Sei sulla pagina 1di 20

Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

PRODUTOR X EXECUTOR
O que temos feito pelo
mundo à nossa volta

O Painel do Grau
no REAA
Qual sua função?

Somos livres,
realmente Livres?
Como responder esta
questão

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

Seções Maçônicas

Editorial....................................................................................................... 3
O Compasso............................................................................................... 4
Entre Colunas............................................................................................. 5
Calendário Maçônico................................................................................. 6
. . . . . . .
V. .I. .T. .R. .I. .O. .L. . .................................................................................. 7

Saúde

Saúde Depressão............................................................................ 8
Saúde do Homem Câncer de Próstata.............................................................. 10

Geral

Especial Nosso Legado...................................................................... 11


A Loja dos Espíritos............................................................. 12
O Mosaico............................................................................ 13
Fábula Maçônica.................................................................. 13
A Política de Hoje, de Ontem e de Sempre......................... 14
A Ordem e a Obediência...................................................... 15
Você Sabia?......................................................................... 16
Os Rolos do Mar Morto........................................................ 17
A Tecnologia e a Maçonaria................................................. 19

Capa
Detalhe do famoso afresco “A Escola de Atenas”
Raffaello, 1509

Revista Maçonaria Brasil

Direção e Redação

Marcio Aguiar
mraguiar@pop.com.br

Wenderson Silva
wsilva@nuinet.com

Todas as matérias são de total responsabilidade de


seus autores, e não necessariamente expressam o
pensamento dos editores.

Toda colaboração deve ser enviada aos editores


para inclusão em futuras edições.

Todos os direitos reservados.

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

EDITORIAL
Meus Carrinhos de Ferro
Tenho uma coleção de carrinhos de Ferro, desses do tipo alguém lhe solicita uma ajuda, mesmo que mínima, ele
Hot Wheels. Entre todos tem um que é muito especial: um rapidamente se esconde atrás do seu avental ao avesso,
Plymouth GTX 1971. Ele é parecido com o nosso Maveri- como se quisesse assustar a quem lhe solicitou a ajuda.
ck, porém, muito melhor vejam a foto da minha miniatura
e outra de um carro original. Por que será que esse Irmão, então, é tão vaidoso ao falar
sobre sua situação de Iniciado?

Bem não irei julgar, pois isso


não me cabe.

Mas com alegria quero dizer à


todos, a minha coleção de car-
rinhos agora é tocável e sofri
um pouco por tal mudança, mas
posso garantir que a minha sa-
tisfação pessoal é maior quando
eu vejo os meus amigos olha-
rem e tocarem nos carrinhos e
Nossa, vocês precisam ver, esse carro tem muita potên- tem até alguns que ajoelham-se no chão e brincam com
cia. É pura adrenalina. eles como se fossem crianças. Esta é a minha realização
Para todas as pessoas que eu conheço eu faço questão e vi que posso ajudar ao próximo apenas mudando os
de anunciar a minha coleção e faço questão de mostra meus hábitos.
- lá, e é claro, dando um destaque para o meu Plymouth
GTX.

As palavras que mais ouço


é “UUUAAUUUU”, “Que lin-
do” e por ai vai. Só elogios.
Mas quando eles falam:
- Posso Pegá-los???
- UHMMMM!!! Não tem jei-
to!
A minha resposta era sem-
pre NÃO, nem oferecendo
dinheiro!!! É incrível a mu-
dança de comportamento:
de entusiasmados para des-
motivados.

Então eu não entendia por


que eu ficava extremamente empolgado para mostrar a Como profano e moderador, eu espero um dia ser iniciado
minha coleção e ao mesmo tempo não deixa ninguém na Pura Maçonaria, onde o lema Liberdade, Igualdade e
tocá-los. Fraternidade possam ser lidas, faladas e principalmente
Praticadas.
Mas você deve estar se perguntando, mas o que tudo isso
tem a ver com a Maçonaria? Que você possa tem uma excelente leitura desse periódi-
Antes mesmo que os nossos honrados profanos pensem co e vamos juntos transformar o mundo, começando pelo
nos mistérios da Ordem eu quero dizer que não há pala- quarto de nossa casa.
vras secretas ou mensagens subliminares neste texto ou
algo parecido. E irei explicar o motivo desse texto.
Um grande abraço fraterno,
Alguns dias atrás estava conversando com um Irmão já
com quase 40 anos de Ordem e estávamos comentando
sobre o comportamento de alguns Irmãos iniciados e lem- Wenderson Silva
brei-me dos meus carrinhos durante esse bate papo, pois Moderador Lista Maçonaria Brasil
há alguns Irmãos que se preocupam demasiadamente
com a sua situação de Iniciado e logo querem que todos
saibam. Usam broches, pins, adesivos no carro, anun-
ciam abertamente e outras coisas do gênero, mas quando
Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 
Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

O COMPASSO por Paulo Mathias

Livres. Realmente Livres... - 1ª Parte

Vasculhando algumas revistas antigas, procurando as- Geralmente entende-se por ser Livre aquele indivíduo que
sunto para o artigo deste mês, encontrei um exemplar da possui seu pleno direito de circular entre os demais cida-
revista “ECLÉSIA, a revista evangélica do Brasil”, Nº. 79, dãos; que possui uma ficha criminal limpa... Mas, o que
Ano VII, onde a matéria de capa é: “Pode um crente ser realmente significa ser LIVRE?
Maçom?”.
Curioso, fui direto até a página 34 onde começa a matéria. Ser LIVRE é estar pronto para o NOVO, é ser capaz de
Não me surpreendi com o que li. Todos os equívocos co- abandonar os dogmas aprendidos ao longo da vida. É es-
locados contra a Maçonaria, não foram ditos pelo desco- tar pronto para enxergar as VERDADES que estão diante
nhecimento do que é a Maçonaria, mas pelo preconceito de nossos olhos, no dia-a-dia. Ser LIVRE é não deixar a
contra a Ordem Maçônica, que “encerra um corolário de religião se interpor diante dos debates sobre os mais di-
elementos pouco recomendáveis”. versos assuntos, é não deixar o preconceito prejudicar a
avaliação sobre nosso interlocutor, ou sobre qualquer as-
Um pesquisador religioso diz que a Maçonaria não pode sunto. Ser LIVRE é buscar a VERDADE, seja ela qual for.
ser considerada um movimento Cristão pelo simples fato E, principalmente, é estar pronto para questionar o que
de valorizar a fraternidade. Mas se contradiz quando afir- nos é ensinado... Por quem quer que seja...
ma que se a Maçonaria possui Templos, ritos, orações
(?) e recompensas está claro que é uma religião. Até o O Homem LIVRE possui a mente aberta ao insondável,
juramento de manter sigilo sobre o que ocorre dentro de ao obscuro... Observa e analisa, à luz da lógica, para só
templo é colocado como sendo algo negativo. então emitir sua opinião.

Enquanto eu lia matéria, pelo seu teor preconceituoso, fui Trabalhemos para formar uma legião de Homens Livres.
me lembrando do estardalhaço provocado por aqueles Realmente Livres... Para assim atingirmos a verdadeira
que tentaram impedir a exibição do filme O Código Da Vin- Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
ci aqui no Brasil. E fiquei aqui pensando nas convicções
que os Homens guardam dentro de si e refutam qualquer Continua...
indício de idéias que lhes possa fazer repensar ou rever
pontos de vista. Isso é mais evidente quando o assunto
tange a religiosidade, momento em que a maioria dos Ho- Paulo Sergio Mathias Henrique
mens perde o senso crítico, o espírito de fraternidade e se A:.R:.L:.S:. Sagrado Tibete Nº. 1898
esquece do respeito à igualdade de liberdade de idéias, Oriente do Lins, Rio de Janeiro
que todos somos detentores.

Não seria assim se fôssemos Livres, Realmente Livres.

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

ENTRE COLUNAS por Fernando Paiva

Painel do Grau ou Tábua de Delinear


Este é um assunto dentro da Ordem bastante in- Tábua de Delinear, instrução única em cada Grau, onde
teressante, que devemos reavaliar, os Irmãos tiram as bases para seus trabalhos, assim con-
entender e tomar posicio- seguindo ascensão na nossa Ordem.
namento. No nosso REAA, estas instruções já estão nos rituais, em
O erro que cometemos é perguntas e respostas e continuamos abrindo erradamen-
grande, e, permanecendo te este Painel ou Tábua, sem nenhum fundamento litúrgi-
nele, sabendo da sua exis- co ou instrutivo.
tência, poderá ser conside-
rado maçônico, mas a igno- A maioria nunca atenta para o fato e quando informo e
rância sobre o fato foge aos digo que tem que ser mudado me respondem que são
princípios que preconizamos usos e costumes.
na Ordem.
Esta resposta me deixa mais perplexo, pois demons-
No nosso Rito dos Maçons Es- tra ignorância em não saber que Usos e Costumes
coceses Antigos e dos Maçons que descreve o “Landmarque”, são a utilização do
Escoceses Aceitos, que resol- material da Maçonaria Operativa na Especulativa,
vemos chamar de Rito Escocês isto é, usar esquadro, compasso, régua, escopo,
Antigo e Aceito, praticamos dia- nível, prumo e demais instrumentos, não o que
riamente em nossas Lojas um erro aconteceu no ano passado ou no século passado
grave, pelo que sei, na maioria de- continuar a ser feito da mesma forma.
las.
No rito de Schröder, esta Tábua de Delinear é substituída
Naquele famoso Painel do Grau que o Irmão Diácono abre pelo Tapete, que também é aberto e fechado da mesma
no centro do templo e fecha ao terminar os trabalhos, re- forma no centro do templo, também servido de estudo dos
side todos os nossos problemas. 3 graus simbólicos em um só tapete.

Quando se pergunta a um Maçom de qualquer grau no Como complemen-


REAA para que é realizada esta liturgia, abrir e fechar o to estas Tábuas de
painel, recebemos inúmeras explicações sem nenhum Delinear foram intro-
fundamento litúrgico, histórico ou de Irmãos que afirmam duzidas na Ordem
que são Usos e Costumes. em substituição aos
A resposta mais comum que escuto ao fazer esta per- traçados que se re-
gunta é para saber em que grau a Loja está trabalhando, alizavam no centro
ou para que, quando os Irmãos entrarem na Loja após a do templo, na épo-
abertura dos trabalhos, saberem em que grau está traba- ca Operativa, sen-
lhando a Loja. do guardados como
plantas a serem re-
Absurdos como estes e outros são descritos sempre e va- alizadas na obra de
mos tentar explicar esta liturgia. Os Irmãos ao entrarem, já construção.
tem que saber o grau de trabalho porque este foi discutido
e avaliado pelo Irmão Cobridor e os que estão na Loja é Para manter o costume litúrgico na época Especulativa
obvio que sabem o grau de trabalho, se não fosse assim a GLUI fez um concurso público, um pintor de quadros
os do Oriente que não vêem o painel como saberiam do fez as Tábuas e elas passaram a ser definidas com uma
grau? Parece piada, mas não é. abertura idêntica a dos Alemães de Schröder, como no
costume antigo dos Operativos no centro do templo.
Abrir este Painel do Grau, que recebe o nome de Tábua
de Delinear no Craft Inglês ou no York Americano, não tem Finalmente informo que não há necessidade de se mudar
nada com o nosso REAA, é uma liturgia destes ritos e não nada, mas saber o correto é fundamental quando se é
do nosso, não existem estes painéis em nosso rito, eles Maçom.
são outros e permanecem abertos sempre, como painel
alegórico, atrás do trono do Venerável Mestre. Fernando Paiva
Algumas Jurisdições têm nos rituais estes Painéis Alegó- PGMAdj GLMERJ
ricos descritos. DG sB DGLMMM Brazil
WM Guanabara Lodge of MMM 1156
A função destas Tábuas de delinear, quando abertas na GR G.O. Itália
Loja, é para nelas serem dadas as instruções de cada GR G.L. El Potosi
Grau no “Craft” e no YORK, onde todos vão para o centro
do Templo, em torno delas e é ali realizada a descrição da

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

CALENDÁRIO MAÇÔNICO por Jerônymo Borges Filho


Dia 1º: disso, os prelos e as publicações multi- ca do Rio de Janeiro;
1768: Fundação da Grande Loja das plicam-se no Brasil. Dia 23:
Três Chaves, de Ratisbon, Alemanha; Dia 13: 1951: Fundada a Ordem Islandesa de
1869: Iniciação de Rui Barbosa, com 19 1925: Mário Behring renuncia ao cargo Franco-Maçons, a Grande Loja da Is-
anos de idade, na Loja América, de São de Grão-Mestre do GOB, mas conserva lândia, cujo primeiro Grão-Mestre foi
Paulo; 1989: Fundação da Grande Loja o de Soberano Grande Comendador. o próprio Presidente islandês, Sveinn
do Hawaii; Dia 14: Björnsson.
Dia 2: 1797: Fundada, na povoação da Barra, Dia 24:
1927: Fundação da Grande Loja de São na Bahia, a Loja Cavaleiros da Luz, a 1783: Nasce Simon Bolívar (.’.) o Liber-
Paulo. primeira Loja do Brasil, embora sem fi- tador da Colômbia e Venezuela; 1844:
Dia 3: liação regular. A primeira Loja regular foi Fundação da Grande Loja de Alpina,
1777: O Grande Oriente de França cria a Loja Reunião (ou União) em Niterói, Suiça; 1859: Antônio Carlos Gomes, o
a palavra semestral, mais tarde ado- em 1801, com carta dada pelo Gran- primeiro dos compositores brasileiros
tada pelas demais potências; 1777; de Oriente de França (Ile de France); a criar fama internacional, é iniciado
Constituição da Grande Loja de Nieder- 1927: Lançada a Pedra Fundamental na Loja Amizade, de São Paulo; 1910:
sachsen, Alemanha; 1927: no dia 2 de do atual Freemason’s Hall, de Londres, Fundação do Supremo Conselho do
julho, fundação da Grande Loja de São erigido em honra aos Maçons mortos Equador;
Paulo; na I Guerra Mundial. Dia 25:
Dia 4: Dia 15: 1794: Executado André Marie Chénier,
1776: Independência dos EUA, a pri- 1573: Nasce Inigo Jones, famoso ar- poeta e idealista francês, membro da
meira república inspirada nos ideais quiteto inglês, que Anderson nas Cons- Loja Les Neuf Souers, por opor-se aos
maçônicos; 1781: Iniciação do poeta tituições diz ter sido Grão-Mestre, mas estúpidos excessos radicais da Revolu-
Robert Bruns, na Loja St. David Lodge, sem comprovação; 1662: Fundação da ção Francesa.
Escócia; 1888: Fundação do Grande Royal Society. Muitos dos fundadores Dia 26:
Oriente da Espanha. além de homens da ciência e cultura, 1794: Falece na Paraíba o Padre Fran-
Dia 5: eram Maçons, Rosacruzes e Alquimis- cisco João de Azevedo, inventor de uma
1755: A Grande Loja de França aceita tas; 1774: Iniciado Jean Paul Marat, máquina de escrever. Pertencia à Loja
que os Mestres Escoceses tenham, o mais tarde figura importante na Revo- Segredo e Amor da Ordem, de Recife.
direito de supervisionar as Lojas Sim- lução Francesa, em Londres; 1881: Dia 27:
bólicas; 1802: Fundada na Bahia a Loja Iniciado o maestro e compositor John 1818: Fundação da Grande Loja de
Virtude e Razão, conforme informa o Al- Philip Souza na Loja Hiram Nr. 10, em Mississippi; 1966: Fundação da CMSB
manak Maçônico Astrea de 1847. Washington, DC. – Confederação da Maçonaria Simbóli-
Dia 6: Dia 16: ca do Brasil.
1819: Falece Thomas Smith Webb, 1774: Fundação da Grande Loja Nacio- Dia 29:
importante ruralista que organizou os nal da Alemanha 1808: Fundação da Grande Loja Pro-
rituais simbólicos e dos Graus do Real Dia 17: vincial de São João, em Boston; 1808:
Arco Americano; 1830: Fundação da 1751: Maçons irlandeses fundam em Nasce Joaquim José Inácio, Visconde
Grande Loja da Flórida; 1971: Falece Londres a Grande Loja dos Antigos; de Inhaúma, GM Adjunto do Grande
Louis Armstrong, o mais famoso intér- 1823: D. Pedro I demite José Bonifácio Oriente do Passeio.
prete de jazz do seu tempo, membro da e fecha o Apostolado; 1856: Fundação Dia 31:
Lodge Montgomery (Prince Hall) da Grande Loja do Uruguai. 1921: Graves irregularidades nas elei-
Dia 8: Dia 19: ções para Grão-Mestre do GOB, que
1789: Fundação da Grande Loja de 1822: José Bonifácio, eleito por aclama- deram a vitória a Mário Behring, leva-
Connecticut, EUA; 1875: Iniciado Ma- ção sem ter sido iniciado, toma posse ram o GO do Estado de São Paulo a
ximillien Littré, educador e lexicógrafo como Grão-Mestre do GOB; separar-se. Os delegados de São Pau-
francês; Dia 20: lo, sabidamente contrários a Behring,
Dia 9: Nasce William Preston, autor da famosa haviam sido impedidos de votar por
1793: A Grande Loja da Inglaterra auto- Illustrations of Masonry e Patrono das motivos fúteis.
riza a publicação do jornal Freemason’s Prestonian Lectures, famosas palestras
Magazine; anuais.
Dia 10: Dia 21: Ir.’. Jerônymo Borges Filho –
1730: Nasce Jean-Baptiste Willermoz 1802: Fundação do Supremo Conse- MI 33º REAA
(.’.) ocultista, Rosacruz e ritualista fran- lho das Índias Ocidentais Francesas Loja Templários da Nova Era Nr. 91
cês; no Haiti; 1875: Fundação da Grande Florianópolis – SC
Dia 11 Loja de South Dakota, EUA; 1917: Nilo ( borgesjbf@floripa.com.br )
1836: Nascimento de Antônio Carlos Peçanha, ex-presidente do Brasil é em- Fonte de pesquisas: próprias e do
Gomes, o primeiro dos compositores possado como o 21º Soberano Grande “Livro dos Dias”
brasileiros a criar fama internacional. Comendador do Supremo Conselho. (infyarte@veloxmail.com.br )
Pertencia à Loja Amizade, de São Pau- Dia 22:
lo. 1874: A Loja Artista, de Pelotas, RS, re-
Dia 12: pudia projeto do Senador J.M.Figueira
1821: As Cortes portuguesas aprovam de Mello, propondo extinção da Maço-
o fim da censura prévia e do monopólio naria e perseguição aos Maçons; 2002:
da Imprensa Régia. Em conseqüência Reerguimento da Grande Loja Simbóli-

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

por Leo Cinezi

Produtor x Executor
Muito se fala. Teorias e ensinamentos. duas ou mais colheres de diretriz, melhor. Faça um estudo de cores e
Instruções dentro e fora de Templos. apresento uma receita que mudará o amplifique a mensagem contida nesta
Considerações. Pontos-de-vista. Tra- paradigma. fórmula com a cromologia. Qualquer
balhos escritos e apresentados... coisa... Mas, FAÇA!
Em uma destas tantas idas e vindas Pronto! Sinta-se melhor. Agora sim
Será que não estamos esquecendo entre diferentes Orientes, deparei- você começa a vibrar positivamente à
algo?!? me, certa vez, com uma colocação de favor de algo.
um Irmão: “E nós? O que estamos Falar dos direitos dos outros é fácil.
Por onde andará a AÇÃO? fazendo?” encontrar erros, também. Mas... Será
Aliás, por onde ela ficou PARADA. Poupem-me do protocolar e respos- que temos a mesma facilidade para
Por que muitos de nós, brasileiros, tas decoradas. No âmago, o que você erigirmos novas e melhores estrutu-
sentimo-nos tão engessados? Como realmente está fazendo aí? ras, do que abalarmos as que conhe-
se estivessem nos calando. Isso... Aí mesmo. Por que está lendo cemos?
Conseguimos fazer à pensar?
SIIIIIIIIIIIIIIIM!
Agora responda sinceramente: O que
VOCÊ está fazendo? “O que vindes
fazer aqui?”
Seja sincero consigo, meu Irmão e
com certeza descobrirá que é muito
menos do que você é capaz de fazer.
Somente complementando, houve
resposta ao Irmão que perguntou
acerca do que estamos fazendo.
Muitos concordaram que nada faziam.
Atados dos pés a cabeça. Mas um Ir-
mão sabiamente respondeu diferen-
te: “Estamos produzindo ENERGIA
PURA para abastecer o coração e
alma dos que realmente estão fa-
zendo algo.”
Então, mesmo depois deste chacoa-
ao invés de escrever, por exemplo? lhão, concluímos que mesmo aparen-
Eis a questão! Por que está parado ante andar? temente não fazendo nada, só o fato
Por que pensa em respostas quan- de nos reunirmos com um só pensa-
Muito discutido e ampliado, tal “pro- do pode facilmente abrir sua calada mento, estamos por fim, produzindo.
bleminha” causa furor onde quer que boca e colocar a resposta que mais Portanto, criando.
esteja, devastando as mais brilhantes couber? Institivamente. Será que nos Criando uma realidade mais pura e
mentes e solidificando a visão de que crivos da RAZÃO/EMOÇÃO não falta passiva. Energizada. Para aqueles
estamos realmente de mãos atadas. um elemento? que necessitam de um pouco a mais
O problema, meus caros, todos reco- Esta questão não é para ser respon- para começar a se movimentar e para
nhecemos. Uns até tentam fechar os dida com “decoreba” de ritualística, reabastecer os que já se movimentam
olhos. Outros, tentam sozinhos, como tampouco um questionamento para há tempos.
mártires de uma causa muitas vezes ingresso ou comprovação de nada. Agora, meu caro, basta escolher:
equivocada. Agora indago: e a solu- Ela assola o povo como um todo e es- Produto ou Executor?
ção? Existe? pecialmente nossos pares. Ambos...
Que tal começar a mudar isso AGO-
Claro! RA? Bons pensamentos.
VITRIOLize-se!
Mais AÇÃO! DINAMISMO! CORA- Fácil! Comece por aqui! Aponte os
GEM! erros de grafia ou concordância que Léo Cinezi
cometi. Critique minha singela logo,
Com estas três palavrinhas, amalga- acima. Questione o por quê do nome
madas, resultados impressionantes desta coluna.
surgirão. Envie-me uma mensagem (leo@vie-
la.com.br) dizendo como colocaria
Com uma pitada de tolerância e um tal “erro” de uma maneira mais apro-
punhado de otimismo, acrescido de priada ou abrangente. Crie uma logo

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

SAÚDE
Depressão
Generalidades • Dificuldade de concentração
Depressão é uma palavra • Alterações do apetite e do sono
freqüentemente usada para • Lentificação das atividades físicas e mentais
descrever nossos sentimen- • Sentimento de pesar ou fracasso
tos. Todos se sentem “para Os sintomas corporais mais comuns são sensação de
baixo” de vez em quando, desconforto no batimento cardíaco, constipação, dores de
ou de alto astral às vezes cabeça, dificuldades digestivas. Períodos de melhoria e
e tais sentimentos são nor- piora são comuns, o que cria a falsa impressão de que se
mais. A depressão, enquan- está melhorando sozinho quando durante alguns dias o
to evento psiquiátrico é algo paciente sente-se bem. Geralmente tudo se passa gradu-
bastante diferente: é uma almente, não necessariamente com todos os sintomas si-
doença como outra qual- multâneos, aliás, é difícil ver todos os sintomas juntos. Até
quer que exige tratamento. que se faça o diagnóstico praticamente todas as pessoas
Muitas pessoas pensam estar ajudando um amigo depri- possuem explicações para o que está acontecendo com
mido ao incentivarem ou mesmo cobrarem tentativas de elas, julgando sempre ser um problema passageiro.
reagir, distrair-se, de se divertir para superar os sentimen-
tos negativos. Os amigos que agem dessa forma fazem Outros sintomas que podem vir associados aos sintomas
mais mal do que bem, são incompreensivos e talvez até centrais são:
egoístas. O amigo que realmente quer ajudar procura ou- • Pessimismo
vir quem se sente deprimido e no máximo aconselhar ou • Dificuldade de tomar decisões
procurar um profissional quando percebe que o amigo de- • Dificuldade para começar a fazer suas tarefas
primido não está só triste. • Irritabilidade ou impaciência
Uma boa comparação que podemos fazer para esclarecer • Inquietação
as diferenças conceituais entre a depressão psiquiátrica • Achar que não vale a pena viver; desejo de morrer
e a depressão normal seria comparar com a diferença • Chorar à-toa
que há entre clima e tempo. O clima de uma região orde- • Dificuldade para chorar
na como ela prossegue ao longo do ano por anos a fio. • Sensação de que nunca vai melhorar, desesperança...
O tempo é a pequena variação que ocorre para o clima • Dificuldade de terminar as coisas que começou
da região em questão. O clima tropical exclui incidência • Sentimento de pena de si mesmo
de neve. O clima polar exclui dias propícios a banho de • Persistência de pensamentos negativos
sol. Nos climas tropical e polar haverá dias mais quentes, • Queixas freqüentes
mais frios, mais calmos ou com tempestades, mas tudo • Sentimentos de culpa injustificáveis
dentro de uma determinada faixa de variação. O clima é • Boca ressecada, constipação, perda de peso e apetite,
o estado de humor e o tempo as variações que existem insônia, perda do desejo sexual
dentro dessa faixa. O paciente deprimido terá dias melho-
res ou piores assim como o não deprimido. Ambos terão Diferentes tipo de depressão
suas tormentas e dias ensolarados, mas as tormentas de Basicamente existem as depressões monopolares (este
um, não se comparam às tormentas do outro, nem os dias não é um termo usado oficialmente) e a depressão bipo-
de sol de um, se comparam com os dias de sol do outro. lar (este termo é oficial). O transtorno afetivo bipolar se
Existem semelhanças, mas a manifestação final é muito caracteriza pela alternância de fases deprimidas com ma-
diferente. Uma pessoa no clima tropical ao ver uma foto níacas, de exaltação, alegria ou irritação do humor. A de-
de um dia de sol no pólo sul tem a impressão de que esta- pressão monopolar só tem fases depressivas.
va quente e que até se poderia tirar a roupa para se bron-
zear. Este tipo de engano é o mesmo que uma pessoa Depressão e doenças cardíacas
comete ao comparar as suas fases de baixo astral com a Os sintomas depressivos apesar de muito comuns são
depressão psiquiátrica de um amigo. Ninguém sabe o que pouco detectados nos pacientes de atendimento em ou-
um deprimido sente, só ele mesmo e talvez quem tenha tras especialidades, o que permite o desenvolvimento e
passado por isso. Nem o psiquiatra sabe: ele reconhece prolongamento desse problema comprometendo a quali-
os sintomas e sabe tratar, mas isso não faz com que ele dade de vida do indivíduo e sua recuperação. Anterior-
conheça os sentimentos e o sofrimento do seu paciente. mente estudos associaram o fumo, a vida sedentária,
obesidade, ao maior risco de doença cardíaca. Agora, pe-
Como é? las mesmas técnicas, associa-se sintoma depressivo com
Os sintomas da depressão são muito variados, indo desde maior risco de desenvolver doenças cardíacas. A doença
as sensações de tristeza, passando pelos pensamentos cardíaca mais envolvida com os sintomas depressivos é o
negativos até as alterações da sensação corporal como infarto do miocárdio. Também não se pode concluir apres-
dores e enjôos. Contudo para se fazer o diagnóstico é ne- sadamente que depressão provoca infarto, não é assim.
cessário um grupo de sintomas centrais: Nem todo obeso, fumante ou sedentário enfarta. Essas
• Perda de energia ou interesse pessoas enfartam mais que as pessoas fora desse grupo,
• Humor deprimido mas a incidência não é de 100%.
Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 
Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

aceitam o tratamento e o novo estilo de


vida imposto não fica tão pesado.

A identificação da depressão
Para afirmarmos que o paciente está
deprimido temos que afirmar que ele
sente-se triste a maior parte do dia
quase todos os dias, não tem tanto
prazer ou interesse pelas atividades
que apreciava, não consegue ficar
parado e pelo contrário movimenta-
se mais lentamente que o habitual.
Passa a ter sentimentos inapropria-
dos de desesperança desprezando-se
como pessoa e até mesmo se culpan-
do pela doença ou pelo problema dos
outros, sentindo-se um peso morto na
família. Com isso, apesar de ser uma
doença potencialmente fatal, surgem
pensamentos de suicídio. Esse qua-
Da mesma forma, a depressão aumenta o risco de infarto, dro deve durar pelo menos duas semanas para
mas numa parte dos pacientes. Está sendo investigado. que possamos dizer que o paciente está deprimido.

Depressão no paciente com câncer


A depressão costuma atingir 15 a 25% dos pacientes Causa da Depressão
com câncer. As pessoas e os familiares que encaram um A causa exata da depressão permanece desconhecida. A
diagnóstico de câncer experimentarão uma variedade de explicação mais provavelmente correta é o desequilíbrio
emoções, estresses e aborrecimentos. O medo da mor- bioquímico dos neurônios responsáveis pelo controle do
te, a interrupção dos planos de vida, perda da auto-esti- estado de humor. Esta afirmação baseia-se na comprova-
ma e mudanças da imagem corporal, mudanças no estilo da eficácia dos antidepressivos. O fato de ser um desequi-
social e financeiro são questões fortes o bastante para líbrio bioquímico não exclui tratamentos não farmacológi-
justificarem desânimo e tristeza. O limite a partir de qual cos. O uso continuado da palavra pode levar a pessoa a
se deve usar antidepressivos não é claro, dependerá da obter uma compensação bioquímica. Apesar disso nunca
experiência de cada psiquiatra. A princípio sempre que o ter sido provado, o contrário também nunca foi.
paciente apresente um conjunto de sintomas depressivos Eventos desencadeantes são muito estudados e de fato
semelhante ao conjunto de sintomas que os pacientes de- encontra-se relação entre certos acontecimentos estres-
primidos sem câncer apresentam, deverá ser o ponto a santes na vida das pessoas e o início de um episódio
partir do qual se deve entrar com medicações. depressivo. Contudo tais eventos não podem ser respon-
Existem alguns mitos sobre o câncer e as pessoas que sabilizados pela manutenção da depressão. Na prática a
padecem dele, tais como”os portadores de câncer são de- maioria das pessoas que sofre um revés se recupera com
primidos”. A depressão em quem tem câncer é normal, o o tempo. Se os reveses da vida causassem depressão
tratamento da depressão no paciente com câncer é ine- todas as pessoas a eles submetidos estariam deprimidas
ficaz. A tristeza e o pesar são sentimentos normais para e não é isto o que se observa. Os eventos estressantes
uma pessoa que teve conhecimento da doença. Questões provavelmente disparam a depressão nas pessoas pre-
como a resposta ao tratamento, o tempo de sobrevida e dispostas, vulneráveis. Exemplos de eventos estressantes
o índice de cura entre pacientes com câncer com ou sem são perda de pessoa querida, perda de emprego, mudan-
depressão estão sendo mais enfocadas do que a investi- ça de habitação contra vontade, doença grave, pequenas
gação das melhores técnicas para tratamento da depres- contrariedades não são consideradas como eventos for-
são. tes o suficiente para desencadear depressão. O que torna
Normalmente a pessoa que fica sabendo que está com as pessoas vulneráveis ainda é objeto de estudos. A influ-
câncer torna-se durante um curto espaço de tempo des- ência genética como em toda medicina é muito estudada.
crente, desesperada ou nega a doença. Esta é uma res- Trabalhos recentes mostram que mais do que a influência
posta normal no espectro de emoções dessa fase, o que genética, o ambiente durante a infância pode predispor
não significa que sejam emoções insuperáveis. No decor- mais as pessoas. O fator genético é fundamental uma vez
rer do tempo o humor depressivo toma o lugar das emo- que os gêmeos idênticos ficam mais deprimidos do que os
ções iniciais. Agora o paciente pode ter dificuldade para gêmeos não idênticos.
dormir e perda de apetite. Nessa fase o paciente fica an-
sioso, não consegue parar de pensar no seu novo proble- Fonte: Psicosite
ma e teme pelo futuro. As estatísticas mostram que apro- (http://www.psicosite.com.br)
ximadamente metade das pessoas conseguirá se adaptar
a essa situação tão adversa. Com isso estas pessoas

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

SAÚDE DO HOMEM
Câncer da Próstata
O que leva um homem de 78 anos que grama Nacional de Controle do Câncer câncer de próstata antes dos 60 anos
levou toda a sua vida profissional entre da Próstata, com a participação de re- de idade é outro marcador de importân-
máquinas e instalações a escrever so- presentantes da Sociedade Brasileira cia, podendo aumentar o risco em 3 a
bre o Câncer de Próstata, um assunto de Urologia, Sociedade Brasileira de 10 vezes em relação à população em
da área de saúde? Radioterapia, Escola de Saúde Públi- geral e podendo refletir tanto caracte-
Nada mais do que, tendo sentido na ca da Universidade Johns Hopkins, rísticas herdadas quanto estilos de vida
própria pele as dores, os transtornos e a Departamento de Ciência e Tecnologia compartilhados entre os membros da
preocupação do tratamento de próstata, em Saúde da Secretaria de Políticas de família.
alertar os que nos lêem, sobre o perigo Saúde/MS, Escola Nacional de Saúde A influência que a dieta pode exercer
que pode estar sujeito o homem a partir Pública/FIOCRUZ e do Instituto Nacio- sobre a gênesis do câncer ainda é in-
dos 40/45 anos, que mata ou causa le- nal de Câncer/MS (áreas de urologia, certa, não sendo conhecidos os exatos
sões, muitas vezes irreversíveis. oncologia clínica, radioterapia, cuidados componentes ou mecanismos através
O que segue abaixo é o que está con- paliativos, patologia clínica, anatomia dos quais ela poderia estar influencian-
tido na publicação: Câncer da Próstata patológica, epidemiologia, prevenção e do no desenvolvimento do câncer da
– Consenso, elaborada pelo Instituto detecção precoce). próstata. As evidências são, no entanto,
Nacional do Câncer (INCA), que auto- convincentes que uma dieta rica em fru-
riza a sua reprodução citando a fonte, Esta oficina teve como objetivo promo- tas, verduras, legumes, grãos e cereais
como fazemos agora. O texto mostra a ver o consenso entre os especialistas integrais, e pobre em gorduras, princi-
preocupação das autoridades da área nas diversas áreas relacionadas ao palmente as de origem animal, não só
de saúde com este problema que causa câncer de próstata sobre as formas de ajuda a diminuir o risco de câncer, como
tantas vítimas como verão abaixo. prevenção, diagnóstico e tratamento também o risco de outras doenças crô-
Como o trabalho é muito detalhado e desta neoplasia, em todos os seus es- nicas não transmissíveis.
profundo, assim como muito extenso, tágios evolutivos, para subsidiar a im- Tem sido apontada uma relação positi-
vamos publicá-lo por partes em cada plementação do Programa. va entre o alto consumo energético total
edição do nosso Boletim. e ingestão de carne vermelha, gorduras
Para tanto, os participantes dividiram-se e leite e o risco de câncer da próstata.
INTRODUÇÃO em três grupos de trabalho. No primeiro Por outro lado, o consumo de frutas,
foram discutidas as questões referen- vegetais ricos em carotenóides (como
Com o aumento significativo da im- tes à prevenção e detecção precoce do o tomate e a cenoura) e leguminosas
portância das neoplasias no perfil de câncer da próstata; no segundo discu- (como feijões, ervilhas e soja) tem sido
mortalidade da população brasileira, o tiu-se o diagnóstico e o tratamento; e no associado a um efeito protetor. Além
Ministério da Saúde propôs a Política terceiro, o cuidado paliativo dos pacien- desses, alguns componentes naturais
Nacional de Prevenção e Controle do tes fora de possibilidade terapêutica an- dos alimentos como as vitaminas (A, D
Câncer, cujo objetivo é reduzir a inci- titumoral, cujas conclusões passamos a e E) e minerais (selênio), também pa-
dência e a mortalidade por câncer no descrever a seguir. recem desempenhar um papel protetor.
Brasil por ações contínuas que levem Já outras substâncias geradas durante
à conscientização da população quanto PREVENÇÃO E DETECÇÃO PRECO- o preparo de alguns alimentos, como
aos fatores de risco de câncer, promo- CE DO CÂNCER DA PRÓSTATA as aminas heterocíclicas e hidrocarbo-
vam a detecção precoce dos cânceres netos policíclicos aromáticos, tem sido
passíveis de rastreamento e propiciem O câncer da próstata é a quarta causa consideradas como componentes da
o acesso a um tratamento eqüitativo e de morte por neoplasias no Brasil, cor- dieta que poderiam aumentar o risco de
de qualidade em todo o território nacio- respondendo a 6% do total de óbitos câncer da próstata.
nal. por este grupo nosológico. A taxa de Outros fatores, cujas associações com
mortandade bruta vem apresentando câncer da próstata foram detectados
Desta forma, o Instituto Nacional do um ritmo de crescimento acentuado, em alguns estudos, incluem o “fator de
Câncer, órgão do Ministério da Saúde passando de 3,73/100.000 homens em crescimento análogo à insulina” (insulin-
responsável pela coordenação e exe- 1979 para 8,93/100.000 homens em like growth factor), consumo excessivo
cução desta Política, vem estruturando, 1999, o que representa uma variação de álcool, tabagismo e vasectomia.
em parceria com as Secretarias Esta- percentual relativa de 139%. Para 2002, Em geral, sabe-se pouco sobre a maio-
duais e Municipais de Saúde, progra- estima-se a ocorrência de 25,600 casos ria dos fatores estudados em relação ao
mas nacionais de controle do câncer e novos, precedido apenas pelo câncer câncer de próstata, já que os estudos
estruturação e expansão da rede espe- de pele não-melanoma, e 7.870 óbitos, epidemiológicos têm encontrado resul-
cializada de diagnóstico e tratamento representando 12% do total das mortes tados inconsistentes.
do câncer. esperadas por câncer em homens.
Em continuidade a este trabalho e em Assim como em outros cânceres, a ida- Norberto G. Ribeiro
cumprimento à Lei 10.280, de 20 de de é um marcador de risco importante, M. I. da Loja Maçônica Sanches Braga
setembro de 2001, que instituiu o Pro- ganhando um significado especial no Filho, 151 – GLMERJ.
grama Nacional de Controle do Câncer Câncer da próstata, uma vez que tan-
da Próstata, o Ministério da Saúde re- to a incidência como a mortalidade au- (continua no próximo número)
alizou no dia 13 de junho de 2002, na mentam exponencialmente após a ida-
cidade do Rio de Janeiro, a oficina de de de 50 anos.
trabalho para o Consenso sobre o pro- História familiar de pai ou irmão com
Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 10
Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

Nosso Legado por Carlos José Laborda Knorr


O nosso legado institucional está orientado pela LIBER- de esquerda,
DADE INDIVIDUAL, pela DEMOCRACIA e pela CULTU- até porque,
RA, buscando na sua prática o aperfeiçoamento intelectu- convergem
al e participativo na sociedade. para a obten-
ção do poder
Lembrando o pensamento de ilustres homens públicos, e, com ele, o
como o Irmão RUI BARBOSA, que diz: “DE TODAS LI- favorecimen-
BERDADES A DO PENSAMENTO É A MAIOR E MAIS to de grupos,
ALTA. DELA DECORREM TODAS AS DEMAIS. SEM através dos
ELA, TODAS AS DEMAIS DEIXAM MUTILADA A PER- quais ocorre
SONALIDADE HUMANA, ASFIXIADA A SOCIEDADE, a sustenta-
ENTREGUE À CORRUPÇÃO O GOVERNO ESTATAL”... ção no poder
e, mais do
Na sua “ORAÇÃO AOS MOÇOS”, tinha presente isso, ten- que isso, a
do advertido a mocidade do BRASIL que os movimentos permanência
políticos e econômicos do final do século XIX e início do no poder.
século XX apontavam que a “MEDONHA INTERVENÇÃO
DOS PODERES TENEBROSOS DO NOSSO DESTINO “É SEMPRE
MAL ESTAVA COMEÇANDO” e que “NINGUÉM PODE- A LUTA DO
RIA CONJECTURAR AINDA COMO E QUANDO ACABA- EGOÍSMO
RÁ”. Lembrou que não se devia culpar o estrangeiro das CONTRA O
nossas decepções políticas no exterior, antes de verificar A LT R U Í S -
se os culpados não estão aqui mesmo. E sentenciou que o MO”.
BRASIL “É A MAIS COBIÇAVEL DAS PRESAS”, e que de-
veríamos nos acautelar das “INVAÇÕES ECONOMICAS” Não é a ideologia política que conduz à violência, à des-
e das “PROTEÇÕES INTERNACIONAIS” mantendo-nos truição e à miséria. É o homem, a sua intolerância e, so-
vigilantes em relação “ÀS POTENCIAS ABSORVENTES bretudo, o seu egoísmo. E por essa razão é que nós pre-
E DAS RAÇAS EXPANSIONISTAS”, e dos impérios que gamos, na MAÇONARIA, a tolerância, o altruísmo, mas
tentam crescer mais “À CUSTA DOS POVOS INDEFE- nunca a omissão.
SOS E MAL GOVERNADOS”. É triste constatar que a
advertência de RUI BARBOSA, feita a quase cem anos Assim, meus Irmãos, devemos sempre discutir e refletir
atrás, foi lida por muitos, mas jamais foi bem assimilada diante do novo, exercitando e manifestando nossos com-
pelos detentores do poder nacional. promissos com o BRASIL, sem radicalismo e sectarismo
no enriquecimento do saber, na crítica contributiva e nas
O também conhecido BARBOSA LIMA SOBRINHO nos tomadas de decisões que possam contribuir para anular
enriquece com seu pensamento, situando aqui que: “O DI- idéias e/ou atitudes e intenções que prejudiquem o bem
REITO DE TER IDÉIAS SE FORTALECE COM A DEFESA comum.
DO DIREITO DE CONTESTÁ-LAS”.
À luz destes pensamentos podemos refletir sobre nos- Finalizando, vos coloco para reflexão as sete causas que
sa atuação em nossas oficinas de trabalhos, onde está conduzem à violência, segundo MAHATMA GANDHI:
o sentimento de nacionalismo que nossos antepassados
acreditavam e lutaram, tendo sempre a bandeira da MA- 1- RIQUEZA SEM TRABALHO;
ÇONARIA . Portanto, o sentimento de maior prestígio foi 2- PRAZER SEM CONSCIÊNCIA;
o nacionalismo e o do desenvolvimento. Porém, depois 3- CONHECIMENTO SEM CARÁTER;
do século XVIII, nossa Sublime Ordem entrou numa nova 4- COMÉRCIO SEM MORAL;
fase, que para mim, o da contemplação do adormecimen- 5- CIÊNCIA SEM HUMANIDADE;
to, de operativa para especulativa. Deixou, meus Irmãos, 6- REZA SEM SACRIFÍCIO;
de ser briguenta, no bom sentido, para se tornar filosófi- 7- POLÍTICA SEM PRINCÍPIOS.
ca, assistencial, não que isso não seja necessário para o
aprendizado. A essas, ousaria acrescentar, ainda, uma outra: DIREITO
SEM JUSTIÇA.
No entanto, vejo com muita clareza a contradição das
nossas ações como HOMENS LIVRES E DE BONS COS-
TUMES, admiramos e enaltecemos os Irmãos do passado Carlos José Laborda Knorr
pela concretização de seus ideais. Loja Obreiros de Salomão
Vivemos tempos de mudanças e sofremos as brutais con- GORGS
seqüências das transformações.

O mundo está em desarmonia; os países que não estão


envolvidos em guerra vivem agudas crises econômicas
políticas e sociais. Não nos cabe discutir se é de direita ou

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 11


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

A Loja dos Espíritos por Everaldo Porto Cunha


(Uma Sátira dos Irmãos que fizeram nossa História) - Fi-lo porque qui-lo e também por conta
(Um alerta aos Irmãos que fazem a nossa História) das forças ocultas.
!!! Malheta o Imperador.
O silêncio sepulcral na sala dos passos perdidos intriga o - Componha rápido esta Loja, Irmão Mes-
Mestre de Cerimônias: tre de Cerimônias. Chame o Rui para a
- Já é meio dia em ponto. É hora de iniciarmos nossos tra- oratória.
balhos. Onde estarão os irmãos? Talvez seja meia noite, - Já estou aqui, Venerável Mestre. Acabei
vou bater maçonicamente à porta do templo... de chegar da Holanda. O irmão Paranhos
Ao levantar a espada para dar as pancadas na porta, de Jr., “Barão do Rio Branco”, enviou-me Gonçalves Ledo
súbito começam a cair os quadros da galeria de ex-vene- para representar o Brasil na Conferência de Haia. Fiz su-
ráveis, o chão treme, os lustres balançam, as luzes piscam cesso. Estão até me chamando de “O Águia de Haia”. Mas
e a porta do templo se abre num rangido. não é a nossa “Águia bicéfala”, é “Águia macrocéfala”.
Assustado, o Mestre de Cerimônias olha o interior do tem- - E viva a República!
plo e, incrédulo, vê o pavimento mosaico com uma enorme - Viva a Monarquia!
rachadura. Através dela brota um homem magro, bigode - Cale a boca, Bonifácio, senão eu lhe deporto! ; Ameaça
retorcido, nariz adunco, olhar brilhante, face pálida e lábios D. Pedro.
arroxeados: sintomas típicos da anóxia crônica provocada - Isto aqui está muito bagunçado. Coloquem uma música
pela tísica que lhe consumia os pulmões. na harmonia!
O Mestre de Cerimônias reconhece o grande poeta, mas - Estamos aguardando o irmão Carlos Gomes. Ele está
antes que pudesse pedir-lhe um autó- tocando “O Guarani” no Repórter Esso, Venerável Mestre.
grafo para seus filhos, é interrompido - Venham todos assinar o livro de presença - grita o irmão
por ele. O baiano Castro Alves, poeta Dib, batendo com a palma da mão no trono da chancelaria
dos escravos, o mais entusiasta dos - Freqüência, presença e comparecimento: estes são os
abolicionistas, estudante da Faculdade deveres do maçom. E tem mais, irmão Guatimosin,
de Direito do Largo de São Francisco, este templo tem o meu nome e não vou permitir que seja
amante apaixonado da atriz Eugênia transformado num palácio para Dona Domitila. Eu e mais
Câmara, coloca-se à ordem (apesar dezesseis irmãos (dezesseis ou dezessete, já nem tenho
Castro Alves das dificuldades pela falta de seu pé di- mais certeza porque fizeram uma confusão danada com
reito amputado) e brada: essa história) fundamos a Loja, construímos o templo e
- GADU! Ó GADU! onde estás que não respondes? Em não vamos permitir que ele seja profanado.
que mundo, em qu’estrela tu t’escondes? Embuçado nos - Se for pra competir, eu também quero dizer que tenho um
céus? Kadosch que é só meu , diz o Irmão Ledo.
Mas não consegue concluir a declamação do seu tão famo- - !!! Silêncio! Silêncio! Suspendam os sinais maçônicos!
so poema “ Vozes D´África “ porque surge das entranhas Temos um goteira entre nós! Irmão Guarda Interno, quem
do templo D. Pedro I, interrompendo o poeta aos gritos: é esse cabeludo com uma corda no pescoço?
- Se a Maçonaria quer que eu fique, diga a todos que FICO. - É o Tiradentes, o Mártir da Independência, Venerável
Fico e grito: “Independência ou morte!”. E agora que sou Mestre.
Defensor Perpétuo e Imperador do Brasil, quero ser eleito - Tiradentes uma ova! Agora sou um dos 200 mil dentistas
Grão-Mestre da Ordem e compor o Hino da Maçonaria. deste país, com diploma na parede e anel no dedo.
Onde estão o Ledo e o Bonifácio? - Irmão Mestre de Cerimônias: coloque o Tiradentes, ou
- O Irmão Gonçalves Ledo está na Primeira Vigilância e o melhor, nosso mártir dentista, entre colunas para o telha-
Irmão José Bonifácio, no Oriente, na cadeira do Venerável mento.
; diz o Mestre de Cerimônias. - Sois maçom?
- Chame os irmãos! Revista-os com suas insígnias, pois - Iniciei-me por correspondência, Venerável Mestre.
vou iniciar os trabalhos. E seja rápido, senão eu fecho essa - Ah, eu pensei que o Irmão fosse membro da nossa pri-
bodega e a transformo num palácio para minha marquesa meira Loja brasileira, a “Areópago de Itambé”, do Irmão
... ordena o Imperador, dirigindo-se ao trono de Salomão Arruda Câmara. E o Irmão sabe a palavra
enquanto os irmãos Ledo e Bonifácio se agridem em defe- senha?
sa, respectivamente, da República e da Monarquia. - Sei, sim, Venerável Mestre: “Tal dia é o batizado”.
Já assustado, e temente que o Grão-Mestre-Venerável- - Tá bom. Então, pode assumir um lugar entre nós. Afinal,
Imperador-Compositor cumpra a promessa, o Mestre de você merece, pois foi o único enforcado dos 11.
Cerimônias olha através da rachadura no pavimento mo- - E viva a República!
saico e grita aos irmãos. Logo sobe, cambaleante, o Irmão - Cale a boca, Ledo!
Jânio Quadros. Cabelos em desalinho, óculos de tartaruga - Não sou o Ledo, Venerável Mestre. Sou o gaúcho Bento
em assimetria, coloca-se à ordem com os pés trocados e Gonçalves, e estou dando vivas à “República do Piratini”.
pergunta: - E o Ledo, por que está tão calado?
- Quando começa o Copo D’água? - Estou confuso, Venerável Mestre. Não sei se hoje é 20 de
- Calma, Jânio... Por que você bebe tanto? Agosto ou 09 de Setembro, se estamos na Era Vulgar ou
- Bebo porque é líquido. Se fosse sólido, comê-lo-ia. no Ano da Verdadeira Luz, e preciso fazer meu discurso na
- Você precisa renunciar a este vício, Irmão Jânio... E, por loja Comércio e Artes do Rio de Janeiro.
falar em renunciar, por que você renunciou? E, novamente, outro bate boca:

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 12


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil
- Chame o Deodoro para assumir o gover-
no provisório. Irmão Mestre de Cerimônias, O MOSAICO
grite pelo Deodoro!
Chega o Deodoro, doente, fragilizado, de- O dia 28/06/2006 foi marcado pela cerimônia de posse,
sencantado e diz: no cargo de Venerável Mestre da ARLS Vinha de Luz -
- Tô fora. Já dei a minha contribuição: já Oriente de Osasco - SP,
assumi, já fechei o Congresso, já renun- do Irmão Walquivarzot
José Bonifácio ciei ao governo, ao Grão-Mestrado. Quero Angele da Silva Brito, em
que me esqueçam. Vocês se resolvam com o Floriano, o substituição ao Irmão Wil-
“Marechal de Ferro”. son Carlos Chizzolini, que
- Calma, Deodoro. Quem disse isto foi outro presidente. administrou esta oficina
Nesse ponto a confusão torna-se muito grande, já virando de forma brilhante.
caso de polícia, ou melhor, de exército. Chamam o Caxias. A cerimônia foi presencia-
Montado num enorme cavalo, brandindo sua espada, sai da por Irmãos de diversas
das profundezas o nosso Duque Patrono do Exército bra- Lojas Maçônicas, que lo-
sileiro: taram o Templo, localiza-
- Sigam-me os que forem brasileiros! do no centro da cidade de
- Para onde, Caxias? Osasco.
- Para qualquer lugar, desde que estejamos “ombro a om- Após a instalação do novo Venerável um ágape fraternal
bro” e não “peito a peito”. foi servido aos convidados, estreitando ainda mais o clima
- Obrigado por ter vindo, mas tire esse cavalo do templo e de confraternização que envolveu toda a noite.
resolva essa querela o mais diplomaticamente possível.
- Eu só sei resolver na espada. Diplomacia é lá com o
Barão, o do Rio Branco.
- Irmão Guarda Interno, controle a entrada dos irmãos. FÁBULA MAÇÔNICA
Quem é esse aprendiz no topo da coluna do Norte?
- É o Euclides da Cunha, Venerável Mestre.
- O jornalista do Estadão? O autor de “Os Sertões”? Aque- Conta-se que, na Idade Média, um jovem quis iniciar-se
le que disse que “o sertanejo é um forte”? na maçonaria construtora, pois havia ouvido falar que os
- Não, Venerável Mestre. Este não é aquele que disse. membros desta organização não só se ajudavam entre si
Esse é o próprio sertanejo forte do sertão baiano. em qualquer circunstância, mas além disso dispunham de
- Tá bom.. Então deixa ele aí, quietinho, na coluna do Nor- conhecimentos vedados ao comum dos mortais. O jovem
te. Meus irmãos: estando a Loja dos Espíritos composta, sabia que os maçons não revelavam sua condição com
vamos iniciar nossos trabalhos. Irmão Guarda Interno: ve- facilidade, mas um conhecido lhe havia dito que um dos
rifique se estamos a coberto. três operários que estavam trabalhando nesse momento
O Irmão Guarda Interno sai do templo e, após alguns mi- nas obras da catedral de sua cidade pertencia à fraterni-
nutos de longa espera, retorna e diz: dade. Assim, ele se dirigiu imediatamente para lá, pensan-
- Venerável Mestre: é com profunda tristeza que vos infor- do em como poderia descobrir quem era para solicitar-lhe
mo o que vi. o ingresso. Precisava atuar com astúcia, pois sabia que
- E o que vistes, Irmão Guarda Interno? se perguntasse diretamente obteria três negativas.
- Venerável Mestre, na Sala dos Passos Perdidos amon-
toam-se milhares de irmãos deitados na cama da fama. Quando chegou às obras viu, na verdade, três operários
Dormem um sono profundo. Alguns até roncam; outros ocupados todos no mesmo trabalho, embora cada um si-
sonham com a Maçonaria do passado. No salão de fes- tuado em um lugar distinto. Aproximou-se deles, um a um,
tas, outro tanto se repasta com gordurosos bolinhos, pas- e lhes fez a mesma pergunta: “O que estás fazendo?”. O
téis e canapés. Bebem refrigerantes, cerveja e até aguar- primeiro respondeu: “Estou trabalhando a pedra”. O se-
dente. Algumas conversas, felizmente a minoria, vão do gundo disse: “Estou ganhando o meu dia”. O terceiro re-
mesquinho ao ridículo. Pequenos grupos fazem pequenos plicou: “Estou construindo uma catedral”.
negócios. Alguns, mais preocupados com os grandes pro-
blemas da Ordem e da sociedade, parecem sonhar acor- Então o jovem soube com certeza que o terceiro era o
dados quando falam de seus utópicos projetos, e outros, maçom.
talvez por não entenderem a real dimensão dos proble-
mas, tentam resolvê-los com pequenas soluções, fazendo
jantares beneficentes, bazares e vendendo até rifas.
- Não é possível! Não acredito no que ouço! Abandonaram Livro “Illuminati”
a liberdade de pensar! Não se fomentam mais as grandes Paul H. Koch
idéias! Perderam os nossos ideais! Editora Planeta do Brasil Ltda.
Interromperam as nossas conquistas e agora interrompem
o nosso merecido descanso. Por que nos incomodam? !!!!
De pé e à ordem. Irmão Mestre de Cerimônias: abra as
portas do templo. Meus irmãos: enchamos de ar os nos-
sos pulmões e gritemos em uníssono:
-ACORDEM, MEUS IRMÃOS!
Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 13
Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

A Política de Hoje, de Ontem e de Sempre


Desde que o homem é homem, existe política. Ela é inerente na França. A “Santa Inquisição” que levou para fogueira mi-
a qualquer tipo de sociedade, até os macacos exercem uma lhares de inocentes. (Entretanto na atualidade, o Papa pediu
“política’’ em seu mundo. perdão pelo período negro da Igreja na Idade Média). Nesta
O mundo social e geográfico – que na visão egoísta de al- época teve muitas guerras, pestes por falta total de higiene,
guns homens se restringe ao planeta Terra – foi sendo inven- Miséria de todos os níveis. A isso se reduz quase toda a his-
tado... Executado... Monstruosamente destruído... Recons- tória aos olhos do povo. Por toda parte reinava a injustiça
truído... Massacrado... Reinventado... Aterrorizado... Através social. É neste inferno que se destacou a heroína Joana D’
da política! Arc que era uma figura um tanto mística. A ação desta meni-
na de 17 anos marcou o fim da guerra dos 100 anos entre a
Política religiosa de Maomé, criador do islamismo que domina
Inglaterra e França. E sendo acusada de Heresia religiosa foi
grande parte do mundo. Islão significa mundo dos crentes.
queimada na fogueira em maio de 1430, isto se deve ao fato
Política dos faraós no antigo Egito. Acreditavam que o poder de ela representar um perigoso elemento político.
que exerciam aqui na terra continuaria com eles na eternida-
de, por isso a preocupação absurda de fazer as pirâmides A Política de Getúlio Vargas (1937 a 1945), Presidente dita-
para preservar os tesouros e o poder. dor do Brasil, que fez a Consolidação das Leis Trabalhistas
(CLT), Inspirada na Carta Del Lavoro do fascismo italiano.
A política dos Aqueus, Jônios, Dórios, e Eólios povos que Exigiu o voto secreto e também, direito de voto às mulhe-
ocuparam a Grécia, mais precisamente a Tessália, a Ática, e res. Definiu a data de primeiro de maio como o dia da Lei do
as ilhas do mar Egeu. Salário –Mínimo. Criou a Petrobrás, a Vale do Rio Doce, fez
estradas de ferro, enfim fez com que nosso país crescesse
A política maravilhosa de Péricles em Atenas (444 a 429 a.C.)
Péricles mereceu a confiança dos atenienses durante 15 em vários aspectos. Era chamado pai dos pobres, porque
anos. Neste período, as instituições de Atenas funcionavam ajudou enormemente a classe trabalhadora.
maravilhosamente. Péricles cercou-se dos maiores intelec-
tuais da época, tais como: o escultor Fídias, o poeta trágico A atitude maravilhosa de Mikhail Gorbatchev, presidente da
Sófocles, o historiador Heródoto e o filósofo Anaxágoras foi então União Soviética que em agosto de 1991 anunciou sua
seu guia intelectual. Na época, Atenas tornou-se a “Escola renúncia e anunciou também o fim da União Soviética, con-
da Grécia”. seqüentemente o fim do regime comunista. Implantando o iní-
cio da Democracia e anunciando que daquele momento em
A política exuberante de Alexandre Magno “O Grande“ - ai diante seria a CEI (Comunidade dos Estados Independentes)
vai mais um pouco de história - Alexandre foi preparado para mais maravilhoso, graças à ação deste grande estadista, foi
a audácia! Seu preceptor foi Aristóteles (discípulo preferido a queda do muro de Berlin na Alemanha unificando aquele
de Platão). A ilíada de Homero, o livro de sua formação. As país, antes dividido. (ISTO É QUE É SER POLÍTICO!).
artes da guerra, que esse aprendera com seu pai Felipe ll Rei
da Macedônia. A política egoísta das nações hegemônicas que, não se pre-
Quando o pai foi assassinado em 336 ac, Alexandre tornou- ocupam em destruir a paz de outros paises em proveito pró-
se rei dos macedônios e conquistou em 13 anos (336 -323 prio.
a.C.) o Egito, a Mesopotâmia, a Síria, a Persa e chegou até
a Índia. A política de amor que madre Tereza de Calcutá empregou
A política de Roma que no ano 509 antes de Cristo, implantou em sua jornada de fé e dedicação.
um dos sistemas políticos mais admiráveis da antiguidade.
Esse sistema era o da república representativa. Nesta orga- A política serena das ONGs que querem salvar o planeta da
nização foi incluída pela primeira vez os representantes do autodestruição.
povo (PLEBE). A República Romana caracterizava-se pelo
equilíbrio entre os poderes – Senado e Magistrado eram re- A política absurda que faz milhares de pessoas morrerem de
presentados pela nobreza (RICOS) e o povo (PLEBE) – Mas fome na Etiópia (África), sendo o mundo tão rico de alimen-
os nobres (Senado e Magistrado) em troca de votos ofere- tos.
ciam ao povo PÃO E CIRCO conquistando assim o poder.
A politicagem barata que se emprega hoje. Quando a eco-
A política hegemônica do Papa começou com a coroação de nomia começa a aquecer e o país (BRASIL) a produzir mais,
Carlos Magno no ano 800. Carlos Magno foi uma das perso- lá vem o Banco Central com uma notícia infeliz contando a
nalidades mais importantes do período medieval. Entre seus decisão do COPOM em aumentar as taxas de juros. Fazen-
grandes feitos, está o fato de, mesmo sendo analfabeto até a do com que as pessoas que produzem e consomem no país
idade adulta, acreditava muito no valor da educação e man- fiquem em cima do muro. Essa política enganosa e que nos
dou vir à sua escola notáveis sábios da época a fim de lecio- envergonha é algo que ninguém mais tem confiança! Por isso
narem aos oficiais, depois criou escolas em vários centros do pergunto:
império. Este bravo homem conquistou para a Igreja o poder
sobre grande parte do mundo da época. Qual é a história que se repete? É a do PÃO E CIRCO!
O Papa tinha hegemonia espiritual e temporal no Ocidente. Voto é obrigatório!!!
Com o crescente poder temporal de Roma introduziu-se tam- Acreditar em político, também é???
bém a política na Igreja e este poder fez o mundo parar (Ida-
de Média) por quase mil anos. Era o poder da Igreja Católi-
ca sobre o mundo Europeu. O povo estava à mercê de mau Áurea Muller Warnavin
governo, extorsões, cobiças, violências tais como: a Bastilha
Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 14
Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

A ORDEM E A OBEDIÊNCIA por Valdemar Sansão


a) ORDEM MAÇÔNICA gia, a Teosofia, com a Religião e com místico ser imaterial e aperfeiçoado.
Um segmento representativo de Maçons a Astrologia. Na mística maçônica há O povo hebreu trouxe grande contribui-
não percebe a diferença que existe entre uma acentuada influência das crenças ção à Maçonaria: O “livro da lei”, o Pen-
Obediência Maçônica e Ordem Maçô- politeístas dos sumerianos, dos babilô- tateuco (os cinco primeiros livros do Ve-
nica. Imaginam que se trata da mesma nios, persas, egípcios e gregos antigos, lho Testamento, atribuídos a Moisés: o
coisa. as crenças monoteístas do judaísmo e Gênese, o Êxodo, o Levítico, o Números
Ordem Maçônica – ou Maçonaria como cristianismo. e o Deuterômio; Tora), e outros livros do
Instituição – é por definição, universal. Os sumerianos, ao elaborarem o seu V.Testamento contém muita coisa, que é
Sendo a Maçonaria Especulativa uma sistema cosmológico, fizeram uso das usada, mormente na simbologia maçô-
continuação da Operativa, surgiram ou- doze constelações principais, através nica.
tras expressões, Ordem dos Maçons e das quais o sol e a lua passavam regu- Mas, além da denominação que se apli-
Ordem Maçônica, que remontam à épo- larmente; foram os precursores do Zo- ca à Maçonaria propriamente dita, este
ca da introdução da Maçonaria, também díaco. vocábulo (ORDEM) é ainda aplicado: 1º
chamada Arte Real. Os nossos Templos maçônicos possuem - Ao Sinal de Ordem; 2º - À Ordem do
Quando se fala em “instituição maçôni- a representação do Sol e da Lua, de di- Dia; 3º - Estar à Ordem; 4º - Palavra a
ca”, não há nisto mais que uma como- versas constelações e planetas, além de bem da Ordem; 5º - Ordem dos Traba-
didade de linguagem, pois que, histori- doze colunas com os símbolos dos lhos; 6º - Ordem – é a compostura, a
camente, a Maçonaria não foi instituída, signos do zodíaco. disciplina e o silêncio que devem ser ob-
não teve fundador. Não tem papado, O símbolo sumeriano para a divindade servados pelos Maçons no decorrer dos
não conhece – como a igreja – a unida- era uma estrela e isto também é certo, Trabalhos e em todos os atos da vida
de administrativa, mesmo sob a forma especialmente no simbolismo desta no maçônica, e que deve ser sentida pelos
federal. 2º grau do simbolismo maçônico. O cul- Vigilantes, pelo Mestre de Cerimônia ou
A Grande Loja de Londres, fundada em to solar, criado pelos mesmos e da as- Segundo Diácono.
1717 por quatro Lojas visava estabelecer trologia, aperfeiçoada pelos babilônios,
um órgão diretor das Lojas existentes muita contribuição trouxe à Maçonaria, b) OBEDIÊNCIA MAÇÔNICA
em Londres. Não podia prever o suces- ao calcar a sua doutrina moral, espiritual Até a criação da primeira Obediência do
so que seria alcançado pela Maçonaria e filosófica, representando a marcha do mundo, “The Premier Grand Lodge” – 24
em seu aspecto especulativo e que se aprendiz em direção à Luz do conheci- de junho de 1717 – as Lojas eram livres;
espalharia pelo mundo inteiro e seria o mento, a meta do iniciado, caminhando posteriormente, com a implantação do
centro de união de milhões de homens, do ocidente para o oriente, onde nasce sistema obediencial, por consenso ma-
que se consideram Irmãos entre si e cujo o Sol, donde vem a luz das antigas civili- çônico, em todo o mundo, não se admi-
fim é viverem em perfeita igualdade, ata- zações, no dizer do próprio Ritual. tem mais Lojas Livres, ou descobertas,
dos apenas com os laços da fraternida- A Maçonaria, como outras ordens iniciá- que seriam consideradas irregulares. Se
de, estima e confiança, estimulando-se ticas, considera a Iniciação como o sím- não existe Obediência em Loja – e bas-
um aos outros, na prática das virtudes, bolo da tam três Lojas para criar uma – também
tendo como ideal a LIBERDADE, a morte e ressurreição e por sucessivas e não existe Loja regular fora do sistema
IGUALDADE e a FRATERNIDADE, num simbólicas mortes e ressurreições che- obediencial.
sistema de Moral, velado por alegorias e gará o iniciado à plenitude dos ensina- Obediência é uma Potência Maçônica
ilustrado por Símbolos. mentos esotéricos. Soberana, constituída pela reunião de
É supérfluo procurar o berço da Maço- A estrela de cinco pontas, que, a partir, várias Lojas formando uma Federação
naria no Oriente antigo, no Egito, na do séc. 18 passou a denominar-se “Es- sob o nome de Grande Loja ou de Gran-
Grécia ou na Roma antiga, porque ele é trela Flamejante”, vem da Escola Pita- de Oriente. Este termo tem o mesmo sig-
encontrado prosaicamente na Inglaterra. górica da qual era símbolo e representa nificado de “Jurisdição”. Assim, as Lojas
Outras hipóteses não puderam resistir a a espiritualidade, ou seja, o homem em da Obediência de tal Grande Loja ou
um exame sério. sua alta espiritualidade, quando com Grande Oriente.
Contudo, a influência ocultista na ápice voltado para cima, pois nela se Partindo dessa premissa, conclui-se que
Maçonaria, ou seja aquelas nas quais inscreve uma figura humana, por isso a Obediência Maçônica, enquanto apa-
intervém efeitos maravilhosos e sobre- também se chama de estrela hominal. rato administrativo da Ordem, é particu-
naturais, em contradição aparente com Quando invertida, se inscreve a figura lar. Até sua criação as Lojas formavam
a ciência experimental, são chamadas de um bode, representando a materiali- a Ordem Maçônica. A Obediência é por-
ocultas porque foram transmitidas, de dade, com todos os seus atributos. tanto o somatório das Lojas.
geração em geração, de uma maneira Na Maçonaria há muitos símbolos dos A Ordem Maçônica é representada pelas
oculta, pois seus adeptos se ocultavam alquimistas, com vistas a armar a sua Lojas Maçônicas. Esta é sua essência. O
para exercê-las, a fim de subtraírem-se doutrina moral e espiritual. conceito de “Obediência Maçônica” não
à autoridade civil religiosa. Exemplo alquímico, na Maçonaria, são se confunda com o conceito de “Ordem
É inegável que, embora não sendo a as provas pelas quais deve passar o Maçônica”.
Maçonaria uma religião, e nem uma candidato à iniciação: ar, água, terra e As Lojas Simbólicas formam aquilo que
Ordem mística, utiliza em seus rituais, fogo, dos ensinamentos de Aristóteles e é essencial para a vivência maçônica,
simbologia, em sua estrutura filosófica e que representam os quatro elementos. A uma vez que os Trabalhos Maçônicos
doutrinária, padrões de diversas civiliza- da Terra é a da Câmara de Reflexão, a desenvolvem-se exatamente em Loja.
ções, antigas, relativos às religiões e às do Ar, é representada pelas tempesta- A Maçonaria, portanto, está nas Lojas
ordens iniciáticas de cunho religioso, no des, simbolizando os percalços da vida enquanto realidades voltadas para pro-
dizer do Ir.’. Castellani, (notável escritor humana; a da Água é destinada à purifi- pósitos maiores.
maçom, recentemente chamado ao Or.’. cação das mãos; a do Fogo representa
Eterno), mantendo íntimas relações com a purificação total, simbolizando a des- Valdemar Sansão
a Metafísica, com a Mitologia, a Teolo- truição da matéria pelo fogo, restando o
Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 15
Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

VOCÊ SABIA?
• Cerca de 51 mil pessoas consertada fora de campo, Leônidas continuou jogando.
poderiam ficar de pé num Pegou o rebote de uma falta cobrada pelo ponta-esquerda
campo de futebol. Hércules e marcou um dos seus quatro gols na partida
• Um chute forte, de 90 km/ vencida pelo Brasil por 6 x 5.
h, percorre os 11 metros • Nenhum capitão conseguiu sagrar-se bicampeão do
entre a marca do pênalti e mundo. Maradona, campeão em 1986 e vice em 1990, e
o goleiro em 440 milésimos Dunga, campeão em 1994 e vice em 1998, foram os que
de segundo. chegaram mais perto dessa façanha. Bellini, capitão do
• Durante uma partida, Brasil em 1958, não disputou nenhuma partida em 1962,
um jogador corre de 10 a quando o capitão era o zagueiro Mauro
13 quilômetros. Em 1970, • A revista Placar fez em 1998 uma enquete com 64 per-
essa marca variava de 5 a sonalidades esportivas para saber qual seria a seleção de
7 quilômetros. todos os tempos. Cronistas, ex-jogadores e técnicos que
• Depois de cabeceada, a participaram de Copas escolheram como integrantes da
bola viaja a uma velocida- equipe Gilmar, Djalma Santos, Carlos Alberto, Domingos
de de 50 a 60 km/h. da Guia e Nílton Santos; Gérson, Didi e Zizinho; Garrin-
• O gol mede 7,32 x 2,44 cha, Leônidas da Silva e Pelé.
metros. • O Brasil é o único país do mundo que teve dois técnicos
• Em 1878, 16 anos antes irmãos dirigindo a seleção em Copas. Em 1954, Zezé Mo-
de Charles Miller introduzir reira foi o técnico no mundial da Suíça. Seu irmão Aymoré
oficialmente o futebol no Brasil, ocorreu uma famosa par- Moreira, por sua vez, conduziu o Brasil ao bicampeonato
tida, disputada no Rio de Janeiro, em frente à residência mundial em 1962.
da princesa Isabel, entre as ruas do Roso e do Paissandu. • A camisa de poliéster usada pela Seleção Brasileira na
Em seu dia de folga, os marinheiros britânicos do navio Copa de 1994 pesava, seca, 215 gramas. Depois de uma
Criméia realizaram uma animada peleja, com a autoriza- partida, toda suada, chega a 390 gramas.
ção da princesa.
• Bicho, no futebol, começou a ser usado em 1923. Trata-
se da gratificação dada aos jogadores de um time por uma Curiosidades sobre a Copa do Mundo 2006
vitória ou um empate numa partida.
• O primeiro jogo de futebol com transmissão colorida no • O dia 13 de junho marcou a estréia da seleção do Togo
Brasil foi um 0 X 0 de um amistoso entre uma seleção de em Copas do Mundo. No cerimonial do jogo contra a Co-
Caxias do Sul e o Grêmio. Disputado no dia 19 de feverei- réia do Sul, após a execução do hino coreano, em vez de
ro de 1972, era parte da programação da Festa da Uva da tocar o hino togolês, ocorreu um engano e o que se ouviu
cidade. Essa experiência da TV Difusora de Porto Alegre foi, novamente, o hino da Coréia. A Fifa se desculpou ofi-
foi retransmitida pelas TVs Rio, do Rio de Janeiro e de cialmente e classificou a gafe como “erro humano”.
Brasília, e pela TV Record, de São Paulo. • Além de Carlos Alberto Parreira, outros quatro técnicos
da Copa do Mundo eram brasileiros: o da seleção da
Arábia Saudita, Marcos Paquetá; Luiz Felipe Scolari, de
Curiosidades sobre a Seleção do Brasil Portugal; Zico, comandando o Japão; e Alexandre Guima-
rães, com a Costa Rica.
• Na Copa de 1982, todas as vezes o ônibus da seleção • Outra coincidência: Gana, adversária de Brasil nas oi-
brasileira foi do hotel para o estádio por um mesmo ca- tavas-de-final, foi a primeira seleção que Carlos Alberto
minho e sempre voltou por um outro. Só mudou no dia 5 Parreira dirigiu. A estréia do técnico da Seleção Brasileira
de julho. Naquele dia, pela primeira vez desde o início da aconteceu no país africano em 1967.
Copa, a seleção não posou para fotografias antes do jogo • Mas não são só os técnicos que atuam em outras sele-
com a Itália. ções que tiveram o coração dividido. Os brasileiros Mar-
• Em 1994, ao receber a taça de campeão, o goleiro bra- cos Senna, naturalizado espanhol, e Alex Santos, naturali-
sileiro Taffarel trocou as luvas que usava por outra com zado japonês, disputaram a Copa pelas seleções de suas
publicidade. Como desrespeitou uma norma da Fifa, rece- novas pátrias.
beu uma multa de 15 mil dólares e foi suspenso por dois • Os brasileiros costumam dar sorte às seleções portugue-
jogos. sas. Com a vitória de 1 a 0 sobre a Holanda no dia 25 de
• Pelé foi três vezes campeão mundial como jogador. Em junho, Portugal, dirigida por Luiz Felipe Scolari, classifi-
1958, 1962 e 1970, o que nenhum outro jogador conse- cou-se para as quartas-de-final. Isso não acontecia há 40
guiu até hoje. Como não houve as Copas de 1942 e 1946, anos, quando era comandada pelo também gaúcho Oto
os italianos bi mundiais de 1934 e 1938 perderam essa Glória.
chance. Só Gilmar, Djalma Santos Bellini e Garrincha
(campeões em 1958 pelo Brasil e presentes na Copa de Fonte: Site Guia dos Curiosos
1966) chegaram perto. (www.guiadoscuriosos.com.br)
• Na Copa do Mundo de 1938, contra a Polônia, a chutei-
ra direita do atacante Leônidas estourou. Naquele tem-
po, não havia chuteira reserva. Por isso, enquanto ela era
Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 16
Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

Curiosidades Gerais sobre os Rolos do Mar


Morto e Nag Hammadi
Verifica-se que os manuscritos foram encontrados entre dos em 4 espécies: os bíblicos, os apócrifos, comentários
1947 e 1956 , e foram na sua maioria, escritos antes da e os livros da comunidade - comunidade ou seita, pois
era cristã e guardados em rolos, dentro de vasilhas de não constituíam outra coisa os originais proprietários dos
barro. Só alguns foram redigidos depois da morte de Je- mesmos.
sus. A maior parte dos manuscritos do Mar Morto foram
escritos com tinta sobre pele de carneiro. Depois de provada a autenticidade dos pergaminhos, a
primeira questão focalizada foi a da sua época e até hoje
A língua usada nos manuscritos é o aramaico, uma língua não chegaram a um acordo. Um pedaço de linho encon-
morta. No trabalho de tradução recorre-se ao computa- trado em uma cova foi submetido, pelo professor W. F.
dor, que dispensa o Libby, do Instituto para Es-
manuseio (e a con- tudos Nucleares da Uni-
sequente deteriora- versidade de Chicago, ao
ção) das peças origi- método carbono 14, e a
nais. As dificuldades data estabelecida foi a do
são muitas. Para ano 33, com uma aproxi-
se formar um rolo mação de 200 anos, quer
é preciso juntar-se dizer, um período situado
grande número de entre o ano 187 AC e 233
fragmentos, porque de nossa Era.
as “folhas” originais
estão ressequidas e Muito embora este resulta-
partidas do não estabelecesse uma
A crescente ansie- data exata para os manus-
dade dos estudiosos critos, indicava entretanto
bíblicos relaciona- um período histórico geral,
se com a desejada que apoiado principalmen-
prova da ligação de te em Flávio José, histo-
Jesus à Ordem dos riador do primeiro século,
Essênios, particularmente depois dos 13 anos, a identifi- e auxiliado por outros elementos, como o achado de mo-
cação histórica de Jesus e a confirmação da dependência edas de diferentes períodos e o estudo do conteúdo dos
do Novo Testamento desses manuscritos. A sua divulga- próprios manuscritos, deram aos estudiosos do assunto
ção tem sido dificultada por razões não exclusivamente maior possibilidade de bem situar o problema.
técnicas.
O ano originalmente combinado para a divulgação do No total, são recuperados, em 11 grutas de Qumran, 11
conteúdo dos manuscritos era 1970. Depois, os israelitas manuscritos mais ou menos completos e milhares de
prometeram a sua publicação para 1997. As justificações fragmentos de mais de 800 manuscritos em pergaminho
para esta demora são essencialmente três: e papiro. Escritos em hebraico, aramaico e grego. Cerca
1. Conteúdo espectacular para a fé judaico-cristã, abalan- de 225 manuscritos são cópias de livros bíblicos, sendo o
do eventualmente as estruturas hierárquicas religiosas. restante livros apócrifos.
O escritor americano Edmund Wilson fundamentava esta A historicidade dos evan-
hipótese referindo a conhecida tentativa de minimizar a gelhos: O primeiro Evan-
importância dos manuscritos. gelho a ser escrito teria
2. Interesse das várias universidades (israelitas, france- sido o de Marcos, por vol-
sas, americanas e inglesas) em monopolizar o estudo ta do ano 42 d.C., quando
destes documentos. ainda estavam vivas as
3. Dificuldades financeiras. testemunhas oculares dos
Os Manuscritos do Mar Morto são agora internacional- eventos ali narrados. Logo
mente reconhecidos como leitura essencial na tentativa em seguida, e antes do ano
para compreender Jesus como um ser humano. Eles es- 50, foi escrito o Evangelho
tão iluminando nossa compreensão de como e em que de Mateus, com um texto
forma Jesus é diferente ou parecido aos Essênios. Nós um pouco mais longo que
temos muito para ponderar, por exemplo: Jesus esteve o de Marcos. Pelo ano 62
ao não no Qumran dos Essênios vivendo no deserto de d.C., o mais tardar, Lucas escreve a sua díade: o Evan-
Judéia? gelho e os Atos dos Apóstolos, talvez em defesa de Paulo
que estava preso em Roma. Alguns acreditam que antes
A coleção é grande, bastando para provar a assertiva o mesmo dos anos 70, João teria escrito o seu Evangelho,
fato que da Bíblia Hebraica foram encontrados restos de que contém uma elaboração teológica muito maior que os
todos os livros, com exceção única do livro de Ester. Se- outros. A questão central está em que com estas recentes
gundo a sua natureza, os manuscritos podem ser dividi- descobertas, podemos com muita segurança, ao menos

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 17


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

encontrada no MAR MORTO (muito mais antiga, portanto


mais próxima ao original - senão seria o proprio original
da biblia).

A IGREJA CATÓLICA RECONHECE ALGUNS TEXTOS


COMO SENDO AUTÊNTICOS.
A IGREJA EVANGÉLICA TAMBÉM RECONHECE O
ACHADO DO MAR MORTO.
A IGREJA JUDAICA RECONHECE ALGUNS TEXTOS
COMO PERTENCENTES A TORÁ (Bíblia deles).

É UM ACHADO VALIOSO PARA VÁRIAS IGREJAS.

Já em Nag Hammad, Nada se aproveita para os Católi-


cos, evangélicos e Judeus, pois são textos Místicos,
Porém foi em NAG HAMMAND que foi encontrado o
EVANGELHO de SÃO TOMÉ.
os sinóticos, colocar a data de composição dos Evange-
lhos para bem antes do ano 70, quando ainda estavam Confira o filme STIGMATA, ele fala sobre esta descober-
vivas as testemunhas oculares dos eventos dos quais Je- ta.
sus Cristo participou. Muitos da Escola das Formas acha-
vam que a descrição da destruição de Jerusalém predita
por Jesus no Evangelho de Mateus, fora ali colocada por-
que a comunidade que teria escrito o Evangelho também
havia presenciado a destruição, e não porque Jesus tives-
se a capacidade de prever tal acontecimento. Ora, isto
se devia a uma deturpação a quanto ao que é histórico
no Evangelho. Hoje em dia esta hipótese não se susten-
ta mais: Jesus tinha, sim, a capacidade de prever o que
aconteceria no futuro, e a queda de Jerusalém foi prevista
por Ele e documentada no Evangelho de Mateus, antes
que o fato acontecesse.

Não Confunda:
NAG HAMMAD, Ano de 1945 - Nome da localidade onde
foram descoberto textos dos evangelhos apócrifos de ori-
gem GNÓSTICA, Foram encontrados acidentalmente por
um pastor beduíno.

MAR MORTO, Ano de 1947 - Nome da localidade onde


foram encontrados textos dos evangelhos apócrifos de
origem essênia, Foram encontrados acidentalmente por
um pastor beduíno.

As historias são cheias de coincidências , por isso muitos


fazem confusão. Por Mateus Fornazari

O evangelho de SÃO TOME (existe muitos textos de


TOMÉ, por exemplo, atos de Tomé, Apocalipse de Tomé
, mas só um é o EVANGELHO DO APOSTOLO SÃO
TOME) foi encontrado em NAG HAMMAND. Ele descreve
um Jesus Místico e esotérico. Misticismo é característica
do Gnosticismo!

Os textos do Mar Morto, são alguns místicos, afinal essê-


nios eram místicos, PORÉM PARA SURPRESA DE TO-
DAS AS IGREJAS CRISTÃS, FORAM ENCONTRADOS
TEXTOS AUTÊNTICOS, IGUAIS AOS DA BÍBLIA. Depois
dos testes em laboratório, chegaram a conclusão que a
BÍBLIA “entre aspas”, foi copiada destes textos, pois a co-
pia da Bíblia em poder da Igreja é mais nova do que a

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 18


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

TECNOLOGIA E MAÇONARIA por Marcio Aguiar


Apesar do absurdo da situação
exposta este muito possivelmen-
te seria a situação da construção
do Templo de Jerusalém nos dias
de hoje.

E por que deste exercício de ima-


ginação?

Simplesmente pelo fato de que


não podemos mais negar que a
tecnologia está impregnada em
nossos dias e mesmo nossa re-
lação com a Ordem tem sido in-
fluenciada por ela.

E-mails, blogs, sites, downloads,


e-books, etc, têm possibilitado o
estreitamento de relações entre
os Irmãos.
Os Veneráveis Mestres têm po-
dido manter os obreiros de suas
Lojas sempre atualizados ao sim-
ples toque de “Enviar” de seus
gerenciadores de e-mails.
Secretários usam de seus com-
putadores para a preparação de
nossos registros.
Sites têm sido construídos per-
O rei Salomão, preocupado com a construção do templo mitindo a troca de trabalhos maçônicos entre Iniciados,
sagrado que mandou erigir em homenagem a seu Deus, aumentando assim, as fontes de pesquisa e de conheci-
chama Hiram Abif à sua presença e o questiona: mento.
Encontramos Irmãos em Listas de Discussão e em sites,
- Hiram, muito me tem preocupado a demora da obra de enviamos fotos digitais de nossas cerimônias, publicamos
que te incumbi. Como tem feito para acompanhar seu an- nossos artigos e deixamos nossas opiniões gravadas no
damento e para que tudo seja feito da forma mais acele- mundo virtual.
rada? Até o simples envio e recebimento deste Jornal, agora Re-
vista, só tem sido possível graças ao advento da internet.
Hiram, mais que depressa, tenta minimizar as preocupa-
ções de seu rei: Porém é necessário muito cuidado em quais informações
- Meu rei, tenho acompanhado o cronograma das obras acessar, pois da mesma forma que existe a facilidade em
através de um software especialmente desenvolvido para se obter dados confiáveis sobre a Ordem na internet tam-
este fim. Semanalmente faço uma palestra para os mes- bém é possível encontrar pessoas mal intencionadas que
tres, usando da mais alta tecnologia disponível, inclusive só buscam amealhar incautos interessados na Maçonaria
com recursos multimídia, para que não hajam dúvidas de para aumentar seus lucros pessoais, oferecendo “auto-
que as ordens de Sua Majestade sejam cumpridas. iniciações”, elevações a jato e exaltações relâmpago,
Os mestres, por sua vez, repassam aos companheiros to- sempre em troca de altas somas em dinheiro, tudo por
das as informações que recebem, via e-mail. forma eletrônica.
Os fornecedores têm recebido a programação de entrega A tecnologia deve permitir que tiremos dela o que de me-
dos materiais de forma eletrônica e qualquer atraso por lhor ela pode oferecer, pois o mundo tem se tornado uma
parte deles gera um relatório que impede que eles partici- aldeia global, sem limites territoriais.
pem de novas cotações para a obra.
Os aprendizes estão sendo treinados on-line e seus re- E esse modernismo terá fim? Duvido.
gistros ficam em nossos arquivos por 5 anos. O desempe-
nho nos treinamentos é avaliado 1 mês após a conclusão Isso é só o começo. A cada dia nos deparamos com novas
destes e se qualquer aprendiz não atingir uma média es- formas de externar nossos pontos-de-vista, só precisamos
tipulada pelo nosso Depto. de Treinamento ele deve ser tomar o cuidado de nos policiar e evitar o perjuro, não re-
re-treinado e acompanhado em suas atividades até que velando aquilo que ocorre dentro de nossos Templos.
ele demonstre ter adquirido os conhecimentos mínimos
para sua função. Prudência sempre!

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 19


Julho de 2006 - Edição 7 Revista Maçonaria Brasil

NÃO PERCA NOSSA PRÓXIMA


EDIÇÃO POR NENHUM MOTIVO!

• Novo Visual

• Novas Seções

• Maior Conteúdo

• Melhor Padronização

Revista

Uma publicação do Grupo Maçonaria Brasil (http://br.grupos.yahoo.com/group/maconaria_brasil/) Pág. 20