Sei sulla pagina 1di 64

9

CURANDO
as feridas da
ALMA
Superintendente
Rev. Daniel A. Silva

Secretário da SEREP
Pr. Davi Miguel dos Santos

Subsecretário da SEREP
Pb. Wilson Matias

Editores Assistente
Pb. Wilson Matias

Escritores
Ademir Teixeira de Freitas - Lições 1 a 3 / 7 a 13
Psicólogo clínico e Pastor da ICPI Santo André/SP

Eliézer Cavalcanti Rocha - Lições 4 a 6


Engenheiro, bacharelando em Teologia
Presbítero da ICPI Santo André/SP

Equipe Revisora
José Edson Ferreira Lima (Gramatical)
Conselho de Doutrina (Teológico)

Diagrama / Design
Marcelo Henrique Pinto
É proibido a cópia deste sem
Impressão autorização da SEREP
Logus Gráfica

vendas@icpi.com.br
w w w. l o j a i c p i . c o m . b r
DEUS TEM Cicatrizes........................................... 01
PERGUNTAS DE quem Sofre.................................06
ESPINHOS QUE nos Ferem!.................................. 11
ANTES SÓ, DO QUE Mal Acompanhado?...............16
ALIVIANDO A BAGAGEM do Estresse!...................19
ANSIEDADE, UMA BOMBA PRONTA para Explodir!. 24

A VIDA, MAIS QUE o Alimento!............................ 28


O QUE FAZER COM a minha Culpa!......................32
SEM MEDO DE TER Medo...................................37

DEPRESSÃO, A VIDA Cinzenta............................41


FERIDOS EM NOME de Deus...............................46
RECURSOS TERAPÊUTICOS DE DEUS
a uma Alma Ferida................................................52
CURA PARA AS DORES da Alma.........................55
T emos o prazer de apresentar a você,
aluno, este palpitante tema: “Cura para a
Alma”. Ele tem uma perspectiva
teológica e psicológica. A proposta não é que
essas lições sejam uma checagem, se temos
este ou aquele problema. Ao falar de alguns
transtornos e doenças, focamos muito mais
naquilo que é saudável do que aquilo que é pato-
lógico.
Ficamos surpresos quando nossa vida é
mergulhada na escuridão e na dor? Nem mesmo
o próprio Deus, em Cristo, fugiu de tais coisas.
As primeiras lições abordam um assunto que
sequer é pregado nos púlpitos de muitas igrejas,
principalmente, as seguidoras da prosperidade.
Trata-se da “Teologia do Sofrimento”. Nela,
você verá que Deus veio ao mundo e se sujeitou
a males, sofrimentos e dores aos quais nenhum
de nós jamais experimentou. Em vez de Deus
explicar o sofrimento, Ele decidiu participar
dele. A revelação mais profunda do caráter de
Deus está na fraqueza, no sofrimento e na
morte na cruz. Isso é exatamente “o oposto de
onde a humanidade espera encontrar Deus”.
O sofrimento diz respeito a todos nós e, por
vezes, lidar com o sofrimento sem os recursos
suficientes intensifica ainda mais a dor humana.
Em meio à dor, as dúvidas na mente podem
crescer juntamente com a dor no coração.
Conhecer o amor do Senhor em profundidade é
a nossa maior necessidade e o mais eficiente
recurso terapêutico!

Equipe SEREP
DEUS TEM
CICATRIZES!
Texto Básico: Isaías 53.1-12
Lição Texto Áureo: “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas
Segunda enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o
reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido”. (Is 53.4)

Lc 22.44 Introdução
Terça Conteúdo aluno

Rm 8.32
Subsídio Teológico I
Quarta Deus se arrepende ou não?Por que em Números 23.19 diz:
“Deus não é homem, para que minta, nem filho do
Lc 19.41-42 homem, para que se arrependa…”, sendo que em Gênesis
6.6 se afirma: “então, se arrependeu o Senhor de ter feito
Quinta o homem na terra, e isto lhe pesou no coração”? A palavra
“arrependimento” é expressa por diferentes palavras no
At 9,1-4 original hebraico e grego. Sendo assim, o arrependimento
divino é totalmente diferente do arrependimento
Sexta humano, pois diferentes palavras hebraicas e gregas são
usadas para definir esse sentimento. Quando a Bíblia fala
do arrependimento humano, usa as seguintes palavras no
Hb 4.15
original: Shubh (hebraico) e metanoéo (grego). Seus
significados: mudança de mente (não somente a tristeza
Sábado
pelo pecado), voltar atrás, retornar ao caminho correto.
Por outro lado, quando a Bíblia fala acerca do
Jn 3.4-10 arrependimento divino, usa os seguintes termos: Naham
(hebraico) e Metamélomai (grego), significando dor,
Domingo tristeza, pesar.
Portanto, quando Gênesis 6.6 diz que Deus “se
Mt 27.30-46 arrependeu”, está afirmando que o Senhor “sentiu
01
profunda dor, pesar” (lembremos maldade, também eu me
que não temos como expressar arrependerei do mal que pensava
em linguagem humana os fazer-lhe" (ver também Jn 3.10).
sentimentos de Deus, como Não se trata, obviamente, do caso
realmente foi essa dor divina) por de Deus se arrepender de algum
ter de executar juízo (por ocasião erro que tenha cometido, mas da
do dilúvio) contra o homem que supressão do castigo anunciado
Ele havia criado. O arrepen- por Ele. Deus não erra, logo, seu
dimento divino não traz mudança "arrependimento" não é como o
em seu Ser, mas sim no seu modo nosso. O soberano e imutável
de “tratar” o ser humano. O Deus sabe lidar apropriadamente
arrependimento de Deus é uma com as mudanças no compor-
figura de linguagem chamada tamento humano.
antropopatia, em que se atribui a
Deus, sentimentos que nós, seres
humanos temos, para ajudar em O sofrimento de Deus
nosso entendimento sobre como
Deus se sentiu em determinadas
desde o Gênesis
situações. Segundo o Dicionário Conteúdo aluno
Caldas Aulete, “antropopatia é a
atribuição das paixões e sofri-
mentos humanos aos deuses”. O
que o texto de Gênesis está
Sinopse do Tópico (I)
Sim, Deus é Senhor da história,
indicando é que Deus se
mas também é o ser vulnerável
contristou pela desobediência do
que entrou na história e sub-
homem, e não que Ele, o Senhor,
meteu-se às suas forças mais
tivesse se arrependido de sua
sombrias.
criação, ou, então, que houvesse
cometido algum erro. Em
Números 23.19, vemos que a
palavra de Deus é fiel e, ao
O sofrimento
contrário da dos homens, se de Deus filho
cumpre. Em outra passagem,
Jeremias 18.7-10, lemos: "Se a tal Conteúdo aluno
nação... se converter da sua
02
Sinopse do Tópico (II) escreve: “Ele ficou sem nenhum
Don Carson afirma: “O Deus em dos consolos de Deus; nenhum
quem confiamos sabe o que é sentimento de que Deus o amava;
sofrimento, não apenas do modo nenhum sentimento de que Deus
pelo qual Deus sabe de todas as se compadecia dele; nenhum
coisas, mas por experiência sentimento de que Deus o
própria”. É exatamente essa a sustentava. Tudo o que Deus havia
afirmação teológica em Hebreus sido antes para Ele lhe foi tirado.
4.15: “Pois não temos um sumo Ele estava sem Deus; privado de
sacerdote que não seja capaz de seu Deus. Ah! Esse foi o inferno que
compadecer-se das nossas Cristo sofreu”.
fraquezas, mas temos o Sacerdote
Supremo que, à nossa seme-
lhança, foi tentado de todas as
formas, porém sem pecado Sinopse do Tópico (IV)
algum”. Jesus é um rei que veio ao mundo e
não foi para o trono, mas para a
cruz (Fp 2.6-8). Em Cristo, o Deus
O Deus sofredor soberano se transformou no Deus
na cruz sofredor. Tudo o que Cristo sofreu,
Deus Pai sofreu juntamente.
Conteúdo aluno Apesar do poder de Deus, o
Cristianismo é a única religião a
ensinar que Ele também se tornou
Sinopse do Tópico (III) vulnerável e sujeito ao sofri-
Robert Murray M'Cheyne, pre- mento.
gador escocês do início do século
19, empenha-se em nos fazer
sentir o que ele chamou de “a
infinitude dos sofrimentos de Ninguém sofre sem que Deus
Cristo” na cruz. Ao refletir sobre o
sofra também. Deus sentiu na
brado de Jesus de que Deus o
carne o que é sofrer. Se Deus
havia abandonado, M'Cheyne
03
nunca sofre, como podemos conquistou a nossa confiança.
confiar que Ele pode nos acolher? Podemos, portanto, confiar em
Se Deus não é exceção - se até Ele Deus mesmo que Ele ainda não
sofreu -, então não podemos tenha nos revelado os motivos de
dizer que Ele não entende o nosso sofrimento. Certamente,
sofrimento ou que Ele é um rei não seremos decepcionados.
insensível. Max Lucado escreveu:
“Sim, é verdade: a mão que criou No livro de Apocalipse está
e sustenta o universo recebeu o descrito “um novo céu e uma
prego de um soldado. Da nova terra” (21.1). Ali “jamais
próxima vez que você estiver haverá maldição” (22.3); a
sofrendo, olhe com cuidado a maldição que atingiu a criação na
mão que indicará a você a saída queda e causa sofrimento será
do túnel escuro em que se retirada. O sofrimento de Jesus
encontra: é uma mão perfurada”. dará fim a todo sofrimento do
povo de Deus (Ap 21.4). O poeta
Uma vez que Deus não se Gladir Cabral assim expressou o
manteve imune à dor, podemos sofrimento de Jesus: "O Deus
confiar nele, mesmo sem eterno um dia resolveu sair dos
entender tudo o que acontece. É bastidores da história para entrar
fácil entender por que as crianças no palco do mundo e levar sobre
têm de confiar em seus pais si a nossa dor. Nossos olhos se
mesmo sem entendê-los encheram de lágrima ao vê-lo
completamente. Da mesma sofrer nossa angústia, Ele que um
forma, deveríamos confiar em dia secará dos nossos olhos toda
Deus mesmo sem entendê-lo, já lágrima".
que a diferença entre a sabedoria
dele e a nossa é infinitamente O Cristianismo não oferece um
maior do que a sabedoria entre mero consolo, e sim uma
uma criança e seu pai. E isso não restauração; não apenas da vida
deveria acontecer somente que tivemos, mas da vida que
porque Ele é soberano e todo- sempre desejamos ter. O túmulo
poderoso, pois devemos confiar vazio daquele que ressuscitou é a
nele porque, na cruz, Ele grande prova de que o sofri-
04
mento segundo a vontade divina
sempre conduz à glória.

05
PERGUNTAS DE
QUEM SOFRE!
Texto Básico: Jó 3.1-26
Lição Texto Áureo: “Que seja aniquilado na história o dia do meu
nascimento e a noite em que se anunciou: Um varão nos nasceu!”
Segunda (Jó 3.3)

Jó 1.1-22
Introdução
Conteúdo aluno
Terça

Sl 39.2,3 Subsídio Teológico I


Quarta Na lição de hoje, refletiremos sobre o sofrimento do justo,
tendo como base a vida de Jó. Um dos objetivos do estudo
da Bíblia é preparar nossa mente e o coração para que não
Sl 63.3 haja revolta contra Deus no dia da calamidade. Durante a
vida, todos nós vamos experimentar grandes
Quinta adversidades, mais cedo ou mais tarde. E, sem dúvida,
esses acontecimentos irão parecer algo imerecido,
Tg 5.11 absurdo, sem sentido quando vierem. Mas por mais
profunda a dor que nos surgir durante a jornada pela vida,
Sexta a atitude correta é manter-se em adoração a Deus em vez
de amaldiçoar.
Jó 2.1-13

Sábado
Jó: Reverência diante do sofrimento
Conteúdo aluno
Jó 3.1-26

Domingo
Sinopse do Tópico (I)
O Deus soberano concede a Satanás poder limitado para
Jó 35.16 causar dor a um servo seu (Jó 1.12; 2.6). Neste mundo não
06
há quem possa responder às Deus é impotente ou hostil. Ele usa
grandes questões da vida. A o prazer para nos fazer sentir que
resposta se encontra no céu. Um Deus é supérfluo, descartável. Ele
olhar para o lá é o que nos ajuda a falhou ao tentar afastar Jó de
compreender os acontecimentos Deus nos dias de seu prazer e
na Terra (Jó 1.6-12). Assim, o prosperidade. Então, ele ataca a
escritor do drama de Jó nos dá um alegria de Jó centrada em Deus
vislumbre do céu para entender por meio da dor. Ele falhou
melhor o que está acontecendo na novamente em seu intento.
Terra.

Perdas que Perguntas de um homem


geram sofrimento em sofrimento
Conteúdo aluno
Conteúdo aluno

Sinopse do Tópico (III)


Subsídio Teológico (II) Jó não consegue entender a razão
O livro de Jó deixa evidentes
de ter nascido ou por que sua vida
algumas verdades: 1) Um homem
foi preservada se ele viria a ter
riquíssimo pode ser um grande
tanta miséria, sem que Deus
crente; 2) Um grande crente pode
evitasse. E assim ele protesta
ter filhos mundanos; 3) Um servo
contra o dia de seu nascimento. E é
fiel está sujeito a enfrentar o que
claro que isso é um protesto
de pior acontece na vida.
contra Deus (Jó 1.21).

Sinopse do Tópico (II) Consolo que não


O objetivo de satanás é destruir a
nossa alegria em Deus. Ele usa
consola
duas armas: a dor e o prazer. Ele
usa a dor para nos fazer sentir que Conteúdo aluno

07
Subsídio Teológico (III) coisas desrespeitosas sobre Deus.
O próprio Deus chamou Jó de um Mesmo que Jó fosse um homem
homem justo em Jó 1.1. Uma justo, ele não era um homem
pessoa justa não significa perfeita perfeito e sem pecado. Houve um
e sem pecado. Existe um justo que sentimento de orgulho que
ainda comete pecado, ou seja, um começou a obscurecer a pureza de
'justo pecador'. Eliú pensa que Jó sua vida quando passou pelo
foi errado em algumas coisas que sofrimento. Há dimensões da
ele disse. Na verdade, ele vê santidade que o justo só pode
orgulho e arrogância na atitude aprender através da aflição (Jó
de Jó (veja 33.17; 35.12; 36.9). Em 36.10; Sl 119.71).
33.8-12, ele põe o dedo no erro de
Jó: “Na verdade tu falaste aos
meus ouvidos; e eu ouvi a voz das
tuas palavras. Dizias: Limpo estou, Sinopse do Tópico (IV)
sem transgressão; puro sou, e não Atribui-se que o sofrimento do
tenho iniquidade. Eis que procura justo é injusto. Eliú deixa claro que
pretexto contra mim, e me ninguém é justo, pois todos de
considera como seu inimigo. Põe algum modo pecaram, como diz a
no tronco os meus pés, e observa Escritura (Rm 3.23).
todas as minhas veredas. Eis que
nisso não tens razão; eu te
respondo; porque maior é Deus do
A Resposta de Deus às
que o homem” (Jó 33.8-12). Jó perguntas de quem
estava errado em afirmar sua sofre
inocência às custas da graça de
Deus. Sabemos que Eliú está certo Conteúdo aluno
sobre isso, porque em Jó 42.6 ele
se arrepende "Por isso me
abomino e me arrependo no pó e
na cinza". Seu sofrimento o levara
Subsídio Teológico (IV)
O sofrimento não é dispensado à
a dizer coisas sobre si mesmo, que
toa no meio do povo de Deus. É
foram excessivamente otimistas e
distribuído para nós indivi-

08
dualmente de forma especial
como terapia pela mão amorosa
de nosso grande Médico. E seu “Somente o coração que sente
objetivo é que a nossa fé seja dor, tem direito à alegria” - Lewis
refinada, a nossa santidade seja
Smedes. A expressão final do
alargada, a nossa alma seja salva,
livro, “Jó morreu velho e farto de
e nosso Deus seja glorificado (Hb
dias” (42.17) era uma forma
12.10-11; Tg 1.2-4). O sofrimento de
clássica para designar uma vida
Jó não foi apenas uma ocasião
para Deus obter glória sobre realizada. Ele terminou a vida
satanás (que vimos nos capítulos 1 como um homem realizado. O
e 2), mas sobretudo uma ocasião ensino geral do livro de Jó é
para Deus aprofundar a visão, basicamente este: nem sempre
santidade, intimidade e confiança teremos respostas para nossas
de Jó. perguntas. Esta vida não tem a
Cabe uma palavra de W. Tozer: “É história completa sobre o motivo
duvidoso que Deus use podero- pelo qual todos nós sofremos.
samente um homem sem primeiro Muitas perguntas e sofrimentos
quebrá-lo antes”. Quando somos poderão ter (ou não) respostas,
quebrados é que nos rendemos a um dia. Porém, o sofrimento
Deus como necessário, colocando nunca deve desanimar um filho
os valores deste mundo em lugar de Deus, porque sua história
inferior e a Ele em primeiro lugar. ainda não foi concluída. Podemos
Muitos crentes amam a Deus por confiar que Deus não perde o
conta das bênçãos dele recebidas. controle dos eventos e que nossa
E quando as coisas materiais não fé depositada Nele será recom-
vão bem, a fé se enfraquece. Na pensada, bastando nossa sub-
realidade, não tinham fé, mas missão e confiança.
apenas uma euforia pelo seu bem-
estar.
Talvez a lição mais importante
que estudamos hoje sobre o livro
de Jó seja: Não existem respostas
simplistas para as perguntas
acerca do sofrimento do justo.

09
Quando você estiver sofrendo,
sem conseguir entender o que
está acontecendo ou se pergun-
tar por que Deus não impede
seus problemas, lembre-se da
história de Jó e do fim que o
Senhor lhe deu (Tg 5.11). Quando
o sofrimento lhe sobrevier, deixe
suas lágrimas fluírem livremente
(Jó 1.20) e que o Senhor lhe dê a
graça para confiar em Sua
soberania (Sl 63.3). Que o próprio
Deus seja o seu tesouro e alegria.
Sirva-o por nada, sem interesse. E
descubra que Ele é tudo em sua
vida!

Sinopse do Tópico (V)


Deus nos fala, apenas quando
estamos preparados para escutá-
lo. Ele recompensa aqueles que
Nele confiam, apesar das duras
provas (Hb 11.6).

10
ESPINHOS QUE
NOS FEREM!
Texto Básico: 2 Coríntios 12.1-10
Lição Texto Áureo: “Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias,
nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de
Segunda
Cristo. Porque quando estou fraco, então sou forte”. (2Co 12.10)

Ec 9.2 Introdução
Conteúdo aluno
Terça

Sl 119.71
Subsídio Pedagógico (I)
Quarta É possível encontrar consolo, paz e conforto em meio ao
sofrimento? Era novembro de 1873 e a família Stafford
viajava no navio “Ville Havre”. Tinham saído de Chicago,
Jo 16.33
Estados Unidos, em direção à França, onde encontrariam
Quinta o Sr. Stafford. Esta viagem pela Europa era um verdadeiro
sonho e todos a bordo se deliciavam com a paisagem
maravilhosa do Atlântico. De repente, o navio inglês
Is 14.12-15 Lochearn choca-se com o Ville Havre; o resgate começou
imediatamente. A senhora Stafford reuniu suas 4 filhas e
Sexta se ajoelharam em oração. Trinta minutos foram
suficientes para o navio afundar e a mãe das meninas foi a
Rm 5.3-4 única encontrada flutuando entre as águas. Dez dias
depois ela conseguiria chegar no País de Gales. O marido
Sábado recebeu o telegrama dela que dizia: “Apenas eu fui salva”.
A caminho da Inglaterra, onde se encontrariam mais
Sl 34.17-19 tarde, Horatio Gates Stafford escreveu a poesia, que 3
anos depois se transformaria no hino 390 de nosso
Domingo Hinário: “Se paz a mais doce me deres gozar.. Se dor a mais
forte sofrer; Oh! Seja o que for, Tu me fazes saber, que feliz
Jó 42.2 com Jesus sempre sou! Sou feliz com Jesus!Sou feliz com

11
Jesus, meu Senhor!”(“Se os Hinos tinham ideia de que nesse homem
Falassem”- vol.III, Bill H. Ichter, marcado de sofrimentos, que lhes
JUERP, 1971 parecia tão “insignificante” (2Co
Falar sobre felicidade quando 10.1), deparavam-se com um ser
tudo vai bem é fácil, mas quando humano que fora arrebatado ao
os ventos nos são contrários, céu e havia conhecido o paraíso!
torna-se um grande desafio. A Paulo, então, lhes falou a esse
lição bíblica de hoje nos ensinará respeito. Contudo, relatou sua
como encontrar o caminho para a experiência com extrema
vida de alegria e vivenciá-la em discrição, falando de si mesmo, na
qualquer circunstância. terceira pessoa, como de um
estranho e o fez apenas 14 anos
depois: “Conheço um homem em
Deus permite espinhos Cristo que, há catorze anos, foi
arrebatado até ao terceiro céu (se
em nossa vida no corpo ou fora do corpo, não sei,
(verso 7) Deus o sabe” (2Co 12.2).Paulo foi
arrebatado até o céu, mas,
Conteúdo aluno diferente do que vemos e
escutamos hoje em dia, não saiu
por aí, imediatamente contando
Sinopse do Tópico (I) para todos. Demorou 14 anos e
Todos sofremos. O mesmo mal apenas relatou sua experiência
que acontece ao ímpio, ocorre ao porque se viu forçado a fazê-lo.
justo (Ec 9.2). Mas a diferença é Seria plausível que essa expe-
que aquele que serve a Deus tem riência gloriosa, o tentasse a
sempre a companhia e o consolo vangloriar-se, de forma arro-
divino em meio às tribulações da gante, especialmente quando
vida (2Co 1.4). alguns na cidade de Corinto,
desafiavam seu apostolado. Não
precisamos criar teorias sobre o
número de céus existentes, pelo
Subsídio Teológico (I) fato de que Paulo menciona ter
Os coríntios rejeitavam Paulo, ido até o terceiro céu (2Co 12.2).
como sendo um apóstolo. Eles não Simplesmente, isso quer dizer que
12
agitaria as pessoas para irem
seu espírito se elevou a um êxtase contra o trabalho do apóstolo
com Deus, tão elevado e pro- (2Co 11. 24-33). Outros ainda,
fundo, impossível de ser descrito. entendem que o espinho seria
Contudo, seu testemunho deixa uma doença nos olhos de Paulo.
evidente que depois de uma Isto explicaria crises de enxa-
experiência de glória, se tenha a queca que, segundo alguns
vivência de uma dor, igualmente teólogos, o apóstolo teria. Depois
intensa. do momento de glória no caminho
a Damasco, Paulo ficou cego (At
9.9). Pode ser que seus olhos
nunca mais se tenham recupe-
rado. Paulo diz que os gálatas
arrancariam os próprios olhos
Subsídio Teológico (II)
para os darem a ele (Gl 4.15). No
Há incontáveis interpretações final de Gálatas escreve: “Vede
sobre qual seria o espinho na com que letras grandes vos
carne de Paulo (v.7). De modo escrevi de meu próprio punho” (Gl
algum queremos afirmar o que 6.11). Isso leva estudiosos das
seria este espinho, afinal, não se Escrituras a sugerirem que o
deve “fazer barulho onde a Bíblia espinho fosse algum problema
faz silêncio”. Especuladores com seus olhos.
bíblicos sugerem que o espinho
em Paulo fosse alguma malária
(comum naquela região), ou Deus tem um propósito
epilepsia ou ainda um “defeito com os espinhos da
físico” causado por algum
apedrejamento (At 14.19). Há
vida que nos ferem
aqueles que interpretam, que o Conteúdo aluno
espinho na carne foi um
mensageiro de Satanás que o
perseguia.
No v. 7, a expressão “a saber”, Sinopse do Tópico (I)
colocada depois de “espinho”, dá Nem sempre teremos uma
esta ideia. Este “anjo” de Satanás resposta, da razão pela qual

13
momento na Bíblia, Deus nos
sofremos. Contudo, podemos reprova por abrirmos o peito com
confiar num amor que nunca aquilo que dói dentro de nós, pelo
falha. contrário, a Palavra de Deus nos
encoraja a orar (Is 65.24; 1Pd
5.6,7).
Nem sempre Deus revela seu
Subsídio Teológico (III) propósito aos seus filhos. Deus
O apóstolo Paulo também revelou a Paulo a razão do seu
recebeu um grande: "Não!" de sofrimento: protegê-lo do mais
Deus, mas não deixou de amar ao perigoso pecado espiritual, que é
Senhor. Quantas vezes, quando o pecado do orgulho (Is 14:12-15).
tudo vai bem conosco, acabamos
deixando Deus de lado. Ele
permite problemas em nossa vida Deus tem poder
para que nos aproximemos sobre os espinhos
dEle.“Os problemas são o
megafone de Deus” (C.S. Lewis) (verso 10)
nos acordando para mantermos
comunhão íntima com Ele visando Conteúdo aluno
nossa própria felicidade. Não se
deve ter nenhum pesar por pedir
ao Senhor livramento quando em Sinopse do Tópico (III)
sofrimento (v.8). Ainda que as coisas fujam ao
O fato de ser um cristão não nosso controle, elas continuam
significa que perdemos a condição rigorosamente sob o controle do
de humanidade e a sensibilidade Deus poderoso. Os momentos de
quanto a sentir dor, ou mesmo de dor quebram nosso orgulho,
questioná-la. Então, quando dobram nossos joelhos e nos
estiver passando por um mo- fazem reconhecer a grandeza do
mento difícil, lance a sua voz ao Senhor.
céu, chore, grite por socorro,
perguntando: “Deus, por que?”.
Faça a sua oração, desabafe em
c l a m o r, p o i s e m n e n h u m

14
entendamos que a graça de Deus
Espinhos podem ser basta para nós como bastou para
abençoadores Paulo.
(versos 9, 10)
Conteúdo aluno Subsídio Pedagógico (II)
Quando a ostra é invadida por um
grão de areia, ela estimula a
produção de uma substância
Sinopse do Tópico (IV) viscosa, chamada nácar, que
Espinhos têm sido a única maneira
reveste o grão para aliviar o
de muita gente estar firme com o
incômodo orgânico que este lhe
Senhor. O espinho de Paulo
produziu. O surpreendente é que
tornou-o mais dependente da
este paciente trabalho produz
graça divina e ele pôde sentir mais
pérolas. Então, façamos pérolas
de perto, o braço do Senhor a
de nossos espinhos!
envolvê-lo.

Como carne macia somos feridos


por um ou outro espinho desta
vida. O espinho em Paulo
permanece indefinido, de modo
que aqueles que têm qualquer
“espinho” na vida, podem
também aplicar a si mesmos a
lição espiritual dessa passagem
bíblica.

Parece que Deus não permitiu


que soubéssemos qual foi o
espinho na vida de Paulo para
que, seja qual for a nossa dor,

15
ANTES SÓ, DO QUE
MAL ACOMPANHADO?
Texto Básico: Gênesis 2.18-25
Lição Texto Áureo: “Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que
o homem esteja só...”. (Gn 2.18a)
Domingo
Introdução
1Re 19.1-10 Conteúdo aluno
Segunda
Subsídio Pedagógico (I)
Mt 26.26-40 O Dr. Gary Collins, diz que "a solidão envolve um
sentimento íntimo de vazio, que pode ser acompanhado
Terça
de tristeza, desânimo, sensação de isolamento,
inquietação, ansiedade e um desejo intenso de ser amado
2Tm 4.9-18 e necessário a alguém. As pessoas solitárias, em geral,
sentem-se deixadas de lado, indesejadas ou rejeitadas,
Quarta
mesmo quando cercadas por outros. Segundo o
psicólogo, cada pessoa manifesta a solidão de uma forma
Sl 68.5-6 diferente, mas é comum haver uma combinação de
fatores como: isolamento, desânimo, egoísmo,
Quinta autopiedade, enveredando muitas vezes em alcoolismo,
drogas e violência”. (http://judiclaysantos.blogspot.com
Sl 102.7 /2011/11/igreja-um-lar-para-os-solitarios.html).

Sexta
Subsídio Pedagógico (II)
Ec 4.9-12 Não apenas a solidão cresce com tantos meios de
comunicação, mas é capaz de desintegrar as pessoas. Elas
Sábado vivem no meio de multidão, tem televisão, WhatsApp,
rádio; podem comunicar-se, mas no fundo permanece
Hb 13.5b uma sensação de solidão. Como podemos superar o
16
desgaste pela solidão? Como é fazer com a sua individualidade,
possível em um determinado com a sua solidão.
momento, a pessoa que não tem (GOMES, Pr. Isaltino, Trecho do
uma rede de apoio e de Sermão “Solidão: A doença do
sustentação, que não tem alguém século”, disponível no site
com quem dividir o coração, http://www.isaltino.com.br/doct
compartir a vida? Um viúvo, um os/mensagens_transcritas/mens4
divorciado, alguém que vive só, 3.html, acessado em 11/out/2018)
que está longe de parente, em
trabalho ou estudo, em outro
país, separado de sua cultura, A solidão é
vivendo em uma e outra cultura,
às vezes não consegue a ela se
sempre ruim
ajustar. Como pode a pessoa
superar tudo isso?
Conteúdo aluno
S o r e n K i e r k e g a a r d , fi l ó s o fo
dinamarquês, disse: “As pessoas
fazem tudo que é possível em Sinopse do Tópico (I)
matéria de diversão e Em determinadas circunstâncias,
empreendimentos atordoantes a solidão é proveitosa para o
para afastarem de si a ideia de crescimento humano e espiritual.
solidão”. Talvez seja por isso que
haja tanto barulho nas cidades Não é bom que
contemporâneas. Há pessoas que
chegam em casa, estão sós, e esteja só
ligam a televisão, necessitam de
ouvir voz humana, de ouvir Conteúdo aluno
barulho. As pessoas não
conseguem fazer uma viagem de
carro pensando. Elas ligam o rádio Sinopse do Tópico (II)
do carro, entram em uma A vida em comunidade é um
frequência para ouvir algo. É mandato de Deus desde a criação.
interessante isso. As pessoas Só o relacionamento com os seme-
precisam de barulho porque não lhantes torna o ser humano
querem pensar. Não sabem o que completo.
17
Igreja, um chamado Deus conhece as nossas
necessidades e desde o início
aos relacionamentos: afirmou que os relaciona-
mentos são necessários para
Conteúdo aluno que sejamos completos. Por
isso, acredite... A solidão nunca
será uma solução melhor. Por
Sinopse do Tópico (III) mais doloridos que possam ser
A solidão é incompatível com a os relacionamentos, eles são
essência da igreja. Apenas por necessários para o nosso cresci-
meio dos relacionamentos que a
mento. Pessoas precisam de
igreja se manifesta.
Deus e pessoas precisam de
pessoas!

Notas
Se você já esteve internado em 1) Matéria da página DW Brasil, disponível
no site https://www.dw.com/pt-br/reino-
um hospital sabe bem a unido-cria-minist%C3%A9rio-da-
diferença entre ouvir: “Estou solid%C3%A3o/a-42193361, acessado em
indo embora, fica com Deus!” e 10/out/2018;
“Vou passar a noite aqui com (2)Matéria da página Universa, disponível
você!” Não significa que não no site https://universa.uol.com.br
cremos na presença e cuidado /noticias/redacao/2018/05/06/solidao-
de Deus, mas ela é percebida de atinge-niveis-de-epidemia-entre-a-
geracao-z-os-pos-millennials.htm,
forma muito mais precisa acessado em 10/out/2018
quando manifestada por meio
de alguém semelhante a nós. Bibliografia
Certamente é essa a razão de
- Bíblia Sagrada, diversas traduções;
Deus ter se tornado humano e
habitado entre nós. Em Cristo -Artigo: “O incômodo da solidão”,
temos a perfeita revelação do Ultimato Online, disponível no site
Pai (Jo 14.9; Cl 1.15). https://www.ultimato.com.br/revista
/artigos/347/o-incomodo-da-solidao,
acessado em 11/out/2018.

18
ALIVIANDO A BAGAGEM
DO ESTRESSE!
Texto Básico: Mateus 11.25-30
Lição Texto Áureo: “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes
as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela
Domingo
oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede
todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos
Pv 16.1 pensamentos em Cristo Jesus”. (Fp 4.6-7)

Segunda Introdução
Jo 16.33 Conteúdo aluno

Terça
Subsídio Pedagógico (I)
Pv 3.1-8 1. O professor poderá iniciar a sua aula, abrindo espaço
para que os alunos compartilhem alguma experiência de
Quarta estresse que passaram recentemente.
2. O que é o estresse? O estresse é uma “sobrecarga
Sl 68.19-20 emocional” causada por tensões excessivas. Essa tensão
exagerada pode ser física, resultante do excesso de
Quinta trabalho caseiro, manual ou de qualquer outra atividade;
pode ser mental ou emocional como reação a grandes
alterações na vida, tais como um novo emprego ou
Ec 4
mudança de casa para um lugar estranho.
Sexta 3. Como controlar o estresse? O estresse é algo natural,
pois todos o experimentam diariamente, em maior ou
menor proporção. Um incômodo no trânsito, uma
Sl 23 discussão, a perda de um documento, uma casa
desarrumada, o alto custo de vida - esses são alguns
Sábado
fatores que contribuem para o estabelecimento de
estresse. Via de regra, a maioria das situações
Sl 127
19
estressantes não traz conse- Sinopse da Introdução (I)
quências maiores, porém a Para lidar com o estresse de forma
proporção menor de possíveis saudável é necessário reconhecer
situações estressantes pode os próprios limites.
tornar a vida quase impossível. Na
verdade, 2% das situações
estressantes causam 98% dos Reconheça
“estresses negativos”. Contudo, é seus limites
possível desenvolver uma
estratégia para controlar o Conteúdo aluno
estresse pessoal. A chave não
consiste em evitar o estresse, mas
o êxito em conseguir controlá-lo Sinopse do Tópico (I)
com atitudes como: 1) em manter O estilo de vida da sociedade atual
o “estresse positivo” e 2) em impõe preocupações excessivas
superar o “estresse negativo”. que geram estresse.
Você pode reconhecer a diferença
entre os dois ao se armar de
valores claros, de conhecimento
espiritual profundo e de reflexão, Subsídio Pedagógico (II)
colocando Deus no centro da sua – Estou cansado (a)!
vida estressante, em vez de – Estou no meu limite!
esc ond ê- lo ent re as q u at ro – Não aguento mais!
paredes de uma igreja. Você A maioria de nós, em algum
precisa analisar o seu estresse sob momento da vida, já passou por
a luz da Palavra de Deus, de forma momentos assim, de desânimo e
que o amor, o perdão e a paz que exaustão. Elvis Presley, famoso
Ele oferece, tornem-se a razão de cantor e ator norte-americano,
sua existência. (extraído do sentiu-se assim ao se expressar
livreto “Estresse”, publicação da certa vez: “Eu daria um milhão de
Hora Luterana). dólares por um pouco de paz e
descanso”. Nessas horas, desistir
e jogar tudo para o alto até parece
uma boa solução. Focamos mais
nos fardos que carregamos do que

20
aqueles que Jesus nos oferece Verifique
para carregar. Andamos com os
ombros encurvados, desani-
sua bagagem
m a d o s , c a r r e g a n d o fa r d o s Conteúdo aluno
pesados e bagagens desneces-
sárias. Quando estamos assim,
não apreciamos a vida mara-
vilhosa que o Senhor deseja que Sinopse do Tópico (II)
desfrutemos. É preciso aprender com o Mestre
Elvis deveria ter lido Mateus 11.28, Jesus como carregar as bagagens
um presente de Deus para nós: da vida.
“Tomais sobre vós o meu jugo…e
achareis descanso para as vossas
almas. Porque o meu jugo é suave
Subsídio Pedagógico (III)
e o meu fardo é leve”. Este é um
convite à alma cansada, para a Davi declara no Salmo 23.2 – “Ele
mente desassossegada, para o me conduz a águas tranquilas”.
coração ansioso, para a vida Ele me conduz. Ele está à minha
badalada, mas sem paz e sem cor. frente. Isso faz uma diferença
Esse versículo é aquele bilhetinho enorme! Max Lucado escreveu:
de carinho que Deus coloca na “Verdade seja dita: Ninguém quer
cabeceira da nossa cama no dia suas preocupações. Nem você as
em que a gente mais precisa. Há quer. Se nós permitirmos, Deus
fardos que devemos carregar e aliviará os nossos fardos. Por que
outros que só o Senhor pode você não experimenta viajar
carregar por nós. Entregue a ELE aliviado? Jesus diz 'Venham a
aquilo que pesa nas suas costas e mim, todos os que estão cansados
dificulta a jornada. Cristo é Aquele e sobrecarregados, e eu lhes darei
que pode todas as coisas! Com a descanso' (Mt 11.28).
leveza de Jesus, chegamos mais Experimente! Experimente por
longe! Não poderíamos depositar causa daqueles que você ama.
nosso futuro em melhores mãos. Como é que você pode abraçar
alguém, se seus braços estão
cheios de sacolas? Por amor
àqueles que você ama, aprenda a

21
abrir mão dos seus fardos. E por com dois enormes e pesados sacos
amor do Deus que você serve, faça de viagem estava andando por
o mesmo. Deus tem uma grande uma Rodovia sob um calor de 32
corrida para você correr. Mas, graus. O motorista de um
você tem que deixar algumas caminhão parou e disse a ele para
coisas. Como é que você pode subir. Mais tarde, quando o
compartilhar a graça se você motorista olhou pelo espelho
estiver cheio de culpa? Como é que retrovisor, o andarilho estava de
você pode confortar, se você pé na caçamba do caminhão,
estiver desanimado? Deus está ainda segurando as malas!
dizendo: 'Deixe aí, filho. Deixe que Achamos engraçada a história,
eu carrego aquele fardo bem mas muitos de nós “ficamos de pé
grande'. Que tal aceitarmos esta no caminhão da fé, carregando os
proposta maravilhosa de Deus? É nossos fardos. Achamos que Deus
possível que venhamos a pode nos levar, mas não pode
descobrir como é viajar de forma levar as nossas cargas”. Deixe de
mais leve!”. lutar em vão. “Lança o teu fardo
sobre o Senhor...” - Salmo 55.22.
Seja
ensinável
Conteúdo aluno
Por mais complexas que sejam as
circunstâncias em sua vida, não
há justificativa para que você
Sinopse do Tópico (III) ande por aí como uma panela de
O estresse pode ser controlado à
pressão, prestes a explodir. Se
medida que reconhecemos a
você tem se sentido estressado,
soberania e o controle de Deus
certamente é porque está
sobre nossas vidas.
trazendo para si mais bagagem
do que pode suportar. O amanhã
não será diferente só porque
Subsídio Pedagógico (IV) você está preocupado. Deus não
1. ILUSTRAÇÃO: Um andarilho vai fazer nem mais nem menos

22
devido a sua preocupação, mas
irá cumprir Sua promessa de
provisão para aqueles que o têm
como Senhor.

Parafraseando o Salmo 23, a


banda Projeto Sola tem uma
canção que diz: “Se o Senhor é o
meu pastor, aquilo que eu não
tenho, eu não preciso”. Você
consegue crer nisso? Consegue
confiar que o bom pastor tem o
total controle de sua vida, e que o
seu futuro e o da sua família não
depende de você, mas sim
daquele que na cruz demonstrou
até que ponto vai o amor dele por
você? “Aquele que não poupou o
seu próprio Filho, antes, por
todos nós o entregou, porven-
tura, não nos dará graciosamente
com ele todas as coisas?” (Rm
8.32). Se você pode crer nisso,
então, simplesmente DESCANSE!

Referência

23
ANSIEDADE, UMA BOMBA PRONTA
Texto Básico:
Filipenses 4.4-9
PRA EXPLODIR!
Lição Texto Áureo: “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em
tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem
Segunda seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o
entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes
em Cristo Jesus”. (Fp 4.6-7)
Mt 6.25-34

Terça Introdução
Conteúdo aluno
Lm 3.17-26

Quarta
Subsídio Teológico (I)
No Novo Testamento, a palavra traduzida por ansiedade,
Jr 17.7-8 cuidado, preocupação ou solicitude é mérimna. Vem da
raiz meris, que significa “dividido”, “distraído”, ou seja,
Quinta
“atrair ou conduzir em direções diferentes, distrair,
desviar”.
Sl 23 William Barclay dá-se ao trabalho de investigar, desde os
clássicos gregos até o Novo Testamento, os sentidos e
Sexta usos de merimna e merimnan, e acentua o fato de que
ansiedade, preocupação ou cuidado - que traduzem
Sl 121 mérimna – tanto podem ter um bom como um mau
sentido.
Sábado
QUANDO A ANSIEDADE É UM BEM: Barclay assinala, com
Mt 11.28-30 acerto, quando tem coerência a ansiedade/ preocupação
ou cuidado:
Domingo 1. Quando nos preocupamos ou temos solicitude uns pelos
outros (1Co 12.25);
1Pe 5.6-7 2. Quando nos preocupamos com nossos irmãos na fé,

24
como foi o caso de Timóteo em preocupação que causa desa-
relação aos filipenses (Fp 2.20); lento, e não a previsão que
3. Quando nos preocupamos e capacita”.
temos solicitude em relação à Enfim, a ansiedade como aflição
igreja de Cristo (2Co 11.28). A ou angústia é um mal. Jesus
preocupação com todas as igrejas condena a desmedida solicitude
era, a um tempo, um peso, um em relação à roupa, à alimen-
fardo e um privilégio do apóstolo, tação, às circunstâncias comuns
como lembra Barclay. de nossa vida (Mt 6.25 e ss.). E
Paulo diz aos filipenses, e a nós:
QUANDO A ANSIEDADE É UM “Não andeis ansiosos por coisa
MAL: E qual é a ansiedade alguma”. Se examinarmos bem o
prejudicial, errada, danosa a fundo histórico dessa carta
todos nós? paulina, verificaremos que até era
1. É a ansiedade e a preocupação compreensível que os filipenses se
que provém do envolvimento preocupassem com a hostilidade
demasiado nos negócios do de seus concidadãos e a ameaça
mundo (Mt 13.22; cf. Mc 4.19 e Lc de perseguição (Fp 1.28; 3.1; 4.1).
8.14; Lc 21.34); Comunica-lhes Paulo, todavia,
2. É a preocupação com respeito palavras de conforto e esperança,
ao futuro. É uma preocupação pois a ansiedade constituía
cega, inútil, irreligiosa e inca- ausência de confiança no cuidado
pacitante do homem para de Deus.
enfrentar os problemas quando A ansiedade é um bem, como
efetivamente vierem (Mt 6.34); preocupação realista com relação
3. A preocupação a respeito de aos outros, e ao bem que havemos
como enfrentar as oposições e de fazer tempestivamente. É um
provações (Lc 12.11); bem que as Escrituras, por isso
4. A preocupação em como mesmo, não condenam.
agradar as pessoas erradas (1Co (AZEVEDO, Pr. Irland Pereira, Artigo
7.32-34); “A ansiedade: Que é e que fazer
E remata Barclay: “É verdade que dela?”, disponível no site https://apps
somos proibidos de nos .pibcuritiba.org.br/sermoes/app/we
preocuparmos com a vida e com o broot/files/1ansiedade.doc, acessado
amanhã. Mas o que é proibida é a em 03/set/2018)

25
todo o entendimento, guardará o
Sinopse do Tópico (I) vosso coração e a vossa mente
A ansiedade é um sentimento, em Cristo Jesus” (v. 7). A palavra
mas que pode levar a atitudes “guardar” aqui tem o sentido de
pecaminosas. descrever a função de um vigia.
Alguém que impede a entrada de
Ansiedade estranhos. É isso que a “paz de
Deus” fará na portaria da nossa
não é pecado mente e do nosso coração. Ela
impedirá que pensamentos
Conteúdo aluno estranhos ou perigosos invadam
nosso ser causando pertur-
bações e ansiedade, portanto
Sinopse do Tópico (II) durma bem hoje, pois quem está
Uma análise de Filipenses 4.4-9 guardando a guarita da sua vida é
destacando instruções bíblicas o Todo Poderoso
para combater a ansiedade.

Notas
O Ansiolítico
(1) Matéria do jornal O Estado de São
de Deus para nós Paulo, disponível no site
https://saude.estadao.com.br/noticia
Conteúdo aluno s/geral,brasil-tem-maior-taxa-de-
transtorno-de-ansiedade-do-mundo-
diz-oms,70001677247, acessado em
27/ago/2018;
Sinopse do Tópico (III)
Há uma promessa de paz feita por (2) LUCADO, Max, O fim da ansiedade:
Deus para os que obedecem a sua o segredo bíblico para livrar-se das
Palavra. preocupações, 1ª edição, Rio de
Janeiro, Thomas Nelson Brasil, 2017,
trecho adaptado do capítulo 1;

Agindo assim, Paulo nos assegura


que “a paz de Deus, que excede
26
Bibliografia
- Bíblia Sagrada, diversas traduções;

- LUCADO, Max, O fim da ansiedade: o


segredo bíblico para livrar-se das
preocupações, 1ª edição, Rio de
Janeiro, Thomas Nelson Brasil, 2017.

27
A VIDA, MAIS QUE
Texto Básico:
1 Timóteo 4.3-5 O ALIMENTO!
Lição Texto Áureo: “Não é a vida mais que o sustento e o
corpo mais que as vestes?” (Lucas 12.23
Segunda
Introdução
Ap. 22.2,14 Conteúdo aluno
Terça
Subsídio Teológico I
Gn 25.29-34 Os hábitos alimentares costumam estar associados a
outros comportamentos característicos. Por exemplo, é
Quarta
comum que as anoréxicas desenvolvam meios para
enganar as pessoas e levá-las a crer que estão comendo,
Ec 6.7 posto que comer é costumeiramente uma atividade
social, e “deixar de comer” suscita comentários. Assim
Quinta sendo, a comida pode ser guardada, escondida, enfiada
disfarçadamente no bolso ou jogada fora. Alguns critérios
Mt 12.35 usados no diagnóstico da anorexia são:
· Busca intensa pela magreza do corpo. Recusa em
Sexta manter o corpo dentro do peso considerado ideal.
· Medo intenso de ganhar peso ou parecer gordo, mesmo
Dn 1.8-15 que a pessoa já esteja abaixo do peso ideal.
· Distúrbio na maneira de perceber o corpo. Percepção
Sábado do corpo com a aparência distorcida da realidade.
· Ausência de ciclos menstruais, no caso de mulheres.
Mt 6.25 · Adoção de rotinas de exercícios físicos para perder
peso.
Domingo · Alterações psiquiátricas como mudanças de humor,
transtornos de ansiedade e personalidade.
A anorexia pode levar a problemas cardíacos, gastrointes-
1Co 6.11-20
28
tinais, infertilidade e hipotermia. Subsídio Pedagógico (II)
As complicações clínicas podem Alguns casos de bulimia nervosa
levar até a morte. Quais são as estão associados com ansiedade,
consequências da anorexia? Não depressão e solidão. Os principais
causa espanto que a privação critérios usados no diagnóstico da
alimentar autoimposta tenha bulimia são:
efeitos físicos sérios. A prática · Preocupação excessiva com o
contínua resulta em interrupção peso e a imagem corporal.
do ciclo menstrual (no caso de · Sensação de perder o controle
mulher), queda da temperatura, sobre a alimentação, comer até
distensão abdominal, batimentos sentir desconforto.
cardíacos lentos, queda da · Comer grande quantidade de
pressão sanguínea e crescimento comida em pequenos intervalos
de lanugo (pelos finos que cobrem de tempo.
o corpo). A taxa de mortalidade é · Com o medo de engordar, são
de aproximadamente 15 a 20%. Um adotadas as práticas de vômito
conselheiro bíblico responsável induzido, uso de laxantes e
deve insistir em um exame médico jejuns.
completo como um dos primeiros · Sintomas típicos de quadros
passos do aconselhamento. depressivos e ansiosos.
Certificar-se de que está mesmo
lidando com um caso de anorexia A Vigorexia
e não com algum problema
orgânico que afeta o apetite. Conteúdo aluno

O que são transtornos Subsídio Pedagógico (III)


Com o passar do tempo, a
alimentares vigorexia pode ocasionar anemia,
Conteúdo aluno problemas ósseos, cardíacos e
gastrointestinais. Os principais
sintomas são: controle e preo-
Bulimia Nervosa cupação com a dieta; uso intenso
de atividades de musculação e uso
Conteúdo aluno
de anabolizantes.

29
Ortorexia
Conteúdo aluno Os hábitos alimentares dizem
muito sobre a condição do
coração e como a pessoa se vê
Subsídio Pedagógico (IV) (Pv 23.7). Viver de modo a ter um
Alguns sintomas da ortorexia são: relacionamento real com Deus
· Intenso desejo de comer pode curar toda e qualquer
apenas alimentos saudáveis. doença (Sl 119.50; Jr 30.17).
· Preocupação com o modo de
preparo dos alimentos. A pessoa As Escrituras declaram que a raiz
pode recusar-se a comer alimen- dos problemas do ser humano
tos preparados por outras está no coração (Hb 4.12; Gn 6.5),
pessoas.
que produz os frutos que vemos
· Perda de peso.
em ações e palavras. Aquilo que
· Preocupação com a aparência
controla o coração molda o
corporal.
comportamento, influenciando
cada aspecto da vida. Cristo
A vida é mais expressou essa verdade em
que o alimento linguagem clara e simples: o bem
vem daquilo que há de bom no
Conteúdo aluno coração, e o mal procede daquilo
que há de mau no coração (Mt
12.35).
Sinopse do Tópico (II)
O relacionamento mais impor-
Cuidar da alimentação é mais uma
forma de mordomia cristã, pois
ante que nós temos é com Jesus
nosso corpo, templo do Espírito Cristo. Só Jesus tem o poder de
Santo, pertence a Deus (1Co 6.19). transformar um coração escravo
em livre. Quando se trata de uma
transformação verdadeira, não
precisamos de um “coach”
(treinador motivacional). Cristo é

30
o Salvador do qual precisamos!
Ele nos aceita quando estamos
nos limites de nossos esforços,
quando não sabemos mais quem
somos, renovando-nos e nos
dando vontade de viver.

Notas
ALMEIDA, Andrea Romero.
Transtornos alimentares e ima-gem
corporal– Palestra no 2º Congresso de
Espiritualidade e Saúde Mental,
Universidade Presbiteriana
Mackenzie (SP), 4 a 6 de setembro de
2018.

FITZPATRICK, Elyse. Aconse-


lhamento mulheres que comem
demais e as que praticam bulimia,
2001, - Coletâneas de
Aconselhamento Bíblico - Volume 2 –
Seminário Palavra da Vida, Atibaia
(SP).

FITZPATRICK, Elyse. Como ajudar


mulheres com anorexia. 2001, -
Coletâneas de Aconselhamento
Bíblico - Volume 2 – Seminário Palavra
da Vida, Atibaia (SP).

MACEDO, Dr. Jônatas Abdias de.


Transtornos alimentares – Palestra no
2º Congresso de Espiritualidade e
Saúde Mental, Universidade
Presbiteriana Mackenzie (SP), 4 a 6 de
setem-bro de 2018.

31
O QUE FAZER COM
A MINHA CULPA?
Texto Básico: Salmo 32
Lição Texto Áureo: “Sabendo que se o nosso coração nos condena,
Deus é maior que o nosso coração.” (1Jo 3.20)
Segunda
Introdução
Cl 2.13,14 Conteúdo aluno
Terça
Subsídio Teológico I
Mq 7.18,19
O professor pode perguntar aos alunos quais fatos da vida
Quarta geraram neles, sentimento de culpa que os fizeram sofrer,
sem que fosse consequência de um pecado.
Is 43.18,19 Num acidente, geralmente os sobreviventes sentem-se
culpados por estarem ainda vivos, enquanto um ser
Quinta amado está morto, como se isso dependesse deles. Todos
nós conhecemos pessoas que ficaram deprimidas depois
da morte de alguém, de uma rejeição, reprovação no
Fp 3.13,14
vestibular ou entrevista, perda de emprego ou até mesmo
Sexta do fim de um relacionamento. Em vão, tentamos
controlar o incontrolável e não ser surpreendidos pelos
eventos e reações das pessoas. Às vezes, achar de quem
Sl 130.3 seria a culpa é o que menos ajuda na solução de um
problema. Ter consciência de que tudo que é feito por
Sábado
amor é o nosso melhor e que aquele foi o nosso melhor
naquele momento, de acordo com as circunstâncias, deve
Zc 3.1-5 contribuir para aliviar qualquer culpa que é carregada de
modo desnecessário e nada construtivo. (Do livro
Domingo “Quando coisas ruins acontecem às pessoas boas” -
Harold Kushner).
Jo 8.1-11
32
Diferenciando os filhos. Se não trabalha, culpa-se
tipos de culpa por não ajudar no orçamento
familiar. Martin Buber, pensador
judeu, expõe a "culpa genuína" e a
Conteúdo aluno "culpa neurótica" à qual chama de
"irreal". Há crianças que quando
quebram algo ou fazem alguma
Sinopse do Tópico (I) coisa errada não se satisfazem até
Podemos conceituar dois tipos de que sejam descobertas e punidas.
culpa: a real e a neurótica. A culpa Pode ser ruim receber punição,
real precisa ser resolvida com mas pior é viver num mundo em
confissão e aceitação de perdão; que ninguém se importa se
na culpa neurótica, a pessoa tem fazemos coisas boas ou más.
sentimento de culpa, porém não
seria culpada de ter feito mal,
carregando, desse modo, um
Subsídio Pedagógico (III)
fardo desnecessário, do qual não
Falando em termos de sentir
consegue se livrar.
culpa, quando de fato erramos, é
algo necessário e saudável.
Apenas os psicopatas, aqueles
Subsídio Pedagógico (II) com sérios distúrbios de caráter,
Sentir culpa não é necessaria- são capazes de infringir regras
mente ruim nem doentio. "O que sem sentir o mínimo arrependi-
cada um faz com seus senti- mento por isso. Não sentir culpa
mentos é que pode transformar- quando cometemos um pecado é
se em doença", afirma Geraldo algo muito danoso. Imagine uma
Massaro, do Instituto de pessoa colocando a mão num
Psiquiatria do Hospital das ferro de passar aquecido e não
Clínicas (SP).Conciliar filhos e sentir nada. Muitas pessoas
carreira é o grande dilema da podem achar que o fato de não
mulher – e fonte inesgotável de sentir dor é um privilégio. No
culpa para o sexo feminino. Se ela entanto, a ausência da sensação
trabalha, culpa-se por não passar dolorosa é perigosa, pois a dor
o tempo que deveria com os indica ao organismo que algo está
33
errado. Sendo assim, essa Subsídio Pedagógico (IV)
condição pode fazer com que O guarda de trânsito, que nos
lesões na cavidade oral, fraturas multa por atravessarmos sinal
ósseas, infecções, entre outras, vermelho, não está sendo
passem despercebidas, uma vez vingativo. Ele tenta nos lembrar
que o indivíduo não sente dor de que devemos ser mais
alguma. cuidadosos para o nosso próprio
Acinsensibilidade congênita à dor, bem e dos outros. Nosso juiz
também conhecida como interior ou consciência age da
canalgesia congênita, trata-se de mesma forma. Não é um inimigo,
uma condição rara, na qual há o mas nosso amigo.
comprometimento da capacidade
de um indivíduo sentir dor física
desde o nascimento.
Subsídio Teológico (I)
Isaías 1.18 é um convite ao ser
Por que nos humano: "Venha, pois, e raciocine
sentimos culpados comigo, diz o Senhor; ainda que
os vossos pecados sejam
vermelhos como a escarlata, eles
Conteúdo aluno
se tornarão brancos como a neve;
ainda que sejam vermelhos como
o carmesim, se tornarão como a
Sinopse do Tópico (II) branca lã". Essa é uma promessa
Situações diversas da vida podem de perdão. Não importa o que
gerar sentimento de uma culpa tenhamos feito no passado, no
nem sempre real, acarretando em momento em que buscamos a
sofrimentos que Deus não deseja Deus com o coração arrependido
que a pessoa tenha. Diante da e quebrantado, somos
culpa, ou há perdão ou há completamente perdoados!
condenação e punição. O remédio
de Deus para a culpa é o seu
perdão pleno.

34
por isso, nos punimos quando
Superando o erramos, mesmo tendo sido
sentimento de culpa perdoados por Deus. Quando se
trata do perdão, queremos pagar
Conteúdo aluno com as nossas boas obras, a fim de
merecer o perdão de Deus. Só que
a Bíblia é clara ao dizer que somos
Sinopse do Tópico (III) salvos unicamente pela graça de
Existem situações em que a inten- Cristo (Ef 2.8-9).
sidade de nossos sentimentos de
culpa é desproporcional ao ato
praticado. O tormento é de
O perdão
responsabilidade nossa. Não há que cura
culpa, por mais pesada que seja,
que o sangue de Jesus não possa Conteúdo aluno
perdoar e proporcionar alívio e
cura.
Sinopse do Tópico (IV)
Deus não apenas nos livra do
pecado, mas também dos danos
Subsídio Teológico (II) interiores que ele causou em nós.
Quando vamos a uma loja, vemos Para uma culpa autêntica, Deus
um produto de que gostamos, um tem o perdão verdadeiro e
par de tênis “de marca”, por profundo.
exemplo. Se o preço for muito
baixo, concluímos que não deve
ser original, que é uma imitação. Confiança na palavra
Vivemos numa cultura na qual nós de Deus, não em
pagamos pelas coisas que valem,
e, se algo é de graça, nós menos-
si mesmo
prezamos. Tivemos uma Conteúdo aluno
formação em que aprendemos a
pagar pelas coisas. Se alguma
coisa custa barato, logo concluí- Sinopse do Tópico (V)
mos que não deva ser boa. Talvez O poder de resistência que temos
35
contra as acusações do diabo é a
verdade de Deus.

Nossa vida pode ter sido cheia de


falhas e erros, mas Deus não
deseja que vivamos no passado
(Is 43.25). Lembrar do passado
amargo é como mascar um
chiclete que já perdeu o gosto.
Sabemos que é difícil esquecer
certos erros ou situações
desagradáveis, pois nos deixam
marcas, cicatrizes. Talvez, amigos
ou familiares não nos perdoem,
mas se Deus nos perdoa, estamos
perdoados e não precisamos
mais carregar o fardo da culpa
(2Co 5.17).

Notas
KLEMENT,Johannes. A Mancha:
Cuidado! Ela quer grudar em
você.Curitiba: Esperança, 1995.

TOURNIER, Paul. Culpa e Graça- Uma


análise do sentimento de culpa e o
ensino do Evangelho. Viçosa:
Ultimato / ABU, 2018.

36
SEM MEDO DE TER
MEDO!
Lição Texto Básico: Salmos 116
Texto Áureo: “Busquei ao Senhor, e ele me respondeu;
livrou-me de todos os meus temores”. (Sl 34.4)
Segunda

Sl 27.1-3 Introdução
Conteúdo aluno
Terça

Mt 14.22-32
Subsídio Pedagógico (I)
Quarta O medo é uma reação de defesa instintiva frente a uma
ameaça, palavra esta que traz um significado relativo e
pode ser diferente de pessoa para pessoa. Dois indivíduos
Sl 38.8-11 não reagem à mesma situação de maneira igual. Na
verdade, é incorreto referir-se à "mesma situação"
Quinta
quando se está falando de duas pessoas. Cada uma delas
percebe o mundo de modo diferente e reage de muitas
Lc 10.19 maneiras. Algumas pessoas, tais como os alpinistas, os
mergulhadores, paraquedistas, os dublês, corredores de
Sexta Fórmula I, gostam do perigo e as situações que enfrentam
gerariam muito medo na maioria de nós.
2Co 10.4-5

Sábado
Subsídio Teológico (I)
Quando começamos a leitura da Bíblia, vemos em Gênesis
Sl 121
3.10, Deus procurando pelo homem. À pergunta de Deus,
Domingo “Onde estás?”, veio a resposta, “Tive medo”. Não foi Deus
quem instilou o medo no coração humano foi a
consciência de erro; foi o pecado. A primeira vez que a
Sl 116
37
revelar o lado frágil que todo ser
Bíblia menciona a palavra medo é humano tem. Na vida pós-
em conexão com o fruto de moderna, a fragilidade e a
desobediência do homem a um carência de proteção estão
princípio de Deus para a sua vida. comumente sufocadas, sem
espaço para aparecer. A crise é
uma forma, ainda que doentia, de
Entendendo fazê-las aflorar. O ataque do
os tempos pânico pode acontecer em
qualquer lugar, com ou sem
Conteúdo aluno motivo aparente, inclusive
enquanto a pessoa estiver
dormindo, fazendo com que
Sinopse do Tópico (I) acorde muito assustada. Em
A sensação que se tem quando muitos casos, a pessoa passa a
envolto por um quadro de ansie- temer o lugar onde teve a primeira
dade aguda é a de que se está crise, evita sair de casa ou ir a
para morrer. lugares fechados, tais como
shopping, de onde não possa
conseguir ajuda rapidamente, em
caso de suposta emergência: isso
Subsídio Pedagógico (II) se chama agorafobia.
Pânico é um episódio que se
caracteriza por crises de ansie-
dade inesperadas. A pessoa está
bem e, de repente, começa a se Subsídio Teológico (II)
sentir mal e tem um ataque de DIFERENÇA ENTRE MEDO E
ansiedade. No pânico, não existe FOBIA. Fobia é um medo
nenhum objeto ou situação irracional e excessivo que
característica. É caracterizado provoca a evitação consciente de
por vários ataques repetidos e um um objeto ou de uma deter-
medo acentuado acerca de um minada situação, tal como, medo
novo ataque. O pânico se mostra de voar, de altura, de animais, de
em situações corriqueiras do tomar uma injeção ou ver sangue.
cotidiano e cumpre o papel de
38
Há aqueles que têm pavor de Como ajudar alguém
engarrafamento no trânsito,
principalmente se estiver numa
com transtorno do
grande cidade; medo de falar em pânico
público (chamada “fobia social”);
Conteúdo aluno
medo de entrar em elevador;
medo de dirigir; medo de viajar de
avião; medo de casar ou de ficar
solteiro; medo de cachorros; o Sinopse do Tópico (II)
medo de perder alguém, entre A melhor coisa a fazer com alguém
outros. As manobras para evitar a com o transtorno de pânico é
situação temida, o medo ajudar a pessoa a encontrar
antecipatório da situação ou a tratamento adequado.
ansiedade extrema causada pela
exposição interferem na rotina A importância do
normal do indivíduo, no seu traba-
lho ou em seus relacionamentos tratamento adequado
sociais, causando importantes
Conteúdo aluno
limitações na vida da pessoa. A
pessoa num quadro de fobia sente
medo acentuado e persistente,
irracional ou excessivo, de um Sinopse do Tópico (III)
objeto ou situação fóbica. A Não existe um modo fácil e nem
exposição ao estímulo fóbico 100% certo, mas existem algumas
(objeto ou situação) provoca uma coisas que podem e devem ser
resposta imediata de ansiedade. A feitas no enfrentamento de
ansiedade é caracterizada por ataques de pânico, dentre eles a
sudorese, batimentos rápidos do medicação adequada e psico-
coração, tremor das mãos, falta terapia.
de ar e sensação de "frio" na
barriga. O diagnóstico é clínico, ou Oração, a melhor
seja, baseado nos sintomas do
paciente. Nenhum exame das terapias!
laboratorial ou de imagem é
utilizado para o diagnóstico.
Conteúdo aluno

39
Sinopse do Tópico (IV)
A mesma pessoa que começa o
cântico no escuro vale do aperto e
tristeza, depois de passar pelo
profundo vale da tristeza, senta-
se e narra sua experiência de
superação em Deus.

Jesus nos prometeu uma paz que


o mundo não pode dar (Jo 14.27),
no entanto, afirmou também que
no mundo teríamos aflições (Jo
16.33). Paz não é a ausência de
problemas e aflições, mas é uma
dependência completa do
cuidado de nosso Pai Celeste.
Que os recursos espirituais
citados neste texto nos ajudem a
vencer o pânico. Faz-nos bem
refletir esta estrofe do hino 104
de nosso Hinário, que diz: “Com
Tua mão segura bem a minha, e
pelo mundo alegre seguirei.
Mesmo onde as sombras caem
mais escuras, Teu rosto vendo,
nada temerei”. (H.M. Wright)

40
DEPRESSÃO, A VIDA
Texto Básico: 1 Reis 19.1-16 CINZENTA
Lição Texto Áureo: “Quero trazer à memória aquilo que
me pode dar esperança”. (Lm 3.21 - ARA
Segunda Introdução
Rm 7.15-25 Conteúdo aluno

Terça
Subsídio Pedagógico (I)
1Pe 1.13-16 Dados recentes da Organização Mundial de Saúde (OMS)
mostram que os casos de depressão estão aumentando
Quarta globalmente - 18,4% desde 2005 -, e que, até 2020, será a
doença que mais afastará pessoas do trabalho em todo o
Rm 8.1-14 mundo. No Brasil, em 2016, cerca de 75,3 mil
trabalhadores foram afastados pela Previdência Social
Quinta em razão desse mal. Hoje, o país é o que registra o maior
número de casos na América Latina, com 5,8% da
população com depressão.
Rm 13.13-14

Sexta Definição de depressão


Ef 2.1-3
Conteúdo aluno

Sábado
Subsídio Pedagógico (II)
Gl 6.1-5 Depressão deve ser diferenciada de tristeza, que é uma
experiência humana esperada diante de fatos
Domingo desfavoráveis, como o luto, adoecimento grave, desem-
prego ou divórcio, por exemplo. Tais situações podem ser
1Co 6.9-11 desencadeadoras de depressão em diferentes níveis.

41
ira e desamor.
Sinopse do Tópico (I) Na depressão mais grave, chama-
São diversos os sentimentos, as da de "depressão importante ou
emoções e pensamentos que se maior", os sintomas são mais
destacam na vida de uma pessoa acentuados e se repetem todos os
depressiva, facilmente a levando a dias. O diagnóstico é feito se
que se sinta como que num fundo houver a soma de cinco destes
de poço. sintomas.
Humor deprimido a maior parte
As causas do dia;
Interesse diminuído em todas as
da depressão atividades;
Perda ou ganho de peso (mais de
Conteúdo aluno 5% ao mês);
Alterações graves no sono;
Agitação ou retardo psicomotor;
Subsídio Pedagógico (III) Fadiga ou perda de energia;
Os sintomas da depressão podem Sentimento de inutilidade ou
ser tão variados que muitas culpa excessiva;
pessoas consultam inúmeros Diminuição da concentração e
médicos de diferentes especialida- indecisão;
des, com queixas não muito bem Pensamentos de morte recor-
definidas, até chegarem à rentes, com ideação suicida.
conclusão de que estão sofrendo Os sintomas causam sofrimento
desse mal. Alguns dos sintomas intenso, e não se devem a efeitos
mais comuns são: fisiológicos de outra doença.
Alterações no apetite (falta ou
excesso);
Alterações graves no sono;
Baixa energia ou fadiga; Sinopse do Tópico (II)
Baixa autoestima; A depressão não tem uma única
Dificuldades para concentrar-se e causa, por isso não se pode
tomar decisões; simplesmente sugerir a um de-
Sentimentos de desesperança; pressivo que ele ore mais e que
Sentimentos de ansiedade, culpa, tudo se resolve.

42
Sem Como tratar a
perspectiva depressão
Conteúdo aluno Conteúdo aluno

Sinopse do Tópico (III) Subsídio Pedagógico (III)


Uma grande vitória espiritual não Infelizmente, menos da metade
protege o servo de Deus de das pessoas deprimidas buscam
vivenciar momentos posteriores alguma forma de tratamento e de
de escuridão de alma. Gente ajuda. Há pequenas ações que
famosa que modificou a história ajudam a lidar com a depressão.
do mundo, e até mesmo homens Com a ajuda de alguém mais
de Deus, os quais deixaram seus maduro da igreja, o depressivo
relatos na Bíblia, também atraves- pode identificar os aconte-
saram o deserto da depressão. cimentos que o fizeram sentir-se
mais triste ou, talvez, injustiçado,
fracassado. Pode escrever esses
A oração de motivos e ser ajudado a refletir
sobre eles, visando encontrar
um depremido modos mais construtivos de
Conteúdo aluno enfrentamento da depressão.
Um cristão pode tomar
antidepressivos? Claro que sim,
desde que o médico entenda
Sinopse do Tópico (IV) existir um desequilíbrio químico
Aquele que está mergulhado num no organismo daquele paciente.
quadro depressivo sente-se Diz um antigo provérbio judaico:
desamparado até mesmo por “Quando doente, procure o Deus
Deus. Entretanto, este é um mero Eterno. Se foi perdoado de algum
sentimento. A verdade é que Deus pecado cometido e ainda continua
não nos perde de vista, mesmo doente, então visite o médico,
num túnel escuro. pois Deus o fez”. Não corra para o

43
medicamento e não o exclua. Às jamais desistir. Deve lembrar-se
vezes, o medicamento pode ser de que não está sozinho e que
um bom estabilizador, abrir uma conta com a mais especial das
janela para o aconselhamento e companhias: Deus (Hb 13.5)!
ajudar, mas antidepressivos não Mesmo sentindo-se incapaz de
são a solução definitiva. vencer a depressão, ajuda demais
A boa notícia é que há cura! confiar no Senhor e pedir sua
Mesmo que os fatores que levam ajuda. Ele levanta o depressivo e
uma pessoa à depressão sejam dando-lhe nova disposição para
múltiplos, originados de muitas fazer aquilo que Ele tem de bom
fontes, a Palavra de Deus fala ao para a sua vida. “Com a força que
nosso coração, alcançando os Cristo me dá, posso enfrentar
redutos mais profundos de nossa qualquer situação” (Fp 4.13).
alma. Ela faz o diagnóstico mais Ainda que as causas que levam à
acurado de nossa enfermidade e depressão sejam as mais
também tem o medicamento mais variadas, Deus tem uma resposta
eficaz. Vale a pena prová-lo! e tratamento para cada uma
delas. Conhecê-lo melhor e se
relacionar com Ele pela oração
Sinopse do Tópico (V) será sempre a mais terapêutica
Algumas pessoas em quadro das terapias.
depressivo certamente vão preci- (Se desejar conhecer mais sobre o
sar de medicação ou psicoterapia, assunto, adquira o E-book “Dor na Alma” -
ou até mesmo das duas formas de http://www.sbb.com.br/livretos-e-
tratamento associadas. folhetos/livretos/dornaalma1269.html)

Bibliografia
Como ajudar cristãos de sua
Nossas emoções podem ser igreja com depressão? Acesse:
incertas e flutuantes, contudo as https://voltemosaoevangelho.co
promessas de Deus são tão m/blog/2018/04/como-ajudar-
certas como uma Rocha. Quem cristaos-de-sua-igreja-com-
vivencia a depressão não pode depressao/
44
Subsídio Pedagógico (IV)
Como ajudar cristãos de sua igreja
com depressão? Acesse:
https://voltemosaoevangelho.co
m/blog/2018/04/como-ajudar-
cristaos-de-sua-igreja-com-
depressao/

45
FERIDOS EM NOME
Texto Básico:
Romanos 12.14-21
DE DEUS!
Lição Texto Áureo: “Não esmagará a cana rachada, nem apagará o
pavio que fumega, até que faça vencer a justiça”. (Mt 12.20)
Segunda
Introdução
Fp 2.5-7 Conteúdo aluno
Terça

Jo 13.13-15 Subsídio Teológico I


1. CADEIRA DE MOISÉS, O PODER PARA ABUSAR
Quarta Na comunidade judaica, os professores de Bíblia oficiais
eram os fariseus. Eles chegavam a decorar capítulos
inteiros do Pentateuco (os cinco primeiros livros bíblicos).
Is 42.1-4
Se o povo quisesse saber que texto se aplicaria a uma
Quinta situação particular da vida, era só perguntar a um fariseu.
“A cadeira de Moisés” (Mt 23.2) era um trono de pedra
colocado no centro das sinagogas, no qual os fariseus
Mt 20.24-28 subiam para exercer poder espiritual sobre as pessoas.
Sentar nessa cadeira significava falar em nome de Moisés,
Sexta que no passado falava com Deus e recebia suas
orientações (Êx 34.32-35). Os fariseus barravam da
Mt 23 comunidade (Mt 23.13) quem não se “encaixava” na
religião. (O poder que tinham para determinar quem
Sábado estava “dentro” ou “fora” é visto em João 9.18-34; 12.42-
43). Uma característica indicativa desse abuso é valorizar
Mt 7.15-23 minúcias e negligenciar o que é mais importante (Mt
23.23), colocando pesados fardos religiosos sobre as
Domingo pessoas (Mt 23.4). O bom pastor é aquele que retira as
cargas, libertando suas ovelhas de pesos desnecessários
1Pe 5.2-3 (Mt 11.29) e liderando seu rebanho e o servindo e não

46
sendo servido por ele (1Pd 5.2-3). destaque, pois é conhecido pelos
frutos que gera (Mt 7.15-23).
2. PROMOVENDO-SE ATRAVÉS DA
RELIGIÃO
Líderes que exigem que as pessoas O que é abuso
os sigam, mas que não possuem
autoridade espiritual, usam a
espiritual?
religião para ser aplaudidos pelo Conteúdo aluno
povo (Mt 23.5). O filactério era
uma pequena caixa de couro que
continha quatro pedaços de
pergaminhos, nos quais estavam Sinopse do Tópico (I)
escritos o conteúdo de Dt 6.4-9; Dt Não é possível dimensionar a dor
11.13-21; Êx 13.1-10 e Êx 13.11-16. O na alma de uma pessoa abusada
fariseu trazia o filactério preso à espiritualmente.
fronte e amarrado próximo ao
cotovelo do braço esquerdo para
demonstrar a sua devoção à lei de Subsídio Pedagógico (I)
Deus. Para o fariseu, os símbolos 1. As vítimas de abuso espiritual
de espiritualidade eram mais carregam consigo um fardo das
importantes que a própria culpas e vergonhas (as vítimas
devoção. Eles queriam parecer tão tendem a se enxergar como
merecedores de honra que faziam responsáveis pelo abuso que so-
fervorosas e prolongadas orações freram), decepções e frustrações,
(Mt 6.5; 23.14); davam esmolas ódios e ressentimentos, desdéns e
(Mt 6.1-2); jejuavam (Mt 6.16); indiferenças (fingir que nada
davam o dízimo (Lc 18.11-12; Mt aconteceu ou que o ocorrido não
23.23) para mostrar que eram os tinha tanta importância),
mais espirituais de todos (Mt desconfianças e inseguranças,
23.5), pois queriam ser além da inevitável crise de fé. O
importantes para as pessoas, daí dia seguinte ao abuso é sempre
buscarem títulos e honrarias (Mt dia de choro. E nem todos
23.6-7). Entretanto, o verdadeiro conseguem discernir ao certo os
pastor não precisa fingir devoção motivos de suas lágrimas. O abuso
a Deus, nem se apegar a títulos de espiritual altera a prática cristã do
47
devoto, de modo que esta pode parte do marido, com risco
adquirir traços neuróticos inclusive de morte, alegando que
(doentios). ela deve ser submissa ao seu
2. Os autores do abuso, por sua marido, sem buscar outras formas
vez, também foram ou estão de manejo para combater essa
sendo vítima de abuso: ou violência.
reproduzem o dano que sofreram
ou estão sendo manipulados
como instrumentos para causar A esfera Propícia
danos - por trás de toda violência
espiritual está o espírito daquele para o abuso espiritual
que vem para “matar, roubar e
destruir” (Jo 10.10). Conteúdo aluno

Exemplos de Sinopse do Tópico (III)


É fundamental para um crente,
abuso espiritual entender o que o seu líder espiri-
tual pensa e o que a Bíblia fala
Conteúdo aluno
sobre determinado problema;
isso é um exercício saudável, mas
exige certos cuidados.
Sinopse do Tópico (II)
Deve-se ter todo temor a Deus e
zelo pelas palavras ditas num
púlpito, pois podem muito mais Subsídio Pedagógico (III)
adoecer que curar. 1. Muitas vezes, o líder está tão
envaidecido pelo seu próprio
sucesso, que nem sequer percebe
que está ferindo os outros.
Subsídio Teológico (II) Comete abuso, quando obcecado
1. É uma forma de abuso, um líder por uma visão, e, em nome dela,
espiritual exigir, a todo custo, que está disposto a sacrificar aqueles
uma esposa se submeta a uma que lidera, a fim de que tal visão se
situação de violência física por realize. Os que sofrem esse tipo de

48
abuso acreditam ser o líder ser discípulos de Cristo, e não
espiritual a voz de Deus na terra, discípulos de uma pessoa. Como o
uma pessoa sempre madura, ética crente quer ser cuidado de modo
e bem resolvida do ponto de vista infantil, ele elege pessoas que
emocional, por isso obedecem à representem Deus para exercer
figura da autoridade e a honram, esse cuidado.
esteja ela certa ou errada. Isso
tudo contribui significativamente 3. A palavra de certos líderes se
para difundir a prática do abuso torna lei para muitos crentes.
espiritual. Aquilo que tais líderes dizem,
passa a ser verdade absoluta. O
2. Quando a palavra do pastor é culto ao personalismo (idolatria a
sempre equiparada à palavra líderes) tem um ambiente ideal
divina, e o pastor permite que se para a proliferação do abuso.
ouça dessa maneira, isso “pode 3. Interpretações bíblicas incor-
implicar em algum modo de retas. A passagem de 1 Samuel
abuso”. A proteção e o cuidado do 15.23 é citada fora de contexto
rebanho são necessários. Mas a para justificar o controle de certas
ovelha pode adotar uma postura lideranças sobre os fiéis: “A
passiva porque aprende que o rebelião é como o pecado de
líder espiritual é a pessoa que feitiçaria”. Nos redutos evangé-
responde espiritualmente diante licos onde há presença de abuso
de Deus por sua vida e pelo seu espiritual, aquele que tenta expor
crescimento espiritual (Hb 13.17). uma opinião contrária à da
Agir continuamente como uma liderança, corre o risco de ser
criança dependente e carente é tachada de “rebelde”.
uma patologia (doença). Essa
necessidade constante de atenção 4. LÍDER QUE SERVE
e de orientação em todos os Jesus afirmou que a única
assuntos é um sinal da infanti- autoridade espiritual legítima é
lização da ovelha (Hb 5.12-14). aquela que se expressa no
Muitas pessoas que sofreram “servir” (Mt 20.24-28). Ele disse
abuso vieram de um lar ou de uma que apesar de os presidentes das
estrutura social marcada pelo empresas mandarem nos seus
autoritarismo. Somos chamados a empregados, “Não é assim entre
49
vós, pois quem quiser ser o maior,
Subsídio Pedagógico (IV)
que sirva aos outros” (Mt 20.26).
Aquele que tem verdadeira Há crentes que ainda perma-
autoridade espiritual deverá necem em igrejas abusivas e,
servir como escravo, não como provavelmente, a ferida que
governador. Essa percepção nos sofreram se deva não a alguma
facilita discernir quem, na igreja, coisa errada que fizeram, mas a
são os líderes investidos de algo certo: o anseio de se aproxi-
genuína autoridade espiritual. Na marem de Deus e de agradá-lo.
igreja de Jesus, a verdadeira
autoridade espiritual não sobe à
cadeira de Moisés para governar,
mas se ajoelha para servir como
Cristo ensinou ao lavar os pés de Como afirma o escritor russo
seus apóstolos (Jo 13.13-15). O Leon Tolstói: “Se conheço o
próprio Jesus nos chama para caminho de casa e ando por ele
segui-lo, mas não nos força: “Se embriagado, o caminho não
alguém quiser vir após mim... siga- deixa de ser certo, simplesmente
me” (Lc 9.23). porque ando por ele camba-
leante”. A Bíblia não deixa
Como lidar com o margem de dúvida de que o fiel
deve se submeter aos seus
abuso espiritual líderes espirituais (Hb 13.17),
Conteúdo aluno contudo, essa obediência não
pode ser cega. Todo ensino deve
ser confrontado com as verdades
bíblicas tal como aconteceu com
Sinopse do Tópico (IV)
o apóstolo Paulo quando pregou
O perdão a quem cometeu o abuso
em Bereia (At 17.11). Se um
e a coragem para se abrir com
alguém de confiança, aliados à homem da estatura espiritual
ação poderosa do Espírito Santo dele foi questionado sobre sua
são recursos dos mais impor- pregação, o que dirá cada um dos
tantes para o tratamento e cura líderes nas igrejas. Isso ajuda a
do abuso espiritual. igreja a não se desviar de sua rota.

50
Bibliografias
BLUE, Ken. Abuso espiritual: como
libertar-se de experiências negativas
com a igreja. São Paulo: ABU, 2000.

CÉSAR, Marília de Camargo. Feridos


em nome de Deus. São Paulo: Mundo
Cristão, 2009.

51
RECURSOS TERAPÊUTICOS DE DEUS
A UMA ALMA FERIDA!
Texto Básico: Gênesis 43.1-13
Lição Texto Áureo: “Então disse-lhes Israel, seu pai: Pois que assim é,
fazei isso; tomai do mais precioso desta terra em vossos vasos,
Segunda
e levai ao homem um presente: um pouco do bálsamo e um
pouco de mel, especiarias e mirra, terebinto e amêndoas”.
Gn 37.19-36 (Gn 43.11)

Terça Introdução
Conteúdo aluno
Ez 34.16

Quarta
Subsídio Teológico (I)
Todos temos em casa uma caixinha, sacolinha ou gaveta
Lc 4.18-19 contendo remédios. É uma tentativa de dar conta das
dores da vida A variedade de medicamentos indica que
Quinta para toda dor existe um remédio. Quando a criança
tropeça e arranha o joelho, geralmente tem a mamãe por
Ez 27.17 perto, pronta com um “band-aid” e um beijo para
diminuir a dor. Mas, e quando nem remédios nem carinho
Sexta são suficientes para as nossas dores? Qual é o remédio
para a dor da alma? Na poesia bíblica, o “bálsamo de
Sl 41.50-52 Gileade” (Jr 8.21-22) tornou-se símbolo de proteção,
curativo para a ferida, conforto na dor, enfim, remédio
Sábado para qualquer enfermidade; é esse o recurso que,
simbolicamente, Deus oferece para tratar o pecado e as
dores que ele causa na vida humana. O profeta usa uma
Gn 41.50-52
figura de linguagem como se a nação, Israel, fosse uma
Domingo pessoa gravemente doente. Havia muita religiosidade,
mas pouca essência e espiritualidade, mesmo entre
aqueles que se diziam profetas e os sacerdotes (Jr 8.10).
Rm 8.18-28
52
Deus diagnosticou que Seu povo Bálsamo e Mel:
estava moral e espiritualmente
enfermo e sendo assim
Coisas De Deus
necessitava de remédio. Deus para o coração
tinha o remédio: o “bálsamo de do ser humano
Gileade”. Em vão, muitos tentam
aplicar merthiolate em ferida Conteúdo aluno
profunda. Jeremias escreveu - “E
curam a ferida da filha de meu
povo levianamente” (Jr 8.11). Não Sinopse do Tópico (II)
é suficiente ter uma religião, assim As duras experiências da vida nos
como não basta tomar um ferem com uma profundidade tal
remédio qualquer. Por outro lado, que o processo de cura é doloroso,
mesmo que o paciente tenha em contudo, Deus tem os recursos
mãos o melhor remédio, este não para o tratamento.
tem eficácia se não for adminis-
trado corretamente. Esse era o
caso de Israel. Jeremias lembra Aplicando o bálsamo
que o remédio errado só piora o e o mel
paciente - “Vai até Gileade, e toma
bálsamo, ó virgem filha do Egito;
Conteúdo aluno
em vão multiplicas remédios; não
há cura para ti” (Jr 46.11).
Sinopse do Tópico (III)
As nossas dores na vida, quando
Uma Família superadas com a ajuda de Deus,
em sofrimento fazem de nós, curadores de
outros.
Conteúdo aluno

Sinopse do Tópico (I) Oremos para que o Espírito Santo


Mesmo as famílias mais importan- reabasteça o estoque de bálsamo
tes da Bíblia vivenciaram proble- e de mel em nossa vida para que
mas que geraram sofrimentos. sejam utilizados quando passar-
53
mos pela dor, nossa ou de alguém
em nosso redor. Destilemos mel
(Pv 16.24) sobre as amarguras
abrigadas no coração. Deus se
importa com aquilo que dói em
nós, e Ele, apenas Ele, tem
recursos para o que parece não
ter cura (Sl 147.3).

Bibliografia
VALVASSOURA, L. Aguiar. Um pouco
de bálsamo, um pouco de mel.
Campinas: Casa Nazarena de
Publicações, 2005.

54
CURA PARA AS DORES
DA ALMA!
Texto Básico: Romanos 8.18-28
Lição
Texto Áureo: “E da mesma maneira também o Espírito ajuda as
Segunda nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir
como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com
Is 57.15 gemidos inexprimíveis”. (Rm 8.26)

Terça Introdução
Jo 15.11 Conteúdo aluno

Quarta
Subsídio Teológico I
Lc 4.18 ILUSTRAÇÃO: Podemos explicar melhor o tema da aula de
hoje, citando uma ilustração da própria natureza. Quem
Quinta visita o Estado da Califórnia, nos Estados Unidos da
América, pode ver belas sequoias gigantes. Na maioria
2Co 3.18 dos parques, existem naturalistas que mostram aos
interessados um corte dessa grande árvore, explicando
Sexta que os anéis dela revelam a história de seu desenvol-
vimento, a cada ano. Há por exemplo um anel que
representa um ano em que houve terrível seca. Há
Jo 5.6
também outros dois anéis que falam de um período que
Sábado choveu demasiadamente. Ali há um ponto em que a
árvore foi atingida por um raio. Há também anéis que
revelam um desenvolvimento normal. Um outro anel
Pv 17.22 mostra um incêndio florestal que quase destruiu a árvore;
outro mais revela um ataque da ferrugem e de outras
Domingo
doenças. E tudo isso está gravado no tronco da árvore,
como se fosse uma autobiografia de seu
Sl 42
55
desenvolvimento. Assim acontece Sinopse do Tópico (I)
também conosco. Abaixo da Por contas de feridas que são
nossa casca protetora, acham-se carregados no coração, muitos
registrados os anéis de nossa vida. cristãos não vivem a vida
Ali estão as cicatrizes de mágoas abundante que Jesus oferece.
antigas, dolorosas. De certo
modo, em termos emocionais,
podemos pensar numa ferida
como uma vivência sofrida e Subsídio Pedagógico (II)
dolorosa. Da mesma forma que
Se uma pessoa foi criada num
um objeto que se choca contra
meio ambiente que a tornou
nosso corpo pode dilacerar a pele,
insegura, dependente, tímida ou
machucando-a, assim acontece
retraída, hoje, provavelmente ela
com a nossa alma.
é um espelho disso, reagindo a
esse condicionamento inicial. O
passado não pode ser modificado.
Redimindo a pessoa Mas a vida pode ser vivida
Integralmente diferente daqui para frente. Uma
mulher pode descobrir dentro de
Conteúdo aluno si uma enorme necessidade de ser
dependente, de se casar com
alguém que cuide dela e de todas
Sinopse do Tópico (I) as suas necessidades, financeiras e
O Evangelho tem como proposta emocionais. Ao invés de desejar o
restaurar o ser humano como um homem que lhe proporcione
todo, libertando-o também das segurança, deveria, antes, tornar-
feridas da alma. se uma mulher segura e emocio-
nalmente amadurecida, com
chance muito maior de ser mais
Aprofundando ajustada consigo mesma e de ser
mais feliz em seus relaciona-
a cura da alma mentos interpessoais.
Conteúdo aluno

56
Princípios importantes Subsídio Teológico (I)
1. A ORAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO
à cura interior POR VOCÊ!Eis uma surpresa: Deus
ora! O Espírito Santo é Deus e Ele é
Conteúdo aluno intercessor pela sua vida. 1. O
Espírito está no nosso íntimo,
conhece as nossas dores, nossos
Sinopse do Tópico (III) sentimentos em relação a elas e as
O conhecimento de Jesus e de si apresenta a Deus melhor que nós.
mesmo, o quebrantamento Em momento de fraqueza, não
diante de Deus, a confissão e com- sabemos orar convenientemente.
partilhamento, bem como a Por vezes, nem temos vontade de
obediência a Deus traduzida em orar. O Espírito Santo é acessível e
perdão são elementos impor- sensível. Ele expressa a Deus
tantes no processo de cura da aquilo que não conseguimos
alma. expressar. 2. A oração do Espírito
Santo por nós é feita com gemidos
que não podem ser expressos por
O Espírito Santo como palavras. Às vezes nos colocamos
agente terapêutico diante de Deus com tanta dor que
nem conseguimos falar. O Espírito
Conteúdo aluno geme, expressando nossa dor ao
Pai. 3. A oração do Espírito Santo
por nós é feita de acordo com a
vontade de Deus. Não sabemos o
Sinopse do Tópico (IV) que pedir, porque não sabemos o
Após um autoexame, reconhe- que é melhor para nós (Tg 4.3). Ele
cemos se temos algum problema sabe. Orar no Espírito é
que ainda impõe sofrimento a nós. harmonizar-se com a vontade do
Se este for o caso, devemos pedir a Pai.
Deus, ajuda de seu Espírito Santo
para os nossos momentos de 2. Cada Pessoa da divindade tem
oração. uma função específica na criação e
no plano de salvação. E na oração

57
é assim também: o Pai atende ser errado nos dirigirmos a Ele, se
nossas orações (Mt 7.7-11); Jesus, há uma boa razão para fazê-lo [...]
nosso intercessor, é a garantia de e a oração ao Espírito será
que seremos ouvidos (Jo 14.13; igualmente apropriada quando o
1Tm 2,5) e o Espírito Santo é quem que buscamos dele é uma
torna mais íntima a nossa comunhão mais íntima com
comunicação com Deus Pai (Rm Jesus...”.
8.26). Oramos ao Pai, através do
Filho, pelo poder do Espírito
Santo. Mesmo que a prática cristã
seja orar ao Pai em nome do Filho
(Jo 14.14), isso não significa que Nós não dormimos e acordamos
dirigir uma oração a outros dois magicamente transformados; é
membros da divindade seja um processo no qual caminha-
errado. O Espírito Santo não deve mos (2Co 3.18). Em muitos casos,
ser "deus desconhecido" e "um Deus decide fazer mudanças
Deus sem altar". O inglês James rápidas, mas na maioria das
Packer, um dos teólogos mais vezes, prefere trabalhar em nós.
renomados da atualidade e Deus poderia ter criado o mundo
professor de teologia no Regent em segundos, mas Ele o fez em
College, em Vancouver, Canadá, seis dias. Assim como pais
em seu livro “Na Dinâmica do
amorosos ficam felizes quando
Espírito” (Edições Vida Nova,
um filho aprende a andar, Ele se
1991, pp. 254-255) afirma: “Mesmo
alegra quando iniciamos esse
que sejamos habitados pelo
processo de cura interior, que
Espírito Santo, ainda somos
atacados por fraquezas, que
pode ser a alavanca para o nosso
incluem os sofrimentos do crescimento em direção à
corpo... com toda a angústia do espiritualidade. A diferença entre
espírito implicada pelo que SANIDADE e SANTIDADE é de
chamamos 'sofrimento humano'. apenas uma letra: T.
É apropriado orar ao Espírito? Não
existe nenhum texto bíblico que Ninguém escolhe ser ferido e
ensina isso.Visto, porém, que o nem sempre tem a culpa de o ser,
Espírito Santo é Deus, não pode mas deixar que a ferida infec-
58
cione e contamine o corpo, é
responsabilidade da própria
pessoa. Cada um precisa ser
encorajado a deixar de ser mero
espectador da vida. “Se eu não
posso mudar as coisas que me
aconteceram, posso mudar
minha atitude no modo como eu
as vejo hoje”. E nesse propósito,
podemos contar com o nosso
Deus trino: “A oração vale muito
mais por causa daquele que a
escuta, do que por aquele que a
faz” (Max Lucado).

Bibliografia
GRAYSON, Curt & JOHNSON, Jan.
Curando as feridas da alma. Rio de
Janeiro: CPAD, 1995.

59
Ademir Teixeira de Freitas - Lições 1 a 3
/ 7 a 13) Psicólogo clínico e Pastor da
ICPI Santo André/SP

Eliézer Cavalcanti Rocha - Lições 4 a 6)


Engenheiro, bacharelando em
Teologia Presbítero da ICPI Santo
André/SP

60