Sei sulla pagina 1di 5

Texto 1

Principais Blocos Econômicos

Texto 1 Principais Blocos Econômicos A formação de blocos econômicos tem por objetivo criar condições para

A formação de blocos econômicos tem por objetivo criar condições para dinamizar e intensificar a economia num mundo globalizado. Em todas as modalidades de blocos econômicos, o intuito é a redução e/ou eliminação das tarifas ou impostos de importação e exportação entre os países membros.

Na tentativa de expansão do mercado consumidor, as nações visam integrar a blocos econômicos que flexibilizem as relações comerciais em escala internacional. Os acordos têm o propósito de estabelecer tratados para uniformizar as ações fiscais em termos de diminuição ou isenção de impostos sobre as mercadorias e os serviços comercializados entre os países membros.

Os blocos econômicos não ficam restritos apenas à redução ou abolição de tarifas alfandegárias, podendo proporcionar a livre circulação de pessoas entre os países membros de um determinado bloco.

Conforme suas características, os blocos econômicos podem ser classificados da seguinte forma:

Zona de livre comércio acordos comerciais de redução ou eliminação das tarifas alfandegárias entre os países membros do bloco. Exemplo: Acordo de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA).

União aduaneira além de reduzir ou eliminar as tarifas comercias entre os países integrantes do bloco, regulamenta o comércio com as nações que não pertencem ao bloco através da TEC (Tarifa Externa Comum). Exemplo: Mercado Comum do Sul (MERCOSUL).

Mercado comum proporciona ainda a livre circulação de capitais, serviços e pessoas no interior do bloco. Exemplo: União Europeia (UE).

União econômica e monetária evolução do mercado comum. Os países adotam a mesma política de desenvolvimento e uma moeda única. É o atual estágio da União Europeia.

Atualmente, os principais blocos econômicos são:

APEC Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico. ASEAN Associação das Nações do Sudeste Asiático. CARICOM Mercado Comum e Comunidade do Caribe. CEI Comunidade dos Estados Independentes. CAN Comunidade Andina. MCA Mercado Comum Árabe. MERCOSUL Mercado Comum do Sul. NAFTA Acordo de Livre Comércio da América do Norte. SADC Comunidade da África Meridional para o Desenvolvimento. UE União Europeia.

Entenda como funcionam os blocos econômicos

Decisão de Trump de retirar os EUA do Acordo Transpacífico reforça sua posição contra o livre-comércio e a globalização

sua posição contra o livre-comércio e a globalização Em uma de suas primeiras decisões após assumir

Em uma de suas primeiras decisões após assumir a presidência dos Estados Unidos (EUA),

Donald Trump retirou o país do Acordo Transpacífico de Cooperação Econômica (TPP, na sigla

em inglês). Para o presidente norte-americano, o TPP é desvantajoso ao país por abrir demais

a economia às importações, o que prejudicaria a geração de empregos.

O TPP é o embrião do que seria a maior área de livre-comércio do mundo. Assinado em

fevereiro de 2016, o acordo reunia 12 países das Américas, Ásia e Oceania, entre eles EUA e

Japão. Juntas, as 12 nações somam 40% da riqueza produzida no mundo, em termos de

Produto Interno Bruto (PIB), e 800 milhões de habitantes. A vigência do acordo dependia da

aprovação dos Parlamentos dos países participantes. Agora, com a retirada dos EUA, os

integrantes do TPP cogitam chamar a China para participar do bloco.

Os blocos econômicos são uma das principais expressões da economia globalizada. Os primeiros agrupamentos de nações surgiram com o objetivo de facilitar e baratear a circulação de mercadorias entre seus membros. Essas medidas reforçam a tendência de abrir as fronteiras das nações ao livre fluxo de capitais, ao reduzir as tarifas sobre importações e coibir práticas protecionistas e regulamentações nacionais. Existem quatro modelos básicos de bloco econômico:

1. zona de livre-comércio, em que há redução ou eliminação de tarifas alfandegárias;

2. união aduaneira, que, além de abrir o mercado interno, define regras para o comércio com nações de fora do bloco;

3. mercado comum, que permite a livre circulação de capitais, serviços e pessoas; e

4. união econômica e monetária, em que os países adotam a mesma política de desenvolvimento e uma moeda única.

A formação de blocos econômicos acelerou o comércio mundial. Antes, qualquer produto importado chegava ao consumidor com um valor significativamente mais alto, em função das taxações impostas ao se cruzar a alfândega. Os acordos entre os países reduziram e em alguns casos acabaram com essas barreiras comerciais, processo conhecido como liberalização comercial.

Por Fabio Sasaki 10/02/2017

Conheça alguns dos principais blocos econômicos do mundo:

União Europeia: É o bloco econômico mais importante do mundo, tanto pela força de algumas de suas principais economias como as da França e da Alemanha , quanto pela profundidade das relações entre seus membros. Criada em 1992, a UE transformou-se em uma união econômica e monetária a partir de 2002, com a adoção do euro, a moeda única do bloco. Atualmente, a UE enfrenta uma grave crise por conta do endividamento de nações com economias mais frágeis, como Grécia, Portugal e Espanha. Além disso, a decisão do Reino Unido de deixar o bloco abalou a UE.

Nafta: O Acordo de Livre Comércio da América do Norte é composto por EUA, México e Canadá. Criado em 1994, o Nafta foi responsável por integrar as economias dos países- membros, fortalecendo principalmente as relações entre EUA e México. Diversas empresas norte-americanas se transferiram para o México, aproveitando as vantagens da mão-de-obra local, que é mais barata. Já o México aumentou suas importações agrícolas dos EUA, o que afetou pequenos e médios produtores nacionais. Trump, é crítico do acordo e diz que o Nafta é responsável por grande parte do desemprego industrial nos EUA.

Mercosul: É o grande bloco da América do Sul, criado em 1991 por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai em 2012, a Venezuela tornou-se o quinto membro. O principal mecanismo de integração do bloco é a união aduaneira: além de reduzir as tarifas de importação entre os integrantes, o Mercosul implementou regras unificadas para o comércio com nações de fora do bloco. Ou seja, ao comprar medicamentos da Alemanha, por exemplo, o Brasil não pode aplicar uma alíquota de importação menor ou maior do que a utilizada por Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela. Atualmente, o bloco enfrenta uma grave crise devido à suspensão da Venezuela.

Aliança do Pacífico: Bloco comercial, criado em 2012 que engloba o Chile, Peru, Colômbia, México e Costa Rica. A Aliança do Pacífico pretende evoluir para uma zona de livre-comércio, eliminando gradualmente doas as tarifas alfandegárias. Os cinco países têm acordos de livre- comércio com os EUA, o que tem impulsionado suas economias.

Por Fabio Sasaki 10/02/2017