagem Industrial deverão permanecer na sala até que os alunos que farão as provas no período da tarde estejam devidamente acomoda- dos nas respectivas salas.

7 | Os alunos não poderão levar o caderno de prova após a saída da sala. No entanto, os cadernos ficarão sob a responsabilidade da se- cretária da escola e serão liberados para os alunos a partir do dia 14/12. Caso deseje reaver seu caderno de provas, anote seu nome e turma no mesmo, para facilitar a entrega posterior.

NOME

Caso deseje reaver seu caderno de provas , anote seu nome e turma no mesmo, para

TURMA

Caso deseje reaver seu caderno de provas , anote seu nome e turma no mesmo, para

Agenda - datas prováveis

14/12/2009

Divulgação do gabarito da prova na internet, a partir das 10h, no site www.cespe.unb.br.

- datas prováveis 14/12/2009 Divulgação do gabarito da prova na internet, a partir das 10h, no
- datas prováveis 14/12/2009 Divulgação do gabarito da prova na internet, a partir das 10h, no

Nas atividades de manutenção, o eletricista faz reparos e instalação em circuitos de iluminação. Na figura, tem-se um trecho, em planta baixa, de um circuito monofásico.

 

Os circuitos devem ser separados por sua funcionalida- de e sua facilidade para manutenção. Cada circuito tem sua própria proteção.

  CAVALIN, G. Instalações elétricas prediais . São Paulo: Erica.
 

CAVALIN, G. Instalações elétricas prediais. São Paulo: Erica.

03

Quanto aos condutores e à divisão de circuitos, é cor- reto afirmar que

(A)

para um consumidor monofásico, o neutro deve

ser

um único condutor comum a todos os circuitos.

(B)

o condutor de proteção (terra) não pode ser co-

locado em um mesmo eletroduto junto com condutor fase.

 

CAVALIN, G. Instalações elétricas prediais. São Paulo: Erica. 2. NBR 5444.

(C)

o disjuntor do circuito do chuveiro elétrico deve ser

 

o mesmo para o circuito da iluminação do banheiro.

(D)

o condutor neutro e o terra podem ter a seção em

01

Analisando a figura, é correto afirmar que

 

mm

2 (bitola) diferentes da seção do condutor fase.

 

(A)

o circuito alimenta 2 lâmpadas incandescentes.

Os resistores formam malhas e drenam correntes elétri- cas em função de seus valores individuais e das configura- ções série, paralela ou série-paralela. No desenho abaixo, três resistores formam um circuito série-paralela.

(B)

as lâmpadas são comandadas por interruptores

de 2 seções.

 

(C)

a luminária recebe um condutor terra de prote-

ção.

ção.

(D)

cada interruptor recebe uma fase diretamente do

quadro QL.

 

Todo projeto especifica adequadamente as seções dos condutores para garantir a segurança e funcionalidade dos circuitos. Há seções mínimas prescritas na NBR 5410 para fase, neutro e terra de proteção.

 

CAVALIN, G. Instalações elétricas prediais. São Paulo: Erica.

02

Com base na NBR 5410, as seções mínimas para circui- tos de tomada de uso geral (TUG) e circuito de ilumina- ção, respectivamente, são

 
 

BOYLESTAD. Introdução a análise de circuitos.

 

(A)

1,0 e 1,0 mm 2 .

(B)

1,5 e 1,0 mm 2 .

04

Considerando que os componentes 1, 2 e 3 possuem os valores 5, 10 e 15 ohms, respectivamente, a resistência equivalente vista dos terminais tracejados é igual a

(C)

2,5 e 1,5 mm 2 .

(D)

4,0 e 2,5 mm 2 .

 

(A)

5Ω.

(B)

7,5Ω.

(C)

10Ω.

(D)

15Ω.

  (A) 5 Ω . (B) 7,5 Ω . (C) 10 Ω . (D) 15 Ω

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

1
1

Os resistores formam malhas e drenam correntes elétricas em função de seus valores individuais e das configurações série, paralela ou série-paralela. No desenho abaixo, três resistores formam um circuito série-paralela.

abaixo, três resistores formam um circuito série-paralela. GUSSOW. Eletricidade básica 05 Considere que uma

GUSSOW. Eletricidade básica

05 Considere que uma diferença de potencial V foi verificada entre os pontos b e c da figura e que todos os três compo- nentes são resistores de mesmo valor ôhmico. Neste caso, é correto afirmar que

(A)

o componente [1] está com a mesma diferença de potencial do componente [3].

(B)

a corrente no componente [3] é igual à corrente do componente [2].

(C)

a queda de tensão entre a e c (Vac) é igual à queda de tensão entre a e b (Vab).

(D)

pelas leis de Kirchhoff, a corrente medida no ponto c é diferente da corrente no ponto b.

TEXTO REFERENTE ÀS QUESTÕES 06 E 07

Ao anoitecer, o pátio da empresa fica iluminado com vários postes com lâmpada vapor de mercúrio. Em determinada noite, um dos postes ficou com a lâmpada apagada. Na manutenção, o eletricista, usando uma escada, substituiu a lâm- pada, que continuou apagada. Assim, esse eletricista analisou o relé fotoelétrico e o substituiu, como também substituiu o reator. A lâmpada acendeu normalmente.

CAVALIN, G. Instalações elétricas prediais. São Paulo: Erica.

06 Considerando a situação hipotética, é correto afirmar que

(A)

a lâmpada é comandada manualmente por um eletricista.

(B)

diferentemente da lâmpada incandescente, a lâmpada vapor de mercúrio não possui eletrodos de tungstênio.

(C)

o problema foi apenas a lâmpada queimada.

(D)

o reator proporciona a condição de partida e controla a corrente do circuito da lâmpada.

07 Para trabalhar com segurança, o procedimento recomendado à tarefa do eletricista no serviço de manutenção no poste é

(A)

usar ferramentas nos bolsos do uniforme.

(B)

não amarrar a escada ao poste.

(C)

usar cinto de segurança.

(D)

usar adornos pessoais nos trabalhos com instalações elétricas ou em suas proximidades.

pessoais nos trabalhos com instalações elétricas ou em suas proximidades. PROVEI 2009 ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO 2

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

2
2

As atividades do eletricista exigem cumprimento rigoroso às normas de segurança, ora com procedimentos de proteção coletiva, ora com uso de equipamento individual.

BRASIL. Norma Regulamentadora NR 6, Ministério do Trabalho.

08 A respeito de higiene, segurança do trabalho e atividade do eletricista, é correto afirmar que

(A) o eletricista precisa manobrar a chave seccionadora da subestação com 13800 V e, para isso, deve-se usar aven-

tal de raspa de couro para evitar choque elétrico.

(B)

a botina de couro deve possuir partes metálicas, com ilhós e biqueira de aço para melhor proteção do eletricista.

(C)

o capacete de segurança é equipamento de proteção adequado à tarefa.

(D)

o uso de luva de segurança de borracha com especificação da tensão de isolação é recomendado.

TEXTO REFERENTE ÀS QUESTÕES 09 E 10

Diversos sistemas industriais podem ser combinados com sinais elétricos e pneumáticos para automação de processos. Na tabela e circuitos abaixo, as variáveis de entrada controlam acionamento de um cilindro.

BRUSAMARELLO, Valner. Atuadores e válvulas pneumáticas. Circuitos eletropneumáticos. Disponível em: http://www.ucs.br/ccet/demc/vjbrusam/sistaut/atuadores.pdf. Acesso em: 12 out. 2009.

VARIÁVEIS DO ENTRADA

NOTAÇÃO

Acionamento manual Acionamento por pedal Detector de peças

E1

E2

E3

Variações de saída

 

Cilindro de alimentação alarme

S1

S2

Figura 1

Cilindro de alimentação alarme S1 S2 Figura 1 Figura 2 Figura 3 (Fonte: Disponível em:

Figura 2

Figura 3

(Fonte: Disponível em: <http://www.ucs.br/ccet/demc/vjbrusam/sistaut/atuadores.pdf> , com adaptações)

09 Analisando as figuras 1 e 2, é correto afirmar que para

(A)

o detector de peças atuar, fecha-se o contato E3 e o componente S2 é ativado.

(B)

ativação do K12, é necessário que E1 ou E2 seja acionado.

(C)

o dispositivo Y1 ser ativado, o componente K3 ou K12 precisa estar energizado.

(D)

o S2 funcionar, o K12 tem de estar desenergizado.

10 A respeito da função e operação dos componentes, é correto afirmar que

(A)

S1 é um cilindro com retorno por mola.

(B)

Y1 possui 1 posição distinta.

(C)

S1 atua com sinal elétrico enviado por Y1.

(D)

Y1 é uma válvula bidirecional.

com sinal elétrico enviado por Y1. (D) Y1 é uma válvula bidirecional. PROVEI 2009 ELETRICISTA DE

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

3
3

As redes trifásicas de baixa tensão são padronizadas em 220V, 380V e 440V. Para esses níveis de tensão, os fabricantes disponibili- zam motores com 12 terminais para atender os clientes. A interligação adequada dos terminais possibilita ligação do motor a qualquer des- sas redes. Os motores com 12 terminais, representados na figura, per- mitem ainda ligação na configuração para 760 volts, apenas durante sistema de partida estrela-triângulo.

FILIPO FILHO,Guilherme. Motor de indução. São Paulo: Erica.

FILHO, Guilherme. Motor de indução. São Paulo: Erica. 11 Considerando que o eletricista deverá ligar

11 Considerando que o eletricista deverá ligar corretamente o motor, a opção correspondente à ligação do equipamento para uma rede trifásica de 380V é

(A)

do equipamento para uma rede trifásica de 380V é (A) (B) (C) (D) TEXTO REFERENTE ÀS

(B)

do equipamento para uma rede trifásica de 380V é (A) (B) (C) (D) TEXTO REFERENTE ÀS

(C)

equipamento para uma rede trifásica de 380V é (A) (B) (C) (D) TEXTO REFERENTE ÀS QUESTÕES

(D)

para uma rede trifásica de 380V é (A) (B) (C) (D) TEXTO REFERENTE ÀS QUESTÕES 12

TEXTO REFERENTE ÀS QUESTÕES 12 E 13

As figuras abaixo representam esquemas de partida de motor trifásico estrela-triângulo para evitar sobrecarga na rede elétrica. Dispositivos e intertravamentos elétricos são indispensáveis nos circuitos para garantia da segurança e bom ope- ração do motor.

NISKIER. Instalações elétricas. Rio de Janeiro: LTC.

NISKIER. Instalações elétricas . Rio de Janeiro: LTC. Figura 1 Figura 2 (Fonte: Disponível em:

Figura 1

Figura 2

(Fonte: Disponível em: http://br.geocities.com/transistor548/estrela.htm. Acesso em: 05 out. 2009.)

12 Com base nos diagramas elétricos acima, é correto afirmar que

(A)

na figura 1, o componente entre os números 95 e 96 protege o motor contra sobretensão na rede elétrica.

(B)

o K2, visto na figura 2, provoca um curto-circuito nos terminais do motor.

(C)

D1, na figura 1, é responsável pelo retardamento da entrada do contator K1.

(D)

na figura 2, os componentes F2, F3 e F4 protegem o motor contra falta de fase

na figura 2, os componentes F2, F3 e F4 protegem o motor contra falta de fase

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

4
4

13 A partir do acionamento da botoeira B0, visto na figura 1 da página anterior, o último componente a ser energizado é

15 Relacionando a grandeza a medir e o aparelho corres- pondente da figura, é correto afirmar que para

(A)

medir a corrente no quadro da oficina de manu-

(A)

K1.

 

tenção da fábrica, utiliza-se o aparelho [5].

(B)

K2.

(B)

o acompanhamento da potência instantânea no

(C)

K3.

galpão industrial, é feita a leitura no aparelho [3].

(D)

D1.

(C)

a leitura da frequência da rede da subestação, o

 

eletricista deve observar o aparelho [2].

 

O tipo de partida dos motores, direta, estrela-triângulo ou chave compensadora, tem a finalidade de não sobrecar-

(D)

verificar o nível de tensão em cada fase do painel,

o eletricista deve fazer a leitura do aparelho [1].

regar a rede elétrica de alimentação e evitar danos ao motor quando, já no arranque, está acoplada a cargas.

Considere o circuito abaixo formado por indutores.

 

FILIPO FILHO, Guilherme. Motor de indução. São Paulo: Erica.

 

GUSSOW. Eletricidade básica.

14 Considere que um motor de indução trifásico tem cor- rente de partida máxima de 45 A. O mesmo motor com partida com chave estrela-triângulo terá uma corrente de partida de aproximadamente

máxima de 45 A. O mesmo motor com partida com chave estrela-triângulo terá uma corrente de

(A)

5A.

 

(B)

15A.

(C)

30A.

 

(D)

45A.

Em manutenção e acompanhamento de processos, é fundamental o uso de aparelhos de medição. A identifica- ção dos equipamentos e adequação da escala da grandeza a medir é igualmente importante. As figuras abaixo mos- tram diversos aparelhos utilizados pelos eletricistas nas in- dústrias.

16 Para L 1 =2 Henrys(H), L 2 =L 3 =8 H, o valor equivalente da associação é igual a

(A)

18H.

(B)

16H.

(C)

10H.

(D) 6H.

(D)

6H.

Considere o circuito abaixo constituído por capacitores.

 

GUSSOW. Eletricidade básica.

GUSSOW. Eletricidade básica.
 

[

1

]

[ 2]

[ 3 ]

  17 Para C 1 =6 Farads(F), C 2 =C 3 =3F, o valor equivalente
 

17 Para C 1 =6 Farads(F), C 2 =C 3 =3F, o valor equivalente da associação é igual a

(A)

3F.

 

(B)

6F.

 

[ 4 ]

[ 5 ]

(C)

9F.

 

(D)

12F.

Disponível em: <http://www.renzbr.com/catalogo/catalogo.pdf>. Acesso em: 13 out. 2009

 
Acesso em: 13 out. 2009   PROVEI 2009 ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO 5

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

5
5

As leis de Kirchhoff para circuitos elétricos são baseadas no princípio da conservação da energia. A 1ª lei de Kirchhoff (Lei das Correntes ou Leis dos Nós) estabelece que em um nó, a soma das correntes elétricas que entram é igual à soma das correntes que saem, ou seja, um nó não acumula carga. A 2ª lei de Kirchhoff (Lei das Tensões ou Lei das Malhas) revela que a soma algébrica da ddp (Diferença de Potencial Elétrico) em um percurso fechado é nula. Ou seja, a soma de todas as tensões geradas menos a soma de todas as tensões consumidas em uma malha é igual a zero.

todas as tensões consumidas em uma malha é igual a zero. Disponível em:

Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Leis_de_Kirchhoff>. Acesso em: 19 nov. 2009.

18 Com base no texto, no circuito acima e considerando E 1 = E 2 = 12 Volts. R 1 = R 2 = R 3 = 4 Ohms, é correto afirmar que

(A)

a diferença de potencial em R 1 é igual à soma de E 2 com a diferença de potencial em R 3 .

(B)

a diferença de potencial em R 3 é igual ao somatório de E 1 e E 2 .

(C)

a corrente fornecida ao circuito por E 1 é o dobro da corrente fornecida pela fonte E 2 .

(D)

a corrente em R 2 é soma das correntes supridas pela fonte E 1 e E 2 .

O mundo atual, tecnologicamente avançado, não consegue sobrevivência na automação sem uso difundido da eletrô- nica digital e analógica. Dentro do universo de componentes, citam-se as portas lógicas, o amplificador operacional, e o transistor. Como exemplo, tem-se a figura abaixo com transistores para acionamento de um motor.

figura abaixo com transistores para acionamento de um motor. Disponível em:

Disponível em: <http://circuitos-rosa.blogspot.com/2007/09/controle-para-motores-dc.html>. Acesso em: 19 nov. 2009.

19 Com base na figura, é correto afirmar que

(A)

P1 é um resistor fixo de polarização do transistor.

(B)

os transistores são do tipo PNP.

(C)

os componentes Q1 e Q2 são transistores bipolares.

(D)

o terminal do transistor com a seta é denominado de coletor.

(D) o terminal do transistor com a seta é denominado de coletor. PROVEI 2009 ELETRICISTA DE

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

6
6

Portas lógicas são dispositivos práticos que executam funções booleanas básicas, como as operações fundamentais OU(OR), E (AND), NÃO (NOT) e algumas derivadas. Na atualidade, a sua implementação é quase sempre em circuitos

eletrônicos integrados, mas podem ser componentes discretos, circuitos elétricos com relés, dispositivos óticos, circuitos hidráulicos ou mesmo mecanismos. Considerando circuitos elétricos ou eletrônicos, deve-se notar que os valores lógicos 0

e 1 são representados por tensões ou correntes, normalmente em determinadas faixas. O comportamento das
e 1 são representados por tensões ou correntes, normalmente em determinadas faixas. O comportamento das portas lógi-
cas é conhecido pela tabela verdade que apresenta os estados lógicos das entradas (A, B) e das saídas (S).
A
A
S A
S
S
B
B
B
[
1
]
[ 2 ]
[ 3 ]
A
A
A
S
S
S
B
B
[ 4 ]
[ 5 ]
[ 6 ]

20 Com relação às figuras acima, é correto afirmar que

(A)

a porta [1] tem como expressão de saída S= A . B.

(B)

a tabela que se refere à figura [2] é

A

B

S

0

0

0

0

1

0

1

0

0

1

1

1

(C)

a figura [4] é uma porta AND.

(D)

a expressão de saída da porta da figura [6] é S=A+B.

Disponível em: <http://www.mspc.eng.br/eledig/eldg0310.shtml>.

As figuras abaixo mostram circuitos simples com relés para duas portas lógicas. Deve-se considerar 0V representando

o nível lógico 0 e +V como o nível lógico 1. As bobinas dos relés têm supostamente essa tensão nominal.

BASTOS, Arilson. Instrumentação eletrônica analógica e digital para telecomunicação. Rio de Janeiro.

V A A S B B RL B RL R [ 1 ]
V
A
A
S
B
B
RL
B RL
R
[
1
]

21 Em relação às figuras, é correto afirmar que

V RL RL R [ 2 ]
V
RL
RL
R
[ 2 ]

S

(

Disponível em: <http://www.mspc.eng.br/eledig/eldg0310.shtml>, com adaptações

(A)

a saída S da figura [1] é representada pela função lógica S = A + B.

(B)

a figura [2] representa a porta lógica OU (OR).

(C)

a figura [1] representa a porta lógica NÃO (NOT).

(D)

a saída S da figura [2] é representada pela função lógica S = A.B.

(D) a saída S da figura [2] é representada pela função lógica S = A.B. PROVEI

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

7
7

O amplificador operacional (AmpOp) é um componente eletrônico compacto construído da junção de resistores, capa-

citores e transistores. Este componente era largamente utilizado para computar as operações matemáticas como soma e integrações, por isso recebe o nome de amplificador operacional. Com o avanço tecnológico, o Operacional foi anexado ao nome devido a sua versatilidade em implementações, antes complexas, e nos mais variados projetos. Sua representação gráfica é dada pela figura 1, abaixo. Os seus terminais são: V+: entrada não inversora; V−: entrada inversora; Vout: saída;

Vs+: alimentação positiva; Vs−: alimentação negativa.

BASTOS, Arilson. Instrumentação eletrônica analógica e digital para telecomunicação. Rio de Janeiro.

v

+

v

_

v s+

+ v out _ v s _
+
v out
_
v s
_
Rio de Janeiro. v + v _ v s + + v out _ v s

Figura 1

Figura 2

A

figura 2 representa um amplificador operacional com sinal na entrada inversora (Vinp), e configuração com dois re-

sistores (R 1 e R 2 ).

22 Considerando que todos os componentes usados no circuito da figura 2 são ideais, assinale a opção que apresenta corretamente o ganho G desse circuito.

(A)

G = +

(B)

G = +

(C)

G = -

(D)

G = -

Vinp

Vout

R1

R2

.

Vout

Vinp

R1

R2

.

.

.

C ) G = - ( D ) G = - Vinp Vout R1 R2 .

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

8
8

A energia elétrica passa por diversas etapas até chegar às residências. A figura abaixo ilustra a geração de energia elétrica a partir de sistema hidrelétrico.

[ 1 ] [ 3 ] [ 2 ] [ 4 ] [ 5 ]
[
1
]
[ 3 ]
[ 2 ]
[ 4 ]
[
5 ]
[ 6 ]
[ 7 ]

Disponível em: <http://www.ctu.ufjf.br/~dario/baixar/transformador.pdf>. Acesso em: 19 nov. 2009.

23 Com base no equipamento associado corretamente à função, é correto afirmar que

(A)

o equipamento [5] representa um transformador elevador.

(B)

os equipamentos [4] representam o sistema de distribuição em tensão de consumo doméstico.

(C)

o enrolamento secundário do equipamento [3] está conectado ao primário do equipamento [5].

(D)

os equipamentos [1] e [2] têm o mesmo princípio de funcionamento elétrico.

os equipamentos [1] e [2] têm o mesmo princípio de funcionamento elétrico. PROVEI 2009 ELETRICISTA DE

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

9
9

Osciloscópio é o instrumento que permite verificar a forma de onda de sinais elétricos, como mostrado na figura abai- xo, assim como medir a tensão pico a pico (Vpp) a frequência e a fase destes sinais. O instrumento pode ser usado para verificar as formas de onda em televisores, aparelhos de som, CDs e DVD players, videocassetes etc. É um grande auxiliar na pesquisa de determinados defeitos como em circuitos de croma e vídeo de televisores, calibração de CD player e várias outras.

Disponível em: <http://www.burgoseletronica.net/osciloscopio%5Cosciloscopioindex.htm.>. Acesso em: 19 nov. 2009 (com adaptações).

Acesso em: 19 nov. 2009 (com adaptações). (Fonte: Disponível em:

(Fonte: Disponível em: <http://www.feiradeciencias.com.br>.)

24 Com relação às formas de onda dos quadros A, B, C e D, obtidas com osciloscópio, é correto afirmar que

B, C e D, obtidas com osciloscópio, é correto afirmar que (Fonte: Disponível em:

(Fonte: Disponível em: <http://www.feiradeciencias.com.br>.)

(A)

as ondas dos quadros B e D possuem frequência distinta.

(B)

a figura do quadro C mostra 3 períodos.

(C)

a onda do quadro A é similar à onda obtida em fonte retificadora de onda completa.

(D)

a frequência depende do nível de tensão.

de onda completa. (D) a frequência depende do nível de tensão. PROVEI 2009 ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

10
10

TEXTO REFERENTE ÀS QUESTÕES 25 E 26

Com a intenção de aquecer água, estudantes projetam um sistema com ebulidor doméstico. O circuito eletrônico de comando é mostrado na figura abaixo.

eletrônico de comando é mostrado na figura abaixo. 25 Com relação ao circuito da figura acima,

25 Com relação ao circuito da figura acima, é correto afirmar que

Disponível em: < http://www.em.ufop.br/cecau/Roberto.pdf >. Acesso em: 19 nov. 2009.

(A)

os diodos 1N4007 formam uma ponte retificadora de onda completa.

(B)

o circuito possui 2 LEDs.

(C)

o ebulidor é alimentado com 15 Volts alternados.

(D)

todos os resistores do circuito têm valores fixos.

26 Considerando o transformador da fonte como transformador ideal, a relação de espiras entre enrolamento primário e secundário é, aproximadamente, igual a

(A) 6,5. (B) 8,5. (C) 10,5. (D) 12,5.
(A)
6,5.
(B)
8,5.
(C)
10,5.
(D)
12,5.

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

11
11

TEXTO REFERENTE ÀS QUESTÕES 27 E 28

A seção de limpeza de uma empresa chama um eletricista para realizar a manutenção em uma enceradeira monofásica, pois depois de 3 horas de uso, a máquina parou de funcionar. O operador tomou um choque elétrico e largou o equipa- mento no chão. O eletricista constatou que a tomada de alimentação estava funcionando normalmente com 127V, e que o cabo com 2 condutores (fase e neutro) e o motor estavam sem qualquer indício de queima. A alimentação não chegava ao motor porque um dos condutores estava solto na saída do interruptor de acionamento e, com o movimento, fez contato com o tubo metálico da máquina.

LEITE, Domingos. Projeto de instalações elétricas prediais. São Paulo: Érica.

27 Com base na situação hipotética, é correto afirmar que

(A)

o condutor fase em contato com o tubo metálico motivou o choque elétrico no operador.

(B)

a máquina parou de funcionar porque o disjuntor desarmou.

(C)

o curto-circuito entre os condutores fase e neutro desligou a enceradeira.

(D)

a máquina teve o motor travado por sobrecarga.

28 Considerando que o operador ficou sob uma diferença de potencial de 90 Volts no momento do choque, que o corpo possui uma resistência equivalente a 650 ohms e que o contato da mão com a enceradeira forma 550 ohms de resis- tência e o contato dos pés formam mais 2400 ohms de resistência, o provável sintoma advindo do choque, de acordo com a tabela abaixo, será

INTENSIDADE

EFEITO

CAUSAS

 

1 a 3 mA

Percepção

A passagem provoca formigamento. Não existe perigo.

3 a 10 mA

Eletrização

A passagem da corrente provoca movimentos.

   

A passagem da corrente provoca

 

10

mA

Tetanização

contrações musculares, agarra- mento, repulsão.

 

25

mA

Parada respiratória

A

corrente atravessa o cérebro.

25

a 30 mA

Asfixia

A corrente atravessa o tórax.

60

a 75 mA

Fibrilação Ventricular

A

corrente atravessa o coração.

(Fonte: Recomendação técnica de procedimentos: instalações elétricas temporárias em canteiros de obras. Fundacentro, 2007, p.14)

(A)

tetanização.

(B)

parada respiratória.

(C)

fibrilação ventricular.

(D)

eletrização.

respiratória. (C) fibrilação ventricular. (D) eletrização. PROVEI 2009 ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO 12

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

12
12

A informática, presente em quase todas as nossas atividades, exige cada vez mais atualização de hardware e de sof-

tware para um melhor desempenho dos equipamentos de qualidade dos serviços.

29 Com relação a hardware e software, é correto afirmar que

Disponível em: < http://www.edinfo.com.br/curso/curso.html>. Acesso em: 19 nov. 2009.

(A) a porta serial é um dispositivo de comunicação em que cada grupo de oito bits é transmitido de forma simultânea

a outro dispositivo com o mesmo tipo de porta.

(B) ao usar a tecnologia plug-and-play, ao se conectar uma câmera para visualização de fotos, o computador reco-

nhece o novo equipamento, pois o sistema operacional configura automaticamente o novo periférico.

(C)

as memórias RAM e ROM exercem a mesma função e uma pode suprir a ausência temporária da outra.

(D)

uma placa de rede ou adaptador de rede é um dispositivo de hardware responsável pela comunicação entre o

computador e seus periféricos, como teclado e mouse.

A escolha do motor para as aplicações adequadas requer definição de dados e características para aquisição. Dentre

os dados de placa, a tensão de alimentação, o regime de trabalho, o sistema de proteção contra intempérie e a velocidade mecânica, em rpm, devem ser bem escolhidos.

CREDER, Helio. Instalações elétricas. RJ: LTC.

30 Com relação à velocidade mecânica, em rpm e o número de pólos de um motor de indução, alimentado em rede de 60Hz, assinale a opção correta que indica o n.º de pólos, para o qual o motor apresenta menor velocidade mecânica.

(A)

2

(B)

4

(C)

6

(D)

8

menor velocidade mecânica. (A) 2 (B) 4 (C) 6 (D) 8 PROVEI 2009 ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

PROVEI 2009

ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

13
13