Sei sulla pagina 1di 11

AULA 10 AULA 09 - MARKETING DIGITAL NO E-COMMERCE

Como fazer sua loja ser conhecida pelo público? Abordaremos as


principais técnicas de divulgação de lojas virtuais e como elas devem ser
incorporadas ao seu projeto. Mail marketing, links patrocinados e outras
possibilidades. Viabilidade, custos e retornos de cada ferramenta. O que é
otimização de sites, SEO e SEM. Feita a campanha, como medir seu
resultado? Conheça os segredos com quem os utiliza no dia a dia. Além de
focar nos recursos que o Google dispõe para evidenciar o seu negócio virtual.

1. A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DIGITAL NO E-COMMERCE


Diante de um mercado com mais de 60 mil lojas virtuais, fica claro que
não basta somente colocar sua loja no ar, é necessário trançar estratégias de
marketing que gerem leads (registro ou cadastro de clientes em potencial) que
acabem por se transformar em venda efetiva.
Embora possa parecer um pouco óbvio, muitos empresários do
seguimento não têm essa concepção e acabam por encerrar as atividades
prematuramente. Assim, mesmo antes de começar sua operação no e-
commerce, é necessário conhecer o mercado, compreender o seguimento, os
concorrentes em potencial, o público alvo e os fornecedores.
Então muito mais que uma loja virtual em uma plataforma já sabemos
que uma operação no e-commerce depende e muito de estratégias de
marketing bem desenhadas. O objetivo principal sempre deverá ser a
experiência de compra do consumidor e para atingir este objetivo faz-se
necessário atender a alguns critérios básicos, a saber:
 Branding – O Branding nada mais é que o fortalecimento da
marca frente ao mercado.
 Awareness – O Awareness é garantir a presença da marca nas
mídias digitais que são mais utilizadas pelos consumidores digitais do
seguimento que a loja virtual atua.
 Reputation: A criação de uma reputação baseada no
relacionamento com os consumidores é vital, consumidores são os melhores
promotores do seu negócio, pois podem indicar seus produtos e fortalecer a
marca.
 Engagement: O engagement nada mais é que a confiança do
consumidor adquirida após sua experiência de compra na loja virtual.
 Advocacy: É tornar o consumidor um porta voz de seu negócio,
onde as recomendações realizadas pela loja sejam por ele compartilhadas com
outros.
Agora é necessário entender o funil de venda básico de uma loja
virtual. Este processo inicia quando o consumidor encontra sua loja, verifica os
produtos à venda, escolhe o produto, adiciona o produto ao carrinho e conclui a
compra através dos meios de pagamento. Entretanto após o funil ainda é
necessário entregar o produto, realizar o pós-venda e a fidelização do
consumidor digital. Estabelecendo metas e estratégias coerentes para cada
uma destas etapas e orientando sua gestão para atingir resultados, é possível
fazer o seu negócio decolar.
O marketing digital oferece várias formas de aproximar os
consumidores de sua loja virtual. As redes sociais, sem dúvida, são grandes
aliadas neste sentido, além de estratégias voltadas para a otimização dos
resultados de busca – SEO. Lembre-se que existir nem sempre é sinônimo de
estar presente, sua loja existe no mercado digital, mas é necessário estar
presente de forma relevante entre os consumidores digitais.

2. MARKETING DE BUSCA – SEM E SEO

O Search Engine Marketing (SEM) tem como principal objetivo


evidenciar e destacar sua loja virtual em motores de busca como Google e Bing
por exemplo.
Conhecer este conceito é determinante para empreendedores no
mercado digital quando for realizar seu planejamento de marketing digital, pois
as técnicas oferecidas pelo SEM visam principalmente ampliar a exposição da
marca e dos produtos nas mídias sociais. Existem então duas formas distintas
do SEM nos motores de busca. Os patrocinados e os adquiridos de forma
orgânica, o que nos leva a outro conceito muito importante, o SEO – Search
Engine Marketing.
O SEO busca a maior visibilidade possível de sua loja através da busca
orgânica e para isso é necessário dominar alguns conceitos fundamentais além
de muito trabalho.
O posicionamento na busca orgânica é fruto da relevância do site, é
uma consequência direta do conteúdo que ele oferece.

3. MARKETING DE BUSCA – LINKS PATROCINADOS


Outra forma de promover sua loja virtual é através de links
patrocinados, a vantagem de investir nesta modalidade de marketing digital é o
investimento relativamente baixo e com bons resultados desde que a ação seja
bem planejada.
Porém é necessário destacar que quando o consumidor digital utiliza o
link ele deve ser muito bem recepcionado em sua loja, o conteúdo da página ao
qual o link foi vinculado deve ser atrativo, com informações relevantes ao
consumidor, com conteúdo claro o suficiente para iniciar o processo de compra.

4. MARKETING DE CONTEÚDO
Todo conteúdo que tem como objetivo informar ou entreter um futuro
consumidor digital é chamado de Marketing, este tipo de estratégia ajuda de
forma efetiva no processo de decisão de compra do consumidor digital e
proporciona maior visibilidade ao negócio e a marca. O conteúdo deve ser
totalmente voltado ao público alvo para surtir os efeitos desejados.
De forma simples, o Marketing de Conteúdo é a capacidade de produzir
informações de interesse para seu nicho de mercado e pode ser incorporado
às redes sociais, lembre-se não se trata de falar sobre o que sua empresa faz,
mas sobre o que os consumidores digitais precisam e sobre suas
necessidades.

5. MARKETING NAS REDES SOCIAIS


O uso das redes sociais é cada vez mais comum no e-commerce, é
necessário entender as redes sociais como uma forma de aperfeiçoar a forma
como os consumidores digitais enxergam sua marca, seus produtos e seu
negócio, desde o momento da apresentação de um produto até o atendimento
ao cliente. É sem dúvida um canal de interação social entre a empresa e com
seus possíveis clientes.
Já sabemos que uma operação de e-commerce depende de uma forte
política de marketing digital. Isso é facilmente percebido nas redes sociais que
já disponibilizam ferramentas para as empresas, o Facebook é um exemplo
claro dessa tendência.
Em linhas gerais, quando um consumidor digital está navegando no
Facebook não necessariamente ele está buscando algo para comprar, portanto
realizar a divulgação direta de um produto não é a forma mais adequada de se
relacionar com este possível consumidor, certamente seu sucesso se dará de
uma forma indireta despertando o interesse do consumidor com assuntos
relacionados a temas destinados ao nicho de mercado ao qual este consumidor
digital em potencial está inserido.
Neste momento a estratégia de relacionamento e o estabelecimento da
confiança com o consumidor é ideal, preparando o caminho para a experiência
de compra. Vamos estudar algumas redes sociais e como elas podem ser
utilizadas como intermediárias entre o cliente e sua loja virtual. Vejamos:
Sem dúvida o Facebook é a rede social mais popular e de maior
alcance na atualidade, portanto torna-se a maior mídia social para negócios,
fato este é que sua popularidade mundial levou a rede a desenvolver sua
própria plataforma para comércio eletrônico.
Já o Twitter é uma rede de divulgação “boca a boca”, onde os usuários
compartilham suas experiências, boas ou ruins através de pequenos posts em
sua rede de amigos.
Em crescente ascensão o Instagram em sua essência é uma rede para
fotos e imagens, contudo estes recursos são amplamente utilizados para o
comércio virtual, esta rede também conta com ferramentas voltadas ao e-
commerce.
Como pudemos perceber as redes sociais são poderosas ferramentas
que, se bem planejadas e com estratégias de marketing digital bem
elaboradas, podem aumentar consideravelmente a representatividade de sua
marca no comércio eletrônico e aumentar a taxa de conversão de seus
visitantes. Não menos importante, o monitoramento das estratégias realizadas
nas redes sociais é fundamental.
6. COMPARADORES DE PREÇOS
Comparadores de preço são sites que buscam os valores de um
mesmo produto em diferentes lojas virtuais, coletando das lojas virtuais
diversas informações a respeito de um produto específico.
Desta forma os consumidores conseguem comparar em um único lugar
várias opções de preços de um produto, além de outras informações
importantes como entrega, forma de pagamento, etc.
Sem dúvida estar presente em sites desta natureza oportuniza aos
empresários do comércio digital a possibilidade de apresentar seus produtos a
consumidores de alto nível de interesse em comprar seus produtos.
Isso ocorre porque o público destes sites geralmente não estão
somente navegando de forma aleatória e sim querem comprar, mas comprar
com as melhores condições possíveis.
Os principais comparadores de preço no Brasil são Buscapé, Google
Shopping, Zoom, Zura e Bondfaro.
Para disponibilizar seus produtos nos comparadores é preciso preço
competitivo, viabilizar a parceria, inovação tecnológica e qualidade dos
produtos e claro, confiabilidade.

7. SEO VOLTADOS AO MECANISMO DE PESQUISA DO


GOOGLE
Como já sabemos SEO, Search Engine Optimization, é o trabalho de
otimização realizado para melhorar o posicionamento de sua loja virtual nos
motores de busca como o Google.
A página de resultados de busca do Google, também conhecida como
SERP, Search Engine Results Page, mostra os resultados de busca em duas
áreas, os resultados anunciados (pagos) e os gratuitos.
Para entender como posicionar sua loja virtual nos resultados de busca
é fundamental entender como o Google funciona.
Existem aproximadamente 200 variáveis consideradas pelo Google na
hora de determinar o posicionamento nos resultados das buscas realizadas.

8. GOOGLE ADWORDS
Hoje o Google AdWords é uma das formas mais mensuráveis e
rentáveis de investimento para a sua loja virtual.
Por isso é tão importante conhecer essa ferramenta de marketing
digital e como utilizá-la da maneira correta.
O Google Adwords é a plataforma de publicidade do Google. É a partir
dela que investimos naqueles anúncios que podem aparecer de duas formas:
aqueles em forma de imagens, vídeos e textos, nos sites que você visita,
chamados de Rede de Display ou espaços para anúncios nas páginas de
pesquisa do Google, chamados de Rede de Pesquisa, sendo estes links
patrocinados.
Os espaços para anúncios nas páginas de pesquisa do Google
são chamados de Rede de Pesquisa e os anúncios que aparecem lá são
os links patrocinados.
Certamente você conhece a dimensão do Google e sabe que podemos
achar praticamente tudo com apenas algumas pesquisas. A Rede de Display
do Google Adwords alcança milhões de sites, blogs e portais parceiros e possui
a maior rede de websites do Brasil e do mundo. Lá é possível segmentar
anúncios de acordo com o contexto dos sites. É interessante, por exemplo,
uma loja de materiais esportivos ter anúncios em blogs sobre esporte. Este é
apenas um exemplo das diversas possibilidades da Rede de Display.
Ao contrário da Rede de Pesquisa, na Rede de Display é possível usar
a criatividade de várias formas, fazer anúncios interativos, anunciar promoções
e outras possibilidades além do texto. É importante na hora de criar um anúncio
gráfico, fazer em diversas dimensões, pois os sites disponibilizam tamanhos
diferentes de espaço para anúncio.
Se o seu anúncio não possuir as dimensões ideais utilizadas pelo
Google AdWords, ele deixará de aparecer em alguns sites que podem ser
estratégicos para sua empresa, sendo necessário que seja instalado em seu
site o pixel do Google AdWords.

Se o seu anúncio não tiver a dimensão ideal, ele deixará de aparecer


em alguns sites que podem ser estratégicos para sua empresa. Se você ainda
não tem o pixel do Google AdWords instalado no seu site.
Para entender melhor a rede de Display do Google e como utilizá-la
para potencializar as vendas do seu e-commerce, é importante conhecer os
tipos de segmentação.

SEGMENTAÇÃO POR CONTEXTO


Como citado acima, na rede de display é possível anunciar de acordo
com o contexto do site e é essa a primeira possibilidade de segmentação: a
contextual.
Lá o Google AdWords seleciona automaticamente sites relacionados
às suas palavras-chave.
SEGMENTAÇÃO POR CANAL
Outra opção é escolher especificamente em quais sites você quer
aparecer, nesse caso a segmentação é por canal.

SEGMENTAÇÃO POR TÓPICOS


Esse tipo de segmentação consiste na seleção automática de sites da
Rede de Display do Google em tópicos específicos, de acordo com o
interesse da sua persona.

SEGMENTAÇÃO DEMOGRÁFICA E GEOGRÁFICA


Se o seu e-commerce tem alcance em um estado, região ou cidade e é
direcionado para um gênero ou idade, você poderá usar dois tipos de
segmentação para alcançar seu público:
Demográfica: de acordo com a idade ou gênero da pessoa;
Geográfica: de acordo com o local em que o usuário acessa a internet.
Segmentação por categorias de interesse
Por último, a segmentação por categorias de interesse, onde os
anúncios aparecerão em sites de acordo com a categoria de interesse do seu
produto ou serviço.

9. GERENCIAMENTO DE PALAVRAS-CHAVE COM AS


FERRAMENTAS DO GOOGLE
As chamadas Keywords (palavras-chave) devem aparecer logo no
título ou na chamada do post, assim como ao longo do texto. Precisam ser
inseridas de maneira natural, integradas ao contexto, dando sentido à
mensagem. A técnica de uso eficiente de palavras-chave em um negócio virtual
é denominada SEO (Search Engine Optimization), que consiste em facilitar a
localização de determinada página por meio da utilização dos mecanismos de
busca.
O uso de SEO aumenta as chances de visualização de um site de uma
loja virtual e consequentemente pode gerar mais negócios. Ele mostra ao
possível cliente sobre o que é a loja virtual, com o que e como ela trabalha. Ao
digitar os termos ou frase sobre o assunto de interesse o usuário encontra, em
primeiro plano, as páginas que melhor se aplicam as palavras-chave, com o
uso correto do SEO.
As palavras-chave são atalhos que dão ideia do conteúdo de um site,
levam os motores de busca a combinar os resultados e formar os melhores
grupos de opções a serem exibidas. Quanto mais detalhado for o lançamento
de palavras-chave na caixa de pesquisa, maiores serão as chances de
execução da compra. Então é bom que o seu site de vendas tenha no nome,
ou na apresentação de produtos, as palavras que você deseja que apareçam
nas buscas. As Keywords de um comércio eletrônico devem ser usadas com
inteligência e sutileza. De início, é preciso fazer um estudo dos hábitos de
compra do seu cliente em potencial, saber o que ele busca, suas preferências e
condições mais favoráveis de aquisição. De posse dessas informações, o
comerciante digital já pode definir os termos mais favoráveis para o seu e-
commerce.
A escolha das palavras-chave precisa ser cuidadosa, para que o
mecanismo de busca mostre os melhores resultados. O objetivo é estar nas
primeiras posições de exibição, pois isso aumenta em grandes porcentagens o
tráfego de visitantes na página. Para medir o nível de acessos à loja virtual é
importante observar as médias mensais, ficar atento ao número de pesquisas
realizadas para cada termo em especial e aplicar ao seu negócio.
Estudos comprovam que os sites que aparecem na primeira página de
procura têm mais de 90% (noventa por cento) do tráfego. A maior parte das
pessoas que realizam buscas, não chegam a acessar nem a segunda página.
Por isso é tão importante o uso correto das palavras-chave.
A concorrência é bem acirrada, por isso é também importante escolher
palavras-chave que diminuam esse quadro, o que requer muito trabalho e
persistência. Observados todos esses aspectos, para iniciar a definição de
palavras-chave para a sua loja virtual, o primeiro passo é criar uma lista de
termos que facilitariam a busca pelo seu tipo de negócio. Anote as palavras
que vierem à mente e defina a linha de raciocínio que levará ao aumento das
buscas. As palavras-chave relacionadas ao negócio, com dois ou mais
vocábulos já ajudam, mas é aconselhável definir palavras de cauda longa, com
três ou mais termos em sua composição. Crie uma lista com o máximo de
palavras possível.
Agora é a hora de usar as ferramentas disponíveis para ajudar na
formação do acervo de palavras-chave. A mais simples é o recurso do Google
que sugere pesquisas. Ao fazer uma busca, o usuário pode visualizar uma lista
de possibilidades de termos. O Google oferece ainda o planejador de palavras-
chave, que permite verificar a quantidade de buscas realizadas por
determinados termos. Isso possibilita a noção de concorrência no uso das
palavras-chave. O ideal é que se tenha uma lista inicial de até sete palavras-
chave, podendo ser aumentada, com o tempo, para até vinte. Assim, os sites
de busca criarão, gradativamente, um padrão de pesquisa favorável à sua loja
virtual. A sua lista de palavras-chave precisa ser, no entanto, revisada
constantemente, para que não fique desatualizada, já que as tendências são
bastante mutáveis. Os procedimentos de aplicação de palavras-chave aqui
relacionados ajudarão você a conseguir os termos mais adequados ao seu
negócio digital e a atingir um maior fluxo de visitações.

10. GERAÇÃO DE TRÁFEGO ORGÂNICO PARA O E-COMMERCE


Não importa como você está presente na web: seja em um blog, site,
loja virtual ou nas redes sociais, tudo gira em torno do objetivo de conseguir
tráfego. Conquistar acessos para seu espaço na rede, de fato, é o primeiro
passo para interagir com o público.

No contexto específico do comércio eletrônico, aumentar o tráfego é a


maneira de ampliar a divulgação dos seus produtos ou serviços, aspecto
essencial de uma loja bem-sucedida. Para isto, existem diversas opções. Em
geral, duas grandes categorias de tráfego web se destacam: a orgânica e a
paga, através de anúncios.

O jeito mais rápido e, muitas vezes, eficiente de gerar tráfego para o


seu e-commerce é comprar espaços de divulgação virtuais. A publicidade pode
acontecer através de links patrocinados, anúncios de redes sociais ou banners
em sites e blogs que possuam grande acesso.

A ideia aqui é a mesma de anúncios em meios de comunicação


tradicionais, como o rádio ou a TV: adquirir um canal para expor serviços ou
produtos, impactando o público e despertando interesse de compra. Lembre-se
de que a propaganda, por si só, não vende: ela atrai o consumidor e desperta o
desejo de adquirir determinada mercadoria. O fechamento da venda, por sua
vez depende de outros inúmeros fatores, tais como o conteúdo veiculado, a
segurança e acessibilidade da sua loja virtual, dentre outros.

Investir em conteúdo para tráfego orgânico, por ser uma maneira quase
gratuita de expor seu produto ou serviço, é o sonho dos empreendedores e das
startups

Investir em conteúdo para tráfego orgânico por ser uma maneira quase
gratuita de expor seu produto ou serviço, o tráfego orgânico é o sonho dos
empreendedores e das startups. Além da economia proporcionada, a qualidade
deste tipo de tráfego é muito maior. O motivo é bem simples: ao procurar por
algo específico nos buscadores, o internauta chega a seu portal porque, dentre
tantos outros conteúdos, o seu chamou a atenção. A chance deste usuário ser
convertido em cliente é bem maior do que na situação dos anúncios pagos.
Nestes últimos, as propagandas (apesar de poderem ser direcionadas para seu
público), são mais genéricas, exibidas em páginas de resultados de buscas. O
tráfego orgânico, por outro lado, é espontâneo e gerado pelo conteúdo
relevante que você promove em seu espaço virtual. Mais trabalhosa e
demorada que os anúncios, a estratégia costuma ser também mais eficiente.

O QUE APRENDEMOS HOJE


Hoje aprendemos como é vital para o sucesso do e-commerce boas
estratégias de marketing digital, além disso aprendemos como monitorar as
ações de Marketing realizado nas mídias digitais mais comuns.

11. EXERCÍCIOS

1. Qual a definição de marketing digital no e-commerce:


2. Qual a importância do marketing digital no e-commerce?
3. Diferencie os tipos de marketing de busca – SEM e SEO
4. Como realizar marketing de busca do tipo – links patrocinados?
5. Como criar uma boa estratégia de marketing utilizando marketing de
conteúdo?
6. Porque o marketing nas redes sociais é tão importante para um projeto
de e-commerce?
7. Cite os comparadores de preços mais comuns no e-commerce nacional:
8. O que é o Google AdWords e como usar esta ferramenta de forma
correta?
9. Como realizar o gerenciamento de palavras-chave com as ferramentas
do Google?
10. Porque a geração de tráfego orgânico para o e-commerce e uma
estratégia extremamente importante para sua loja virtual?

1. ATIVIDADES

Através de uma pesquisa, verifique quais são as mídias sociais mais


importantes para serem integradas ao seu e-commerce:

2. TDP – ETAPA 09

Nosso e-commerce irá necessitar de integração com redes sociais,


para isso iremos criar contas profissionais nas redes sociais mais comuns,
então, crie sua página no FACEBOOK, INSTAGRAM e seu CANAL no
YOUTUBE, todos voltados para conteúdo de sua loja, futuramente iremos
utilizar estas contas na sua plataforma.