Sei sulla pagina 1di 49

Liderar

Equipas no
dia-a-dia

Exercícios
de Aplicação
Recursos pedagógicos co-financiados
pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 1


Exercícios de Aplicação
Identificação

Recurso pedagógico:
• Casos e Exercícios de Aplicação “Liderar Equipas no Dia-a-Dia”.

Área profissional:
• Gestão e Administração.

Modalidade de formação:
• Aperfeiçoamento, actualização e especialização de activos
qualificados.

Componente:
• Científico-tecnológica

Nível de formação dos formandos à entrada:


• 4e5

Nível de formação dos formandos à saída:


• 4e5

Conteúdos temáticos:
• Estilos de liderança, o papel do líder, motivação, mobilização e
orientação da equipa, desenvolvimento e avaliação das
competências e do desempenho dos colaboradores.

Destinatários:
• Formandos e formadores

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 2


Exercícios de Aplicação
Ficha Técnica

Coordenação
• Coordenação Geral:
Ana Cristina Neto

• Coordenação Pedagógica:
Ana Cristina Neto
César Ribeiro de Almeida

Pesquisa e Desenvolvimento
• Elaboração de Conteúdos:
Ana Cristina Neto
César Ribeiro de Almeida
Salomé Sarrico Dias

• Pesquisa Bibliográfica:
Ana Cristina Neto
César Ribeiro de Almeida
Salomé Sarrico Dias

Produção
• Coordenação de produção:
Ana Cristina Neto
César Ribeiro de Almeida
João Aragão e Pina

• Revisão de Texto e Paginação:


Ana Salomé Silvério
Júlia Brás

• Imagem e Concepção Gráfica:


Marta Parreira

• Programação Informática:
António Carvalho

CIDEC – Centro Interdisciplinar de Estudos Económicos


Palácio Pancas Palha, Travessa Recolhimento Lázaro Leitão, 1
1149-044 Lisboa. Tel: 21 811 60 00 Fax: 21 811 60 88
www.cidec.pt cidec@cidec.pt

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 3


Exercícios de Aplicação
Índice

1. Introdução ............................. Página 5

2. Objectivos Pedagógicos ............. Página 7

3. Pré-requisitos ......................... Página 10

4. Espaço Físico / Equipamentos / Página 12


Materiais................................
5. Duração................................. Página 14

6. Orientação Pedagógica............... Página 16

7. Casos e Exercicíos..................... Página 20

8. Avaliação................................ Página 46

9. Bibliografia ............................ Página 48

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 4


Exercícios de Aplicação
1. Introdução

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 5


Exercícios de Aplicação
Os Casos e Exercícios “Liderar Equipas no Dia-a-dia” integram o kit
pedagógico LIDERAR EQUIPAS NO DIA-A-DIA e destinam-se aos gestores
experientes ou em fase inicial de assunção de funções de gestão de
equipas.

O kit pedagógico LIDERAR EQUIPAS NO DIA-A-DIA visa, no seu conjunto,


reforçar competências de gestão e liderança de equipas e proporcionar
aos gestores um guia prático para a sua actuação no quotidiano.

Os Casos e Exercícios, como parte integrante do kit pedagógico,


contribuem para atingir os objectivos na medida em que apresentam:

¾ Situações concretas relacionadas com as diferentes


temáticas da liderança e da gestão de equipas;

¾ Exercícios de autodiagnóstico;

¾ Casos práticos a resolver.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 6


Exercícios de Aplicação
2. Objectivos
Pedagógicos

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 7


Exercícios de Aplicação
Os Casos e Exercícios “Liderar Equipas no dia-a-dia”, no âmbito de um
percurso pedagógico que visa desenvolver as competências de liderança
e gestão de equipas, permitem aos gestores:

¾ Treinar a aplicação prática de conhecimentos sobre


liderança;

¾ Reforçar a integração de conhecimentos, com o apoio de


casos práticos;

¾ Descobrir pontos fortes e pontos de aperfeiçoamento pessoais


nas práticas de liderança e gestão de equipas.

O conjunto de actividades pedagógicas que permite aos formandos


desenvolverem competências de liderança com o apoio do kit
pedagógico LIDERAR EQUIPAS NO DIA-A-DIA estrutura-se em cinco
grandes eixos, em que se integra a exploração dos Casos e Exercícios:

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 8


Exercícios de Aplicação
PREPARAR CASOS
E EXERCÍCIOS

TREINAR CASOS
E EXERCÍCIOS

APLICAR

APROFUNDAR

APERFEIÇOAR

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 9


Exercícios de Aplicação
3. Pré-requisitos

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 10


Exercícios de Aplicação
O kit pedagógico “Liderar equipas no dia-a-dia” funciona como
ferramenta de apoio a acções de desenvolvimento de competências de
liderança de equipas, com duas metodologias de utilização possíveis:
¾ Autoformação
¾ Acções de formação em sala

Os Casos e Exercícios podem ser utilizados como ferramenta de apoio


em ambas as metodologias, em diferentes etapas do percurso
pedagógico proposto.

PRÉ-REQUISITOS EM SITUAÇÃO DE AUTOFORMAÇÃO

• Os participantes devem preferencialmente ter explorado os


exercícios e textos apresentados no CD ROM INTERACTIVO
“LIDERAR EQUIPAS NO DIA-A-DIA”.
O objectivo pedagógico dos casos e exercícios é o treino de
aplicação de conhecimentos adquiridos aquando da exploração do
CD ROM interactivo.

PRÉ-REQUISITOS EM SITUAÇÃO DE FORMAÇÃO EM SALA

O formador pode apoiar-se nos Casos e Exercícios em duas perspectivas:


de diagnóstico ou de treino da aplicação de conhecimentos (ver Manual
do Formador).
No primeiro caso não existem pré-requisitos. No segundo caso, os
participantes devem preferencialmente ter explorado os exercícios e
textos apresentados no CD ROM INTERACTIVO “LIDERAR EQUIPAS NO
DIA-A-DIA”.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 11


Exercícios de Aplicação
4. Espaço Físico/
Equipamentos/
Material

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 12


Exercícios de Aplicação
EM SITUAÇÃO DE AUTOFORMAÇÃO

• Não é necessário nenhum tipo de material ou equipamento.

EM SITUAÇÃO DE FORMAÇÃO EM SALA

O formador pode optar por usar os casos como ponto de partida para
simulações, registadas em vídeo. Nesse necessita de câmara vídeo,
cabo de ligação ao televisor e televisor.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 13


Exercícios de Aplicação
5. Duração

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 14


Exercícios de Aplicação
EM SITUAÇÃO DE AUTOFORMAÇÃO

• Os participantes precisam de duas a três horas para a elaboração


dos exercícios.

EM SITUAÇÃO DE FORMAÇÃO EM SALA

• A duração depende da forma como o formador vai integrar os


Casos e Exercícios no percurso pedagógico (ver exemplos e
alternativas no MANUAL DO FORMADOR).

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 15


Exercícios de Aplicação
6. Orientação
Pedagógica

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 16


Exercícios de Aplicação
OS CASOS E EXERCÍCIOS NO PERCURSO PEDAGÓGICO
LIDERAR EQUIPAS NO DIA-A-DIA

Tendo em consideração a lógica das cinco grandes etapas (ver página 9)


que estruturam o percurso pedagógico LIDERAR EQUIPAS NO DIA-A-DIA,
a utilização dos Casos e Exercícios insere-se nas etapas PREPARAR E
TREINAR.

A - PREPARAR

Este eixo integra as actividades através das quais o formando focaliza a


sua atenção no tema da liderança, ganha consciência dos desafios em
questão, da pertinência e impacte do tema relativamente ao seu
desempenho profissional.

Os Casos e Exercícios permitem:

Na autoformação:

- O treino individual da aplicação prática de


conhecimentos sobre a temática da Liderança e
Gestão de Equipas.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 17


Exercícios de Aplicação
Na formação em sala:

- a preparação e o diagnóstico de necessidades do


grupo (ver sugestões de estrutura de sessão no
MANUAL DO FORMADOR).

B – TREINAR

Este eixo integra as actividades através das quais o formando obtém


informação sobre os principais aspectos da actuação do líder de uma
equipa, através da exploração dos exercícios e comentários
apresentados no CD ROM INTERACTIVO. Os Casos e Exercícios permitem
praticar e experimentar, antes de pôr em prática em contexto real de
trabalho.

A RESOLUÇÃO DE CASOS E EXERCÍCIOS

Na autoformação:

A resolução dos casos e exercícios processa-se de forma autónoma


e o formando encontra no CD ROM INTERACTIVO, as pistas
necessárias para a avaliação das suas opções.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 18


Exercícios de Aplicação
Na formação em sala:

A resolução dos exercícios orientada pelo formador, com o apoio


do CD ROM INTERACTIVO e/ou de reflexão em grupos de trabalho
(ver MANUAL DO FORMADOR).

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 19


Exercícios de Aplicação
7. Casos e
Exercícios

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 20


Exercícios de Aplicação
7.1. Definir
objectivos

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 21


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 1

FORMULAR OBJECTIVOS SMART

1. Melhorar a interacção com o Marketing.

2. Assegurar permanentemente o fornecimento dos materiais


e equipamentos para a equipa de manutenção.

3. Realizar em 2003 um Volume de Facturação


de 2,5 milhões de contos.

4. Reparar a prensa WHR do Atelier 6B até sexta-feira.

5. Dominar perfeitamente o Windows.

6. Reunir, até fim de Dezembro os dados necessários


para o lançamento do Protótipo 703-6aW.

7. Até fim de 2003, reduzir a Taxa de Quebra a 0,3 %.

8. Fazer uma reunião Qualidade por semana.

9. Ser mais rápido na resolução de reclamações.

10. Reforçar a pró-actividade.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 22


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 2
DEFINIR E APRESENTAR OBJECTIVOS

1- OS OBJECTIVOS PRIORITÁRIOS DA MINHA EQUIPA:

Ö 1.

Ö 2.

Ö 3.

2- COMO SE TRADUZEM EM OBJECTIVOS PARA CADA COLABORADOR:

COLABORADOR: COLABORADOR:

OBJECTIVOS: OBJECTIVOS:

COLABORADOR: COLABORADOR:

OBJECTIVOS:
OBJECTIVOS:

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 23


Exercícios de Aplicação
7.2. Liderança

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 24


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 1
CASO LUSOPACK

1. A LUSOPACK é líder nacional na comercialização de embalagens


e equipamento para a indústria alimentar. O seu crescimento nos
últimos anos foi acentuado e no último semestre a facturação
aumentou em 28%.
• Facturação no 1º Semestre: 20 milhões de Euros;
• 150 colaboradores

2. Para o próximo semestre, um dos eixos prioritários de melhoria é


a optimização de recursos. Nesse sentido, e tendo em
consideração as actuais perturbações da conjuntura
internacional, na última reunião da equipa de direcção foram
definidas duas grandes prioridades:

1- redução das despesas gerais: objectivo 18%.


2- rever a estratégia de internacionalização.

3. Como director-geral, decidiu reunir-se com dois dos seus


colaboradores directos:

• Com o responsável do Serviço Pós-venda:

A redução de despesas vai exigir um grande esforço da parte dele


e da sua equipa. Na sua opinião, implicará a redução do número
de viaturas de serviço.

• Com o responsável da área de Desenvolvimento:

Ele tem estado particularmente empenhado na organização de


uma exposição na Califórnia com o objectivo de lançar a empresa
no mercado americano. Você decidiu, devido ao contexto
internacional desfavorável, cancelar o evento.

4. Queira preparar estas duas reuniões.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 25


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 2

CASO TECNO

1. A TECNO é líder europeu no mercado de tecnologias de


informação. O seu crescimento nos últimos anos foi acentuado e
está agora próxima de ocupar, também em Portugal, a liderança
do mercado. No último semestre, conheceu um crescimento de
28%.

4. Para o próximo semestre, um dos eixos prioritários de melhoria é


a optimização de recursos. Nesse sentido e tendo em
consideração as actuais perturbações da conjuntura
internacional, na última reunião do comité de direcção foram
definidas duas grandes prioridades:

1- redução das despesas gerais: objectivo ->18%.


2- rever a estratégia de diversificação de produtos e
serviços.

5. Como director de operações, decidiu reunir-se com dois dos seus


colaboradores directos:

• Com o responsável do Serviço Pós-venda – a redução de despesas vai


exigir um grande esforço da parte dele e da sua equipa. Na sua opinião,
implicará a redução do número de viaturas de serviço.

• Com o responsável da área de Desenvolvimento – ele tem estado


particularmente empenhado no lançamento de uma solução integrada e
inovadora para os operadores turísticos e agências de viagens. Você
decidiu cancelar o lançamento desta solução, previsto para o principio
do próximo ano.

4. Queira preparar estas duas reuniões.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 26


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 3
CASO MEDINA BAY

1. O grupo MEDINA BAY é um grupo hoteleiro que orientou a sua


oferta para a talassoterapia. O seu crescimento nos últimos anos
foi acentuado e está agora próximo de ocupar a liderança no
mercado europeu neste segmento.

• Volume de negócios: 65.000.000 contos, um aumento de 27% em


relação ao ano anterior.

2. Como director-geral de duas unidades localizadas no Algarve,


participou na última reunião do Comité de direcção do grupo,
onde foram analisados os resultados do ano. Nessa reunião o
Comité de Direcção definiu duas importantes orientações para
rentabilizar recursos:

• Redução das despesas gerais: objectivo 14%;

• Rever a estratégia de diversificação de produtos.

3. Voltou para o seu gabinete e depois de reflectir decidiu falar


com 2 dos seus colaboradores directos:

Com o Director de F & B: o primeiro objectivo representa


um grande esforço para ele. Você pensa que seria
vantajoso rever os acordos negociados com 5 dos
principais fornecedores da área alimentar.

Com o Director Comercial : ele estava a preparar, com


grande empenho pessoal, o lançamento de uma nova
fórmula, conjugando turismo cultural e saúde, orientada
para o mercado americano. Você tomou a decisão de
cancelar esse lançamento.

4. Queira preparar estas 2 reuniões.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 27


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 4

CASO RADAR

1. A RADAR é uma empresa especializada no fornecimento de equipamento


e serviços de Comunicação Via Rádio, com uma estratégia de crescimento
ambicioso no mercado português. Um dos grandes desafios deste final de
ano é a conquista do cliente Vitex. A Vitex é líder na área de transportes
de mercadorias na Península Ibérica e pretende instalar equipamentos.

2. Como director de projectos especiais, reuniu-se com o director comercial


e o director de marketing e, por razões de estratégia comercial, decidiram
começar a prestação de serviços à Vitex 3 meses mais cedo do que
inicialmente previsto.

3. Para dar início às operações, prepara-se para ter reuniões com 4 dos seus
colaboradores directos, cuja participação e empenho são indispensáveis
para conseguir respeitar o novo prazo do projecto Vitex.

• Luísa Candeias – gestora de clientes: com uma grande experiência, está muito
habituada a responder a situações de crise, mas você sabe que ela começa a
achar que “anda constantemente a apagar fogos”. Ela tem entre mãos um
projecto de organização da Informação Comercial e está satisfeitíssima com essa
oportunidade de fugir à rotina e reforçar a pró-actividade. Você tem absoluta
necessidade dela na interligação com o cliente Vitex, o que a obrigará a adiar o
projecto de organização e você sabe que ela não tem vontade nenhuma de o
fazer.

• Jorge Fonseca – responsável pela área de inovação. Excelente técnico, muito


empenhado na sua função, tem programada uma deslocação a uma feira em
Hanover nas próximas duas semanas. Você precisa que ele faça, desde já, a
adaptação de mapas de actividade e os cálculos de custo de projecto, apesar de
ser um trabalho com o qual ele não está familiarizado. Ele vai necessitar de um
mínimo de 10 dias para realizar este trabalho.

• Paulo Almeida – responsável pelas equipas técnicas: recentemente chegado a


esta função, é um jovem brilhante e despachado. Ele aceita com entusiasmo as
tarefas que lhe confia. Ele deve ser o responsável pela formação dos técnicos de
montagem que vão intervir na Vitex, o que é uma situação nova para ele.

• Aníbal Oliveira – responsável pela área de aplicações informáticas: Tem um


desafio enorme pela frente. Vai ter de rever num tempo record aspectos
importantes dos programas informáticos. Muito competente, ele está
perfeitamente à altura desta operação. Homem de desafios, costuma encarar
este tipo de situação com muita confiança.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 28


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 5
CASO RYTHMO
A RYTHMO é uma multinacional fornecedora de serviços de telecomunicações,
com uma estratégia de crescimento ambicioso no mercado português. Um dos
grandes desafios deste final de ano é a concretização de um acordo para
fornecimento de serviços ao grupo FLY, líder na prestação de serviços de
logística e transportes, na Península Ibérica.

Como director de projectos especiais, reuniu-se com o director comercial e o


director de marketing, envolvidos de perto na conclusão deste acordo, e
decidiram por razões de estratégia comercial adiantar de 3 meses a
disponibilização deste serviço, para Janeiro de 2002.
Nesse sentido, prepara-se para ter reuniões com 4 dos seus colaboradores
directos, cujo empenho é indispensável para conseguir respeitar o novo prazo
do projecto Fly.

Carla Candeias – gestora de grandes contas: com uma grande experiência,


está muito habituada a responder a situações de crise, mas você sabe que ela
começa a achar que “anda constantemente a apagar fogos”. Ela tem entre
mãos um projecto de reformulação do Sistema de Informação Clientes e está
satisfeitíssima com essa oportunidade de fugir à rotina e reforçar a pro-
actividade. Você tem absoluta necessidade dela na interligação com o cliente,
o que a obrigará a adiar o projecto SIC e você sabe que ela não tem vontade
nenhuma de o fazer.

Paulo Almeida – responsável pelo helpdesk: recentemente chegado a esta


função, é um jovem brilhante e despachado. Ele aceita com entusiasmo as
tarefas que lhe confia. Ele deve ser o responsável pela preparação dos
operadores afectos ao cliente FLY, o que é uma situação nova para ele.

Jorge Fonseca – responsável pela área de inovação. Excelente técnico,


muito empenhado na sua função, tem programada uma deslocação a uma
feira em Hanôver nas próximas duas semanas. Você precisa que ele faça,
desde já, a adaptação de procedimentos internos, apesar de ser um tipo de
tarefa com que ele não está familiarizado.

Alfredo Oliveira – responsável pela área de aplicações: Tem um desafio


enorme pela frente. Vai ter de rever num tempo recorde aspectos
importantes das aplicações. Muito competente, ele está perfeitamente à
altura desta operação. Homem de desafios, costuma encarar este tipo de
situação com muita confiança.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 29


Exercícios de Aplicação
7.3. Motivação e
Desenvolvimento

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 30


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 1
FALAR POSITIVAMENTE

1. Tem que esperar um bocadinho.


_________________________________________________________________
2. Só pode escolher entre estas 2 hipóteses.
_________________________________________________________________
3. Se quiser ligar para o serviço comercial, eles dizem-lhe logo.
_________________________________________________________________
4. Eu vou tentar, mas não prometo nada.
_________________________________________________________________
5. Se não se importa, envie o pedido por escrito.
_________________________________________________________________
6. Não tenho essa informação. Não é da minha área de especialidade.
_________________________________________________________________
7. Devia ter-me dito isso antes.
_________________________________________________________________
8. Isso eu não posso fazer, são normas da empresa.
_________________________________________________________________
9. Não sei. Espere um segundo, eu digo-lhe já.
_________________________________________________________________
10. Tem que me dar a sua identificação, se não, não posso responder-lhe.
_________________________________________________________________
11. Isso é impossível. Nunca ninguém pediu esse tipo de contrato.
_________________________________________________________________

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 31


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 2
CASO ZÊ-LIDER

A sua função é de GAP líder da unidade de costura da ZÊ-LIDER, fábrica de


embalagens em PVC.

A sua equipa está neste momento a atravessar um período de intenso ritmo de


trabalho e a recente alteração de uma parte dos equipamentos exige uma
concentração acrescida.

Tem reparado que o Idalécio, operador que está na equipa há seis meses, tem
uma atitude cada vez mais agressiva para com alguns dos colegas e
ultimamente tem-se divertido a atribuir alcunhas aos outros elementos da
equipa.

O que vai fazer?

Coloque por ordem as seguintes opções, da mais adequada à menos adequada:

Falar com o Idalécio e expor com franqueza o que tem observado.

Pedir ao Idalécio que guarde as brincadeiras para depois do trabalho.

Não falar ainda com ele e esperar que as coisas acalmem por si.

Falar com o Idalécio e explicar-lhe que, se mantiver a atitude, ele arrisca-se a ter de
mudar de equipa ou a ser despedido.

Estar atento às situações e quando ele começar com brincadeiras, procurar acalmar
os ânimos e evitar que os outros se irritem.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 32


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 3
CASO MARINAPRAIA

1. O Hotel MARINA SOL tem conhecido um crescimento acentuado nos


últimos anos, o que o levou a tomar a decisão de recrutar um director-
adjunto.

2. O novo colaborador, Rui Xavier, vindo de um conceituado grupo


hoteleiro onde esteve nos últimos 4 anos, vai assumir hoje as suas
novas funções. Combinou com ele uma reunião para facilitar a
integração na função, na equipa e na organização.

3. Queira preparar esta reunião.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 33


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 4

CASO MARINAPRAIA II

1. Num período de intensa actividade, a equipa de sala vai ser reforçada,


com mais 5 empregados de mesa recrutados do exterior.

2. Nos últimos tempos verificou-se uma acentuada rotação de


empregados de mesa e, como director do hotel, está especialmente
empenhado em reforçar a estabilidade das equipas. Nesse sentido, quer
garantir que a integração dos novos colaboradores corre da melhor
forma.

3. Nesse processo, vai ser fundamental a forma como o chefe de sala,


Alfredo Marques, vai receber os novos colaboradores.

4. Homem afável, rigoroso no seu trabalho, com muita experiência na


chefia de equipas de sala e excelente conhecedor “da casa”, você sabe
que ele gosta de acolher os novos elementos de forma bastante
informal e concentrando a informação ao estrito necessário para que
possam exercer a suas funções.

5. Resolveu ter uma reunião com ele, de forma a garantir a integração


eficiente dos novos empregados de mesa, prevista para a próxima
semana.

6. Queira preparar esta reunião.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 34


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 5
INCENTIVAR A EQUIPA - PLANO DE ACÇÃO
COLABORADOR
PONTOS A TRATAR ACÇÃO PRAZO ACOMPANHAMENTO

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 35


Exercícios de Aplicação
7.4.
Acompanhamento
Operacional

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 36


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 1

CASO EDIFICA

1. Francisco Mota é Desenhador na EDIFICA, uma das 10 maiores empresas


de construção civil em Portugal. Tem 35 anos, 12 anos de experiência
profissional como desenhador técnico e trabalhou em quatro empresas,
antes de ingressar nos quadros da EDIFICA há 2 anos.

2. O recrutamento do Francisco foi feito num momento de forte


crescimento do sector da construção. Apesar das fracas recomendações
da anterior entidade empregadora, o Francisco assumiu as funções de
Desenhador de forma permitir a concretização de diversos projectos da
empresa.

3. A EDIFICA registou um crescimento contínuo, o que dificultou a


aplicação sistemática de boas práticas de gestão. Por exemplo, o
sistema de avaliação de desempenho não passou de uma intenção
sempre adiada. As reuniões de equipa são constantemente canceladas e
apareceram tensões entre departamentos, sobretudo devido a prazos
apertados e falta de pessoal. O trabalho fora do horário de serviço e
aos fins-de-semana tornou-se a regra em vez da excepção.

4. De uma forma geral o desempenho do Francisco Mota superou as


expectativas. Mostrou-se aplicado e capaz de produzir um trabalho de
elevada qualidade. Além disso, voluntariou-se sempre para fazer parte
das equipas de projectos especiais. Atento à organização, fez muitas
sugestões de melhoria e demonstrou sempre um profundo
conhecimento prático de questões relacionadas com a arquitectura e a
construção.

5. No entanto, nos últimos meses o Francisco mudou de atitude. Não


parece entusiasmado com o trabalho, e por mais do que uma vez
demonstrou-se distante e desinteressado. Para agravar a situação,
tornaram-se frequentes as discussões com arquitectos sobre as
especificações de projectos e procedimentos de obra.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 37


Exercícios de Aplicação
6. Depois de uma destas discussões, o Francisco comentou que ninguém
respeitava a sua opinião, que o tratavam como se fosse um
inexperiente e que no fundo sabia tanto como os arquitectos. Afirmou
também que só porque não tinha um curso superior não era tido em
consideração e estava limitado a trabalho desinteressante. Mostrou-se
pessoalmente convencido de que era a pessoa com o salário mais baixo
e injusto da empresa.

7. Quando um colega lhe perguntou porque motivo não tinha tirado um


curso superior, o Francisco perguntou-lhe “Tens alguma ideia do que é
ter que assegurar as despesas da casa, pagar a renda, ser um bom pai e
marido e ainda por cima frequentar aulas à noite?”.

8. No lugar do Superior Hierárquico do Francisco, que diagnóstico faz da


sua performance?

9. Qual a acção / acções a tomar?

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 38


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 2
CASO TRANSTOP

1. A Transtop é uma empresa especializada na logística - transporte e


armazenamento - de mercadorias especiais e, como consultor, foi-lhe
confiada pela Direcção-Geral a reorganização do armazém de frio e a
redução dos custos da “não qualidade”.

2. Nesta fase da missão, tem acompanhado a implementação dos novos


procedimentos e tem trabalhado em estreita colaboração com o Sr.
João Costa, chefe do Armazém de Frio. O Sr. João Costa tem sob a sua
responsabilidade uma equipa de 14 operadores, está na empresa há 6
anos, bom profissional, é muito apreciado pela sua equipa.

3. A análise das últimas estatísticas mostrou-lhe que o nível de


mercadorias estragadas tem vindo a aumentar.

4. Passando hoje pelo sector do Sr. Costa, apercebeu-se do seguinte:

Ö os indicadores luminosos de uma das câmaras frigoríficas não


funcionam;

Ö 3 operadores não usam colete de protecção;

Ö o próprio Sr. Costa estava a armazenar caixas de frutas tropicais


fora da zona de refrigeração;

5. Decidiu ter uma reunião com o senhor Costa.

6. Queira preparar a sua reunião.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 39


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 3
CASO MOBLIDER

A sua função é de líder de equipa de uma unidade de produção da Moblider,


empresa que se dedica ao fabrico de mobiliário de escritório.

Dentro de momentos vai reunir-se com a sua equipa, para a reunião TOP5 e
acaba de recolher a seguinte informação:

• 3 lotes de peças produzidas não correspondem às normas de qualidade


definidas e não foram detectadas pela equipa;

• A equipa está 12% acima do objectivo previsto, apesar da baixa


imprevista de um colega;

• A unidade mantém-se com zero acidentes de trabalho desde o início


do ano;

• A equipa foi considerada a mais polivalente da fábrica;

• Nenhum elemento da equipa apresentou ideias de melhoria nos


últimos 2 meses;

• Vai chegar ao armazém uma nova encomenda de matéria-prima. É


necessário que dois elementos da equipa procedam a uma verificação
de qualidade desta matéria-prima.

Queira preparar a sua reunião.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 40


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 4

CASO LIDERVOX

A sua função é de GAP líder da unidade de acabamentos da Lidervox, fábrica


de sistemas de alta fidelidade.

Hoje, o seu colega Joaquim Guedes, técnico de manutenção, deu início ao


programa de manutenção preventiva das máquinas utilizadas na sua GAP.

A produção manteve-se em excelente ritmo, devido à rapidez e flexibilidade


de intervenção do Joaquim Guedes.

No entanto, verificou que o Joaquim Guedes não isolou o acesso aos locais
onde trabalhou, colocando em risco a segurança de todos.

Amanhã o Joaquim Guedes vai continuar as intervenções de manutenção


preventiva e você decidiu falar com ele sobre este assunto.

Queira preparar o que lhe vai dizer.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 41


Exercícios de Aplicação
7.5. Avaliação de
Desempenho

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 42


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 1
CASO MARINA SOL
1. Como director-geral do hotel MARINA SOL, vai reunir-se com o director
financeiro para proceder à avaliação anual de desempenho.

2. Luís Simões, o director financeiro, tem sob a sua responsabilidade 4


colaboradores directos, responsáveis pelas áreas de informática,
fornecedores, contabilidade geral e controlo de gestão.

3. Carácter do Sr. Simões :

Excelente profissional. Rigoroso. Trabalhador. Gosta de impor as suas


ideias.

OBJECTIVOS DO ANO RESULTADOS OBTIDOS

Ter o novo sistema de Objectivo conseguido, apesar de o


contabilização de custos 100% número de horas extraordinárias da
operacional até final do ano. equipa ter aumentado muito
significativamente.

Recrutar mais um técnico para a Foi recrutado um jovem, que decidiu


área de informática ir embora ao cabo de 3 semanas.

Melhorar o planeamento de Continuam a existir situações de


tesouraria e a comunicação com os tensão com os principais
principais fornecedores fornecedores

Renegociar e reforçar em vosso O hotel conseguiu financiamento


proveito os termos da parceria com para obras de remodelação com
o banco UCB excelentes condições.

4. Queira preparar esta reunião.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 43


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 2
CASO TOP-EXPRESS

1. Você é GESTOR REGIONAL DO SUL de uma empresa especializada no


transporte de encomendas expresso.

2. Tem sob a sua responsabilidade 7 colaboradores directos, gestores de


zona.

3. O Sr. Simões é um deles, trabalha no empresa há 6 anos e exerce a


função de responsável da zona de Setúbal desde há 4 anos.

4. Definição das funções do Sr. Simões:

Ö Desenvolvimento dos negócios na zona de Setúbal;


Ö Gestão de uma carteira de 98 clientes;
Ö Supervisão e controle da rentabilidade do serviço;
Ö Garantir a qualidade do serviço aos clientes da área de Setúbal ;
Ö Supervisão das 3 equipas da zona de Setúbal: recepção,
expedição e entregas.

5. Carácter do Sr. Simões :

Excelente profissional. Rigoroso. Trabalhador. Gosta de impor as suas


ideias.

OBJECTIVOS DO 1º TRIMESTRE RESULTADOS OBTIDOS

Produção 500.000 contos Obtiveram-se 510.000 contos


Manter as despesas com pessoal As despesas aumentaram em 20%
Reduzir a quebra Manteve o nível de quebra
Ganhar 10 novos clientes na zona Ganharam-se 14 novos clientes
Melhorar a pontualidade das equipas Melhorou a pontualidade, apesar de
ainda existirem 2 casos críticos.

6. Decidiu ter uma reunião com o senhor Simões para fazer o balanço do
seu desempenho e lançar-lhe novos objectivos.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 44


Exercícios de Aplicação
EXERCÍCIO 3
CASO INTERBANCO
1. Você é director de um Banco Privado na área da grande Lisboa .

2. Tem sob a sua responsabilidade 7 colaboradores directos .


O Sr. Simões é um deles, trabalha no Banco há 10 anos e exerce as
presentes funções desde há 4 anos. Tem 6 gerentes de balcão na sua
equipa.

3. Definição das funções do Sr. Simões:


Ö Desenvolvimento dos negócios;
Ö Gestão de 250 contas de PME´s ;
Ö Recrutamento e Formação dos comerciais ( gerentes de balcão e de
conta ) ;
Ö Supervisão e controle da rentabilidade do serviço.

4. Carácter do Sr. Simões :

Excelente profissional. Rigoroso. Trabalhador. Gosta de impôr as suas


ideias.
OBJECTIVOS DO ANO PASSADO RESULTADOS OBTIDOS

Produção 500.000 contos Obtiveram-se 510.000 contos

Reestruturação do serviço Atingido,


embora à custa da demissão
de um excelente gerente

Prática de follow-up, mapas mensais, Os documentos existem mas


semanais não são usados

Respeitar os circuitos de aprovação Os comerciais


continuam a
de taxas dadas aos clientes. a ser “um departamento
à
parte “

Abertura de 2 novas agências Realizada nos prazos


com
óptimos resultados

5. Queira por favor, preparar a reunião de avaliação do Sr. Simões.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 45


Exercícios de Aplicação
8. Avaliação

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 46


Exercícios de Aplicação
Quer na autoformação quer na formação em sala, a resolução dos
Casos e Exercícios visa essencialmente o autodiagnóstico e a
consciencialização de pontos fortes e pontos de aperfeiçoamento
pessoal.

O autodiagnóstico e a clarificação de pontos de aperfeiçoamento


pessoal permitem a construção de planos de acção pessoal e a
alteração efectiva das práticas pessoais relativas a liderança e
gestão de equipas, já que o kit pedagógico se propõe funcionar
como guia para a acção.

Neste contexto, as acções que permitem a avaliação são:

.auto-observação do formando
.acompanhamento pelo formador
. reflexão e conclusões sobre resultados e opções
produtivas/improdutivas (ver MANUAL DO
FORMADOR)
. Briefings e debriefings das sessões (ver MANUAL DO
FORMADOR).

A síntese da avaliação é registada no plano de acção pessoal. (Ver


CD ROM INTERACTIVO.)

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 47


Exercícios de Aplicação
9. Bibliografia

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 48


Exercícios de Aplicação
Abercrombie, M.L.J. 1970. Aims and Techniques of Small Group
Teaching. London. Society for Research in Higher Education.

Bergadaa, D. 2000. Gestion et Pedagogie: une approche nouvelle


illustré par la méthode des cas. Les éditions d’organization

Boud, D., Feletti, G. 1991. The Challenge of Problem-based Learning.


London. Kogan.

Knowles, M.S. 1975. Self-directed Learning: A Guide for Learners and


Teachers. New York. Association Press.

Luthens, F. 1988. Organizational Behaviour, McGraw-hill

Sinnot, J. 1988. Everyday Problem Solving. New York. Praeger.

Wilkerson, L., & Gijselaers, W.H. (eds) . 1996. Bringing Problem-Based


Learning to Higher Education: Theory and Practice. San Francisco
Jossey-Bass Publishers

Woods, Donald R. 1994. Problem-based Learning: How to Gain the Most


from PBL. Hamiltion, Ontario, Canada: Donald R. Woods Publisher.

Liderar Equipas no dia-a-dia Página 49


Exercícios de Aplicação