Sei sulla pagina 1di 5

LIÇÕES DO DESERTO

Por: Ev. Anselmo Nunes/Duque de Caxias - RJ

Ele os levou por aquele enorme e perigoso deserto, cheio de cobras venenosas e de escorpiões, e onde
não havia água. Mas no deserto Deus fez sair água da rocha bruta, para vocês beberem, e lhes deu para
comer o maná, uma comida que os seus antepassados não conheciam. Ele fez tudo isso para humilhá-
los e para fazê-los passar por provas a fim de abençoá-los mais tarde
Dt 8.15-16 (NTLH).

Depois de uma peregrinação de 40 anos pelo deserto, o povo de Israel está na iminência de entrar na
terra prometida. Moisés então, relembra a saga desta geração criada no deserto. Fala das crises, das
rebeliões e pecados dos seus pais que pereceram por sua rebeldia e incredulidade.

Entendemos, então, que o propósito do Senhor era abençoar o seu povo ainda que fosse necessário
conduzi-los por um território inóspito por um largo período de tempo. Havia grandes lições a ensinar
que somente teriam efeito sob este processo.

Existem momentos na nossa vida que não gostaríamos de vivenciar. Porém, na trajetória da existência
temos também que atravessar “desertos”.

Algumas vezes, na jornada da vida, inesperadamente nos achamos no meio do deserto!

E em nossa impaciência e desconforto começamos a questionar Deus! Por que? E agora?

Chamamos de deserto a estágios de nossas vidas os momentos de aridez, de escassez de alegria,


ausência de paz...

Quem sabe você aqui também se sentindo perdido no meio de um deserto... Momentos áridos,
sensação de abandono, solidão, sem saber o que fazer...

Qual é o seu deserto?

Enfermidade, aflição, angústia, dívidas, problemas familiares, casamento em crise?

Se temos que atravessar desertos na vida, se isto é inevitável, creio ser importante, pelo menos estar
preparados.

Precisamos aprender algumas lições com o deserto.

O que é um deserto?
Um deserto é um ambiente hostil e potencialmente mortal para seres humanos despreparados.

1– LUGAR HOSTIL Esta palavra tem origem no latim hostilis, sendo que hostis significa inimigo.

Nos desertos quentes, altas temperaturas causam perda rápida de água devido ao suor, e à ausência de
fontes de água para recuperar o líquido perdido, podendo resultar em desidratação e morte dentro de
poucos dias.
Além disto, a amplitude térmica no deserto é absurda. De dia as temperaturas alcançam 45 graus e à
noite podem cair abaixo de zero!

Este fenômeno se deve a baixa umidade do ar e o solo arenoso que não retém o calor tempo suficiente.
Somado a todas estas condições extremamente desfavoráveis, há animais perigosos no deserto.

O nosso amado Salvador, o próprio Senhor Jesus passou pelo deserto. O evangelista Marcos fornece um
detalhe impressionante da hostilidade, dos perigos, daquele lugar:

“E ali esteve no deserto quarenta dias, tentado por Satanás. E vivia entre as feras, e os anjos o
serviam.” Mc 1.13

O deserto da Judéia era habitado por chacais, lobos, leões, serpentes e escorpiões.

Jesus passou quarenta dias sob risco iminente de ataque de feras, conforme a narrativa de Marcos.
Que terrível agonia, portanto, é estar no deserto!
Angústia, desconforto, perigos e espreitado pelo inimigo, continuamente ameaçado.

Há pessoas vivendo em angústia semelhante. Não tem sossego, sem paz, sente-se ameaçado sem
trégua. A existência nestas circunstâncias por períodos prolongados torna-se terrivelmente amarga e
exaustiva.

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade no qual ocorrem crises inesperadas de


desespero e medo intenso de que algo ruim aconteça, mesmo que não haja motivo algum para isso ou
sinais de perigo iminente.

A espada de Dâmocles é uma alusão frequentemente usada para remeter a este conto, representando a
insegurança daqueles com grande poder (devido à possibilidade deste poder lhes ser tomado de
repente) ou, mais genericamente, a qualquer sentimento de danação iminente..

Há momentos na vida em que os desertos simplesmente nos envolvem. E como não podemos evitar ou
fugir, precisamos atravessá-los.

Mas, como não sucumbir neste ambiente tão hostil?


Como sobreviver debaixo de tão terríveis ameaças?
Como escapar dos perigos sem conta destes desertos?

Se você se encontra afligido por circunstâncias parecidas, há uma palavra libertadora de Deus para o seu
coração:

Salmos 91:13-15

“Você pisará o leão e a cobra; com os pés esmagará o leãozinho e a serpente.


Deus diz: “Porque a mim se apegou com amor, eu o livrarei;
eu o protegerei, porque conhece o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei;
na sua angústia eu estarei com ele; eu o livrarei e o glorificarei.
Vou saciá-lo com longevidade e lhe mostrarei a minha salvação.” Salmos 91:13-15 (NAA)

Neste texto o Salmista (Moisés?) fala da felicidade da pessoa que confia em Deus e por Ele é protegida
até o verso 13.
A partir do 14 é o próprio Deus quem fala ao crente fiel, mas aflito, com algumas maravilhosas
promessas, das quais destacamos três:

1 - Proteção: Ou seja, uma ação poderosa de Deus para impedir que as


ameaças, perigos e ataques contra o crente tenham efeito.
2 - Resposta às orações: Nos momentos de grande necessidade, quando o único recurso é pedir socorro
ao Senhor, o crente fiel ouvirá a terna voz do Mestre a dizer: “Que queres que Eu te faça?” (Jr 33.3)
3- Presença e companhia do Senhor. A angústia pode se prolongar e teremos que suportá-la por algum
tempo, mas não caminharemos sozinhos! Ele promete estar conosco na angústia nos guiando e
fortalecendo. Nos amparando e nos renovando!
Ainda que eu ande por um vale escuro como a morte, não terei medo de nada.
Pois tu, ó SENHOR Deus, estás comigo; tu me proteges e me diriges. Salmo 23.4 NTLH (De Davi)

Em Daniel capítulo 3, a Bíblia conta que três jovens fiéis a Deus foram jogados numa fornalha, dispostos
a morrer por amor ao seu Deus. Porém, o Senhor entrou com eles naquela fornalha e andou com eles
no meio do fogo que não teve nenhum poder destrutivo sobre eles, nem sobre suas roupas.

A palavra do Senhor para pessoas que estão passando pelo deserto, afligidas por circunstâncias
desfavoráveis, perplexas (sem saber o que fazer) e com muito medo é:

Permaneça firme. Sinta a presença de Deus agora. Contemple pelos olhos da fé a multidão de anjos ao
seu redor para lhe guardar de todos os perigos.

2- LUGAR ESTÉRIL, IMPRODUTIVO

No deserto é impossível plantar. Temperaturas altas, solo árido e duro.

Sementes não vingam pois as condições são por demais adversas. Criar animais está fora de cogitação.
O gado não sobrevive. Vai definhar e morrer antes de se reproduzir.

E podemos estar atravessando igualmente, um período no qual nossas vidas parecem improdutivas.
Apesar de todos os nossos esforços, de nossas melhores intenções e fortes investimentos nada
funciona, nada prospera e nada acontece.

Robert Morrison nasceu na Escócia em 1782, de uma piedosa família de crentes Presbiterianos.

Aos 15 anos entendeu o que é mais importante na vida: que ele era um pecador, um homem perdido e
para se salvar devia aceitar a Jesus como seu Salvador. Assim ele fez, e depois disso, compreendeu que
era seu dever levar também a outros a história desse Salvador para que todos também pudessem se
livrar de seus pecados.

Depois de trabalhar por uns tempos nas Igrejas da Inglaterra, Morrison associou-se na Sociedade
Missionária de Londres com a idéia de se tornar um missionário na China. Por essa ocasião já dominava
o latim, o grego e o hebraico.

Durante sua vida, conseguiu a conversão de poucas pessoas, mas seu trabalho traduzindo a Bíblia,
preparando o dicionário inglês-mandarim e de edição de uma gramática sino-inglesa, fez com que fosse
possível a conversão de milhares de chineses depois da sua morte.
Apesar das dificuldades internas, diversas lideranças organizaram recentemente o evento “Missão China
2030”. A conferência, realizada em Hong Kong lançou um projeto impensável anos atrás: enviar 20.000
missionários chineses para diversos países do mundo até 2030.

No final do evento, os primeiros 200 candidatos a missionários foram apresentados. O pastor Daniel Jin,
diretor da revista China Mission Today desafiou a Igreja chinesa a “trabalhar e orar” para cumprirem
esses desafios missionários nos próximos anos.
https://www.gospelprime.com.br/china-enviar-mil-missionarios/
O plano de Deus em nossa vida as vezes pode parecer paralisado e morto

Mas, se perseverarmos no deserto das adversidades, Deus vai nos fazer frutificar!
Dias de colheita farta virão

“Os aflitos e necessitados buscam águas, e não há, e a sua língua se seca de sede; eu o Senhor os ouvirei,
eu, o Deus de Israel não os desampararei.
Abrirei rios em lugares altos, e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto em lagos de águas, e a terra
seca em mananciais de água.
Plantarei no deserto o cedro, a acácia, e a murta, e a oliveira; porei no ermo juntamente a faia, o
pinheiro e o álamo”. Isaías 41:17-19

Cedro= medicina e aromática


Acácia= ornamental
Murta= cercas vivas
Oliveira =azeite =unção

3- Lugar desolado
(ermo e triste, despovoado de seus moradores (diz-se de lugar, região etc.); desértico.
2. que se devastou; assolado, arrasado, arruinado.
Lugar temido, evitado. Parece que as horas são mais longas no deserto, a vida fugiu dali...

Alguns desertos no planeta são resultado da ação desastrada do ser humano.

A desertificação é o processo de destruição do potencial produtivo da terra através de atividades


humanas agindo sobre ecossistemas frágeis, com baixa capacidade de regeneração. Em geral, a
desertificação ocorre em zonas áridas, semiáridas e subúmidas secas.

Entre as principais causas responsáveis pela desertificação estão: o desmatamento de áreas com
vegetação nativa, o uso intenso do solo, tanto na agricultura quanto na pecuária e as práticas
inadequadas de irrigação.

Como conseqüência da desertificação ocorre a eliminação da cobertura vegetal; diminuição da


biodiversidade, salinização e alcalinização do solo, intensificação do processo erosivo, redução das
terras agricultáveis e diminuição da disponibilidade e da qualidade dos recursos hídricos.

Portanto, a aflição que possamos estar experimentando hoje talvez se deva a comportamentos, atitudes
e hábitos que paulatinamente foram “desidratando” nosso ambiente.

A falta de atenção aos nossos jardins pode gerar desertos em nossas vidas.
“O SENHOR Deus tomou o homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar.” Gn 2.15

Deus em seu imenso amor sempre coloca a nossa disposição as coisas mais importantes e preciosas
nesta vida, mas, a responsabilidade de cuidar e desenvolver as bênçãos divinas è nossa.
Parábola dos talentos. Mt 25.14-30.

A atitude leviana do servo mau refletia a desconsideração pelo seu senhor, o desdém por sua confiança
e o menosprezo ao bem que lhe foi confiado.
Assim sendo, a paisagem árida que se instalou em nossa vida seria resultado de tempos de degradação,
falta de atenção, ausência de cuidado, insensatez.

A pergunta que se impõe então é:


Quais os jardins da sua vida estão arruinados?
Que situações, outrora tão felizes e abençoadas, hoje só lhe causam frustração e dor?

Seria a degradação do seu casamento? Não existe mais a harmonia, as desavenças são constantes?
Onde havia carinho, respeito, paixão e cumplicidade, agora se resume a um silêncio magoado e
ressentido?

Talvez o jardim da área profissional, dos planos de crescimento e melhoria das finanças?
Num mundo tão competitivo, se não atentamos para investirmos na atualização e capacitação
constantes, somos suplantados na corrida corporativa.
Quem sabe o jardim que não cuidamos foi a vida espiritual.
Lembra dos tempos antigos? Da paixão por Jesus tão intensa, do tempo dedicado a estar com o Senhor
em oração em meditação da sua Palavra? De pregar o evangelho com alegria e ousadia?
Mas em algum momento este jardim tão florido e viçoso começou a se deteriorar?
“Tenho, porém, contra você o seguinte: você abandonou o seu primeiro amor.
Lembre-se, pois, de onde você caiu. Arrependa-se e volte à prática das primeiras obras. Se você não se
arrepender, virei até você e tirarei o seu candelabro do lugar dele.” Ap 2.4 e 5

Quem sabe seu coração está assim... desolado, abandonado, vazio...


Sem horizonte poeira, pedras espinhos... ausência de vida... sem cor

Esta paisagem vai mudar hoje não sei... mas Deus tem promessas para quem está desolado

O Senhor Jesus pode transformar o seu deserto em manancial de águas

Receba este refrigério de Deus


Receba força do Espirito Santo você não vai morrer neste deserto

Porque o Senhor consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares assolados, e fará o seu deserto como o Edem
e a sua solidão como o jardim do Senhor; gozo e alegria se acharão nela, ação de graças, e voz de cântico.

Isaías 51:3

Ele os levou por aquele enorme e perigoso deserto, cheio de cobras venenosas e de escorpiões, e onde não
havia água. Mas no deserto Deus fez sair água da rocha bruta, para vocês beberem, 16 e lhes deu para comer
o maná, uma comida que os seus antepassados não conheciam. Dt 8.15-16