Sei sulla pagina 1di 5

A Queda da Liberdade na Europa

1. Niilistas como estudantes avant-garde (1860’)


2. O Conspirador político (“Os Demônios”). Movimento dos NARODNIKI, terroristas
cujos métodos foram imitados por Lênin.
3. Conversão do niilista do individualismo para o credo político feroz como o ponto de
virada.
4. A Chave da conversão teria sido o Marxismo, pela combinação de revolução
necessária por meio da dialética material (violência) para uma sociedade justa.

O Paradoxo:

“Uma ética superior e futura a ser produzida por uma ética


pragmática e revolucionária no presente.”

“Seu senso de justiça foi assim reforçado por uma calculada


brutalidade, nascida da autoafirmação científica. E assim emergiu
o moderno fanático, armado com um impenetrável ceticismo.”

Inversão Moral:

“O poder do marxismo sobre a mente baseia-se em um processo


que é exatamente o inverso da sublimação Freudiana. As
necessidades morais do homem, tendo sua expressão negada, em
termos de ideias, são injetadas em um sistema de poder nu, ao
qual impartem a força de uma paixão moral cega.”

“Podemos descrever isso como um processo de inversão moral. A


pessoa moralmente invertida não apenas realizou uma
substituição de objetos morais por propósitos materiais; elas age
com toda a força de suas paixões morais sem lar dentro de uma
estrutura de propósitos puramente materialista.”

O Minotauro:

“Quando essa inversão (a subordinação do pensamento ao poder)


é unida à liberação do fanatismo e da ausência de qualquer
reconhecimento de limites e restrições morais, nasce o Minotauro:
um astuto e perigoso mostro com cabeça de touro em corpo de
homem, e que devora seres humanos.”

Inversão Moral: a fusão de ceticismo e utopia.

Ceticismo:

Historicismo = negação da realidade como conhecimento objetivo.


Cientificismo = crença de que todos os valores são ilusões e a realidade é feita de
fatos sem significados.
Antitradicionalismo .
Dúvida Metodológica .
Visão Reducionista da Política e das Pessoas .

Perfeccionismo:

Contradições no establishment cristão


Secularização das aspirações cristãs
Concepção dinâmica de sociedade
Mudanças Morais.

Estruturas de Inversão?

1. Tensão entre exigências cívicas e ideais de moralidade;


2. Distinção entre os apetites e as paixões mentais, que são propriedades
emergentes ligadas à linguagem e sociedade.
3. Paixões morais (justiça, irmandade, igualdade, liberdade) superiores às paixões
intelectuais.
4. Tensão entre a “fé cristã” e a “dúvida grega.”

“O pensamento moderno é uma mistura de crenças cristãs e


dúvidas gregas.” As crenças cristãs e as dúvidas gregas são
lógicamente incompatíveis e o conflito entre as duas tem mantido
o pensamento Ocidental vivo e criativo de modo sem precedentes.
Mas essa mistura é um fundamento instável. O totalitarismo
moderno é a consumação do conflito entre a religião e o
ceticismo.”

Neurose Narcísica?

“Freud chamou, com muita propriedade, essa síndrome de


“neurose narcísica”: a expansão do eu na fantasia, a completa
auto-inflação megalomaníaca como a última defesa, como uma
tentativa de alcançar o absoluto poder simbólico na ausência do
poder físico vivenciado. Uma vez mais, é isso que o homem
cultural, em toda parte lutou para alcançar... ”

“O neurótico é um indivíduo que tem dificuldade de manter o


equilíbrio entre a ilusão da sua cultura e a realidade de sua
natureza.”

“O pecado e a neurose tem outro lado, que não é apenas sua irreal
autopresunção na recusa em admitir a condição de criatura como
também um castigo por uma intensificada consciência de si
próprio: o fato de não ser consolado por ilusões compartilhadas
com outras pessoas. O resultado é que o pecador fica
hiperconsciente daquilo mesmo que tenta negar: sua condição de
criatura, sua destita e sua dignidade. ”

“Se não há um equilíbrio apropriado entre forma e liberdade, a


sociedade se moverá entre dois extremos. Liberdade em o
equilíbrio da forma levará ao autoritarismo e à destruição da
liberdade...
As liberdades titânicas que temos desfrutado foram separadas de
seus limites Cristãos e se tornaram uma força de destruição
levando ao caos.”

“O homem, tendo-se colocado no lugar de Deus como centro do


universo. Constantemente tende a voltar-se para dentro ao invés
de para fora. Ele faz de si mesmo o ponto final de integração do
universo. Isso é a essência de sua rebelião contra Deus. Para Deus
isso não é um problema, pois quando ele se volta para si mesmo,
Ele é a trindade... Mas quando me volto para dentro (de mim), não
há com quem se comunicar. E assim cada homem em si mesmo é
exatamente como o minotauro de chifres preso na solidão pessoal
de seu labirinto, em Creta. Essa é a tragédia do homem. Quando se
volta para dentro, não há ninguém ali para responder.”

“O problema psicológico básico é o de tentar ser o que não somos,


e tentar carregar o que não podemos carregar. Acima de tudo, o
problema básico é não aceitarmos ser as criaturas que somos
diante do Criador.”
https://www.youtube.com/watch?v=jOhsaGPO6SU&list=PL4tMnWg_sIUOTxVWgVK96rs-64q6mWRum&index=5