Sei sulla pagina 1di 22

Contabilidade

Empresarial
Professor conteudista: José Berbel

Revisor: Rubens Pardini


Sumário
Contabilidade Empresarial
Unidade I
1 PROVISÃO PARA DEVEDORES DUVIDOSOS .............................................................................................1
1.1 Constituição da provisão......................................................................................................................2
1.2 Utilização ....................................................................................................................................................2
1.3 Reversão ......................................................................................................................................................3
1.4 Complementação ....................................................................................................................................4
1.5 Baixa de créditos não liquidados nas empresas .........................................................................5
1.5.1 Créditos que podem ser baixados como perdas............................................................................5
2 OPERAÇÕES FINANCEIRAS .............................................................................................................................9
2.1 Operações com duplicatas ................................................................................................................ 10
2.1.1 Cobrança simples .................................................................................................................................... 10
2.1.2 Desconto de duplicatas ........................................................................................................................ 13
Unidade II
3 EMPRÉSTIMOS .................................................................................................................................................. 19
3.1 Empréstimo – operação pré-fixada .............................................................................................. 20
3.2 Empréstimo – operação pós-fixada .............................................................................................. 23
3.2.1 Diferenças entre os principais índices ............................................................................................ 24
4 APLICAÇÕES FINANCEIRAS ......................................................................................................................... 28
4.1 Operações pré-fixadas ........................................................................................................................ 29
4.2 Operações pós-fixadas ....................................................................................................................... 30
5 ATIVO IMOBILIZADO, DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E EXAUSTÃO ............................................ 33
5.1 Classificação dos Ativos imobilizados ......................................................................................... 34
5.1.1 Bens em operação .................................................................................................................................. 35
5.1.2 Depreciação, amortização e exaustão acumulada .................................................................... 35
5.1.3 Imobilizações em andamento............................................................................................................ 36
5.2 Depreciação, amortização e exaustão ......................................................................................... 36
5.3 Exemplos de contabilização de depreciação e operação de leasing ............................... 40
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

Unidade I
1 PROVISÃO PARA DEVEDORES DUVIDOSOS

Consiste em uma estimativa de perdas, a ser registrada


contabilmente no final de cada exercício social para cobrir, no
exercício seguinte, prejuízos decorrentes do não recebimento de
direitos da empresa.

5 O valor da provisão é obtido mediante a aplicação de um


percentual sobre os direitos existentes na época do levantamento
do balanço.

As contas que devem servir de base para o cálculo dessa


provisão são as que registram direitos provenientes de
10 vendas a prazo de mercadorias e de serviços. Essas contas são
normalmente denominadas duplicatas a receber ou clientes.

O percentual a ser aplicado para o cálculo dessa provisão


deve resultar de estudos efetuados pela empresa com base nas
perdas, efetivamente ocorridas pelo não recebimento de seus
15 direitos.

Uma prática muito comum é a utilização da média aritmética


das perdas ocorridas nos três últimos exercícios.

Exemplo

Suponhamos que determinada empresa, no exercício x1,


20 tenha deixado de receber 4% do valor das duplicatas que tinha
para receber na data do balanço; no exercício x2, essa perda
correspondeu a 5%; no exercício de x3, a 3%.

1
Unidade I

Então temos:

4% - perda em X1;
5% - perda em X2;
3% - perda em X3.

5 Média:

4% + 5% + 3% 12% = 4%
3 3

Assim, em 31 de dezembro de x4, o percentual a ser aplicado


para fins de cálculo desta provisão será de 4%.

1.1 Constituição da provisão

Suponhamos que, em 31 de dezembro de x4, determinada


10 empresa possua em seu ativo a conta duplicatas a receber,
com saldo de 800.000,00. Já sabemos que o percentual obtido
para cálculo da provisão é de 4%. A constituição da provisão
será efetuada através do seguinte cálculo:

800.000,00 x 4% = 32.000,00

15 O lançamento contábil para registro da provisão será:

D – Despesas com devedores duvidosos (conta de resultado);

C – Provisão para créditos de liquidação duvidosa (conta


patrimonial) – 32.000,00.

1.2 Utilização

Suponhamos que no mês de março de x5, 12.000,00 de


20 duplicatas a receber tenham sido consideradas incobráveis.1
A baixa dessas duplicatas será efetuada através do seguinte
lançamento:
1
Incobráveis: situação em que foram esgotados todos os meios
disponíveis de cobrança da duplicata.

2
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

D – Provisão para créditos de liquidação duvidosa (conta


patrimonial);

C – Duplicatas a receber (conta patrimonial) – 12.000,00.

1.3 Reversão

No último dia do exercício de x5, a empresa deverá constituir


5 nova provisão com base no novo saldo da conta duplicatas a
receber. Como há saldo remanescente da provisão constituída
no exercício anterior, ele deve ser revertido para receita através
do seguinte lançamento:

D – Provisão para créditos de liquidação duvidosa (conta


10 patrimonial);

C – Reversão de provisão para devedores duvidosos (conta


de resultado) – 20.000,00.

Razonetes

Desp.c/ dev. Provisão p/ dev.


Duplicatas a receber duvidosos duvidosos
(sd) 800.000 12.000 (b) (a) 32.000 (b) 12.000 32.000 (a)
(c) 20.000

Reversão prov. p/ dev.


duvidosos.
20.000 (c)

Após efetuada a reversão, faz-se o novo cálculo para


15 constituição da provisão de x5. A nova provisão poderá ser
constituída da forma já exposta, ou pelo método da compensação
ou complementação, ou seja, o valor a ser contabilizado será

3
Unidade I

obtido pela diferença entre o valor da nova provisão e o saldo


remanescente na conta de provisão.

Assim, imaginemos que a empresa não tenha feito o


lançamento de reversão (c). O saldo da conta provisão para
5 devedores duvidosos seria de 20.000:

Provisão p/ dev. duvidosos


(b) 12.000 32.000 (a)
20.000 (sd)

Se o saldo da conta duplicatas a receber em x5 seja de


1.000.000,00 e o percentual, agora, de 5%, teremos uma
provisão de:

1.000.000,00 x 5% = 50.000,00

Saldo da PDD ao final do exercício 20.000,00


Provisão necessária 50.000,00
Valor a ser ajustado 30.000,00

1.4 Complementação

10 D – Despesas com devedores duvidosos (conta de resultado).

C – Provisão para créditos de liquidação duvidosa (conta


patrimonial) – 30.000,00.

Provisão p/ dev. duvidosos Provisão p/ dev. duvidosos


20.000 (sd) (d) 30.000
30.000 (d)

50.000

4
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

Algumas empresas, alternativamente, fazem a provisão para


devedores duvidosos aplicando um percentual sobre o valor das
vendas.

Exemplo: A empresa Comercial Diferente Ltda. apresentou


5 em sua conta de vendas o valor de 6.000.000,00 e tem a prática
de aplicar o percentual de 1% para estimar suas perdas no
exercício seguinte. Desta forma teríamos:

6.000.000,00 x 1% = 60.000,00

Lançamento de constituição

10 D – Despesas com devedores duvidosos (conta de


resultado);

C – Provisão para créditos de liquidação duvidosa (conta


patrimonial) – 60.000,00.

1.5 Baixa de créditos não liquidados nas


empresas

A forma, como demonstrado anteriormente, de cálculo


15 da provisão para devedores duvidosos é exclusivamente
para atender aos princípios e normas de contabilidade
vigentes.

Sob o ponto de vista fiscal (legislação do imposto de renda),


os critérios para se efetivar as baixas dos créditos decorrentes da
20 atividade da empresa e considerá-los como despesa operacional
são os seguintes:

1.5.1 Créditos que podem ser baixados como perdas

Em relação aos quais tenha havido a declaração de


insolvência2 do devedor, em sentença emanada do Poder
Judiciário;
2
Insolvência: dá-se a insolvência toda vez que as dívidas excederem
à importância dos bens do devedor.

5
Unidade I

1.5.1.1 Sem garantia de valor

Garantia: meio pelo qual o credor se previne contra


os riscos de uma transação.

a. Até R$ 5.000,00 (cinco mil reais) por operação, vencidos


há mais de seis meses, independentemente de iniciados
os procedimentos judiciais para o seu recebimento.

b. Acima de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) até R$ 30.000,00


5 (trinta mil reais) por operação, vencidos há mais de um
ano, independentemente de iniciados os procedimentos
judiciais para o recebimento, porém, mantida a cobrança
administrativa.

c. Superior a R$ 30.000,00 (trinta mil reais), vencidos há


10 mais de um ano, desde que iniciados e mantidos os
procedimentos judiciais para o seu recebimento.

1.5.1.2 Com garantia de valor

Com garantia, vencidos há mais de dois anos, desde que


iniciados e mantidos os procedimentos judiciais para o seu
recebimento ou arresto3 das garantias. Para esse fim, considera-se
15 crédito garantido, o proveniente de vendas com reserva de
domínio,4 de alienação fiduciária5 em garantia ou de operações
com outras garantias reais.

3
Arresto: apreensão de bens ou objetos por decisão judicial.
4
Reserva de domínio: manutenção, pelo vendedor, da propriedade
de certo bem vendido a prazo, enquanto a dívida não estiver inteiramente
quitada o comprador detém apenas a posse desse bem.
5
Alienação fiduciária: é a transferência da propriedade de um
bem móvel ao credor, em garantia de pagamento de uma dívida, sendo
que o devedor continuará utilizando o bem, mesmo estando alienado.
A propriedade do bem é devolvida ao seu dono depois que ele pagou a
dívida.

6
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

1.5.1.3 Contra devedor declarado falido

Contra devedor declarado falido ou pessoa jurídica


declarada concordatária,6 relativamente à parcela que exceder
o valor que esta tenha se comprometido a pagar, observado o
seguinte:

5 a. a dedução da perda será admitida a partir da data de


decretação da falência7 ou da concessão da concordata,8
desde que a credora tenha adotado os procedimentos
judiciais necessários para o recebimento do crédito;

b. a parcela do crédito, cujo compromisso de pagar não


10 houver sido honrado pela empresa concordatária, poderá
também ser deduzido como perda, nas condições tratadas
neste item.

Exercício resolvido

15 O saldo em 1º-01-x6 da conta provisão para devedores


duvidosos da Cia. Paulista era de R$ 25.000,00. Durante o ano,
aconteceram os seguintes eventos:

Pede-se:

Fazer todos os registros necessários no diário, considerando


20 31-12-X6 como encerramento do exercício social.

1. O cliente A, considerado incobrável há dois anos, pagou


sua dívida de R$ 5.000.00.

D – Caixa
C – Receitas eventuais 5.000,00

6
Pessoa jurídica declarada concordatária: devedor a quem foi
concedida concordata.
7
Falência: a empresa será considerada falida se for constatada a sua
incapacidade de pagar seus débitos nos prazos contratuais.
8
Concordata: é um recurso jurídico que permite a continuação
da atividade da empresa que está incapacitada de saldar seus débitos nos
prazos contratuais.

7
Unidade I

2. O cliente B foi considerado incobrável, em 10-04-x6 em


R$ 6.000,00.

D – Provisão para devedores duvidosos


C – Duplicatas a receber 6.000,00

5 3. O cliente C foi considerado incobrável, em 12-05-x6, em


R$ 7.000,00.

D – Provisão para devedores duvidosos


C – Duplicatas a receber 7.000,00

4. O cliente B, em 10-07-x6, apareceu e pagou R$ 5.000,00


10 de sua dívida, alegando que não poderia pagar nada mais.

D – Caixa
C – Ganhos eventuais 5.000,00

5. O cliente D foi considerado incobrável, em 10-08-x6, em


R$ 10.000,00.

15 D – Provisão para devedores duvidosos


C – Duplicatas a receber 10.000,00

6. O cliente E foi considerado incobrável, em 10-09-x6, em


R$ 2.000,00.

D – Provisão para devedores duvidosos


20 C – Duplicatas a receber 2.000,00

7. Em 30-11-x6, o cliente E entrou na empresa e pagou sua


dívida de R$ 2.000,00.

D – Caixa
C – Ganhos eventuais 2.000,00

8
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

8. O saldo da conta duplicatas a receber, em 30-12-X6, é de


R$ 2.300.000,00 e a base para constituir nova provisão é de 3%
sobre aquele saldo.

D – Devedores duvidosos
5 C – Provisão para devedores duvidosos 69.000,00

2 OPERAÇÕES FINANCEIRAS

Durante sua existência, as empresas fazem operações


envolvendo a aplicação dos seus recursos financeiros.

Caso estes recursos estejam em excesso e não haja interesse em


investir na sua atividade principal, a empresa, para protegê-los, pode
10 investi-los no mercado financeiro (bancos, financeiras, etc.) Estas
operações são conhecidas como aplicações financeiras.

As aplicações podem ser feitas junto à rede bancária em


CDB (Certificados de Depósitos Bancários), fundo de renda
fixa, fundo de renda variável, etc.

15 O inverso também nos remete ao mercado financeiro. Caso os


negócios não vão bem e a empresa necessite recorrer a empréstimos
para a manutenção de sua atividade, financiar algum projeto de
longo prazo ou bens de capital, ela obtém os recursos necessários
mediante a captação de recursos junto ao mercado financeiro
20 (bancos, financeiras, capitalistas particulares, etc.). Estas operações
são conhecidas como captação de recursos ou empréstimos.

Este conjunto de movimentações financeiras é conhecido no


mundo dos negócios como operações financeiras.

Vejamos o surgimento destas operações:

25 Atividade comercial

Compra Venda

9
Unidade I

A atividade comercial liga a produção ao consumo, é o meio


pelo qual se viabiliza todo o fluxo de mercadorias entre produtores
e consumidores. Como exemplo de atividades comerciais,
podemos citar: supermercados, farmácias, revendedoras de
5 veículos, lojas de materiais de construção, lojas de materiais de
informática etc.

Duplicatas

A duplicata é um título de crédito formal nominativo,


emitido pela empresa com a mesma data, valor global e
10 vencimento da fatura, e representativo e comprobatório de
crédito preexistente (venda de mercadoria a prazo), destinado
a aceite e pagamento por parte do comprador.

Observações:

a. a duplicata deve ser emitida em impressos padronizados


15 aprovados por resolução do Banco Central;

b. uma só duplicata não pode corresponder a mais de uma


fatura.

2.1 Operações com duplicatas

As empresas comerciais frequentemente vendem mercadorias


a prazo. Quando as vendas são efetuadas mediante a emissão e o
20 aceite9 de duplicatas, estas poderão ser negociadas pelas empresas.

Com esses títulos, as empresas efetuam transações junto aos


bancos, sendo mais comuns a cobrança simples de duplicatas e
os descontos de duplicatas:

2.1.1 Cobrança simples

A cobrança simples consiste na remessa de títulos aos bancos


25 que prestam serviços à empresa, cobrando-os dos respectivos
devedores.
9
Aceite: ato de aceitar uma duplicata, declarando-se o devedor
responsável pelo pagamento do débito na data marcada.

10
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

Para efetuarem as cobranças de suas duplicatas, as


empresas poderão utilizar os serviços de outras empresas
especializadas em cobrança ou até mesmo de cobradores
particulares.

5 Nesse tipo de operação, a empresa transfere a posse10 dos títulos


ao banco, mas a propriedade11 continua sendo da empresa.

Para remeter os títulos ao banco, a empresa os relaciona


através de um borderô,12 ao qual anexa os respectivos títulos.

A operação de cobrança se resume nas seguintes fases:

10 1ª: Pela remessa dos títulos ao banco:

• registro da operação, através das contas de


compensação;13
• registro das despesas cobradas pelo banco com a
cobrança dos títulos.

15 2ª: Pelo recebimento das importâncias referentes aos


títulos:

• o banco comunica que os títulos foram quitados;


• baixa da responsabilidade através do lançamento de
compensação;
20 • baixa dos direitos através do débito da conta bancos
conta movimento, pelo recebimento das importâncias
referentes aos títulos e créditos da conta de duplicatas
a receber para baixa dos respectivos direitos sobre o
cliente.

10
Posse: Situação em que temos ou usufruímos de um bem, porém
não temos o domínio, ou seja, não podemos vendê-lo.
11
Propriedade: Situação em que temos o domínio, ou seja, direito
pleno de usufruir e de dispor do bem.
12
Borderô: relação das duplicatas que o cliente leva ao banco para
realizar operações de desconto, cobrança etc.
13
Compensação: grupo de contas onde são registradas operações,
que, no momento não alteram o patrimônio da empresa, mas que indicam
riscos ou responsabilidades futuras.

11
Unidade I

Exemplo

Remessa de duplicatas ao Banco Maracatu S/A, para


cobrança simples, conforme borderô no valor de R$ 5.000. O
banco cobrou R$ 80 de comissões e taxas.

5 Contabilização

Pela remessa dos títulos ao banco:

Lançamento de compensação

D – Títulos em cobrança
C – Endossos para cobrança 5.000

10 Registro da despesa

D – Despesas bancárias
C – Bancos conta movimento 80

Após os vencimentos dos títulos, quando o banco comunicar


que os mesmos foram quitados:

15 Baixa das contas de compensação

D – Endossos para cobrança


C – Títulos em cobrança 5.000

Pelo recebimento das duplicatas

D – Bancos conta movimento


20 C – Duplicatas a receber 5.000

Exercício resolvido

A Cia. Vera Cruz efetuou as seguintes transações em x7:

12
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

1. Vendeu mercadorias a Cia. Santista por R$ 20.000,00 no


prazo de 90 dias.

D – Duplicatas a receber
C – Vendas de mercadorias 20.000,00

5 2. Enviou, para cobrança simples junto ao Banco Forte S/A,


o valor de R$ 20.000,00.

D – títulos em cobrança
C – endossos para cobrança 20.000,00

3. O Banco Forte cobrou R$ 1.200,00 a título de taxa de


10 cobrança.

D – despesas bancárias
C – bancos conta movimento 1.200,00

4. A Cia. Santista S/A efetuou o pagamento na data do


vencimento.

15 D – Bancos conta movimento


C – Duplicatas a receber 20.000,00

5. O Banco efetuou a baixa da duplicata e enviou o aviso


para a Cia. Vera Cruz.

D – Endossos para cobrança


20 C – Títulos em cobrança 20.000,00

2.1.2 Desconto de duplicatas

O desconto de duplicatas consiste na transferência dos


títulos ao banco, mediante endosso14 ao portador.

De posse das duplicatas com vencimentos futuros, a empresa


poderá descontá-las em um banco.

14
Endosso: Declaração escrita ou assinatura no verso de um título
de crédito com a qual se transfere o crédito a outra pessoa.

13
Unidade I

No desconto, a empresa transfere ao banco o direito de


recebimento dos títulos. O valor do desconto é determinado em
função do número de dias que faltam para o vencimento dos
títulos.

5 Nesse tipo de transação, a empresa endossante é responsável,


coobrigada pela liquidação de tais títulos descontados.

A responsabilidade só desaparece após o pagamento


efetuado pelo devedor.

A operação é semelhante à cobrança simples, no que diz


10 respeito à remessa dos títulos ao banco.

A empresa endossante desconta os títulos e recebe do banco


o valor nominal (constante dos títulos), suportando os juros
correspondentes ao prazo que falta decorrer para o vencimento
dos títulos negociados.

15 Nessa operação, a empresa transfere a posse e a propriedade


dos títulos ao banco.

2.1.2.1 Tratamento contábil

Os valores de face das duplicatas descontadas são


registrados numa conta redutora do ativo logo após a conta
duplicatas a receber. Esta conta recebe o nome de duplicatas
20 descontadas, tendo saldo credor.

A conta duplicatas descontadas apresenta a seguinte


função na operação de desconto:

a. é creditada, pelo valor de face dos títulos, no momento


em que é efetuada a operação de desconto e a
25 instituição financeira faz o crédito na conta corrente
da empresa;

14
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

b. é debitada no momento da liquidação do título pelo


devedor ou quando a instituição financeira leva a débito
em conta corrente da empresa por falta de pagamento
por parte do devedor.

5 Os encargos financeiros debitados pela instituição financeira


devem ser contabilizados como encargos financeiros a transcorrer,
já que se trata de despesas antecipadas, sendo debitadas por ocasião
do desconto e creditadas no momento em que a despesa é incorrida,
observando-se o regime de competência.15

10 Exemplo

Uma empresa desconta, no Banco Maracatu S/A, quinze


duplicatas de sua emissão, conforme relação (borderô), no
valor de R$ 15.000. O banco cobra juros no valor de R$ 1.500,
comissões e taxas no valor de R$ 90.

15 Neste caso temos:

Valor nominal dos títulos 15.000

Valor suportado pela empresa para descontos


(juros, taxas, comissões) 1.590

Líquido a receber 13.410

20 Contabilização

Pela remessa dos títulos e respectiva operação de desconto:

D – Bancos conta movimento 13.410


D – Juros passivos a vencer 1.500
D – Despesas bancárias 90
25 C – Duplicatas descontadas 15.000

15
Regime de competência: Princípio contábil que exige que os fatos
contábeis sejam registrados no momento de sua ocorrência.

15
Unidade I

Observações:

• debitamos a conta bancos conta movimento (Ativo)


por R$ 13.410 para registrar o valor líquido da
operação;
5 • debitamos a conta juros passivos a vencer (Ativo) por
R$ 1.500 referentes aos juros cobrados antecipadamente;
• debitamos a conta despesas bancárias (despesas) por R$
90 referentes ao valor das comissões e taxas cobradas
sobre as duplicatas descontadas;
10 • creditamos a conta duplicatas descontadas (conta de
obrigação que figurará no balanço patrimonial no Ativo
como redutora da conta duplicatas a receber), pelo valor
da obrigação que a empresa terá para com o banco, caso
os devedores das duplicatas não as quitem junto ao banco
15 (R$ 15.000).

Pela quitação das duplicatas

Suponhamos que, na data do vencimento, o banco receba


as importâncias correspondentes a todas as duplicatas e
comunique o fato à empresa através de aviso bancário.

20 Nesse caso, faremos os seguintes registros contábeis:

1. D – Duplicatas descontadas
C – Duplicatas a receber 15.000

2. D – Juros passivos
C – Juros passivos a vencer 1.500

25 Observações:

• no lançamento 1, baixamos a obrigação que estava


registrada na conta duplicatas descontadas, contra a baixa

16
CONTABILIDADE EMPRESARIAL

dos direitos que estavam registrados na conta duplicatas


a receber;

• no lançamento 2, apropriamos a despesa com os juros


cobrados antecipadamente.

5 Pela não quitação dos títulos pelo devedor

Na hipótese do cliente não ter liquidado a duplicata e o


banco debitar o respectivo valor na conta da empresa, então
o lançamento será:

D – Duplicatas descontadas (Ativo)


10 C – Banco conta movimento (Ativo) 15.000,00

Exercício resolvido

A Cia. Caravelas efetuou as seguintes transações em x7:

1. Vendeu mercadorias para diversas Cias. por R$ 6.000,00,


no prazo de 60 dias.

15 D – Duplicatas a receber
C – Venda de mercadorias 6.000,00

2. Descontou R$ 6.000,00 das duplicatas relativas às


vendas anteriores no Banco Intercontinental, a taxa de juros
simples de 2% ao mês e comissão de R$ 200,00.

20 D – Bancos conta movimento 5.560,00


D – Despesas de juros a vencer 240,00
D – Despesas bancárias 200,00
C – Duplicatas descontadas 6.000,00

3. O Banco Intercontinental debitou na conta da Cia.


25 Caravelas os R$ 2.000,00, pois uma das empresas não efetuou
o pagamento na data do vencimento.

17
Unidade I

D – Duplicatas descontadas
C – Bancos conta movimento 2.000,00

4. O Banco Intercontinental enviou aviso, comunicando


que o restante das duplicatas tinha sido recebido na data do
5 vencimento.

D – Duplicatas descontadas
C – Duplicatas a receber 4.000,00

5. Na Cia. Caravelas foi efetuada a apropriação dos juros em


virtude do encerramento da operação.

10 D – Despesas de juros
C – Despesas de juros a vencer 240,00

18