Sei sulla pagina 1di 3

CURSO

CST em Análise e Desenvolvimento de


Sistemas

Estudo Disciplinares

2o Período – 2018/2

1
F I C H A M E N T O (Estudos Disciplinares)
NOME: MARCELO VASCONCELOS SANTIAGO

MATRÍCULA: 02410032318 SEMESTRE / TURMA: 2SEM – ADS SALA 2C

TIPO: ARTIGO

AZEVEDO JUNIOR, Delmir Peixoto de and CAMPOS, Renato de. Definição de requisitos de
software baseada numa arquitetura de modelagem de negócios. Prod. [online]. 2008, vol.18, n.1,
pp.26-46. ISSN 0103-6513. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65132008000100003.

Não é uma tarefa fácil definir requisitos para os sistemas de software que darão suporte a um negócio,
dada a dinâmica de mudanças nos processos. O levantamento de requisitos tem sido feito de forma
empírica, sem o apoio de métodos sistematizados que garantam o desenvolvimento baseado nos reais
objetivos do negócio. A engenharia de software carece de métodos que tornem mais ordenadas e
metódicas as etapas de modelagem de negócios e de levantamento de requisitos de um sistema.
Neste artigo é apresentada uma metodologia de desenvolvimento de software resultante da
incorporação de atividades propostas para modelagem de negócios e levantamento de requisitos,
baseadas em uma arquitetura de modelagem de negócios. Essas atividades tornam o desenvolvimento
de software mais sistemático e alinhado aos objetivos da organização, e podem ser incorporadas em
qualquer metodologia de desenvolvimento baseada no UP (Unified Process - Processo Unificado).

O alinhamento entre requisitos de software e as reais necessidades de informatização da empresa


pode ser melhorado e sistematizado através de técnicas de modelagem de negócios (ou de empresa).
A tecnologia da orientação a objeto, através da UML, permite a integração da representação de
modelos nos dois domínios, negócio e software. Porém, existe a falta de metodologias completas que
alinhem de forma sistemática o levantamento de requisitos de software às reais necessidades de um
negócio, em função de seus objetivos (AZEVEDO JR., 2003).

Palavras-Chaves : Desenvolvimento de software; modelagem de negócios; processo unificado;


modelagem de requisitos.

“Não é uma tarefa fácil definir requisitos para os sistemas de software que darão suporte a um negócio,
dada a dinâmica de mudanças nos processos. “

Concordo com o texto acima sobre definir os requisitos para os sistemas de software não seja uma
tarefa fácil pois num sistema geralmente requer muitas atualizações e mudanças no desenvolvimento
de software gerando um software com mais detalhes, é necessário um levantamento de requisitos
criterioso para que o software venha a ter poucas mudanças durante seu desenvolvimento. É
importante saber que o software exige uma série de processos para sua fabricação, contando com a
participação de toda a equipe envolvida, estudar o projeto, decidir qual método seria melhor, dentre
outros requisitos.
“O alinhamento entre requisitos de software e as reais necessidades de informatização da empresa
pode ser melhorado e sistematizado através de técnicas de modelagem de negócios (ou de empresa).
A tecnologia da orientação a objeto, através da UML, permite a integração da representação de
modelos nos dois domínios, negócio e software. Porém, existe a falta de metodologias completas que
alinhem de forma sistemática o levantamento de requisitos de software às reais necessidades de um
negócio, em função de seus objetivos (AZEVEDO JR., 2003).”

Concordo com o texto acima através da UML é possível apresentação do projeto a equipe de
desenvolvimento suas possíveis alterações do negócio, o que precisa melhorar, o que precisa
acrescentar, como fazer, como o projeto ficara e assim sucessivamente. Para que um levantamento de
requisitos sistemático seja feito é necessário a interação com o pessoal responsável no
desenvolvimento, definir suas reais intenções e objetivos, fazer testes, e apresentar uma prévia do
projeto.

2
TIPO: LIVRO
Andre luiz Villar Forbellone; Logica de Programacao - 3a Edicao; Informática; Editora Pearson; ano
2005

ACESSO: Livro digital, biblioteca digital da instituição.


Capitulo 1; página 1.
O que é Lógica?

O uso corriqueiro da palavra lógica está normalmente relacionado à coerência e à racionalidade.


Frequentemente se associa lógica apenas à matemática, não se percebendo sua aplicabilidade e sua
relação com as demais ciências.

Concordo com texto acima quando pensamos na palavra lógica geralmente pensamos que seja
relacionado a somente algo que faz sentido, e se aplica apenas á matemática, para que possamos
desenvolver um programa por exemplo é necessário utilizar a lógica, na linguagem c por exemplo
precisamos entender como funciona esta linguagem precisamos colocar os caracteres de forma lógica
para que o computador possa interpretar o código sem erros.

Capitulo 1; página 2.
Existe lógica no dia-a-dia?

Sempre que pensamos, a lógica ou ilógica necessariamente nos acompanham. Quando falamos ou
escrevemos, estamos expressando nosso pensamento, logo, precisamos usar a lógica nessas
atividades. Podemos perceber a importância da lógica em nossa vida, não só na teoria, como na
prática, já que, quando queremos pensar, falar, escrever ou agir corretamente, precisamos colocar
'ordem no pensamento', isto é, utilizar lógica.

Sim, existe lógica em nosso cotidiano, por exemplo ao atravessarmos uma pista que geralmente passa
carros, devemos atravessar a pista somente quando os carros tiverem todos parados, o sinal vermelho
sinalizados para os carros e sinal verde para os pedestres, só assim poderemos então atravessar a
pista, ou seja devemos seguir uma série de recomendações que nos dê segurança para se chegar ao
nosso objetivo que é de atravessar a pista.

Capitulo 1; página 3.
Por que é importante construir um algoritmo?

Um algoritmo tem por objetivo representar mais fielmente o raciocínio envolvido na Lógica de
Programação e, dessa forma, permite-nos abstrair de uma série de detalhes computacionais, que
podem ser acrescentados mais tarde. Assim, podemos focalizar nossa atenção naquilo que é
importante: a lógica da construção de algoritmos.

É importante a construção de um algoritmo para podermos saber quais ferramentas e formas devemos
utilizar para que possamos levar ao caminho que se atinge o objetivo proposto no algoritmo, com isto
utilizaremos a lógica neste algoritmo e materializar o algoritmo numa linguagem de programação.