Sei sulla pagina 1di 11

FACULDADE DE MEDICINA ESTÁCIO/FMJ

SOCIOLOGIA/HUMANIDADES MÉDICAS

ALIMENTANDO BOAS IDEIAS

JUAZEIRO DO NORTE – CE
2019
EQUIPE:
Aline Dantas Bezerra
José Reinaldo Riquet de Siqueira
Mateus Araújo Diniz
Vitória Thêmis Henrique Freitas
Lara Maria Tavares Texeira

ORIENTADORA: Profª. Joana D´arc Esmeraldo

JUAZEIRO DO NORTE – CE
2019
1 INTRODUÇÃO

 Índice de obesidade infantil;


 Psicologia – em que período a criança define as características de sua
alimentação;
 A influência da composição e da conduta familiar, como principal agregador
para formação do caráter do indivíduo;
 Dessa forma, família como doador do arranjo alimentar dos infantes e das
suas repercussões na vida adulta.

Destarte, o Projeto de Intervenção “Alimentando Boas Ideias” tem como justificativa


primordial uma prática interativa com os responsáveis de crianças na faixa etária de
12 meses aos 7 anos, de forma a obter melhora da qualidade de vida, redução de
ímpetos e susceptibilidade dos infantes e dos seus tutores.
2 JUSTIFICATIVA

A obesidade está associada ao aumento na incidência de várias das mais


importantes doenças dos seres humanos, incluindo o diabetes tipo 2, dislipidemias,
doenças cardiovasculares, hipertensão e câncer (Robbins, 2015). Haja vista que a
obesidade na vida adulta é um revérbero de más práticas alimentares nos primeiros
anos de vida, a conduta dos pais em relação à alimentação infantil pode gerar
repercussões duradouras no comportamento alimentar de seus filhos até a vida
adulta, uma vez que a família é apontada como um valoroso sustentáculo para a
base e o amadurecimento de todos, que a compõe.

Por conseguinte, a concepção de nutrição saudável na vida da criança precisaria ser


introduzida desde a primeira fase da vida das crianças, que se refere ao aleitamento
materno e perdura-se com a adição de alimentos após os seis meses. Em segundo
momento, segue com alimentação diversificada, assegurando variados grupos
alimentares.

O fluxograma retirado do “Caderno de Atenção Básica - Saúde da criança:


crescimento e desenvolvimento”, demonstra a essencialidade da figura familiar para
um adequado progresso do desenvolvimento infantil, de forma a prevenir
adversidades e injúrias futuras. Além de fomentar saúde por meio de uma vida
saudável e boa qualidade. Ratificando o referido acima.

Destarte, considera-se importante o Projeto de Intervenção “Alimentando Boas


Ideias” como uma prática interativa com os responsáveis de crianças na faixa etária
de 12 meses aos 7 anos, de forma a obter melhora da qualidade de vida, redução de
ímpetos e susceptibilidade dos infantes e dos seus tutores.
3 OBJETIVOS

3.1 OBJETIVO GERAL

Disseminar entre pais e/ou responsáveis, informações relacionadas à alimentação e


nutrição das crianças em idade de 12 meses a 7 anos, por meio de atividades
interativas.

, além de estimular escolhas de alimentos saudáveis por meio de atividades de


educação alimentar e nutricional. (específicos)

3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Investigar o perfil nutricional de crianças abaixo de 7 anos, por meio da


aplicação de questionários;
 Promover a adesão de conhecimentos sobre práticas alimentares adequadas;
 Trocar experiências com pais e tutores sobre a alimentação adequada;
 Conversar com os responsáveis sobre as dificuldades da adesão as dietas
adequadas.3qq
4 PÚBLICO ALVO

Projeto destinado a orientar corretamente pais e tutores sobre a importância e a


adequada alimentação de crianças na faixa etária dos 12 meses aos 7 anos.

5 METODOLOGIA

O presente trabalho será desenvolvido na Instituição de Educacional Sossego,


Juazeiro do Norte – CE, tendo como intenção de esclarecer, orientar e expandir o
amplo tema de alimentação saudável e sua importância na prevenção e na
promoção de saúde não só das crianças, mas também de familiares. Em primeiro
lugar, será criado uma roda de conversa com pais e com tutores de crianças na faixa
etária de 12 meses a 7 anos, selecionados de acordo com a disponibilidade dos
responsáveis, para discutir os fatores supracitados. Concomitantemente, a equipe
executará questionários contendo quesitos relacionadas as rotinas alimentares em
casa e na escola. A segunda parte do exercício será reservada à orientação das
famílias com conselhos da forma de introduzir os alimentos no preparo e na oferta,
direcionada pelas cartilhas: “Os 10 passos para alimentação e hábitos saudáveis” –
UNICEF, ‘’Cartilha de alimentação infantil’’ – SUS, ‘’ Caderno de Atenção Básica -
Saúde da criança: crescimento e desenvolvimento’’. A terceira parte, haverá troca de
experiências, com tempos propostos para elucidação de dúvidas e de proposições
sobre os temas: nutrição saudável, sedentarismo, distúrbios alimentares e influência
da família sobre a alimentação. Por fim, explorar as principais objeções para o
assentimento e para a obtenção de frutas e de verduras, com o fito de dialogar e de
questionar as vivências alimentares do grupo no cotidiano.
5 RECURSOS

Item Materiais Gastos

1 Folhas A4 R$

2 Impressão R$

3 Alimentos R$

4 Formas para cortes R$

Total R$
6 CRONOGRAMA

CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO

Item Atividade Mês


1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
1
Elaboração X
2
Apresentação do projeto X
3
Visita X
4
Intervenção X
5
Apresentação dos resultados X
APÊNDICE

Fotos e perguntas realizadas.

ANEXO

Tabela, cartilha, tudo que for pego pronto.


REFERÊNCIAS

1. BRASIL. Unicef Brasil. Unicef. Os 10 passos para alimentação e hábitos


saudáveis: Do nascimento até os 2 anos de idade. 2018. Disponível em:
<https://www.unicef.org/brazil/relatorios/os-10-passos-para-alimentacao-e-
habitos-saudaveis-do-nascimento-at%C3%A9-os-2-anos-de-idade>. Acesso
em: 06 mar. 2019.

2. SECRETARIA DE SAÚDE (Maringá). Prefeitura do Município de Maringá.


CARTILHA DE ALIMENTAÇÃO INFANTIL: ORIENTAÇÕES PARA
PROFISSIONAIS DE SAÚDE E PARA A FAMÍLIA. Disponível em:
<http://www2.maringa.pr.gov.br/sistema/arquivos/2f682b251929.pdf>. Acesso
em: 06 mar. 2019.

3. MINISTÉRIO DA SAÚDE (BrasÍlia). CADERNOS DE ATENÇÃO BÁSICA:


SAÚDE DA CRIANÇA: CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO. 2012.
Disponível em:
<http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_crescimento_des
envolvimento.pdf>. Acesso em: 06 mar. 2019.