Sei sulla pagina 1di 2

Lucas Lima Felix dos Santos RA 120009 – 1B

13.04.2016
CULTURA GERAL: TÓPICOS INTERDISCIPLINARES
Avaliação Crítica
Pr. Reinaldo Siqueira, A Proteçao da mulher na legalização mosaica

1. Quem é o palestrante e qual o seu tema? Já atuou como reitor do Seminário Adventista
Latino-Americano de Teologia (SALT), também como coordenador do curso de Teologia no
campus UNASP-EC. Atualmente compõe o corpo docente de Teologia do UNASP-EC. O
palestrante aborda de maneira simples e objetiva, uma nova leitura e mais contundente de
Levítico 12, onde é descrito os procedimentos com relação a mulher no período pós-parto no
judaísmo na época de Moisés.
2. Assinale aspectos fortes e fracos da palestra, de acordo com o seu ponto de vista.
Aspectos fortes: O palestrante através de uma exegese do texto, lincando com outros pontos
chaves da bíblia abordou de forma curiosa palavras que em nossa língua portuguesa pode
trazer aspectos negativos, mas que no hebraico tem um significado oposto. (1) O uso do
termo imundo, onde se dá uma ideia de exclusão, mas que na verdade, o termo correto seria
impuro, no mesmo sentido do santuário. Portanto não é algo negativo. (2) Quando o texto
faz referência a conceber, é muito mais abrangente que apenas o termo de dar à luz. Aqui, o
verbo tem sua raiz no sentido de semente. Isso leva ao primeiro uso dessa palavra em
Gênesis, na qual está ligada diretamente a mulher. Na maioria das vezes, se dá a ênfase para
o homem, o patriarca, sendo que na realidade, quem produz a semente é a mulher (não
desprezando o papel do homem). A mulher é quem produz vida, fazendo referência assim a
Eva. (3) O conceito de tempo que é dado após o parto. Na visão geral dos mandamentos de
Deus, tudo está relacionado a vida e a sua proteção, e é esse significado que o texto transmite.
Dessa forma, é uma proteção tanto a mãe como ao bebê. Diferente das outras culturas, onde
não se tinha esse cuidado, aqui é visível a lei judaica para licença maternidade, para que a
mãe possa passar tempo com sua criança, se recuperar e educa-la, principalmente se for
menina. O outro ponto é a questão do sangue que contamina, mas que na verdade no hebraico
o termo seria sangue da purificação, remetendo ao processo natural da mulher para a limpeza
após o parto, para que não ocorresse contaminação para o corpo em si, saúde. (4) A oferta
era oferecida após o tempo de descanso (40 dias se o bebê for menino e 80 dias se for
menina), ressalta que não era por causa do sangue ou do parto, mas sim, porque a mulher
continuava pecadora como todos os outros, necessitando de um salvador.
Aspectos fracos: Não percebi algo que mereça destaque. Apenas o tempo foi muito curto
para um tema bastante relevante.
3. O que mais o agradou na palestra? Por que? Destaco três pontos: (1) A importância aos
olhos de Deus da função da mulher, onde a bíblia em momento algum rebaixa o gênero feminino
como alguns pensam. (2) Uma lei que proporciona a mulher a capacitação para cuidar de si e
da criança, onde em muitos lugares após o parto, a mulher já ia trabalhar, e Deus coloca uma
proteção para o Seu povo nesse quesito. (3) Por continuar pecadora, necessita de salvador, da
graça, assim como todos nós.