Sei sulla pagina 1di 23

FACULDADE DE TEOLOGIA DE SÃO PAULO

IGREJA PRESBITERIANA INDEPENDENTE DO BRASIL

SINARA DE CÁSSIA VIEIRA DE SOUZA

EXEGESE 1TIMÓTEO 4.1-5

SÃO PAULO
2019

1
SINARA DE CÁSSIA VIEIRA DE SOUZA

Exegese realizada como cumprimento parcial do


Trabalho de Conclusão de Curso de
Complementação apresentado à Faculdade de
Teologia de São Paulo.

Orientador: Prof. Dr. Marcelo da Silva Carneiro

SÃO PAULO
2019
DEDICATÓRIAS

ii
À memória do Rev. Atílio
Fernandes, primeira pessoa que acreditou
em mim para pregar a palavra de Deus;

Ao meu querido saudoso Pr.


Osvaldo Candido pelo incentivo à leitura
das Sagradas Escrituras.

Tiago, meu querido e fiel marido,


é fonte constante de inspiração.

Sou grata a meus amados filhos,


Yasmini Carolini, Willy Vinicius e Yago
Mateus, cuja bondade para comigo.

À minha mãe Odila, minha


intercessora, a minha irmã Danielle e meu
cunhado Edilson que tem me socorrido.

A minha querida IPI Bocaina onde


sirvo como pastora, agradeço a paciência
durante o período dos estudos.
AGRADECIMENTOS

ii
Ao meu Pai O Eterno, o meu Deus, não tenho palavras para agradecer a Sua
bondade, dia após dia Ele me cerca com fidelidade, sem Ele eu jamais chegaria até
aqui.

iii
“Deus ë mais íntimo a nós que nós mesmos”.

(Santo Agostinho)

iv
SUMÁRIO

1. PRIMEIRA APROXIMAÇÃO .................................................................... 1

1.1 CRITÉRIOS DE ESCOLHA DO TEXTO ................................................... 1

1.2 DELIMITAÇAO DA PERÍCOPE ............................................................... 1

2. TRADUÇÃO ............................................................................................. 3

2.1 TEXTO GREGO........................................................................................ 3

2.2 TRADUÇÃO LITERAL - NOVO TESTAMENTO INTERLINEAR ............. 3

2.3 COMPARAÇÃO DAS TRADUÇÕES ....................................................... 3

2.4 TRADUÇÃO FINAL .................................................................................. 5

3. ANÁLISE HISTÓRICO-SOCIAL ............................................................... 6

3.1 AS EPISTOLAS DE TIMÓTEO E TITO .................................................... 6

3.1.1 O Problema Histórico ............................................................................. 6

3.1.2 O Problema Eclesiástico ........................................................................ 6

3.1.3 O Problema doutrinário .......................................................................... 7

3.1.4 O Problema Linguístico .......................................................................... 7

3.2 O Destinatário da carta ........................................................................... 9

4. MENSAGEM EXEGÉTICA ...................................................................... 11

5. ATUALIZAÇÃO HERMENÊUTICA ......................................................... 16

6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ....................................................... 17

v
1. PRIMEIRA APROXIMAÇÃO

1.1 CRITÉRIOS DE ESCOLHA DO TEXTO

Esta exegese terá como texto base I Tm 4.1-5, onde Paulo fala sobre a
apostasia e introdução de heresias na igreja, não sobre alimentos sujos e que
estariam por suposição purificados segundo as Escrituras do Novo Testamento.
Neste texto, Paulo diz que é heresia a "abstinência de alimentos que Deus criou
para serem recebidos com ações de graças".

1.2 DELIMITAÇAO DA PERÍCOPE

Na delimitação do texto, os princípios que destacam o começo e o fim de


uma unidade independente serão verificados, buscando assim uma lógica textual e a
verificação de que a defesa da mesma seja confiável. A ideia é estabelecer o limite
do texto de 1Tm 4.1-5 delimitando a perícope na integra e expondo argumentos
acadêmicos para tal confirmação.
Argumento – uma nova perícope pode ser identificada pela mudança de
assunto. Podemos verificar que no final do capitulo 3, versículos 14 – 16, Paulo está
justificando aqueles conselhos que ele deu anteriormente no a partir do verso 2.1 até
o verso 3.13 (sobre a prática da oração, o proceder no culto público e as
qualificações dos bispos e diáconos).
A partir do capitulo 4, onde se localiza o texto em questão, apresenta uma
mudança considerável quando o Apóstolo passa a tratar da apostasia que viria
sobre a igreja por parte dos espíritos enganadores e ensinos de demônios.
Na perícope anterior 1Tm 3.14-16, aparecem termos como casa de Deus,
igreja de Deus, coluna e baluarte, termos que não aparecem na perícope em
questão e que dão o tema desta perícope, ou seja, o modo como se deve proceder
na casa de Deus.
Da mesma maneira alguns termos como: “últimos tempos”, “apostatarão”,
“espíritos enganadores e demônios” aparecem apenas 1Tm 4.1–5 não aparecendo
na perícope anterior. Sendo assim podemos afirmar que a partir do capitulo 4 uma
nova perícope se inicia.
Argumento – entendemos que no verso 5 do capitulo 4 encerra-se a
perícope, pois no a partir do verso 6, Paulo dá início a uma série de recomendações
ministeriais, fazendo uso de expressões como: “será bom ministro”, “rejeita as

1
fabulas”, “exercita-te”, “ordena” e “ensina”, “torna-te padrão”, “aplica-te”, “não te
faças negligente”, “se diligente”. Ou seja, ele termina o assunto sobre a apostasia e
passa a orientar Timóteo, fazendo exortações especificas na procedência das
atividades ministeriais.
A partir do versículo 6, Paulo dirige-se a Timóteo pessoalmente, e começa a
explicar como ele deve cumprir sua tarefa e, em especial, como lidar com o falso
ensinamento.
Entendemos, portanto que 1Tm 4.1-5 é uma perícope integra, pois, o tema
unificador é marcado pela preocupação de Paulo quanto a apostasia que afetará a
igreja dos últimos tempos provocado por doutrinas estranhas, hipocrisia e mentira.

2
2. TRADUÇÃO
2.1 TEXTO GREGO
1το δε πνευμα ρητωςλεγειοτιενυστεροις καιροις αποστησονται τινεςτης
πιστεως προσεχοντες πνευμασιν πλανοις και διδασκαλιαις δαιμονιων ²εν
υποκρισειψευδολογωνκεκαυτηριασμενων τηνιδιαν συνειδησιν ³κωλυοντων γαμειν
απεχεσθαι βρωματων α ο θεοςεκτισενειςμεταληψιν μετα ευχαριστιας τοις πιστοις και
επεγνωκοσιντην αληθειαν4οτι παν κτισμα θεου καλον και ουδεν αποβλητονμετα
ευχαριστιας λαμβανομενον5αγιαζεται γαρ δια λογουθεου και εντευξεως

2.2 Tradução Literal – Novo Testamento Interlinear


¹ O porém, Espírito claramente falado diz que em posteriores tempos fixados
postar-se-ão fora de alguns a fé, tendo para com espíritos erráticos e ensinamentos
de demônios, ²em juízo debaixo de faladores de mentira, tendo sido cauterizados a
própria consciência, ³impedindo casar, ter fora de alimentos que o Deus criou para
recebimento com bom agradecimento aos fiéis e que não conhecido sobre a
verdade4. Porque toda criatura de Deus [é] boa, e nada [é] lançável fora de, com bom
agradecimento sendo tomado5. É santificado, pois através de palavra de Deus e
encontro em.
2.3 COMPARAÇÃO DAS TRADUÇÕES

Bíblia Linguagem de Bíblia Jerusalém Bíblia Genebra


Hoje

¹ O Espírito de O Espírito diz Ora, o Espírito afirma


Deus diz claramente expressamente que nos expressamente que nos
que, nos últimos últimos tempos alguns últimos tempos, alguns
tempos, alguns renegarão a fé, dando apostatarão da fé, por
abandonarão a fé. Eles atenção a espíritos obedecerem a espíritos
darão atenção a sedutores e a doutrinas enganadores e a ensinos de
espíritos enganadores e demoníacas. demônios,
a ensinamentos que
vêm de demônios.
² Esses Por causa da Pela hipocrisia dos
ensinamentos são hipocrisia dos que falam mentiras e que tem

3
espalhados por pessoas mentirosos, que têm a cauterizado a própria
hipócritas e mentirosas, própria consciência consciência,
pessoas cuja como que marcada por
.
consciência está morta ferro quente,
como se tivesse sido
queimada com ferro em
brasa.
³ Essas pessoas Eles proíbem o Que proíbem o
ensinam que é errado casamento, exigem a casamento e exigem
casar e que é errado abstinência de certos abstinência de alimentos que
comer certos alimentos, alimentos, quando Deus Deus criou para serem
mas Deus criou os criou para serem recebidos, com ações de
alimentos para que recebidos com ações de graças, pelos fiéis e por
aqueles que creem e graça, pelos que tem fé quantos conhecem
conhecem a verdade os e conhecem a verdade. plenamente a verdade
comam depois de terem
feito uma oração de
agradecimento.
4 Tudo o que Pois tudo o que Pois tudo o que Deus
Deus criou é bom, e, Deus criou é bom, e criou é bom, e, recebido com
portanto, nada deve ser nada é desprezível, se ações de graças, nada é
rejeitado. Que tudo seja tomado com ações de recusável,
recebido com uma graças,
oração de
agradecimento
5 Porque a Porque é Porque, pela palavra
palavra de Deus e a santificado pela Palavra de Deus e pela oração, é
oração tornam todos os de Deus e pela oração. santificado.
alimentos aceitáveis a
ele!

2.4 TRADUÇÃO FINAL

4
1 Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns
apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de
demônios,
2 pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria
consciência cauterizada,
3 proibindo o casamento, e ordenando a abstinência de alimentos que Deus
criou para serem recebidos com ações de graças pelos que são fiéis e que
conhecem bem a verdade;
4 pois todas as coisas criadas por Deus são boas, e nada deve ser rejeitado
se é recebido com ações de graças;
5 porque pela palavra de Deus e pela oração são santificadas.

5
3. ANÁLISE HISTÓRICO-SOCIAL
3.1 AS EPISTOLAS DE TIMÓTEO E TITO
As duas epístolas a Timóteo e a Tito comumente agrupadas e chamadas
juntamente de epistolas pastorais, pertencem ao período do fim da vida de Paulo e
provem valiosa informação acerca dos pensamentos do grande apóstolo missionário
quando ele se preparava para transmitir a sua tarefa a outros. Foram endereçadas a
dois de seus mais íntimos associados e por esse motivo introduzem uma diferente
espécie de correspondência paulina em comparação com as epistolas eclesiásticas
anteriores.
3.1.1 O Problema Histórico
A situação histórica não pode pertencer ao período da história relatada em
Atos e a consequente necessidade de postular uma teoria de livramento tem levado
alguns eruditos a sugerirem teorias alternativas. Ou todas as referências pessoais
são invenções do autor, ou então algumas delas são observações genuínas que
foram incorporadas nas produções do próprio autor. Jamais houve uma posição que
ao menos se aproximasse de um acordo entre os advogados desta última alternativa
quanto à identificação das observações, teoria essa que também está sujeita a
suspeitas. Além disso, a noção de um escritor falseador a produzir observações
pessoais de tal verossimilhança é improvável, e nenhuma dessas teorias é
necessária se for mantida a suposição perfeitamente razoável que Paulo foi solto
depois de seu primeiro aprisionamento em Roma.
3.1.2 O Problema Eclesiástico
Tem sido asseverado que a situação eclesiástica reflete um estado de
coisas próprio segundo século de nossa era, mas essa crítica tem sido por demais
influenciada pela suposição que o gnosticismo do segundo século é combatido
nessas epístolas e que a organização da igreja estava por demais desenvolvida para
aquele período tão primitivo de Paulo. A força dessa primeira suposição é reduzida a
nada pelo reconhecimento moderno crescente de que o gnosticismo possuía raízes
muito mais antigas do que se imaginou há algum tempo atrás e que a forma de
heresia combatida nessas epistolas está longe de ser o gnosticismo bem
desenvolvido. A segunda suposição é igualmente débil em vista do fato que a
organização da igreja é certamente mais primitiva do que nos dias de Inácio e não
deixa transparecer qualquer anacronismo com o período do apóstolo.

6
Por que então a grande maioria crê que o apóstolo Paulo é o escritor dessas
três epístolas?
Porque essas três epístolas eram consideradas como sendo de autoria
paulina, desde remota época quando faziam parte do cânon. Alguns estudiosos
creem que Clemente copiou em suas epístolas parte de esses três livros. Como o
livro de Clemente foi publicado em 95 DC, se supõe que as três epistolas paulinas já
circulavam na igreja primitiva.
No ano de 140 DC essas três epístolas (1 e 2 Timóteo e Tito) foram
incorporadas na versão siríaca e latina da bíblia.
Ademais existem várias semelhanças entre essas três epístolas e os
escritos de Policarpo, o que significa sua existência anterior ao ano 100.
3.1.3 O Problema doutrinário
A ausência das grandes discussões doutrinárias paulinas, que são
encontradas nas primeiras epistola suas, e a presença de expressões
estereotipadas como a fé e sã doutrina que sugerem um estágio de desenvolvimento
quando a doutrina cristã havia atingido a fixidez de tradição, tem dado lugar a outras
dúvidas acerca da autoria paulina.
Entretanto o reconhecimento do caráter principalmente pessoal dessas
missivas e o conhecimento que tanto Timóteo como Tito já haviam recebido o
ensinamento principal de Paulo, é suficiente para explicar a primeira dessas
objeções enquanto a segunda pode ser anulada pela suposição valida que Paulo, na
qualidade de missionário pioneiro que enxergava longe, por mais criativas e
dinâmicas que tenham sido as suas primeiras declarações nas suas epistolas
eclesiásticas, não poderia ter-se esquecido da necessidade de conservar a doutrina
verdadeira, e somos obrigados a admitir que os termos que ele então usou com
esse propósito são eminentemente aptos.
3.1.4 O Problema Linguístico
Até o começo do século XIX admitia-se tranquilamente a autoria paulina das
epístolas pastorais, o que é afirmado até hoje por diversos autores. Entretanto os
críticos apontam alguns argumentos que podem indicar o contrário:

 O estilo das Pastorais é regular e harmonioso, o que contrasta


com a impetuosidade e a exuberância das epístolas anteriores,
inclusive com diferença vocabular, já que dos 848 vocábulos

7
existentes nas cartas pastorais, 306 vocábulos são exclusivos
destas, em relação ao conjunto do epistolário paulino;
 Os erros combatidos em 1/2 Tm e Tt supõe o gnosticismo do
século II ou seus antecedentes, no final do século I;
 O Cristianismo das Pastorais é jurídico, enquanto o paulino é
místico. As Pastorais recomendam a ortodoxia (1Tm 1.10; Tt
1.9); insistem nas boas obras (1Tm 2.10; Tt 2.7), ao passo que
Paulo recomenda muito a fé.

Devido a isto, as Pastorais seriam do final do século I, ou até mesmo do


século II. Este, recorrendo a pseudonímia, teria procurado fazer eco aos Atos, a
2Cor, a Fl e Cl para escrever cartas que visavam a preservar a sã doutrina e a
hierarquia da Igreja em comunidades ameaçadas pelas especulações extravagantes
do gnosticismo.
Porém estes argumentos não são decisivos, como podemos ver a seguir:

 Paulo, autor dinâmico que era, não teria ficado preso a um único
linguajar, principalmente quando novas circunstâncias e novos
temas exigiam novos vocábulos e novo estilo. É notória que
existe evolução entre Gl e Rm. Deve-se considerar também que
a idade pode ter abrandado a linguagem ardente de Paulo;
 As cartas pastorais ainda não supõem o episcopado monárquico.
Nem Timóteo nem Tito são bispos residenciais, postos à frente
de uma comunidade só, mas são pastores peregrinantes, postos
à disposição de Paulo;
 A insistência de Paulo sobre a fidelidade às proposições da fé
aparece nas epístolas mais antigas: 1Cor 11.2-23; 15.3; 2Ts
2.15; 3.6; Rm 6.17. Não é de se estranhar que ocorra nas
pastorais.

Portanto, vimos que há continuidade entre as epístolas pastorais e o


clássico epistolário paulino.
Assim, podemos manter a tese de que Paulo é o autor das pastorais,
reconhecendo, porém, que deve ter utilizado o trabalho significativo de um

8
redator ou secretário, que redigiu as cartas a partir de indicações dadas pelo
próprio.
3.2 O Destinatário da carta
Timóteo é um dos mais conhecidos entre as personagens secundárias do
Novo Testamento. Filho de um pai pagão grego e de uma mãe judia convertida,
juntou-se pela primeira vez à comitiva de Paulo em Listra, na Letônia, no início da
segunda viagem missionária deste. Já era um cristão de certa posição, tendo sido
provavelmente convertido por Paulo quando este pregara na localidade um ou dois
anos anteriormente.
Parece que o Apóstolo teve simpatia por ele e o persuadiu a acompanhá-lo,
mas primeiramente o circuncidou como uma concessão às suscetibilidades judaicas
(At 16. 1-3). A partir de então, foi companheiro constante de Paulo e seu amigo
íntimo, e cooperou com ele em várias das suas cartas 1ª e 2ª Tessalonicenses, 2ª
Coríntios, Filipenses, Colossenses e Filemon, e foi encarregado em missão
importante para Tessalônica. A primeira comissão que lhe foi confiada foi a de
encorajar os crentes perseguidos de Tessalônica (1Ts 3.2) e para Corinto (1Co
4.17).
O apóstolo considerava seu cooperador e seu filho amado e fiel no Senhor
(Rm 16.21; 1Co 4.17). Quando Paulo estava começando sua última viagem a
Jerusalém, Timóteo fazia parte do grupo (At 20.4), e estava ao seu lado durante sua
prisão em Roma ele foi testemunha ocular do sofrimento de Paulo. Realmente,
Paulo recebia consolo especial da sua presença e planejou o envio dele numa
missão para a igreja de Filipos (Fp 2.19-24).
Conforme o quadro exposto nas cartas, Timóteo agora delegado apostólico
temporariamente encarregado das igrejas de Éfeso e de Creta respectivamente.
Timóteo, pelo menos ainda é relativamente jovem (1Tm 4:12; 2Tm 2:22), talvez com
seus trinta e cinco anos ou mais, e temos a impressão que é um homem tímido e
sensível, cuja disposição de ânimo precisa de apoio. Na primeira carta que Paulo
escreve a Timóteo o representa presidindo sobre a congregação de Éfeso, Paulo o
deixou ali, ou de qualquer maneira pediu que continuasse ali, e planeja visitá-lo
antes de passar-se muito mais tempo.
Neste ínterim, encoraja-o a restabelecer a tradição sadia do ensino cristão
contra as tendências heréticas decisivas, tendo em vista aquele objetivo, organizar o

9
ministério e a vida diária da congregação numa base apropriada. Timóteo segundo
parece ainda está em Éfeso e os falsos mestres ainda são uma ameaça com sua
influência desmoralizadora, Paulo manda-o precaver-se contra eles. Mas boa parte
da carta consiste nas admoestações pessoais do Apóstolo ao seu discípulo no
sentido de levar a efeito seu ministério com perseverança seja qual for o sofrimento
acarretado, anseia por sua presença, e conclama-o a vir até ele antes do inverno
começar.

10
4. MENSAGEM EXEGÉTICA
O Espírito diz expressamente que nos últimos tempos alguns se afastarão
da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e doutrinas de demônios.
Agora, o Espírito diz expressamente: Paulo marcou especialmente isso
como uma revelação do Espírito Santo; seja como uma palavra espontânea dada
como ele escreveu ou citando de uma profecia anterior. Paulo sabia que certos
perigos marcariam os últimos tempos.

 O perigo de apostasia (alguns irão embora).


 O perigo do engano (enganar os espíritos).
 O perigo do falso ensino (doutrinas de demônios).

Já se passaram mais de 1900 anos desde que Paulo escreveu a Timóteo


sobre os últimos tempos, mas ele não entendeu mal o seu tempo ou o nosso
próprio. A história não está, e não foi correndo para uma beira distante que acabaria
com essa ordem atual; mesmo nos tempos apostólicos, a história chegou a essa
beira - e corre paralela a ela desde então. Como se constata, os últimos tempos
descrevem uma era ampla, não dois anos.

Alguns se afastarão da fé: Por causa do perigo dos últimos tempos, se


Timóteo continuasse sendo um fiel ministro do povo de Deus, ele deveria manter um
cálculo morto sobre a verdade - a fé. Se isso fosse perdido, pouco mais realmente
importava.
“Um homem pode guardar todas as verdades do cristianismo e, ainda
assim, torná-las sem efeito, mantendo outras doutrinas que neutralizam
sua influência; ou ele pode apostatar negando alguma doutrina
essencial, embora ele não introduza nada heterodoxo. ”(Clarke)

Um artigo de junho de 1997 no US News and World Report descreveu um


pastor da Virgínia que “preferiria pregar sobre 'Bósnia, justiça ou paz mundial' do que
sobre histórias bíblicas ou salvação pessoal.” Este é um exemplo de um homem que
se afastou da fé e seguiu sua própria direção.
A fé: isso não significa perder a capacidade de acreditar, mas perder o
conteúdo do que os cristãos devem acreditar. Descreve os ensinamentos essenciais
da fé cristã. Quando alguns ... se afastam da fé, estão abandonando os
ensinamentos essenciais do cristianismo.

11
A Bíblia usa a frase “a fé” desta forma em muitos lugares: Atos 6: 7 e 14: 22,
Colossenses 1: 23, 1 Timóteo 1: 19, e Judas 1: 3.
Espíritos enganadores: Refere-se aos espíritos demoníacos (seres angélicos
que se rebelaram contra Deus), que buscam enganar homens e mulheres e afastá-
los da verdade.
Algumas mentiras são tão poderosas que têm uma evidente dinâmica
espiritual por trás delas. São mentiras criadas e promovidas por espíritos
enganadores.
Doutrinas de demônios: Isso fala dos ensinamentos específicos desses
espíritos enganadores. Os demônios são teólogos maiores e possuem sistemas de
doutrina.
Encontramos a primeira doutrina demoníaca em Gênesis 3. Lá Satanás,
falando através de uma serpente, ensinou a Eva: Você certamente não morrerá.
Pois Deus sabe que no dia em que você comer dela, seus olhos serão abertos e
você será como Deus (Gênesis 3: 4-5). Desde então, toda doutrina demoníaca
encontrou seu caminho de volta para essa raiz: a idéia de que podemos ser deuses
e operar independentemente de Deus.
Espíritos enganadores… doutrinas de demônios: Estes existem desde que o
homem primeiro andou pelo Jardim do Éden. Mas devemos esperar que mais e mais
pessoas na igreja se afastem da fé nos últimos tempos e aceitem esses falsos
ensinos.
É difícil dizer se há mais falsos ensinamentos hoje, ou se é apenas um caso
de tecnologia moderna sendo capaz de espalhar melhor a mentira. Mas o velho
ditado é certamente verdadeiro hoje: uma mentira viaja em alta velocidade enquanto
a verdade vai a pé - e mais pessoas dentro da igreja estão seguindo essas doutrinas
de demônios.
A natureza de sua partida da fé e abraçar as doutrinas dos demônios.
Falar mentiras na hipocrisia, tendo sua própria consciência queimada com
ferro quente, proibindo o casamento, e ordenando abster-se de alimentos que Deus
criou para serem recebidos com ação de graças por aqueles que crêem e conhecem
a verdade.
Falando mentiras na hipocrisia: Isso descreve aqueles que se afastam da fé.
Isso certamente aponta para aqueles que voluntariamente abraçam a falsidade para

12
justificar seu pecado ou orgulho; mas também se refere àqueles que afirmam
ensinar a Bíblia, enquanto apenas a usam para apoiar suas próprias idéias ou
agendas.
Tendo sua própria consciência queimada: a consciência deles, que em um
tempo os teria condenado de sua partida da verdade, agora não responde de forma
alguma. É como se as terminações nervosas de sua consciência tivessem sido
queimadas e estivessem mortas para sentir.
Paulo aqui se refere à antiga prática de marcar um criminoso na testa com
uma marca distintiva. Para estes, não foi a testa que foi marcada com um ferro
quente, mas a sua consciência em seu lugar.
Paulo sabia o que era ter uma consciência morta e queimada. Antes de
entregar sua vida a Jesus Cristo no caminho de Damasco, ele se sentiu
completamente justificado em sua perseguição aos cristãos e ódio de Jesus. Ele
podia sentir-se justificado porque sua consciência estava queimada e precisava de
um chamado de despertar - o qual o Senhor graciosamente providenciou.
Proibir casar e ordenar a abstinência de alimentos: descreve o ensino
legalista daqueles que se afastaram da fé. Eles ensinaram que era seguindo essa
lista de regras feitas pelo homem que alguém era justificado aos olhos de Deus -
que você seria mais santo para Deus se não se casasse, e se você não comesse
certos alimentos.
Sempre houve aqueles na igreja que se consideram mais espirituais do que
o próprio Deus, e têm um conjunto mais estrito de regras para viver do que Deus.
Nos primeiros séculos da igreja, havia monges que saíam para desolados
lugares no deserto para mostrar como eram espirituais se torturando. Nunca se
come comida cozida. Outro ficou a noite toda encostado em uma pedra afiada, de
modo que era impossível para ele dormir. Outro negligenciou seu próprio corpo e
permitiu que ele se tornasse tão sujo que insetos caíram mortos de seu corpo. Eles
fizeram isso porque achavam que ganhariam favor com Deus e mostrariam a todos
como eram espirituais.
Muitas vezes pensamos que se sacrificamos algo por Deus (como o direito
de casar ou comer certos alimentos), então Ele nos deve alguma coisa. Isso é
legalismo no pior; tentando manipular Deus para nos dar algo. A idéia é que
podemos fazer com que Deus nos deva, faça-o nosso servo e nos tornemos Seu

13
mestre. Neste nós cumprimos a doutrina original dos demônios - que devemos ser
deuses.
Incontáveis milhões de pessoas, através dos séculos, procuraram sacrificar
alguma coisa e fazer com que Deus lhes abençoasse, ou perdão, ou misericórdia,
ou seja o que for. Essa é a religião da autoflagelação; não é o relacionamento com
Jesus Cristo descrito no Novo Testamento: ser justificado livremente por Sua graça
através da redenção que está em Cristo Jesus (Romanos 3: 24).

“A controvérsia não é sobre carne ou peixe, ou sobre cores negras ou


pálidas, ou sobre quarta-feira ou sexta-feira, mas sobre as loucas superstições de
homens que desejam obter o favor de Deus por tais ninharias e inventando uma
adoração carnal, eles mesmos um ídolo no lugar de Deus. ”(Calvino)
Uma refutação do legalismo que marca aqueles que se afastaram da fé.
Pois toda criatura de Deus é boa, e nada deve ser recusado se for recebido
com gratidão; porque é santificado pela palavra de Deus e pela oração.
Pois toda criatura de Deus é boa: Com relação ao que comemos, podemos
comer todas as coisas. Nós recebemos as coisas corretamente quando as
recebemos com gratidão, com um permanente sentimento de gratidão para com
Deus. Recebemos as bênçãos de comida, abrigo e conforto como presentes e não
como direitos.
Nada deve ser recusado: não estamos limitados por nenhum tipo de dieta; o
que comemos não nos torna mais justos diante de Deus (embora o que comemos
possa afetar nossa saúde).
Esta questão foi resolvida de uma vez por todas quando Deus falou com
Pedro em Atos 10: 9-16.
“Entre os pagãos, judeus e romanistas, certas carnes eram proibidas; alguns
sempre, outros em determinados momentos. Isto o apóstolo nos informa foi
diretamente contrário ao desígnio original de Deus; e diz que aqueles que conhecem
a verdade sabem disso. ”(Clarke)
É santificado pela palavra de Deus e pela oração: Paulo tem em mente a
oração antes de uma refeição. Observe que a ênfase não está em pedir a Deus que
abençoe a comida; mas em agradecer a Deus pela bênção de prover comida para
comer.

14
A palavra de Deus santifica a comida no sentido de que Deus deu dois
mandamentos gerais à humanidade para comer as boas coisas da terra.
E disse Deus: Eis que te tenho dado toda erva que produz semente que
esteja sobre a face de toda a terra, e toda árvore cujo fruto produz semente; a ti será
por comida. ”(Gênesis 1: 29)
Cada coisa que se move, que vive, será comida para você. Eu te dei todas
as coisas, mesmo como as ervas verdes. (Gênesis 9: 3)
É bom que oremos antes de comer uma refeição, mas isso não deve ser
feito de maneira ritualística e supersticiosa. Nem deve ser feito para mostrar aos
outros como somos espirituais - o que é imitar as práticas de oração dos fariseus
(Mateus 6: 5).

15
5. ATUALIZAÇÃO HERMENÊUTICA

4.1 — Paulo dá início aqui a uma série de instruções especiais a Timóteo. O


Espírito expressamente diz. Paulo pode estar referindo-se a profecias inspiradas
pelo Espírito Santo acerca do abandono da verdade de Deus (Dn 7.25; 8.23; Mt 24-
4-12) ou a uma revelação que o Espírito lhe deu.
O significado literal de apostatarão é se afastarão. Haverá muitos momentos
em que alguns se desviarão da fé (1 Tm 1.19,20). A referência aqui não é
propriamente à perda da salvação, mas ao fato de deixarem de andar em obediência
(Jo 19.25-27; 1 Co 3.1-3; 11.29,30). O impacto da influência e do ataque satânicos
está descrito nos versículos 1-3.
Doutrinas de demônios se refere a seguir práticas ocultas.
4.2 — Cauterizada a [...] consciência. Como poderiam acreditar nessas
coisas/ Assim como se costuma ficar com o dedo dormente ao queimá-lo no ferro de
passar, sua consciência tornou-se adormecida, cauterizada pelo pecado.
4.3,4 — Os falsos mestres em Éfeso menosprezavam o mundo material como
se fosse somente mau. Isso se tornou doutrina central do gnosticismo desenvolvido
no século 2. Todavia, em Gênesis 1.31, tudo o que Deus criou foi por Ele
considerado muito bom. Os cristãos devem desfrutar de tudo o que Deus criou e
deu-lhes para usar e administrar.
4.5 — Santificada significa separada. Casamento, alimentos e bens são, na
realidade, assuntos espirituais. Devem ser desfrutados pelo cristão, sempre
reconhecendo seu correto objetivo perante Deus.

16
6. Referências Bibliográficas
CLARKE, Adam – The New Testament of Our Lord and Saviour Jesus Christ

CHAMPLIN, Russel Norman - O Novo Testamento Interpretado Versículo por


Versículo. São Paulo, Millennium, 1985

NESTLE, Alan O Novo Testamento Grego – Barueri, SP, Sociedade Bíblica do


Brasil, Ed. 4, 2009.

KELLY, John Norman Davidson- 1 2 Timóteo e Tito, Tradução Gorda Clown e


Júlio Sabatineiro, SP, Vida Nova, 1991.

HENDRIKSEN, William – Comentário do Novo Testamento, 1 Timóteo e Tito,


Tradução Valter Graciano Martins, SP, Cultura Cristã, 2001.

LUZ, Waldir Carvalho – Novo Testamento Interlinear – Texto Grego de Nestle, 26


edições, SP, Cultura cristã, 2003.

DOUGLAS, J.D. – O Novo dicionário da Bíblia, Tradução Russell P. Sede e João


Bentes,3. Ed revisada, Vida Nova, 2006

GENEBRA - Bíblia Sagrada

JERUSALEM – Bíblia Sagrada

LINGUAGEM DE HOJE – Bíblia

J. F. ALMEIDA ATUALIZADA – cri

BIBLIA SAGRADA, Nova Versão Internacional – NVI. 1ª edição autorizada. BV


Books Editora: Niterói – RJ, 2014.

17