Sei sulla pagina 1di 1

O CUIDADO COM O QUE CANTAMOS EM NOSSAS CONGREGAÇÕES

A escolha de nossas musica deve refletir totalmente nossas crenças e a Bíblia

O QUE EU CANTO, VAI INFLUENCIAR O QUE EU PENSO, E O QUE EU CREIO!

A FORMA MAIS EFICAZ DE MUDAR OS CONCEITOS DE UMA GERAÇÃO É A MUSICA.

Acredita-se, no entanto, que mais do que promover a participação das pessoas, a música
possuísse uma função pedagógica na doutrina, de transmissão da Palavra e coesão dos
membros na igreja

A música teve um papel muito importante no desenvolvimento da Reforma. Lutero escreveu


vários hinos que se tornaram verdadeiras prédicas musicadas. Ele entendia que a música
deveria estar a serviço da proclamação do Evangelho.

Lutero e outros compositores, sabendo desse poder da música, se utilizaram dela a fim
de transmitir suas mensagens. A técnica, a melodia, as letras agiram como veículos de
promoção do evangelho e da Palavra de Deus. A música no cultopara Lutero adquiria,
portanto, um caráter essencialmente pedagógico, pois, por ser na língua do povo simples,
atingia tanto letrados como iletrados, adultos, jovens e crianças. Além da função de educar,
principalmente os jovens e crianças, a música nos cultos ainda atuou como fator de
integração entre as pessoas. Acabou sendo, assim, a forma mais simples e eficaz de difundir
os ideais da justificação pela fé e da nova igreja.

Segundo Calvino, "Dificilmente há algo no mundo com maior poder de alterar e desviar para
uma ou outra direção a moral das pessoas (...). Ela [a música] tem um poder secreto de tocar
nossos corações de uma ou outra forma. Por esse motivo nós temos que estar sempre muito
atentos em sua regulamentação, de forma que ela possa nos ser útil e de nenhuma maneira
nociva". Ibidem, p.347.

Martinho Luteto 37 hinos, Aimee

SENSIBILIDADE DOS MINISTROS A SUA CONGREGAÇÃO.

Na época de Lutero a igreja católica, cantava musicas em Canto Gregoriano, em Latim, de


forma que o povo não participava do canto. Lutero trouxe musicas simples, na linguagem do
povo, com melodias comuns ao povo, para que o POVO pudesse PARTICIPAR do louvor.

MUDANÇAS BRUSCAS – CONFLITO DE GERAÇÕES


A intenção de Lutero não abolir em definitivo o Canto Gregoriano, mas seu intuito era
permitir novas formas de expressão musical.

Cristãos são um povo que canta. Mulçumanos não se reúnem para cantar. Nem hindus,
budistas, ou rastafáris. Mas cristãos sim. Do mesmo modo, embora nem todos preguem, nem
conduzam a oração, nem leiam publicamente a Escritura, todos nós cantamos. - Collin Hansen

Nosso propósito é apoiar a congregação. Cada cantor, instrumentalista e membro do coro


deve tomar parte de facilitar o alto chamado do canto congregacional.

Não há dicotomia entre excelência musical e louvor congregacional desde que a excelência
seja dada em serviço da congregação.

Querendo que os seus seguidores participassem da liturgia e a compreendessem, Martinho


Lutero13 assentou esse trabalho em três pilares: o uso da língua comum, uma melodia
simples e o texto das escrituras.

Lutero idealizou o coral que deveria entoar as canções na língua vernácula, a fim de que o
povo cantasse os cânticos e entendessem, sobretudo, a mensagem a eles subjacentes.