Sei sulla pagina 1di 5

BLOCO 5: O reino de Deus

UNIDADE 13: O que é o reino de Deus

OBJETIVOS

Nesta unidade analisaremos o significado do reino de Deus e as


expectativas em relação ao seu estabelecimento. Veremos que o
anúncio do reino em Jesus tem uma dimensão presente e uma
dimensão futura.

O que significa “reino de Deus”

O “reino de Deus” é o tema central do anúncio e da atividade de Jesus:


“Depois de João ter sido preso, foi Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho de
Deus, dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo;
arrependei-vos e crede no evangelho” (Mc 1.14s). Nos evangelhos, o reino de
Deus é anunciado como muito próximo, ou como realidade que já se manifesta
em curas, exorcismos e na comunhão de mesa de Jesus com pessoas pecadoras e
marginalizadas.

Quando Jesus anuncia o reino de Deus, não está falando novidade. Embora
o termo “reino de Deus” não seja uma expressão comum ao Antigo Testamento,
a temática da realeza divina era bem conhecida. No Antigo Testamento, havia a
compreensão de que Deus é rei não somente sobre Israel, mas sobre todas as
nações. E mesmo que o seu domínio não seja percebido de forma nítida por
todas as pessoas, Deus possui poder sobre a criação e a história. O templo de
Jerusalém sobre o monte Sião era considerado o lugar de irradiação da dominação
de Deus. Nos Salmos, encontramos muitas passagens que falam de Deus como
rei. Vejamos alguns exemplos:

Escuta, Rei meu e Deus meu, a minha voz que clama, pois a ti é que
imploro (Sl 5.2).

Deus é o Rei de toda a terra; salmodiai com harmonioso cântico (Sl


47.7).

Viu-se, ó Deus, o teu cortejo, o cortejo do meu Deus, do meu Rei, no


santuário (Sl 68.24).

Exaltar-te-ei, ó Deus meu e Rei; bendirei o teu nome para todo o sempre
(Sl 145.1).
76
UNIDADE 13: O que é o reino de Deus

A experiência do exílio na Babilônia fez com que a idéia do reinado de


Deus assumisse cada vez mais um caráter futuro. Esperava-se que, no futuro,
Deus iria restaurar a nação de Israel e governar sobre todos os povos. Esse futuro,
no qual Deus manifestaria todo o seu poder, era considerado o tempo da salvação.

A expectativa do tempo da salvação ou do estabelecimento do domínio de


Deus era comum na época de Jesus. Mas nem todas as pessoas tinham a mesma
compreensão sobre o que significava e quais eram as conseqüências da chegada
desse tempo. Em termos gerais, concordava-se que o tempo da salvação será
incomparavelmente melhor que o presente: será um tempo de paz integral, alegria
e abundância. Deus colocará um fim à opressão e ao domínio estrangeiro e regerá
seu povo com paz e justiça. A dominação de Deus será completa e infinita sobre
toda a criação.

Algumas pessoas achavam que poderiam apressar a vinda do reinado de


Deus através da oração e do seguimento fiel dos mandamentos. Outras estavam
dispostas a pegar em armas e conduzir uma guerra santa para libertar o povo de
Israel do domínio estrangeiro. E provavelmente havia também pessoas que nem
esperavam mais pela vinda do reino de Deus.

Saiba mais
O termo “reino de Deus” é mais utilizado nos evangelhos. Em outros
escritos do Novo Testamento, como nas cartas de Paulo, não é tão
freqüente. Em vez de “reino de Deus”, o Antigo Testamento utiliza
expressões e verbos que indicam que Deus governa sobre Israel e
os povos:
O Senhor reinará por todo o sempre (Êx 15.18).
Mas o Senhor é verdadeiramente Deus; ele é o Deus vivo e o Rei
eterno (Jr 10.10).
Nos céus, estabeleceu o Senhor o seu trono, e o seu reino domina
sobre tudo (Sl 103.19).
Reino de Deus significa, em termos gerais, “domínio de Deus”.
Poderíamos trocar a palavra “reino” por domínio, reinado, realeza
ou governo de Deus. Reino de Deus não significa um território
específico, mas aponta para o fato de que Deus é senhor e governa
sobre todas as coisas. Reino de Deus tem um caráter dinâmico:
indica que Deus está exercendo o domínio.

77
BLOCO 5: O reino de Deus

Jesus e o reino de Deus

O anúncio do reino de Deus era dirigido especialmente a Israel (Mt 10.5-6;


15.24). Mas não há, nos ditos de Jesus, a idéia de uma oposição entre Israel e os
outros povos. Ou seja, os outros povos não são vistos como inimigos que devem
ser eliminados com a vinda do domínio de Deus. Também eles encontrarão lugar
no reino de Deus (Lc 13.29). Em Israel, Jesus procurou especialmente as pessoas
consideradas menos preparadas ou dignas: os pecadores e perdidos (Mc 2.15-
17; Mt 11.19; Lc 15.2,7; 19.7,10).

Para Jesus, o domínio de Deus não está em descontinuidade com este


mundo, mas inicia já neste mundo. Apesar de também falar em juízo, Jesus
acentua o perdão divino. Diante da chegada do reino de Deus não é preciso ter
medo. O reino é como um grande banquete no qual há fartura e alegria. Sua
vinda é motivo de grande júbilo. Quem se encontra com o reino encontra algo de
tão grande valor, que não mede esforços para usufruir dele:
O reino dos céus é semelhante a um tesouro oculto no campo, o qual certo
homem, tendo-o achado, escondeu. E, transbordante de alegria, vai, vende
tudo o que tem e compra aquele campo (Mt 13.44).

Mas Jesus também aponta para a mudança de atitude que o domínio de


Deus deve causar. Sobre essas mudanças falaremos nas próximas unidades.

Reino presente e reino futuro

Alguns ditos de Jesus afirmam que o domínio de Deus já se manifesta em


sua atividade. Mas há também alguns textos que falam do reino como algo para
o futuro. Como explicar que Jesus dizia que o reino de Deus está para vir e, ao
mesmo tempo, dizia que já havia chegado? Vejamos alguns textos:

a) Reino presente

Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago (Lc 10.18). O fim da


influência de Satanás sobre o mundo era apontado como sinal do
estabelecimento do reinado definitivo de Deus. Quando Jesus diz que
via Satanás caindo, está indicando que o fim de Satanás chegou e que o
reino de Deus pode se estabelecer.

Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por
esforço, e os que se esforçam se apoderam dele (Mt 11.12). O dito indica
que, a partir da atividade de João Batista, o reino de Deus está se
estabelecendo.
78
UNIDADE 13: O que é o reino de Deus

O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo (Mc 1.15). Quando
diz que o tempo está cumprido, o versículo está apontando para o fato
de que o reino de Deus em verdade já se aproximou.

Se, porém, eu expulso os demônios pelo dedo de Deus, certamente, é


chegado o reino de Deus sobre vós (Lc 11.20). Para Jesus, suas curas e
seus exorcismos eram sinais de que o domínio de Deus já está presente.

b) Reino futuro

Venha o teu reino (Mt 6.10/Lc 11.2). Na oração do Pai-Nosso, Jesus ensina
seus seguidores a orar para que o reino de Deus venha. Isso indica que
o reino ainda está para vir. A invocação “pai nosso” indica como é esse
rei: alguém que cuida do seu povo como um pai cuida de seus filhos.

Em verdade vos digo que jamais beberei do fruto da videira, até àquele
dia em que o hei de beber, novo, no reino de Deus (Mc 14.25). Na última
ceia que teve com seus discípulos, Jesus sentia que sua morte estava
próxima. Suas palavras expressam a confiança de participar no banquete
festivo do reino, onde novamente irá beber do fruto da videira.

Muitos virão do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul e tomarão


lugares à mesa no reino de Deus (Lc 13.29). O dito fala da inclusão de
gentios no plano de salvação. Eles também participarão do banquete
do reino.

O conflito entre os textos pode ser desfeito se entendermos o reino de Deus


não como lugar, mas como evento em que Deus atua com poder. Curas,
exorcismos, perdão, acolhimento de pessoas marginalizadas e pecadoras são
sinais da manifestação do poder de Deus. A atividade de Jesus, portanto, aponta
para o início da concretização do reino de Deus. É como dizer que Jesus está
inaugurando o reino. A chegada do reino significa que ele está se espalhando,
crescendo e envolvendo as pessoas. Onde Jesus cura, acolhe e perdoa pecados,
ali o reino de Deus se manifesta.

Mas quando o reino de Deus se estabelecerá por completo? Jesus rejeita


especulações a respeito (Lc 17.20s). A parábola do grão de mostarda (Mc 4.30-
32) e a parábola do fermento (Mt 13.33) mostram que o presente (a semente e o
fermento) está ligado com o futuro (a árvore e o pão). Como uma planta ou como
a massa de pão, o reino vai crescendo e tomando forma. Quando estará pronto
não compete a nós determinar.

79
BLOCO 5: O reino de Deus

O estabelecimento do domínio de Deus iniciará


um tempo de paz integral, alegria e abundância.
Deus conduzirá com justiça o seu povo e toda a criação.
Na atividade de Jesus já se concretizavam
os sinais do domínio de Deus.
Que sinais do reino de Deus nós podemos ver hoje?

Não podemos apressar a vinda do domínio de Deus,


mas não somos chamados a esperar de braços cruzados.
De que forma podemos esperar pelo domínio de Deus?

80