Sei sulla pagina 1di 7

Engenheiro Eletricista

THIAGO RADD LIMA

PROJETO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA:Usina de geração fotovoltaica 112,45kWp Memorial Descritivo das instalações de
PROJETO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA:Usina de geração fotovoltaica
112,45kWp
Memorial Descritivo
das
instalações de conexão, da
proteção, os dados e as
características do Acessante.

thiago.radd@engenharia.ufjf.br

18/10/2018

SUMÁRIO

1 Normas e Padrões Técnicos e Documentação Relacionada

3

2 Identificação da Unidade Consumidora

3

3 Dados do Ponto de Entrega:

3

4 Descrição das Cargas a serem atendidas

3

5 Dimensionamento do Gerador, do Inversor, dos equipamentos de proteção CC e CA

4

(disjuntor, fusíveis, DPS), disjuntor de entrada e dos condutores;

5.1 Dimensionamento dos equipamentos de geração 4 5.2 Cálculo da demanda instalada 5 5.3 Dimensionamento
5.1 Dimensionamento dos equipamentos de geração
4
5.2 Cálculo da demanda instalada
5
5.3 Dimensionamento do menor condutor
5
6 Descrição do sistema de Aterramento, equipotencializações e proteção
6
6.1 Quadro de campo (STRING BOX CC+CA):
6
6.2 Saídas dos DPS:
6
6.3 Aterramento
6
6.4 Padrão de entrada:
6
7 Características técnicas do Gerador e Inversores
6
8 Lista de Materiais e Equipamentos
Erro! Indicador não definido.
9 Considerações finais
6

2

Engenheiro Eletricista Thiago Radd Lima Tel: (32) 9 9841-3393 thiago.radd@engenharia.ufjf.br

1 NORMAS

E

PADRÕES

RELACIONADA

TÉCNICOS

E

DOCUMENTAÇÃO

O

projeto e o presente memorial foram elaborados dentro das seguintes referências

técnicas

-

Resoluções Normativas 414 E 482 da ANEEL

- NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão; - NR10 - Segurança em instalações
- NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão;
- NR10 - Segurança em instalações e serviços de eletricidade
- NDU013 – Critérios para a Conexão de Acessantes de Geração Distribuída
ao Sistema de Distribuição, Revisão 3.1, dezembro de 2017, Energisa.
Ainda, todos os materiais especificados e citados no projeto deverão estar de
acordo com as respectivas normas técnicas brasileiras de cada um.
2 IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE CONSUMIDORA
O presente memorial visa descrever o projeto de geração distribuída a ser instalado
na propriedade de José Majella Molica e Cia LTDA – CNPJ 66.325.614/0001-51
Tipo da Edificação: comercial
Responsável Técnico: - Thiago Radd Lima
CREA 164433D – ART 14201800000004918721
Endereço: Av. Theophile Dubriel, Visconde do rio branco–MG, CEP 36.520-000
Coordenadas geográficas: 21,039530º sul, 43,842947º oeste
3 DADOS DO PONTO DE ENTREGA:
Entrada de tipo de ramal entrada subterrânea com cabos de entrada de 185mm²
e disjuntor geral de 300 A trifásica e tensão nominal de 127/220V.
4 DESCRIÇÃO DAS CARGAS A SEREM ATENDIDAS
O sistema fotovoltaico é composto de 2 geradores fotovoltaico, um composto de
346 módulos fotovoltaicos, 2 inversores com a potência nominal de 60,0kWp, tendo uma

geração total de até 120,0kWp, para uma produção de 187.062,36 kWh por ano,

distribuídos em uma área de 850 m².

A geração do sistema não ultrapassará 112,45kWp devido a quantidade de placas

fotovoltaicas no sistema ser inferior.

Modalidade de conexão à rede de alimentação Baixa Tensão trifásica, com tensão

de fornecimento a 127/220 V.

3

Engenheiro Eletricista Thiago Radd Lima Tel: (32) 9 9841-3393 thiago.radd@engenharia.ufjf.br

5

DIMENSIONAMENTO DO GERADOR, DO INVERSOR, DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO CC E CA (DISJUNTOR, FUSÍVEIS, DPS), DISJUNTOR DE ENTRADA E DOS CONDUTORES;

5.1

Dimensionamento dos equipamentos de geração

O projeto foi realizado com base nas necessidades de energia do cliente. O sistema

foi projetado para fornecer em média . , /mês e atender a taxa mínima da
foi projetado para fornecer em média . , /mês e atender a taxa
mínima da concessionária Energisa. Conforme os cálculos abaixo:
Geração de energia objetivo: . , / ê
Para atender este objetivo, um sistema de geração de energia solar será implantado
na rede da Energisa com painéis solares, inversores e as devidas proteções elétricas.
Será necessário a instalação de conjuntos de painéis solares de 325Wp de
potência agrupados em 11 conjuntos com 16 painéis ligados em um inversor de
60kWh e mais 10 agrupamentos com 17 painéis ligados em um inversor de
60kWh. Dessa forma a geração de pico final pico fica em 112,45 kWp.
O sistema é ligado em um transformador de 380V/220V e potência de 112,5kVA.
Contabilizando todas as perdas de energia no sistema, um fator de 0,979 reduz a
geração para um valor médio de . ,
Levando em consideração a posição geográfica do local. Segundo o site
http://www.cresesb.cepel.br/ informa que o índice solarimétrico nas coordenadas
é de 4,72 kWh/m 2 .
Latitude: 21,039530° S
Longitude: 43,842947° O
A produção final de energia final é dada pela seguinte fórmula:
= × × ×
Onde:
-
= Geração final de energia (kWh)
-
= Geração de pico dos painéis solares (kWp)
-

= Perdas elétricas no sistema (Efeito Joule, Eficiencia dos painéis, reativos, fuga, etc)

- = Índice solarimétrico do local (kWh/m 2 )

Então:

= , × ,

×

,

×

= . , / ê

Engenheiro Eletricista Thiago Radd Lima Tel: (32) 9 9841-3393 thiago.radd@engenharia.ufjf.br

4

5.2

Cálculo da demanda instalada

A demanda instalada do cliente é calculada através da fórmula:

= × ×

Onde:

= Demanda total (kVA) = Proteção geral instalada atualmente (A) = Tensão fornecida ao cliente (V)

Então: = × × √ = , Como a capacidade de geração do sistema(112,45kVA) é
Então:
= ×
× √
= ,
Como a capacidade de geração do sistema(112,45kVA) é inferior a demanda total
(114,3kVA) instalada. O sistema possui um dimensionamento adequado para a
conexão GRID-TIE a rede elétrica.
5.3 Dimensionamento do menor condutor
O sistema gerador consiste em 21 conjuntos de placas em série com corrente de
operação máxima de 8,86A, assim pode adotar uma proteção para os conjuntos de placa
geradora disjuntores mínimo de 10A de corrente continua e seção mínima do condutor de
2,5mm².
Os condutores adotados nesta instalação foram de 6mm², superior ao valor
calculado para método de referência tipo C e temperatura de até 90ºC utilizando no
mínimo isolamento EPR ou XLPE, neste caso a corrente máxima é de 52A utilizando um
disjuntor de 25Acc.
Nos inversores SUNGROW SOLAR INVERTER 60KW a corrente máxima de
saída é de 96A, usando um disjuntor de proteção de 100Aca para cada inversor com
condutores de 35 mm², que podem suportar até 111A método de referência tipo B1 e
temperatura de até 70ºC utilizando no mínimo isolamento PVC e o disjuntor geral de
entrada de 300Aca trifásico.

O sistema na conexão do entre o inversor e a rede é utilizado um transformador

abaixador de 120kW de 380V para 220V, com uma proteção no lado de baixa de 300A

trifásico.

5

Engenheiro Eletricista Thiago Radd Lima Tel: (32) 9 9841-3393 thiago.radd@engenharia.ufjf.br

6

DESCRIÇÃO

EQUIPOTENCIALIZAÇÕES E PROTEÇÃO.

DO

SISTEMA

DE

ATERRAMENTO,

6.1 Quadro de campo (STRING BOX CC+CA):

Será prevista a instalação de um quadro StringBox CC e outra CA para o inversor

e rede, composto por DPS, fusíveis e disjuntor tripolar/bipolar para a proteção entre os

módulos e o inversor em seu lado CC e proteção do inversor e rede do seu lado CA.

6.2 Saídas dos DPS: Serão aterradas (Aterramento sistema FV e aterramento rede CA); 6.3 Aterramento
6.2 Saídas dos DPS:
Serão aterradas (Aterramento sistema FV e aterramento rede CA);
6.3 Aterramento
Todo o sistema será aterrado (quadros, inversor, estrutura dos módulos, etc), e
interligado a malha de aterramento geral;
6.4 Padrão de entrada:
Será prevista a instalação de uma placa de advertência junto ao padrãode entrada
de energia, próximo a caixa de medição, com os seguintes dizeres: “CUIDADO –RISCO
DE CHOQUE ELÉTRICO – GERAÇÃO PRÓPRIA”. Placa confeccionada em PVC,
espessura mínima de 1 mm, 25 cm de largura e 18 cm de altura.
7
CARACTERÍSTICAS
TÉCNICAS
DO
GERADOR
E
INVERSORES
As características dos equipamentos podem ser conferidas nos datasheet de
especificação técnicas entregue junto com o projeto.
8
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Será emitido e divulgado pelo instalador, os seguintes documentos:
- Manual de uso e manutenção, incluindo a programação recomendada de
manutenção e inspeção;

- Projeto executivo "como construído", acompanhado com folhas de

material instalado;

- Dados relacionados a: custo de disponibilidade da concessionária local,

uso de excedente, adequações ao sistema de medição, entre outros não

listado conforme a Resolução Normativa 482/12, Resolução Normativa

687/15 e especificações técnicas do PRODIST;

6

Engenheiro Eletricista Thiago Radd Lima Tel: (32) 9 9841-3393 thiago.radd@engenharia.ufjf.br

- Declaração dos controles efetuados e dos seus resultados;

- Certificado emitido por um laboratório acreditado INMETRO (Cgcre ) de

acordo com ABNT-NBR-ISO/IEC 17025 sobre o número CRL0011, e

quanto à conformidade com EM 61215 para os módulos de silício

cristalino e IEC 61646 para módulos de filme fino;

- Certificado emitido por um laboratório acreditado quanto à conformidade

do inversor DC/AC com as normas vigentes e, se o dispositivo de interface

é usado dentro da própria unidade. Atendendo as normas: ABNT-NBR- 16149, ABNT-NBR-16150 e ABNT-NBR-62116; -
é usado dentro da própria unidade. Atendendo as normas: ABNT-NBR-
16149, ABNT-NBR-16150 e ABNT-NBR-62116;
- Declarações de garantia relativas aos equipamentos instalados;
- Outras especificações, seguem descritos no Relatório Técnico Final do
Sistema, nas certificações e manuais dos equipamentos.
A empresa de instalação, além de realizar com o que está indicado no projeto, irá
realizar todos os trabalhos em conformidade com a normas:
 NBR 5410 - Instalações elétricas de baixa tensão;
 NR 10 – Segurança em instalações e serviços em eletricidade;
 NR 35 – Trabalho em altura;
 Resolução Normativa 482/12, Resolução Normativa 687/15 e
especificações técnicas do PRODIST.

7

Engenheiro Eletricista Thiago Radd Lima Tel: (32) 9 9841-3393 thiago.radd@engenharia.ufjf.br