Sei sulla pagina 1di 37
Taxonomia e Classificação dos Seres Vivos
Taxonomia e Classificação
dos Seres Vivos
Taxonomia e Classificação dos Seres Vivos
Taxonomia e Classificação dos Seres Vivos
Taxonomia e Classificação dos Seres Vivos
Taxonomia e Classificação dos Seres Vivos
Taxonomia e Classificação dos Seres Vivos
Taxonomia e Classificação dos Seres Vivos
Taxonomia e Classificação dos Seres Vivos

Classificações Práticas

Classificações Práticas  Agrupamentos de seres vivos de acordo com seu interesse ou utilidade para o

Agrupamentos de seres

vivos de acordo com seu

interesse ou utilidade para o homem. Persistem até hoje. Venenosos ou não, comestíveis ou não,
interesse ou utilidade
para o homem.
Persistem até hoje.
Venenosos ou não,
comestíveis ou não,
com seu interesse ou utilidade para o homem. Persistem até hoje. Venenosos ou não, comestíveis ou
com seu interesse ou utilidade para o homem. Persistem até hoje. Venenosos ou não, comestíveis ou
com seu interesse ou utilidade para o homem. Persistem até hoje. Venenosos ou não, comestíveis ou
Classificações Racionais
Classificações Racionais
Classificações Racionais  Agrupamento dos seres vivos de acordo com as características que apresentam.  Podem

Agrupamento dos seres vivos de acordo com as características que apresentam. Podem ser artificiais, naturais ou verticais.

dos seres vivos de acordo com as características que apresentam.  Podem ser artificiais, naturais ou
dos seres vivos de acordo com as características que apresentam.  Podem ser artificiais, naturais ou
dos seres vivos de acordo com as características que apresentam.  Podem ser artificiais, naturais ou
dos seres vivos de acordo com as características que apresentam.  Podem ser artificiais, naturais ou

Classificação Artificial

Classificação Artificial  Baseia-se em poucos critérios arbitrários.  Algumas se baseavam na morfologia externa

Baseia-se em poucos critérios arbitrários.

Algumas se baseavam na morfologia externa (forma), outras no habitat (aquático, terrestre e

aéreo) e até na sua utilidade (úteis, nocivos e indiferentes). Formam grupos muito heterogêneos. Foi utilizada por Aristóteles (animais aéreos, terrestres e aquáticos) Utilizada por Santo Agostinho (animais úteis, inúteis e indiferentes).

(animais aéreos, terrestres e aquáticos)  Utilizada por Santo Agostinho (animais úteis, inúteis e indiferentes).
(animais aéreos, terrestres e aquáticos)  Utilizada por Santo Agostinho (animais úteis, inúteis e indiferentes).
(animais aéreos, terrestres e aquáticos)  Utilizada por Santo Agostinho (animais úteis, inúteis e indiferentes).
(animais aéreos, terrestres e aquáticos)  Utilizada por Santo Agostinho (animais úteis, inúteis e indiferentes).
Classificação Natural
Classificação Natural
Baseia-se em aspectos evolutivos, como a anatomia, a fisiologia, a genética, o desenvolvimento embrionário,
Baseia-se em aspectos evolutivos, como a
anatomia, a fisiologia, a genética, o
desenvolvimento embrionário,

Essa classificação permite estabelecer a filogênese (filo = raça, gênese = origem) ou filogenia, ou

seja, a possível sequência em que os seres vivos surgiram, tentando mostrar a história evolutiva
seja, a possível sequência em que os seres vivos
surgiram, tentando mostrar a história evolutiva de
cada grupo e o grau de parentesco evolutivo entre
os diversos grupos.
tentando mostrar a história evolutiva de cada grupo e o grau de parentesco evolutivo entre os
tentando mostrar a história evolutiva de cada grupo e o grau de parentesco evolutivo entre os

Histórico

Aristóteles (384-322 a.C.) : Animais com sangue e sem sangue; Animais aéreos, terrestres e aquáticos
Aristóteles (384-322 a.C.) :
Animais com sangue e sem sangue;
Animais aéreos, terrestres e
aquáticos
Santo Agostinho (354-430): Classificou em
animais úteis,
nocivos e indiferentes
aéreos, terrestres e aquáticos Santo Agostinho (354-430): Classificou em animais úteis, nocivos e indiferentes
aéreos, terrestres e aquáticos Santo Agostinho (354-430): Classificou em animais úteis, nocivos e indiferentes

Histórico

Karl von Linné (1707-1778): É o sistema de
Karl von Linné (1707-1778): É o sistema de

classificação desenvolvido pelo naturalista sueco

Carl von Linné, mais conhecido como Lineu. Usa como critério órgãos e estruturas morfológicas comuns
Carl von Linné, mais conhecido como Lineu.
Usa como critério órgãos e estruturas morfológicas
comuns e estruturas reprodutivas de animais e
plantas.

Lineu procurou estabelecer critérios mais objetivos para classificação de animais e plantas e lançou as

bases da biologia moderna.
bases da biologia moderna.

Esta sistemática vem sendo frequentemente reorganizada em função de um sistema mais natural.

Classificação dos Seres Vivos

Carl von Linné
Carl von Linné
MIL ESPÉCIES
MIL ESPÉCIES

REINO - Plantae + OU 350

FILO - Tracheophyta + ou - 250 MIL ESPÉCIES
FILO - Tracheophyta
+ ou - 250 MIL ESPÉCIES
CLASSE – Angiospermae + ou - 235 MIL ESPÉCIES
CLASSE – Angiospermae
+ ou - 235 MIL ESPÉCIES
ORDEM - Rosales + ou – 18 MIL ESPÉCIES
ORDEM - Rosales
+ ou – 18 MIL ESPÉCIES
FAMÍLIA - Rosaceae + ou – 3.5 MIL ESPÉCIES
FAMÍLIA - Rosaceae
+ ou – 3.5 MIL ESPÉCIES
GÊNERO - Rosa + ou – 500 ESPÉCIES
GÊNERO - Rosa
+ ou – 500 ESPÉCIES
ESPÉCIE - Rosa galica
ESPÉCIE - Rosa galica

Categorias Taxonômicas

As categorias taxonômicas estão ordenadas de forma Reino hierárquica e procuram medir Filo Classe um
As categorias taxonômicas
estão ordenadas de forma
Reino
hierárquica e procuram medir
Filo
Classe
um maior grau de parentesco
evolutivo existente entre os
seres vivos de cada uma delas.
Ordem
Família
Gênero
Filo e Família estavam
ausentes no sistema
quando proposto por
Espécie
Lineu

Conceito de espécie

Conceito de espécie • Grupo de organismos capazes de cruzamento genético fértil com membros do mesmo

Grupo de organismos capazes de cruzamento

• Grupo de organismos capazes de cruzamento

genético fértil com membros do mesmo grupo,

de cruzamento genético fértil com membros do mesmo grupo, sendo distinto de outros indivíduos de grupos

sendo distinto de outros indivíduos de grupos similares.

sendo distinto de outros indivíduos de grupos similares. • Microrganismos: maioria haplóide, reprodução

Microrganismos: maioria haplóide, reprodução assexuada e morfologia pouco

maioria haplóide, reprodução assexuada e morfologia pouco diferenciada. Como fica o conceito de espécie ?

diferenciada.

Como fica o conceito de espécie ?
Como fica o conceito de espécie ?
maioria haplóide, reprodução assexuada e morfologia pouco diferenciada. Como fica o conceito de espécie ?
maioria haplóide, reprodução assexuada e morfologia pouco diferenciada. Como fica o conceito de espécie ?

Conceito de espécie em microbiologia

Populações clonais que apresentam alto grau de

similaridade fenotípica e genotípica, juntamente com dissimilaridade com outros grupos relacionados.
similaridade fenotípica e genotípica,
juntamente com dissimilaridade com outros
grupos relacionados.

Espécie microbiana representa um grupo de

biotipos semelhantes à estirpe padrão e diferente de outras. Para cada espécie é designada uma
biotipos semelhantes à estirpe padrão e
diferente de outras. Para cada espécie é
designada uma estirpe padrão ou type strain,
que é mantida em coleções especializadas.
outras. Para cada espécie é designada uma estirpe padrão ou type strain, que é mantida em
outras. Para cada espécie é designada uma estirpe padrão ou type strain, que é mantida em

A História Recente da Taxonomia

1. Em 1969, o zoólogo Robert Whittaker classifcou os

organismos baseado , principalmente, na sua morfologia (isto é, seu aspecto externo) e dividiu-os em 5 Reinos

2. Em 1971, Lin & Margulis sugerem um novo Reino, o

Chromista (ou Stramenopila). Apesar de serem

fotossintetizantes, não são intimamente relacionados às plantas nem às algas pois possuem um tipo diferente de Clorofila (clorofila c) e carregam outros pigmentos não

encontrados nas plantas.

algas pois possuem um tipo diferente de Clorofila (clorofila c) e carregam outros pigmentos não encontrados
algas pois possuem um tipo diferente de Clorofila (clorofila c) e carregam outros pigmentos não encontrados

A História Recente da Taxonomia

3. Em 1978, Carl Woese sugeriu uma nova classificação, não mais baseada na morfologia dos organismos, mas

na estrutura do RNA ribossômico dos organismos. Os

organismos procariontes são divididos em dois

domínios: os Bacteria e os Archaea (que diferem na

composição do RNA ribossômico, na estrutura da

parede celular e no metabolismo). Os eucariontes são todos agrupados no Domínio Eukarya

ribossômico, na estrutura da parede celular e no metabolismo). Os eucariontes são todos agrupados no Domínio
ribossômico, na estrutura da parede celular e no metabolismo). Os eucariontes são todos agrupados no Domínio

Classificação de Whittaker (1969)

Classificação de Whittaker (1969)  Baseia-se nos seguintes critérios: Organização estrutural. Tipo de

Baseia-se nos seguintes critérios:

Organização estrutural. Tipo de nutrição. Interações nos ecossistemas (produtores, consumidores e
Organização
estrutural.
Tipo de nutrição.
Interações nos
ecossistemas
(produtores,
consumidores e
decompositores).
estrutural. Tipo de nutrição. Interações nos ecossistemas (produtores, consumidores e decompositores).
estrutural. Tipo de nutrição. Interações nos ecossistemas (produtores, consumidores e decompositores).

Classificação de Whittaker (1979)

Classificação de Whittaker (1979)  Passou a incluir no reino Protista seres eucariontes unicelulares e alguns

Passou a incluir no reino Protista seres

(1979)  Passou a incluir no reino Protista seres eucariontes unicelulares e alguns seres multicelulares de

eucariontes unicelulares e alguns

seres multicelulares

de reduzida diferenciação.
de reduzida
diferenciação.
a incluir no reino Protista seres eucariontes unicelulares e alguns seres multicelulares de reduzida diferenciação.
a incluir no reino Protista seres eucariontes unicelulares e alguns seres multicelulares de reduzida diferenciação.

Reino Monera

Compreende as bactérias e cianobactérias, os únicos procariotos.

as bactérias e cianobactérias, os únicos procariotos .  São seres auto ou heterotróficos, unicelulares. 

São seres auto ou heterotróficos, unicelulares.

.  São seres auto ou heterotróficos, unicelulares.  Hoje, graças à Biologia Molecular, sabe- se
.  São seres auto ou heterotróficos, unicelulares.  Hoje, graças à Biologia Molecular, sabe- se

Hoje, graças à Biologia Molecular, sabe- se que esse reino inclui dois grupos de organismos procarióticos bem distintos:

se que esse reino inclui dois grupos de organismos procarióticos bem distintos: eubactérias e arqueobactérias .

eubactérias e arqueobactérias.

se que esse reino inclui dois grupos de organismos procarióticos bem distintos: eubactérias e arqueobactérias .
se que esse reino inclui dois grupos de organismos procarióticos bem distintos: eubactérias e arqueobactérias .
se que esse reino inclui dois grupos de organismos procarióticos bem distintos: eubactérias e arqueobactérias .
se que esse reino inclui dois grupos de organismos procarióticos bem distintos: eubactérias e arqueobactérias .
se que esse reino inclui dois grupos de organismos procarióticos bem distintos: eubactérias e arqueobactérias .

Reino Protista

Por se tratar de um reino que reúne organismos com origens evolutivas diferentes (parafilético), muitos
Por se tratar de um reino que reúne organismos
com origens evolutivas diferentes (parafilético),
muitos defendem a separação dos protoctistas em

diversos reinos, enquanto que outros defendem a sua

exclusão. Inclui os protozoários, seres eucarióticos, unicelulares e heterotróficos, e as algas, seres
exclusão.
Inclui os protozoários, seres eucarióticos,
unicelulares e heterotróficos, e as algas, seres
eucarióticos, uni ou pluricelurares e autotróficos
fotossintetizantes.
e heterotróficos, e as algas, seres eucarióticos, uni ou pluricelurares e autotróficos fotossintetizantes.
e heterotróficos, e as algas, seres eucarióticos, uni ou pluricelurares e autotróficos fotossintetizantes.

Reino Fungi

São os fungos, mofos, bolores e levedos. São eucariotos, heterotróficos por absorção, uni ou
São os fungos,
mofos, bolores e
levedos.
São eucariotos,
heterotróficos por
absorção, uni ou
pluricelulares, mas
não formam tecidos.
e levedos. São eucariotos, heterotróficos por absorção, uni ou pluricelulares, mas não formam tecidos.
e levedos. São eucariotos, heterotróficos por absorção, uni ou pluricelulares, mas não formam tecidos.

Reino Plantae ou Methaphyta

Reino Plantae ou Methaphyta  Compreende as plantas que são seres eucariotos, autotróficos fotossintetizantes e

Compreende as plantas que são seres eucariotos, autotróficos fotossintetizantes e

pluricelulares.
pluricelulares.

O que caracteriza este reino é o fato de seus representantes formarem embriões, que no

início de seu desenvolvimento, retiram

embriões, que no início de seu desenvolvimento, retiram alimento da planta genitora.  As algas foram

alimento da planta genitora. As algas foram excluídas exatamente por não formarem embriões dependentes da planta- mãe.

da planta genitora.  As algas foram excluídas exatamente por não formarem embriões dependentes da planta-
da planta genitora.  As algas foram excluídas exatamente por não formarem embriões dependentes da planta-
da planta genitora.  As algas foram excluídas exatamente por não formarem embriões dependentes da planta-

Reino Animalia ou Metazoa

Compreende os animais, que são seres eucariotos, heterotróficos por ingestão e pluricelulares. Apresentam no
Compreende os animais, que são seres
eucariotos, heterotróficos por ingestão e
pluricelulares.
Apresentam no início do desenvolvimento
embrionário, um estágio chamado blástula, que
origina outro estágio – a gástrula – que
originará todos os tecidos presentes no animal
adulto.
blástula, que origina outro estágio – a gástrula – que originará todos os tecidos presentes no
blástula, que origina outro estágio – a gástrula – que originará todos os tecidos presentes no

Vírus Uma Exceção

Vírus – Uma Exceção  São acelulares, isto é, eles não são células e não são

São acelulares, isto é, eles não são células e não são constituídos por células. Constituídos por uma cápsula protéica que envolve seu material genético (DNA ou RNA). Parasitas intracelulares obrigatórios. Grupo à parte, sem reino.

envolve seu material genético (DNA ou RNA).  Parasitas intracelulares obrigatórios.  Grupo à parte, sem
envolve seu material genético (DNA ou RNA).  Parasitas intracelulares obrigatórios.  Grupo à parte, sem
envolve seu material genético (DNA ou RNA).  Parasitas intracelulares obrigatórios.  Grupo à parte, sem
envolve seu material genético (DNA ou RNA).  Parasitas intracelulares obrigatórios.  Grupo à parte, sem

Reino Chromista Em 1971, Lin & Margulis

C h r o m i s t a Em 1971, Lin & Margulis  É

É um supergrupo eucariótico polifilético que alguns cientistas tratam como reino diferenciado e outros tratam como parte do Reino Protista. Independente da designação, este supergrupo detém todas as algas que possuem cloroplasto

supergrupo detém todas as algas que possuem cloroplasto que contenha clorofila a e c.  Divide-se
supergrupo detém todas as algas que possuem cloroplasto que contenha clorofila a e c.  Divide-se
que contenha clorofila a e c.  Divide-se em 3 grupos (Haptophyta- Cryptophyta- Ochrophyta).
que contenha clorofila a e c.
 Divide-se em 3 grupos (Haptophyta-
Cryptophyta- Ochrophyta).
http://www.infoescola.com/reino-protista/chromista/
http://www.infoescola.com/reino-protista/chromista/
0 3 D o m í n i o s Em 1978, Carl Woese 
0 3 D o m í n i o s Em 1978, Carl Woese 

03 Domínios Em 1978, Carl Woese

 Archaea: Procariotos  Bacteria: Procariotos  Eukarya: Eucariotos
 Archaea: Procariotos
 Bacteria: Procariotos
 Eukarya: Eucariotos
Bacteria e os Archaea (que diferem na composição do RNA ribossômico, na estrutura da parede
Bacteria e os Archaea (que diferem na
composição do RNA ribossômico, na estrutura
da parede celular e no metabolismo).
e os Archaea (que diferem na composição do RNA ribossômico, na estrutura da parede celular e
e os Archaea (que diferem na composição do RNA ribossômico, na estrutura da parede celular e

Regras de Nomenclatura

1. TODO NOME CIENTÍFICO DEVE SER ESCRITO EM LATIM OU LATINIZADO Homo sapiens – Trypanosoma
1. TODO NOME CIENTÍFICO DEVE SER ESCRITO
EM LATIM OU LATINIZADO
Homo sapiens – Trypanosoma cruzi ou Tryapanosoma
Cruzi – Enterobius vermiculares
2. A NOMENCLATURA É BINOMIAL, SENDO O PRIMEIRO NOME IGUAL AO DO GÊNERO E O
2. A NOMENCLATURA É BINOMIAL, SENDO O
PRIMEIRO NOME IGUAL AO DO GÊNERO E O
SEGUNDO É O EPECÍFICO OU EPÍTETO
Musca domestica, Felis catus (gato doméstico),
Felis silvestris (gato selvagem), Oriza sativa (arroz).
OU EPÍTETO Musca domestica, Felis catus (gato doméstico), Felis silvestris (gato selvagem), Oriza sativa (arroz).
OU EPÍTETO Musca domestica, Felis catus (gato doméstico), Felis silvestris (gato selvagem), Oriza sativa (arroz).

Regras de Nomenclatura

Regras de Nomenclatura Canis familiaris 3. O NOME CIENTÍFICO DEVE SER GRIFADO, SUBLINHADO OU ESCRITO EM
Canis familiaris
Canis familiaris

3. O NOME CIENTÍFICO DEVE SER GRIFADO, SUBLINHADO OU ESCRITO EM NEGRITO Musca domestica, Perna perna (mexilhão), Canis familiaris

4. ENTRE GÊNERO E ESPÉCIE PODE HAVER O SUBGÊNERO, QUE DEVERÁ VIR ENTRE OS DOIS
4. ENTRE GÊNERO E ESPÉCIE PODE HAVER O
SUBGÊNERO, QUE DEVERÁ VIR ENTRE OS DOIS E
COLOCADO ENTRE PARÊNTESES, COM INICIAL
MAIÚSCULA

Anopheles (Nysorhincus) darling, Aedes (Stegomya) aegypti,

Anopheles (Anopheles) fluminensis
Anopheles (Anopheles) fluminensis
COM INICIAL MAIÚSCULA Anopheles (Nysorhincus) darling, Aedes (Stegomya) aegypti, Anopheles (Anopheles) fluminensis
COM INICIAL MAIÚSCULA Anopheles (Nysorhincus) darling, Aedes (Stegomya) aegypti, Anopheles (Anopheles) fluminensis

Regras de Nomenclatura

5. ESPÉCIES PARECIDAS PODEM APRESENTAR SUBESPÉCIES, QUE DEVERÁ SER ESCRITO DEPOIS DO NOME ESPECÍFICO E
5. ESPÉCIES PARECIDAS PODEM APRESENTAR
SUBESPÉCIES, QUE DEVERÁ SER ESCRITO
DEPOIS DO NOME ESPECÍFICO E COM
INICIAL MINÚSCULA.
Crotalus terrificus terrificus (cascavel), Crotalus terrificus
durissus
6. CATEGORIAS COM TERMINAÇÕES PRÓPRIAS. FAMÍLIAS DOS ANIMAIS O SUFIXO idae (Felidae), E NAS PLANTAS
6. CATEGORIAS COM TERMINAÇÕES PRÓPRIAS.
FAMÍLIAS DOS ANIMAIS O SUFIXO idae (Felidae), E
NAS PLANTAS O SUFIXO É: aceae (Rosaceae),
SUPERFAMÍLIA oidea (Ascaroidea) SUBFAMÍLIA inae
(Triatominae)
(Felidae), E NAS PLANTAS O SUFIXO É: aceae (Rosaceae), SUPERFAMÍLIA oidea (Ascaroidea) SUBFAMÍLIA inae (Triatominae)
(Felidae), E NAS PLANTAS O SUFIXO É: aceae (Rosaceae), SUPERFAMÍLIA oidea (Ascaroidea) SUBFAMÍLIA inae (Triatominae)

Regras de Nomenclatura

7. NOME DO AUTOR, VIRÁ APÓS O NOME CIENTÍFICO COM INICIAL EM MAIÚSCULA, PODENSO-SE COLOCAR
7. NOME DO AUTOR, VIRÁ APÓS O NOME
CIENTÍFICO COM INICIAL EM MAIÚSCULA,
PODENSO-SE COLOCAR VÍRGULA APÓS O NOME
DO AUTOR E A DATA DA DESCRIÇÃO
Trypanosoma cruzi Chagas, 1909 ou Chagas (1909)
8. NOME CIENTÍFICO EM HOMENAGEM A ALGUÉM, ACRESCENTA-SE A LETRA “i” SE MASCULINO E “ae”
8. NOME CIENTÍFICO EM HOMENAGEM A
ALGUÉM, ACRESCENTA-SE A LETRA “i” SE
MASCULINO E “ae” SE FEMININO. POR SER
PRÓPRIO PODE-SE COLOCAR A PRIMEIRA LETRA
DA ESPÉCIE EM
Trypanosoma cruzi ou Tryapanosoma Cruzi –
Homenagem a Oswaldo Cruz
PODE-SE COLOCAR A PRIMEIRA LETRA DA ESPÉCIE EM Trypanosoma cruzi ou Tryapanosoma Cruzi – Homenagem a
PODE-SE COLOCAR A PRIMEIRA LETRA DA ESPÉCIE EM Trypanosoma cruzi ou Tryapanosoma Cruzi – Homenagem a

Regras de Nomenclatura

9. NÃO IMPORTANDO OU DESCONHECENDO A ESPÉCIE, COLOCA-SE O 1º NOME GENÉRICO
9. NÃO IMPORTANDO OU DESCONHECENDO A
ESPÉCIE, COLOCA-SE O 1º NOME GENÉRICO

SEGUIDO DE sp Plasmodium sp ou Plasmodium spp (indicando plural)

DE sp Plasmodium sp ou Plasmodium spp (indicando plural) 10. O NOME DE UM HÍBRIDO, DEVE
DE sp Plasmodium sp ou Plasmodium spp (indicando plural) 10. O NOME DE UM HÍBRIDO, DEVE

10. O NOME DE UM HÍBRIDO, DEVE CONTER O NOME DAS DUAS spp QUE DERAM ORIGEM, SEPARADOS POR UM X Equus asinus x equus caballus (Burro ou Mula)

POR UM X Equus asinus x equus caballus (Burro ou Mula) 11. LEI DA PRIORIDADE, PREVALECE
11. LEI DA PRIORIDADE, PREVALECE O NOME MAIS ANTIGO Stegomya fasciata – Aedes fasciata –
11. LEI DA PRIORIDADE, PREVALECE O NOME
MAIS ANTIGO
Stegomya fasciata – Aedes fasciata – Aedes aegypti
ou Mula) 11. LEI DA PRIORIDADE, PREVALECE O NOME MAIS ANTIGO Stegomya fasciata – Aedes fasciata
ou Mula) 11. LEI DA PRIORIDADE, PREVALECE O NOME MAIS ANTIGO Stegomya fasciata – Aedes fasciata
Híbridos
Híbridos

Exercícios

08. Lineu, em 1735, publicou um trabalho (Systema Nature), no qual apresentava um plano para

classificação de seres vivos. Nele estavam propostos o

emprego de palavras latinas e o uso de categorias de classificação hierarquizadas. Deve-se também

identificar cada organismo. Nesta regra, entre outras

recomendações, fica estabelecido que devemos

escrever:

a)Em primeiro lugar o gênero, depois a família.

X
X

b)Em primeiro lugar o gênero, depois a espécie.

c)Em primeiro lugar a espécie, depois o gênero.

d)Em primeiro lugar a espécie, depois o filo. e)Em qualquer seqüência, gênero e filo.

a espécie, depois o gênero. d)Em primeiro lugar a espécie, depois o filo. e)Em qualquer seqüência,
a espécie, depois o gênero. d)Em primeiro lugar a espécie, depois o filo. e)Em qualquer seqüência,
Exercícios
Exercícios

10. Classificando-se os seres vivos, é possível estabelecer uma ordem na diversidade da natureza, facilitando a sua

compreensão. Analise as corretas e dê a soma.

X 01.
X 01.

O sistema binomial de nomenclatura adota a espécie

X 02.
X 02.

como unidade básica de classificação.

Em taxonomia, uma Ordem engloba diversas Famílias,

assim como um Gênero reúne diferentes espécies.

X 04.
X 04.

Determinado vegetal, de acordo com a classificação

vigente, permanecerá obrigatoriamente a um Reino, a um

Filo ou Divisão, a uma Classe, a uma Ordem, a uma Família

e a uma ordem.

08. X
08.
X

O Reino Protista engloba organismos unicelulares

eucariotos, entre os quais reunem-se protozoários e certas algas.

Soma: 01+02+04+08=15
Soma: 01+02+04+08=15
engloba organismos unicelulares eucariotos, entre os quais reunem-se protozoários e certas algas. Soma: 01+02+04+08=15
engloba organismos unicelulares eucariotos, entre os quais reunem-se protozoários e certas algas. Soma: 01+02+04+08=15
Exercícios
Exercícios

Em relação à classificação dos seres vivos, dê a soma das corretas:

01. As regras de classificação foram, definitivamente,

estabelecidas por Lineu.

X 02.
X 02.

De acordo com a taxonomia moderna, a ordem é a

reunião de várias famílias semelhantes.

X 04.
X 04.

As regras de classificaçãoe nomenclatura, com poucas

exceções, aplicam-se igualmente a todos os seres vivos.

08. Se um ser vivo pertence a determinada classe, ele é

obrigatoriamente membro da mesma ordem.

X 16.
X 16.

A seqüência correta das Classes taxonômicas é: reino, filo,

classe, ordem, família, gênero e espécie.

Soma: 02+04+16=22
Soma: 02+04+16=22
correta das Classes taxonômicas é: reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie. Soma: 02+04+16=22
correta das Classes taxonômicas é: reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie. Soma: 02+04+16=22

Cladograma

Ex. 1
Ex. 1
Ex. 2
Ex. 2

Em um cladograma, a base representa um ancestral comum compartilhado

por todos os vertebrados, como no exemplo acima, e os ramos (clados), os

descendentes. Ao lado do cladograma pode ser inserido uma escala do tempo geológico, facilitando assim a visualização do Período em que o grupo surgiu e, conseqüentemente, há quantos mil/milhões/bilhões de anos se deu este surgimento.

Cladograma

Cladograma Cada dicotomia e/ou politomia presente no cladograma representa que, em um momento do passado ,

Cada dicotomia e/ou politomia presente no cladograma representa que, em um momento do passado,

uma linhagem ancestral sofreu

processos de especiação e originou

duas ou mais espécies diferentes.

Desta maneira, cada dicotomia representa um ancestral comum compartilhado por uma ou mais linhagens.
Desta maneira, cada
dicotomia representa um
ancestral comum
compartilhado por uma ou
mais linhagens.
diferentes. Desta maneira, cada dicotomia representa um ancestral comum compartilhado por uma ou mais linhagens.
diferentes. Desta maneira, cada dicotomia representa um ancestral comum compartilhado por uma ou mais linhagens.
diferentes. Desta maneira, cada dicotomia representa um ancestral comum compartilhado por uma ou mais linhagens.

Cladograma

Cladograma Esclareça que a maneira como os grupos estão distribuídos em um cladograma não representa uma
Esclareça que a maneira como os grupos estão distribuídos em um cladograma não representa uma
Esclareça que a maneira como os
grupos estão distribuídos em um
cladograma não representa uma
hieráquia/escala do "mais simples
para o mais evoluído", mas que os
organismo estão classificados de
acorodo com os ancestrais que
compartilham e, conseqüentemente,
com as características comuns que
Sendo assim, quando uma bifurcação do cladograma é "girada", a compartilham. história evolutiva dos
Sendo assim, quando uma bifurcação
do cladograma é "girada", a
compartilham.
história evolutiva dos organismos
permanece a mesma e este fato vem
corroborar que os cladogramas
classificam os organismos de acordo
com as relações de parentesco que
estabelecem e não existindo "uma escala
de complexidade".
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTec

nicaAula.html?aula=588

Complicando a vida kkkkk

Complicando a vida kkkkk

Facilitando a vida kkkkk

Facilitando a vida kkkkk
Facilitando a vida kkkkk
Facilitando a vida kkkkk
Facilitando a vida kkkkk
Facilitando a vida kkkkk
Facilitando a vida kkkkk
Facilitando a vida kkkkk