Sei sulla pagina 1di 5
Curso de Engenharia Química Cálculo de Reatores EQM 4  Ano de 2018 Prof: M.

Curso de Engenharia Química Cálculo de Reatores EQM 4Ano de 2018 Prof: M. Clemente

Lista de Exercícios

1. O álcool t-butilíco (ATB) é produzido a partir da hidratação de isobuteno (I) em um catalisador. O mecanismo proposto é o seguinte:

I + S IS H 2 O + S H 2 O S H 2 O S + IS ATBS + S ATBS ATB + S

Obtenha a equação da taxa admitindo:

a) A reacção superficial é a etapa limitante

b) A adsorção do isobuteno (I) é a etapa limitante

c) A reacção segue o mecanismo de Eley-Rideal

H 2 O + IS ATBS

d) O isobuteno (I) e a água são adsorvidos em sítios diferentes

I+ S 1

IS 1

H 2 O + S 2 H 2 OS 2 O ATB não é adsorvido, e a reacção superficial é a etapa limitante.

2. Para remover NO do sistema de exaustão dos automóveis, um dos mecanismos propostos admite a utilização de CO do gás de exaustão para reduzir o NO sobre catalisadores sólidos, de acordo com a reacção:

CO + NO 0,5 N 2 + CO 2 Dados experimentais sugerem que a taxa de reacção pode ser representada em grande faixa de temperatura pela seguinte expressão:

(-r N ) = k P N P C /(1 + K 1 P N + K 2 P C ) 2

onde P N = pressão parcial de NO P C = pressão parcial de CO k, K 1 , K 2 = constantes que dependem somente da temperatura a) Baseado em sua experiência com outros sistemas catalíticos, que mecanismo você proporia a partir dos dados experimentais obtidos.

3. A reacção em fase gasosa A B irreversível, de 1 a ordem, está sendo estudada sobre um catalisador não poroso, sob dadas condições. O catalisador tem um diâmetro equivalente de 0,1 cm e sua densidade é 3 g/cm 3 . Nessas condições, a constante da velocidade da reacção é 0,01 cm 3 /(g.s) e o coeficiente de transferência de massa é 0,125 cm/s, a velocidade superficial é 1,0 cm/s e Sc 1. Qual é a importância relativa da resistência à transferência de massa?

4. Seja uma reacção de 1 a ordem, irreversível que se passa em fase gasosa

4. Seja uma reacção de 1 a ordem, irreversível que se passa em fase gasosa sobre partículas esféricas de um catalisador poroso. Foram feitos vários experimentos mantendo-se a concentração do reagente aproximadamente constante (2x 10 -4 mol/cm 3 ), variando-se o tamanho da partícula e medindo-se a taxa da reacção.

Diâmetro (cm)

0,075

0,025

0,0075

0,0025

taxa observada (mol/cm 3 h)

1,20

2,08

2,42

2,40

Sabe-se que os efeitos de difusão no filme e os térmicos são desprezíveis. Determine os fatores de efetividade, a velocidade específica de reacção (constante da velocidade de reacção) e a difusividade efetiva.

5. As curvas A, B e C apresentadas na figura abaixo apresentam as variações na velocidade de reacção para três reações diferentes catalisadas por partículas sólidas catalíticas. O que você pode dizer a respeito de cada reacção?

O que você pode dizer a respeito de cada reacção? 6. Uma reacção A  R

6. Uma reacção A R deve ocorrer em um catalisador poroso (d p = 6 mm, D ef =10 -6

m 3 /m de catalisador . s). De quanto a taxa será diminuída pela resistência à difusão nos poros, se a concentração do reagente que envolve a partícula for igual a 100 mol/m 3 e a cinética livre de limitações difusionais intrapartícula for dada por :

(-r A ) = 0,1 C A 2 (mol/m 3 de catalisador .s)

Determine a expressão para a taxa de decomposição de A em fase gasosa A R + S que se passa isotermicamente em um CSTR. Dados: C AO = 0,02 mol/L

Experimento n

1

2

3

4

5

(min)

0,423

5,10

13,5

44,0

192,0

 

X

A

0,22

0,63

0,75

0,88

0,96

7. A decomposição do acetaldeído CH 3 CHO CH 4 + CO ocorre em fase vapor a 520 o C

e

1 atm. A reacção é irreversível, de 2 a ordem e a sua velocidade específica é 0,43

m

3 /kmol s. Qual o volume necessário para uma conversão de 35% e para uma

conversão de 90%, quando a vazão de alimentação for de 0,1 kg/s de acetaldeído. (a)

em um reator tubular ideal

(b) em um reator de mistura ideal

8. Deseja-se produzir 1000 kg/h de uma solução aquosa de ácido acético a 40% em

8. Deseja-se produzir 1000 kg/h de uma solução aquosa de ácido acético a 40% em massa efetuando-se a hidrólise do anidrido acético em um reator de mistura ideal operando a 50 o C.

a) Calcular o volume do reator para uma conversão de anidrido acético de 95%.

b) Calcular a concentração inicial de anidrido acético para produzir a quantidade de ácido

desejada.

Dados:

Anidrido Acético + H 2 O

2 Ac. Acético.

log 10 k (1/min) = 7,551 - 2495,109

T

onde T - Kelvin A densidade da mistura reacional pode ser considerada constante durante todo o processo e igual a 1,027 g/cm 3 . A reacção é de 1 a ordem em relação ao anidrido acético.

9. Dois pesquisadores, usando um reator batelada, estudaram a formação de acetato de butila a partir de butanol e ácido acético a 100 0 C e acharam que, sob dadas condições, (-r A ) = k C A 2 , onde C A é a concentração de ácido acético em mols/mL e k = 17,4 mL/mol.min. Para uma alimentação de 4,97 mols de butanol por mol de ácido acético e demais condições idênticas às usadas por aqueles pesquisadores e sabendo-se que a densidade da mistura reacional pode ser considerada constante e igual a 0,75 g/mL, pede-se:

a) o tempo necessário para se obter uma conversão de 50% de ácido acético;

b) para as mesmas condições do item a, determine o tamanho do reator e a massa inicial de

reagente que deve ser introduzida no reator de modo a produzir uma média de 100 kg/h de éster. Sabe-se que o tempo necessário para a remoção da produção, limpeza do reator e recarga é de 30 minutos. Admita que a mistura reacional está bem misturada. MM: éster - 116; butanol - 74; ácido acético 60

10. Uma reacção homogênea em fase gasosa A3R tem uma taxa reportada a 215 o C:

(-r A ) = 10 -2 C A 1/2 (mol/L.s) Determine o tempo espacial necessário para uma conversão de 80% de uma alimentação contendo 50 % de A e 50 % de inerte, em um reator tubular ideal, que opera a 215 o C e 5 atm (C Ao = 0,0625 mol/L)

11. A reacção homogênea exotérmica em fase gasosa 2A + B2C é conduzida em um

reator contínuo adiabático alimentado com uma mistura equimolar de A e B.

(a)

calcule o volume do reator tubular para uma conversão de 0,5.

(b)

calcule o volume do reator de mistura para uma conversão de 0,5

12. A taxa de hidrogenação do eteno a pressão atmosférica sobre um catalisador a base

12. A taxa de hidrogenação do eteno a pressão atmosférica sobre um catalisador a base de cobre foi avaliada por dois engenheiros. O reator foi alimentado por uma mistura contendo 17% de eteno. O engenheiro responsável utilizou dois tamanhos de partícula. Tamanho de partícula (pó fino) -100 + 150 Tyler mesh Tamanho do pellet 1,27 cm Difusividade efetiva para o eteno no pellet = 3,0 x 10 -2 cm 2 /s Condutividade térmica efetiva do pellet = 3,5 x 10 -4 cal/(cm.s. o C) Densidade do pellet = 1,16 g/cm 3 Calor de reacção = - 32700 cal/mol Temperatura = 80 o C Pressão total = 1 atm Energia de ativação para reacção obtida a partir do pó fino = 17800 cal/mol Taxa de reacção obtida com o pó fino = 8,0 x 10 -7 mol/(s. g cat ) Taxa de reacção obtida com o pellet = 1,8 x 10 -6 mol/(s. g cat )

Com base nos dados determine:

a) número de Arrhenius

b) fator de isotermicidade

c) variação de temperatura no pellet

d) fator de efetividade

e) se o número de Arrhenius fosse duplicado qual seria o efeito sobre a variação de temperatura de pellet?

13. A reacção irreversível catalítica em fase gasosa A + BC+ D é conduzida em um reator diferencial operado de modo isotérmico. Os seguintes dados foram obtidos:

Exp

(-r A ) mol/(kg. cat . min)

P A (atm)

P B (atm)

P C (atm)

P D (atm)

1

5

1

1

0

0

2

5

1,25

0,5

20

20

3

5

0,876

2

5

0

4

5

1,25

0,5

0

0

5

5

0,8

5

7

50

6

25

5

1

0

0

7

25

4

5

10

0

8 25 3,88 10 0 10 9 25 3,77 50 0 0 10 50 10
8
25
3,88
10
0
10
9
25
3,77
50
0
0
10
50
10
1
4
20
(a)
determine uma taxa consistente com os dados experimentais
(b)
sugira um mecanismo e a taxa da etapa limitante com os dados experimentais
(c)
linearize os dados e determine os parâmetros do modelo (não é necessário usar
todos os dados, apenas uns pontos representativos)

14. A reacção em fase gasosa A B irreversível está sendo estudada sobre um catalisador não poroso, sob dadas condições. Obtenha a expressão da taxa de reacção em função da concentração de A no seio do fluido. Sabe-se que a taxa de

reacção é r =

k C

1 AS

1k C

2 AS

onde C AS é a concentração na superfície do catalisador.

15. A reacção A + 3B C +D apresenta o seguinte mecanismo:

k

1

A B X D

k

2

X

k

31

B Y D

k

4

k

5

Y B C D

Admite-se que X e Y são os intermediários e pode-se adotar a hipótese do estado pseudo-estacionário. Obtenha a taxa de reacção para A.

16. Medidas da taxa de uma reacção em fase gasosa, A 2B, foram realizadas em um reator diferencial. A partir dos dados listados na tabela determine a taxa de reacção que melhor ajusta os dados cinéticos.

a) r 1 = k 1 P A /(1+ k 2 P A )

b) r 2 = k 1 P A / (1+ k 2 (P A ) 0,5 ) 2

P

A (atm)

2

1,6

1,2

0,6

0,4

0,2

0,1

r

(lbmol/(lb h)

2,834

2,699

2,367

1,986

1,698

1,230

0,864