Sei sulla pagina 1di 6

Direito

Poder judiciário
Funções do Estado
Entidade limitada por território, ao mesmo tempo oriundo de e destinado a sociedade
politicamente organizada.
O Estado tem funções os projetos está na constituição.
Funções de:
Administrar (adm. sua sabedoria, territória e povo)
Legislar (legislar sobre seu território e para o povo)
Julgar (julgar os conflitos sociais para pacificar a sociedade, assim seu propósito é a
pacificação social)
Função de julgar/judicante
Deve haver a coisa julgante para pacificação
Pacificação = palavra final
Função exerada de acordo com o direito
A função de julgar é inerte (inércia) (ele não decide de ofício, ou seja, preciso seu
convidado)
A função de julgar é imparcial (só decide quando não faz parte ou tem interesse, ou seja, ser
imparcial)
A função de julgar é processual (há um procedimento obrigatório que precisa ser observado
antes da decisão (é o contraditório e a ampla defesa))

• A lei não é capaz de alterar a solução dada pelo judiciário.


• Se o juiz, para a solução, encontram uma lei que é inconstitucional ela é declarada
inconstitucional do ato infraconstitucional (a const. prevalece)
◦ Isso é chamado de controle de constitucionalidade.
◦ Modelo brasileiro é misto (difuso+concentrado), com STF sendo suprema corte e
tribunal.
- Vigora no Brasil o modelo difuso de controle da constitucionalidade:
- Crimes federais: crimes de interesse da União. O que não for de interesse da União sobe
para a justiça estadual (residual).
- Justiça comum: todos os juízes e tribunais subordinados ao superior tribunal de justiça.
- Existem 27 tribunais de justiça
- Existem 5 tribunais regionais federais (um para cada região)
- Juízes: orgaos jurisdicionais de 1ª instancia (autoridade baixa)
- Tribunais: orgaos jurisdicionais de 2 instancia – mais importantes hierarquicamente.
Desembargadores: membros dos tribunais.
- Quando um Juiz decide, pode-se recorrer no tribunal (a decisão do juiz é revista por 3
desembargadores)
- Não existe estrutura judicial de municípios. Casos de interesse municipal são julgados
pelos juízes de direito (competencia residual). A justiça estadual é capitalizada, está em
vários lugares.

- Justiça especializada trabalhista, eleitoral e militar:


- Justiça do trabalho: é da União, não federal. Os juizes do trabalho não são juízes
federais, são os 2º mais capitalizados. Também há uma lógica regional – todo estado
tem pelo menos um tribunal regional do trabalho (alguns tem mais de um por terem
mais regiões).
- Justiça eleitoral: funciona com os juizes federais. Existe um tribunal regional
eleitoral por estado.
- Circunscrições: orgaos de piso da justiça militar da união. Essa justiça é somente
da união. Apenas as forças armadas – não existe tribunal de 2º grau (os militares dos
estados são julgados por atos cometidos no exercicio da função pela justiça militar.
Na dúvida, pela justiça comum)
- Três estados (MG é um deles) criaram tribunais de justiça militar (paralelos
ao tribunal de justiça comum). 2 tipos de juizes de direito: militares e comuns. A
constituição proibiu que se criassem novos desses tribunais, mas permitiu a
permanencia dos já criados.
- Precisa-se de concurso para se tornar juiz (exceto juizes eleitorais. Estes são
juizes de direito destacados temporariamente para exercer essa função. Onde não há
outros juizes, este acumula funções)
- Para se tornar desembargador, ocorre em geral uma promoção d 4/5 dos juizes. A principal
exceção é o quinto constitucional. 1/5 de todos os tribunais será provido de membros da
advocacia e do MP. Como escolher?
- Pré-requisitos:
- advogados com 15 anos de exercicio da profissão + edital
- 6 selecionados. O desembargador reduz para 3 e o governador escolhe um.
- nos tribunais regionais de segunda instancia (federais) é o presidente quem
escolhe.
- Existem 4 tribunais superiores no Brasil (o STF a rigor não é um deles)
- Superior tribunal militar: 15 membros nomeados pelo presidente da republica
(sabatinados no senado). 4 generais, 3 brigadeiros, 3 almirantes, 5 civis (>35<65 anos,
notavel saber juridico, 2 advogados ou membros do MP militar e 3 juizes auditores) – esses
membros são conhecidos como ministros (juizes do judiciarios e viatlicios – não são os
ministros propriamente ditos)
- Tribunal Superior eleitoral: 7 membros (ministros). 3 ministros do STF com
acumulo de funções, 2 ministros do STJ e 2 advogados – troca periodica (2 anos) . O
presidente do TSE é sempre um dos 3 ministros do STF e o co-regedor eleitoral e sempre
um dos 2 dos STJ
- Tribunal superior do trabalho: 27 membros (ministros). 1/5 de advogados do MP
e 4/5 de desembargadores dos tribunais regionais do trabalho.
- Superior tribunal de Justiça: justiça comum. 33 ministros. 1/3 de advogados do
MP, 1/3 desembargadores de tribunais da justiça, 1/3 desembargadores dos tribunais
regionais federais (presidente nomeia e o senado sabatina)
- Supremo tribunal federal: 11 ministros. Livremente nomeados pelo presidente da
republica (idade, reputação ilibada, notavel saber juridico). Sabatinados. Tradição de virem
do STJ, do TST e da advocacia.

Poder executivo
Função legislativa (função típica) (efetiva os direitos)
Função atípica → exerce funções típicas do poder judiciário (pegando casos da função
administrativa)
- Art 62: em caso de relevância e urgência, o presidente poderá adotar medidas
provisorias, com força de lei, devendo submetê-las de imediato ao congresso
nacional.
- Art 68: As leis delegadas serão elaboradas pelo Presidente da República, que
deverá solicitar a delegação ao Congresso Nacional.
- Obs: não julga, pois as decisões podem sempre ser recorridas e revisadas somente pelo judiciário.

- Sistemas de governo: Presidencialismo x Parlamentarismo (modo como se dá a relação entre os


poderes do Estado)
PRESIDENCIALISMO PARLAMENTARISMO
- Presidente: chefe de governo e de estado - Chefe de governo (traçar políticas públicas):
- Executivo e legislativo: poderes autonomos 1º ministro
e independentes - Chefe de estado (representa os estado
- Prioriza a estabilidade de governo em um nacional e internacionalmente): presidente,
mandato de 4 anos rei
- Heterogeneidade: divergências políticas, - Não há separação de poderes
desafio do presidente de conciliação - Prioriza a democracia, sendo mais fácil a
- Quem exerce? Art 76 e 28 (presidente) e art destituição do 1º ministro
29 (prefeito)

- Formação do poder executivo:


- Sistema eleitoral majoritário de 2 turnos
- Mandato de 4 anos, fixo, só pode terminar antes se houver renúncia, morte ou
impeachment (previsto no art 77)
- O presidente só pode ser reeleito uma única vez em caso de eleição subsequente.
- Chapa eleita em conjunto: presidente e vice. Se elegidos separadamente há risco de
confronto ideológico.
- PEC 16/ 97: FHC, propôs esta emenda para reeleição por mais um mandato consecutivo (98 -
2002) – foi sancionada
- Art 14: discorre sobre eleição de familiares, parentes consanguineos. Os proíbe de elegibilidade
no poder executivo, mesmo que seja conjuge e se separem.
- Art 79: dispõe sobre a linha sucessória a presidencia da república (vice, presidente da câmara dos
deputados, do senado e do STF – supremo tribunal federal)
- Art 81: dispõe sobre o procedimento quando as duas chefias estiverem vagas (presidente e vice)
- em caso de vacância para mais de 2 anos de mandato, a eleição seria direta.
- com menos de 2 anos, a eleição é feita em 90 dias pelo Congresso.
- Cargos ad nutum: ministros de estado (auxiliam o presidente na direção da administração
pública). Cargos de livre nomeação e exoneração pelo presidente.-
- Art 56: comunicabilidade: deputados e senadores podem ser nomeados ministros
(ex: José Dirceu)
- usado para conseguir apoio no congresso (nos EUA não é permitido)
- Relação executivo – legislativo
- Art 61: legitimidade/ Art 66: propor, deflagar, sancionar ou vetar projeto de lei
- Art 62: medida provisoria/ Art 68: delegação legislativa (excepcionalidades)
- Responsabilização do chefe do poder executivo:
- Princípio republicano de governo
- Dá-se pelos crimes de responsabilidade (impeachment) e crime comum (art
85 e 86)
- Igualdade formal de todos perante a lei. Ate o presidente pode ser
responsabilizado pelos seus atos.

Poder legislativo
Funções de:
Legislar
Fiscalizar
Congresso nacional → instituição constitucional
Poder legislativo da União } dimensões do congresso nacional
Poder constituinte derivado
Bicameral
Câmara dos deputados } casa que titulariza representação do povo brasileiro
Senado federal } representa os Estados (3 senadores para cada estado)
Congresso nacional funciona das datas de
2/2 – 17/7 (LDO) – Lei de diretrizes orçamentárias
1/8 – 22/17 (LOA) – Lei orçamentária anual
• Escolha da mesa do congresso é sem eleições; as mesas do senado e da câmara é eleita
• A do congresso é composta pelos do senado e da câmara
• O presidente do congresso é o do senado.
• A mesa do congresso é composta alternadamente entre o presidente do SF, vice da câmara,
SF, CM, SF…
• Membros do congresso possuem um regime jurídico especial (Regime Especial)
◦ Imunidade material (inviolável por suas palavras e opiniões ) (Deputados e Senadores)
◦ Imunidade formal (a partir da diplomação; não podem ser presos, salvo em flagrante
delito e se forem a autoridade encaminhará para a casa e decidem se mantém ou não a
prisão)
◦ Foro por prerrogativa de função (são julgados por crimes comuns e de responsabilidade
perante o STF, já valido a partir da diplomação)

Na câmara
• Comissões → divididas em temas
◦ 5 tipos
▪ Permanentes
▪ Representação
▪ Temporárias
• Especiais
• Parlamentares de inquérito (CPI) (investigar alguma coisa) (poderes próprios de
investigação, mas não de decisão)
Congresso Nacional → Legisla → União (PLO); ref. constituinte (PCD)
• Fiscaliza
◦ Por si próprio
◦ TCU (órgão fiscalizatório auxiliar no CN)

Administração Pública
Atividade administrativa é o objeto do direito adm.
Desempenho das funções do Estado para a obtenção dos objetivos públicos (interesses
públicos (IP)).
2 macroprincípios
Supremacia do IP sobre o interesse privado.
Ex: quando alguém estaciona em local proibido e depois recebe multa, isso é um ato
adm. esse ato possui presunção de veracidade. Logo a lei privilegia a adm. pública.
Princípio da indisponibilidade do IP
Ex: ele não pode abrir mão do IP
Ex2: o sistema de regras de contratação (licitação). A adm. é obrigada a fazer
licitação mesmo já conhecendo um fornecedor, deve-se fazer a licitação
5 princípios constitucionais (art. 37 CR)
Legalidade (a adm. pública, vinculada a lei, só faz o que a lei permite)
Impessoalidade (a adm. pública é impessoal, pois o IP está a indisposição do administrador)
Moralidade (o administrador deve cumprir a lei da maneira moralmente mais adequada)
Publicidade (a adm. em regra atua com transparência. Dá ampla visibilidade.)
Eficiência (o administrador deve ser ótimo, assim sendo eficiente) (melhor objetivo com o
menor gasto)
Organização administrativa
A administração Direta
A administração direta é composta pelos entes políticos e seus órgãos
Entes políticos = união, estados e municípios (eles se desconcentram e se
dividem em órgãos)
Órgãos = não tem personalidade jurídica, apenas o ente tem; órgãos são os
ministérios, secretarias, prefeituras…
A administração indireta
Pessoa jurídica vinculada à AP direta
Isso é a desconcentração
Tipos:
Autarquias → PJ de dir. púb. que substitua a adm. direta da prestação
de serviços públicos. Ex: UFMG, INSS…
Empresas estatais → Sempre de dir. privado. PJ vinculada ao ente
político que adotam roupagem de dir. privado para viabilizar a
exploração de atividade econômica para aquele ente.
Tipos de empresas estatais:
Empresa pública: empresa estatal cujo capital social é
100% público. Ex: Caixa
Sociedade de economia mista: empresa estatal cujo
dono prioritário é público. Ex: BB, Petrobras…
Fundações públicas → Podem ser de dir. público ou priv., mas a
fundação é sempre pública. Servem para fazer a gestão de algum
dinheiro deixado para elas. Ela nasce de uma dotação patrimonial. Ex:
fundos de pensão.
Agentes públicos
Qualquer sujeito que exerça atividade administrativa, mesmo a título precário, a título
transitório ou temporário, sem remuneração.
Três tipos principais:
Agentes políticos (membros dos 3 poderes e do min. Público)
Agentes particulares em colaboração (colaboram com o Estado no Exerc. em alguma
atv. adm. sem deixar de ser particulares. Ex: Concessionária e permissionárias de
serv. público; Ex2: empresas de ônibus particulares que prestam serviço)
Servidores públicos
Servidores estatutários (agentes a título perene) (são regidos por um estatuto
próprio (adm. direta + autarquias))
Empregados públicos (não tem um estatuto próprio) (CLT) (Adm. pública
indireta)
Serv. temporários (atuam num dos dois acima a título provisório)

Direito tributário
Tributo → toda prestação pecuniária, que não constitui sanção, paga pelo particular (contribuinte)
ao Estado (fisco), instituída em lei e gerenciada pela adm. pública (Receita Federal, estado,
município).
Espécies
Imposto → Fato Gerador: atos do particular; Destino: “livre” em regra (vai da condição de ir
para algum projeto)
Taxa → FG: Prestação de Serviço ou exercício de poder de polícia; Destino: a própria
prestação.
Contribuição Social
De intervenção no domínio econômico → Estado quer fomentar determinada
atividade (EX: CINE, CONDECINE (Contribuição para o Desenvolvimento da
Indústria Cinematográfica Nacional))
Profissional → Pagar pelo exercício da profissão. Ex: contri. Sindical, contri.
Profissional (ex: OAB, CRM…)
Previdenciários → Para a previdência
Não previdenciário → Custear a previdência, a assistência ou a saúde → custear a
seguridade social. Ex: PIS, COFINS, CSLL