Sei sulla pagina 1di 16

Domingo, 24 de Março de 2019

| EDIÇÕES NOVEMBRO
ROSINHA SAMBO
Sobrevivente.
Guerreira.
Cosmopolita
Com uma vivência
cosmopolita, pode ser
definida como mulher
guerreira. Ela própria
considera-se uma
sobrevivente da guerra.
Oriunda de uma família de
músicos, viveu na Noruega
e na Suécia. Agora, com o
seu saxofone, instrumento
musical que domina com
mestria, instalou-se na
Caála, Huambo, onde tenta
recuperar a fazenda da
família. A sua vida dava
muito bem para compor um
roteiro de cinema.

Curiosidades + Comer fora + Comer em casa + Reportagem + Cultura + Roteiro de casa + Roteiro de rua
2 CURIOSIDADES Domingo
24 de Março de 2019

Horóscopo
País
Carneiro de 21/03 a 20/04
DR
Saiba
Foco especial para as relações, que pedem mais da sua atenção
e uma troca mais justa. O seu ciclo novo está prestes a começar
e você pode sentir-se mais forte e cheio de energia nos próximos
dias. É um momento especial, com o início do ano novo
Elias dya
astrológico, que acontece quando o Sol chega no seu signo.
Kimuezo
Touro de 21/04 a 20/05
A vida está a pedir mudanças e as conversas com os amigos Elias José Francisco nasceu no
podem dar boas dicas sobre o que fazer. É uma semana dia 2 de Janeiro de 1936 no bair-
positiva para organizar melhor a sua rotina. Pode avaliar o ro Marçal, distrito urbano Sam-
que está a ajudar e, por outro lado, o que faz com quem você bizanga. Elias dya Kimuezo
perca tempo e, a partir daí fazer algumas mudanças estruturais. começou a carreira em 1950 co-
mo compositor no grupo “Gi-
Gémeos de 21/05 a 20/06 násio”. Em 1956, surge como
Semana importante nos assuntos de trabalho, mas que intérprete e tocador de bate-
também pede tempo para diversão, estar com os seus bate no conjunto Kizomba, do
queridos e curtir a vida. É uma fase para rever ideias, metas Sambizanga.
e coisas importantes na vida. Tente observar com carinho A sua constante frequência no
tudo que está acontecer e veja o que precisa mudar. Samba Kimúngua, na zona do
Bungo em Luanda, onde resi-
Caranguejo diam vários operários do Porto
de 21/06 a 21/07 e dos Caminhos-de-ferro que
Período positivo para mudanças e para viagens. Você pode tocavam e dançavam o Kinganje,
receber noticias importantes de alguém querido. Momento para fez com que descobrisse, aos
olhar mais de perto para as suas emoções. Olhe com carinho 15 anos de idade, a sua vocação
para as questões de família e, se precisar, peça colo e cuide de artística, que o leva a integrar-
perto do que você sente e do que os outros sentem também. se na Turma do Margoso, como
vocalista principal e tocador
Leão
de 22/07 a 22/08
O momento é lindo para fazer novos planos para o futuro,
Forte do Kikombo de bate-bate. Dois anos mais
tarde, muda-se para o agrupa-
mento Os Kizombas, que na-
de maneira mais entrosada com pessoas que fazem parte Local de referência histórica, em 1640, Salvador Correia de Sá lá atracou e dirigiu-se a quela altura tocava nas farras
da vida. Bom momento para fazer uma mudança, para Luanda para combater os holandeses. Esta fortificação inscreve-se no período de do Salão Malanjinho, no Bairro
tomar uma decisão. Excelente semana boa para viajar, ocupação neerlandesa de Luanda e subsequente reconquista portuguesa. Foi erguida do Sambizanga.
estudar, se comunicar. Período de sorte no amor. pelas forças da esquadra de socorro do governador de Angola, Francisco de Souto-Maior PAULO MULAZA | EDIÇÕES NOVEMBRO
(1645-1646) em 1645 e reformada em 1648 pelas forças da esquadra de Salvador Correia
Virgem de Sá e Benevides, que daí partiram para a reconquista de Luanda.
de 23/08 a 22/09
Momento positivo para resolver assuntos ligados a dinheiro ou
trabalho e para valorizar mais os seus talentos e conquistas. Uma
semana importante para as suas relações. Sente para conversar Fazem anos esta semana
sobre o que for preciso, ajustar as coisas, aparar as arestas.

Balança
de 23/09 a 22/10
Semana tudo de bom para fazer uma mudança importante
Domingos Rafael
e linda para diversão com o seu amor. E com mais sensibilidade, Quadro da Televisão Pública de Angola (TPA), Domingos Rafael
você pode ficar mais sensível a tudo e a todos e precisa é uma figura anónima mas de grande relevância no seio da
saber diferenciar muito bem o que é seu e o que é dos outros. TPA. Nasceu em Luanda, no município do Cazenga, província
de Luanda, no dia 25 de Março. Amigo dos seus amigos, Rafael,
Escorpião como é carinhosamente chamado, destaca-se pela sua ver-
de 23/10 a 21/11 satilidade e profissionalismo.
Foco na realidade. Não adianta esperar dos outros ou pres-
sionar ninguém. Mas o que depender de ti, tem tudo para
resolver e conseguir bons resultados. Isso porque você se
sente mais forte e cheio de energia e se agir com força e
profundidade, vai dar tudo certo. Seja responsável e
consciente de tudo que está fazendo. Alexandre Cose
Sagitário Alexandre de Jesus Mimoso Cose, nasceu a 27 de Março
de 22/11 a 21/12 de 1976, em Luanda. Destaca como inspirações profissionais
Os dias são bons para estar com os amigos. Os dias em casa tendem suas Arlindo Macedo, Mateus Gonçalves, Horácio Pedro, Com o tempo foi-se aprimoran-
a ser bons e isso é uma óptima oportunidade para curtir a casa e Amílcar Xavier, Paula Simons, Luís Fernando e Paulo Julião. do na arte de cantar e tornan-
a família. Boa fase para estudos e comunicação e para produzir Tem em Mário Vaz o homem que o influenciou na carreira, do-se cada vez mais conhecido.
intelectual e criativamente. Estar com as pessoas vai ajudar a por ter sido seu colega no último ano do Curso Médio de Em 1972, pelo seu abnegado
organizar as ideias. Preste atenção no que diz e no que escuta. Jornalismo. Experiente, Alexandre Cose já trabalhou na trabalho em prol da música, re-
Rádio Nacional, Rádio Ecclesia, TV Zimbo e agora dedica- cebe
O Museu umado estatueta
Louvre, emreferente
Paris,
Capricórnio se à Televisão Pública de Angola. aos
tem“11uma maisdasda cidade dedeLuan-
colecções arte
de 22/12 a 20/01 da”,
maisque premiava
ricas do mundo.as 11Encon-
figuras
Foco no trabalho que a semana promete bons resultados. mais
tram-se destacadas nas diversas
nela representados to-
Você tende a se sentir mais produtivo, estratégico e decidido. áreas
dos osprofissionais
períodos da arte e sociais
europeia na
Dias bons para comunicação, para reactivar contactos ou Tony Caldas cidade de Luanda. NoOano
até ao Impressionismo. museude
divulgar ideias e projectos. Vá preparado porque você tem 1974,
é um fruto
vastodo intenso trabalho
complexo de 200
tudo para fazer mais sucesso do que imagina. Tony Caldas é músico, político e foi administrador do de
000mobilização,
quadrados, que é preso
compreen- com
Bairro Operário. Natural da província do Huambo tem seu irmão
de sete mais novo “Chico
departamentos, dedi-
Aquário Benguela como sua segunda terra natal. Tony Caldas Suiça”
cados aeantiguidades
remetidos de egípcias,
imediato
21/01 a 19/02 nasceu na comuna da Cáala, no dia 27 de Março de 1952. para “São gregas
orientais, Nicolau”- Campo I
e romanas,
Dias mais leves e felizes. Óptimos para decidir no que está com Formado em engenharia mecânica, tem sucessos lançados das Salinas,pintura
escultura, caserna e III, donde
desenho.
vontade de fazer, fazendo planos mais consistentes e poderosos no estilo semba. Administra uma comuna em Luanda. saíram
Albergaapós umaclarificação
magnífica co- do
para realizar seus maiores sonhos. Aprenda a valorizar seus processo
lecção de de descolonização
pintores europeus
recursos, suas conquistas, sua forma de ver a vida. E não tenha ecomo
o Sistema
Leonardo serdaobrigado
Vinci, Ra- a
medo de ser diferente. Mais do que nunca, isso é seu diferencial. tratar da libertação
fael, Rubens, Rembrandt,de todos Ver-
os presos,
meer e Goya, principalmente
entre muitos os
Peixes de 20/02 a 20/03 do foro Contém
outros. político.obras-primas
Sensibilidade extra. Emoções mais à flor da pele e maior Carlos Lamartine Desde os meados
da Renascença da década
italiana e do
percepção de tudo que está acontecendo dentro e fora de você. de 60 que
período Elias Diá
barroco. Kimuezo,
Encontram-
Boa semana para resolver uma velha pendência, virar uma Nascido na província de Benguela no dia 29 de Março pela qualidade
se expostos do seu trabalho
objectos de arte
página e dar um passo à frente. Cuidado com ilusões ligadas a de 1943, foi no Marçal que Carlos Lamartine deu os emedieval,
a constância do seu desem-
renascentista e mo-
amores do passado. Foco em criar mais vinculo e intimidade primeiros passos na música. Pertence a uma geração penho,
derna, bem foi considerado
como os tesouros como
com quem está no presente. ligada à música de intervenção e que atravessou as “O
dosReireisda Música Angolana”.
franceses. No depar-
mais variadas etapas da Música Popular Angolana. Elias
tamentodya Kimuezo tem no seu
de antiguidades
Editor-Chefe: António Cruz
Editor: Isaquiel Cori
Foi um dos fundadores do grupo “Os Kissueia”, onde baú temas
orientais como “Leonor”,
encontra-se uma im-
Subeditores: Edna Cauxeiro e Ferraz Neto deu início à sua carreira. "”“Toy
portante Sofia”, “Ressurreição”,
colecção de arte da
Edição de Arte: Salvador Escórcio, Raúl “Caminho-de-ferro”,
Mesopotâmia. “Mwenho
Geremias, Henrique Faztudo e A.Quipuna
Textos: Analtino Santos, Mário Cohen,
ua
Nomundo”,
século “Nzala”, “Agostinho
XII foi neste local
Fim-de-Semana Guimarães Silva. Neto” e “Samba Madié”.
Fotos: JAimagens e Globo
Domingo
24 de Março de 2019 PERFIL 3
PROJECTO “NOVA CRIATURA”

Mais um desafio
da Irmã Joly Makanda
A Irmã Joly Makanda, uma das vozes mais promissoras, para não dizer mesmo já uma certeza,
da música gospel no país, lançou recentemente o projecto “Nova Criatura”, com o objectivo
de sensibilizar e evangelizar por meio do canto

DR
Mário Cohen A actividade contou ainda com a par-
ticipação do psicólogo criminal Xanu
“Nova criatura” é um projecto que Moreira, que falou sobre os temas “Venda
reúne nomes sonantes da música gospel. no lugar certo”, “Uso adequado das redes
No próximo dia 31 deste mês de Março, sociais” e “Diálogo familiar”.
tradicionalmente dedicado à mulher, a
cantora promove, às 14h00, no espaço Evangelizar em Caboxe
Camama Tropical, no município de No mês passado, o projecto “Nova Cria-
Belas, em Luanda, um grande espectáculo tura” chegou à Penitenciária de Caboxe,
denominado “Show Gospel Solidário”. na província do Bengo, onde a Irmã Joly
A entrada para o espectáculo é grátis, e amigos promoveram um espectáculo
explica a Irmã Joly, exortando as pessoas gospel de beneficência, com a finalidade
a levarem para o evento bens não pe- de “pacificar o espírito” dos reclusos.
recíveis (arroz, fraldas descartáveis, O concerto, realizado num fim-de-
peças de roupa, sabonetes e pasta de semana, conta Joly Makanda, bene-
dentes, entre outros). Os bens arreca- ficiou da parceria com os Serviços
dados vão ser doados ao Hospital Pe- Penitenciários.
diátrico do Camama. Além da Irmã Joly, cantaram para
Os músicos convidados para o espec- os detidos, na Caboxe, Mr. Black, Irmão
táculo já garantiram a sua presença. Tra- Gugu, Irmã Landinha Mawete, Hor-
ta-se da Irmã Sofia, Beth Mambo, Landinha, tência Bengui, Vuvu Esperança, Ben-
Nené Matondo, Clarice Capitão, vinda, Renata Kiala,
Hortência Bengui e irmãs Ben- Levo Paulina, Madale-
vinda e Vuvu e Fifi. “... Podemos na Ribeiro, Papá Merdi,
Fazem ainda parte do elenco recuperar Mama Aziza, Nené Ma-
para o “Show Gospel Solidário” pessoas que tondo, Irmão Kebuela
a Irmã Solange, Sofia Gabriel, estão perdidas e Irmão Reyna.
Isaque Mvemba, Irmão Nelito, no mundo, Joly Makanda consi-
Irmã Gugu, Irmã Madalena, Ir- nomeadamente derou “grande bênção”
mã Cubana, Mamã Zizi, Irmão os indivíduos o facto de ter a oportu-
Kembuela, Mawete Taga, Pastora que pensam nidade de cantar para
Nascy, irmãs Renata, Heraldina, que o seu os reclusos, que, prati-
Bela e Rosário, Missionário Levy sofrimento camente, não desfrutam
e Irmã Paulina. jamais acabará” de um ambiente que lhes
No dia 9 neste mês, o pro- permite desanuviar. De
jecto “Nova Criatura” foi levado acordo com a cantora,
ao mercado do Km 30, no mu- essas actividades ajudam
nicípio de Viana, onde foram evange- na reabilitação mental e no bom ânimo
lizadas mais de 100 pessoas, que dos reclusos, sendo um impulso para
responderam ao apelo do pastor David que eles “acreditem que a vida não pára
Elonga, que ministrou a palavra de aqui.” Informou que espectáculos se-
Deus para uma grande moldura humana, melhantes aconteceram na capital do
na sua maioria vendedoras. país, na Comarca de Viana e na Cadeia
de Kakila, na comuna de Calumbo.
Bom para a comunidade Depois do espectáculo, Irmã Joly e
Honório Nunda, um dos participantes, amigos, que “não se intimidaram” com
afirmou que o projecto deve ser apoia- a chuva que caiu no Bengo, doaram à
do pelo Estado, por ser “um bem para Cadeia de Caboxe bens alimentares de
a comunidade.” primeira necessidade.
As vendedoras foram aconselhadas
a não venderem em qualquer lugar, Carreira artística
para evitar os conflitos com os fiscais. Irmã Joly começou a dar os primeiros
A Irmã Sofia, que participou no evento, passos na música no coral infantil da
valorizou o projecto que tem como ob- Igreja Exército da Salvação, no município
jectivo ajudar a sociedade a resgatar os do Cazenga, em Luanda. Foi incentivada
valores cívicos, assim como a pacificar pelo marido e outros familiares a abraçar
as almas, convertendo-as aos ensina- a carreira musical a solo e gravou, em
mentos de Jesus Cristo. 2011, o seu primeiro CD, “Deus das Ma-
Através da música gospel, segundo ravilhas”, com 12 temas.
a Irmã Sofia, muita coisa pode acontecer. A aposta no gospel, revela a cantora,
“Como por exemplo, podemos recuperar deve-se a uma questão religiosa, “por
pessoas que estavam perdidas no mun- ser uma serva de Deus chamada a evan-
do, nomeadamente os indivíduos que gelizar e a música é um meio de levar
pensam que o seu sofrimento jamais a Boa Nova à sociedade.” A sua inspiração
acabará”, disse. para compor, garante, vem de Deus e
Depois da evangelização, os vende- do dia-a-dia dos luandenses.
dores do Km 30 foram animados pelos O primeiro espectáculo da sua carreira
músicos Irmã Sofia, Nelito Lombe, Devi aconteceu em Janeiro de 2013, no Cine
Lutumba, Isaac Mvemba, Landinha Ma- 1º de Maio, em Luanda. Um ano antes,
wete, Nascy da Silva, Adão Morais, Ca- em 2012, já tinha sido considerada “A
pitão, Levi Pedro, Benvinda, Levo Paulina, melhor cantora gospel”, numa iniciativa
Hortência Bengui, Mamã Ziza, Clara Ca- promovida pela produtora ML3. Irmã
pitão, Irmã Cubana, Honório Nunda, Joly diz ter mil e um motivos para acre-
David Elonga, Papá Merdi, Ngangu Pedro ditar e dizer que apostou na carreira
e a mentora do projecto, Irmã Joly. profissional certa.
4 ENTREVISTA Domingo
24 de Março de 2019

AFONSO MKAKA, ESTUDANTE DE MÉRITO NA POLÓNIA


“Ajudem-nos a ajudar Angola”
Jovem dinâmico, inteligente e ambicioso. Estes são alguns dos adjectivos para qualificar Afonso Mkaka, angolano
estudante da Universidade de Ciência e Tecnologia de Wroclaw, na Polónia. Freeman, como Afonso Mkaka é
conhecido nos meios universitários daquele país, alcançou a nota máxima no curso de mestrado em Gestão e
Engenharia de Produção, que lhe valeu um diploma de excelência. O facto inédito naquela instituição de renome
mundial ganha maior relevância por ter sido alcançado por um estudante estrangeiro, designadamente de África.
Usando as plataformas digitais, o Jornal de Angola entrevistou o jovem Afonso Mkaka, que revelou ao pormenor a
sua vida académica e pessoal. Trata-se da sua primeira entrevista, depois de ter obtido a distinção académica na
terra natal do Papa João Paulo II

Ferraz Neto Provincial dos Estudantes mação de Jornalistas (Ce- mos muito que fazer para nios e muito respeitados, de Wroclaw e na própria Po-
de Luanda (APEL). Em co- fojor), durante dois anos. subir os rankings mundiais. mas o nosso Executivo não lónia. Quais foram os segredos
Fale-nos da sua caminhada laboração com colegas da Posteriormente, ingressei Temos de valorizar, saber diz nada sobre estas pessoas. para este feito?
académica em Angola... APEL, criámos o projecto na Universidade Metodista aproveitar e incentivar os Tão pouco as convida a re- Disciplina, dedicação, su-
Fiz o ensino de base no co- Plano de Férias, para ocupar de Angola (UMA), onde jovens de mérito, pois só as- gressar e integrá-las no mer- peração e comprometimento,
légio São Jorge e o ensino os estudantes durante o pe- frequentei o primeiro ano sim iremos, proporcional- cad o d e t raba l h o pa ra pois a Polónia é um país que
médio no Instituto Médio ríodo de férias com alguma do curso de Engenharia mente, influenciar os demais servirem o nosso país. Como desde muito cedo apostou
Industrial de Luanda, vulgo formação, com o objetivo de Mecatrónica. jovens. Ainda temos um lon- consequência, acabamos por na ciência e tecnologias
Makarenko, no curso de Má- melhorar o seu aproveita- go caminho pela frente, te- aplicar a massa cinzenta para avançadas. Estudar com po-
quinas e Motores, onde des- mento. Outro dos nossos ob- Que avaliação faz do nosso mos motivação, é só ver o o progresso de outros países, lacos, russos, ucranianos,
pertei também a minha veia jectivos era prepará-los para sistema de ensino? número de angolanos que em troca de uma remune- indianos, portugueses e es-
em liderança juvenil. Fui o o primeiro emprego, evitando O Executivo tem envidado estão a alcançar títulos e pré- ração salarial para sobreviver. panhóis foi um grande de-
presidente da Associação assim o desemprego, a de- esforços para a melhoria mios inéditos no exterior do Ajudem-nos a ajudar Angola, safio. Mas, felizmente, com
dos Estudantes e promovi, linquência infanto-juvenil contínua da qualidade de país, com maior realce para pois juntos somos mais fortes. determinação e muita de-
com o meu elenco, várias e a gravidez precoce. Este ensino no país e muito tem o Reino Unido, Rússia, Por- dicação, fui eleito o melhor
actividades de carácter cien- projecto foi um sucesso, des- sido investido, com maior tugal e agora na Polónia. É No ano passado, obteve a nota estudante do curso de mes-
tífico e palestras motivacio- de a primeira edição. For- realce para as áreas das en- hora do Executivo incentivar máxima no curso de mestrado trado em Gestão e Engenha-
nais. Fui secretário para os mámos mais de 12 mil jovens, genharias e da medicina, estas mentes brilhantes. Por em Gestão e Engenharia de ria de Produção. Tratou-se
desportos, administração e de modo grátis. Fui professor seja no interior seja no ex- exemplo, conheço pessoas Produção. Tratou-se de um de uma marca, em toda a
património da Associação de inglês no Centro de For- terior do país. Mas ainda te- que aqui no exterior são gé- feito inédito na Universidade universidade, com a nota
Domingo
24 de Março de 2019 ENTREVISTA 5
máxima. De realçar também O 15 de Dezembro de 2018 e distrações. No princípio, blica quer privada. Manifestei Muitos dos melhores quadros orgulho, tal como tiveram
que, recentemente, terminei é a data em que me foi ou- foi difícil, começando pela interesse, enviei inúmeros africanos acabam por não re- os nossos heróis na luta
o curso de pós-graduação torgado o diploma de mérito. condição climática. Angola curriculum vitae, mas in- gressar ao continente, depois pela independência. Eu
em Gestão de Projetos (curso Representa uma vitória para é um país de clima tropical felizmente não tive nenhuma da conclusão do respectivo quero participar na cons-
que fazia aos fins-de-sema- mim e a minha família, em quente e a Polónia é um país resposta. O que é uma si- curso. Quais são as suas pers- trução da estabilidade so-
na, desde o último semestre, particular, assim como para de temperaturas muito bai- tuação infeliz e constran- pectivas? cial de Angola e ajudar a
enquanto frequentava o os angolanos no geral. Foi a xas. Por outro lado, a questão gedora. Quando vim para Estes quadros africanos colocá-la entre os melho-
mestrado) com a defesa da prova de que o país tem rumo linguística. Esta foi, se calhar, cá, longe da minha zona de não regressam aos países res países do continente.
monografia marcada para e os jovens angolanos não a mais difícil, pois foram conforto, do afecto e carinho de origem por falta de po- Nunca perdi a fé, acredito
Abril próximo. estão perdidos. Ao receber apenas sete meses de aulas da minha família, a missão líticas de gestão de quadros que juntos podemos fazer
o diploma da mão do reitor, de língua e a seguir comecei era formar-me e regressar e de valorização dos mes- mais por esta Angola. Tudo
A discriminação racial tem eu senti o peso da respon- as aulas na universidade com ao meu país com o intuito mos. Acabam por ficar on- o que peço é oportunidade.
sido um dos empecilhos para sabilidade, mas acima de tu- polacos. Grande parte deles de ajudar no seu crescimento de são aceites e tratados
muitos dos estudantes afri- do me senti muito orgulhoso não falava nenhuma outra e sobretudo no seu desen- com dignidade. E esta é Fale-nos da sua família?
canos na Europa. Alguma vez por saber que soube repre- língua estrangeira. No que volvimento. Mas, infeliz- uma característica huma- A minha família é o meu
sofreu discriminação racial? sentar bem o nome do meu toca à gastronomia, não hou- mente, não é esta a resposta na. Longe de egoísmos, o porto seguro. Sou o jovem
Já sofri e foram muitas vezes, país. Este é o ponto mais alto ve muitos problemas de que recebi e continuo a não ser humano está em cons- que sou hoje graças à família
mas sempre as soube gerir. da minha vida académica. adaptação. Não há apoios receber da querida pátria, tante procura de melhores que Deus me deu. Devo tudo
Na última, vez fui ao extremo, em termos institucionais, se a que, apesar de tudo, nunca condições de vida e estes a eles. Em especial à minha
por ter sido atacado. Fiz uma Passou a ser um exemplo para existem eu desconheço. Ape- irei renunciar. quadros não fogem à regra. rainha, a minha querida
denúncia ao Tribunal Pro- muitos estudantes angolanos nas da embaixada, em ques- No meu caso particular, a mãe Dona Paulina, que tudo
vincial de Wroclaw, onde, no exterior. Como foi a sua tões consulares. Durante a nossa conversa pelo minha intenção é voltar fez e continua a fazer tudo
depois de aproximadamente adaptação e que apoios tem Messenger, disse ser amante para Angola e com o meu por mim. Daria tudo por
um ano, aconteceu o julga- recebido em termos institu- Desde a sua distinção, alguma dos desportos? saber ajudar o país no que ela. Ao meu falecido pai,
mento. O veredicto final foi cionais? instituição angolana mostrou Sim. Sou amante de desporto, for necessário. É este o ob- senhor António, agradeço
a meu favor. Venci em tribunal Viver fora do país requer interesse no seu trabalho ou com particular realce para jectivo principal que fez todas as lições de vida. Que
e o agressor foi condenado a uma educação de berço mui- em o contratar? o futebol americano, mo- com que viesse para cá. a sua alma descanse em
nove meses de cadeia. to forte e, acima de tudo, Não. Infelizmente, até a pre- dalidade em que me sagrei Adquirir melhor educação paz. Aos meus irmãos, agra-
comprometimento, respon- sente data, não recebi ne- bicampeão nacional da Re- e ter o maior proveito pos- deço a atenção, o carinho
O que representa para si o dia sabilidade moral e resiliência, nhuma proposta de nenhuma pública da Polónia, pela equi- sível para melhor servir e os ralhetes que valeram
15 de Dezembro de 2018? porque há muitas tentações empresa angolana, quer pú- pa do Panthers Wroclaw. Angola é a meta. Quero ter a pena, obrigado.

DR

O LADO ÍNTIMO DE AFONSO MKAKA


NOME COMPLETO? Afonso António FILHOS? Não tenho.
Kuvetiko Mkaka. COR PREFERIDA? Azul e preto.
LOCAL E DATA DE NASCIMENTO? Luanda, COMO SE VESTE DE SEGUNDA À SEX-
em 12 de Agosto de 1990. TA-FEIRA? Formal.
FILIAÇÃO? António Ngombo Mkaka e AOS FINAIS DE SEMANA? Informal.
Paulina Kuvetiko. PASSATEMPO? Ler livros, ginásio, pro-
SOLTEIRO OU CASADO? Solteiro. jectos filantrópicos e bater papo com
SONHOS? Ouvir o Hino Nacional a ser amigos.
entoado por minha causa. Ter casa FILHOS? Não tenho.
própria, formar uma família e dar à minha ANGOLA O QUE LHE DIZ? Pátria, lar,
mãe o que ela não teve . zona de conforto.
DEFEITOS? Não sei. EQUIPA PREFERIDA EM ANGOLA E NO
VIRTUDES? Comprometimento EXTERIOR? Em Angola, 1º de Agosto e
HOMOSSEXUALIDADE? Leviticos 18:22 no exterior do país, Carolina Panthers
e Romanos 1:21-27. (Futebol Americano).
6 CAPA Domingo
24 de Março de 2019

ROSINHA SAMBO, SAXOFONISTA E FAZENDEIRA


“Também
sou sobrevivente da guerra”
Guerreira é a palavra que serve para definir Rosinha Muila Sambo, angolana com uma vivência cosmopolita. Há uma
década ela trocou os ares da Noruega, depois de ter vivido na Suécia,pelos da Caála, na província do Huambo, levando
consigo o seu saxofone. Amante do Blues, porque carrega a espiritualidade do homem africano, a artista que também
declama e assina como Filha da Fuba Pala-Pala, tem uma história de vida com condimentos para roteiro de cinema

Analtino Santos são introduzidos na arte da Rosinha Sambo recorda-


execução da guitarra e da se bem dos momentos difí-
A música faz parte do seu bateria. Incentivados pelo ceis que o país então
ADN. É bisneta do natura- pai, que herdou do avô o gos- atravessava.Com a guerra
lista e um dos pioneiros da to pela música,criaram o civil, os irmãos foram des-
música angolana Luís Go- conjunto de música moderna tacados em vários pontos do
mes Sambo, distinto homem “A Nave”, formação que na país. O lado bom que guarda
com sangue nobre da realeza altura teve um forte impacto. daquela época é que pôde
Cabinda, que nasceu na Rosinha Sambo afirma conhecer outros ares, no-
Ganda, em Benguela, e foi- que o ambiente musical dos meadamente a terra do Clã
sepultado no cemitério da irmãos não se resumia à cha- Sambo (Cabinda), Huambo,
Camunda, na mesma pro- mada música moderna. O Moxico e outras localidades,
víncia. É facto que apesar Maxinde era outro espaço numa demanda que se cons-
de alguns Sambo terem nas- frequentado pela família. O tituiu numa verdadeira des-
cido no centro-sul do país, pai esteve na inauguração coberta do país real.
a ascendência cabindaneles deste importante espaço de Como muitos jovens da
“fala” mais alto. divulgação das manifestações sua geração, faz uma aven-
Encontramos Rosinha culturais nacionais. Foi nesta tura pelo exterior país. Depois
Muila Sambo um dia depois casa que Rosinha ganhou o dos habituais países prefe-
da celebração do centenário gosto pelo palco, para onde renciais dos angolanos, opta
do pai, José Ambrósio Sam- subiu aos 4 anos, pela pri- por viver na Suécia, primeiro,
bo, no último 5 de Março. meira vez, para cantar“Atirei onde faz uma formação mu-
Oseu aspecto jovial e os o pau ao gato”... sical em Vergen. Por fim, vai
“dreadlocks” disfarçavam viver para a Noruega, reen-
os seus mais de meio século Ano trágico contrandolá o equilíbrio para
DR
de vida. Ela fez questão que O ano de 1974 foi trágico para apostar forte na música. Fo-
a nossa conversa aconte- Rosinha: perdeu os pais e ram mais de duas décadas
cesse numa unidade hote- um irmão num acidente de fora da pátria, com regressos
leira no meio do Rangel. E viação. Os irmãos Luís Sam- para curtas férias.
a narrativa da sua vida, pela bo, 21 anos na altura, era es-
sua própria voz, foi se de- tu d a nte d e m e d i c i n a , e Memória da guerra
senrolando naturalmente. Eduardo Sambo, 17, tiveram Rosinha Sambo quando vi-
que assumir o cuidado das nha aopaís nas tais curtas
“Eu gosto do duas irmãs mais novas, Ro- férias era envolvida pelo am-
Rangel e deste sinha e Manuela. biente da guerra. Mas não só
espaço. Aqui as Nem mesmo a circuns- quando vinha ao país.
pessoas são tância triste os afastou da “Vocês não sabem o mal
puras. Antes eu música. Na época o ambiente que a guerra provocava para
ficava noutros em casa era frenético, com quem estava fora do país.
espaços, mas estudantes de medicina e de Nós também sofremos e
depois de direito, dentre outros jovens fomos tão vítimas dela
descobrir o da urbe luandense, a marcar como quem esteve aqui.
Capirica, esta presença nas festas de ani- Também somos órfãos
passou a ser a versário, debates e outras da guerra e isto transfor-
minha casa em aventuras próprias da idade. mou-me numa sobrevi-
Luanda e o Com nostalgia e satisfação, vente da guerra”.
Rangel o meu Rosinha Sambo sente-se feliz O clima ficou meio tris-
bairro” porque muitos desses jovens te, mas pela primeira vez
hoje são cidadãos honrados ela pegou no seu saxofone
e têm responsabilidades nas e soltou umas notas, mar-
“Eu gosto do Rangel e várias áreas do país. Rosinha cando o regresso da alegria.
deste espaço. Aqui as pes- faz um à parte paraSilito, o “Na Noruega tocava em vá-
soas são puras. Antes eu fi- jornalista Victor Silva, actual rios eventos com bandas,
cava noutros espaços, mas PCA da Edições Novembro. essencialmente, de Blues,
depois de descobrir o Ca- Com o passar do tempo, mas também Jazz e outros
pirica, esta passou a ser a os irmãos procuraram afas- estilos”. Reconhece que o
minha casa em Luanda e o tá-la dos meios musicais, amigo nigeriano Big Sunny
Rangel o meu bairro.” mas às escondidas ela tirava abriu-lheas portas para
Mas atenção: ela nasceu o instrumento que viria a um outro público, li-
nas Ingombotas, bem de- ser a sua grande paixão, o gado ao meio das lu-
fronte à sede do Governo de saxofone, e saía por aí a tocar. tas de boxe, onde
Luanda. A sua infância foi Nos anos 1980 conhece,por com o seu saxofone
vivida entre Luanda e a Caá- intermédio de Eduardo Sam- tocava melodias da
la. A música entrou “sem bo, intimamente conhecido música moderna
licença” na sua vida. “O pai por Mano Baby,os integrantes nigeriana,em par-
tinha uma banda e tocava do Afra Sound Star e, nesta ticular, e africana
em vários pontos de Ango- formação musical, passa a em geral. Confi-
la”, relembra. interpretar sucessos de Al- denciou-nos que
A música não era apenas cione como “Cajueiro Velho” de Abril a Junho
o único meio que o pai usava e, em determinados mo- próximos deixa o
para curar almas. O trata- mentos, chega a ser bailarina: país para honrar
mento com ervas era a outra Rosinha Muila Sambo é a compromissos
forma encontrada por ele Deysi dos Afra Sound Star, de actuação
para curar corpos e mentes. que chegou a actuar em pal- no exterior.
Ainda é miúda quando os cos como o do cine Karl Marx,
irmãos Xenofonte Pedro, em Luanda, e em eventos da
Luís Gomes e Eduardo Sambo comunidade cubana.
Domingo
24 de Março de 2019 CAPA 7

Viver na Caála quem lá vive sente o real la como artista: no final


Farta de viver em solo es- significado da saudação”. do ano passado foi convi-
trangeiro, optou pelo re- Na Caála Rosinha Sambo dada pelas autoridades lo-
gresso definitivo a Angola recupera a fazenda onde o cais para uma recepção,
e escolheu, para viver, a pai preparava as ervas me- onde apresentou vários te-
terra que sempre esteve no dicinais. Diz que há 10 anos, mas do seu reportório. E
seu imaginário: Caála, na com o apoio do seu conse- ela reitera que o Oviwemba
província do Huambo. Longe lheiro, o Soba Jeremias, e Sambo Teatro é mesmo
dos grandes centros urbanos amigos da comunidade lo- uma prioridade. “Depois
e dos ambientes mais cos- cal, está a reerguer a Fa- da minha digressão euro-
mopolitas e superficiais, zenda Oviwemba Sambo. peia finalizarei este pro-
voltou a apaixonar-se pela A palavra Oviwemba, sig- jecto, que tem sido uma
hospitalidade e sinceridade nifica medicamento, não das principais razões da DR
do meio rural. deu apenas o nome à fa- minha vida”, afirma ela,
A sensibilidade artística en- zenda, mas também ao an- que em maré de confidên-
sinou-a a valorizar os afectos fiteatro que está na fase de cias faz uma outra reve-
que resultam do convívio conclusão, o Oviwemba lação: um dos seus sonhos
no ambiente bucólico.“Lá Sambo Teatro, que servirá é ser sepultada, quando
não há um mero ‘bom dia’, a comunidade oferecen- morrer, no cemitério da
as pessoas saúdam umas às do-lhe atractivos culturais. Cangola, no bairro Man-
outras com emoção, param. Rosinha além de fazen- gombota, onde está situada
É difícil de descrever, mas deira já se fez notar na Caá- a fazenda.

“No Rangel
eu sinto música”
Mas, como dissemos acima, falou também das suas te do homem. Este tema
a conversa com Rosinha grandes referências musi- foi retomado pela sobrinha,
Sambo decorreu bem longe cais internacionais: Manu Clélia Sambo, filha do ir-
da amada Caála, a cidade Dibango, Francó, John Col- mão Eduardo Sambo, numa
onde a rua principal tem traine e Louis Armstrong. obra discográfica.Outros
como monumento uma ma- No país, além dos clássicos temas são “Filha de Al-
çaroca. É no Rangel, em do antigamente, gosta muito guém”, feito na Noruega e
Luanda, onde estamos a do trabalho de Sanguito. E que tem uma carga auto-
conversar. A nosssa inter- como “sangue puxa sangue” biográfica. Tem ainda “Sha-
locutora faz um paralelismo tem admiração pela veia ka Shaka”, tema mexido e
entre as duas localidades. musical dos irmãos Xeno- engraçado, uma homena-
“Eu na Caála acordo com os fonte, Luís e Eduardo. E gem ao prato cabindense
sons dos pássaros, dos bois destaca o pai como sendo saca-folha.
e outros sons puros da na- o músico mais importante A “Dança do Petroleiro”,
tureza. Aqui, de modo di- da sua vidaartística. feito na praia de Fútila, é outro
ferente, também tenho sons tema que ela faz questão de
puros: o grito das zungueiras recordar. Dentre outros sons,
e os barulhosda vizinhança “Eu na Caála está sente-se entusiasmada
a acordar são diferentes dos acordo com os por ter composto“Canto da
de outras zonas da cidade. sons dos Zungueira”,que é reflexo da
Aqui sinto música”. pássaros, dos vivência no Rangel.
Um outro aspecto que bois e outros sons Sendo a família impor-
foi determinante para a es- puros da tante na sua vida, ela fala
colha do Rangel é a coabi- natureza. No com com orgulho e emo-
tação entre uma casa de Rangel, de modo çãoda trajectória que os fi-
madeira, tipo de construção diferente, lho s têm trilhado : Kali
antiga que marca muitos também tenho Sambo évocalista da Opus
musseques de Luanda,e o sons puros: o Big Bang, uma formação
novo edifício da Pousada grito das norueguesa que tem ex-
Capirica. Rosinha reco- zungueiras e os cursionado pela Europa e
nhece que esta imagem dos barulhos da Remi Sambo, além de tocar
musseques no passado a vizinhança a piano, ensina a tocar este
ajudou a manter-se viva e acordar são instrumento com base na
com esperança. diferentes dos de sua formação clássica.
“Quero ser fotografada outras zonas da Um outro momento de
com este cenário. Esta casa cidade” ligação familiar, mas car-
de madeira lembra-me a regado de tristeza, aconteceu
da minha avó, Helena Sam- durante a conversa,quando,
bo, também conhecida co- Não é por acaso que no por acaso, foi cantado um
mo Helena Homem, que seu reportório a primeira trecho da canção da Clélia
no Marçal recebia jovens música é “Saudades da Ter- Sambo que fala de um epi-
como o Bonga, o José Bar- ra do Enclave”, uma com- sódio familiar e da sobrinha
celô de Carvalho, afilhado posição que o pai, José Beatriz, que faleceu há dois
do meu pai de crisma e seu Ambrósio Sambo, fez para anos.No final, Rosinha Sam-
chará, José”. o avôLuís Gomes Sambo, bo reiterou a vontade de
A senhora que adora so- depois de receber o tele- participar activamente no
prar Blues no seu saxofone grama dando conta da mor- desenvolvimento do país.
8 REPORTAGEM Domingo
24 de Março de 2019

FONTE NATURAL EM MBANZA KONGO

Água Santa agora é


“santuário” de lixo
“Santa”, a fonte de água localizada no bairro Cazanga, arredores da cidade de Mbanza Kongo, era um recanto
pitoresco, rodeado por uma paisagem de encantar qualquer um. A fonte continua a ser uma das alternativas da
população na busca pelo líquido precioso. Mas está quase inacessível e “dominada” pelo lixo

EDIÇÕES NOVEMBRO

Fernando Neto | Mbanza Kongo condições higiénicas pre- vincial realizou trabalhos de de salvação” para a aquisição truído no local uma central quantos fragmentos metá-
cárias, resultantes do acú- terraplanagem.De lá para cá de água potável. Daí que ape- de captação que assegurava licos e escombros da estru-
mulo de lixo.É um verdadeiro o que era uma rua tornou-se sar do acesso precário as o bombeamento de água à tu ra . A ad m i n i st ração
A situação contrasta com a atentado à saúde pública. um caminho “serpenteado” pessoas vão à fonte com os cidade. Mas o município de municipal construiu, na fon-
beleza paisagística do local. Outro problema é o estado coberto de capim.O caminho seus baldes à cabeça.No tem- Mbanza Kongo registou um te, uma cabine de lavagem
Considerado “sagrado” de- lastimável da via de acesso sofreu várias erosõescausadas po chuvoso já chegou a haver crescimento demográfico de roupa, para facilitar a vida
vido à pureza da sua água, ao local. A situação já se arrasta pelas águas pluviais, tornan- mortes e ferimentos e a po- acentuado, que inviabilizou às senhoras que vão ao local
a Santa engloba o conjunto há vários anos e é de tal modo do-se perigoso ir ao local no pulação tem feito apelos às a continuidade do projecto. desenvolver tal tarefa.
de 12 fontes monumentais grave que o acesso de viaturas tempo chuvoso. autoridades da província pa- O local está subaprovei- O regedor do Bairro Ca-
de Mbanza Kongo. O estado é impossível. Uma intervenção Isso, naturalmente,difi- radar solução ao problema. tado. Do antigo conjunto de zanga, António Matumona
de abandono a que aludimos de realce aconteceu em culta a vida dos habitantes No período colonial, na equipamentos de captação Vanza, está esperançoso que
acima tem a havercom as 2009,quando o Governo pro- que têm na fonte a “tábua década de 1960, foi cons- da água restam apenas uns a Administração Municipal
Domingo
24 de Março de 2019 REPORTAGEM 9
vá colocar “um dia destes” a mais concorrida. “Neste ancião recorda, com muita
contentores para facilitar o momento temos muitas di- tristeza, que no passado, ao
depósito e a recolha do lixo. ficuldades, porquanto a po- contrário de hoje, era mais
“Levámos também ao co- pulação dos bairros Cazanga, fácil moralizar a sociedade
mando municipal da Polícia Álvaro Buta e parte do Mar- para a realização de campa-
Nacional a preocupação sobre tins Kidito dependem da nhas de limpeza e manu-
a segurança das populações água da Santa, situação que tenção da higiene dos locais
que diariamente acorrem à embaraça a higiene do lo- de interesse comum.
fonte da Santa, devido aos cal”, explicou o regedor “Recebemos promessas
jovens que fazem uso de António Matumona, visi- das autoridades administra-
liamba no local, ameaçando velmente agastado com o tivas a dizer que a fonte da
as senhoras”, disse. problema. Santa, assim como a via de
Segundo o regedor do António Matumona Vanza acesso, seriam reabilitadas.
Bairro Cazanga,a população tem perfeita consciência da Até agora tudo está em pro-
adquire também a água- importância vital da água. jecto, sob a alegação da falta
noutras fontes de menor di- Ele defende os maiores cui- de verbas”, disse o regedor
mensão, como são os casos dados para evitar a conta- da Cazanga, localidade que
do Massangalavua e Ntuas- minação da água por conta actualmente com uma
safu. Mas a fonte Santa, de- micróbios que podem perigar população estimada em
vido ao seu caudal, é mesmo a saúde dos habitantes. O 15.616 habitantes.

Esperança renovada

EDIÇÕES NOVEMBRO
Decorre actualmente na ci- 2000 metros cúbicos. As obras e Bulungu. O financiamento
dade de Mbanza Kongo acons- a cargo de duas empresas e as obras, segundo a nossa
trução da nova central de chinesas, nomeadamente a fonte, estão inseridos no pro-
captação e tratamento de CTCE e a BITEC. jecto que levou a cidade à
água. As obras remontam a A rede de distribuição da categoria de Património Cul-
Abril de 2017. A população água já está terminada e neste tural da Humanidade.
está expectante, já que o tér- momento decorre a emprei- O responsável do sector de
mino da empreitada está pre- tada da montagem de torneiras Águas e Energia da Adminis-
visto para Abril do ano corrente. domiciliares e respectivos con- tração Municipal de Mbanza
“A esperança da população tadores. O projecto prevê qua- Kongo, Pedro Tomás Divaíka,pe-
de Mbanza Kongo está reno- tro mil ligações domiciliárias, de calma à população,tendo
vada em termos de abasteci- além de 129 chafarizes. em conta que os preparativos
mento de água potável, ajulgar A Administração Municipal da empreitada já decorrem.
pela construção da nova cen- de Mbanza Kongo confirmou “Temos o levantamento
tral de captação de água”, à nossa reportagem que tem de todos os recursos hídricos
disse o regedor António Ma- financiamento para requa- da nossa região, desde furos
tumona Vanza. lificar, com data de início de água, fontes naturais e
O projecto da nova central das obras não revelada, as cacimbas.A requalificação
inclui um reservatório elevado fontes de água da Santa, vai permitir um melhor apro-
com capacidade para 1000 Tembende, Massangalavua, veitamento destes recursos”
metros cúbicos e outro de Ntetembua, Madungu, Kilaza elucidou.

EDIÇÕES NOVEMBRO
10 CRÓNICA DE DOMINGO Domingo
24 de Março de 2019

“DEBAIXO DE PEDREGULHOS”
No mato não matabichamos à noite!
Tia Tonha, coragem no negócio da kapracinha era só dela, mesmo com a vida difícil, a pôr os filhos a
dormir com os primos debaixo da mesa, que recebia as cadeiras depois do jantar, amparou-os
e coabitaram aquela casota de pau-a-pique de apenas dois minúsculos compartimentos

Soberano Kanyanga debaixo da mesa, que recebia lata de leite, com todas as DOMBELE BERNARDO | EDIÇÕES NOVEMBRO

as cadeiras depois do jantar, suas consequências odo-


amparou-os e coabitaram rentas numa casa pequena,
Naquela guerra de 1993 que aquela casota de pau-a-pique era a solução.
quase não poupou nenhuma de apenas dois minúsculos Todos já conheciam a si-
bwala, nem vila, nem cida- compartimentos. tuação e perdoavam-se mu-
de, Miguelito, os seis irmãos tuamente. Às vezes, um
e os primos foram “empur- vizinho entrava para o banho
rados” para Luanda. A vida “A latrina era e o outro tinha emergência
de dormir dia sim, semana única, num estomacal. Soltava a senha,
também na mata, debaixo um assobio, e o outro dispen-
quintal comum
de pedregulhos, feito can- sava a latrina. Até os vizinhos
ta-pedra ou homem das ca-
de 5 famílias do outro quintal também já
vernas, estava custosa para e perto de 50 conheciam a senha para eva-
Sá Zefa e Sô Manel que ten- pessoas. Quando cuar a “casa das sentinas” e
taram, ainda, mandar os fi- chegasse o facilitar o aflito. Por isso, todos
lhos e sobrinhos à tia Tonha, momento de cooperavam.
irmã kasule de Sô Manel, esvaziar a bexiga - Mana Tonha, tanto so-
conhecida por todos como ou ir “às frimento então, marido da
“a tia única, em Luanda, de sentinas” era tropa ainda não veio, embora
bom coração”. bicha e, muitas os outros tenham sido já des-
E todos, naquele tempo de vezes, o bacio de mobilizados, essas crias todas
comida difícil, foram se amon- lata de leite era que te chegaram são de que-
toar em casa da tia que já tinha a solução” nhê? - Indagava a vizinhança,
suas quatro bocas e, ainda por sobretudo aquela que só ouvia
cima, com marido que não falar de guerra na rádio, nos
tinha voltado da tropa, não A latrina era única, num filmes do Cine Ngola e na te-
se sabendo se sobreviveu ou quintal comum de 5 famílias levisão de ir se apertar na rá aquela “creche”. - Sobrinho Miguel, você riço e chá. Ferve já a água e se
já era defunto. Mas ela, tia To- e perto de 50 pessoas. salinha do vizinho Bernardo. Certo dia, o negócio não ti- que é o mais velho, acende ajeitem com, o bocado que há.
nha, coragem no negócio da Quando chegasse o mo- - São filhos do môrmão nha dado lucro. Pior, não tinha o carvão para fazer chá. Hoje - Ó tia, se for só pão com
kapracinha era só dela, mesmo mento de esvaziar a bexiga mais velho. São mô sangue recebido compradores e, para o jantar é pão com chá. chá, sem funji, deixa estar.
com a vida difícil, a pôr os fi- ou ir “às sentinas” era bicha puro. - Dizia, quando era matar a fome, só mesmo pão - Pão com chá, tia?! Nós, no mato, não andámos
lhos a dormir com os primos e, muitas vezes, o bacio de questionada sobre onde sai- com chá e óleo de chouriço. - Sim, pão com óleo de chou- matabichá à noite!

COMER EM CASA

Rocambole de carne Bolo de cenoura Leche frita


com batatas Ingredientes Ingredientes
• 2 chávenas de farinha de trigo; • 2 chávenas de leite;
Ingredientes • 2 chávenas de açúcar; • 50 gr de maizena;
• 600 gr de carne moída; • 1 colher de chá de fermento de bolo; • ½ chávena de açúcar;
• 2 ovos e 2 dentes de alho (triturados); • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio; • ½ colher de chá de canela em pó;
• 1 cebola (picada); • 1 colher de chá de canela em pó; • raspa de 1 limão;
• ½ chávena de pão ralado; • 3 chávenas de cenoura (finamente ralada); • 1 ovo (batido);
• sal e pimenta a gosto; • 1 chávena de óleo; • pão ralado.
• 2 colheres de salsinha (picada). • 4 ovos (batidos).
Recheio
• 200 gr de queijo mozarela;
• 150 gr de presunto. Preparação
Cobertura Preparação Misture os primeiros 5 ingredientes e leve ao
• 1 chávena de molho de tomate. Peneire a farinha, o fermento, o lume. Leve à fervura mexendo sempre e ferva
bicarbonato e a canela para durante 3 minutos. Passe por uma peneira
Preparação dentro duma tigela. Adicione o para dentro duma forma de 18x18 cm. Deixe
Numa tigela coloque a carne moída, os ovos, o alho, a açúcar e misture bem. Misture os arrefecer. Vire a forma retirando a massa. Corte
cebola, o pão ralado, o sal, a pimenta e a salsinha. ovos com o óleo e as cenouras. em quadrados de 3x3 cm, vire no ovo e depois
Misture muito bem todos os ingredientes. Coloque Combine as duas misturas e deite em pão ralado. Frite em óleo quente até
tudo em papel aderente. Antes, por cima, coloque em formas untadas, de 22 cm de alourar. Escorra o óleo e polvilhe com canela e
uma camada de queijo, presunto ralado e outra de diâmetro. Asse em forno médio açúcar. Sirva mornos.
queijo. Depois enrole e guarde na geleira por 30 ((180ºC) por 30-35 minutos.
minutos. Retire e ponha numa forma untada, despeje
molho de tomate e leve ao forno pré-aquecido a 180ºC
por 30-40 minutos. Acompanhe com batatas pré-fritas.
Domingo
24 de Março de 2019 CINEMA 11
FICHA TÉCNICA
Título
Réplicas

Lançamento: 2018

Gênero: Ficção,
Drama

Duração: 1h40

Director: Jeffrey
Nachmanoff

EM EXIBIÇÃO
Cinemax
Talatona
Nova Vida
Kilamba
Horas: 13h20
segunda a sexta-feira

ALUSÕES “RÉPLICAS” ALTOS +


Imortalidade Argumento
A busca pela vida eterna,
sem ter de esperar pelo tão
Um suspense dramático para debate
aguardada paraíso divino,
ainda é uma das maiores lu-
tas da ciência moderna, as-
sim como a indagação das
sobre o limite da ciência “Réplicas” não vai ser um
êxito de bilheteira. O público
espera muito mais efeitos
especiais num filme de fic-
origens da humanidade. A ção científica. Mas, apesar
forma de se chegar até essa
Apesar de não ser um futuro êxito de bilheteira nos cinemas, a nova desta falha, tem tudo para
imortalidade tem gerado produção de Jeffrey Nachmanoff abre as portas para um debate ser o retomar de um debate
inúmeros debates ao longo esquecido. A clonagem humana e a possibilidade da antigo sobre um tema há
dos últimos séculos. Desde muito ignorado, devido a
a clonagem, o mais recente imortalidade, assim como os seus riscos questões mais imediatas. O
“Deus Ex-machine” desco- texto argumentativo do dra-
berto pela ciência (apesar ma leva qualquer um que o
de ainda estar limitada aos Adriano de Melo apresentadas, como o papel assistir a reflectir sobre a
animais), o homem tem pro- da consciência, ou o uso linha ténue entre o certo e o
curado diversas formas de da clonagem humana, vol- errado, assim como ter uma
viver eternamente. O único Até onde a ciência pode tam a trazer a tona temas noção das consequências
problema é a linha divisória chegar? Quais os limites que já geraram muito debate das nossas escolhas.
entre o certo e o errado para que devem ser impostos entre a ciência e a religião.
se chegar a tal feito, que
muitas vezes é ignorada.
aos cientistas, de forma a
respeitarem a evolução na-
tural da humanidade? Estes
dilemas, que já existem
Quem sabe, com o avan-
ço das novas tecnologias e
a da engenharia genética,
o realizador Jeffrey Nach-
BAIXOS -
desde a época de grandes
pensadores e naturalistas,
como Charles Darwen, e
manoff não esteja a preparar
o público para o futuro e a
voltarmos a cogitar a pos-
Enquadrar
Tecnologia sempre geraram muita
controvérsia social. Com
sibilidade de termos ou não
uma linha ética, que nos as cenas
base nesta premissa o rea- impeça de evoluirmos além
O medo da mudança causada lizador Jeffrey Nachmanoff Keanu Reeves vive o neurocientista William Foster do natural. O pior num filme é existirem
pela evolução da ciência, já dá ao público o seu novo Um argumento chamou muitos maus enquadramen-
foi questionada em filmes, filme, “Réplicas”. atenção durante o filme. O tos. O público de hoje já não
em diversos géneros, desde Com Keanu Reeves, co- protagonista, William Foster é o de ontem e os pequenos
dramas, ficção, acção até mo protagonista, um rosto quais as consequências no campo da ficção cien- (Keanu Reeves), diz a es- detalhes, como por exemplo
mesmo na comedia. “Homem conhecido do cinema, em que podem advir quando tífica, cujos efeitos especiais posa Mona Foster (Alice um dos actores estar a san-
versus Máquina”. Geralmente especial no campo da ficção o homem decide exercer as tornam uma “obra de Eve) que ao longo da história grar no braço esquerdo nu-
é a predominância da primeira científica, pelo seu desem- o lugar de Deus. arte” da sétima arte, a che- da humanidade todos os ma cena e de repente já não
que acontece. Actualmente penho em “Matrix”, o filme Com diálogos muito bem gada de “Réplicas” vai levar avanços feitos pela ciência está, actualmente não pas-
em muitos países já se começa “Réplicas” aposta muito construídos, mesmo com muitos fãs do género a re- foram constestados, mas sam despercebidas. Para
a debater a dependência da forte na premissa da vida a produção e efeitos visuais pensarem sobre a má qua- anos depois aceite por todos. muitos espectadores é um
humanidade das maquinas pós a morte e na possibi- a ficarem muito além da lidade do que Hollywood Ele chega até a ir mais além sinal que a produção ou o
e os seus riscos. Na literatura lidade da ciência ser a so- expectativa, “Réplicas”, ainda oferece. ao dizer que não importa realizador não se importa-
e até mesmo entre os cien- lução para a mortalidade que está em exibição nas Mas, se formos esquecer os sacríficios ou quem sofra, ram com o seu público. Em
tistas muitas têm sido as aná- da humanidade. salas do Cinemax, onde es- a importância dos efeitos desde que se atinja a meta. “Réplicas” temos algumas
lises sobre as consequências Porém, ao longo do fil- treou dia 15, tinha tudo para especiais, e nos atermos “Os primeiro paciente com cenas do género, como a da
às futuras gerações sobre me renasce a “velha ba- ser um êxito de bilheteira, mais ao enredo do filme transplante cardíaco so- queda do carro que provo-
este avanço tecnológico. Al- talha” entre a moralidade mas pecou, em grande par- podemos descobrir uma breviveu por 18 dias. Ele cou a morte da família do
guns antevêem um futuro do que é certo ou errado te, pela simplicidade nos obra de arte sobre as con- sofreu. Isso está errado?”, protagonista. Este é um dos
brilhante. Mas outros ainda e até onde se deve esta- efeitos especiais. Numa sequências da tecnologia argumenta. “Réplicas” é erros que filmes de ficção
estão cépticos. belecer um limite para a época em que surgem no e até onde esta pode nos um bom filme para ver pelo não podem cometer.
inteligência humana ou cinema grandes produções levar. As questões morais seu argumento.
12 Domingo
24 de Março de 2019

PUBLICIDADE

Kikolo - Sociedade Industrial de Moagem, S. A.


Rua do Kikolo, sem número
Bairro do Kikolo, Distrito do Cacuaco

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE NOTÍCIA FALSA DIVULGADA PELO


SÍTIO “INFORMATIVO” DENOMINADO CLUB-K.NET.
Com o objectivo de informar devidamente a opinião pública, somos por pendeu vários milhões de dólares dos Estados Unidos da América, sem
essa via a proceder ao competente esclarecimento neste jornal de maior recurso a único centavo do erário e sem apoio de nenhuma entidade do
circulação e credibilidade: Estado.

No passado dia 20 de Março de 2019, o sítio pseudo informativo deno- 8. Ainda recentemente, o Ministério da Indústria visitou a fábrica da KI-
minado “Club-K.net” divulgou uma notícia falsa intitulada“ Farinha de trigo KOLO e comprovou “in loco”, o avultado investimento que realizámos na
"Kianda" pode colocar em risco a saúde pública - AADIC”. construção da nossa moagem com capacidade de produção de farinha
de trigo de 1.200 (mil e duzentas) toneladas /dia.
1. A “notícia” divulgada pelo “Club-K.net” a respeito da farinha produzida
pela KIKOLO - Sociedade Industrial de Moagem, S. A. é completamente 9. Para que dúvidas não subsistam quanto à grande qualidade da farinha
falsa. “Kianda”, convidámos diversas entidades públicas, nomeadamente, o Ins-
tituto Nacional de Defesa do Consumidor “INADEC” para que possam
2. A KIKOLO - Sociedade Industrial de Moagem, S.A. já deu instruções
comprovar, por si mesmas, a qualidade da nossa farinha.
aos seus advogados para processarem o “Club-K.net” e os autores da
“notícia” falsa em referência, para exigir dos mesmos a indemnização dos 10. A falsa “notícia” publicada pelo “Club-K.net” não tem o objectivo de
danos patrimoniais e não patrimoniais sofridos pela empresa, em conse- informar o público, mas o de disseminar uma falsidade grotesca, com o
quência directa da referida “notícia”. objectivo de tentar aniquilar a marca comercial “Kianda” em benefício de
outros interesses comerciais. Cabe às autoridades de investigação cri-
3. A farinha “Kianda” cumpre todos os requisitos legais de que depende
minal apurar a verdade dos factos e o que se esconde atrás desta “notí-
a sua produção e comercialização, nomeadamente, os requisitos sanitá-
cia” falsa. Da nossa parte, manteremos a nossa total disponibilidade para
rios, de fitossanidade e de segurança internacionalmente estabelecidos.
cooperar com as autoridades competentes.
4. A farinha “Kianda” é produzida a partir de trigo duro importado de vá-
11. Regista-se o afã do “Club-K.net” de publicar a “notícia” falsa em re-
rios países produtores que constituem referência internacional na produ-
ferência, sem ter tido o cuidado de ouvir a KIKOLO. Em nenhum mo-
ção do referido cereal.
mento, fomos contactados pelo “Club-K.net” para prestarmos qualquer
5. O cumprimento pela farinha “Kianda” de todos os requisitos sanitários, informação a respeito deste assunto, o que é manifestamente estranho
de fitossanidade e de segurança internacionalmente estabelecidos é com- e pouco ou nada deontológico. Um jornalismo minimamente objectivo e
provado pela emissão de vários certificados por entidades diversas e in- sério pressupõe que os visados com uma “notícia” desse tipo, sejam pre-
dependentes entre si, nomeadamente, certificados fitossanitários, viamente ouvidos e que haja o cuidado prévio de a publicação se munir
declarações de origem e atestados de verificação. Todo o processo é su- com todos os dados relevantes para informar o público com verdade, ob-
perintendido por diversas entidades públicas, que garantem a supervisão jectividade e seriedade.
do cumprimento de todos os requisitos legais pela farinha “Kianda”.
12. Sem prejuízo desta Nota de Esclarecimento, a KIKOLO exercerá o
6. Uma vez importada a matéria-prima, o ciclo de produção do trigo obe- seu direito de resposta e demandará, em sede própria, os autores da “no-
dece a um fluxograma rigoroso que comporta várias fases: tícia” falsa.

a) Recolha do trigo para os silos de cimento;


b) Processo de limpeza do trigo, para retirar todas as impurezas;
c) Colocação do trigo em humidicidade, em água, durante 24 horas em
repouso para separar o trigo da casca;
d) Depois de 24 horas, surge o 2.º processo de limpeza, em que se retira
do trigo a casca, o farelo e eventuais bactérias que possam existir e, por
sua vez, encaminhada para o moinho;
e) Depois desta fase, o trigo é encaminhado para a primeira máquina da
moagem na máquina B1 e seguidamente encaminha para as outras má-
quinas para retirar a quantidade e qualidade de farinha necessária;
f) Depois o trigo é encaminhado para a máquina de separação do trigo,
do farelo e da cebolinha, seleccionando a farinha a ser produzida;
g) Depois a quantidade de trigo a produzir, vai para uma das máquinas
e por sua vez encaminhada para os silos até o seu final culminando com
GABINETE DA DIRECTORA JURÍDICA DA KIKOLO - SOCIEDADE
o ensaque da farinha.
INDUSTRIAL DE MOAGEM, em Luanda, aos 21 de Março de 2019.
7. A fábrica da KIKOLO integra máquinas industriais de última geração,
A DIRECTORA JURÍDICA
em estado completamente novo, que cumprem todos os requisitos de hi-
giene e de segurança alimentar. Na sua aquisição, a nossa empresa dis- Arieth Lutz Mendonça
(304)
Domingo
24 de Março de 2019 13
PUBLICIDADE

(700.012)
14 CRÓNICA Domingo
24 de Março de 2019

HUAMBO

A cidade do verde que cativa


Huambo não é a cidade berço da humanidade. Despertou tarde da letargia dos tempos. Ainda assim, herdou da mãe
natureza um figurino geográfico ímpar que a coloca acima de outras cidades que o planeta viu surgir, mais a mais,
porque nasceu em berço único, o planalto central, um pedestal que lhe permite impor-se, e, garbosamente,
mostrar ao mundo a sua beleza sem igual

Guimarães Silva / Huambo EDIÇÕES NOVEMBRO

A cidade tem um verde que


cativa, uma mistura vegetal
que combina árvores, ar-
bustos, relva, capim; só mes-
mo o traçado asfáltico impede
que a confundamos com um
gigantesco campo de golfe.
Os eucaliptos das Cacilhas,
Bom Pastor, Feira eParque
da Cultura continuam parte
do espectáculo e componente
de bloqueio aos ventos.
Os pinheiros, se bem que
tímidos, porque jovens,
plantados um pouco pela
parte alta da cidade, ainda
não passeiam a classe da-
quelas; se bem que coloca-
das estrategicamente em
zonas de excelente visibi-
lidade, a exemplo dos ar-
redores da biblioteca, num
futuro breve, vão igualmente
dar o ar da sua graça, afinal
de contas o Huambo tem
um subsolo que alimenta
bem todo o vegetal.
A capital do planalto cen-
tral tem de seu um cântaro
próprio, as chuvas. Neste
Março estão tão intensas que
desafiam as intenções de
quem quiser sair a pé para
se mostrar e mostrar o swag.
Tão intensas, alimentam
o verde da cidade, irrigam
os solos da produção da co-
mida, muita comida, devido
ao esforço que mulheres e Hoje, em locais escolhidos, ainda assim, jovens e graúdos de luta e deentrega às con- dois. Há quem escolha a conduto são inseparáveis.
homens(dizem que em Mar- devido a visibilidade, a ci- cristalizam conhecimentos fissões religiosas. A cidade motorizada. Enfim, o trato O número de camas para
ço a ordem é precisamente dade mantém a tradicional por baixo dos eucaliptos das desperta cedo. A preparação do físico é igualmente parte albergar os visitantes cres-
esta) despendem para obter calçada de pedra com ár- Cacilhas, jardim da cultura física obedece à vontade de integrante da cidade. ceu. A qualidade dos ser-
proventos da terra, com o vores ornamentais, numa e outros locais de assumida cada um. Há quem caminhe Huambo tem fama de ser viços é sempre “aquela”
milho no comando da quan- junção do belo e do agra- tranquilidade matinal. a pé para o trabalho ou ou- hospitaleira. De ser deten- questão. Depende do es-
tidade, a batata rena da Ca- dável. Huambo é, pois, ume- No Huambo paira a acal- tros afazeres. Há quem pre- tora de quitutes de exce- mero, do bom gosto do pro-
lenga, boa em qualidade, a xemplo de cidade verde. mia, o respeito, o espírito fira a corrida isolada ou a lência, onde o pirão e o prietário e funcionários.
batata doce (de colorações A capital do planalto cen-
EDIÇÕES NOVEMBRO
alaranjada, vermelha, branca, tral é igualmente um pleno
lilás e amarela). A goiaba apa- de contrastes, com uma nova
rece em grandes quantidades. urbanização tímida, uma
O loengo sempre loengo, a periferia que já assusta pelo
nêspera ainda está verde, tamanho e “aquelas” cons-
mas promete. A ginguba, o truções com alguns becos,
alho, enfim, é muito produto como nas localidades da
vegetal para enumerar. Camussamba, São Luís, Ka-
keléwa; um mercado “Ale-
Chuva a cântaros manha” de fazer inveja
A chuva que cai a cântaros porque distribuidor e sempre
no Huambo alimenta os sub- abarrotado. Uma centrali-
solos, os aquíferos, as reser- dade, a do Lussambo, que
vassubterrâneas estratégicas vê o boeing a aterrar no ae-
do precioso líquido. As ca- roporto “Albano Machado”
cimbas estão lá como teste- e a saída dos seus habitantes
munho. Cavamos um, dois para o trabalho provoca en-
metros e encontramos água, garrafamento, ali bem em
muita água, o líquido da frente da loja grande que
Vida, como em tempos cha- anuncia preços baixos.
mou-se a cidade: “Huambo,
cidade vida”. Ideias muitas
O casco urbano da cidade A cidade, no entanto, pulsa.
foi desenhado a régua e es- Sente-se que há ideias, mui-
quadro, com um aprovei- tas mesmo, para o seu cres-
tamento dos pontos altos, cimento. Aqui os jovens
relevo e rios, construção competem com os graúdos
de estradas largas “à Mar- nos bancos das escolas, po-
quês de Pombal” futurista, litécnicos e faculdades.
com a devida inclinação Quando o frio matinal remete
para o escoamento rápido o visitante efémeropara o
das águas depois das chuvas. aconchego dos cobertores,
Domingo
24 de Março de 2019 ROTEIRO DE CASA 15
Estreias Filmes Mais pequenos Futebol
Tomb Raider Vilarreal - Barcelona
A história de Pedrito Coelho
A série conta a
história de Pedrito
Coelho que vive
num lago no
norte de
Inglaterra. Ele é
Lara Croft é a independente filha muito traquino e
de um aventureiro excêntrico de- matreiro, capaz
saparecido, que recusa assumir de ultrapassar
o império do pai e rejeita a ideia todos os
que este esteja morto. Decide ir
à sua procura onde foi visto pela obstáculos, supera
última vez: num lendário túmulo predadores e evita o perigo.
numa ilha mítica. Quando crescer o Pedrito quer
ser como o seu pai, que é o seu
Domingo - 17h55
grande modelo. Entretanto, vai
vivendo muitas aventuras com As equipas do Vilarreal e do Barcelona defrontam-se, na ter-
Os Eleitos os seus amigos, o primo ça-feira, dia 2 de Abril, em desafio a contar para mais uma
OPERAÇÃO Benjamin e a nova amiga Lily. jornada do campoenato espanhol, La Liga. O Vilarreal oucupa
a décima sétima posição enquanto que o Barcela continua
Amanhã - 07h30
“GOÛT DE FRANCE” no primeiro lugar da competição.
.
A operação “Goût de France” (Sabor
de França) proporcionou na quinta- Zap
feira, à noite, no Hotel Presidente, um Hora: 20h00
jantar de degustação e descoberta de
sabores da gastronomia francesa. O Elena de Avalor Séries
evento acontece simultaneamente em Conheça a história de Elena
152 países dos 5 continentes e este ano de Avalor, uma jovem que,
reúne mais uma vez mais de 3500 chefes
e restaurantes para a promoção da gas- depois de salvar seu reino das Billions
tronomia e o “art de vivre” à francesa, Em outubro de 1947, o limite de garras de uma cruel feiticeira,
inscritos na lista do Património Imaterial velocidade da 'barreira do som' é precisa assumir a coroa e
da Unesco. batido com sucesso. É então que aprender a comandar o seu
Em Luanda, o festival encerra a 30 se desencadeia uma corrida ao es-
paço com o programa Mercúrio.
povo, enfrentando desafios e
do corrente mês e conta com o chefe
francês a residir no Brasil, Julien Mercier, obstáculos com a ajuda de
para a descoberta de sabores da região Domingo - 17h15 alguns amigos mágicos.
da Provence. Hoje, 07h30 - 08h00
A noite foi cheia de surpresas. Não
faltou o bom vinho para acompanhar
todas as refeições. O Rapaz de Liverpool
O jantar de quinta-feira contou com
a presença dos Ministros da Agricultura
e Florestas, Marcos Alexandre Nhunga,
da Hoteleria e Tourismo, Ângela Bragança
e da Cultura, Carolina Cerqueira.
Os presentes, degustaram vários pra- Chovem Almôndegas
tos típicos das regiões de Sanary-sur- Numa cidade obcecada com
Mer, Aix-en-Provence, Nice, Les Baux-de sardinhas que não o surpreende,
Provence, Marseille, Avignon, Saint -
Tropez, Banon, Cannes, Cassis, Sait- Flint Lockwood é um jovem a
Paul -de Vence e Arles. tentar mudar o mundo, invenção
O conceituado chefe de cozinha de a invenção. A sorte dele é que a A ambição e a traição estiveram sempre presentes bem no
nacionalidade francesa, Mercier Julien, sua melhor amiga e aspirante a coração de Billions e, desta vez, os inimigos Bobby Axelrod
com uma folha de serviço das mais Uma crónica sobre os primeiros e Chuck Rhoades vão elevá-las a um novo nível.
meteorologista Sam
prestigiadas internacionalmente apre- anos de John Lennon, baseada
sentou um menu com as entradas de sobretudo no período da ado- Sparks está lá para o TVSéries
“Posse de peixe local marinado com lescência. A relação com a tia, ajudar! Terças - 22h30
ervas, azeite negro de azeitonas pro- que o criou, e a ausência da mãe, Hoje - 08h20
vençais” e “Medalhão de lagosta es- que acabaria por voltar a entrar
calfado em manteiga e seu bisque na sua vida num momento crucial
cremoso com estragão”. da sua juventude.
De seguida foi apresentado o prato
principal feito de “Entrecosto de Angus Domingo - 16h40
grelhado, com suco de tomilho leve, pon-
tuado com cebolas e cenouras jovens”.
No encerramento, Mercier Julien Os Olhos da Guerra
serviu as sobremesas “Platôs de queijo
da França” e “iogurte fresco, frutado Doodleboo T1
marinado com lavanda, merengue com
fava tonka”.
Julien cozinha desde os 14 anos e é Com alguns
formado pela prestigiosa Escola de Ho- traços do seu
telaria e Restauração de Thonon Les
Bains, na França. Trabalhou na Inglaterra,
lápis,
com o conceituado Chef Pierre Gagnaire, Doobleboo
em Nova Iorque, Washington DC, em consegue
França, no Caribe e no Brasil, onde vive sempre
desde 2008. fazer um
Mercier Julien agradeceu a oportu- desenho
nidade para partilhar a sua experiência No Curdistão, dois repórteres, divertido,
com os cozinheiros angolanos. A ideia,
disse, foi criar pratos somente com in-
Mark e David, vivem os horrores
da guerra. Quando Mark volta para que ganha
vida assim
Knightfall Templários
gredientes de Angola. “São desafios casa, a mulher propõe-se descobrir No mundo clandestino da lendária irmandade dos monges
que todos os chefes de cozinha devem porque é que o marido regressa que acaba de guerreiros, as batalhas na Terra Santa, a complexa relação com o
estar preparado. Foi bom ver a satisfação sem o seu melhor amigo. Uma via- ser colorido. rei de França e a traição levaram à trágica dissolução dos Templários,
de todos, o que significa ter, de alguma gem de horror para descobrir um Hoje, cuja história nunca foi totalmente contada... até agora.
forma, alcançado o objectivo”. segredo bem escondido... 09h22
Domingo - 17h15 Domingo - 23h30
16 ROTEIRO DE RUA Domingo
24 de Março de 2019

Música Leitura Filmes Estreia (Cinemax)

Ler Ana Paula Tavares Nós


Exibição
A c to r e s : L u p i ta
As crónicas “Dona Beba”, “Zé Miúdo” e “Cabeça Nyong’o, Winston Du-
de Salomé”, de autoria da escritora Ana Paula ke, Elisabeth Moss,
Tavares e constantes do seu livro “Cabeça Tim Heidecker, Yahya
de Salomé”, vão ser alvo de uma leitura mi- Abdul-Mateen II
nuciosa no clube de leitura da Mediateca 28 Ano: 2019
de Agosto, em Luanda. Leitores e amantes Género: Thriller
da literatura reúnem-se quinzenalmente na- Realizador: Jordan
quele local para discutir sobre um ou vários Peele
textos, com o objectivo de partilhar expe- Sinopse
riências e conhecimentos. A escritora e his- Assombrada por um
toriadora Ana Paula Tavares tem várias obras trauma inexplicável
publicadas nos domínios da poesia e da e mal resolvido do
prosa, incluindo estudos sobre a História de passado e agravado
Angola. Em 2006 foi atribuído ao seu livro por uma série de coin-
“Manual para Amantes Desesperados” o Pré- cidências assustado-
mio Nacional de Cultura e Artes. ras, Adelaide sente a
sua paranóia passar
Mediateca 28 de Agosto para alerta máximo
Quinta-feira, 15 horas à medida que acredita
cada vez mais que al-
go terrível vai acon-
tecer à sua família. Depois de passar um dia tenso na praia com
amigos, os Tylers, Adelaide e a família regressam à casa de férias. Ao
cair da noite, os Wilsons encontram quatro silhuetas de mãos dadas
à porta de casa.

Shazam!
Estreia - 5 de Abril
Actores: Zachary Levi,
L o v i n a Ya va r i , M a r k
Strong

Ano: 2019

Don Kikas e Walter Ananaz Argumento: Henry Gay-


den
Género: Fantasia, Acção
prometem cumplicidade Realizador: David F.
Sandberg
Tudo leva a crer que a actuação de Don Kikas e Walter Ananaz na próxima
edição do show Duetos N’Avenida será marcada pela cumplicidade: eles Sinopse
admiram-se mutuamente, as suas trajectórias de vida foram marcadas
e condicionadas pelas vicissitudes da guerra e hoje têm carreiras Todos nós temos um su-
consolidadas. “Os ensaios estão a decorrer num espírito de muita entrega
e descontração. Gosto muito da qualidade criativa do Walter Ananaz,
Livro sobre estratégia militar per-herói dentro de nós,
basta um pouco de má-
tal como da sua musicalidade”, declarou Don Kikas. Walter Ananaz A Academia de Ciências Sociais e Tecnologias gica para trazê-lo para
considera Don Kikas “um grande amigo”, ligado a si por “uma amizade promove o lançamento do livro “Angola in the fora. No caso de Billy Bat-
antiga”. Por isso, disse, o próximo Duetos N’Avenida será de celebração African Peace and Security Architecture – The son, gritando uma palavra
da música e de diversão em palco. “Aguardem pelo melhor que estamos Strategic Role of the Angolan Armed Forces”, da - SHAZAM! - Esse garoto
a preparar”, frisou. De acordo com o formato do Duetos N’Avenida, os autoria do tenente-coronel Luís Brás Bernardino. adotivo de 14 anos de
integrantes das duplas fazem uma releitura da obra um do outro. A edição da obra esteve a cargo da Mercado de idade pode se transfor-
Letras Editores. O tenente-general Miguel Júnior mar no super-herói adulto
faz a apresentação do livro e do autor. Shazam.
Casa 70
Sexta-feira Academia de Ciências
Sociais e Tecnologias
Sábado, 11 horas

Dumbo
Teatro Estreia - 29 de Março
Actores: Eva Green, Colin
Farrell, Michael Keaton
Ano: 2019
Género: Fantasia
Realizador: Tim Burton
Sinopse
Monólogo Dumbo desenvolve-se
a partir do clássico e aca-
no Kings Club rinhado conto, onde as
diferenças são celebradas,
A noite desta quinta-feira no Kings Club, à Vila a família é valorizada e
Alice, promete bastante em termos de convívio os sonhos ganham asas.
e entretenimento. A principal atracção é a apre- O dono do circo, Max Me-

Olhar científico sobre o Kuduro sentação da peça teatral “A mesma voz em outro
tom”, escrita e dirigida por Luz Feliz e interpretada
por Alione Horácio da Costa. A representação é
dici convoca a ex-estrela,
Holt Farrier e os seus fi-
lhos, Milly e Joe, para cui-
A Associação Mwelo Weto, em parceria com a Mediateca de Luanda, um monólogo em que homens falam sobre as darem de um elefante
realiza o colóquio sobre Kuduro, sob o lema “A hora e a vez do Kuduro: suas makas na primeira pessoa, tanto da forma recém-nascido, cujas ore-
um olhar científico”.O projecto tem como objectivo valorizar o trabalho mais criativa da palavra na actualidade - spoken lhas enormes fazem dele
criativo desenvolvido pelos kuduristas e pelos produtores do estilo; word - como de maneira tradicional num debate motivo de piada, num
olhar e mostrar o Kuduro com filtros científicos, de modo a estabelecer aberto com o público. A performance é acompa- circo já em declínio. Mas,
uma linha de pesquisa sobre o que, porque e como se canta no mundo nhada pelo som da guitarra de Helton Dias do quando descobrem que
o Kuduro. O colóquio é um evento científico e cultural que visa mostrar, Santos e como convidados no spoken word Dumbo consegue voar,
através de palestras e de actuações artísticas (como poesia, teatro, Cardoso Lopes e Bona Ska. o circo volta à ribalta,
música e dança) o valor científico, antropológico, psicológico e sociológico atraindo o persuasivo
do Kuduro.Serão palestrantes pesquisadores e estudiosos como Domingas Kings Club empresário V.A. Vande-
Monte, Abreu Paxe, Hélder Simbad, Adilson Gonçalves, Joaquim Caundo, Quinta-feira vere, que recruta o pe-
Sérgio Van-Dúnem, Eronilde Bartolomeu, Rosa Camolaquenda, Isaac culiar ser para o seu mais
Jorge, Estêvão Ludi e Caetano Cambambe. recente parque de diver-
Mediateca de Luanda são, o Dreamland.
Quinta e sexta-feira