Sei sulla pagina 1di 2

TRANSPORTADOR AUTÔNOMO

SAÍDA

TRANSPORTADORES AUTÔNOMOS

UMA

SUSTENTÁVEL

PARA

O

SETOR

DE

O cenário dos transportes é composto de vários modais, no Brasil a

grande extensão da malha viária que segundo dados da revista Estudo de

Transportes Rodoviários (2018) da CNT (Confederação Nacional dos

Transportes), são de 1.610.076 quilômetros que somados à escassez de

investimentos em outros meios de transportes fez do modal rodoviário o

principal modelo de escoamento do País. Conforme dados da revista já citada

este modal é responsável por 61,8% das movimentações de cargas no País já

que ele possui capacidade de movimentar bens e serviços, seu papel é

fundamental na competitividade e desenvolvimento de País e desta forma faz

se necessário uma busca por melhoraria constante para aprimoramento dos

processos que possibilitam gerenciar os custos, rentabilizar o negocio e

proporcionar uma visão sistêmica para tomadas de decisão, desta forma diante

do cenário atual como fazer para obter sustentabilidade e rentabilidade em um

mercado saturado e competitivo.

Muito se ouve falar em cooperativas, segundo Charles Fourier 1772

denominado como um dos pais do cooperativismo uma cooperativa se define

em uma associação voluntária e democrática de empresas ou pessoas

destinadas a satisfazer as necessidades de seus membros, desta forma ela

preconiza a colaboração e a associação de pessoa visando que todos atuem

com sincronia em torno da mesma ideia, no Brasil este tipo de trabalho é bem

difundido no agronegócio sendo possível observar cooperativas de sucesso

bem como também às de fracasso já no setor de transporte este modelo de

gestão ainda dá seus passos iniciais e já é possível visualizar um futuro

promissor e de sucesso desde que gerida corretamente.

No cenário do transportador autônomo as noticias não são muito

atrativas, a volatilidade no preços do combustível e demais itens necessários

do segmento tem tirado o sono de muitos trabalhadores que neste momento se

desmotivam a prosseguir na profissão, pois sua estrutura gerencial não suporta

esta alternância de preços, que nos caso dos combustíveis é para cima e do frete é para baixo ou seja o custo operacional sobe enquanto o faturamento no melhor dos cenários se mantem igual, desta forma o cooperativismo surge como uma saída, uma cooperativa logística prestadora de serviços quando bem gerida e funcional pode trazer muitos benefícios e vantagens sociais e econômicas a seus cooperados, tais como poder de compra uma vez que seu volume de associados permite negociar melhores valores para compra de combustível e peças, constância no volume e preço do frete pois de acordo com a quantidade de associados a cooperativa poderá negociar grandes volumes de carga com um valor mais constante do frete, pode também ter um sistema de contribuição coletiva para cobrir eventos danosos de seus membros os protegendo de imprevistos da estrada. Desta maneira e diante deste cenário de mercado os benefícios que este modelo pode trazer a seus associados é bem diversificado e como vimos visa atender as expectativas dos cooperados como um todo tornando o negocio sustentável e economicamente viável.

Edvaldo de Souza Graduando em Engenharia da produção