Sei sulla pagina 1di 101

MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

OTIS

Data: 24/05/2001 Revisão: 00


1
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
1 INDÍCE:

1 INDÍCE: 2

2 INSTALAÇÃO DO OPERADOR DE PORTA 6


2.1 Abertura lateral 6
2.1.1 Instalação da base no teto ca cabina. 6

2.2 Abertura central. 7


2.2.1 Instalação da base no teto da cabina. 7

3 GUIA DE USO DA URM (DCSS 4) 8


3.1 Esquema e disposição das Teclas 8

3.2 Conexão ao DCSS 9

3.3 Operações de Diálogo 9


3.3.1 Hierarquia de Diálogo 9
3.3.2 Gráfico de Diálogo 9

3.4 Operações do Módulo 10

3.5 Operações de Função 10

3.6 Operações de Ajuste 11


3.6.1 Função Monitor (Teclas: 3.1.) 11
3.6.1.1 Mostrador de Status (Teclas: 3.1.1.) 11
3.6.1.2 Mostrador do Status de Comando (Teclas: 3.1.2) 13
3.6.1.3 Mostrador de Status de Entrada (Teclas: 3.1.3) 15
3.6.1.4 Mostrador de Status de Saída (Teclas: 3.1.4) 16
3.6.1.5 Mostrador de Status de Posição (Teclas: 3.1.5) 17
3.6.1.6 Mostrador de Status de Memória de Acesso Aleatório (Teclas: 3.1.6) 17
3.6.2 Função de Teste (Teclas: 3.2) 18
3.6.2.1 Mostrador do registrador de ocorrências (Teclas: 3.2.1) 18
3.6.2.2 Mostrador do Registrador de Erros (Teclas: 3.2.2) 19
3.6.2.3 Mostrador do Número de Peças (Teclas: 3.2.3) 20
3.6.2.4 Mostrador da Contagem de Ciclos (Teclas: 3.2.4) 20
3.6.3 Função de Configuração (Teclas: 3.3) 21
3.6.3.1. Mostrador de Configuração Geral 21
3.6.3.2. Rotina de Instalação (Teclas 3.3.1) 22
3.6.3.3. Mostrador de Configuração do Perfil (Teclas: 3.3.2) 27
3.6.3.4. Mostrador de Configuração de Outros Parâmetros (Teclas: 3.3.3) 28
3.6.3.5. Mostrador de Configuração do Parâmetro de Engenharia (Teclas: 3.3.4) 29
3.6.4. Função de Inspeção (Teclas: 3.4) 30
3.6.4.1. Seqüência de Inspeção (Teclas: 3.4.1) 30
3.6.4.2. Movimento Contínuo (Teclas: 3.4.2) 32

3.7 Lista de referências da URM 33


3.7.1 Descrição do Evento 33
3.7.2 Descrição do Erro 34
3.7.3 Descrição de Parâmetro de Perfil 36
3.7.4 Configurar Parâmetro 38
3.7.4.1 Parâmetro de Perfil (chave: 3.3.2) 38
3.7.4.2 Outro Parâmetro (chave: 3.3.3) 38
3.7.4.3 Parâmetro de Engenharia (chave: 3.3.4) 39
3.7.5 Abreviações 40

2
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4 ROTINA DE START-UP 42
4.1 Escopo 42

4.2 Referências de Segurança 42

4.3 Antes da Instalação 42


4.3.1 Codificador 42
4.3.2 Alimentação de Energia 43
4.3.3 Ruído Eletromagnético e Interferência 43

4.4 Conexões 44
4.4.1 Interface Discreta 44
4.4.2 Interface Serial 45
4.4.3 Controlador de Relé / Caixa de Interface 46
4.4.3.1 Entradas 47
4.4.3.2 Saídas 48
4.4.3.3 Alimentação e Aterramento 49
4.4.3.4 Jumpers 49

4.5 Primeira Instalação 50


4.5.1 Condições Iniciais 50
4.5.2 Rotina de Montagem (Instalação) 50

4.6 Configuração de Parâmetro 54


4.6.1 Parâmetro do Perfil 54
4.6.2 Outros Parâmetros 55
4.6.2.1 Todos os tipos de controladores: 55
4.6.2.2 Somente Controlador de Relé 56

4.7 Instalação do Controlador 57

4.8 Descrição do Perfil 58


4.8.1 Perfil Aberto 58
4.8.2 Perfil Fechado 58

5 GUIA DE USO DA URM (DCSS 5) 59


5.1 Display e Disposição das Teclas 59

5.2 Conexão ao DCSS 60

5.3 Visão geral 60


5.3.1 Visão geral do Menu 60
5.3.2 Visão geral das Funções das Teclas 61

5.4 Operações do MÓDULO 63

5.5 Operações de FUNÇÃO 63

5.6 Operações SET 63

5.7 Função Monitor (teclas: 3.1) 63


5.7.1 Exibição de Status (teclas: 3.1.1) 64
5.7.2 Exibição do Status de Entrada (teclas: 3.1.2) 65
5.7.3 Exibição de Status de Saída (teclas: 3.1.3) 66
5.7.4 Display do Comando de Status (teclas: 3.1.4) 66

5.8 Função Test (teclas: 3.2) 67


5.8.1 Display do Menu de Eventos (teclas: 3.2.1) 67
3
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5.8.1.1 Display Atual (teclas: 3.2.1.1) 67
5.8.1.2 Display do EvLog (teclas 3.2.1.2) 68
5.8.1.3 Display do histórico (teclas 3.2.1.3) 69
5.8.1.4 Display Del (teclas: 3.2.1.9) 69
5.8.2 Manutenção (teclas: 3.2.2) 69
5.8.3 Número da Peça (teclas: 3.2.3) 70
5.8.4 Exame da Interface (teclas: 3.2.4) 70
5.8.5 Configuração do Sistema (teclas:3.2.5) 70

5.9 Funções de Configuração (teclas: 3.3) 71


5.9.1 Primeiro Instalação Perfil 1 (tecla 3.3.1) 71
5.9.1.1 Configuração (teclas 3.3.1.1) 72
5.9.1.2 Configuração de Padrão (tecla 3.3.1.9) 77
5.9.2 Primeira Instalação do Perfil 2 (tecla 3.3.2) 78
5.9.3 Configuração de Parâmetros – Campo – (tecla 3.3.3) 78
5.9.4 Configuração de Parâmetros –Engenharia - (tecla 3.3.4) 79

5.10 Ferramentas (teclas: 3.4) 79


5.10.1 Simples ( teclas 3.4.1) 80
5.10.2 Contínua (teclas 3.4.2) 80
5.10.3 ADAM (teclas 3.4.3) 81

5.11 Lista de Referências da URM 82


5.11.1 Menu de Eventos 82
5.11.2 Descrição de Eventos 83
5.11.3 Parâmetros de Configuração 84
5.11.3.1 Parâmetro de Campo (chave: 3.3.3) 84
5.11.3.2 Parâmetros de Engenharia (chave: 3.3.4) 84
5.11.3.2.1 Parâmetro de Perfil 84
5.11.3.2.2 Descrição do Perfil 85
5.11.3.2.3 Parâmetro de Controle 86
5.11.3.2.4 Outro Parâmetro 86

5.12 Interface da placa RSL 87


5.12.1 Descrição dos sinais de controle ST1, ST2 and ST3: 87
5.12.2 Descrição de Erros de Teste de Interface (Chaves 324): 87

5.13 Teclas de Atalho SVTOOL 88

5.14 Abreviações 88

6 ROTINA DE START-UP (DCSS 5) 90


6.1 Escopo 90

6.2 Recomendações de Segurança 90

6.3 Antes da Instalação 91


6.3.1 Codificador 91
6.3.2 Suprimento de Força 91
6.3.3 Descrição de Interface de Placa RS 91
6.3.4 Ruído Eletromagnético e Interferência 92

6.4 Conexões 93
6.4.1 Cabo de Motor e Suprimento de Energia 93
6.4.2 Codificador de Velocidade Incremental (no plug P3): 93
6.4.3 Sinais de controle ST1, ST2 e ST3 93
6.4.4 Saídas: sinal DOL/DOS 93
6.4.5 Sinal Reverso 93

4
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
6.5 Primeira Instalação 94
6.5.1 Condição de Partida 94
6.5.2 Rotina de CONFIGURAÇÃO (Instalação Básica) 95
6.5.2.1 Configuração do ambiente DCSS5: 95
6.5.2.2 Configuração Básica Automática para o Conjunto de Perfil 1 96
6.5.3 Sintonia fina específica para clientes 98

6.6 Instalação do Controlador 100


6.6.1 Tabela de configuração de parâmetro do LCBII / TCB 100

6.7 Descrição de Perfil 101

5
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

2 Instalação do operador de porta

2.1 Abertura lateral


Montar o operador DO2000 em sua base conforme demonstrado no desenho abaixo.

2.1.1 Instalação da base no teto ca cabina.


- Instalar a base do operador conforme figura abaixo:

6
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

2.2 Abertura central.

2.2.1 Instalação da base no teto da cabina.


- Instalar a base do operador, conforme figura abaixo:

7
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

3 GUIA DE USO DA URM (DCSS 4)

3.1 Esquema e disposição das Teclas

O painel frontal de ferramentas consiste de um esquema com 2 linhas, 16 caracteres por


linha e 16 teclas.
Algumas teclas possuem uma segunda função que é ativada pressionando-se primeiro o
botão azul e depois a chave.
A disposição das teclas é apresentada abaixo:

8
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

3.2 Conexão ao DCSS

A ferramenta de serviço pode ser conectada ao DCSS de duas maneiras: diretamente


quando ligada ao painel lógico DCSS e indiretamente se a comunicação serial for
conectada ao MCSS ou OCSS em um sistema de configuração VF3/411.

Quando conectada a qualquer subsistema, a ferramenta de serviço conduz auto-testes e


dessa forma executa a seqüência de ajuste. O esquema seguinte será realizado quando
a comunicação normal for estabelecida com qualquer subsistema .

+---------------------------+
| AUTO TESTE |
| -OK- MODO MECS |
+---------------------------+

3.3 Operações de Diálogo

3.3.1 Hierarquia de Diálogo

A hierarquia de diálogo consiste de três camadas que são mostradas abaixo em


correspondência com as teclas especiais das ferramentas: MODULE, FUNÇION, SET.

"MODULE"
|
+---------+---------+
| | |
"FUNCTION" ... ...
|
+-------+-------+-------+-------+
| | | | |
"SET" ... ... ... ...

3.3.2 Gráfico de Diálogo

Um gráfico de diálogo simplificado é mostrado abaixo para fornecer uma visão geral do
menu de ferramentas DCSS completo.

,----------------.
NÍVEL DO MODULO | DCSS = 3 | <----- M ---+ "3" |
,----------------. ^
NÍVEL DA FUNÇÃO |MONITOR=1 TESTE=2 | <----- F ---+
|AJUSTE=3 INSPEÇÃO=4|

9
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

NÍVEL DE AJUSTE | <----- S ---+

,-+------------------------------------+----------------------------+-----------------------+----------------.
|"1" |"2" |"3" |"4" |
,-------------------------. ,------------------------. ,---------------------------------. ,-----------------------.|
|STATUS = 1 (6) | |EVENT = 1 (13) | |INST = 1 (18) | |INSPCT R= 1 (26) |
|COMND = 2 (9) | |ERROR = 2 (14) | |PROF = 2 (23) | |CONTIN R= 2 (28)|
|INP = 3 (10) | |PART = 3 (15) | |OTHER = 3 (24) | `----------------' |
|OUTP = 4 (10) | |CYCLECT= 4 (15) | |ENG = 4 (25) | |
|POSITN = 5 (10) |
|RAM = 6 (12) |

Aviso: Retorne ao menu :


'M' para nível do menu
'F' para nível de função
'S' para nível de ajuste

3.4 Operações do Módulo

O procedimento seguinte será realizado quando a tecla MODULE for pressionada no


painel de ferramentas:

ligado ao DCSS: ligado ao Subsistema


(configuração VF3/411.)
+-------------------------------+ +--------------------------+
|BEM-VINDO AO DCSS | |OCSS=1 MCSS=2 |
| DCSS = 3 | |DCSS=3 ...... |
+-------------------------------+ +--------------------------+

3.5 Operações de Função

Quando a tecla 3 é pressionada no MÓDULO de operação ou quando a tecla FUNÇÃO é


pressionada numa camada inferior da hierarquia, o seguinte esquema poderá ser
monitorado:

+-----------------------------------+
|MONITOR=1 TESTE=2 |
|AJUSTE=3 INSPEÇÃO= 4|
+-----------------------------------+

10
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Se as Teclas de 1 a 4 são pressionadas a operação muda para o nível de ajuste do


menu.

Para a Função Monitor veja capítulo 3.6.1


Para a Função Teste veja capítulo 3.6.2
Para a Função Ajuste veja capítulo 3.6.3
Para a Função Inspeção veja capítulo 3.6.4

3.6 Operações de Ajuste

3.6.1 Função Monitor (Teclas: 3.1.)

Quando a tecla 1 é pressionada na operação FUNÇÃO ou quando a tecla SET é


pressionada numa camada inferior da hierarquia, o seguinte mostrador será
apresentado:

+--------------------------------+ +------------------------------------+
|STATUS=1 COMAND=2| |POS=5 RAM=6 |
|INPUT=3 OUTPUT=4>| |< pres GOON/GOBACK > |
+--------------------------------+ +------------------------------------+

Pressione as Teclas GO ON ou GO BACK para alternar entre os mostradores.

Pressionando-se as Teclas de "1" a "6" a operação se deslocará para o campo


correspondente.

3.6.1.1 Mostrador de Status (Teclas: 3.1.1.)

O mostrador de status é a exibição da primeira linha da função MONITOR. Ele será


apresentado nas 5 primeiras funções do monitor. Há dois mostradores de status
diferentes, dependendo da configuração selecionada do sistema de elevador.

+----------------------------+
|aa: mmm ccc sss |
| qualquer mostrador|
+----------------------------+

Descrição do mostrador de status de primeira linha para uma configuração de


INTERFACE DISCRETA ou para CONTROLADOR DE RELÊ

aa = D1 (DCSS endereço de default ; usado para link serial multidrop)

mmm = estado do supervisor de porta:


SHD = Modo de paralisação
INI = Modo de inicializar (posição de restabelecimento)
RDY = Modo pronto (operação normal )
ESM = Modo Parada de Emergência
11
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
ccc = estado de comando da porta:

DED = desenergizar porta


OPN = abertura normal
OPN2 = abertura com o perfil 2
CLS = fechamento normal
CLS2 = fechamento com o perfil 2
NDG = nudging
INSP = inspeção

---- sinais adicionais para a Norma Britânica BS7255----

BSO = abrir através da caixa TCI de acordo com a Norma Britânica


BSC = fechar através da caixa TCI de acordo com a Norma Britânica
ERR = erro durante o controle da caixa TCI

sss = posição da porta:

[] = aberta
<> = abrindo
][ = fechada
>< = fechando
<P> = proteção ao passageiro ativada

Descrição de um mostrador de status de primeira linha para uma configuração de


INTERFACE SERIAL

aa: = endereço DCSS:


D1 (DCSS1: porta frontal)
D2 (DCSS2: porta oposta)
D3 (DCSS3: porta frontal com cabina dupla)
D4 (DCSS4: porta oposta com cabina dupla)

mmmm:= estado do operador de porta:


SHD = modo de paralisação
INI = modo de inicializar (posição de restabelecimento)
RDY = modo pronto (operação normal)
ESM = modo de parada de emergência

12
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

cccc = posição de comando da porta fornecida a partir do MCSS por ligação em série:

Entradas de Reversão em operação:

| DOB | LRD | EDP


-----
DED = desenergizar ----- | ----- | -----
OPD1 = porta aberta ----- | ----- | -----
OPD2 = porta aberta ----- | ----- | -----
CLD1 = porta fechada ----- | ----- | -----
CLD2 = porta fechada D | L | E
CLD3 = porta fechada D | L | e
CLD4 = porta fechada D | l | e
CLD5 = porta fechada D | ----- | ----- (NDG)
CLD6 = porta fechada D | ----- | e
CLD7 = porta fechada d | ----- | e
CLD8 = porta fechada d | ----- | -----

D completo / d reversão limitada da porta, ----- não reversão da porta em DOB


L completo / l, reversão limitada da porta ----- não reverão da porta em LRD
E completo / e, reversão limitada da porta ----- não reversão da porta em EDP

ss = Estado da porta:
[] = aberta
<> = abrindo
][ = fechada
>< = fechando
<P> = proteção ao passageiro ativada

Se o elo de segurança for interrompido, indicado pelo sinal EDS, o DCSS desativa o
motor. Neste modo a Ferramenta mostra:

+----------------------------+
| EMERGENCY STOP| SEGURANÇA ABERTA
| |
+----------------------------+

3.6.1.2 Mostrador do Status de Comando (Teclas: 3.1.2)

Este ajuste é usado para mostrar o estado real do sistema e para ativar um dos
diferentes comandos de porta, geralmente vindos do MCSS. Este comando de porta
somente pode ser ativado se o DO2000 for ajustado para uma configuração SERIAL e a
ferramenta ligada diretamente ao DCSS.

13
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
EXEMPLO: +-----------------------+ +-------------------------+
|D1: RDY OPN <> | APERTAR |D1: RDY CLD6 >< |
|CLD6 < D - e | AZUL E ENTER> |CLD6 < D – e |
+-----------------------+ +-------------------------+

GERAL: +------------------------------+
| Mostrador de Status |
|1111 < 2 3 4 |
+------------------------------+

Os campos de números diferentes no mostrador apresentam o comando de porta


disponível e a reação do sistema se as entradas de reversão DOB, LRD ou EDP forem
ativadas. Os caracteres em caixa baixa representam o comando "limitado", os caracteres
em caixa alta o comando "reversão total da porta". Um hífen significa a inexistência de
reversão de porta.

Os campos são:
1111 1.) se a URM for conectado ao mostrador estático: MCSS
2.) se a URM está conectado à seleção de comando DCSS:

DED, OPD1, OPD2, CLD1, CLD8 (ver tabela)

2 3 4 mostra informações adicionais sobre dispositivos de reversão para


comandos atualmente selecionados.

com 2 = 'D' para pleno, d' para reversão limitada


'--' para não reversão sobre DOB operado

com 3 = 'L' para pleno, 'l' para reversão limitada


'--' para não reversão sobre LRD operado

com 4 = 'E' para pleno, 'e' para reversão limitada


'--' para não reversão sobre EDP operado

Usar a tecla "<GO ON>" ou "<GO BACK>" para alternar através dos comandos
disponíveis

Pressionar a Tecla "<ENTER>" para confirmar o novo comando

Se o DCSS é ajustado para uma configuração DISCRETA uma mensagem de erro será
mostrada.:
+-----------------------------+
|NÃO DISPONÍVEL, |
|APERTAR "CLEAR" |
+-----------------------------+

14
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.6.1.3 Mostrador de Status de Entrada (Teclas: 3.1.3)

Este conjunto é usado para mostrar o estado real do sistema e as entradas discretas.
O seguinte mostrador será projetado numa configuração de INTERFACE DISCRETA.

EXEMPLO: +------------------------+ +-----------------------+


|D1: RDY OPN <> | |D1: RDY OPN <> |
| do ndg tci EDS | < GOON/GOBACK > | prof DOB err |
+------------------------+ +-----------------------+

as entradas discretas EDS, DOB estão ligadas


as entradas discretas do, ndg, tci, prof and err estão desligadas

GERAL: +-----------------------+ +-----------------------+


| Status Display | | Status Display |
| 111 222 333 444| < GOON/GOBACK > | 555 666 777 444|
+-----------------------+ +-----------------------+

Os campos de números diferentes no mostrador apresentam entradas discretas, os


caracteres em caixa baixa representam a posição OFF (desligado), os caracteres em
caixa alta a posição ON (ligado).

Para uma configuração de INTERFACE DISCRETA OU CONTROLE DE RELÊ existem


as seguintes entradas:

111 DO (comando de abertura de porta)


222 NDG (nudging)
333 TCI (Inspeção da parte superior do carro)
444 EDS (parada de emergência)
---- informação adicional de entrada somente se a Caixa de Interface à Relê estiver
conectada -----
555 PROF (sinal de segundo perfil)
666 DOB (botão de abertura de porta)
777 ERR (erro de sobrecarga ou PWM inabilitado)

Para uma configuração de INTERFACE SERIAL existem:

111 SO (permissão para abrir)


222 LRD (dispositivo de raio luminoso)
333 DOB (botão de abertura de porta)
444 EDP (protetor eletrônico de porta)
555 TCI (chave de inspeção da parte superior do carro)
666 EDS (parada de emergência)
777 ERR (erro de sobrecarga ou PWM inabilitado)

15
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
ATENÇÃO!
As entradas mudam se a porta for controlada pela Caixa de Inspeção da Parte Superior
do Carro de acordo com a Norma Britânica BS7255:
111 SO (seguro para sinal aberto)
222 BSC (comando fechado da Norma Britânica)
333 BSO (comando aberto da norma britânica)
444 TCI (chave de Inspeção da Parte Superior do Carro)

3.6.1.4 Mostrador de Status de Saída (Teclas: 3.1.4)

Este conjunto é usado para mostrar o estado do sistema real e as saídas discretas.

EXEMPLO: +------------------------+
|D1: RDY OPN <> |
| inh dol dos |
+------------------------+

GERAL: +----------------------------+
| Mostrador de Status|
| 1111 2222 3333 |
+----------------------------+

Os campos de números diferentes no mostrador apresentam as saídas discretas, os


caracteres em minúsculo representam o estado desligado (OFF) , os caracteres em
Maiúsculo o estado ligado (ON).

As saídas são as seguintes:


DISCRETA:
1111 INH (inversor de inibição)
2222 DOL (limite de abertura da porta)
3333 DOS (sinal de abertura de porta)

CONTROLE DE RELÊ
1111 REL1 (DOL: porta totalmente aberta)
2222 REL2 (DCL: porta totalmente fechada)
3333 REL3 (GH: door closed)

Pressionando GO ON
4444 REL4 (SGL: 30% antes de fechada)
5555 REL5 (PMY: para disco de alta velocidade)
6666 REL6 (SGSout: sinal de reabertura)

16
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

3.6.1.5 Mostrador de Status de Posição (Teclas: 3.1.5)

Este conjunto é usado para mostrar o estado do sistema real e a posição da porta.

EXEMPLO: +-----------------------+
|D1: RDY OPN <> |
|POSIT = 145 mm |
+-----------------------+

GERAL: +------------------------------+
| Mostrador de Status |
|POSIT = xxxx mm |
+------------------------------+

A posição da porta é calculada de acordo com os pulsos do decodificador de velocidade


e é exibida em [mm]. Isso corresponde a abertura que é de '0mm, se a porta for
totalmente fechada.

3.6.1.6 Mostrador de Status de Memória de Acesso Aleatório (Teclas: 3.1.6)

Este conjunto é usado para exibir o verdadeiro estado do sistema e os valores na


Memória de Acesso Aleatório exibidos no painel de controle do DCSS.

EXEMPLO: +-------------------------+
|D1: RDY OPN <> |
|0FA6:F0 E0 BE B6|
+------------------------+

GERAL: +------------------------+
| Status Display |
|nnnn:d0 d1 d2 d3|
+------------------------+

Os diferentes campos no mostrador exibem:

nnnn = endereço da Memória de Acesso Aleatório


d0 = dados da Memória de Acesso Aleatório no endereço de Memória de
Acesso Aleatório
d1, d2, d3 = próximos dados de Memória de Acesso Aleatório

Todos os valores são exibidos no formato hexadecimal.

Usar as Teclas "<GO ON>" ou "<GO BACK>" para aumentar ou diminuir o endereço
RAM ou digite o endereço com as teclas numéricas.

Para inserir o endereço hexadecimal da Memória de Acesso Aleatório utilize as teclas de


números e confirme através da Tecla <ENTER> e o confirme através da Tecla <ENTER>

17
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

O Hexágono A é inserido pressionando-se a tecla 'BLUE' e o número 4.


O Hexágono B é inserido pressionando-se a tecla BLUE e o número 5
O Hexágono C é inserido pressionando-se a tecla BLUE e o número 6
O Hexágono D é inserido pressionando-se a tecla BLUE e o número 7
O Hexágono E é inserido pressionando-se a tecla BLUE e o número 8
O Hexágono F é inserido pressionando-se a tecla BLUE e o número 9

3.6.2 Função de Teste (Teclas: 3.2)


Quando a tecla 2 é pressionada na operação FUNÇÃO ou quando a tecla SET é
pressionada numa camada inferior da hierarquia, o seguinte esquema será exibido:
+-------------------------------+
|EVENTO=1 ERRO=2 |
|PARTE=3 CYCLCNT=4|
+-------------------------------+

Pressionando as Teclas de “1” a “4” neste momento a operação irá mudar para o campo
correspondente .

3.6.2.1 Mostrador do registrador de ocorrências (Teclas: 3.2.1)

O mostrador de ocorrências é usado para exibir informações sobre ocorrências


detectadas.
As ocorrências são enumeradas apenas com propósitos estatísticos

EXEMPLO: +-------------------------+ +------------------------+


|R=00450 T=12567| < ON/OFF > |INSPEÇÃO |
|3110 00001 00128| |3110 00001 00128|
+-------------------------+ +------------------------+

GERAL: +--------------------+ +-------------------+


|R=rrrrr T=ttttt | < ON/OFF > |ddddddddddd |
|ccc nnn mmm| |ccc nnn mmm |
+--------------------+ +--------------------+

Os diferentes campos no mostrador mostram:


rrrr = funciona desde a último reset realizado no sistema
ttttt = tempo do sistema em minutos desde a último reset realizado no sistema
ccc = código de ocorrências (ver também descrição de ocorrências no apêndice)
nnn = número de ocorrências
mmm = minutos desde a última ocorrência
dd... = descrição de ocorrências (ver também descrição de ocorrências no apêndice)

18
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Pressione <GO ON> ou <GO BACK> para rolar através das ocorrências que
aconteceram desde a última reinicialização do sistema.
Pressione <ENTER> para apagar a última ocorrência mostrada.
Pressione <SEL OUT> para apagar um registro de ocorrências completo, tempo de
execução e contador.
Pressione <ON> ou <OFF> para alternar entre os mostradores de primeira linha.

NOTE: As ocorrências não são armazenadas permanentemente!. Elas se perdem após


desconexão da força principal.

3.6.2.2 Mostrador do Registrador de Erros (Teclas: 3.2.2)

O registrador de erros é usado para mostrar informações sobre ocorrências detectadas.

EXEMPLO: +-------------------------+ +----------------------------------+


|R=00450 T=12560| < ON/OFF > |NÃO ABERTO A TEMPO|
|3210 00001 00128| |3210 00001 00128 |
+------------------------+ +----------------------------------+

GERAL: +-------------------+ +--------------------+


|R=rrrrr T=ttttt | < ON/OFF > |ddddddddddd |
|ccc nnn mmm| |ccc nnn mmm |
+-------------------+ +--------------------+

Os diferentes campos no mostrador mostram:


rrrr = funciona desde a última reinicialização
ttttt = tempo em minutes do sistema desde a última reinicialização
ccc = código de erro (ver também descrição de erro no apêndice)
nnn = número de ocorrências de erro
mmm = minutos desde a última ocorrência de erro
dd... = descrição de erro (ver também descrição de erro no apêndice)

Pressione <GO ON> ou <GO BACK> para alternar entre as ocorrências que
aconteceram desde a última reinicialização do sistema.
Pressione <ENTER> para apagar o erro exibido.
Pressione <Sel Out> para apagar registro de erro completo, tempo de execução e
contador.
Pressione <ON> ou <OFF> para alternar entre os mostradores de primeira linha.

NOTA:
Os erros não são armazenados permanentemente!. Eles se perdem após desconexão
da força principal.

19
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.6.2.3 Mostrador do Número de Peças (Teclas: 3.2.3)

Este esquema é usado para exibir os números de identificação dos dois dispositivos de
memória, a identificação do software no EPRON e a identificação do parâmetro de ajuste
no EEPRON. O número da versão e a data de programação também são mostrados.

EXEMPLO: +----------------------------+
|: GAA30320AAA |
|DO2000 15NOV1996|
+----------------------------+

GERAL: +------------------------+
| GAAcccccvvv |
|tttt dddddddddd |
+------------------------+

Os diferentes campos no mostrador exibem:

G = código do país: Alemanha


AA = nível de versão do software
ccccc = código de configuração do software para DCSS
vvv = número de versão
tt... = tipo de DCSS
dd... = data de programação

3.6.2.4 Mostrador da Contagem de Ciclos (Teclas: 3.2.4)

Este esquema é usado para exibir o número absoluto de funcionamento da porta e


tempo de execução, iniciando a partir da primeira instalação. Estes números são escritos
na memória Flash para uma armazenagem permanente a cada ciclo de centésimo para
os trajetos e todo dia para a contagem de tempo.

EXEMPLO: +----------------------+
|R: 0006943267 |
|T: 01:012:23:59 |
+----------------------+

GERAL: +-------------------------+ yy = anos


|R: xxxxxxxxxxxx | ddd = dias
|T: yy:ddd:hh:mm | hh = horas
+-------------------------+ mm = minutos

20
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.6.3 Função de Configuração (Teclas: 3.3)

Quando a Tecla 3 é pressionada na operação FUNÇÃO ou quando a tecla SET é


pressionada numa camada inferior da hierarquia, o sistema irá se deslocar para a função
de configuração e o seguinte mostrador será exibido:

+--------------------------+
|INST= 1 PROF= 2 |
|OTHER= 3 ENG = 4|
+--------------------------+

Pressionando-se as Teclas de "1" a "4" neste nível você irá se deslocar para o campo
correspondente e é possível que haja uma mudança nos parâmetros de configuração.
Uma lista de todos os parâmetros de configuração e sua faixa de valor é exibida no
apêndice.

Um parâmetro é armazenado permanentemente na memória Flash não antes do menu


ser deixado com uma das teclas de função (Módulo, Função ou Configuração).

3.6.3.1. Mostrador de Configuração Geral

A imagem geral para a configuração é ( Teclas 3.3.2 e 3.3.4 ) :

EXEMPLO: +------------------------------+
|START OPEN SPEED|
|0008 <-- 0012 Hz |
+------------------------------+

GERAL: +---------------------------+
|1111111111111111|
|2222 <-- 3333 4444 |
+--------------------------+

Os campos de números diferentes no mostrador exibem:

1111 nome do parâmetro de configuração


2222 valor armazenado no E²PROM
3333 valor novo
4444 unidade

Usar "<GO ON>" / "<GO BACK>" para alternar entre os parâmetros de configuração
disponíveis.
Usar as Teclas numéricas para registrar um novo valor e confirmá-lo com a tecla
"<ENTER>" .

21
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
A entrada do parâmetro é verificada até um certo ponto pelo DCSS antes que ele seja
sobreposto por um novo valor. Durante a entrada do parâmetro o valor é verificado
contra o limite superior e inferior. Se o parâmetro exceder este limite ele não será
armazenado na memória Flash e o contador de erro será acionado.

NOTA:

Recomenda-se não mudar os parâmetros durante a movimentação da porta, porque o


sistema será paralisado imediatamente. Quando o supervisor de porta estiver no modo
'READY' e a porta não estiver na posição totalmente fechada ou aberta, não será
permitida uma mudança nos parâmetros de configuração e a seguinte imagem será
exibida

+-------------------------------------------+
|PORTA EM FUNCIONAMENTO |
|FAVOR AGUARDAR |
+-------------------------------------------+

3.6.3.2. Rotina de Instalação (Teclas 3.3.1)

O Menu de Instalação completo funciona em parte automaticamente. Apenas poucas


confirmações têm de ser registradas. De maneira a simplificar a instalação, o
procedimento completo é dirigido por menu e mostrado no Manual da URM. O usuário
precisa somente seguir as instruções exibidas e confirmar os pedidos.

Conjunto de Parâmetros de Default

Para colocar o sistema em funcionamento pela primeira vez, um conjunto de parâmetros


de Default deve ser copiado na Memória de Flash vazia. Caso isto não ocorra, o sistema
não funcionará. No caso de uma instalação repetida, esta etapa pode ser ignorada,
evitando-se uma superposição indesejada do parâmetro.

1. Etapa : Instalação inicial e valores de DEFAULT

,---------------------------------------------.
| ROTINA DE CONFIGURAÇÃO |
| GOON WITH ENTER |
`---------------------------------------------'

Pressione ENTER - Tecla para iniciar Rotina de Instalação

,----------------------------------.
| DEFAULT PARAMTR? |
| YES = 1 NO = 2 |
`----------------------------------'

Registrar '1' para escrever um conjunto de parâmetros de DEFAULT no EEPROM


ou registrar 2 para ir para a próxima etapa
22
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

2. ETAPA: CONFIGURAÇÃO

,-------------------------------.
| Interface: xxxxxxxxx | xxxxxxxxxxx : DISCRETA
| usar GOON / ENTER | SERIAL
`--------------------------------' Interf.BOX

escolha a configuração do Sistema com as teclas GOON/GOBACK e


confirme com a tecla <ENTER>.

De acordo com o Tipo de Interface selecionada, o seguinte mostrador de Menu será


diferente.

Se a Interface DISCRETA foi selecionada não aparece nenhuma configuração adicional,


e o Programa de Checagem do Motor terá início.

Se a Interface SERIAL foi selecionada aparecem os seguintes mostradores:

,------------------------------.
| ADDRESS: nnnn | nnnn = DCSS_1 (porta frontal)
| use GOON / ENTER | DCSS_2 (porta oposta)
`------------------------------ DCSS_3 (porta frontal cabina dupla)
DCSS_4 (porta oposta cabina dupla)

,-------------------------. Yes se está é a DCSS_1


| Line Terminator?| No se está é a DCSS_1, porém tem a DCSS_2
| YES=1 NO=2 |
`--------------------------’ Duas DCSS: No para DCSS_1
Yes para DCSS_2

,---------------------------.
|Controller Type? |
| use GOON / Enter|
`---------------------------’

,-----------------------------. ,----------------------------.
| Type: MCS 411 | | Other (311...) |
| use GOON / ENTER| GOON |use GOON / ENTER |
`-----------------------------’ ----> `-----------------------------´

Se uma caixa de INTERFACE BOX foi selecionada o seguinte mostrador é exibido:


,----------------------.
| DOS Signal ? |
| YES=1 NO=2 |
`----------------------’
23
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Com este parâmetro, a função do Relê REL3 na Caixa de Interface pode ser
programada. Alguns controladores de Relê precisam de um sinal DOS, dirigido pelo Relê
3. Se o sinal DOS de parâmetro for ajustado, confirmado ao registrar o nº ‘1’, o Relê será
ajustado durante a abertura e diminuirá ao alcançar a posição DOL.
Se o parâmetro for ajustado para 2, o Relê somente será ajustado se a porta estiver
quase fechada e diminuirá durante a abertura.

Rotação do Motor de Verificação

Na próxima etapa o sistema começa com uma verificação de conexão do motor e


instalação do codificador, bem conhecido a partir da instalação do HPDS-VF/DO2000.
Um comando de porta deve ser registrado e o usuário necessita apenas confirmar a
rotação do motor e o sinal correspondente da direção do codificador. Se o movimento da
porta ou o estado da porta exibido (sinal de direção) não estiver de acordo com o
comando registrado, o procedimento recomeça com um sinal oposto.

3. ETAPA: Verificação da Rotação do Motor

,----------------------------------.
| CHK MOTOR ROTATN |
| CLS=1 OPN=2 NO=3 |
`----------------------------------'

Registre o comando: '1' se a porta estiver fechada,


'2' se a porta estiver aberta
‘3’ para ignorar

,------------------------.
| DOOR IS ........? | closing (fechando) se foi pressionado '1'
| YES=1 NO=2 | opening (abrindo) se foi pressionado '2'
`------------------------'

Observe o movimento da porta e confirme com 1 se a porta funciona


corretamente. Em caso negativo, registre '2' e o procedimento será repetido com um
sinal oposto.

,-------------------------------.
| ERR ROTOR SENSE | Mensagem se a rotação do motor estiver invertida
| GOON WITH ENTER |
`-------------------------------'
,-------------------------------.
| ROTOR SENSE OK | Mensagem se a rotação do motor estiver ok
| GOON WITH ENTER |
`-------------------------------'

Pressione '<ENTER>' para ir para a próxima etapa!

24
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

4. Etapa: Verificação do sinal de direção do codificador

,----------------------------------.
| CHK SPEEDENCODER |
| CLS=1 OPN=2 NO=3 |
`----------------------------------'
Registre o comando: '1' se a porta estiver fechada,
'2' se a porta estiver aberta
‘3’ para ignorar

,-------------------------------.
| SPEEDENCD OK? ....| >< sinal de direção do codificador: fechando
| YES = 1 NO = 2 | <> sinal de direção do codificador: abrindo
`-------------------------------'

Se o sinal de direção do codificador estiver de acordo com o movimento da porta registre


'1'. Em caso negativo, registre 2 e o procedimento será repetido com um sinal trocado.

,---------------------------------.
| ENCODER SENSE OK |
| GOON WITH ENTER |
`---------------------------------'

Pressione '<ENTER>' para ir para a próxima etapa.

Iniciar seqüência de aprendizagem

Após essas verificações, uma seqüência de aprendizagem automática é iniciada para


avaliar os parâmetros de ambiente da porta, tais como, largura da porta, rotação do
motor, resolução do codificador e deslizamento do sistema.

Para aprender estes valores desconhecidos, a porta deve mover-se duas vezes. Ao
primeiro movimento, a rotina verifica a resolução do dispositivo do codificador, que pode
ser muito elevado e levar a um excesso do registrador de contagem ou pode ser muito
baixo o que leva a um mau desempenho e erros significativos durante o cálculo
velocidade - posição.
Para evitar estes erros negativos, a resolução do codificador é adaptada durante o
reconhecimento para um valor ótimo, a fim de serem obtidos os melhores resultados,
independentemente do hardware da porta fornecido.
Com o segundo movimento, o vão da porta é medido. Este valor deve ser muito preciso,
porque agora ele será a referência para o cálculo de posição da porta.

Ao final da seqüência de aprendizagem, a posição real é exibida em [mm].


Para deixar o menu, o usuário deve pressionar a tecla M no menu.
Se ocorrer um erro a inicialização será repetida.

25
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5. Etapa: Funcionamento de Aprendizagem automática

,--------------------------------.
| START LEARN_RUN |
| PRESS <ENTER> |
`--------------------------------'

Iniciar aprendizagem automática pressionando-se a tecla ENTER

,-----------------------------.
| LEARN_RUN |
| DOOR is CLOSING |
`-----------------------------'

Para encontrar uma posição definida, a porta é fechada primeiro. Se a porta


for completamente fechada, o programa vai para uma próxima etapa.

,------------------------------.
| LEARN_RUN |
| DOOR is OPENING |
`------------------------------'

A porta está abrindo e assimila o meio ambiente da porta para adaptar-se


aos pulsos do codificador para o cálculo posição/velocidade. Se a porta estiver
completamente aberta, ela fechará novamente.

,---------------------------.
| LEARN_RUN |
| POSITION: xxxxx | xxxxx: Posição em milimetros
`---------------------------'

Agora a porta está fechando e a posição é medida e exibida em melhorias


absolutas. Se a porta estiver completamente fechada, o programa vai para uma próxima
etapa.

,----------------------------.
| POSITION: xxxxx | xxxxx: Posição em mm
| Finish PRESS "M" |
`----------------------------'

O vão da porta absoluto foi medido e é exibido.


Para concluir a rotina de instalação pressione M.

Usar as Teclas "SET", "FUNCTION" ou "MODULE" para interromper a rotina de


instalação

26
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

A Rotina de instalação pode ser selecionada somente se a URM estiver ligada


diretamente ao DCSS. Em outros casos ela exibirá:

+-----------------------------+
| NOT AVAILABLE |
|PLUG SVT ON DCSS|
+----------------------------+

Se a chave de inspeção da parte superior do carro (TCI) não for acionada, a seguinte
mensagem de erro será exibida:
+-------------------------+
|SET INSPECTION |
|SWITCH TCI |
+-------------------------+

Para maiores informações, veja na seção Rotina de Start Up .

3.6.3.3. Mostrador de Configuração do Perfil (Teclas: 3.3.2)

Se o desempenho da porta não for satisfatório, o seguinte parâmetro de perfil pode ser
mudado:

ACIONAR VELOCIDADE DE velocidade de deslizamento ao início da abertura


ABERTURA da porta
(Start open speed)
PARAR VELOCIDADE DE ABERTURA velocidade de deslizamento (torque) ao final da
(Stop open speed) abertura da porta
PONTO DE PARADA DE ABERTURA ponto de ruptura na abertura da porta para perfil
(Open stop point) normal
PONTO DE PARADA 2 DE ABERTURA ponto de ruptura na abertura da porta para perfil
(Opn stop point_2) rápido
INICIAR DISTÂNCIA DE ABERTURA distancia de deslizamento para abrir fechadura
(Start open dist) da porta
PARADA DA VELOCIDADE DE velocidade de deslizamento (torque) ao final do
FECHAMENTO fechamento da porta
(Stop Close Speed)
PONTO DE PARADA DO ponto de ruptura no fechamento da porta para
FECHAMENTO perfil normal
(Close stop point)
PONTO DE PARADA 2 DO ponto de ruptura no fechamento da porta para
FECHAMENTO perfil rápido
(Cls stop point_2)
VELOCIDADE DE NUDGING velocidade durante a operação de nudging
(Nundging velocity)

Para o mostrador de ferramentas ver capítulo 3.6.3.1.

27
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Todos os parâmetros de velocidade são declarados como valores de default pela


especificação do tipo de porta. Geralmente a mudança destes parâmetros não é
necessária.

3.6.3.4. Mostrador de Configuração de Outros Parâmetros (Teclas: 3.3.3)

Este esquema é usado para mudar as seguintes variáveis no E2PROM:

INTENSIFICADOR DE VOLTAGEM deslocamento de voltagem quando a


(Voltage boost) freqüência é zero para aumento do torque do
motor
PROTEÇÃO AO PASSAGEIRO limite de deslizamento para detecção de
(Passenger protec) obstáculos / proteção ao passageiro

TCI com a norma BS7255 controle da porta com caixa de TCI de acordo
(TCI with BS7255) com a norma britânica BS7255

MCS411: GSM-DIST ajustar a GSM distancia (only for MCS411 )

--- Parâmetro adicional para Controle de Relê (com Caixa de Interface) ----

OPERAÇÃO EFS_ ? alarme para habilitar o EFS e desativar o


segundo perfil
RELÊ 1 - DISTANCIA posição programável da chave de limite de
abertura da porta
RELÊ 2 - DISTANCIA posição programável da chave de limite de
fechamento da porta
RELÊ 3 - DISTANCIA posição programável da chave içadora da
porta
RELÊ 4 - DISTÂNCIA DE FECHAMENTO posição programável da fechadura da porta de
segurança (fechado)
RELÊ4 - DISTÂNCIA ABERTA posição programável da fechadura da porta de
segurança (aberta)
RELÊ 5 - DISTANCIA posição programável da chave PMY
SGS - DELAY atraso programável da saída: chave da porta
de segurança
/SGS=0 SGS=1 entrada com alta ou baixa atividade
programável para sinal SGS
/SPEED=0 SPEED=1 entrada com alta ou baixa atividade
programável para sinal de segundo perfil.
/NDG=0 NDG=1 entrada com alta ou baixa atividade
programável para sinal de nudging da porta

Para o mostrador de ferramentas ver capítulo 3.6.3.1


28
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.6.3.5. Mostrador de Configuração do Parâmetro de Engenharia (Teclas: 3.3.4)

Este esquema é usado para mudar os seguintes parâmetros de engenharia no


E2PROM:
MAX OPEN SPEED velocidade máxima de abertura para perfil
normal
MAX CLOSE SPEED velocidade máxima de fechamento para perfil
normal
MAX OPEN SPEED_2 velocidade máxima de abertura para perfil
rápido
MAX CLOSE SPEED_2 velocidade máxima de fechamento para perfil
rápido
START CLOSE SPD velocidade de deslocamento no início do
fechamento da porta
INITIALIZE SPEED velocidade máxima para inicializar o
funcionamento
START CLOSE DIST distância de deslocamento no início do
fechamento da porta
ACCEL DIST OPEN distância entre o início e o fim da aceleração
na direção aberta
ACCEL DIST CLOSE distância entre o início e o fim da aceleração
na direção fechada
DECEL DIST OPEN distância entre o início e o fim da aceleração
na direção aberta
DECEL DIST CLOSE distância entre o início e o fim da
desaceleração na direção aberta
RAMP DOWN TIME prazo para deslocamento da velocidade
máxima até 0hz na ação reversa
REVERSAL TIME tempo de atraso para reabertura se a
velocidade for igual a 0 (zero)
f[100%] parâmetro do motor, característica F/U (max.
voltagem máxima a freqüência = xHz)
TORQUE LIMIT redução da voltagem em [x%] (Vred. = V -
x*V/100) durante fechamento
OPD IDLE_VOLTAGE redução de voltagem para estado inativo(DFO
para mais do que 15 segundos)
CLD IDLE VOLTAGE redução de voltagem para estado inativo (DCL
para mais do que 15 segundos)
NUDGING VOLTAGE redução de voltagem em [x%] (Vred. = V -
x*V/100)at NDG-run
OPEN PROTC TIME tempo de proteção de abertura da porta
(unidade: 1 sec)
CLOSE PROTC TIME tempo de proteção de fechamento da porta
(unidade: 1 sec)
NUDNG_PROTC_TIME tempo de proteção do nudging da
porta(unidade: 1 sec)

29
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
CHECK SECUR FLAG alarme para impedir verificações internas
(desabilitar=0, habilitar=1)
SYSTEM CONFIG configuração do sistema. 0=discreto, 1=em
série, 2=controle de relê
ROTOR SENSE alarme, que define a direção de rotação do
motor
ENCODER SENSE alarme, que define a direção e rotação do
codificador
POSITION_ERROR define a tolerância da posição ao erro
(max.=40mm)

Para o mostrador de ferramentas ver capítulo 3.6.1.1

Os parâmetros de engenharia não devem ser alterados pelo pessoal de campo.

3.6.4. Função de Inspeção (Teclas: 3.4)

Esta função é fornecida para registrar os comandos da porta pela ferramenta de serviço
ao DCSS, por exemplo, para testar o movimento da porta ou configuração de parâmetro.
Ou um simples comando como "Porta Fechada", "Porta Aberta" e "Nudging". Comandos
simples como 'Close Door', 'Open Door' and 'Nudging' podem ser fornecidos ou um
movimento contínuo pode ser ativado. Controlar a porta pela ferramenta de serviço é
possível somente se a chave de inspeção do topo do carro "TCI" for acionada e a
Ferramenta for ligada diretamente no DCSS.

Quando a Tecla "4" for pressionada na operação FUNCTION ou quando a tecla "SET" é
pressionada na camada inferior da hierarquia, os seguintes mostradores serão
apresentados:
+------------------------------+
|INSPECTION RUN=1 |
|CONTINUOUS RUN=2|
+------------------------------+

Pressionando as Teclas "1" ou "2" neste nível a operação se deslocará para o campo
correspondente.

3.6.4.1. Seqüência de Inspeção (Teclas: 3.4.1)

Este conjunto é usado para registrar comandos de portas simples. Seis comandos de
portas encontram-se disponíveis:

CLS_1 fechar normal enter [1]


CLS_2 fechar segundo perfil enter [2]
OP_1 abrir normal enter [3]
OP_2 abrir segundo perfil enter [4]
NDG operação de nudging enter [5]
STOP parar movimento da porta enter [6]

30
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Os comandos com os números correspondentes são exibidos na URM e podem ser
alternados com as teclas GOON/GOBACK.

Após registrar o primeiro comando, o modo supervisor de porta irá mudar do modo de
paralisação para o modo inicializar e a porta irá desenvolver um movimento de
inicialização dentro da posição em questão de maneira a determinar sua posição.

Posteriormente, o modo supervisor muda para "READY" e o movimento da porta


corresponde ao perfil de velocidade normal.

EXEMPLO: +--------------------------+
|D1: RDY INSP >< |
|CLS_1=1 op_1=2 >|
+--------------------------+

GERAL: +---------------------------+
| Status Display |
|CLS_1=1 OP_2=2 >|
+---------------------------+

As letras em minúscula representam o estado "off" (desligado) e as letras em Maiúscula


representam o estado "on"(ligado)

Usar as Teclas de "1" a "6" para registrar um comando de porta.

NOTE:

Após deixar este ponto do menu, o comando de porta em questão tornar-se-á inválido.

O modo de inspeção será interrompido retirando-se o Plug da URM.

Se a chave de TCI não for utilizada, a seguinte mensagem de erro será exibida:

+-------------------------+
|SET INSPECTION |
|SWITCH TCI |
+-------------------------+

31
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.6.4.2. Movimento Contínuo (Teclas: 3.4.2)

Esta função fornece um movimento de porta contínuo se a chave de Inspeção do Topo


do Carro for acionada e a Ferramenta de Serviço for ligada diretamente no DCSS. Após
iniciar o movimento contínuo, (pressionar a tecla [1]) a porta primeiramente desenvolve
um movimento de inicialização para determinar a posição real. Posteriormente, a porta
abre e fecha alternadamente com o perfil de velocidade normal.

EXEMPLO: +------------------------+
|D1: RDY INSP |
|START=1 stop=2|
+------------------------+

GERAL: +----------------------+
| Status Display |
|start=1 stop=2|
+----------------------+

As letras em minúscula representam o estado "off" (desligado), as letras em Maiúscula o


estado "on" (ligado).

Usar as Teclas "1" ou "2" para iniciar ou parar o movimento contínuo.

NOTE:

Ao deixar este ponto do menu, o movimento contínuo não será interrompido


automaticamente. Ele será desligado pressionando-se a tecla 2, retirando o Plug da
URM ou desacionando a chave de Inspeção.

Se a Inspeção do Topo do Carro não for acionada, a seguinte mensagem de erro será
exibida:

+-------------------------+
|SET INSPECTION |
|SWITCH TCI |
+-------------------------+

32
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.7 Lista de referências da URM

3.7.1 Descrição do Evento


Evento Nome do evento Descrição do evento
no

3100 use GOON Nenhum evento, utilize ‘GOON’ para acessar o próximo evento
3101 PROGRAM ERROR Comando errado de porta ou modo supervisor
3102 TCI SIGNAL ACTIV Sinal de inspeção de topo de carro ativo
3103 INITIALIZE RUN Inicializada execução
3104 OBSTACLE DETECT. Porta não pôde fechar devido a um obstáculo
3105 NUDGING RUN Ocorrência de nudging
3106 WRITE EEPROM Novo parâmetro foi armazenado no EEPROM
3107 PASS PROT NORM Proteção de passageiro ativada durante execução normal
3108 PASS PROT CNTRUN Proteção de passageiro ativada durante execução contínua
3109 SHUT DOWN MODE Modo desligado
3110 INSPECTION RUN Execução de inspeção ativada
3111 MAX OPD VELO Velocidade de perfil não atingida durante fase aberta de
velocidade constante
( desvio > 5 Hz )
3112 MAX CLD VELO Velocidade de perfil não atingida durante fase fechada de
velocidade constante
( desvio > 5 Hz )
3113 EXC OPD STOP VEL Velocidade real maior do que velocidade ditada 10 mm antes do
DFO
(desvio > 4 Hz )
3114 EXC CLD STOP VEL Velocidade real maior do que velocidade ditada 10 mm antes do
DFC
3115 EXC OPD CRP VELO Velocidade real superior à velocidade de abertura de
deslocamento no início da aceleração
3116 EXC CLD CRP VELO Velocidade real superior à velocidade de fechamento de
deslocamento no início da aceleração (desvio maior que 1 Hz)
3117 DEFAULT PARAMETR Tabela de parâmetro padrão no EEPROM
3118 REOPENING Estado da porta se modifica do fechamento à abertura
3119 -- NENHUM EVENTO --
3120 -- NENHUM EVENTO --
3121 EDS SIGNAL ACTIV Botão de Parada da Porta de Emergência (EDS) ativado
3122 SET UP INSTALL Tempo decorrido após ativação da instalação
3123 MCSS COMMUN ERR1 Comunicação MCSS está cortada
3124 E V E N T 24 -- NENHUM EVENTO --
3125 E V E N T 25 -- NENHUM EVENTO --
3126 E V E N T 26 -- NENHUM EVENTO --
3127 E V E N T 27 -- NENHUM EVENTO --
3128 E V E N T 28 -- NENHUM EVENTO --
3129 NO MORE EVENTS Fim da relação de registro de eventos

33
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.7.2 Descrição do Erro

Erro Denominação do erro Descrição do Erro


no

3200 use GOON Nenhum erro, use ‘GOON’ para acessar o próximo erro
3201 EMERGENCY STOP ! Erro geral fatal que resulta em parada de emergência
Descrição detalhada pode ser encontrada sob outro código de
erro
3202 ENCODER DEFECT Contagem de posição errada
Determinação de erro apenas se supervisor da porta estiver
no modo RDY
Checar posição de contagem (3-1-5) no Menu im
Checar sinal de direção do codificador num menu de Monitor
(<>abertura, >< direção de fechamento)
Checar conexão de cabo do codificador
3203 PARAMETER RANGE Parâmetro EEPROM acessado fora de alcance
Determinação de erro durante inicialização
Ajuda: acessar parâmetro correto (série de parâmetros, ver
apêndice)
3204 OPEN POSIT ERROR Posição de porta aberta medida <>portal retraído
(desvio + Valor de Erro de Posição) quando a porta estiver
totalmente aberta
Determinação de erro apenas se o sistema estiver no modo
‘READY’
Ajuda: checar conexão de cabo do codificador
3205 CLOSE POSIT ERR Posição de fechamento de porta medida > Valor de Erro de
Posição quando a porta estiver totalmente fechada
Porta está totalmente fechada
Determinação de erro apenas se o sistema estiver no modo
‘READY’
Ajuda: checar conexão de cabo do codificador
3206 NOT CLD IN TIME Tempo de fechamento de porta excede o valor EEPROM:
TEMPO DE PROTEÇÃO DE FECHAMENTO ou TEMPO DE
PROTEÇÃO CONTRA FECHAMENTO MANUAL
Determinação de erro apenas se o ‘SINAL DE CHECAR
SEGURANÇA’ = 1 e o sistema estiver no modo ‘READY’
3207 NOT OPD IN TIME Tempo de abertura de porta excede o valor EEPROM:
TEMPO
DE PROTEÇÃO DE ABERTURA.
Determinação de erro apenas se o ‘SINAL DE CHECAR
SEGURANÇA’ = 1

34
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Nota:
Se um erro de posição tiver ocorrido (3202, 3204, 3205, 3206, 3207) então verifique o
codificador de velocidade observando a contagem de Posição no menu 3-1-5 URM. O
contador de posição deve ser incrementado durante abertura e reduzido durante
fechamento. Se a porta estiver em movimento, mas o contador estiver errado, ele indica
um erro com o codificador de velocidade. No caso de nenhum movimento de porta o erro
3206/3207 será registrado também. Favor checar o motor da porta e cabo do motor.

3208 OVERCURRENT Ocorreu uma sobrecarga


Determinação de erro apenas se o sistema estiver no modo
‘READY’
3209 EXC OPD SPEED velocidade medida excede velocidade de perfil
80 mm à frente da porta totalmente aberta (desvio 2 Hz)
Determinação de erro apenas se o sistema estiver no modo
‘READY’ e o comando da porta estiver ‘OPEN’.
Ajuda: checar parâmetro (ponto de parada de fechamento,
desacel.,
3210 EXC CLD SPEED Velocidade medida excede velocidade de perfil
80 mm a frente da porta totalmente fechada (desvio 2 Hz)
Determinação de erro apenas se o sistema estiver no modo
‘READY’
Comando da porta está ‘CLOSE’ (Não ‘NUDGING’)
ajuda: checar parâmetro (ponto de parada de fechamento,
desacel., fechamento de distância)
3211 EXC OPD STOPPNT perfil de velocidade está no modo de torque de fechamento,
mas o Ponto de Parada de Fechamento não foi alcançado
Determinação de erro apenas se o sistema estiver no modo
‘READY’
3212 EXC CLD STOPPNT Perfil de velocidade está no modo de torque de fechamento,
mas o Ponto de Parada de Fechamento não foi alcançado
Determinação de erro apenas se o sistema estiver no modo
‘READY’
3213 SIO_ERR: FRAME Interface em série: cabeçalho de início errado
3214 SIO_ERR:SVT_BYTE Interface em série: Byte de Ferramenta de Serviço errado
3215 SIO_ERR:CHECKSUM Interface em série: byte de soma de verificação errado
3216 SIO_ERR:PARITY Interface em série: Paridade errada
3217 SIO_ERR:MCSS SYN Interface em série: Erro de Sincronização com o link MCSS
Ajuda: cheque o Tipo do Controlador (MCS311/321 ou
MCS411) e cheque o TERMINADOR DE LINHA no Menu
SETUP-INST

3229 no more errors Fim da lista de erros

35
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.7.3 Descrição de Parâmetro de Perfil

ABRIR
Condição
da Porta:

Ativação:
Distância de Ponto de Parada
Porta deslocamento de Abertura Porta
alcançada alcançado Aberta
fechada

Velocidade Máxima de
Abertura

Parar velocidade
Iniciar velocidade de abertura
de abertura

Parar velocidade de abertura Acionar tensão


(Fechar Tensão estacionária) estacionária

Posições Aceleração Desaceleração da


Iniciar
Programáveis: abertura da da Distância Distância de
distância de abertura abertura

Vão da Porta: Distância de


Abrir Fechar
0mm

36
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

FECHAR
Condição
da Porta:

Distância de
Ponto de Parada
Porta deslocamento Porta
de Fechamento
Aberta atingida fechada
atingido

Velocidade máxima de
fechamento

Velocidade de Nudging

Parar velocidade de
Iniciar velocidade de fechamento
fechamento

Parar velocidade de abertura Fechar voltagem


(Abrir voltagem estacionária) estacionária

Posições
Programáveis Iniciar Aceleração do Fechamento da
fechamento fechamento da Distância de
da distância Distância Desaceleração

Vão da Porta
Fechar
distância de
parar
0mm

37
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

3.7.4 Configurar Parâmetro

3.7.4.1 Parâmetro de Perfil (chave: 3.3.2)

Nome faixa unid Valor descrição


ade Default

START OPEN SPEED 1.....25 Hz 7 Velocidade iniciada na direção de abertura


STOP OPEN SPEED 1.....15 Hz 6 Diminui velocidade no final do percurso na direção
da abertura
OPEN STOP POINT 50..500 mm 120 Ponto de parada (distância) para iniciar desacel. no
perfil normal
OPN STOP POINT_2 50..500 mm 160 Ponto de parada (distância) para iniciar
desaceleração no segundo perfil
START OPEN DIST 0...600 mm 10 Distância da porta fechada até o ponto inicial de
acel.
STOP CLOSE SPEED 1....15 Hz 3.0 Diminui velocidade no final do percurso na direção
da abertura
CLOSE STOP POINT 50..500 mm 120 Ponto de parada (distância) para iniciar desacel. em
perfil normal
CLS STOP POINT_2 50..500 mm 150 Ponto de parada (distância) para iniciar desacel. no
segundo perfil
NUDGING VELOCITY 5.....25 Hz 10 Velocidade máxima em operação de nudging

nota: ver diagrama do perfil abrir/fechar

3.7.4.2 Outro Parâmetro (chave: 3.3.3)

nome faixa Uni- Valor descrição


dade Padrão

VOLTAGE BOOST 0....20 % 15 Parâmetro de motor: aumento de voltagem em baixa


freqüência, torque maior no início/parada
PASSENGER PROTEC 1...100 % 10 Sensibilidade da Proteção de Passageiro (valor
baixo-> mais sensibilidade)
TCI with BS7255 0.....1 0 Sinal: 1 = permite inspeção do topo do carro de
acordo com BS7255
MCS411: GSM-DIST 50...500 0 distância GSM, apenas para MCS411

EFS-OPERATION ? * 0 Sinal: 1 = permite operação EFS, não há segundo


perfil disponível
REL1 - DISTANCE * 10...500 mm 20 Sinal-DOL: dist. da porta aberta
REL2 - DISTANCE * 10...500 mm 20 Sinal-DCL: dist. da porta fechada
REL3 - DISTANCE * 10...500 mm 10 Sinal-GH: dist. da porta fechada
REL4 - CLOSE-DIST * 10...500 mm 100 Sinal-SGS: dist. da porta fechada
REL4 - OPEN-DIST * 10...500 mm 100 Sinal-SGS: dist. da porta aberta
REL5 - DISTANCE * 10...500 mm 10 Sinal-PMY: dist. da porta fechada
SGS - DELAY [ms] * 0...1000 ms 200 Tempo de retardo antes que o SGSout seja ativado
se SGSin=1
/SGS=0 SGS=1 * 0.....1 1 0 = baixa atividade, 1 = entrada altamente ativa
/SPEED=0 SPEED=1 * 0.....1 1 0 = baixa atividade, 1 = entrada altamente ativa
/NDG=0 NDG=1 * 0.....1 1 0 = baixa atividade, 1 = entrada altamente ativa

(*)nota: apenas visível e programável se a Configuração do Sistema = Controlador de Relé

38
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.7.4.3 Parâmetro de Engenharia (chave: 3.3.4)

nome faixa Uni- Valor Descrição


dade Padrão

MAX OPEN SPEED 12....63 Hz 35 Velocidade máxima de abertura (perfil normal)


MAX CLOSE SPEED 12....63 Hz 25 Velocidade máxima de fechamento (perfil normal)
MAX OPEN SPEED 2 12....63 Hz 40 Velocidade máxima de abertura (segundo perfil)
MAX CLS SPEED 2 12....63 Hz 30 Velocidade máxima de fechamento (segundo perfil)
START CLS SPEED 1......25 Hz 6 Velocidade inicial para direção de fechamento
INITIT SPEED 5......20 Hz 12 Velocidade máxima para Inicializar movimento
START CLOSE DIST 0....600 mm 0 Distância para deslocamento com velocidade de
fechamento inicial
ACCEL DIST OPEN 30...600 mm 60 Distância de aceleração para direção de abertura
ACCEL DIST CLOSE 30...600 mm 60 Distância de aceleração para direção de fechamento
DECEL DIST OPEN 30...600 mm 60 Distância de desaceleração para direção de abertura
DECEL DIST CLOSE 30...600 mm 60 Distância de desaceleração para direção de
fechamento
RAMP DOWN TIME 1...2500 ms 300 Tempo para redução do perfil da velocidade máxima a
0 durante uma ação reversa
REVERSAL TIME 1..5000 ms 100 Retardo de tempo antes de o perfil de velocidade
começar a aceleração para reabrir durante uma ação
reversa.
f[ U = 100%] 30....63 Hz 40 Parâmetro do motor: característica de volt./freq;
voltagem máxima atingida na freq. Xx
TORQUE LIMIT 0......20 % 10 Redução de voltagem durante fechamento para
reduzir o torque do motor
OPD IDLE VOLTAGE 1......30 % 20 Valor de voltagem = xx% da voltagem máxima quando
a porta estiver na abertura de estado inativo
CLD IDLE VOLTAGE 1......30 % 10 Valor de voltagem = xx% da voltagem máxima
enquanto a porta estiver no fechamento de estado
inativo
NUDGING VOLTAGE 5......50 % 20 Reduzir a voltagem em xx% da voltagem máxima
durante nudging
OPEN PROTC TIME 5......60 s 30 Timer de proteção aberto, o sistema desliga-se, se
excedido
CLOSE PROTC TIME 6......60 s 30 Timer de proteção fechado, o sistema desliga-se se
excedido
NUDGING PROTC TIME 15....60 s 40 Velocidade de nudging do temporizador de proteção; o
sistema se desliga, se ultrapassado o limite
CHECK SECUR FLAG 0/1 1 En/desabilitar checagens internas; desabilitar = 0
SYSTEM CONFIG 0.......2 0 Configuração da interface do sistema: 0 = distinto, 1 =
em série, 2 = controlador de relé
ROTOR SENSE 0/1 0 Sentido do rotor do motor
ENCODER SENSE 0/1 0 Sentido do codificador (sinal de direção)
POSITION ERROR 0.....10 mm 20 Limite máximo de erro de posição

39
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
3.7.5 Abreviações

2/S Porta Telescópica (Porta de Duas Velocidades)


C/O Porta de Abertura Central
DAC Conversor de Digital para Analógico (GO 27 BP 1)
DCSS Subsistema de Controle de Porta
HSDS Sistema de Porta de Alta Velocidade
MCSS Subsistema de Controle de Movimento
OCSS Subsistema de Controle Operacional
RAM Memória de Acesso Aleatório

Condições dos Supervisores de Porta

ESM Modo de Parada de Emergência


INI Inicializar Posição da Porta
RDY Modo Pronto
SHD Modo Desligado

Condições de Comando de Porta

Interface de Controlador Paralelo e de Relé


CLS Fechar Porta
OPN Abrir Porta
NDG Nudging

Interface em Série:
DED Desenergizar Porta
CLDn Fechar Porta (n=1..8)
OPDn Abrir Porta (n=1..2)

Geral:
INSP Movimento de Inspeção
BSO Comando de abertura de acordo com BS7255
BSC Comando de fechamento de acordo com BS7255

40
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Condições da Porta

[] Porta Totalmente Aberta


<> Porta Abrindo
][ Porta Totalmente Fechada
>< Porta Fechando
<P> Proteção Interna de Passageiro Ativada

Entradas DCSS (dependendo das diferentes configurações de sistema)

Interface de Controlador Paralelo e de Relé


DO Comando de Abertura de Porta
NDG Comando de Velocidade de Nudging
PROF Segundo Perfil de Velocidade

Interface em série:
DOB Botão de Abertura de Porta
EDP Protetor de Porta Eletrônico
LRD Dispositivo de Raio de Luz
SO Salvar para Abrir

Geral:
TCI Inspeção do Topo do Carro
EDS Parada de Porta de Emergência

Saídas DCSS

Interface Discreta
DOL Chave de Limite de Abertura da Porta
DOS Sinal de Reabertura da Porta (devido à Proteção de Passageiro)

Interface de Controlador de Relé


REL1 Relé 1: sinal DOL
REL2 Relé 2: sinal DCL
REL3 Relé 3: sinal GH
REL4 Relé 4: sinal SGL
REL5 Relé 5: sinal PMY
REL6 Relé 6: sinal SGS

41
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4 Rotina de Start-up

4.1 Escopo

O ‘DCSS’ é um sistema de acionamento de porta controlado por VF para o ‘DO2000’ e


para aplicações de ‘Modernização’. Este sistema funciona em interface com 3 tipos
diferentes de controladores. O DCSS pode ser controlado pelos sinais discretos (LCB),
por um link serial (MCSS) ou por um Controlador de Relé . Neste caso é necessário um
Placa de Interface adicional para atender ao volume acentuado de Entradas/Saídas.,
cujas voltagens de sinal podem variar entre 48 a 230 V.

A seleção da Interface é feita por intermédio do ajuste de um parâmetro no menu de


INSTALAÇÃO

4.2 Referências de Segurança

• Favor certificar-se de que o botão EDS está ao alcance quando um movimento de


porta for iniciado.
• No interior do DCSS, estão instalados vários dispositivos de alta voltagem (>310 Vdc).
A tampa da caixa deve ser fechada antes de ligar a força!

• Em caso de reabertura da caixa, espere pelo menos 1 min. após desligar a força, de
modo a garantir que o capacitor principal esteja descarregado!

4.3 Antes da Instalação

4.3.1 Codificador

O DO2000 requer um codificador de velocidade por incremento que possua as seguintes


especificações:
• dois canais com 500 pulsos por ciclo
• mudança de fase entre os canais +/- 45°
• Voltagem fornecida 15V
• Saída: Coletor Aberto ou Circuito NPN do tipo Push Pull
• Cabo blindado

Use somente codificadores autorizados dos tipos:


• Siko.....

A utilização de outros codificadores aumenta o risco de falha da função

42
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4.3.2 Alimentação de Energia

A alimentação será em geral feita diretamente através painel de chave principal na sala
de máquinas. Um dispositivo de corte automático para cada sistema de porta,
localizado no controlador do elevador, protege o cabo móvel e a caixa DCSS4 .
• O DCSS4 requer alimentação monofásica de 230Vac. No caso de não haver uma
fase neutra disponível o controlador do elevador tem que ser equipado com um
transformador adicional.
• De maneira a proteger o cabo móvel e a caixa DCSS4, apenas dispositivos de
corte automático com características classe C e um limite dentro da faixa de 2.5 A ...4
A são permitidos.

A classificação do DCSS:

Voltagem Nominal: 1x230V-240V AC, 50/60Hz, -15% / +10% (195V..264)


Voltagem de Saída: 3x 0
Corrente Nominal: 3x1.5Aac / Trifásico
Freqüência de Saída: 0..128Hz / Trifásico
Corrente de Fuga: 13mA

Potência Elétrica de Saída: 550VA contínua (Un=230V, In=1.5A, Ipico=8A)


Potência Mecânica de Saída: Potência de Saída x Eficiência(motor AC) x cosϕ =
550W x 0.5 x 0.6 = 165W

4.3.3 Ruído Eletromagnético e Interferência

O DCSS preenche os requisitos, desde que:


• o recinto esteja fechado
• blindagem do cabo do motor conectado à carcaça do motor e a bucha do cabo do
painel do dissipador de calor

Para evitar interferências no sinal do codificador, use somente cabo de codificador


blindado e conecte a blindagem ao pino P3.5

43
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4.4 Conexões
Antes de alimentar a força para o operador da porta, a conexões devem ser checadas;

• Conexão de aterramento dos pinos dos plugs P1.2, P2.3 e do dissipador de


calor
• Alimentação principal de 230Vac (1 fase, +10/-15%) no plug P1.1 e P1.3
• Conexão do motor via cabo blindado:
• Blindagem conectada à bucha do cabo e à saída da caixa
• 3 Fios do motor conectados à placa DCSS em U, V, W (P8, P9, P10)
• Motor aterrado à placa DCSS em PE (P13)
• Fios sensíveis a ruídos (cabos de sinal, conexões com link seriados)
não devem ser instalados próximo ou em paralelo ao motor ou cabos de
alimentação de modo a se evitar interferências !

• Corrente de Segurança: /EDS em P2.1 com retorno em P2.4.

• Interruptor de inspeção /TCI em P2.2 com retorno em P2.4.


• Codificador de Aumento de Velocidade (no plug P3):

• +15V em P3.1: Alimentação do Codificador.


• T1 em P3.2: Trajetória do sinal do codificador 1.
• T2 em P3.3: Trajetória do sinal do codificador 2.
• GND em P3.4&5: Aterramento e blindagem

4.4.1 Interface Discreta

• Alimentação:
30V a P5.1 com HL2 a P5.10
• Comando da Porta:
DO no P5.8 (30V ativo)
• Limite de Abertura da Porta de Saída:
/DOL no P5.3.
• Sinal de Abertura da Porta de Saída:
DOS no P5.2.
• Opcional: Comando de Nudging
/NDG on P5.5 (HL2 ativo)
• Opcional: Gerenciamento de fechamento
DCM on P5.4 (HL2 ativo)

44
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4.4.2 Interface Serial
• Uma fiação de par torcido para recebimento de dados em P4.1 para RxA e
P4.2 para RxB
• Uma fiação de par torcido para envio de dados em P4.3 para TxA e P4.4 para
TxB

• Ajuste o Terminador de linha e o endereço DCSS no menu INSTALAÇÃO: O


ajuste do Terminador de linha depende de quantos subsistemas (DCSS e
LWSS) estarão conectados aos condutores seriais (ver tabela)

DCSS /LWSS Uma Unid Duas Unids Três Unids


Unid 1 Terminador de Linha Terminador de Linha Terminador de Linha
ON ON* OFF
Unid 2 Terminador de Linha Terminador de Linha
OFF OFF
Unid 3 Terminador de Linha
OFF
*Fisicamente avançado !!!

• Alimentação de voltagem: 30V em P5.1 com HL2 em P5.10

• Sinal de Segurança: /SO em P5.4 e +30V

• Opcional: (a redesignação do pino é feita com a instalação ajustada para


interface serial)

• Botão de Abertura da Porta: DOB em P5.7 e HL2 em P5.10.


• Dispositivo de Raio de Luz: LRD em P5.8 e HL2 em P5.10. Protetor de
Porta Eletrônica:
• EDP em P5.5 e +30V em P5.1.

A tampa da caixa deve ser fechada antes de ligar a força!

A Ferramenta de Serviço OTIS conectada deve estar no módulo MCS. Proceda


pressionando "3" para abrir o menu DCSS. Uma descrição detalhada pode ser
encontrada no Manual da URM.

45
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4.4.3 Controlador de Relé / Caixa de Interface

Para controlar o DCSS por um Controlador de Relé, é necessário uma Caixa de Interface
adicional para atender ao aumento do volume de entradas e saídas.
Todas as entradas têm isolamento óptico e podem ser acionadas por fontes AC ou DC.
O nível de voltagem das entradas variam entre 48V até 240 Volts.
As saídas constituem-se de contatos de relé com potencial livre que podem ser usados
tanto para fazer como para interromper um contato.

Caixa de Interface

,-----------------. ,---------------------.
| | | |
CAIXA de INTERFACE | | D C S S |
(linha de segurança)| | | |
EDS --------->+ +---> ---------> /EDS (110V) |
TCI --------->+ +---> ---------> /TCI (110V) |
| .----. | | |
SGSin -------->+----->+ & | | | |
EFS -------->+--+-->+ +---->+--------------> DOB (30V) |
| | `----' | | |
Nudging-->+ +--------------+--------------> /NDG (to HL2) |
| | | |
(Sin.Controlador) | | | |
DO --------->+--+--- DO ---+->+--------------> DO (30V) |
DC ------------>+----DO/DC--+ | | |
| | | |
Int.VELOCID ---->+ +--------------> /SO (to HL2) |
| | | |
| | | |
(saídas) | .-------. | | |
<---- DOL -----+<---+ | | | |
<---- XMC -----+<---+ MUDA.-| | | |
<---- GH -----+<---+ REG. +<---+--------------< /DOL |
<---- SGL -----+<---+ +<---+--------------< DOS |
<---- PMY -----+<---+ | | | |
<---- SGSout---+<---+ | | | |
| `-------' | | |
| +--------------+ 30 V |
| +--------------+ HL2 (30V) |
| +--------------+ HL1 (110V) |
`-----------------' `---------------------'

Conversão de sinal pela CAIXA DE INTERFACE

46
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4.4.3.1 Entradas

Um máximo de 8 sinais de entrada pode ser conectado com uma variação de voltagem
entre 48V até 230V AC ou DC fornecido pelos vários tipos de instalações. Para cobrir
esta grande variação de voltagem, as entradas são divididas em duas faixas de variação
de voltagem. Uma variação opera de 48/-15% a 110 volts e cobre os sinais mais usados.
O outra entrada é usada para voltagens acima de 130V/-15% até o máximo de.
240V/+10%.

Para conectar estes sinais com o "DCSS" é preciso que eles sejam adaptados, pela
caixa de interface, para o nível de voltagem apropriado das entradas do sistema de
porta. Estes sinais são:

Sinal Interface: DCSS entrada:


Nome | Conector || Nome | Conector
var.voltagem | ENTRADA --> SAÍDA || |
-------------------------------------------------------------------------
EDS Parada da Porta de Emergência (Link de segurança) || |
48 a 110V | P7/10 to P7/12 --> P3/2 || EDS | P2.1 (110Vac)
>110V | P7/11 to P7/12 --> || |
-----------------------------------------------++---------+--------------
TCI Inspeção do Topo do Carro (Link de Segurança)
48 a 110V | P7/7 a P7/9 --> P3/3 || TCI | P2.2 (110Vac)
>110V | P7/8 a P7/9 --> || |
-----------------------------------------------++---------+--------------
SGSin Entrada de Sinal Reverso || |
48 a 110V | P7/4 to P7/6 --> P5/10 || DOB | P5.7 (30V)
>110V | P7/5 to P7/6 --> || | nota 1
-----------------------------------------------++---------+--------------
EFS Serviço de Bombeiro de Emergência ||
48 a 110 V | P7/1 to P7/3 ||
>110V | P7/2 to P7/3 || note 1
-----------------------------------------------++---------+--------------
DO Sinal abertura da porta ||
48 a 110V | P6/10 a P6/12 --> P5/9 || DO | P5.8 (30V)
>110V | P6/11 a P6/12 --> || | nota 2
-----------------------------------------------++---------+---------------
DC Sinal de fechamento da porta ||
48 a 110V | P6/7 to P6/9 ||
>110V | P6/8 to P6/9 || note 2
-----------------------------------------------++---------+---------------
2ª Prof Sinal Seg. Veloc. Prof. || |
48 a 110V | P6/4 a P6/6 --> P5/11 || /SO | P5.4 (to HL2)
>110V | P6/5 a P6/6 --> || | nota 3
-----------------------------------------------++---------+---------------
NDG Nudging || |
48 a 110V | P6/1 a P6/3 --> P5/12 || NDG | P5.5 (a HL2)
>110V | P6/2 a P6/3 --> || |
-----------------------------------------------++---------+---------------
47
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
nota 1:o sinal EFS somente desabilita o sinal SGSin
nota 2:o sinal DO pode operar como um único comando se S2 estiver sintonizado em
'DO' ou como uma combinação de sinal DO e DC. se S2 estiver sintonizado DO/DC.
nota 3:a entrada 2ºProf pode ser usado par exigir um perfil de segunda velocidade ou
indicar operação EFS se a entrada estiver programada no Menu SET_UP em
EFS_OPERATION=1
As entradas SGS, 2ª PROF e NDG podem ser programadas com entrada ativa 'alta' ou
'baixa' no Menu Setup 'OUTRO' (tecla:3-3-3)

4.4.3.2 Saídas

A caixa de interface possui 6 saídas de relé controladas por dois sinais de saída de 30V
do DCSS. As duas saídas controlam um registro de mudança de 8 Bits, onde um é um
sinal de dados e o outro de Clock. Para trazer um novo dado para a saída, o estado de
conformidade dos dados é inserido pelo clock no registro de mudança. Se 6 tipos de
dados são inseridos, a informação de saída completa é armazenada no registro de
mudança. No caso do 8o clock, o conteúdo do registro de mudança é engatado à saída
onde o acionador do relé arma os 6 relés de acordo com o estado dos dados.
Simultaneamente, o registro de mudança é apagado e fica pronto para ser escrito para
os próximos dados a serem inseridos. Este procedimento requer um máximo de
16x8,192ms =131 ms e a saída é atualizada neste tempo de ciclo.

As índices máximos de contato são 230Vac / 8A.

Nome Plug
Freio / Fazer cont. Descrição
---------------------------------------------------------------------
REL1 | P4/1-3 / P4/1-2 | usado como interruptor de limite de
abertura da porta(DOL)
| |
------+-----------------------+---------------------------------------
REL2 | P4/4-6 / P4/4-5 | Arma antes da porta totalmente fechada
| | (XMC0 (usado para elevador sem dispositivo de
engrenagens)
------+-----------------------+---------------------------------------
REL3 | P4/7-9 / P4/7-8 | usado com a porta totalmente fechada DCL)
| |
------+-----------------------+---------------------------------------
REL4 | P4/10-12 / P4/10-11 | usado como sinal SGL
| | Sinal para enfraquecer sensibilidade de EDP
------+-----------------------+---------------------------------------
REL5 | P5/1-3 / P5/1-2 | Arma antes da porta totalmente fechada(PMY)
| | (usado para tração de alta velocidade)
------+-----------------------+---------------------------------------
REL6 | P5/4-6 / P5/4-5 | Sinal de reabertura da porta com retarde
ajustável (SGSout)
------+-----------------------+---------------------------------------

48
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
As saídas são ativadas se o painel da porta tiver alcançado a posição programada. Esta
posição pode ser ajustada individualmente para cada relé ajustando-se a distância
através da URM no SETUP-OTHER Menu'. Exceto o Relé-6 de saída, que não tem
posição controlada. Esta saída será ativada se uma reversão for solicitada a partir do
sinal SGS input e se o retardo de tempo ajustável estiver desarmado. Para informação
adicional ver 4.4.2.2.

4.4.3.3 Alimentação e Aterramento

A Caixa de Interface será alimentada por 230V-240Vac, PE / 50Hz.. 60 Hz via quadro


principal e fusível no controlador e cabo móvel.

O DCSS deve estar conectado com a linha de força de 30V e com as linhas de retorno
HL1 e HL2 da Caixa de Interface.
Duas Linhas de Aterramento (Terra de Proteção PE ) poderão ser necessárias de
acordo com exigências de códigos locais!

4.4.3.4 Jumpers

- Sinal DO/DC:

Dependendo do ambiente do controlador, o comando abre/fecha porta pode ser um sinal


único 'DO' ou um sinal combinado 'DO/DC'. Para selecionar o módulo de comando único
DO, o jumper S2 tem que armar DO 1-2.

- Interface do Codificador:

Para livre escolha de codificadores, os sinais de saída podem ser adaptados através de
um ajuste do jumper S 1 para 'pull up' para coletor aberto e “push pull”, ou para “pull
down” no caso de outras aplicações. Geralmente o jumper está armado em 'pull up'.

49
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4.5 Primeira Instalação

4.5.1 Condições Iniciais

O DO2000 foi desenvolvido para operar entre 230V - 15% até 230V + 10%
Obviamente o torque do motor é influenciado pelo alimentação. Devido a este fato, favor
seguir os procedimentos de instalação com uma voltagem de alimentação próxima a
230V.
De outra forma não se pode garantir que:
• o desempenho do movimento da porta
• as forças de fechamento apresentadas
atendam o desempenho desejado e o código de requisitos ao longo de toda a faixa
de fornecimento de energia .

4.5.2 Rotina de Montagem (Instalação)


Para colocar o sistema em operação pela primeira vez, um conjunto de Parâmetros de
Porta tem que ser copiado na EEPROM vazia. Se isto não for feito, o sistema não irá
funcionar. No caso de uma instalação repetida, este passo pode ser pulado para se
evitar uma sobrescrita indesejável do parâmetro.
O parâmetro depende do tipo de porta e do tipo de controlador.

Além disso, a fiação do cabo elétrico do motor e do codificador de velocidade podem ser
checadas e corrigidas pelo software se não estiverem alinhadas com a direção do
movimento.

Para simplificar a instalação, o procedimento completo é guiado por menu e monitorado


na URM. O usuário só tem que seguir as instruções e confirmar os comandos.

A instalação inicia se o sistema for colocado no modo de 'INSPEÇÃO' e o Menu da URM


for colocado em 'INSTAL' :pressionando a seqüência de tecla 3-3-1 com a seguinte
exibição:
,-----------------.
| ROTINA SET UP |
|CONTINUE C/ENTER |
`-----------------'

Se você confirmar com <ENTER> será solicitado para configurar o PARÂMETRO


DEFAULT. Na primeira vez; você tem que entrar '1' para configurar o parâmetro.
Para evitar de sobrescrever um conjunto de parâmetros existentes, você pode entrar '2'
para ir para o próximo menu.

,-------------------.
|PARÂMETRO DEFAULT? |
| SIM = 1 NÃO = 2 |
`-------------------'

Neste menu o tipo de controlador pode ser escolhido pressionando a chave GO ON/GO
BACK. Para confirmar a seleção, deve-se completar com <ENTER>. Você pode
escolher entre uma interface DISCRETA (como MCS310,312,210...), uma interface
50
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
SERIAL (como 311,321,411) e uma Caixa de Interface para um controlador de relé. Esta
Caixa de Interface adicional deve ser conectado entre o Controlador do Relé e o DCSS4.

<ENTER>.
,-------------------.
| Interface: nnnnnn | nnnnnnn = DISCRETA
|use CONTINUE/ENTER | CAIXA de
`-------------------' Interface
. SERIAL

Se uma Interface Serial tiver sido escolhida, deve-se entrar no sistema de endereço,
configurar um Terminador de Linha e pedir o serial link tipo (MCS311/321 ou MCS411).
Se o sistema foi configurado para Caixa Interface ou Discreta, esta exibição não
aparece.

Na primeira vez deve-se entrar no sistema de endereço. Pode ser 'DCSS_1' para porta
da frente ou 'DCSS_2' para a porta alternada. Para um carro de checagem dupla, os
endereços são aumentados até 'DCSS_4'.

,------------------.
|ENDEREÇOS: nnnnn | nnnnnn = DCSS_1
|use CONTINUE/ENTER| DCSS_2
`------------------' DCSS_3
DCSS_4

Então o TERMINADOR DE LINHA deve ser configurado. Isto substitui o interruptor na


antiga placa de controle DCSS S1. Interruptor "Off" para sistemas de três portas
entrando com '1' e 'On' para um sistema único entrando com '2'. Para sistemas de 2
portas, o sistema mais distante é "On" o outro "Off".

,------------------.
| TERM. DE LINHA |
| SIM = 1 NÃO = 2 |
`------------------'

A última instalação para aplicação do serial link é especificar o tipo de controlador. Eu


tenho um controlador MCS311/321 ou um MCS411.?..
Escolha o tipo de controlador pela tecla GO ON e confirme na tecla ENTER.

,---------------------.
|TIPO DE CONTROLADOR: |
| use GO ON / ENTER |
`---------------------'
,------------------. ,------------------.
| Tipo: MCS 411 | ou | Outro (311...) |
|use GO ON / ENTER | |use GO ON / ENTER |
`------------------' `------------------’

Se a Caixa de Interface tiver sido escolhida, o sistema solicita o modo de operação


especial, chamado DOS. Neste modo, o Relé 3 da Caixa de Interface está 'on' durante a
abertura até que DOL seja alcançado quando DOS é configurado para '1'. Se o
parâmetro DOS = 0 então REL 3 está 'on' somente se a porta estiver fechada.
,------------------.
| DOS Sinal ? |
51
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
| SIM = 1 NÃO = 0|
`------------------'

Na próxima etapa a rotação do motor será conferida Você tem que entrar um comando
pressionando '1' para aberta ou '2' para fechada ou '3' para ir em frente.

,------------------.
| CH ROTAÇÃO MOTOR |
| FCH=1 ABR=2 Ñ=3 |
`------------------'

Se o movimento da porta estiver de acordo com seu comando de entrada você tem que
confirmá-lo com '1' de outra forma com '2' e o procedimento será repetido com um sinal
oposto

,------------------.
| PORTA ESTÁ nnnn | nnnn =ABRINDO
| SIM=1 Ñ=2 | FECHANDO
`------------------'

Se o sentido do rotor estiver errado então inicie novamente:

,-----------------.
| SENT ROTOR ERR. |
| SIGA COM ENTER |
`-----------------'

Se o sentido do rotor estiver correto então vá para o próximo passo com <ENTER>:
,------------------.
| SENT ROTOR OK |
| SIGA COM ENTER |
`------------------'
Para checar o codificador de velocidade entre um comando e observe o sinal de estado
da porta no canto esquerdo superior do mostrador. O sinal de estado da porta deve estar
em linha com o movimento da porta. Se não, o procedimento será repetido com um sinal
oposto.
,------------------.
| CH CODIFICADOR |
| FECH=1 ABR=2 Ñ=3 |
`------------------'

,------------------.
| CODIFICADOR OK?nn| nn = >< (fechando)
| SIM = 1 NÃO = 2| <> (abrindo)
`------------------'

Se o sinal do codificador estiver correto então vá para o próximo passo com<ENTER>.

,------------------.
| SENT.CODIFIC. OK |
| SIGA COM ENTER |
`------------------'

52
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Na última etapa a passagem da porta é medida através de testes. Para este propósito a
porta tem que primeiramente estar fechada para definir uma posição. No próximo passo
a porta abre e confere os sinais do codificador.
Se a porta estiver totalmente aberta, ela começa a se fechar novamente e mede a
passagem efetiva da porta. Nesta fase a passagem será mostrada em [mm] no
mostrador.

O usuário tem apenas que iniciar o Teste e confirmar a passagem medida no final. Esteja
ciente de que o sistema é configurado para o Modo de Inspeção pelo interruptor TCI.

,------------------. Inicie Teste.


1) | INICIE TESTE |
| PRESS. <ENTER> |
`------------------'
,------------------. Encontre posição fechada.
2) | TESTE |
| PORTA FECHANDO |
`------------------'
3) ,------------------. Confira sinais do codificador.
| TESTE |
| PORTA ABRINDO |
`------------------'
4) ,------------------. Testando passagem da porta.
| TESTE |
| POSIÇÃO: xx[mm]|
`------------------'
5) ,------------------ Confirme a passagem da porta e
|POSIÇÃO: xx [mm]| deixe funcionar com a Tecla
| FIM PRESS. "M" | 'Módulo.
`------------------'

Agora o Sistema de Porta está instalado e deve funcionar com bom desempenho.

Se o funcionamento não estiver a contento ou você quiser mudar o perfil, você pode
reajustar mudando o parâmetro com a Ferramenta de Serviço.

53
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
4.6 Configuração de Parâmetro

Se o movimento da porta não for suficiente com a primeira instalação, pode ser
melhorado ajustando-se o perfil de velocidade determinado e o espaço da porta.
Portando, são fornecidos menus de ‘Parâmetro de Perfil’ e ‘Outros Parâmetros’.

O Menu Parâmetro de Engenharia deve ser usado somente a nível de engenharia para
ter acesso a todos os parâmetros.

Uma lista detalhada de valores default de todas as combinações possíveis de tipos de


porta será encontrada na Lista de Referências de Ferramenta de Serviço.

4.6.1 Parâmetro do Perfil

Velocidade de Abertura Inicial / Distância de Abertura Inicial


O início e o fim do movimento da porta são os pontos mais críticos em se referindo
ao barulho. O barulho é resultante do acoplamento da porta do poço com a porta do
carro e o destravamento da trava da porta. Para se obter um início macio e reduzir o
barulho no início da abertura a VELOCIDADE DE ABERTURA INICIAL (define a
velocidade de arraste) e a DISTÂNCIA DE ABERTURA INICIAL (define o
comprimento da distância de arraste) podem ser ajustados.

Velocidade de Parar Fechar / Velocidade de Parar Abrir


Problemas semelhantes surgem se o movimento da porta estiver perto do fim. Para
parar a porta, a velocidade é reduzida em rampa à Velocidade de Parada iniciando
no Ponto de Parada. Se a Velocidade de Parada for muito alta, as portas correrão
com velocidade total para as posições aberta/fechada com muito barulho. De outra
forma, se a Velocidade de Parada for muito baixa, o torque não é suficiente para
trazer completamente a porta até as posições totalmente aberta/fechada.

Ponto de Abrir Parar/Ponto de Fechar Parar


Os Pontos de Parar são ao valores da distância medidos do início da desaceleração
e a posição totalmente aberta/fechada. Ao alcançar o Ponto de Parada, o perfil de
velocidade é reduzido em rampa para trazer a porta suavemente à posição
aberta/fechada final.
Se este ponto for muito próximo ao final do movimento, as portas batem em alta
velocidade nos limitadores. Então a distância do Ponto de Parada deve ser
aumentada.
Se os Pontos de Parada estiverem muito longe das extremidades, as distâncias de
arraste serão aumentadas e, consequentemente, os tempos de abrir/fechar.

54
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Velocidade de Nudging
Com o parâmetro da Velocidade de Nudging, a velocidade da operação pode ser
ajustada. Deve ser alta o suficiente para trazer a porta até a posição totalmente fechada
em qualquer caso. Por outro lado, não pode exceder o limite de torque que possa
colocar o passageiro em risco.

4.6.2 Outros Parâmetros

Estes parâmetros são usados para adaptar o DCSS aos diferentes modelos de tipos de
porta e tipos de controlador.
Alguns parâmetros são utilizados apenas com um Controlador de RELÉ e uma Caixa de
Interface.

4.6.2.1 Todos os tipos de controladores:

Elevação de Voltagem
O motor da porta é controlado por controle de Freqüência Variável. Para conseguir um
torque constante a voltagem deve ser proporcional à freqüência.
Em freqüências muito baixas a voltagem deve ser aumentada, o que é feito por este
parâmetro. Com uma maior Elevação de Voltagem, o torque será aumentado e a porta
seguirá o perfil de velocidade exigido mais acuradamente, mas isto fará com que o motor
superaqueça.

Proteção do Passageiro
A sensibilidade para Proteção do Passageiro pode ser ajustada por este parâmetro. Para
evitar uma reabertura indesejável, forçada por um desvio da velocidade determinada e a
real, o limite de deslizamento pode ser aumentado por este parâmetro. Mas um limite de
deslizamento alto reduz a sensibilidade de Proteção do Passageiro.

TCI com BS7255


De acordo com o Modo de Padrão Britânico BS7255, o controle do movimento da porta
deve ser possível sem Ferramenta de Serviço do topo do carro, através da Caixa de
Inspeção do Topo do Carro. Para selecionar este modo o parâmetro dever ser
configurado em '1'.

MCS411: GSM-DIST (usado somente para Interface de link Serial)


Se o Sistema de Porta for usado em uma aplicação MCS422, um sinal 'GSM' deve ser
gerado, o qual é enviado pelo link serial à placa MCSS.
Este sinal deve ser configurado se a porta tiver alcançado uma certa distância antes de
totalmente fechada. A distância pode ser programada de 50 a 500mm.

55
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

4.6.2.2 Somente Controlador de Relé

- Operação de Serviço de Bombeiro

A entrada do Placa de Interface '2º Perf.' é usada para selecionar um perfil de


segunda velocidade ou reconhecer uma operação de Serviço de Bombeiro de
Emergência se o parâmetro 'OPERAÇÃO _SBE'? foi configurado em '1'. Nesta
configuração não há perfil da segunda velocidade disponível.

- Posição dos Interruptores do Controlador de Porta


-
As saídas da caixa interface, representada pelos relés abordo, devem substituir os
interruptores de hardware do controlador de porta. Para ajustar estes interruptores a
posição pode ser programada pela Ferramenta de Serviço. A posição é dada em
(mm).
A seguir estão os relés e as descrições do parâmetros:

Saída: Configuração de Parâmetros:


Relé está:
][ ...............[]

REL_1 : distância para totalm. aberta XXX


REL_2 : distância para totalm. fechada XXXX
REL_3 : distância para totalm. fechada XXX____nota 1)
REL_4_FECHA: distância para totalm. Aberta
REL_4_ABRE: XXX___________XXX
REL5 distância para totalm. fechada XX relé está ativado
___ relé está desativado
REL 6: tempo de retardo em [ms]

REL 6 é controlado por tempo e disparado com o sinal SGS de entrada.


O tempo de retardo é programável e pode ser ajustado em [ms]

O relé REL_4 pode ser ligado na posição aberta ou fechada. É usado para cabinas com
sapatas de segurança mecânicas. Para outras aplicações deve ficar ativo na posição
fechada. Neste caso a distância de REL_4_OPEN deve ser configurada para 'O'.

Um destes parâmetros é um tempo de retardo programável para o interruptos SGS,


apresentado em milésimo de segundo. Com isto, a saída SGS deve ser configurada com
retardo definido se um dispositivo reverso tiver sido disparado.

nota 1) pode ser programado apenas se o sinal de parâmetro DOS for ‘O’, se DOS = ‘1’
o relé é ligado durante a abertura e será desligado ao alcançar DOL.

56
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

- Nível de Ativação de Entrada

As entradas podem ser configuradas ambos em entrada ativa ‘alta’ ou ativa ‘baixa’
pelo ajuste do controle em '1' ou '0'.
O estado de entrada pode ser inspecionado com a função de ENTRADA DO
MONITOR. Uma letra minúscula indica um estado não ativo de um sinal e uma letra
Maiúscula o estado ativo (não o elétrico).

4.7 Instalação do Controlador

[->Um Controlador-MCS deve ser configurado em "Operador de Porta=DO2000" (se não


disponível:"9550"). Para aplicativos OTIS-MCS, a Caixa Interface não é necessária.]

57
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

4.8 Descrição do Perfil

4.8.1 Perfil Aberto

Estados da Porta: ABERTO

Ativação: Distância de
arrasto
Porta alcançada Ponto de Abertura Porta
fechada alcançado Aberta

Veloc. Máxima de Abertura

Veloc. inic, Veloc. Par. Abert.


Abertura

Veloc.Par. Fecham. Voltagem Porta


( Voltagem Porta Abert
F h)

Posições
Desaceleração
Programáveis: Dist. Aberta
Dist. Início Aceleração
Abertura Dist. Aberta
Dist. Parada
Aberta

0mm
Vão da Porta:

4.8.2 Perfil Fechado

FECHADO 58
Estados da Porta:
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5 GUIA DE USO DA URM (DCSS 5)

5.1 Display e Disposição das Teclas


O painel frontal da ferramenta de serviço consiste de um display com 2 linhas, 16
caracteres por linha, e 16 teclas.
59
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Algumas teclas têm uma segunda função ativada pressionando primeiro o botão azul e
depois a tecla.
A disposição de teclas usada está mostrada abaixo:

5.2 Conexão ao DCSS

Quando conectado a algum subsistema, a URM realiza auto-testes e depois executa a


seqüência de configuração. O seguinte display aparecerá quando está estabelecida
comunicação normal com algum subsistema.

5.3 Visão geral

5.3.1 Visão geral do Menu

Welcome to DCSS
Press Button = 3

60
Monitor = 1 Test = 2 Tools = 4
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.3.2 Visão geral das Funções das Teclas

O painel frontal das URM´s consiste de um display com 2 linhas, 16 caracteres por linha,
16 teclas. Algumas teclas têm uma segunda função (marcada em cor azul) que é ativada
pressionando
SHIFT (primeiro a tecla completamente azul sem nome localizada diretamente abaixo
da tecla SET) e depois a tecla com a função desejada.

MÓDULO:

61
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Guias para o menu principal, a mensagem de boas-vindas do DCSS - interrompe a
instalação automática.

FUNÇÃO:
Guias para o menu de nível dois. Inativo durante a instalação automática.

CONFIGURAR:
Volta de um submenu para o nível de propriedade do Menu. Inativo durante a instalação
automática.

DISP IN:
Alterna entre a linguagem padrão e a linguagem alternativa

GO ON / GO BACK:
Navega através de por exemplo uma lista de rolagem de parâmetros pressionando GO
ON para a próxima e a função alternativa GO BACK para o elemento anterior da lista.

CLEAR:
Apaga o último valor registrado.

SHIFT & 7:
Nos níveis de menu principal e menu de inspeção, somente os seguintes tópicos são
apresentados:

Menu principal: Menu de inspeção:

Monitor=1 Teste=2 Simples=1 Cont.=2


Ferramentas=4

A fim de conseguir acesso ao menu de configuração ou ADAM pressione SHIFT & 7. O


display muda para:

Monitor=1 Test=2 Simples =1 Cont.=2


Configuração=3 Ferramentas =4 ADAM=3

SHIFT & 3:
Atalho para conseguir imediatamente o submenu SysCfg.
Informações adicionais se permanecer no menu Eventlog-Actual

SHIFT & 5:
Para destravar o DCSS se este permanecer em modo travado causado por um erro fatal
(teste de interface que falhou ou proteção do motor). Outra maneira de destravar o
sistema é ligar/desligar a energia.

62
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5.4 Operações do MÓDULO

A seguinte ação será realizada quando a tecla "MODULE" no painel de ferramentas de


serviço é pressionada:

Benvindo ao DCSS
Pressione o Botão = 3

5.5 Operações de FUNÇÃO


Quando a tecla "3" é pressionada em operação MÓDULO ou quando a tecla "FUNÇÃO"
tecla é pressionada em camada hierárquica inferior, o seguinte display será monitorado:

Monitor = 1 Test =2
Tools = 4

Para conseguir o menu CONFIGURAÇÃO favor registrar –shift & 7 - enter


Monitor = 1 Test =2
Setup = 3 Tools = 4

Se a tecla "1" a "4" é pressionada, a operação muda para o nível de menu SET.

Para a Função Monitor vide capítulo 5.7


Para a Função Test vide capítulo 5.8
Para a Função Setup vide capítulo 5.9
Para a Função Tools vide capítulo 5.10

5.6 Operações SET


Todas as operações estão descritas nos próximos parágrafos.

5.7 Função Monitor (teclas: 3.1)


Quando a tecla "1" é pressionada em operação FUNCTION ou quando a tecla "<SET>" é
pressionada em camada hierárquica inferior, o seguinte display surgirá:

Status = 1 Input = 2
Output= 3 Comnd =4

Pressionando as teclas "1" a "4" neste momento, a operação trocará para o campo
correspondente.
63
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.7.1 Exibição de Status (teclas: 3.1.1)


Em todos submenus a primeira linha do display é usada para mostrar as informações de
status do DCSS: Na segunda linha, será apresentada a atual posição da porta.

mmmm ccccc sss


900 mm

Descrição da primeira linha do display de status:

mmmm = modo DCSS

SERVICE = DCSS está em modo Service (TCI está ativado), configuração e testes
são permitidos. O DCSS executa somente comandos de porta.
WORKING = DCSS está em modo normal (TCI & EDS desativados) e o sistema é
instalado. Toda funcionabilidade está disponível.
NOTSTOP = A porta está desenergizada, causado pelo TES ativado

cccccc = status operacional do DCSS:

RDY = Posição da porta válida – executando perfis normais


SHD = Porta parada e desenergizada devido a evento crítico ou depois de ativar.
RRM = restaurar o modo pronto depois de erro de posição (execução de perfil
inverso)
INI = Posição da porta não válida, execução lenta de perfis Ini
DED = Porta está desenergizada
RED = Reduzir operação quando o sistema não está instalado – somente
execução lenta de perfis Ini
LCK = DCSS I travado devido a evento sério – sistema continuamente
desenergizado, manutenção exigida.
Desligue o suprimento de energia do DCSS e ligue novamente após 5
segundos, para destravar o sistema. (ou use a tecla escondida na URM:
“shift &5”).

64
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
sss = status do movimento da porta:
<> = abrir
>< = fechar
[] = aberto
][ = fechado
[?] = porta talvez está aberta (posição não válida e.g. ainda desconhecido)
]?[ = porta talvez está fechada (posição não válida e.g. ainda
desconhecido)
>|< = porta está parando
| = porta está parada
--- = status depois de ligar a energia
??? = movimento da porta desconhecido, por exemplo se o codificador foi
avariado

Descrição da segunda linha do display:

A posição da porta é calculada de acordo com os pulsos do codificador de velocidade e


é apresentado em [mm]. Corresponde ao curso da porta e é 0 mm, se a porta estiver
totalmente fechada.

Volta com a tecla de função ‘Module’, ‘Função’ ou ‘Set’.

5.7.2 Exibição do Status de Entrada (teclas: 3.1.2)


Esta regulagem é usada para display o atual estado do sistema e os diferentes inputs.
Exemplo:
Working RDY ][ Working RDY ][
ST1 st2 ST3 > (CLD) rev> use GO ON

Geral:
Status display Status display
111 222 333 > (4444) 555 use GO ON

Os diferentes campos de números no display mostram os diferentes inputs, letras em


minúsculas representam o estado "desligado", letras em Maiúsculas o estado "ligado".

Os inputs são:
primeiro display
111 ST1 controle da linha 1 do quadro RS
222 ST2 controle da linha 2 do quadro RS
333 ST3 controle da linha 3 do quadro RS

segundo display
(4444)comando decodificado da interface de 3 fios (ST1-ST3)
555 REV sinal reverso (EDP ou LRD)

65
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Tabela de descrição do sinal de controle:

ST1 ST2 ST3 REV Comando de Comentários


Porta

0 0 0 X DED & EDS para de emergência da porta


0 0 1 X DED TCI, comando pela URM
0 1 X X CLD fechar, PassProt. e Rev desativado
1 0 0 X NDG aproximando, PassProt + Rev
desativado
1 0 1 0 CLD&REV fechar, PassProt + REV ativado
1 0 1 1 CLD&REV abrir devido a dispositivo Rev ativado
1 1 X X OPN abrir

5.7.3 Exibição de Status de Saída (teclas: 3.1.3)


Esta regulagem é usada para display o atual estado do sistema e as diferentes saídas.
Exemplo:

WORKING RDY [ ]
DOL dos

Geral:
Status display
111 222 >

Os diferentes campos de números no display mostram os diferentes inputs, letras em


caixa baixa representam o estado "desligado", letras em caixa alta o estado "ligado".

As saídas são:
1111 DOL (Limite de Porta Aberta), será ajustado quando a porta atingiu a
posição totalmente aberta
2222 DOS (Sinal de Porta Abrindo), será ajustado se o DCSS iniciar uma
inversão, causada pela proteção interna da porta.

5.7.4 Display do Comando de Status (teclas: 3.1.4)

Este serviço não está disponível para o DCSS com uma interface de 3 fios.

Atualmente não
disponível . . .

66
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5.8 Função Test (teclas: 3.2)

Quando a tecla "2" é pressionada em operação FUNCTION ou quando a tecla "SET" é


pressionada em camada hierárquica inferior, surgirá o seguinte display:
Event = 1 Maint. = 2 IntrfChk
<GO=ON/GO
4 BACK>
Part = 3 > SysCfg = 5 >

Os eventos são armazenados na ordem de sua ocorrência. Um carimbo de registro de


hora incluído fornece a relação com a hora atual (disponível em 3-2-1-3).

Na hora em que pressionar as teclas "1" até "5", a operação trocará para o campo
correspondente.

5.8.1 Display do Menu de Eventos (teclas: 3.2.1)


Pressionando a tecla “1”, você vai ao submenu de eventos. O registro de eventos é
usado para mostrar informações sobre eventos detectados. Há 3 diferentes maneiras de
armazenar os eventos.

Actual =1 EvLog = 2
History = 3 Del = 9

5.8.1.1 Display Atual (teclas: 3.2.1.1)

O evento atual mostra os últimos 16 eventos mais recentes, iniciando com o mais antigo
evento. Um carimbo de hora está incluído. Estes eventos não são armazenados
permanentemente e serão perdidos ao desligar a energia. Informações adicionais serão
apresentadas pressionando ‘shift 3’.

EXEMPLO

I26 Open Timeout I26 <>


0001 0000:43:12 OPN 000000836
<shift 3>

GERAL:

abb event name .... abb sss....


ccccc dddd:hh:mm uuu xxxxxxxxxx <shift 3>

abb = número ID do evento, consiste da classe do evento e seu número:


As classes de eventos são:
I = Informações apenas: resulta de operação normal. Por exemplo: registro do
evento de ligar, operação de inversão, etc.

67
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
W = Alerta: Somente para fins de manutenção. O DCSS é capaz de
resolver a situação. O funcionamento não é afetado.
Inspeção é recomendada, por exemplo ‘Registro Lotado.

E = Erro: Manutenção exigida: evento sério, espera-se degradação


do funcionamento, por exemplo : ‘3-WireComFail’.

Uma descrição detalhada dos números e nomes dos eventos encontra-se na Lista de
Referência da URM.

Os diferentes campos no display da segunda linha mostram:


cccc = Número de ocorrências
dddd:hh:mm = carimbo da hora do último evento, o formato da hora é:
dias:horas:minutes
sss = DCSS - status do movimento da porta (vide Monitor – Status)
uuu = DCSS - status operacional (vide Monitor – Status)
xxxxxxxx = a posição em curso durante o evento foi registrada

Pressione <GO ON> ou <GO BACK> para rolar através dos eventos que ocorreram
desde o último reset do sistema.
OBS.: Os eventos em curso não são armazenados permanentemente! Eles são
perdidos após desconectar a energia principal.

5.8.1.2 Display do EvLog (teclas 3.2.1.2)

Este display de registro de eventos mostra as ocorrências acumuladas de cada evento


informando o carimbo da hora do registro dos erros detectados. Este carimbo da hora
mostra quanto tempo passou desde que o evento ocorreu.
Estes eventos são armazenados permanentemente. Eles podem ser excluídos pela
função ‘Del’ (tecla 3.2.1.9).

EXEMPLO:

I26 Open Timeout


001 .. 000043h12

A primeira linha mostra o número de ID e o nome do evento. A segunda linha mostra o


número de ocorrências e o tempo decorrido desde que o último evento foi apresentado.
Esta representação é a mesma que no DCSS4.

Pressione <GO ON> ou <GO BACK> para rolar através dos erros, que ocorreram desde
o último reset do sistema.

68
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.8.1.3 Display do histórico (teclas 3.2.1.3)

Nesta lista histórica, todos os eventos são registrados na ordem de sua ocorrência. Um
carimbo de registro de hora incluído fornece a relação para a hora presente.

Time=1 First = 2
Last = 3

Horário: (teclas 3.2.1.3.1)


Este sistema de horário é a referência para a hora de registro do histórico e do evento de
fato. O horário é persistente e será inicializado com o último valor de antes de desligar o
DCSS. De modo que este horário representa o tempo de vida total do DCSS5. O formato
é: horas:minutos:segundos
System Time:
10043h12m36

Primeiro: (teclas 3.2.1.3.2):


Último: (teclas 3.2.1.3.3):

Você pode iniciar a lista de histórico desde o primeiro registro de evento ou desde o
último. Para rolar através da lista use <GO ON/GO BACK>
I01: Start of Log
01h28:53

5.8.1.4 Display Del (teclas: 3.2.1.9)

Com esta função a completa lista de registros de eventos pode ser excluída. Esteja
atento que a chave TCI esteja ativada. Aparece um aviso e o usuário deve confirmar a
ação.

5.8.2 Manutenção (teclas: 3.2.2)


Apresenta o tempo de operação acumulado do DCSS e é usado para supervisão de
longo prazo da vida útil. O formato deste tempo de manutenção é: ‘horas:min:seg dias
anos’.
Com <GO ON/GO BACK> o número absoluto de cursos completos da porta será
apresentado.

Days alive: Total cycles: <GOON/GO BACK>


16:28:53 223 01 > 2600

69
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.8.3 Número da Peça (teclas: 3.2.3)


Mostra o número de configuração do software e a data de liberação.

GAA30328AAA
(date / number)

5.8.4 Exame da Interface (teclas: 3.2.4)


Esta função inicia uma longa seqüência de exames da interface para testar a interface
separada de 3 fios. Use este recurso se ocorrer algum problema de comunicação entre
DCSS e LCBII/TCB. Preste atenção, se a chave TCI está ligada, senão o exame falhará!
Cada vez que um exame é iniciado, o DCSS envia uma solicitação ao LCB/TCB ativando
ambas saídas (DOL = 0V, DOS = 24V). Dentro de um intervalo de tempo de 400 ms o
controlador envia um padrão de pulsos para o DCSS. Se o DCSS detectar transição de
nível de linha de sinal de comando errado, ele repete a seqüência de exame mais 3
vezes. No caso de todas as tentativas falharem, DCSS passa para o modo travado.
Neste modo o DCSS ignora os comandos recebidos da interface separada.

Check Interface ?
<1>YES NO<0> TCI está ativado?

Se o exame foi iniciado, após alguns segundos apresentará a seguinte mensagem se


não tiverem sido detectados erros:

Interface OK !
<ENTER>

Em caso de um erro, o DCSS entra em Estado Travado e mostra a causa da falha do


exame. Para maiores detalhes veja a Lista de Referência da URM.

Corrija a fiação e inicie novamente o Exame da Interface.

5.8.5 Configuração do Sistema (teclas:3.2.5)


Neste menu a configuração atual do ambiente pode ser mostrada. Para reprogramar a
configuração, use o menu SETUP.

Motor: DO2000 Porta: TLD


Encoder: DO2000 900 mm
<GOON/GOBACK>

Motor: DO2000 / HSDS


Codificador DO2000 / HSDS
Tipo de porta TLD / CO
Largura da porta em xxx [mm]

70
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5.9 Funções de Configuração (teclas: 3.3)

Atenção:
Quando a URM for ligada pela primeira vez, o menu SETUP não aparece no display.
Favor teclar shift & 7 para tonar visível o menu SETUP.

Monitor=1 Test=2 Monitor=1 Test=2


<SHIFT & 7>
Tools=4 Setup=3 Tools=4

Quando a tecla "3" é pressionada em operação FUNCTION ou quando a tecla "SET" é


pressionada numa camada hierárquica inferior, o sistema trocará para a função setup e o
seguinte display é mostrado:

Inst1=1 Inst2=2
Field=3 Eng=4

Pressionando as teclas de "1" a "4" neste nível, você trocará para o campo
correspondente onde é possível mudar os parâmetros da configuração.

Uma lista de todos os parâmetros da configuração e sua faixa de valores é mostrada na


seção Lista de Referências da URM.

Atenção:
Para registrar um novo valor ou para rodar a rotina de Instalação, o DCSS deve estar no
modo Service colocando o TCI para inspeção. Um sinal TES ativo ou perda de TCI
interrompe imediatamente qualquer ação de configuração.

Antes de uma instalação INST1 bem sucedida, o DCSS5 opera em modo reduzido, e.g.
a porta funciona somente em baixa velocidade.

Um parâmetro é armazenado permanentemente na memória Flash somente depois que


o menu é desativado com uma das teclas de função (Módulo, Função ou Set).

5.9.1 Primeiro Instalação Perfil 1 (tecla 3.3.1)


Na primeira vez que o DCSS é colocado em operação, o DCSS precisa rodar uma rotina
de Instalação para encontrar os parâmetros de sistema ideais para aquele mecanismo
de porta e ambiente elétrico específicos.
O 'Menu de Instalação' completo roda em parte automaticamente. Apenas algumas
poucas confirmações precisam ser entradas pelo usuário.
A fim de simplificar a instalação, o procedimento completo é acionado por menu e
visualizado na URM. O usuário só precisa seguir as instruções apresentadas e confirmar
as solicitações. Na primeira etapa, o DCSS5 pede pela declaração dos componentes do
ambiente e na segunda etapa, executa um ciclo automático de treinamento para o perfil
1 (2) configurado.
71
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Para rodar a Rotina de SETUP o sistema deve ser colocado em modo Service (TCI
ativado). Antes de poder iniciar a instalação, a interface de 3 fios deve ser examinada
contra fiação errada ou que funciona mal.
Se o controlador principal aceitar um segundo perfil, a mesma instalação deve ser
executada com o menu Inst2 (não disponível na versão SW GAA30328AAA).

Config=1
SetDef=9

Use as teclas "SET", "FUNCTION" ou "MODULE" para interromper a rotina de


instalação.

5.9.1.1 Configuração (teclas 3.3.1.1)

Etapa 1: Declaração dos componentes do ambiente:


Na primeira etapa, o DCSS 5 solicita a declaração dos componentes do ambiente.
Com a seta, bem à esquerda no display, o item pode ser selecionado. Para trocar para
outro item, use <GOON/GOBACK>.
Depois da seleção, confirme-a dando um <ENTER> e o próximo componente estará
disponível.

Motor: você pode escolher 2 tipos de motores.

> Motor: DO2000 <USE GO ON/ GO BACK, para selecionar o tipo


Motor: HSDS de motor >

<ENTER>

com <ENTER> você confirma a seleção e passa para a próxima etapa.

Tipo de porta: porta de abertura telescópica (TLD) ou central (CO)

> Door: TLD <USE GO ON/ GO BACK, para selecionar o tipo


Door: CO de abertura >

<ENTER> .

Largura da Porta: entre a largura física da porta em [mm]. O valor padrão no display é
de 900. Para sobrescrevê-lo, entre com o novo valor e confirme com <ENTER>.
Doorwidth [mm]
<INSERIR A DISTÂNCIA DA ABERTURA LIVRE>
00900mm > ______
<ENTER>

Codificador: selecione um codificador padrão com <GOON/GOBACK> ou se você tiver


um tipo que não seja padrão OTIS você pode configurar um codificador definido pelo
usuário.
72
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

> Encoder DO2000 > Encoder: user


Encoder: HSDS > <GOON/GOBACK> defined

Se você escolher um codificador padrão a configuração é concluída com <ENTER>.

Codificador definido pelo usuário:

Se você escolher um codificador definido pelo usuário entre a resolução do codificador


como segue:

Exemplo:
- Resolução do codificador: 500 incr. por rotação e track (por exemplo
DO2000 padrão)

- Processamento de sinal: o processamento interno de sinal do


DCSS multiplica a resolução por 4
- Relação entre codificador
e rotação do motor: 5 : 1

(resolução do codificador x 4)
registre o valor de acordo com a fórmula - ------------------------------------------
(relação codificador-motor)

favor registrar (500 * 4) / 5 = 400

Depois de completar a declaração dos componentes do ambiente, o DCSS 5 prossegue


com o ciclo automático de treinamento para o perfil configurado 1 (2).

Etapa 2: Instalação automática do Perfil 1 (2) configurado

O ciclo automático de treinamento consiste de 5 elementos:

73
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

1: Teste de Sensor:

O DCSS aprende a seqüência de fiação do motor e do codificador.

O DCSS tenta abrir ou fechar a porta. Se o sistema não detectar suficiente movimento de
porta, dentro de determinado espaço de tempo, ele inverte automaticamente a direção.
Se não houver movimento em nenhuma direção o torque será aumentado e o ciclo de
teste começará de novo. Se mesmo com torque máximo não houver movimento da
porta, a rotina de instalação aborta com a mensagem de erro Sense Test Failed

Prep SenseTest
Please wait !

Esta mensagem será mostrada se o teste falhar:

Door is opening ? Sense Test failed


<1> YES <0> NO <ENTER> se falhou, inicie de novo>

Do Config again:
<ENTER>

Observe o movimento da porta e responda a pergunta.

Se a porta está totalmente aberta, esta começa a fechar:

Door is closing
Please wait !

Se a porta estiver totalmente fechada, a seguinte pergunta deve ser respondida:

Door is closed?
<1> YES <0> NO

Etapa 2 Aprendendo curso da porta:

O DCSS 5 primeiro fecha a porta e depois abre-a completamente. Os incrementos de


codificador acumulados durante o procedimento de abertura representa o curso da porta.

Door is opening?
Please wait !

74
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Se a porta estiver totalmente aberta, a seguinte pergunta deve ser respondida:

Door is opened?
<1> YES <0> NO

Se você responder YES, a porta começa a fechar para preparar-se para a próxima
etapa.
Door is closing
Please wait !

Etapa 3: Aprendendo Cursos de Arrasto:


O DCSS 5 aprende a distância de travamento e os torques necessários para abrir e
fechar a trava. O curso de arrasto de começar a abrir e o curso de arrasto de fechar são
derivados da distância de travamento.

Learn Creep Ways


<Enter>

Pressione <Enter> para continuar:

Lock Distance Check


Please wait !

A porta abre um pouco e fecha diversas vezes

Lock Dist Check


Please wait !

Se a função estiver concluída, o DCSS 5 passa à próxima etapa:

75
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Etapa 4: Aprendendo Torques:


O DCSS 5 abre a porta com velocidade de inspeção e encontra o torque mínimo
necessário para abrir a porta completamente. Se o comportamento do curso estiver fora
da faixa de tolerância, o teste será repetido aplicando um valor de troque aumentado.
Todos os torques de aproximação assim como os torques de fechamento são derivados
para o valor de torque de inspeção examinado.

Learn Torques
<Enter>

Pressione <Enter> para continuar:

Learn Torques
Please wait !

Se o torque aprendido for suficiente para abrir a porta completamente, o DCSS fecha
novamente a porta para ser preparado para a próxima etapa.

door is closing
Please wait !

A etapa 4 está concluída se a porta estiver totalmente fechada e o seguinte display


aparecer:

Prepare Profiles
Please wait !

5. Aprendendo Ganho Frontal:


O gerador de perfil fornece valores de comando de velocidade e
aceleração/desaceleração. Devido ao principal físico de um motor AC a
aceleração/desaceleração exigida só pode ser alcançada aumentando/diminuindo a
velocidade comandada proporcionalmente à aceleração/desaceleração exigida.
Este controle de torque open loop forward coopera com os parâmetros Forward Gain Up
e Forward Gain Down do controlador. O DCSS opera fechamentos rápidos de porta e
observa o comportamento de tracking durante a desaceleração. Ele muda o fator de
Forward Gain Down enquanto o comportamento de tracking desejado é alcançado.

Learn Forward Gain


<Enter>

Primeiro, o DCSS abre a porta.


Door is opening
Please wait !

76
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Depois o sistema inicia um ciclo de teste de fechamento observando o comportamento


de frenagem. Se a distância de frenagem for maior que a calculada, a porta abre
novamente e inicia outro ciclo de teste de fechamento com parâmetro de controle
modificado.

Forward Gain
Check Please wait !

Este loop ocorre até que os parâmetros de controle ideais são investigados. Parâmetros
afetados:

P1: FeedUp-Gain
P1: FeedDown-Gain

O procedimento está concluído se o seguinte display aparecer:


Writing Gains
Please wait !

Parabéns! Se você alcançar este ponto, você instalou com sucesso o DCSS 5.

Em caso de insuficiente comportamento de frenagem, a mensagem de erro ERR: Gain


Setting aparecerá no display.

Atenção:

A instalação continuará, mas devido à etapa de instalação que falhou, o que resulta em
degradação de desempenho, o DCSS permanece, depois de finalizada a instalação, em
modo reduzido e.g. somente perfis lentos serão executados.

Para análise de causa de rota de erro, refira-se aos Procedimentos de Localização &
Reparo de Defeitos .

5.9.1.2 Configuração de Padrão (tecla 3.3.1.9)

Em caso de CONFIGURAÇÃO errada, você pode rescrever o parâmetro de sistema por


um conjunto de parâmetros padrão. Certifique-se de que o DCSS esteja em Modo de
Serviço (TCI esteja em Inspection).

Set Defaults ?
<1> Yes No <0>

Depois da confirmação, aparecem os seguintes displays:

Setting Defaults
Please wait !

77
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Writing Config
Pease Wait !

5.9.2 Primeira Instalação do Perfil 2 (tecla 3.3.2)


Se o controlador aceitar um segundo perfil de velocidade, o DCSS 5 precisa executar um
ciclo adicional de instalação para o segundo perfil. O procedimento para determinar o
perfil e parâmetro de torque é exatamente o mesmo que para o primeiro perfil. Este
recurso está disponível na versão SW GAA30328BAA.

5.9.3 Configuração de Parâmetros – Campo – (tecla 3.3.3)


O DCSS 5 oferece dois conjuntos de perfil, cada um contendo uma abertura normal, um
fechamento normal e perfis Ini. Padrão é o conjunto de perfil 1. O segundo perfil
configurado só é usado por solicitação do controlador do elevador.

O menu Field é um contêiner para parâmetros relativos a ambos conjuntos de perfil que
podem ser tocados a fim de adaptar o desempenho da porta à expectativa do cliente.
Por exemplo, modificar tempos de abertura e fechamento, velocidades de aproximação,
etc.

A entrada de parâmetro é examinada em certa medida pelo DCSS antes de ser


substituído por um novo valor. Durante o registro do parâmetro, o valor é examinado em
relação aos limites superior e inferior. Se o parâmetro ultrapassar este limite, o valor
máximo permitido será configurado em vez disso.

Profile Set1 = 1
Profile Set2 = 2

Exemplo:

P1: Open RunTime


03000ms > ______

entre um novo valor e confirme-o com <ENTER>

Geral:
aa: bbbbbbbbbbbbbbb
ccccc dd > ______

aa: P1 indica perfil configurado 1, P2 indica perfil configurado 2


bbbbbbbb: nome do parâmetro configurado
ccccc valor armazenado em flash
dd unidade
______ reserva de espaço para entrar um novo valor

Vá ao próximo parâmetro com <GOON/GOBACK>


Uma descrição completa de todos os parâmetros pode ser encontrada na seção Lista de
referências da URM.
78
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.9.4 Configuração de Parâmetros –Engenharia - (tecla 3.3.4)


Este menu oferece acesso a parâmetros de instalação na maioria das obras nunca
precisam ser modificados. Não obstante, a experiência mostra que não há como atingir
cobertura de 100% para todas as obras, por isso queremos lhe dar mais flexibilidade. O
parâmetro Engenharia só deve ser usado por usuários experientes e treinados. Para
melhor visão geral, os parâmetros estão divididos como segue:

Prof1= 1 Prof2 = 2
Cntrl= 3 Other = 4

Prof1:
Parâmetros do conjunto de perfis padrão 1

Prof2:
Parâmetros do conjunto de perfis alternativos 2

Cntrl:
Parâmetros de controle de circuito fechado

Outros:
Contêiner para o resto

Use "<GO ON>" / "<GO BACK>" para rolar através dos parâmetros de configuração
disponíveis.
Use as teclas numéricas para registrar um novo valor e confirmá-lo com a tecla
"<ENTER>".

Uma completa descrição de todos parâmetros pode ser encontrada na seção Lista de
Referências da URM.

5.10 Ferramentas (teclas: 3.4)


Inicia ciclos de teste comandando o DCSS pela URM e publica informações de
diagnóstico.
Controlar a porta por meio da ferramenta de serviço ou ter acesso remoto por meio da
ferramenta ADAM só é possível se a chave Top of Car Inspection 'TCI' está ativada.

Use este recurso para fins de instalação e manutenção.

Single=1 Cont.=2 Single=1 Cont.=2


<shift&7> ADAM=3

79
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.10.1 Simples ( teclas 3.4.1)


Executa comandos simples de abrir ou fechar. Selecione entre operação com
dispositivos de inversão ativados ou desativados.

Open=1 Close=2
Stop=3 RevCls=4

Os seguintes comandos podem ser registrados


Open : é o comando para a porta abrir
Close: é o comando para a porta fechar (dispositivo de inversão & proteção
de porta desativada)
Stop: é o comando para a porta parar
RevCls: é o comando para a porta fechar mas dispositivos de inversão estão
ativados

5.10.2 Contínua (teclas 3.4.2)


Inicia operação contínua de abrir/fechar. Inicia e pára o funcionamento contínuo e
seleciona entre operação com dispositivos de inversão ativados ou desativados .

Continuous Run
inicia funcionamento contínuo
Start = 3 > (dispositivos de inversão estão ativados)

pressione <GOON> para desativar os dispositivos de inversão durante funcionamento


contínuo:

disabled RevDev
Start = 3 >

Trocar para outro menu não interrompe o movimento da porta. Enquanto operar em
funcionamento contínuo, modificação de parâmetros e a configuração automática estão
desabilitados.

80
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.10.3 ADAM (teclas 3.4.3)


Este é um recurso escondido. Pressionando Shift & 7 este item de menu torna-se
disponível.

ADAM significa Advanced Diagnosis and Maintenance Tool (Diagnóstico Avançado e


Ferramenta de Manutenção). Trata-se de uma ferramenta de PC baseada em software
Windows, em que o PC se comunica com o DCSS através da interface de links seriais
(Multidrop ou CAN Bus). Para ligar o PC ao DCSS, o DCSS deve ser reinicializado e
precisa receber um string de inicialização do PC, senão o DCSS será reinicializado com
o modo normal.

Switch to Remote
<1>YES NO<0>

Se os sistemas estiverem conectados, os seguintes recursos estão disponíveis:

• Reprogramação on Board do DCSS - download de software


• Carga segundo línguas nativas para mensagens URM
• Upload e download de conjuntos de parâmetros de instalação – conjuntos de
instalação de archives e duplicatas
• Execução de monitoração de longo prazo da operação do DCSS para análise de
causa raiz de erros
• Coleta de informações de manutenção
• Controle remoto do DCSS

81
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.11 Lista de Referências da URM

5.11.1 Menu de Eventos

Com o intuito de simplificar a instalação e a manutenção, o DCSS grava todos os


eventos não usuais como um registro persistente. Os eventos são classificados
utilizando a seguinte convenção:

Exemplo: E39

Yxx Número do Evento

Classe de Eventos:

I : Informações apenas:
Resultados de operação normal. Por exemplo, desconectar
eventos de ativação, operação reversa etc...

W: Informações de manutenção apenas:


O DCSS é capaz de lidar com a situação – desempenho não afetado.
Inspeção recomendada. Por exemplo: Logging full

E: Solicitação de Manutenção
Evento sério, degradação de desempenho esperada. Manutenção exigida. Por
exemplo:
3WireComFail.

O registro está disponível em três formas diferentes de representação, conforme


relacionado abaixo.

History (Histórico)
Exibe os eventos na ordem de seu aparecimento. Uma matriz de tempo de registro
incluída fornece a relação com o tempo atual.

Actual (Real)
Registro não persistente de até os 16 últimos eventos, começando com o evento mais
antigo, matriz de tempo de registro incluída. Informações adicionais podem ser exibidas
na URM pressionando as teclas: shift &3

EvLog: (Registro de Eventos)


Quantidade de ocorrências de cada evento – matriz de tempo de registro incluída.
Representação é de 1-4 registros de DCSS.

Del: (Excluir)
Exclui os eventos registrados – limpa a memória para novo período de registro.

82
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.11.2 Descrição de Eventos


Classe No Nome do evento Descrição do Evento

I 01 Start of Log Entrada que indica um novo Início de Registro após se


excluir o registro anterior
W 02 Logging Full Memória de registro de eventos cheia
- exclua registro para liberar memória
E 03 Inverter Prot Corrente de pico de saída maior que 7 A. Se esse evento
ocorrer 3 vezes em 120 seg., o DCSS é ligado para fechar
o modo
E 04 Motor Protect A corrente do motor foi por 10 segundo maior que o limite
de configuração. Se esse evento ocorrer 3 vezes em 120
seg., o DCSS é ligado para fechar o modo
I 05 ObstaclDetec A porta foi obstruída durante fechamento, a proteção de
porta obstruída foi ativada mais que 10 vezes em série
E 06 Encoder Err Uma ou duas trilhas do codificador estão danificadas. O
DCSS é ligado no modo INI
Atenção:
Durante os perfis INI/Nudg, e enquanto a porta estiver se
deslocando antes e depois de um perfil principal, erros do
codificador não são detectáveis
W 07 Overvoltage Voltagem máxima do Link-DC (450Vdc) excedida – risco
de dano ou redução de vida útil do pacote DCSS
W 08 Undervoltage Voltagem de fornecimento de energia menor que 180Vac –
risco de degradação de desempenho
I 09 Power Up Indica que o DCSS está inicializando após seqüência
ligar/desligar
E 13 3wireComFail Indica que a seqüência de checagem para a interface
distinta falhou três vezes.
O DCSS é configurado para o modo fechado –
Manutenção exigida
I 15 Position Err A porta passa da faixa de posição final tolerada após
atingindo [] ou ][.
I 17 Start Inst Instalação automática iniciada
I 18 Stop Inst Instalação automática interrompida por solicitação de
usuário
I 20 InstSuccess Instalação automática finalizada com sucesso
W 21 Inst failed Instalação automática finalizada com erro.
I 22 New Profiles Indica que a configuração de perfil foi modificada
I 23 100xReversal X x 100 inversões ocorridas. Utilize essa informação como
indicador de estresse do mecanismo da porta
E 24 System Locked DCSS fora de ordem, evento sério ocorrido Manutenção
exigida. O DCSS está desligado e não reage a comandos.
A causa raiz pode ser:
Eventos Motor Protect, InverterProt ou 3wireComFail
Destravar o DCSS executando a seqüência ligar/desligar
ou a seqüência de chave na URM ‘shift 3’
W 25 Stalled Door Porta obstruída durante operação de abertura, o
DCSS é ligado no modo Ini
I 26 OpenTimeout O DCSS não foi capaz de abrir a porta dentro de 15 seg.
I 27 CloseTimeout O DCSS não foi capaz de fechar a porta em 15 segundos
I 28 3wireCom Indica seqüência de checagem I/O bem-sucedida

83
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5.11.3 Parâmetros de Configuração

5.11.3.1 Parâmetro de Campo (chave: 3.3.3)

Nome Faixa Unid Valor Descrição


ade Padrão

Px:OpenRunTime 2500..... ms 3000 Para modificar a velocidade de abertura, apenas


5000 esse parâmetro deve ser modificado. Não há
impacto nos outros parâmetros.
Px: StartOpnDist 1...150 mm 50 Distância da porta fechada ao ponto inicial de
aceleração.
Px: StartOpnSpeed 2...10 Hz 6 Velocidade no início do movimento de abertura
Px: OpenCrpDist 1...150 mm 20 Distância de deslocamento após perfil principal
Px: OpenCrpSpeed 2...15 Hz 4 Velocidade de deslocamento no final do movimento
de abertura
Px: ClsRunTime 2500..... ms 3000 Para modificar a velocidade de fechamento, apenas
5000 esse parâmetro deve ser modificado. Não há
impacto nos outros parâmetros
Px: StartClsDist 1...150 mm 20 Distância da porta aberta até o ponto inicial de
aceleração
Px: StartClsSpeed 2...10 Hz 6 Velocidade no início do movimento de fechamento
Px: ClsCrpDist 1...150 mm 50 Distância de deslocamento após perfil principal
Px: ClsCrpSpeed 2...15 Hz 3 Velocidade de deslocamento no final do movimento
de fechamento
Px: NdgClsRunTime 5000..... ms 5000 Para modificar o perfil da velocidade de aproximação
.10000
Px: CloseIdleTorque 0...150 % 67 Torque para manter a porta fechada no estado
inativo

nota: veja diagram de perfis de velocidade

5.11.3.2 Parâmetros de Engenharia (chave: 3.3.4)

5.11.3.2.1 Parâmetro de Perfil

Nome Faixa Unid Valor Descrição


ade Padrão

Px: OpenAccelTime 15...50 % 35 Tempo de aceleração do perfil de abertura principal


Px: OpenDecelTime 15...50 % 35 Tempo de desaceleração do perfil de abertura principal
Px: ClsAccelTime 15...50 % 35 Tempo de aceleração do perfil de fechamento principal
Px: ClsDecelTime 15...50 % 35 Tempo de desaceleração do perfil de fechamento
principal
Px: OpenIdleTorque 0...150 % 107 Torque do contador após fim do movimento de abertura
para manter a porta aberta
Px: 0...150 % 107 Torque na velocidade de deslocamento antes e depois
OpenCreepTorque do perfil principal de abertura
Px: ClsCreepTorque 0...150 % 107 Torque na velocidade de deslocamento antes e depois
do perfil principal de fechamento
Px: CloseTorque 0...150 % 85 torque durante perfil de fechamento principal
Px: HaltTorque 0...150 % 40 Torque para manter porta parada na posição
Px: NudgingTorque 0...150 % 107 Torque durante perfil principal de nudging
Px: IniTorque 0...150 % 107 Torque durante execução de perfil Ini

84
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5.11.3.2.2 Descrição do Perfil

85
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

5.11.3.2.3 Parâmetro de Controle

Nome Faixa Unid Valor Descrição


ade Padrão

Px:P-Gain 0...300 100 Fator de ganho do Controlador-P


Aumento do parâmetro de ganho-P aumenta o impacto
de loop fechado. Ajuste errado pode causar
sobrecargas e/ ou mau comportamento de
monitoramento
Px:I-Gain 0...300 0 Fator de ganho do Controlador I (não utilizado)
Px:FeedUp-Gain 0...12 4 A diminuição do parâmetro de Ganho-FeedUp resulta
em aceleração mais potente e rápida para compensar
o deslizamento durante a aceleração
Px:FeedDown-Gain 0...12 4 A diminuição do parâmetro de Ganho-FeedDown
resulta em desaceleração mais potente e rápida.

5.11.3.2.4 Outro Parâmetro

Nome Faixa Unid Valor Descrição


ade Padrão

maxMotorCurrent 800....... mA 3000 Limite da corrente de motor máxima. Se o limite for


5000 excedido 3 vezes por mais de dez segundos, o DCSS é
desligado e travado
Px:PassProt Limit 0...100 % 4 Sensibilidade da proteção de porta obstruída em %
StopDistance 30...150 mm 80 Distância de parada inversa em mm
EndPosRange 10..100 mm 20 Derivação tolerada da posição [] ou ][ em mm
GSM Position 50...500 mm 150 GSM ativo antes de ][ em mm
Px:Lock Distance 0...200 mm 50 Posição onde as portas do carro e de parada são
fechadas, mas a trava ainda está aberta
Px:Lock Speed 0...10 Hz 3 Com o intuito de aumentar o parâmetro estabelecido de
fase de travamento acima da Velocidade de
Deslocamento de Fechamento P2

86
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5.12 Interface da placa RSL

5.12.1 Descrição dos sinais de controle ST1, ST2 and ST3:


ST1 ST2 ST3 REV Comando de Comentários
Porta
0 0 0 X DED & EDS Parada de porta de emergência
0 0 1 X DED TCI, comando pela URM
0 1 0 X CLD Fechamento, Proteção do Passageiro
e Ver. desabilitados
0 1 1 X CLD Fechamento, Proteção de Passageiro
e Ver desabilitados
1 0 0 X NDG Nudging, Proteção de Passageiro +
Rev. Desabilitados
1 0 1 0 CLD&REV Fechamento, Proteção de Passageiro
+ Rev. habilitados
1 0 1 1 CLD&REV Abertura devida ao dispositivo de rev.
estar ativado
1 1 0 X OPN Abertura
1 1 1 X OPN Abertura

5.12.2 Descrição de Erros de Teste de Interface (Chaves 324):


Mensagem Descrição
Interface OK Teste bem-sucedido – comunicação está ok
ST1 shortcirc, ST1+2 Curto- circuito no HL2 de uma ou mais linhas de
shortcirc, comando – cabeamento de checagem
ST2 shortcirc, ST1+3
shortcirc,
ST3 shortcirc, ST2+3
shortcirc,

ST1-3 shortcirc
ST1 broken, ST1+2 broken, Curto-circuito no 24Vdc ou cabo com defeito em uma
ST2 broken, ST1+3 broken, ou mais linhas de comando – cabeamento de
ST3 broken, ST2+3 broken, checagem

ST1-3 broken
ST1 wrong connect, Seqüência de fiação errada, checar cabeamento
ST2 wrong connect entre a Caixa de Junção e o DCSS
ST3 wrong connect
No response Nenhuma seqüência de checagem detectada num
intervalo de tempo de 400ms após solicitação.
Checar LCBII/TCB, especialmente a fiação DOL e
DOS, endereçamento do pino da porta da placa RS
e níveis de voltagem. Na solicitação de seqüência de
checagem, o DOL e o DOS são logicamente Altos.
Unknown error O DCSS não foi capaz de interpretar os comandos
recebidos. Talvez a transmissão da seqüência de
teste tenha sido perturbada. Favor tentar checar
novamente.
87
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
5.13 Teclas de Atalho SVTOOL
shift 3 informações adicionais são exibidas no menu de registro de evento real
shift 5 destrava o DCSS se um erro fatal tiver travado o sistema, mesmo efeito
que seqüência de ligar-desligar.
shift 7 abre o menu SETUP ou abre TEST – ADAM (Ferramenta adicional
necessária baseada em janela de PC)

5.14 Abreviações
2/S Porta Telescópica (porta de duas velocidades)
C/O Porta de Abertura Central
DCSS Subsistema de Controle de Porta
HSDS Sistema de Porta de Alta Velocidade
MCSS Subsistema de Controle de Movimento
OCSS Subsistema de Controle Operacional
RAM Memória de Acesso Aleatória

Modo DCSS:

SERVICE DCSS no modo de Serviço (TCI ativo), configuração e corridas de teste são
permitidas. O DCSS executa comando de porta.

WORKING DCSS está no modo normal (TCI & TES inativo) e o sistema está instalado. Toda
funcionalidade está disponível.

NOTSTOP Porta desligada causada por TES ativo

Estado Operacional DCSS

RDY Posição de porta válida - executando perfis normais.


SHD Porta parada e desligada devido a evento crítico ou após ativação.
INI Posição de porta não válida, executando menus ini lentos.
RRM Modo pronto de resumo após erro de posição (executando perfis
inversos)
DED A porta está desligada.
RED Operação reduzida quando o sistema não está instalado –
executando apenas perfis ini lentos

LCK DCSS travado no caso de eventos sérios – sistema continuamente


desligado, manutenção exigida . Desligar o suprimento de energia do
DCSS e posteriormente, após 5 segundos, repetir para destravar o
sistema ou pressione <shift&5>

88
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Estados de Comando de Porta

CLS Fechar porta , nenhuma inversão habilitada


CLS&REV Fechar porta, mas dispositivo de inversão ou proteção de porta
obstruída está habilitado
OPN Abrir Porta
NDG Velocidade de nudging
DED Desligar, parada de porta de emergência

Estados de Porta

[] Porta Totalmente Aberta


[?] Porta Talvez Aberta (posição não válida)
<> Porta Abrindo
][ Porta Totalmente Fechada
]?[ Porta Talvez Fechada (posição não válida)
>< Porta Fechando

Entradas DCSS

ST1 sinal de controle 1


ST2 sinal de controle 2
ST3 sinal de controle 3
REV Sinal de inversão, pode ser EDP ou LRD

Saídas DCSS

DOL Chave de Limite de Abertura de Porta


DOS Sinal de Reabertura de Porta (devido à Proteção de Passageiro)

Geral:
TCI Inspeção do topo do carro
EDS Parada de Porta de Emergência

89
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
6 ROTINA DE START-UP (DCSS 5)

6.1 Escopo
O subsistema de controle de porta DCSS 5 é o drive de porta VF com uma plataforma de
hardware exclusiva para as aplicações
• DO2000
• HPDS-VF
• HSDS-VF
O DCSS 5 substitui o sistema DCSS 4. Para garantir o apoio da peça sobressalente para
sistemas de elevadores equipados com DCSS 4, um kit de substituição estará disponível
atualizando o DCSS5 de forma a tornar compatível o pino com o DCSS 4.

O DCSS 5 é um elemento do Sistema de Controle de Elevador Modular (MCS), fazendo


interface padrão com o Subsistema de Comando de Movimento (MCSS)

• MCSS em um MCS311/411
• LMCSS em um MCS 321/413
ou
• Com Placa Limitada de Carro (LCB) em um MCS120/220/310/312
ou
• com o TCB para configuração Optimus Step 1.
O DCSS 5 está preparado para operar com o Car-Bus baseado em CAN-bus.

O drive de porta avançado representa um inversor de freqüência controlado por


microprocessador adequado para aplicações de motor AC. O inversor de 3 fases
proposto é a interface de força entre o sistema µP e o motor. A tecnologia de comutador
Ultrafast, que utiliza um dispositivo IGBT de módulo six pack, conduz a operação sem
ruídos e baixa corrente de ondulação devido a alta freqüência de comutação acima de
15kHz. Um equipamento adequado reduz a velocidade do eixo do motor de acordo com
as exigências do ambiente mecânico.

O controle, o perfil e a produção do padrão de pulsação PWM são feitos por um sistema
microprocessador. O reconhecimento da posição, segurança e as funções de proteção
motor/inversor são implementadas. Além disso, o sistema µP necessita estabelecer a
comunicação via encadeamento em seqüência (Protocolo Multidrop ou CAN-Bus) com o
MCSS ou via linhas distintas de informação/comunicação RSL com o LCB, do local onde
recebe os comandos da porta.

A posição poderá ser adquirida por codificador incremental que ofereça dois trilhos de 4
a 500 pulsos/giro.

Todas as Entradas e Saídas para utilização de sinais são oticamente isoladas e


protegidas contra curto-circuito. Para se ter uma porta alternativa adicional é necessário
um sistema DCSS 4. Apresentamos a seguir a configuração básica e a função.

6.2 Recomendações de Segurança


• Favor certificar-se de que o botão EDS poderá ser alcançado quando o movimento da
porta for iniciado.

90
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
• Dentro do DCSS, uma alta voltagem perigosa (>310Vdc) encontra-se conectada a
diversos dispositivos. A tampa da caixa deverá ser fechada antes que as principais
linhas de alimentação sejam ligadas.
• Em caso de reabertura da caixa, esperar pelo menos 1minuto após a energia ser
desligada para garantir que o condensador principal esteja descarregado.

6.3 Antes da Instalação

6.3.1 Codificador
O DCSS5 exige um codificador de velocidade incremental que obedeça às seguintes
especificações :
• Dois trilhos com 500 pulsos por rotação
• Mudança de fase entre os trilhos +/- 45°
• Fornecimento de voltagem de 15V
• Saída: Coletor Aberto ou circuito simétrico NPN
• Cabo blindado

6.3.2 Suprimento de Força


A energia será fornecida de forma geral diretamente pelo painel principal de comutação
na casa de máquinas. Um corte automático para cada sistema de portas, localizado no
controlador do elevador, protege o cabo móvel e a caixa DCSS5.
• O DCSS5 exige um suprimento monofásico de 230Vac. Caso um neutro não esteja
disponível, o controlador necessitará ser equipado com um transformador adicional.
• A fim de proteger o cabo móvel e a caixa DCSS5, apenas cortes automáticos com
caraterísticas classe C e um limite dentro da variação de 2.5A...4A são permitidos.

As classificações DCSS:

Tensão Nominal: 1x230V-240V AC, 50/60Hz, -15% / +10% (195V..264)


Voltagem de Saída: 3x 0..230Vac / Fase 3
Corrente Nominal: 3x1.5Aac / Fase 3
Freqüência de Saída: 0..128Hz / Fase 3
Corrente de Vazamento: 13mA

Força Elétrica de Saída : 550VA (Un=230V, In=1,5A, Ipeak=8A) A média de corrente


contínua a um ciclo de atividade de 100% é < 350mA
Força Mecânica de Saída: Appar.Outp.Power x Efficiency(ACmotor) x cosϕ = 550W x
0,5 x 0,6 = 165W

6.3.3 Descrição de Interface de Placa RS


O DCSS poderá ser colocado em operação apenas se o comutador TCI estiver ajustado
e a informação for enviada ao DCSS via LCBII/TCB e placa RSL. Logo, as linhas de sinal
ST1, ST2 e ST3 devem estar ligadas, enquanto o LCBII/TCB e a estação remota são
instaladas e devidamente programadas. Ver também o item 4.1 para mais informações a
respeito de como conectar as linhas de sinal. Uma seqüência de verificação de teste,
principiada pelo menu URM -TEST-INTRFCHK, deverá ser iniciada antes da rotina de
CONFIGURAÇÃO para verificar a conexão e os sinais corretos. Antes de iniciar a
seqüência de verificação certifique-se de que /TCI esteja ajustado.

91
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
Caso a conexão seja errada será exibida uma mensagem apropriada para ajudar a
localizar o erro. Caso apareça a mensagem ‘No Response’, favor verificar as saídas DOL
ou DOS.

Nome do Sinal Terminal Endereço Porto RS Porto RS se Optimus


DCSS RS I/O se Gen 1
LCBII/TCB Opção A Opção B
ST1 P5-4 991 17-3 17-2 13-2
ST2 P5-5 992 17-4 17-3 13-3
ST3 P5-6 993 16-3 17-4 13-4
DOS P5-2 605 17-4 17-4 13-4
DOL P5-3 000 17-1 17-1 13-1
REV P5-7 607 17-3 17-3 13-3
(R)ST1 P5-4 994 19-3 19-2 -----
(R)ST2 P5-5 995 19-4 19-3 -----
(R)ST3 P5-6 993 mesmo que 19-4 -----
ST3
(R)DOS P5-2 606 19-4 17-4 -----
(R)DOL P5-3 544 19-1 19-1 -----
(R)REV P5-7 608 19-3 19.3 -----
Observação: A inversão lógica do sinal deverá ser feita na configuração do
controlador
Opção A : portas frontais e traseiras até 16 aberturas
Opção B: apenas portas frontais até 21 aberturas

6.3.4 Ruído Eletromagnético e Interferência


O DCSS cumpre as exigências estabelecidas em EN 12015/16 desde que:
• A cobertura esteja fechada
• A blindagem do cabo do motor esteja conectada ao corpo do motor e à bucha
do cabo do painel do escoadouro de calor

A fim de evitar distúrbios do sinal do codificador, aplicar apenas cabos codificados


blindados e conectar a blindagem ao pino da tomada P3.5.

92
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
6.4 Conexões
Antes de ligar a força do operador de porta, as conexões deverão ser verificadas:

6.4.1 Cabo de Motor e Suprimento de Energia


• Conexão terra do pino da tomada P1.2 e do escoadouro de calor
• Suprimento de canalização principal 230Vac (fase 1, +10/-15%) nas tomadas
P1.1 e P1.3
• Conexão de motor via cabo blindado pré-fabricado:
• Fios sensíveis a ruídos (cabos de sinais, conexões de seqüências
seriais) não deverão ser instalados próximos uns dos outros ou
paralelamente ao motor ou ao cabo de suprimento de energia para evitar
qualquer interferência.

6.4.2 Codificador de Velocidade Incremental (no plug P3):

• +15V on P3.1: Suprimento do codificador.


• T1 on P3.2: Sinal do codificador trilho1.
• T2 on P3.3: Sinal do codificador trilho 2.
• GND on P3.4&5: Terra e blindagem

6.4.3 Sinais de controle ST1, ST2 e ST3

• Energia: 24V em P5.1


• Entrada ST1: ST1 em P5.4 (HL2 ativo)
• Entrada ST2: ST2 em P5.5.....(HL2 ativo)
• Entrada ST3: ST3 em P5.6.....(HL2 ativo)

6.4.4 Saídas: sinal DOL/DOS


• Saída Limite Porta Aberta DOL em P5.3
• Saída Limite Porta sendo Aberta DOS em P5.2

6.4.5 Sinal Reverso


O sinal reverso deve ser conectado ao DCSS pelo plug P5.7 e à placa RS a I/O
porto 17-3 para informar ao controlador (LCBII) a respeito de uma ação inversa. Já
que todas as entradas do DCSS5 são de atividade baixa (deverão ser reduzidos a
HL2), o sinal REV deverá ser reduzido para HL2 se o dispositivo de inversão estiver
ativo. Por essa razão, a lógica do sinal I/O do LCBII/TCB deverá ser eventualmente
invertida através da reprogramação do endereço- RS. Favor verificar este ponto e testar
o estado do sinal REV através do Menu de Monitor da URM do LCBII / TCB.

93
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
6.5 Primeira Instalação

6.5.1 Condição de Partida


Seguir sempre todas as etapas abaixo relacionadas antes de configurar o DCSS 5:

Trazer o carro até o nível do solo para executar a configuração com o carro e as portas
do andar juntos. Se o poço estiver equipado com diferentes portas de andar proceda da
seguinte forma:
• No caso de o controlador do elevador suportar apenas um conjunto de perfil
escolha apenas um andar com a mais pesada porta do andar
• Se o controlador do elevador for capaz de diferenciar entre os comandos de
conjunto de perfil 1 e conjunto de perfil 2 atribua a cada conjunto de perfil um tipo
de porta do andar e comece a instalação no nível de andar correspondente para o
conjunto de 1.
• Verificações Mecânicas:
Certifique-se de que o ajuste do carro e a porta do andar obedecem ao Manual de
Instruções de Campo.
• Verifique a operação e a fechadura da porta
• Verifique se as portas podem ser movidas manualmente (baixa fricção, sem
arranhaduras etc.).
• Certifique-se de que os painéis da porta estejam centralizados e em posição
totalmente aberta alinhados com a estrutura da porta.
• Certifique-se de que o codificador esteja bem ajustado.

• Verificação de Segurança:
• Verifique se o Quadro de Inspeção da Parte Superior do Carro está ligado em
inspeção e pressione o botão de emergência TES.
• Verifique se o LCBII/TCB e a placa RS estão ajustados para operação antes de
ligar o DCSS5.
• Ligue o DCSS apenas se ninguém estiver na área das peças de movimentação e
rotação do operador da porta.
• Ligue a URM ao DCSS e verifique no menu 3-1-1 ( Monitor -> Status) se aparece
a mensagem NOTSTOP DED. Solte o TES e verifique o display da URM
novamente. A linha de status deverá mudar para: SERVICE DED. Caso contrário,
favor verificar a interface de comunicação.

94
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

6.5.2 Rotina de CONFIGURAÇÃO (Instalação Básica)

Para que o sistema entre em operação pela primeira vez, o DCSS deverá ser
configurado para seus ambientes elétrico e mecânico específicos.

Após este passo, o DCSS executa uma seqüência de aprendizagem automática para
encontrar os valores ideais para as distâncias de baixa velocidade (fechaduras), perfil de
velocidade e os torques respectivos. Há dois perfis de velocidade independentes que
deverão ser configurados separadamente (não disponíveis com a SW- versão
GAA30328AAA).

Para simplificar a instalação, o procedimento de instalação completo é conduzido pelo


menu e monitorado na URM. O usuário necessita apenas seguir as instruções que estão
sendo exibidas e confirmar as solicitações.

Para iniciar a instalação, o DCSS deve ser configurado para o modo SERVICE ligando-
se o TCI. Se o modo Service não se encontrar disponível, favor verificar a interface de
comunicação do DCSS e do Controller. Uma interface codificada de 3 fios poderá ser
facilmente identificada iniciando-se a Seqüência de Verificação de Interface (URM-TEST-
INTRFCHK).

A instalação tem início se o modo 'SERVICE' e o Menu da URM forem configurados para
'SETUP-INST1-Config', pressionando-se a seqüência chave 3-3-1-1 com o seguinte
display.

Atenção:
Após conectar a URM ao DCSS pela primeira vez, o menu SETUP está oculto. Ele
necessita estar visível pressionando-se SHIFT& 7.

6.5.2.1 Configuração do ambiente DCSS5:

Nas primeiras etapas o ambiente mecânico será configurado:


Ir para menu 3-3-1-1 (Config)

Na tela URM - o cursor “>” aponta para o componente realmente selecionado. Declare
um componente diferente rolando a barra das listas usando o botão GOON/GOBACK e
selecione um botão específico apertando a tecla ENTER. Favor configurar:

Motor: - DO2000
- HSDS

Tipo de porta: - CO (abertura central)


- TLD (telescópio)

Largura da porta: - forneça a largura da porta em milímetros

Codificador: - DO2000
- HSDS
- definido pelo usuário
95
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Caso não possua um tipo padrão de codificador (500 pulsos), você poderá configurar
qualquer outro tipo de codificador conforme se segue:

Fornecer incrementos por rotação de motor. Por exemplo:


Resolução do codificador : 500 incr. por giro e trilho
Processamento do sinal : multiplica codificador. Resolução por quatro
Proporção entre codificador e rotação de motor : 5:1

==> Favor registrar: (500 * 4) / 5 = 400

Após a declaração do codificador, o DCSS fará, automaticamente, a configuração para o


conjunto de perfil 1.

6.5.2.2 Configuração Básica Automática para o Conjunto de Perfil 1

A seqüência de aprendizagem automática consiste de 5 elementos:

Etapa 1: Teste de Sensibilidade

O DCSS aprende a seqüência do motor e do codificador.

O DCSS tenta abrir ou fechar a porta. Se o sistema não detectar, dentro de certo período
de tempo, um movimento suficiente de porta, inverte a direção automaticamente. Caso
não exista movimento em ambas as direções o torque será aumentado e o ciclo de
testes recomeçará. Se mesmo com o torque máximo não ocorrer qualquer movimento de
porta, a rotina de instalação é abortada com a mensagem de erro Sense Test Failed

Etapa 2: Aprendizagem de Formato da Porta

O DCSS conhece a largura da porta.

O DCSS pede a você para confirmar se a porta está totalmente fechada. Verifique a
porta e certifique se a porta e o cadeado estão realmente fechados. Após a confirmação
de que a porta está realmente fechada, o DCSS abre a porta e acumula os pulsos
recebidos do codificador. Quando o DCSS detecta uma porta parada pede para
confirmar se a porta está totalmente aberta. Caso esteja, os pulsos acumulados
apresentam a largura da porta, do contrário o DCSS recomeça o teste.

Etapa 3: Aprendizagem de Velocidade Lenta

Em primeiro lugar, a porta será movida para a posição totalmente fechada. Depois disso,
a rotina de configuração começa a detectar os tipos de velocidade. Logo, a distância que
a porta do carro necessitará percorrer é investigada até que a porta do andar seja
conduzida pela porta do carro. Isto necessita apenas de algumas seqüências de testes,
quando o DCSS fechar e abrir a porta devagar. Este procedimento pode encontrar os
valores máximos para os seguintes parâmetros:
96
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

P1:OpenCreepTorque, P1:StartOpenDist
P1:CloseCreepDist, P1:LockDistance
P1:IniStartOpenDist, P1:IniCloseCreepDis

Se a distância de fechamento não estiver dentro da faixa:

2% do formato da porta < distância de fechamento < 12% do formato da porta


então a mensagem: Learn Creep Ways failed aparecerá

Etapa 4: Torques de Aprendizagem

Em primeiro lugar, a porta será movimentada para posição totalmente fechada. O


sistema continua com um procedimento de ajuste de torque. O DCSS tenta abrir a porta
e aumenta o torque enquanto não for possível atingir a posição totalmente aberta dentro
de um período calculado. Os parâmetros afetados são:

P1:OpenIdleTorque, P1:CloseIdleTorque, P1:OpenCreepTorque, P1:IniTorque


P1:CloseCreepTorque, P1:CloseTorque, P1:HaltTorque, P1:NudgingTorque,

Se o DCSS não for capaz de conduzir a porta com exatidão até mesmo com o mais alto
torque tolerado, a mensagem de erro ERR: Chk Operator aparecerá.
Atenção:
O procedimento de instalação continua com a etapa seguinte mas, obviamente, uma
diminuição do desempenho deverá ser esperada. Devido a isso, o DCSS permanece,
após ter finalizado a instalação no modo reduzido, executando apenas perfis lentos.

Etapa 5: Aprendizagem de Ganho Dianteiro

Em primeiro lugar, o DCSS abre a porta. A seguir, o sistema começa uma seqüência de
teste de fechamento observando o comportamento de frenagem. Caso a distância de
ruptura seja maior do que a calculada, a porta se abre novamente e começa uma outra
seqüência de testes de fechamento com o parâmetro de controle modificado. Este ciclo
acontece novamente até que os parâmetros de controle ideal sejam investigados.
Parâmetros afetados:

P1: FeedUp-Gain
P1: FeedDown-Gain

Em caso de comportamento de ruptura insuficiente a mensagem de erro ERR: Gain


Setting aparecerá.

Atenção:

A instalação continuará, mas em função de etapa de instalação malsucedida, que


resultou em diminuição de desempenho, o DCSS permanece após a instalação ser
finalizada em modo reduzido. Apenas os perfis lentos serão executados.

97
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

Segundo Perfil:
Se você deseja ter um segundo perfil, terá de repetir as etapas de 3 a 5 para aprender
um parâmetro específico da porta do andar em que você gostaria de rodar o perfil. O
procedimento é o mesmo.

6.5.3 Sintonia fina específica para clientes

A configuração automática juntamente com bem definido parâmetro de configuração produz


um excelente desempenho da porta. No entanto, a experiência de campo demonstra que as
condições específicas do local de trabalho e as expectativas do cliente quanto a operação da
porta necessitam algumas vezes de determinadas medidas de sintonia fina.

• Configuração de Sensibilidade de Proteção de Porta Travada


A proteção de porta travada é um algoritmo auto-adaptado e começa após a
configuração automática com baixa sensibilidade. Vá ao menu 3-4-2 e comece a
seqüência contínua para a configuração de perfil 1 com o dispositivo inverso habilitado
para opção. Espere a execução de 10 ciclos abrir/fechar (open/close). Durante estas
seqüências de teste o algoritmo de lógica imprecisa apreende o comportamento de
monitoramento da porta e aumenta passo a passo a sensibilidade.

Tente parar a porta do carro manualmente e acesse a porta travada funcionalmente. Vá


para o menu 3-3-4-4 e para P1:PassProtLimit. Diminua o parâmetro a fim de conseguir
mais sensibilidade ou ajuste um valor mais alto para impedir reversões não desejadas.
Repita o procedimento caso a configuração de perfil 2 esteja sendo utilizada da mesma
maneira, mas inicie a seqüência contínua para a configuração do perfil 2 e esteja atento
ao parâmetro.
P2:PassProtLimit no menu 3-3-4-4

• Configuração de Torques Ociosos


Em posição totalmente aberta ou totalmente fechada o motor necessita oferecer torque
suficiente para manter a porta de acordo com quaisquer condições na assim chamada
posição fim.

Entre no menu 3-4-1 e execute uma operação de abertura de configuração de perfil 1.


Tão logo a porta esteja totalmente aberta tente mover a porta na direção fechada. Vá
para o menu 3-3-4-1 e role a barra até o item OpenIdle Torque. Aumente o parâmetro
para atingir uma torque de motor mais alto. Favor considerar que os Torques ociosos
mais altos têm um impacto no aquecimento do motor. Devido a esse fator encontre uma
garantia intermediária para manter a porta aberta com um mínimo de aquecimento do
motor.

Agora vá novamente para o menu 3-4-1 e execute uma operação de fechamento de


configuração de perfil 1. Ajuste o CloseIdle Torque para o menu 3-3-3-1 de maneira
semelhante.

Caso a configuração de perfil 2 seja utilizada proceda da mesma forma para os torques
ociosos da configuração de perfil 2 . Encontre o P2 OpenIdle Torque no menu 3-3-4-2 e o
P2 CloseIdle Torque no menu 3-3-3-2.

98
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS

• Configuração de Torques de Velocidade Lenta


Os torques de velocidade lenta são aprendidos durante a configuração automática. No
entanto, se o cliente pede mais ou menos força durante a velocidade lenta, para
totalmente fechado ou totalmente aberto, vá para o menu 3-3-3-4-1, o P1:OpenIdleTorq
ou o P1:CLoseIdleTorq. Observe que com a nova configuração de parâmetro as
posições fim podem ser atingidas.

• Configuração de Distância de Parada Reversa


Após a detecção de um evento reverso o DCSS primeiro pára a porta. A distância
necessária para parar a porta poderá ser ajustada através do menu 3-3-4-4, rolando a
barra até o item P1:StopDistance. As distâncias de parada curta poderão causar alto
ruído e nível de vibração - encontre a melhor solução intermediária.

• Configuração de Trava de Velocidade


Após a porta do andar estar totalmente fechada, a velocidade lenta final da porta do carro
ou o fechamento da trava poderão ser feitos com uma velocidade mais alta a fim de
diminuir o tempo necessário para contatar o comutador DCL. O valor padrão é igual à
Velocidade Lenta Fechada. Vá para o menu 3-3-4-4 e role a tela até o item P1:Lock
Speed para modificar o comportamento de travamento.

• Configuração de Tempos de Abertura e Fechamento


Configure os tempos normais de fechamento e de abertura em ms de acordo com a
especificação do cliente. Vá para o Menu 3-3-1 e role a barra até os itens da lista
P1:OpenRunTime ou P1:CloseRuneTime.

Atenção:
Verifique se a configuração do tempo de fechamento da porta é compatível com o
regulamento EN81:
Parágrafo 7.5.2.1.1.2
A energia cinética da porta do andar e todos os elementos mecânicos aos quais
está firmemente conectada ( ex.. porta do carro, encadeamento, equipamentos,
motor ), calculada ou medida1 na média 2 da velocidade de fechamento, não
excederá 10J.

Observação1: Medida usando, por exemplo, um dispositivo que consiste de uma ação
de pistom de graduação em uma mola com uma constante de mola de25 N/cm…

Observação 2: A velocidade média de fechamento de uma porta corrediça é calculada


sobre toda a viagem menos 25 mm em cada extremidade da viagem no caso de portas
de fechamento central; 50 mm em cada extremidade da viagem no caso de portas de
fechamento laterais.

A fim de comprovar a compatibilidade com o EN81 use o manômetro de pressão


conforme descrito 1 e meça a força cinética em três pontos 1/3, 12 e 2/3 da viagem de
fechamento. Certifique-se que a média dos três dados é menor do que 707 N, que é
equivalente a 10J.

99
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
6.6 Instalação do Controlador

6.6.1 Tabela de configuração de parâmetro do LCBII / TCB


Geralmente o parâmetro de controle é pré-instalado pelo fabricante e não
necessita ser ajustado.

Atenção: Informações de configuração válidas apenas para versões SW :


LCBII : GAA30082BAJ ou mais alto
TCB : GAA30084AAB ou mais alto

Vá para o menu 1-3-1, selecione grupo 5 (DOORS) e ajuste o parâmetro de


operador de porta:

DOOR=12
REAR=12 (ajustado apenas no caso de porta traseira)

F:DO-TYP=0 RF:DO-TYP=0 CM-TYP=0


F:DC-TYP=0 RF:DC-TYP=0 TRO-TYP=0
F:EN-ACG=0 RF:EN-ACG=0
F:EN-DCL=0 RF:EN-DCL=0
F:DOL-D=0 RF:DOL-D=0

Ir para o menu 1-3-2 e configurar os endereços RSL I/O:

End. Sinal LCBII/TCB para Ótima Geração 1


Gien 99 Opção A Opção B
991 ST1 17.3 17.2 13.2
992 ST2 17.4 17.3 13.3
993 ST3 16.3 17.4 13.4
994 RST1 19.3 19.2 00.0
995 RST2 19.4 19.3 00.0
996 RST3 00.0 19.4 00.0
000 DOL 17.1 17.1 13.1
544 RDOL 19.1 19.1 00.0
605 DOS 17.4 17.4 13.4
606 RDOS 19.4 19.4 00.0
607 LRD 17.3 17.3 13.3
608 RLRD 19.3 19.3 00.0

Opção A: portas dianteiras e traseiras até 16 aberturas


Opção B : portas dianteiras apenas até 21 aberturas

100
MANUAL DE INSTALAÇÃO - DO 2000 OTIS
6.7 Descrição de Perfil

Um exemplo de velocidade geral e perfil de torque:

Perfil

Baixa Perfil principal Baixa CLS


Velocidade Velocidad Inativo
OPN Inicial e Final
Inativo

VELOCIDADE

TORQUE

101