Sei sulla pagina 1di 22
MANUAL DE INSTRUÇÕES MS 04/03 QLC/QLCTA – Versão 04.2005e Detector de Metais Modelo MS 04/03
MANUAL DE INSTRUÇÕES MS 04/03 QLC/QLCTA – Versão 04.2005e Detector de Metais Modelo MS 04/03

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MS 04/03 QLC/QLCTA – Versão 04.2005e

Detector de Metais Modelo MS 04/03 QLC, QLCTA
Detector de Metais
Modelo MS 04/03 QLC, QLCTA

Steinert Latinoamericana Ltda.

Página 1

Rua Marechal Foch, 41 / sala 303 – Grajaú – Belo Horizonte – MG – CEP: 30.430-720 – Tel.: +55 (31) 3372-5993 Website: http://www.steinert.com.br / E-mail: steinert@steinert.com.br

CONTEÚDO 1 GERAL 3 1.1 D ESIGN 3 1.1.1 UNIDADE PADRÃO 3 1.1.2 UNIDADE DUPLA
CONTEÚDO 1 GERAL 3 1.1 D ESIGN 3 1.1.1 UNIDADE PADRÃO 3 1.1.2 UNIDADE DUPLA

CONTEÚDO

1

GERAL

3

1.1

DESIGN

3

1.1.1

UNIDADE PADRÃO

3

1.1.2

UNIDADE DUPLA

3

1.2

FUNCIONAMENTO

3

2

SELECIONANDO O PONTO DE INSTALAÇÃO E MONTAGEM

4

2.1

SELECIONANDO O PONTO DE INSTALAÇÃO PARA A SONDA

4

2.2

INSTALAÇÃO DO DETECTOR (PAINEL DE CONTROLE)

4

3

PREVENINDO INTERFERÊNCIAS ELÉTRICAS NO PONTO DE INSTALAÇÃO

4

3.1

MONTANDO O SENSOR ÚNICO

4

3.2

MONTANDO O SENSOR DUPLO

5

3.3

ELIMINANDO INTERFERÊNCIAS ELÉTRICAS NO PONTO DE INSTALAÇÃO

10

4

CONEXÕES ELÉTRICAS

11

4.1

FONTE DE ALIMENTAÇÃO E LINHA DE CONTROLE

11

4.2

SENSOR ÚNICO

12

4.3

SENSOR DUPLO

12

4.4

FIXAÇÃO DO PLUGUE COAXIAL

12

4.5

LINHA DE EQUALIZAÇÃO POTENCIAL

13

5

PARTIDA

14

5.1

LIGANDO

14

5.2

AJUSTE DA SENSIBILIDADE

15

5.3

SELECIONANDO OS CONTATOS DE SAÍDA DO RELÉ

15

6

ESPECIFICAÇÕES

17

6.1

AMPLIFICADOR

17

6.2

SENSOR

17

7

ANEXOS

18

Atenção! Antes de manusear dentro do gabinete do amplificador ou dentro da caixa de ligações, desligue a fonte de alimentação e as tensões de controle.

1 GERAL Os Dispositivos de Detecção de Metal do tipo QLC e QLCTA são desenvolvidos
1 GERAL Os Dispositivos de Detecção de Metal do tipo QLC e QLCTA são desenvolvidos

1

GERAL

Os Dispositivos de Detecção de Metal do tipo QLC e QLCTA são desenvolvidos especialmente para as indústrias de mineração e agregados. São confiáveis, resistentes e praticamente não precisam de manutenção. Com esse dispositivo de detecção de metal, é possível controlar materiais com uma alta porcentagem de óxidos de metal, como basalto, escória, magnetita, óxido de magnésio e calcedônia.

O dispositivo de detecção de metal

proporciona uma produção livre de problemas.

Protege seu triturador, misturador e máquinas

de extrusão. O dispositivo de detecção de

metal detecta todos os tipos de metal, como aço, ferro, cobre, alumínio, latão, aço inoxidável, etc. Este manual descreve a aplicação em trasportadores de correia.

1.1

DESIGN

O

dispositivo de detecção de metal consiste

em dois componentes, o amplificador e o

sensor único (unidade padrão) ou o sensor duplo. O amplificador e o sensor são interconectados por meio de um cabo coaxial.

1.1.1 UNIDADE PADRÃO

A unidade padrão consiste em um amplificador

e sensor com placa de corpo retangular. O

sensor já e compatível com a largura da estrutura do transportador de correia. Todos

os controles necessários para a operação da

unidade são dispostos de forma acessível atrás da porta frontal. Esta unidade padrão é destinada especialmente às necessidades das indústrias de mineração e agregados, uma vez

que este dispositivo é estável em relação à

vibrações e à construção metálica em volta do transportador de correia.

1.1.2 UNIDADE DUPLA

A unidade padrão pode ser expandida à

unidade dupla, utilizando-se outro sensor e dois espaçadores. Este dispositivo tem uma sensibilidade quase constante em cada ponto

entre os dois sensores. É usado em caso de altas camadas de material na correia.

É usado em caso de altas camadas de material na correia. Fig. 1 Sensor único em

Fig. 1 Sensor único em operação

1.2

FUNCIONAMENTO

Um oscilador localizado no detector alimenta o sensor com uma tensão alternada de alta frequência. Essa tensão é levada ao sensor por meio de um cabo coaxial de 75 Ohm. Um campo alternado eletromagnético é construído verticalmente ao sensor e penetra na correia e no material transportado. Se um pedaço de metal passa pela faixa de detecção do sensor, o circuito oscilador é levemente atenuado. No detector, um pulso é retirado do aumento de amplitude que, após passar por um amplificador, comuta um relé . O relé é a saída do detector. Ele tem dois contatos NA/NF livres que podem ser usados para parar o transportador de correia ou dar um sinal de advertência, etc.

2 SELECIONANDO O PONTO DE INSTALAÇÃO E MONTAGEM 2.1 SENSOR 2.2 DETECTOR - Evite posições
2 SELECIONANDO O PONTO DE INSTALAÇÃO E MONTAGEM 2.1 SENSOR 2.2 DETECTOR - Evite posições

2

SELECIONANDO O PONTO DE INSTALAÇÃO E MONTAGEM

2.1

SENSOR

2.2

DETECTOR

- Evite posições em que o transportador de

correia fique instável.

- A distância entre as suas seções de rolagem

deve ser de no mínimo 1000 mm.

- Se o sistema do transportador de correia tiver que ser interrompido, quando for detectado metal, ele deve estar acessível para poder assim remover essas peças metálicas.

- Leve em consideração a distância que a

correia percorrerá entre o sinal de parada e a

parada efetiva.

- Considere uma distância grande o suficiente entre os motores elétricos e grandes peças metálicas móveis, no mínimo 1,0 m.

- Instale o detector nas proximidades do sensor, como na sala de controle do sistema do transportador ou externamente em um local protegido da luz direta do sol e da chuva. - O comprimento padrão do cabo coaxial (cabo de ligação entre o sensor e o detector) é de 10 m. Cabos mais longos podem ser solicitados.

- Proteja o sensor da luz direta do sol. 3 PREVENINDO INTERFERÊNCIAS ELÉTRICAS NO PONTO
-
Proteja o sensor da luz direta do sol.
3
PREVENINDO INTERFERÊNCIAS ELÉTRICAS NO PONTO DE INSTALAÇÃO
3.1
MONTANDO O SENSOR ÚNICO

Verifique se os números de série do sensor e do detector são os mesmos. Monte o sensor conforme indicado na figura 1 e 2, onde o padrão da peça deve apontar para cima. A distância entre o sensor e o fundo da correia deve ser entre 40-50 mm correspondentes à curvatura máxima esperada da correia. Suportes angulares e canais em U devem ser usados para montar o sensor e alcançar um alto grau de estabilidade de posição

eliminando a distorção. Construção de transportador de correia que vibra deve ser ajustada na posição em que o sensor é instalado. Qualquer tipo de instalação diferente daquilo que foi mencionado acima deverá ser discutido com o fornecedor antecipadamente. É importante que o sensor esteja conectado de forma firme com a construção do transportador de correia e que nenhum movimento aconteça em relação à construção metálica ao redor.

3.2 MONTANDO O SENSOR DUPLO Verifique se os números de série do sensor e do
3.2 MONTANDO O SENSOR DUPLO Verifique se os números de série do sensor e do

3.2 MONTANDO O SENSOR DUPLO

Verifique se os números de série do sensor e do detector são os mesmos. O sensor duplo deve ser montado conforme indicação na figura 1 e 2. Ao montar o sensor, considere o seguinte:

- Monte o sensor no ponto central entre as

duas seções de rolagem.

- Os dois sensores devem ser montados frente

a frente.

- A folga entre o sensor inferior e a correia carregada ainda deverá ser de entre 40-50 mm, mesmo quando ocorrer a curvatura máxima da correia.

- O sensor superior deve ser montado

exatamente acima do sensor inferior.

- Conecte o sensor superior ao inferior

usando o cabo curto de interconexão (6).

- A distância entre o sensor superior e a

correia depende da altura máxima da camada de material transportado.

- Se utilizado externamente, o sensor deve

ser protegido da luz direta do sol. (Instale

uma pequena cobertura de madeira ou plástico, se necessário.)

Para conseguir um alto grau de sensibilidade, a distância entre os dois sensores e a correia deve ser mantida a menor possível. Em caso de dúvida, envie um esboço da posição de instalação pretendida ao Fabricante para avaliação.

Fig. 1 Montando o sensor duplo

2 3 7 1 6 4 5 ao amplificador
2
3
7
1
6
4
5
ao
amplificador

Junte firmemente as peças n°. 1 a 4 através de 4 tirantes roscados M10

Solde unindo as peças n°. 4 e5

1 sensor inferior

2 sensor superior

3 espaçador

4 estrutura de sustentação

5 estrutura do transportador

6 cabo para interconexão

7 furo de sensor ø11 mm

Atenção!

Sempre use o cabo coaxial original do Fabricante. Não use outros cabos coaxiais comuns.

Fig. 2 Exemplo de Transportadores de Correia com Armação em U mind. 1000 (ou 2x
Fig. 2 Exemplo de Transportadores de Correia com Armação em U mind. 1000 (ou 2x

Fig. 2 Exemplo de Transportadores de Correia com Armação em U

mind. 1000 (ou 2x largura do Sensor)

Sensor Correia Sensor Chapa de Cobertura ca. 50 mm Remova desta área: Roletes debaixo da
Sensor
Correia
Sensor
Chapa de Cobertura
ca. 50 mm
Remova desta área:
Roletes debaixo da correia.
Todos os tipos de chapas metálicas.
Vigas diagonal e transversal.
Espaçador
Solde unindo
uns com os outros:
Seção de rolagem,
chapa metálica de cobertura,
armação em U.
ca. 10
ca. 10
ca. 10
ca. 10
X = Posição das juntas de solda
ca. 10
ca. 10
ca. 10
ca. 10

Suporte de curto-circuito a ser soldado a cada rolete próximo ao sensor. Rolete para a correia superior com protetor de curto-circuito

Material a ser usado: aço ST 37.11, mind. 3 mm de espessura, 50 mm de largura.

Alternativamente, os roletes podem ser preparados com capas de isolamento, de acordo com Fig. 6, página 10.

Fig. 3 Como colocar um sensor duplo em construções com Armação em U errado: Os
Fig. 3 Como colocar um sensor duplo em construções com Armação em U errado: Os

Fig. 3 Como colocar um sensor duplo em construções com Armação em U errado:

um sensor duplo em construções com Armação em U errado: Os espaçadores não devem ser soldados

Os espaçadores não devem ser soldados a nenhuma outra peça

errado:

não devem ser soldados a nenhuma outra peça errado: certo: Os sensores não devem ser montados

certo:

devem ser soldados a nenhuma outra peça errado: certo: Os sensores não devem ser montados em

Os sensores não devem ser montados em uma armação fechada

errado: placas laterais metálicas na área do sensor certo: 800 min. placas laterais não condutoras
errado:
placas laterais metálicas
na área do sensor
certo:
800 min.
placas laterais não condutoras
nesta área
errado:
Sensor montado em uma única placa de PVC
Os espaçadores não devem ser soldados a nenhuma
outra peça
errado: vide acima

Em caso de vibrações ou torções ou se uma alta sensibilidade for desejada, o sensor deve ser montado em uma placa única de PVC

errado:
errado:

Não monte usando um mecanismo de vão.

Fig. 4 Exemplo de montagem para construção com armação de canos A correia ca. 50
Fig. 4 Exemplo de montagem para construção com armação de canos A correia ca. 50

Fig. 4 Exemplo de montagem para construção com armação de canos

A correia ca. 50 mm Sensor Remova as vigas diagonais se estiverem tocando o sensor
A
correia
ca. 50 mm
Sensor
Remova as vigas diagonais
se estiverem tocando o
sensor ou se estiverem sob
o sensor.

suportes de curto-circuito

ou se estiverem sob o sensor. suportes de curto-circuito A Corte transversal: A - A correia

A

Corte transversal:

A - A

correia rolete Sensor
correia
rolete
Sensor

suportes de curto-circuito

Fig. 5 Como embutir uma sensor duplo em uma construção com armação de canos errado:
Fig. 5 Como embutir uma sensor duplo em uma construção com armação de canos errado:

Fig. 5 Como embutir uma sensor duplo em uma construção com armação de canos

errado: certo: Os espaçadores não devem ser soldados a nenhuma outra peça errado: errado: vide
errado:
certo:
Os espaçadores não devem ser soldados a nenhuma
outra peça
errado:
errado: vide acima
certo:
errado:
Nenhum rolete embaixo da correia é permitido a uma
distância lateral de no mínimo 1,5 m do sensor
Os sensores não devem ser montados em armações
fechadas ou vigas diagonais
errado:
Nenhuma peça metálica deve passar pela abertura do
sensor

Em caso de vibrações ou torções ou se uma alta sensibilidade for desejada, o sensor deve ser montado em uma chapa única de PVC (vide Fig. 6)

Fig. 6 Eliminando interferências elétricas com buchas de isolamento apoiando o eixo do rolete com
Fig. 6 Eliminando interferências elétricas com buchas de isolamento apoiando o eixo do rolete com

Fig. 6 Eliminando interferências elétricas com buchas de isolamento

apoiando o eixo do rolete com bucha de isolamento- necessário em um lado apenas

2

3

4

bucha de isolamento- necessário em um lado apenas 2 3 4 1 1 bucha de isolamento

1

1 bucha de isolamento

2 eixo do rolete

3 suporte do rolete

4 rolete

3.3 PREVENINDO INTERFERÊNCIAS ELÉTRICAS NO PONTO DE INSTALAÇÃO

É importante manter interferências elétricas afastadas do sensor para garantir a sensibilidade adequada e evitar alarmes falsos. As medidas mais importantes para evitar

interferências elétricas são mostradas nas Fig. de 2 a 6.

- Transportadores de correia instáveis ou

curvados devem ser reforçados no ponto de instalação.

- Chapas de cobertura metálicas, telhado

metálico e chapas guias metálicas entre as seções de rolagem adjacentes devem ser

removidas ou substituídas por peças de madeira ou plástico.

- Os roletes de retorno devem ser removidos nessa área.

- Os cantos e margens da chapa de cobertura

devem ser soldados à armação se forem estendidos à essa área.

- Os roletes adjacentes devem ser preparados

ou com protetores de curto-circuito de acordo

com Fig.2 ou com buchas plásticas de acordo com Fig. 6.

- Se alta sensibilidade não for necessária, pode-

se prevenir interferência através de suportes de

curto-circuito (vide Fig. 2 e 4).

- As seções de rolagem adjacentes devem ser

soldadas à armação do transportador de correia. Se já estiverem parafusados em seu suporte, uma pequena junta de solda (cerca de 15 mm) será suficiente. - Todas as ligações parafusadas e rebitadas numa distância de até 2 m do sensor, deverão ser reforçadas com pequenas soldagens.

Observação:

As ligações parafusadas e rebitadas são contatos imprevisíveis para correntes elétricas que sabidamente aumentam problemas nas proximidades do sensor. As pequenas soldagens adicionais resolverão esses problemas.

A preparação dos roletes é necessária apenas com buchas de isolamento ou com suportes de curto-circuito.

4 CONEXÃO ELÉTRICA 4.1 FONTE DE ALIMENTAÇÃO, LINHA DE CONTROLE, CABO COAXIAL Obtenha dados sobre
4 CONEXÃO ELÉTRICA 4.1 FONTE DE ALIMENTAÇÃO, LINHA DE CONTROLE, CABO COAXIAL Obtenha dados sobre

4

CONEXÃO ELÉTRICA

4.1

FONTE DE ALIMENTAÇÃO, LINHA DE CONTROLE, CABO COAXIAL

Obtenha dados sobre a tensão da fonte de alimentação e identificação da saída nas especificações. Conecte a tensão de linha

(preferivelmente rede elétrica) aos terminais L1,

N e PE. A faixa de flutuações de tensão não

deve exceder a 15%. Conecte a linha de

controle ao terminal a partir do relé K1 (vide Fig. 7). Na Fig. 7 os contatos do relé são mostrados

no estado sem corrente. Através do comutador

deslizável S2 na placa do circuito (vide seção 5.3), pode-se decidir se o relé normalmente não conduzirá corrente elétrica, sendo ativado apenas na detecção de metal, ou se o relé estará normalmente ativo (posição de segurança) e será desativado apenas na detecção de metal.

As duas linhas de controle podem ser usadas

para parar o transportador de correia, inverter

sua direção ou para ativar um dispositivo de

ejeção. A Fig. 7 mostra um exemplo para a função “parada da correia”. Nesse caso, o relé de saída funciona no modo normalmente desativado.

O dispositivo de detecção de metal exige

apenas um cabo coaxial para o sensor de conexão e o amplificador. Instale o cabo coaxial

em um conduite plástico longe de outros cabos

elétricos. Normalmente uma distância de 20 cm é suficiente.

Importante: Não confunda conexão de sinal e o aterramento na tira de terminais do amplificador.

Fig. 7 Exemplo de conexão com fiação adicional “circuito de travamento”

K1 contatos nf/na potencialmente livres “alarme de metal” duração do pulso 0,5 s L1 N
K1
contatos nf/na potencialmente livres
“alarme de metal”
duração do pulso 0,5 s
L1
N PE
4
5
6
8
7
tira de terminais
L1
N PE
tensão de alimentação
6 Cabo coaxial de
preparação do
75 Ohm com
desligado
25
cabo coaxial
malha soldável
ligado
sensor único
L1
L2
L3
PE
transportador de correia
K
sensor duplo
tensão de controle
unidade de força
Fig. 8 e 9 Fixação do plugue coaxial preparação do cabo coaxial 10 15 arruela
Fig. 8 e 9 Fixação do plugue coaxial preparação do cabo coaxial 10 15 arruela

Fig. 8 e 9 Fixação do plugue coaxial

preparação do cabo coaxial 10 15 arruela
preparação do cabo coaxial
10
15
arruela

Empurre o cone de ajuste entre a malha e cabo até travar

carcaça

malha

cone de

gaxeta

anel de

tampa roscada

ajuste 5 pressão razão de torque 7 Nm
ajuste
5 pressão
razão de torque 7 Nm

soldar condutor central! conector de combinação

4.2 SENSOR ÚNICO

Conecte o cabo coaxial ao amplificador conforme mostrado na Fig. 7. Rosqueie os plugues coaxiais nos soquetes correspondentes no sensor, aplicando força manual máxima, sem usar ferramentas.

4.3 SENSOR DUPLO

Use o cabo de interconexão para conectar o sensor superior e inferior. Outras conexões como do tipo com o sensor único.

Importante: Não confunda a conexão viva e a de terra na tira de terminais do amplificador.

4.4 FIXAÇÃO DO PLUGUE AXIAL

Prepare o cabo coaxial sem danificar a malha de blindagem. Insira o condutor central e a malha no plugue coaxial e solde o condutor central (vide fig. 8 e 9). Use um ferro de solda com boa capacidade de retenção de calor.

Observação: A fixação do plugue coaxial deve ser feita com muito cuidado. Todos os fios individuais da malha devem permanecer sempre juntos.

Atenção! Sempre use o cabo coaxial original do Fabricante. Não use outros cabos coaxiais comuns.

4.5 LINHA DE EQUALIZAÇÃO POTENCIAL Apesar do fato de que o transportador e o amplificador
4.5 LINHA DE EQUALIZAÇÃO POTENCIAL Apesar do fato de que o transportador e o amplificador

4.5 LINHA DE EQUALIZAÇÃO POTENCIAL

Apesar do fato de que o transportador e o amplificador estão conectados ao fio aterrado, há freqüentemente potenciais de alto pico entre esses dois dispositivos. O dispositivo de detecção de metal reage com alarme falso. Com uma linha de equalização de potencial direta, essas possíveis diferenças são reduzidas.

Para isso:

- Contato próximo ao sensor. Limpe a

superfície de contato muito bem e use uma arruela de aperto dentada.

- Conecte ao parafuso de aterramento no amplificador.

- O diâmetro da linha de equalização de

potencial deve ser de no mínimo 2,5 mm2

Observação: Não coloque a linha de equalização potencial junto com as linhas de condução de corrente elétrica. Coloque-a junto com o cabo coaxial de 75 ohm.

sensor amplificador transportador de correia 1 2
sensor
amplificador
transportador
de correia
1
2

linha de equalização de potencial, mind. 2,5 mm ²

Fig. 10 Instalação da linha de equalização de Potencial

Fig. 11 Elementos de operação e controle do amplificador comutador de Sensibilidade Platine QLC M
Fig. 11 Elementos de operação e controle do amplificador comutador de Sensibilidade Platine QLC M

Fig. 11 Elementos de operação e controle do amplificador

comutador de

Sensibilidade Platine QLC M 004 placa de circuito impresso
Sensibilidade
Platine QLC M 004
placa de circuito impresso

serviço

comutador de função de relé

LED Indicador

"metal"

potenciômetro para ajuste de sensibilidade

comutador

seletor

2 = "ajuste"

1 = “operação”

5

PARTIDA

5.1

LIGANDO

Após conectar o sensor, a fonte de energia e o cabo de controle, a unidade deve ser iniciada da seguinte forma: Ligue a energia – a linha do LED indicador se acenderá. Dependendo da sensibilidade do ajuste, o LED indicador vermelho de “metal” pode se acender brevemente. Após cerca de 20 segundos a unidade estará pronta para operação.

Os interruptores deslizáveis podem ser trocados com uma chave de fenda sem desmontar a chapa frontal. Isso deve ser feito com cuidado. Mude o comutador seletor S3 para a posição “ajuste”. A linha LED de indicação deve ler entre 30 e 70 µA.

Os interruptores deslizáveis podem ser trocados com uma chave de fenda sem desmontar a chapa frontal. Mude o comutador seletor S3 para a posição “operação”. A linha LED de indicação deve ler 50 µA.

Durante a operação do dispositivo de detecção de metal, o comutador seletor S3 deve ser deixado na posição “operação”.

Apenas nessa posição, o instrumento de controle fornece informações sobre o estado geral de operação: se o ponteiro permanecer relativamente imóvel, tudo estará na unidade funcionando bem. Movimentos constantes ou de mais de 10% podem indicar influências de esturjão.

5.2 AJUSTE DA SENSIBILIDADE A posição certa do controle de sensibilidade é muito importante para
5.2 AJUSTE DA SENSIBILIDADE A posição certa do controle de sensibilidade é muito importante para

5.2 AJUSTE DA SENSIBILIDADE

A posição certa do controle de sensibilidade é

muito importante para a operação: uma sensibilidade baixa demais põe em risco o maquinário a ser protegido, enquanto que uma sensibilidade alta demais causará paradas desnecessárias dos transportadores de correias, ou ejeções de material,

respectivamente.

- Selecione uma peça para prova que

corresponda à menor peça metálica a ser detectada, como uma porca, por exemplo.

- Amarre um barbante na peça de prova.

- Ligue a unidade, e coloque o comutador

seletor S3 na posição “operação”. Esvazie a correia e desligue o sistema transportador.

- Puxe a peça de prova com ajuda do barbante através do túnel do sensor – com uma

velocidade aproximada à da correia . Ajuste o controle de primeira sensibilidade passo a passo até que a peça de prova seja detectada – mas que partes menores de metal permaneçam não detectadas.

- Deixe o transportador de correia em

funcionamento, mas sem carga.

- Observe a linha de LED indicador: se

nenhuma peça de metal passar pela área do

sensor, a linha do indicador LED deve permanecer na faixa de 40 a 60 µA. (É recomendado conectar a unidade à rede elétrica.)

A linha do LED indicador pode se mover entre

40 e 60 µA apenas, se nenhuma parte de metal passar pelo sensor. Se houver desvios maiores, principalmente em caso de alarmes falsos, deve-se verificar se há fontes de interferência nos seguintes pontos:

- influências mecânicas, páginas 6 a 10

- cabo coaxial e linha de equalização de potencial, páginas 11 e 13

- fonte de alimentação, página 17

Por exemplo:

As buchas de isolamento e os suportes de curto-circuito foram instalados? As seções de rolagem adjacentes foram soldadas à armação do transportador? Os cabos coaxiais foram fixados corretamente?

Se ainda persistirem interferências, o fabricante responderá suas perguntas com prazer. Então ele perguntará a você o número de série e as leituras da linha do indicador LED para as duas posições do comutador seletor S3.

- Deixe o transportador funcionar com carga.

- Repetidamente jogue a peça de prova no material transportado e reajuste a sensibilidade se necessário.

Atenção! Certifique-se de que o transportador de correia possa ser parado manualmente se necessário.

5.3 AJUSTANDO OS COMUTADORES DESLIZÁVEIS S1 E S2

Os comutadores deslizáveis podem ser mudados com uma chave de fenda sem desmontar a chapa frontal. Isso deve ser feito com cuidado.

Comutador deslizável S1 na posição 1:

Modo de Operação: Uma detecção de metal ativará os contatos do relé de saída K1.

Comutador deslizável S1 na posição 2:

Modo de Teste: O relé K1 permanece no estado selecionado por S2 e não mais responderá. Apenas o indicador LED vermelho “Metal” acusará peças de metal.

Atenção: Durante a operação, o comutador S1 deve ser mudado para a posição 1.

Comutador deslizável S2 na posição 1:

Modo normalmente relaxado, ou seja, o relé será ativado por cerca de 0,5 segundos na detecção de metal e, posteriormente, retornará ao estado de relaxamento.

Comutador deslizável S2 na posição 2:

Modo normal ativado, ou seja, o relé será ativado ao ligar a unidade, relaxará por cerca de 0,5 segundos na detecção de metal e, posteriormente, retornará ao estado ativado. Neste modo, falta de energia colocará o relé em estado de detecção de metal e um alarme de duração é acionado.

Os contatos no terminal do relé precisam receber fiação de acordo com a posição selecionada de S2 (vide seção 4.1). A unidade deixa a fábrica no modo normalmente relaxado.

Fig. 12 Diagrama de Conexão Interna Platine QLC M 004 placa de circuito impresso placa
Fig. 12 Diagrama de Conexão Interna Platine QLC M 004 placa de circuito impresso placa

Fig. 12 Diagrama de Conexão Interna

Platine QLC M 004 placa de circuito impresso placa de circuito de fonte terminais parada
Platine QLC M 004
placa de circuito impresso
placa de circuito
de fonte
terminais
parada da correia
sensor
tensão de alimentação
Diagrama de conexão
Tipo QLC M 004
6 ESPECIFICAÇÕES 6.1 AMPLIFICADOR Tensão de Alimentação: 100-240V / 50-60 Hz / +/- 10% Consumo
6 ESPECIFICAÇÕES 6.1 AMPLIFICADOR Tensão de Alimentação: 100-240V / 50-60 Hz / +/- 10% Consumo

6

ESPECIFICAÇÕES

6.1

AMPLIFICADOR

Tensão de Alimentação:

100-240V / 50-60 Hz / +/- 10%

Consumo de Potência:

15 VA

Velocidades Admissíveis de Correia:

0,3-4,0 m/s (outras velocidades mediante solicitação)

Temperaturas Admissíveis no Ambiente:

-20° C a +55° C

Entradas:

1 cabo coaxial, sensor

Saídas:

Detecção de metal: 1 relé com 2 contatos nf/na livres

Carcaça:

potenciais para 230V / 5A de carga ôhmica; escolha de modo normalmente fechado ou modo normalmente ativado Dispositivo de proteção alemão de classificação IP 65, folha de aço, tratada com revestimento de imersão primária de eletroforese cor: RAL 7035 (cinza)

imersão primária de eletroforese cor: RAL 7035 (cinza) Montagem: Montagem na Parede Peso: 9 kg

Montagem:

Montagem na Parede

Peso:

9 kg

Dimensões:

Vide figura

Execuções a outras exigências operacionais podem ser possíveis mediante solicitação.

6.2

SENSOR

Design:

Sensor único: chapa retangular grande com bobinas

de indução embutidas. Tomada coaxial com flange anexada para conexão elétrica. Sensor duplo: como acima, mas com 2 peças de suporte e conexões elétricas na caixa de terminais. Material: Carcaça do sensor de PVC, PE ou PA6.6 bobinas moldadas em dois componentes de resina.

Temperaturas Admissíveis no Ambiente:

PE versão de -30° C até +70° C PE6.6 versão de -50° C até +120° C

7 ANEXOS DISPOSITIVO DE DETECÇÃO DE METAL COM SENSOR ÚNICO Componentes necessários para : dispositivos
7 ANEXOS DISPOSITIVO DE DETECÇÃO DE METAL COM SENSOR ÚNICO Componentes necessários para : dispositivos

7

ANEXOS

DISPOSITIVO DE DETECÇÃO DE METAL COM SENSOR ÚNICO

Componentes necessários para:

dispositivos de detecção de metal com: 1 sensor

1 detector

sensores únicos:

1 x 10 m cabo coaxial especial, 75 ohm impedância

Tamanhos nominais:

mm, outros tamanhos na aplicação

Instalação:

mm de folga entre a correia e o sensor inferior

Sensor único

folga entre a correia e o sensor inferior Sensor único Tamanhos nominais para largura de correia
Tamanhos nominais para largura de correia até peso
Tamanhos
nominais
para largura
de correia até
peso

Outros tamanhos mediante solicitação.

DISPOSITIVO DE DETECÇÃO DE METAL COM SENSOR DUPLO Componentes necessários para : dispositivos de detecção
DISPOSITIVO DE DETECÇÃO DE METAL COM SENSOR DUPLO Componentes necessários para : dispositivos de detecção

DISPOSITIVO DE DETECÇÃO DE METAL COM SENSOR DUPLO

Componentes necessários para:

dispositivos de detecção de metal com: 2 sensores

1 detector

sensores duplos:

2 suportes especiais (espaçadores)

Tamanhos nominais:

1 x 10 m cabo coaxial especial, 75 ohm impedância mm, outros tamanhos na aplicação

Instalação:

mm de folga entre a correia e a sensor inferior

Sensor duplo

folga entre a correia e a sensor inferior Sensor duplo Tamanhos para largura de correia até
Tamanhos para largura de correia até peso nominais aproximado
Tamanhos
para largura
de correia até
peso
nominais
aproximado

Outros tamanhos mediante solicitação. H = de acordo com solicitação.

Lista de Verificação para Pontos de Prevenção de Interferências Elétricas se o Sensor for Montado
Lista de Verificação para Pontos de Prevenção de Interferências Elétricas se o Sensor for Montado

Lista de Verificação para Pontos de Prevenção de Interferências Elétricas se o Sensor for Montado em uma Armação de Transportador de Ferro Estrutural em U - exceto se especificado de outra forma –

1.

Distância mínima entre os roletes superiores e o centro do sensor: 500 mm

2.

Distância mínima entre os roletes inferiores e o centro do sensor: 500 mm

3.

Distância entre o sensor inferior e a correia carregada: aprox. 50 mm.

4.

Remova todos os tipos de vigas diagonais e transversais da área sob o sensor.

5.

O

ferro estrutural para a montagem do sensor deve ser soldado à armação do transportador.

6.

Todas as vigas diagonais e transversais dentro da área de 1000 mm em torno do sensor devem ser soldadas à armação e não parafusadas.

7.

Uma seção de rolagem antes e uma após o sensor devem ser soldadas à armação.

8.

Para uma seção de rolagem antes e uma após o sensor: forneça ao eixo do rolete buchas isolantes – necessárias em um lado apenas de cada rolete – ou prepare-o com suportes de curto circuito

9.

Seções de rolagem dos roletes inferiores devem ser montadas a uma distância mínima de 1000 mm do sensor.

10.

Eixos de roletes inferiores do ponto 9 devem ser preparados ou com buchas isolantes, de acordo com o ponto 8, se a distância do sensor for menor que 1000 mm.

11.

As pernas no chão, uma antes e uma após o sensor, devem ser soldadas à armação, se a distância até o sensor for menor que 1000 mm.

12.

A

linha para parada de emergência não influenciará o sensor, se for instalada ao lado dele.

13.

Chapas de cobertura do telhado sobre o transportador de correia ou entre o transportador de correia superior e inferior devem ser feitas de material não condutor na área de 1000 mm antes

1000 mm após o sensor. Suportes de estrutura de ferro para cobertura de telhado são permitidos, mas todas as suas peças devem ser soldadas umas às outras.

e

14.

Uma linha de equalização potencial deve ser conectada entre a armação do transportador e o terminal de terra do amplificador. Vide seção 6.4

15.

Instale o cabo coaxial separadamente de outros cabos carregados, exceto o cabo para equalização de potencial. A linha de equalização de potencial deve ser instalada junto com o cabo coaxial em um conduite de plástico. É permitido o cruzamento de outros cabos carregados, mas não instalações a menos de 1 m em paralelo a esses cabos carregados.

Além disso, é importante levar em consideração a montagem – e o manual de instruções.

correia estrutura do transportador Sensor numeração: vide lista de verificação Instale a proposição do sensor
correia estrutura do transportador Sensor numeração: vide lista de verificação Instale a proposição do sensor
correia estrutura do transportador Sensor numeração: vide lista de verificação Instale a proposição do sensor
correia
estrutura do
transportador
Sensor
numeração: vide lista de verificação
Instale a proposição do sensor
único e duplo em armação do
transportador estrutural em U
  LISTA DE PEÇAS SOBRESSALENTES     Nome Data Tipo   MS 04/03   op.
  LISTA DE PEÇAS SOBRESSALENTES     Nome Data Tipo   MS 04/03   op.
 

LISTA DE PEÇAS SOBRESSALENTES

 
 

Nome

Data

Tipo

 

MS 04/03

 

op.

Burau

17.07.03

QLC / QLCTA

Pos.

 

Descrição

Local

Peça

Tipo e No. Ordem

1

 

G – tipo de fusível 1,0 T

 

1

 

F01.100

2

 

Relé K1

 

1

EAB-RP 821012

3

 

força placa de circuito

 

1

NT 03/02 qlc

4

amplificador – placa de circuito

 

1

 

QLC 004