Sei sulla pagina 1di 12

Nº:

MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001


CLIENTE: FOLHA:
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 1 de
12
PROGRAMA:
BASE DE DISTRIBUIÇÃO DE COMBUSTIVEIS
ÁREA:
DUQUE DE CAXIAS – RJ
TÍTULO:

MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE


COMBATE A INCÊNDIO

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS


0 LIBERADO PARA COMENTÁRIOS
A ATENDENDO COMENTARIOS ANP (ITEM 1 / 2.1.6 / 6.1.2 / 6.1.5 / 7.1 / 8.1 / 8.2)

REV. 0 REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA 02/10/2014 05/04/2016
PROJETO R.MIRANDA R.MIRANDA
EXECUÇÃO M.SANTOS M.SANTOS
VERIFICAÇÃO R.MIRANDA R.MIRANDA
APROVAÇÃO N.CARDOSO N.CARDOSO
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA ENGESUL, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 2 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO
1- OBJETIVO

Este memorial descritivo tem por objetivo apresentar o projeto e descrever as instalações do
Sistema de Combate à Incêndio da base de distribuição da DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE
DERIVADOS DE PETROLEO LTDA., a ser instalada na Av. Tadeu Kosciusko, Lotes 06 @ 21 da Quadra
35 – Vila Actura – Campos Eliseos – 2º Distrito de Duque de Caxias – RJ.

Todos os cálculos atendem a norma NBR 17505-7 (2015).

2- CONSIDERAÇÕES BÁSICAS

2.1- Classificação do risco:

- Ocupação: Depósito de Inflamáveis


- Produtos a serem depositados: álcool, gasolina, diesel e biodiesel.
- Volumes armazenados:

PRODUTO M³
Álcool 3.645,00
Diesel 10.440,00
Gasolina 3.480,00
Biodiesel 855,00
Total 18.420,00

2.1.1 Toda a movimentação dos combustíveis se dá em circuito fechado através de bombas e tubulações
não havendo, em operação normal, formação de mistura de gases e vapores inflamáveis.
A ventilação é natural, propiciando boa dispersão. Não existem espaços confinados.

2.1.2- A instalação elétrica na área de risco será realizada de acordo com a NBR 8.370 (Equipamentos e
Instalações Elétricas para Atmosferas Explosivas).

2.1.3- A localização dos tanques e seus afastamentos atendem ao contido na NBR 17505-2
(Armazenamento de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis), conforme sistema normativo vigente e
aceito pela A.N.P. (Agência Nacional de Petróleo).

2.1.4- Resíduos decorrente de drenagem ou eventual vazamento em situação anormal serão coletados por
sistema composto de tubulações e válvulas de bloqueio enterrados denominado “drenagem oleosa” e
conduzido a um Separador de Água e Óleo. A água livre de contaminação é enviada ao sistema de
águas não contaminadas.

2.1.5- Não há máquinas consideradas perigosas na instalação. Existem, basicamente, os tanques de


armazenamento, as tubulações e suas motobombas para a transferência dos produtos.

2.1.6- Existirá um reservatório exclusivo para água, constituído de tanque fabricado em aço carbono com
volume total de 1285 m 3 que será utilizado no sistema de combate a incêndio conforme indicado no
item 7.

2.1.7- Não haverá uso de materiais radioativos.

3- Descrição do Modo de Funcionamento da Base

O Memorial Descritivo de Operação da DIRECIONAL (MD-P132-0000-940-EKS-001) descreve as


instalações, a forma de operação e funcionamento da Base, bem como volumes movimentados e
armazenados.
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 3 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO
4- Sistema de Combate à Incêndio Adotado na Base

O combate a incêndio no parque de tanques se efetuará conforme item 5.a da NBR 17505-7 com a
aplicação de espuma no tanque vertical atmosférico em chamas, por intermédio de câmara de espuma,
acrescida da necessidade de aplicação de espuma na bacia de contenção do tanque para combate de
pequenos focos de incêndio, assim como do resfriamento com água dos tanques adjacentes ao tanque
em chamas, utilizando-se para isso um sistema fixo por aspersores para cada tanque. Como cada
tanque tem seu sistema fixo de resfriamento, não foi previsto a utilização de canhões para resfriamento
dos mesmos na rede de hidrantes.
Será resfriada também a lateral do tanque em chamas utilizando também um sistema fixo por
aspersores, para evitar deformações e quebra da chapa do mesmo pela ação do fogo no seu interior.
5- Sistema de Combate à Incêndio através de espuma mecânica

O sistema de combate a incêndio através de espuma mecânica está descrito na memória de calculo
do dimensionamento do sistema de espuma MC-P132-0000-947-EKS-001.

6- Determinação da Vazão de Água necessária em caso de Incêndio

O cálculo da vazão de água é feito conforme a situação indicada a seguir:

Aplicação de espuma a um tanque vertical atmosférico em chamas acrescida da necessidade de


aplicação de espuma para a bacia de contenção dos tanques, e resfriamento dos tanques
adjacentes.

Acrescentaremos a isto o resfriamento lateral do tanque em chamas.

6.1 – Calculo da vazão de água

O caso mais desfavorável é quando temos que aplicar espuma no TQ-02 em chamas, e resfriar os
tanques adjacentes TQ-01/03/05/06/07.

6.1.1 - Vazão de água na aplicação de espuma no TQ-02

Conforme item 6.1 do MC-P132-0000-947-EKS-001 do dimensionamento do sistema de espuma,


temos que a vazão de água por hora necessária para geração de espuma para o combate a incêndio do
TQ-02 é de:
Q água TQ 02 espuma = 55,38 m³/h
6.1.2 - Vazão de água na aplicação de espuma na bacia dos tanques

Conforme item 6.5 do MC-P132-0000-947-EKS-001 do dimensionamento do sistema de espuma,


temos que a vazão de água por hora necessária para geração de espuma para o combate a incêndio na
bacia dos tanques é de:
Q água bacia = 23,28 m³/h

6.1.3 - Vazão de água para o resfriamento dos tanques adjacentes TQ-01/03/05/06/07.

O resfriamento será feito utilizando-se aspersores.


Devemos considerar para resfriamento dos tanques, um terço do somatório das áreas do costado de
cada tanque.
 x Ø1/3 x H1/3 +  x Ø 5 x H5 +  x Ø 6 x H6 +  x Ø 7 x H7 =
ATQ ADJ. 01/03/05/06/07 = 2x 3 3 3 3
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 4 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO

 x 17,2 x 15,0 +  x 9,55 x 12,0  x 11,46 x 15,0 +  x 13,37 x 15,0 =


ATQ ADJ. 01/03/05/06/07 = 2x 3 3 3 3

ATQ ADJ. 01/03/05/06/07 = 540,0 + 120,0 + 180,0 + 210,0 = 1050 m²

A vazão de água para resfriamento dos tanques adjacentes TQ-01/03/05/06/07 será:

Como o resfriamento está sendo feito com aspersores a taxa de aplicação é de 2 L/mim/m 2

QáguaTQ ADJ. = 2 L/min/m² x 1050 m² = 2100 L/min = 126,0 m³/h

6.1.4 – Vazão de água para o resfriamento lateral do tanque em chamas

A área lateral do tanque em chamas (TQ.02) é a seguinte:

ATQ.02 =  x Ø x H =  x 17,20 x 15,0 = 810 m²

A vazão de água para o resfriamento lateral do TQ.02 com aplicação de uma taxa de 2 l/min/m² será
de:

QáguaTQ02.RESF. = 2l/min/m² x 810= 1620 l/min

QáguaTQ02.RESF. = 97,2 m³/h

6.1.5 – Vazão de água total necessária para combate a incendio

Qáguatot. = QáguaTQ02.ESP + Qáguabacia + Qáguatq.adj. + QáguaTQ02.RESF = 55,38 + 23,28 + 126,0 + 97,2 


301,86 m³/h

Adotaremos:

Qáguatot. = 305 m³/h - este valor determina a capacidade mínima de vazão da


bomba.

7- Volume da Reserva de Água para Combate à Incêndio

7.1- A NBR 17505-7 (item 4.5.1) estabelece que o suprimento de água deve ser suficiente para o
combate a incêndio durante 4 horas considerando a demanda de 100% da vazão de projeto (para uma
estocagem de 18.420 m³ de combustível). Logo, no presente caso, deve-se ter disponível 305 m³/h x
4h = 1220 m³ de água. Estamos prevendo volume de água igual a 1285 m³ para o reservatório
(Ø=9,55m e H=18,0m), o que possibilita o combate a incêndio no período de 4 horas solicitado.

7.2- A fonte de suprimento normal de água para o tanque, se dará por intermédio de caminhões tanque,
por intermédio de poço artesiano ou pelo fornecimento pela companhia de água da cidade do Rio de
Janeiro. O controle de nível será feito através do extravasor (ladrão) Ø3” instalado na lateral do tanque
no nível superior.

8- Verificação da velocidade do fluido nas tubulações de sucção e descarga das bombas do


sistema de combate a incêndio.

8.1- Tubulação de sucção (Ø10”)

O fluído na tubulação de sucção do sistema de combate a incêndio deve ter como velocidade máxima
o valor de 2 m/s.
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 5 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO

Em nosso caso temos:

QTOTAL = 305 m³/h  linha = 10” sch 20 (260,35 mm interno)

Q  X 2  X (0,26035 m)2
V= = Q  = 305 m³/h  = 0,08472 m³/s  0,05323 m²
A 4 4

V= 1,59 m/s

V < 2 m/s

8.2- Tubulação de descarga (Ø8”)

O fluído nas tubulações de descarga do sistema de combate a incêndio devem ter como velocidade
máxima aproximadamente o valor de 4 m/s.

Em nosso caso temos:


QTOTAL= 305 m³/h  linha = 8” sch 20 (206,38 mm interno)

Q  X 2  X (0,20638 m)2
V= = Q  = 305 m³/h  = 0,08472 m³/s  0,03345 m²
A 4 4

V = 2,53 m/s

V < 4 m/s

9- Distribuição dos Aspersores para o Resfriamento dos Tanques TQ.01/02/03/04

Considerando o desenvolvimento lateral do tanque, teremos 01 header com 10 aspersores do


modelo LP-003/001 (Projetor de meia velocidade) tipo MV-46 com um ângulo de descarga de 125°
fabricado pela KIDDE.

Desenvolvimento do Tanque e Cobertura dos Aspersores


Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 6 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO

Distância do Aspersor à Superfície Lateral do Tanque


HEADER Ø 4"
110

ASPERSOR MV-46
1100

990

125°

SUPERFÍCIE LATERAL DO TANQUE

3804
Ø DO CONE DE ÁGUA

A vazão de água necessária para resfriamento de cada tanque é de:


Q = Stq. x taxa = 810 m² x 2 L/min/m² = 97,2 m³/h
97,2 m³/h
Qasp = = 9,72 m³/h = 162,0L/min
10

Pelo gráfico de fluxo fornecido pela KIDDE, o aspersor MV-46 fornece 162,0 L/min a uma pressão de 4,0
kg/cm², chegando a um fluxo máximo de 210 L/min a uma pressão de 7,3 kg/cm².

10 – Diâmetro das Tubulações para o Resfriamento dos Tanques TQ.01/02/03/04


10.1 – Cálculo do header
Q 97,2 m³/h 0,027 m³/s
Q=vxAA= = = = 0,00675 m2
v 4 m/s 4 m/s
1/2

0,00675 m² x 4
A =  x D² = 0,00675 m2 D = = (0,00859)1/2 = 0,0927 m  9,27 cm
4 
Adotaremos  = 4” sch 40 (10,22 cm interno)

11- Distribuição dos Aspersores para o Resfriamento do Tanque TQ.05

Considerando o desenvolvimento lateral do tanque, teremos 01 header com 07 aspersores do


modelo LP-003/001 (Projetor de meia velocidade) tipo MV-25 com um ângulo de descarga de 125°
fabricado pela KIDDE, ou similar.
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 7 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO

Desenvolvimento do Tanque e Cobertura dos Aspersores

Distância do Aspersor à Superfície Lateral do Tanque

HEADER Ø 3"

ASPERSOR MV-25

SUPERFÍCIE LATERAL DO TANQUE

Ø DO CONE DE ÁGUA

A vazão de água necessária para resfriamento do tanque TQ. 05 é de:

Q = Stq. x taxa = 360 m² x 2 L/min/m² = 43,2 m³/h

43,2 m³/h
Qa = = 6,17 m³/h  102,85 L/min
07

Pelo gráfico de fluxo fornecido pela KIDDE, o aspersor MV-25 fornece 102,85 L/min a uma pressão
de 5,0 kg/cm², chegando a um fluxo máximo de 121 L/min a uma pressão de 7,9 kg/cm².

12 – Diâmetro das Tubulações para o Resfriamento do Tanque TQ. 05

12.1 – Cálculo do header

Q 43,2m³/h 0,012 m³/s


Q=vxAA= = = = 0,003 m2
v 4 m/s 4 m/s
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 8 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO

1/2
 x D² 0,003 m² x 4
A= = 0,003 m2  D = = (0,00381)1/2 = 0,0618 m  6,18 cm
4 

Adotaremos  = 3” sch 40 (7,79 cm interno)

13- Distribuição dos Aspersores para o Resfriamento do Tanque TQ.06

Considerando o desenvolvimento lateral do tanque, teremos 01 header com 07 aspersores do


modelo LP-003/001 (Projetor de meia velocidade) tipo MV-46 com um ângulo de descarga de 125°
fabricado pela KIDDE, ou similar.

Desenvolvimento do Tanque e Cobertura dos Aspersores

Distância do Aspersor à Superfície Lateral do Tanque


HEADER Ø 4"

ASPERSOR MV-46

SUPERFÍCIE LATERAL DO TANQUE

Ø DO CONE DE ÁGUA

A vazão de água necessária para resfriamento do tanque TQ.06 é de:

Q = Stq. x taxa = 540 m² x 2 L/min/m² = 64,8 m³/h

64,8 m³/h
Qa = = 9,26 m³/h = 154,28 L/min
7
Pelo gráfico de fluxo fornecido pela KIDDE, o aspersor MV-46 fornece 154,28 L/min a uma pressão
de 3,5 kg/cm², chegando a um fluxo máximo de 210 L/min a uma pressão de 7,3 kg/cm².
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 9 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO

14 – Diâmetro da Tubulação para o Resfriamento do Tanque TQ.06


14.1 – Cálculo do header
Q 64,8 m³/h 0,018 m³/s
Q=vxAA= = = = 0,0045 m2
v 4 m/s 4 m/s

1/2
 x D² 0,0045 m² x 4
A= = 0,0045 m2 D = = (0,005729)1/2 = 0,0756 m  7,56 cm
4 

Adotaremos  = 4” sch 40 (10,23 cm interno)

15- Distribuição dos Aspersores para o Resfriamento do Tanque TQ.07

Considerando o desenvolvimento lateral do tanque, teremos 01 header com 08 aspersores do


modelo LP-003/001 (Projetor de meia velocidade) tipo MV-46 com um ângulo de descarga de 125°
fabricado pela KIDDE, ou similar.

Desenvolvimento do Tanque e Cobertura dos Aspersores

Distância do Aspersor à Superfície Lateral do Tanque

HEADER Ø 4"

ASPERSOR MV-46

SUPERFÍCIE LATERAL DO TANQUE

Ø DO CONE DE ÁGUA
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 10 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO
A vazão de água necessária para resfriamento dos tanques TQ.07 é de:

Q = Stq. x taxa = 630 m² x 2 L/min/m² = 75,6 m³/h

75,6 m³/h
Qa = = 9,45 m³/h = 157,5 L/min
08
Pelo gráfico de fluxo fornecido pela KIDDE, o aspersor MV-46 fornece 157,5 L/min a uma pressão de
3,7 kg/cm², chegando a um fluxo máximo de 210 L/min a uma pressão de 7,3 kg/cm².

16 – Diâmetro da Tubulação para o Resfriamento do Tanque TQ.07


16.1 – Cálculo do header
Q 75,6 m³/h 0,021 m³/s
Q=vxAA= = = = 0,00525 m2
v 4 m/s 4 m/s

1/2
 x D² 0,00525 m² x 4
A= = 0,00525 m2 D = = (0,00668)1/2 = 0,0817 m  8,17 cm
4 

Adotaremos  = 4” sch 40 (10,23 cm interno)

17- Descrição das Facilidades de Combate à Incêndio para cada Risco da Base

17.1- Drive – in / Guarita

O prédio terá seu risco coberto pelos hidrantes H-7 & H-8 complementado por 05 extintores portáteis de
CO2 de 6Kg de capacidade o Drive-in, e complementado por 01 extintor de Pó Químico Seco de 4 Kg de
capacidade a guarita.

17.2 – Almoxarifado/ Sala de Operadores/ Vestiário/ Laboratório

O almoxarifado terá seu risco coberto pelos hidrantes H-7 & H-8 e por 02 extintores portáteis tipo CO2 de
6 kg de capacidade, a sala de operadores pelos mesmos hidrantes e por 01 extintor portátil tipo CO 2 de
6 Kg de capacidade, o vestiário terá seu risco coberto por 01 extintor portátil tipo CO 2 de 6 kg de
capacidade e o Laboratório terá seu risco coberto por 01 extintor portátil tipo CO 2 com 6kg de
capacidade e 01 extintor portátil de Pó Químico Seco com 04 kg de capacidade.

17.3 – Subestação / CCM

Terá seu risco coberto pelo hidrante H-1 e por 02 extintores portáteis de CO 2 de 6 kg de capacidade,
será instalada placa com dizeres “EM CASO DE INCÊNDIO SÓ USE ÁGUA APÓS DESENERGIZADO”.

17.4 – Casa de Bombas de Combate a Incêndio

Terá seu risco coberto pelo hidrante H-1 e por 01 extintor portátil de CO2 de 6 kg de capacidade e 01
extintor portátil de Pó Químico Seco de 4 kg de capacidade.

17.5 - Plataforma de Carregamento e Descarregamento de Caminhões

17.5.1- Os bicos de carregamento de caminhão são móveis articulados, permitindo alcançar o fundo do
tanque do caminhão, evitando a geração de eletricidade estática.
Sua operação obriga o motorista do caminhão a ficar permanentemente segurando a alavanca
acionadora na posição aberta. Ao soltá-lo o bico se fecha por ação de mola.
Estão previstos, em complemento, pontos de aterramento do caminhão para garantir que a
eletricidade estática não seja gerada.
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 11 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO

17.5.2- A proteção contra incêndio desta área se dá através dos hidrantes H-1/H-6 & H-7 e pelos
canhões C-1 e C-2 para aplicação de espuma com utilização de 02 (dois) tanques fixos de 1270 litros
de LGE. (Ver item 3.4.3 da MC-P132-0000-947-EKS-001).

17.5.3- Complementa-se a proteção com o uso de 02 extintores tipo Pó químico Seco com 12 kg de
capacidade instalados em cada ilha.

17.5.4- Na ilha da Plataforma 1 e Plataforma 3 será instalada botoeira de acionamento da campainha de


alta potência para emergência que estará instalada na casa de bombas de combate a incêndio
(timbre Ø 150 mm, 100 dB(A) a 2 m). O acionador da campainha está identificado através de placa de
sinalização.

17.6 – Casa de Bombas de produto 01

17.6.1- Denomina-se Casa de Bombas de produto 01 o local próximo à Plataforma de Carregamento /


Descarregamento onde ficam as bombas da Base e que são responsáveis pela sucção do produto
dos caminhões tanque para os tanques de armazenamento.

17.6.2- O risco da Casa de Bombas 01 é coberto pelos hidrantes H-1 & H-2 e por 01 extintor de pó
Químico Seco com 12 kg de capacidade,.

17.7 – Casa de Bombas de produto 02

17.7.1- Denomina-se Casa de Bombas de produto 02 o local próximo à bacia de contenção dos tanques
onde ficam instaladas as bombas da Base e que são responsáveis pela sucção do produto dos
tanques para a plataforma de carregamento.

17.7.2- O risco da Casa de Bombas é coberto por 02 extintores de pó Químico Seco com 12 kg de
capacidade, e pelos hidrantes H-2 & H-6.

17.8- Parque de Tanques

17.8.1- Todos os tanques tem seu risco coberto através de câmara de espuma.

17.8.2- Todos os tanques tem sistema de resfriamento por aspersores.

17.8.3- Esta bacia tem seu risco coberto pelos hidrantes H-2/ H-3/ H-4/ H-5/ H-6.

17.9 – Pátio de Manobras


O pátio de manobras dos caminhões que adentram à Base terá seu risco coberto pelos hidrantes H-1/ H-
2/ H-6/ H-7/ H-8.
17.10- Hidrantes: cada hidrante possui 2 saídas de 2 ½”.

17.10.1- Nas proximidades de cada hidrante há um abrigo de mangueiras com dimensões 1,50 X 0,70 X
1,80 m, de 2 portas.

17.10.2- Cada abrigo de mangueiras conterá:

TIPO A :

 4 lances de mangueiras Ø 63 mm (2 ½”), com 15 m cada,


 2 esguichos tipo jato neblinado Ø 63 mm (2 ½”), para água
 1 redutor Storz Ø63mm x Ø38mm
 2 lances de mangueira Ø 38 mm ( 1 ½”) com 15 m cada,
 1 esguicho tipo jato neblinado Ø 38 mm (1 ½”), para água
Nº REV.
MEMORIAL DESCRITIVO MD-P132-0000-947-EKS-001 A
FOLHA
DIRECIONAL DISTRIBUIDORA DE DERIVADOS DE PETROLEO LTDA 12 de 12
TÍTULO:
MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE
COMBATE A INCÊNDIO
 1 proporcionador (edutor) de linha tipo PL 150 da KIDDE (ou similar) para sucção de líquido gerador
de espuma (LGE) de bombonas e alimentação de solução de espuma para o esguicho (setado a
3%),
 1 esguicho lançador de espuma tipo R 150 da KIDDE (ou similar) com engate Storz Ø 1 ½”
 2 chaves para mangueiras (conexão Storz 2 ½” e 1 ½”),

TIPO B:

 4 lances de mangueiras Ø 63mm com 15 m cada.


 2 esguichos tipo jato neblinado Ø 63 mm.
 2 chaves para mangueiras.

17.10.3- Estamos prevendo linhas de mangueiras Ø 38 mm (1 ½”) que poderão aplicar água através de
esguicho de jato neblinado ou espuma através de esguicho lançador de espuma e uso concomitante
de proporcionador de linha.

17.11 – Separador de Água e Óleo (SAO)


O SAO terá seu risco protegido pelo hidrante H-1.
17.12 – Ponto B
O Ponto B terá seu risco coberto pelo hidrante H-12 e H-3 e por 01 extintor portátil de Pó Químico
Seco de 12 Kg de capacidade.

18– Brigada de Incêndio

18.1- O pessoal de operação da Base receberá treinamento de combate a incêndio e treinamento de


manuseio dos equipamentos que compõem o sistema de proteção contra incêndio.

19- Alarme acústico

19.1- Será instalada uma Campainha de Alta Potência com timbre Ø 150 mm que apresenta nível de
pressão sonora de 100 dB(A) a 2 m, para alarme de emergência.

19.2- A campainha será instalada na parte externa da Casa de Bombas de Incendio, protegida das
intempéries pela projeção da cobertura.

19.3- As botoeiras de acionamento deste alarme estão dentro da casa de bombas de incêndio e junto à
Plataforma de Carregamento em posição de fácil visualização e sinalizadas.

20 - Restrição ao Fumo

O fumo será proibido nas plataformas de carregamento. Como lembrete, serão instaladas placas com
dimensões adequadas e dizeres “INFLAMÁVEL – PROIBIDO FUMAR”.