Sei sulla pagina 1di 4

Fichamento

Na dúvida, Ultrapasse - Orientação Vocacional


Beatriz Monteiro da Cunha
Mariana M. Xavier – Álvaro Vidigal

Este livro é base fundamental para a aplicação prática de testes vocacionais e


já foi disponibilizado para todos em mídia digital.
Trata-se de um livro interativo e busca captar o indivíduo em movimento e
transformação. O leitor deve ir preenchendo os espaços reservados, para ir
construindo a sua predisposição vocacional.
Na introdução questiona o que uma pessoa com vida média estimada de 70
anos, pretende realizar, possuir e fazer.
É necessário o autoconhecimento e conhecer o campo de trabalho.
Os arquétipos profissionais são definidos como categorias em relação a traços
de personalidade, interesses, valores e aptidões que formam um tipo ideal,
definidos como:

 O mestre

 O curador

 O organizador

 O direcionador de idéias

 O pesquisador da vida

 O realizador

 O manipulador de números

 O pesquisador da terra

 O buscador

 O comunicador

 Artista: o realizador do belo

 O guardião da ordem

 O empreendedor

 O pensador

 O atleta
O leitor, após ler as descrições e profissões relacionadas a cada um destes
arquétipos, deve atribuir nota de zero (não tem nada a ver) a três (tem tudo a
ver) e depois listar os que atribuiu nota 3.
Como somos multifacetados, é possível haverem arquétipos bem distintos.
Depois os arquétipos profissionais são relacionados a classificação tradicional
das profissões em Humanas, Exatas e Biomédicas.
Então é proposto o planejamento de uma sociedade:
1. espaço,
2. planejamento da ocupação do espaço,
3. funcionamento da sociedade
4. e pesquisa e análise crítica do funcionamento da sociedade.
Após rever tudo o que uma sociedade deve ter, para se constituir como tal, são
propostas as profissões necessárias para os 4 itens acima, para os setores:
industrial, rural e comercial / serviços, bem como nos aspectos de educação,
saúde, cultura e lazer e religião.
Neste ponto cabe nova reflexão sobre a integração dos arquétipos
profissionais, onde, por exemplo, uma pessoa pode gostar de artes plásticas e
também de marketing, que não são mutuamente exclusivos.
Cabe ainda discutir os aspectos ligados ao dinheiro, status, fama e poder, no
sentido das reais aspirações individuais e de seus desejos.
Após esta reflexão composta de várias características: personalidade, aptidões,
interesses e valores, segue um espaço de melhor autoconhecimento da própria
personalidade, incluindo:
A. Extroversão x Introversão, na relação Eu x Mundo, há duas
possibilidades: dar mais valor ao mundo ou a si próprio
B. Pensamento x Sentimento, na forma de conhecer o mundo.
C. Sensação x Intuição, na forma de perceber o mundo.
D. Razão x Percepção, nos critérios para escolhas de vida.
Nestas quatro comparações, cada pessoa pode ter preferências distintas,
tendendo mais para uma do que para a outra, ou em posições mais
equilibradas em alguns destes itens.
Após avaliação das respostas, o leitor deve pontuar de zero a três, na mesma
escala anterior, 31 áreas de interesses, que vão desde as ciências físicas, até
os trabalhos manuais.
Agora, o leitor deve pensar no dia-a-dia das profissões:

 lidar com pessoas ou coisas ou ambos,


 ar livre ou ambiente fechado,

 rotineiro ou diversificado.
Chegou a hora de avaliar as capacidades em auto-avaliação:
1. Linguística ou de compreensão verbal.
2. Lógico – Matemática ou numérica.
3. Corporal ou cinestésica.
4. Visual ou espacial.
5. Musical.
6. Intrapessoal (autoconhecimento).
7. Extrapessoal (se relacionar e aceitar bem aos outros).
8. Pictográfica ou do desenho.
A partir da autoobservação e consulta a outras pessoas, o leitor as classifica
considerando o seu jeito para cada uma delas, em: 0 = pouco, 1 = mais ou
menos e 2 = bastante.
De acordo com a área que mais utilizam no hemisfério cerebral esquerdo, as
pessoas são mais:

 Racionais ou analítico-factuais.

 Salvaguardor ou preventivo- organizacional.

 Cinestésico ou emotivo-relacional.

 Experimental ou intuitivo-conceitual.
O livro apresenta então, uma síntese dos arquétipos profissionais em relação a:
personalidade, interessado em, aptidão para e cursos.
Depois de percorrido este percurso, o leitor deve reavaliar o quanto tem a ver
com cada um dos arquétipos profissionais em uma escala de 0 a 10.
Então cabe resumir a auto-avaliação quanto a: personalidade, interesses,
inteligência, hemisfério cerebral, arquétipo, área vocacional e profissões.
O leitor pode então fazer sua escolha final, considerando arquétipo, área e
profissões, escolhendo duas e depois pela sua cabeça e coração escolher uma
delas.
Será que está correto? Cabe agora analisar com maior profundidade;

 A profissão.

 Atividades principais.
 Forma de atuação (com coisas, com pessoas, em grupo, sozinho,
rotineira, diversificada, ao ar livre ou em ambiente fechado).

 Setores de trabalho da profissão (espaço, planejamento da ocupação do


espaço, funcionamento da sociedade, operação, comunicação e
pesquisa e análise crítica do funcionamento).

 Arquétipos aos quais esta profissão está relacionada.

 Características de personalidade importantes desta profissão.

 Interesses importantes para esta profissão.

 Capacidades importantes para essa profissão.

 Aptidões cerebrais importantes para esta profissão.


Ao final, o leitor atribui notas de 0 a 10, para os aspectos e uma nota final para
a profissão escolhida.
O livro lista ainda as profissões e os cursos.
Na conclusão há uma reflexão sobre a realização individual e da sociedade.