Sei sulla pagina 1di 101

Project Gehenna

Resumo do 1º Arco das Crônicas de São Paulo

Os Tempos Estão Mudando *

“Venha pessoal
Por onde quer que andem
E admitam que as águas
Á sua volta aumentaram (cresceram)
E aceitem que logo
Estarão cobertos até os ossos
Se seu tempo para você
Vale a pena ser poupado
Então é melhor começar a nadar
Ou irá se afundar como uma pedra
Pois os tempos estão mudando”

*Trecho traduzido da música “The Times They Are A-Changin'” de Bob Dylan
Duração do Arco

(Na Crônica)
Data de Início - 28/09/2012
Data de Término - 31/12/2012

(Em Tempo Real)


Data de Início - 28/09/2012
Data de Término - 31/08/2013
Alonso (Neko) - Gangrel AntiTribu
Tipico Neófito Sabá, cheio de energia, mas ainda sem a maturidade de um verdadeiro Espada
de Caim

Anderson (Well) - Assamita AntiTribu -


Neófito aprendiz do Antônio, misterioso e imprevisível.

Antônio (Léo) – Assamita AntiTribu


Um dos mais combativos do bando, mestre do disfarce, tem personalidade calma e fria,
odeia qualquer sinal de afeição, emoção ou fraqueza.

Caio (Mega) - Nosferatu Antitribu (Morto durante Monomancia)


Antigo Ductus, leal ao bando, leal a seita, leal a Marius, cuidadoso ao extremo com as ações
que o bando deveria tomar, no final da sua não vida, paranóico e frustrado por se sentir
incapaz de controlar o bando, no momento mais importante demonstrou coragem e foi de
encontro a morte.

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Tremere Antribu


Neófito impetuoso, esperto, inconsequente, escritor de livros de horror e protetor da família
mortal

Dimitri Ziugánov (Luiz) - Tzimisce


Cainita de grande confiança em si mesmo e em todas as habilidades, médico/cirurgião
reconhecido, bairrista e conservador as tradições de sua família, atualmente Ductus.

Ellie Cameron (Mega) - Precursores dos Ossos


Jovem vivaz e sagaz, deixada aos cuidados de Dimitri por seu mentor Bispo Frank, atual
Sacerdote.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Serpentes da Luz


Antiquarista de renome, coleciona antiguidades de valor, calmo, calculista, racional,
vendendor de informações, seus interesses vem acima do interesses dos outros.

Gabriel (Rafael) - Lasombra


Calmo, cuidadoso, inteligente, estudioso do oculto, como sacerdote do bando exercia o papel
de conselheiro espiritual do bando e do ductus quando julga necessário.

Giovani (Gui) - Toreador AntiTribu


Neófito, quando mortal era médico agora aos poucos abandona cada vez mais os mortais a
própria sorte e age em prol de si mesmo e dos membros do bando.

Henrique Tabbardo (Bruno) - Ventrue Antribu


Templário, tradicionalista, caçador de infernalista e extremista.
Hunter (Bruno) - Pander (Assassinado durante a investigação do massacre no 1º de Maio)
Membro fiel da Mão Negra, impulsivo em seus atos, desde que sejam para o bem da Seita.

João Lúcio (Boros) - Lasombra


Fiel aos princípios da seita, fiel aos lideres, defensor do Código de Milão, um soldado do Sabá
da cabeça aos pés.

Mestre Estéban Al-Aric Musle (Well) - True Brujah


Paranóico, leal ao Sabá acima de tudo, menos se isso for contra seu objetivo pessoal caçar os
temíveis infernalistas, ponderado e sério em todos os momentos, é altamente respeitado
dentro e fora do bando.

Rodolfo Destefani (Claudio) - Lasombra


Especialista em assuntos do oculto, possui personalidade forte, capaz de realizar ações
polêmicas ou controversas por conta própria se acha que sua opinião é a correta.

Susana Hae (Camila) - Ventrue AntriTribu.


Contrabandista e fornecedora de armas para o bando, rica e vingativa, fiel ao preceito de
liberdade, usará tudo que for necessário para chegar ao seu objetivo, destruir os anciões da
Camarilla.

Victor (Rafa) - Brujah AntiTribu


Aliado fiel, um exemplo do típico Brujah, defensor ardoroso do que julga certo em alguns
momentos, explosivo e inconsequente em outros, porém perspicaz, corajoso e destemido
quando solicitado.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Brujah Antitribu


Um mistério para todos, um mistério para ele mesmo.

Eventos do Primeiro Arco


Lista de Eventos e Acontecimentos (quase em ordem)
Tipo:
Principal
Eventos criados pelos narradores seguindo um fluxo não necessariamente linear
Paralelo
Eventos menores e circunstanciais, podendo oferecer beneficios ou criar
problemas e não necessariamente com alguma ligação com qualquer outro
evento atual, passado ou futuro.
Iniciativa dos Jogadores
Eventos criados por iniciativa dos personagens por qualquer razão e que podem
se tornar um evento Paralelo ou até Principal.

Resultado:
Sucesso Absoluto / Sucesso Completo / Sucesso Parcial
Falha Parcial / Falha Completa / Falha Catastrófica

Status:
Finalizado
Em Aberto
Mortalha das Trevas
Tipo: Principal.
Detalhes: Uma massa de trevas sufocante causa dezenas de mortes no clube Primeiro
de Maio. Não descobriu quem fez. NPC assumiu a ação.
Resultado: Falha Parcial.
Status: Finalizado

Assassinato da Denise
Tipo: Principal.
Detalhes: Denise é encontrada morta em seu apartamento em Santo André.
Resultado: Falha catastrófica.
Status: Em aberto (Possível encontrar por pistas, mas é muito difícil agora que elas
esfriaram)

Le Voyeur
Tipo: Paralelo.
Detalhes: Câmera de segurança do parque filma uma mulher ruiva sugando o sangue
da vitima, enquanto um homem mascarado observa a cena.
Resultado: Falha catrastrófica.
Status: Em aberto (Só vocês pensarem um pouco)

Assassinato do Hunter
Tipo: Paralelo.
Descrição: Hunter morre ao procurar por pistas dos acontecimentos que vinham
acontecendo na região, ele foi pego e morto. Ninguém descobriu quem fez, mas tudo
leva a crer que foi o Jacob após descobrir que o mesmo possui Tecnomancia, porém
não existe nenhuma prova que possa incrimina-lo.
Resultado: Falha completa
Status: Em aberto (É possível incriminar o Jacob ou preferem finalizar o evento?)

Ritualísticas em Cruz
Tipo: Paralelo.
Descrição: Inúmeros rituais onde o ponto central sempre é o refugio de um dos
vampiros do bando.
Resultado: Falha catastrófica.
Status: Em aberto. (Existe a possibilidade de procurar por pistas, pretendem
continuar ou preferem que seja finalizado?)

Compra de criança com Traficante D7


Tipo: Principal
Descrição: Um homem alto e barbudo faz visita ao traficante, tenta domina-lo sem
sucesso e pede corpos. O homem é alvejado por tiros e enterrado, o mesmo se levanta
da cova no dia seguinte.
Resultado: Falha catastrófica
Status: Em aberto. (Vocês tem o vídeo do interessado, com todos os rituais estranhos
pretendem continuar indo atrás?)

Rituais de Luxuria
Tipo: Principal.
Descrição: Rituais que acontecem em festas privadas, sempre o mesmo homem
aparece presidindo a festa.
Resultado: Falha catrastrófica.
Status: Em aberto. (Vocês tem a imagem de quem é agora depende de vocês,
pretendem continuar ou preferem que seja finalizado?)

Ataque a casa de Swing


Tipo: Iniciativa dos jogadores
Descrição: Ataque no bairro Jardins onde capturaram a cria do príncipe e uma
influente Harpia.
Resultado: Sucesso absoluto.
Status: Finalizado

Nomeação de Bispo
Tipo: Iniciativa dos jogadores
Descrição: Jogadores decidem nomear Bueiro para conseguir melhor apoio dentro das
fileiras do Sabá.
Resultado: Sucesso absoluto.
Status: Finalizado.

Morte do Traficante D7
Tipo: Paralelo.
Descrição: Contato do Caio é morto e encontrado esquartejado dentro de um carro na
Avenida Goiás de São Caetano do Sul.
Resultado. Falha catastrófica.
Status: Em aberto (Finaliza o evento ou alguém ainda tem interesse em correr atrás
disso)

Ritual Troca de Corpos


Tipo: Parelelo.
Descrição: A mulher que fazia parte dos rituais de luxúria é capturada pelos
Nosferatu, porém consegue escapar trocando de corpo com sua própria filha.
Resultado: Falha Parcial (A criança continua desaparecida)
Status: Em aberto (é possível continuar o evento desde que vocês procurem mais
informações sobre)

O Brinco
Tipo: Paralelo.
Descrição: Obter informações sobre o misterioso brinco encontrado com os restos de
Denise, morta em seu apartamento.
Resultado: Pequeno avanço
Status: Em aberto

Ruas Escuras
Tipo: Principal
Descrição: Carlos começa a sonhar constantemente que está uma cidade negra e
deserta onde 7 chamas frias dançam.
Resultado: Nenhum
Status: Em aberto
Uma morte não atípica
Tipo: Principal

O Devorador
Tipo: Principal
Descrição: Mestre Esteban sonha que está em um campo onde ovelhas pastam a noite,
é chamado por uma criatura que escala um abismo se fim em sua direção enquanto
julga as intenções de Esteban.
Resultado: Nenhum
Status: Em aberto

PÕE NA TELA, PÕE NA TELA!


Tipo: Principal
Descrição: Fábio, Antônio, Victor e Alonso são “filmados” enquanto fogem de uma
batida policial na Região Central de Santo André após uma denuncia de pratica de
assassinados e canibalismo durante algum tipo de ritual satânico.
Resultado: Falha Parcial
Status: Em aberto
Considerações: Os personagens em questão estão sendo procurados pela polícia no
Estado de São Paulo.

Ataque Tecnocrata
Tipo: Paralelo.
Descrição: Tentativa de captura de criatura não identificada nos arredores do centro
de São Caetano do Sul
Resultado: Falha Parcial.
Status: Em aberto (What Fuck???)

Chamas Verdes Demoniacas


Tipo: Principal.
Descrição: Mestre Esteban tem um sonho estranho com dezenas de pessoas morrendo
em meio a chamas e uma criatura que surge sorrindo diante dos seus olhos.
Resultado: Sem Resultado, pois ainda não aconteceu.
Status: Em Aberto.

Busca e Apreensão
Tipo: Paralelo
Descrição: Ataque tecnocrata feito a membros do bando durante o dia.
Resultado: Sucesso Completo
Status: Finalizado
Considerações: O ataque foi repelido sem baixas para o grupo. Os atacantes foram
extraídos pela equipe atacante.

Operação Vampiresca
Tipo: Principal.
Descrição. Operação da policia federal que bloqueou os bens de todos os vampiros
ricos do bando
Resultado: Falha Catastrófica.
Descrição: Em aberto. (Vocês estão mendigos, provavelmente não vão conseguir por
meios mundanos recuperar o dinheiro e os bens bloqueados)

Monomancia Caio
Tipo: Principal.
Descrição. Jacob pede oficialmente monomancia para o Ductus Caio.
Resultado: Falha Catastrófica.
Status: Finalizado.
Respostas da Enquete do Primeiro Arco
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 1
Assassinato da Denise - Principal
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 9 (56%)
Interromper Evento - 7 (44%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Não custa tentar procurar mais pistas até encontrar o
culpado ou pelo menos o motivo

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Se ainda existem pistas devemos continuar
investigando, mesmo com chances remotas.

Caio (Mega) - Interromper Evento - As duas hipóteses mais prováveis na visão do Caio eram
Denise ter sido morta pelo Dr. Jones:
1ª Denise ter sido morta por algum outro bando(no caso, o do Jacob, para desestabilizar o
bando de Santo André)
No primeiro caso seria impossível pro bando bater de frente contra o Cardeal sem correr o
risco de serem declarados traidores pelo Sabá
2ª No segundo caso seria perigoso e inútil acusar o Jacob pela morte dela na atual conjuntura,
exceto se houvessem provas contundentes e mesmo assim isso só aumentaria o perigo de
realmente ocorrer a guerra civil.

Gabriel (Rafael) - Continuar Evento - Um membro do bando foi morto, o evento não pode
passar em branco.

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Continuar Evento - Estava ocupado com alguns
assuntos pessoais, mas pelo o que o nosso antigo Ductus disse o bando chegou em tempo
recorde até a residencia da Denise que se encontrava muito próximo do refugio comunitário,
talvez a pessoa ainda estivesse na redondeza observando a incursão do bando na esperança
que o pior não tivesse acontecido, temos duas opções a primeira apenas um assassinato por
desentendimentos anteriores e a segunda por motivos ligados a tudo o que ela disse de
estranho sobre Doutor Jones e esse tal brinco. De qualquer forma acho que seria interessante
nos dedicarmos a descobrir quem fez isso e punir nas medidas cabiveis pelo sabá caso ele seja
um membro da seita. Obs. Agora que temos uma sacerdote que veio da região da onde o
brinco foi visto pela primeira vez talvez podemos conseguir algo novo e finalizando, podemos
tentar uma viagem para os EUA para conseguir informações direto na fonte.
Dimitri (Luiz) - Continuar Evento - Claro que devemos continuar, o ductus antigo não deu a
devida importância a esse acontecimento, foi um membro do bando que morreu além de ser a
origem de um brinco que pertencia ao grande Dr. Jones, devemos procurar quem fez isso com
ela e faz-lo pagar assim não demonstrando fraqueza por parte do bando

Henrique Tabbardo (Bruno) - Interromper Evento - Quem é Denise? Quem foi ela de tão
importante ao Sabá, que NUNCA ouvi falar dela exceto quando já estava morta? Mortos não
tem nome no Sabá! Avante Guerreiros de Caim, a Gehenna se aproxima!

João (Boros) - Continuar Evento - Nunca abandonou um companheiro, não deixarei uma
morte impune.

Victor (Rafa) - Interromper Evento - Como as pistas de que precisamos são muito dificeis de
serem encontradas creio que o grupo tem problemas maiores no momento a serem resolvidos.

Alonso (Neko) - Interromper Evento - Ja falhou mesmo, muito difícil encontrar pistas como
descrito.

Giovani (Gui) - Interromper Evento - Não vejo porque gastar tempo e recursos para tentar
encontrar respostas a respeito de um assassinato que faz um tempo que ocorreu e que traria
muito trabalho e nenhuma vantagem para o bando, gostaria de focar em outros objetivos.
Tenho essa opinião parcialmente pq não cheguei a conhece-la pessoalmente logo não criei
laços profundos com ela.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Interromper Evento - Era um ocorrido que
deveriamos ter ido atrás para resolver, mas agora já passou muito tempo e todas as pistas
esfriaram demais.

Anderson (Well) - Continuar Evento - continuar a investigar a morte dela seria uma perda de
tempo para o bando, levando em consideração que temos mais com o que se preocupar. Ela
Morreu! PONTO! Contudo, dois pontos a considerar: 1) ela era do bando, e apesar de não tê-la
conhecido, ela era uma de nós; 2) Ela era uma Assamita, e isso é o mais próximo que tenho de
uma família. Trazer luz sobre a morte dela e da senhora dela podem me dar lucros futuros
com ao convento de SP. Algo a se considerar…

Ellie (Mega) - Continuar Evento - A morte de um membro do Bando não pode ficar impune
(na verdade pode se quem matou for muitoooooo poderoso e matar a gente antes), mas não
saber que pessoa ou pessoas fizeram isso com ela e nem ao menos tentar se vingar não é algo
digno de membros do Sabá e se alguém do bando achar o contrário é muito bem vindo a cair
fora do bando antes que contamine o resto do grupo com essa atitude.

Estéban (Well) - Continuar evento: perdas não serão aceitas neste bando! (pancada sêca em
cima da mesa, com o punho cerrado). Estamos cansados de perdas: de território, de irmãos,
de prestígio, de honra. Devemos nos focar: dividir para conquistar. Temos muitos objetivos,
mas também somos muitos, com ideias divergentes. Vamos nos agrupar por afinidades de
tarefas e resolver cada um de nossos problemas, ouvir a opinião de cada um e executar a
maior retomada que um bando já efetuou. Allah me impôs o fardo da eternidade, mas me
acalentou com a capacidade de ser inclemente com o que eu considero errado e indigno. As
mortes de nossos irmãos são indignas; somente nossos líderes podem decidir, através de um
julgamento justo, pela morte de um irmão. Esse é o princípio do Sabá desde que nasceu, e eu
não permitirei que essa palhaçada continue. Somos o Sabá, a orgulhosa Espada de Caim, ou
somos vermes?

Antonio (Léo) – Interromper Evento – A investigação da morte dela devería ter sido feita
quando os rastros ainda estavam quentes e quando uma retaliação seria possível. Agora
teriamos que gastar tempo, energia e recursos que não temos. Temos problemas maiores e
mais urgentes. Acredito que é mais produtivo focar no assassinato de Hunter.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 2
Assassinato no parque Celso Daniel - Paralelo
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 6 (38%)
Interromper Evento - 10 (63%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Já tem o video com a mulher q matou a mortal, só
basta investigar pra descobrir as identidades deles.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Interromper Evento - Minha justificativa é: Sou apaixonado por
ruivas então podem fechar.

Caio (Mega) - Interromper Evento - Como aquilo parece ser um evento isolado e nem o
Esteban, Gabriel ou o Henrique acusaram ter indícios de qualquer sinal de infernalismo, não
vale a pena se aprofundar nisso, ainda mais que não houve novas mortes iguais a essa. Caso
tenha sido parte da estratégia do Jacob para desestabilizar o bando isso também não irá mais
se repetir devido a vitória dele na Monomancia.

Gabriel (Rafael) - Interromper Evento - Não vejo relevancia.

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Interromper evento - Pelo o que vocês contaram
assim que retornei que o Jacob estava usando de terror psicológico para acoar o bando,
usando pessoas mascaradas para deixar corpos, fica claro que quem fez isso foi ele usando
essa garota ruiva que não conhecemos junto com esse homem mascarado, acho que podemos
usar isso a nosso favor caso seja necessário. Agora que a região não é mais nossa não devemos
mais nos preocupar com algo tão banal.

Dimitri (Luiz) - Interromper Evento - Esse foi o inicio de todos os assassinatos de uma forma
creio que estejam ligados a esse, mas ja faz muito tempo julgo impossível achar alguma pista

Henrique Tabbardo (Bruno) - Interromper Evento - Jogue a culpa no gado e o resto é resto.

João (Boros) - Interromper Evento - A menos que ache ligação com mais morte, não
deveriamos gastar tempo com uma morte aleatoria.

Victor (Rafa) - Continuar Evento - Este caso ainda é possivel procurarmos por pistas e o mais
importante descobrirmos se este homem mascarado é alguem em especial.

Alonso (Neko) - Continuar Evento - Não conheço muito do caso, mas é intrigante, continue.
Giovani (Gui) - Interromper Evento - Não participei do evento e não vejo motivos para
continua-lo.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Interromper Evento - Aparentemente isso deve ser
coisas dos planos do Jacob mesmo. Agora conversamos muitas coisas com o bando estamos
delimitando nossas prioridades e essa não é mais uma delas.

Anderson (Well) - Continuar Evento - Nada me tira da cabeça que tudo faz parte do plano
megalomaníaco do Jacob de ser algo mais do que ele realmente é. Moleque esperto do
caralho... Aquela ruiva, tenho quase certeza que é a mesma do bando dele. Mas sem provas
por enquanto.

Ellie (Mega) - Continuar Evento - Acho que está mais do que na hora de termos uma conversa
com o Jacob, afinal se as mortes no 1º de Maio e os corpos na frente do refúgio comunitário
do bando foram coisa dele, é bem capaz que isso tabém seja (afinal não custa nada perguntar
não é mesmo?). Se não for ele ou o bando dele aí a gente vai ter que pensar em alguma outra
coisa(mas vamos dar um passo de cada vez OK?)

Estéban (Well) - Continuar evento: até quando permitiremos que dancem em nossos
traseiros?
Por conta de inércia, perdemos dois integrantes e nosso Ductus foi julgado indigno por uma
monomancia! Fomos manipulados... seres com décadas, séculos de existência, manipulados e
tratados como crianças... chega.

Antonio (Léo) – Interromper Evento – Se esse assassinato foi uma atitude oriunda do Jacob,
não importa mais, agora que ele venceu a Monomancia sobre o Caio. Caso o responsável seja
outro, essa morte não nos prejudicou diretamente e aparentemente foi isolada. Além disso,
existe a possibilidade de que, apesar do fato de ter acontecido no nosso território, essa morte
tenha sido algum assunto pessoal de um Cainita qualquer. Nós não somos o centro do
universo. De qualquer forma, não acredito que devemos gastar nossos recursos escassos para
lidar com um assassinato que aparentemente não nos impactou em nada, e se de fato
impactou, com o resultado da monomancia, virou águas passadas. Caso seja decidido
investigar o assunto, acredito que o ideal é falar abertamente com Jacob. Se não cada peido
de mosca que acontecer iremos voltar a esse looping de que é tudo parte do plano dele para
nos prejudicar, o que ele já conseguiu.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 3
Assassinato do Hunter - Paralelo
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 12 (75%)
Interromper Evento - 4 (25%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Como o Jacob é agora o Ductus do bando, acho que
fica mais facil procurar pelas pistas.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Outra ponta solta, meu voto é por
continuar o evento com provas ou sem provas.

Caio (Mega) - Interromper Evento - Vale o mesmo que foi falado sobre a morte da Denise
com relação a ter sido causado pelo Jacob(risco de guerra civil). Tirando esse fato, mesmo
que não tenha sido o Jacob e seu bando, o fato de não termos achado nada até o momento
indica que fomos incapazes(ou o assassinato foi muito bem feito) de achar qualquer pista
sobre isso.

Gabriel (Rafael) - Continuar Evento - Um membro do bando foi morto, o evento não pode
passar em branco

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Continuar Evento - é de suma importância coletar
provas que quem matou o Hunter foi o Jacob (pelo o que tudo indica com relação ao uso do
celular e outras coisas), já que levar a morte final outro membro do sabá é crime e a punição
é a morte final. Se tivermos provas teremos o Jacob na mão.

Dimitri (Luiz) - Continuar Evento - Idem ao caso da Denise, fora que após confirmarmos que
Jacob pode controlar equipamentos eletrônicos ele passa a ser meu suspeito numero um, uma
boa forma de por na bunda dele pelo que fez com Caio e com Hunter.

Henrique Tabbardo (Bruno) - Interromper Evento - Os mais fracos caem. é a lei natural.
Sabás Verdadeiros buscam a vingança, não o sofrimento. saiba quem o matou, e caçaremos
juntos.

João (Boros) - Continuar Evento - Nunca abandonou um companheiro, não deixarei uma
morte impune, principalmente com chance de ser culpa do Jacob.

Victor (Rafa) - Interromper Evento - Como não temos nenhuma prova concreta de que foi o
jacob que cometeu este ato,prefiro assim finalizar o caso.
Alonso (Neko) - Continuar Evento - Incriminem Jacob, não gosto dele mesmo.

Giovani (Gui) - Continuar Evento - Mesmo que eu não tenha conhecido o hunter acredito que
seria interessante continuar este evento para encontrar pistas para encontrar o Jacob.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Interromper Evento - A principio o Hunter descobriu
coisas que poderiam ser importantes para uma possivel investigação nossa, mas assim como o
evento do Celso Daniel, fica muito dificil retomar as investigações. Quanto a morte dele, ele
nao sabia com que estava lidando, talvez devesse ter pedido ajuda, mas....

Anderson (Well) - Continuar Evento - eu diria que não deveríamos nos ater ao passado e
tentar esquecer essas mortes, honrando-os. Porém, recentemente descobrimos as capacidades
do Jacob em controlar equipamentos eletrônicos... Cara, precisamos de provas. Urgente!

Ellie (Mega) - Continuar Evento - Tirando a questão do brinco vale a mesma coisa que foi dita
sobre a morte da Denise, ALÉM de termos que ver até onde o Jacob está metido nisso, afinal
de contas, se ele matou alguém do bando ANTES da Monomancia isso não pode ficar por isso
mesmo, afinal não estamos na Camarilla pra matarmos uns aos outros pelas costas por um
pouquinho de poder não é mesmo?

Estéban (Well) - Continuar evento: Denise... Hunter... Caio. Terão de morrer outros para
que façamos alguma coisa? Encontrem os bastardos que fizeram isso conosco, os levem até o
cardeal com provas e a exigência de que a dívida seja paga.

Antonio (Léo) – Continuar Evento – Esse evento é importante não somente para vingar honrar
a morte de um membro do bando. O mais importante aqui é saber as informações que Hunter
possuia quando morreu. Essas informações podem provar todas as nossas acusações ao Jacob,
assim como desvendar a morte de Denise. É o único assassinato que se investigado pode trazer
algo de concreto, e não somente vingança.

------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 4
Mortes Ritualisticas em Cruz - Paralelo
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 14 (88%)
Interromper Evento - 2 (12%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Procurar mais pistas e pedir ajuda para quem tem
conhecimento da área.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Voto pela continuação do evento, parece
simples de conseguir sucesso não sei porque o bando não fechou isso ainda!?

Caio (Mega) - Continuar Evento - Tentar traçar um padrão desses ataques é vital para o
bando determinar quem ou o que está fazendo isso e qual o seu propósito, e principalmente,
saber qual o propósito de tudo isso. Tentar fazer com que os especialistas em infernalismo do
grupo tenham alguma pista sobre isso para que o resto do bando saiba como ajudar

Gabriel (Rafael) - Continuar Evento - O refugio dos membros do bando eram o centro da
cruz... é algo pessoal.

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Continuar Evento - Precisamos saber porque a
intersecção da cruz sempre é o refugio de um dos membros do nosso bando. Creio que seja
urgente descobrir o motivo da pessoa ou grupo estar nos marcando no mapa.

Dimitri - (Luiz) - Continuar Evento - É claro que devemos continuar, isso está acontecendo
em nosso território, como isso acontece e vamos ficar de braços cruzados, devemos descobrir
quem está causando isso em nossa cidade e puni-los exemplarmente para mostrar a força do
bando.

Henrique Tabbardo (Bruno) - Continuar Evento - Totalmente infernalista. Deve ser


investigado e sempre lembrado como uma marca de perversidade que nos assola
invisivelmente. Temam! Pior Inimigo que o próprio Anjo Caído não há!

João (Boros) - Continuar Evento - Não parece que as mortes iram parar, devemos cortar o
mal pela raiz antes que algo pior aconteça.

Victor (Rafa) - Continuar Evento - Acho importante continuarmos esse caso pois
simplesmente envolve um dos membros de nosso grupo.

Alonso (Neko) - Interromper Evento - Não acho que valha o esforço de ir procurar pistas
sobre isso.

Giovani (Gui) - Continuar Evento - Deveriamos procurar os culpados destes eventos para que
nossos refúgios possam se tornar mais seguros.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Interromper Evento - Nao conseguimos achar
informações relevantes quando estavam acontecendo e agora sabemos que foram tudo parte
de um plano do Jacob. Águas passadas.

Anderson (Well) - Continuar Evento - Gente, isso tudo é coisa do Jacob!!! Putamerda, só eu
que consigo ver isso??? Talvez o Carlos... enfim.

Ellie (Mega) - Continuar Evento - Se não foi o Jacob e o bando dele que está metido nisso(o
que eu acho meio óbvio) pra aterrorizar o grupo, isso significa que tem alguém que sabe onde
o pessoal mora e está fazendo isso por algum motivo, seja qual for a gente tem que saber qual
é antes que um de nós acabe virando alvo desses assassinatos ou coisa pior(e não me pergunte
o que poderia ser pior que morrer, não pretendo descobrir).

Estéban (Well) - Continuar evento: Meus caros, até para o velho ultrapassado que vos fala
está evidente que tudo isso foi um belo arquitetado complô para nos desestabilizar, e
conseguiram. Jacob já disse que foi ele. Parabéns ao pequeno, se provou inteligente e um
valoroso companheiro da Espada. Mas nosso bando precisa de provas! Quando houver um
momento de vacilo, cairemos sobre suas cabeças como as guilhotinas de Robespierre, e
queimaremos suas carnes pútridas como as fogueiras de Torquemada, aquele bastardo!

Antonio (Léo) – Continuar Evento – Se os refugios do bando estão sendo alvos, fica claro que
esses rituais são uma ameaça. Prefiro prevenir do que remediar, portanto devemos investigar
antes que o proposito desses rituais se concretize.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 5
Rituais de Luxuria - Principal
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 12 (75%)
Interromper Evento - 4 (25%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Como já temos pelo menos a imagem do organizados
podemos nos aprofundar mais.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Evento principal e, ao que me parece, com
boas chances de sucesso. Let's roll!

Caio (Mega) - Interromper Evento - Até agora não temos nenhuma prova de que isso esteja
nos causando algum mal, não precisamos ir atrás de mais problemas do que já temos.

Gabriel (Rafael) - Continuar Evento - Devemos saber o que estão fazendo em "nosso
terrirório"

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Interromper Evento - Não estamos envolvido
diretamente, então não devemos concentrar nossos esforços no momento em algo que não é
do nosso interesse direto, se por um acaso tivermos tempo disponivel podemos ir atrás, caso
contrário temos outras prioridades.

Dimitri (Luiz) - Continuar Evento - Acho que todos esses assassinatos, rituais, sonhos do
mestre Esteban, possessões demoníacas estão todos interligados e que ao descobrirmos um
iremos ter facilidade para solucionarmos os outros, alem de já termos a imagem de uma das
pessoas que o presidem

Henrique Tabbardo (Bruno) - Continuar Evento - Outra prova de corrupção infernal.


Clássico.

João (Boros) - Interromper Evento - Enquanto mortais se matam, a policia que se vire com
isso.

Victor (Rafa) - Continuar Evento - Acho que devemos seguir em frente com este caso pelo
menos até descobrirmos se este homem tem algum plano ou algo msiterioso,do contrario acho
que pode ser finalizado
Alonso (Neko) - Continuar Evento - Se já esta quase finalizada por que não continuar?

Giovani (Gui) - Continuar Evento - Sinceramente não vejo motivos para não continuar e nem
para deixar por isso mesmo, por mim seria até interessante procurar a solução deste evento
para ver se ele possui relação com outro acontecimento importante ou inimigo nosso.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Continuar Evento - Até onde eu sei o Antonio estava
com esse caso em mãos, estava até criando um puteiro de luxo...só temos que ver como isso
se seguirá, já que a maioria dos recursos do grupo não estão disponiveis no momento.

Anderson (Well) - Interromper Evento -Gente trepando entre eles é bacana de se ver. Talvez
nem tanto se for com jumentos eunucos ou serpentes marinhas, mas... gente, tô meio
perdido aqui: Por que nos importarmos com isso??? Qual a relação conosco ou com algum
problema nosso? Sei lá, enquanto não me mostrarem que temos algo a ganhar ou NÃO PERDER
indo atrás disso, pra mim continuará sendo uma perda de tempo.

Ellie (Mega) - Continuar Evento - Nós temos o rosto do cara que está por trás disso, isso já é
uma coisa muuito importante, agora só temos que arranjar um meio de conseguir descobrir o
nome do indivíduo. O Victor com as suas conexões com a polícia seria minha primeira opção,
mas como ele é um canibal assassino procurado nacionalmente acho que vamos ter que apelar
pros Nosferatus.

Estéban (Well) - Continuar evento: (com uma calma assustadora) Estou perdido nisso aqui,
mas os sinais são evidentes de que algo grandioso e irremediávelmente terrível está para
acontecer. Tento relacionar com as visões que eu e Carlos tivemos, mas por enquanto tudo
não passa de vento. Irei atrás de respostas, e preciso de pessoas que estejam dispostas a
encontra-las, assim como eu estou. Um humilde servo do Sabá pede auxilio aos seus irmãos.
Me chamem de louco, de paranóico, mas ouçam: o tempo do medo já passou. Agora é tempo
de viver... e viver é achar respostas, estando preparado para o que virá.

Antonio (Léo) – Continuar Evento – Pensando de um modo simples, esses rituais não estão nos
prejudicando e temos assuntos mais importantes com os quais precisamos dividir nossa
atenção e recursos. Porém esse evento é um dos poucos que temos alguma pista mais
concreta e clara, além de estar relacionado ao evento de troca de corpos, que é mais
intrigante ainda. Acredito que se pudermos investigar paralelamente, talvez possamos
descobrir que esse ritual está ligado a algo maior. Pode ser uma informação valiosa.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 6
Compra de criança com Traficante D7 - Principal
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 8 (50%)
Interromper Evento - 8 (50%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Já temos o vídeo podemos ver quem pode nos dizer
para quais finalidades são esses rituais.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Evento principal, alguém precisa ir atrás
disso urgente!

Caio (Mega) - Continuar Evento - Tanto isso como a morte do D7 parecem ser a obra de uma
só pessoa, além disso como o bando pretende estabelecer uma base de influência lá é
imperativo saber quem era tal pessoa (ou pessoas) por trás desses atos e sua motivação. Matar
ou afastar essa(s) pessoa(s) e garantir o domínio da região parece ser a melhor coisa a se fazer
para ganharmos uma base de operações de suma importância na cidade de São Paulo.

Gabriel (Rafael) - Interromper Evento - Ele que se foda!

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Interromper Evento - Existem loucos para tudo e no
mundo mundano e no mundo do sobrenatural só existem loucos com obsessões e loucuras,
sabemos que ele levantou da cova de dia, logo estamos procurando sarna para se coçar, ele
não é vampiro, tomou tiros e levantou, vamos deixar a sociedade dele caca-lo e não devemos
perder tempo com isso.

Dimitri (Luiz) - Continuar Evento - Compra de escravos humanos, assassinatos em cruz rituais
em festas luxuriantes, possessões demoníacas, será que só eu que acha que tudo está
interligado?

Henrique Tabbardo (Bruno) - Continuar Evento - Mais e mais provas... almas fracas e
submissas para rituais de maior poder, e maldade...

João (Boros) - Continuar Evento - Crianças não são gados, devemos acabar com a
abominação que se alimenta de algo tão puro.

Victor (Rafa) - Interromper Evento - Este evento pode ser finalizado pois o contato foi morto
mesmo e acho que é um pouco dificil acharmos um contato que nos diga o que aconteceu
exatamente com o D7
Alonso (Neko) - Interromper Evento - Não parece ser muito interessante.

Giovani (Gui) - Interromper Evento - Com a morte do traficanye D7 acredito que este evento
se tornou mais dificil de procurar pistas, por mim não continuaria neste evento.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Continuar Evento - Esse evento precisaria de uma
atenção maior. Esse cara das crianças deve estar por trás do pessoal da baixada que dominou
a favela. O meu contato no Heliópolis não é tão influente como do Caio era, mas deveriamos
analisar melhor, para nao termos surpresas no futuro.

Anderson (Well) - Interromper Evento - Cara, o Estéban vai querer me matar, mas foda-se:
isso vai nos levar a quê? Sinceramente, é perda de tempo!

Ellie (Mega) - Interromper Evento - A não ser que alguém consiga descobrir qual a relação
que isso tem a ver conosco ALÉM do fato de que o tal do D7 ser um contato do ex-Ductus eu
não vejo motivos pra gente se meter nisso, estamos com muitos problemas em cima da gente
pra ficar se enfiando em mais um sem nem ao menos saber o motivo.

Estéban (Well) - Continuar evento: Infernalismo, sim... os símbolos estão evidentes a quem
os conhece. Tem relação com os Luxuriosos? Acredito que sim... crianças são o elo de ligação
entre esses casos. Mas por quê crianças?

Antonio (Léo) – Interromper Evento – Apesar de a criatura tentando comprar as crianças ser
muito intrigante e estranha, acredito que não podemos perder tempo com isso.
Aparentemente isso não nos afeta. Esse evento e a morte do D7 podem estar ligados, porém
eu e o Caio fomos até a favela depois e a mulher que tomou a posição do D7 garantiu que a
situação está sobre controle e que ainda podemos fazer negócios normalmente. O mortal no
comando mudou, mais o contato permanece.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 7
Morte do Traficante D7 - Paralelo
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 5 (31%)
Interromper Evento - 11 (69%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Falar com a mulher da favela (atual lider) descobrir
qual era a relação dela com o D7, e descobrir os possíveis inimigos e o motivo

William "Will" Bonfigli (Duz) - Interromper Evento - Pelo que eu entendi o contato D7 não vai
ser muito relevante, justificando a Q.6.

Caio (Mega) - Continuar Evento - Vale a mesma resposta da pergunta anterior.

Gabriel (Rafael) - Interromper Evento - Alguém se importava com ele?

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Interromper Evento - Não acredito que vocês
pensaram em procurar qualquer coisa referente a este caso, ele deu tiros em uma criatura
sobrenatural, logo essa criatura provavelmente iria querer vingança, vocês provavelmente
fariam a mesma coisa. Bom estou apenas fazendo uma suposição maluca, mas temos a opção
simples ele deve ter um monte de inimigos mortais e temos 20 milhões de habitantes na
região da Grande São Paulo ou vocês procurem um método rápido para ler a mente de
milhares ao mesmo tempo ou deixamos a policia tratar de mortes de mortais.

Dimitri - (Luiz) - Interromper Evento - Acho que esse tipo de coisa é normal acontecer entre
traficantes, há não ser que esteja ligado ao "cadáver ambulante" que apareceu na favela

Henrique Tabbardo (Bruno) - Interromper Evento - Eu não ligo.

João (Boros) - Interromper Evento - Não tenho interesse nenhum de me intrometer em uma
guerra de gangues.

Victor (Rafa) - Interromper Evento - Este evento pode ser finalizado pois o contato foi morto
mesmo e acho que é um pouco dificil acharmos um contato que nos diga o que aconteceu
exatamente com o D7.

Alonso (Neko) - Continuar Evento - Acho de deveria continuar para descobrirmos quem
mataria o informante do Caio.

Giovani (Gui) - Interromper Evento - Imagino que o maior frustado com esse evento foi o
Caio, como o Caio morreu não vejo porque persistir neste caso.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Interromper Evento - a morte em si é irrelevante. só


devemos ficar de olho nas movimentações na favela.

Anderson (Well) - Continuar Evento - Hmmm... isso me intrigou um bocado. Não sei...
Velho, como atraímos merda!

Ellie (Mega) - Interromper Evento - Vale a mesma resposta que a anterior.

Estéban (Well) - Continuar evento: Consequência das ações do D7... chegando no desmorto,
chegaremos na resposta.

Antonio (Léo) – Interromper Evento – D7 era um traficante. Ele ser assassinado não é
nenhuma surpresa. Pode estar ligado com a criatura comprando crianças, ou pode ser um de
seus inimigos. Como explicado na pergunta anterior, D7 era um contato com recursos valiosos.
Ele morreu, porém uma outra pessoa assimiu sua posição e temos boa relação com a mesma.
Ainda temos o contato e eu posso intermediar as negociações quando os recursos que ele
disponibilizava forem necessários.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 8
Ritual Troca de Corpos
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 9 (56%)
Interromper Evento - 7 (44%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Procurar mais informações sobre esse tipo de ritual,
falar com os Nosferatus sobre a tal mulher e com a filha que foi trocada de corpo.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Interromper Evento - Não tenho justificativa, prefiro
interrompar pra "limpar o cache", tem muita coisa rolando.

Caio (Mega) - Continuar Evento - Tentar analisar e achar mais informações com base no que
já sabemos é a melhor coisa a se fazer antes de decidirmos parar ou não a investigação.

Gabriel (Rafael) - Continuar Evento - Este evento pode estar ligado com os rituais citados
acima.

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Interromper Evento - Sabemos que esta
diretamente ligado com aqueles rituais de luxuria que não nos diz respeito, vamos nos
esforçar em procurar coisas que são do nosso respeito.

Dimitri (Luiz) - Continuar Evento - Não aconteceu em nosso território então não é problema
nosso, mas entidade sendo aliada de um dos nossos inimigos ou estando ligada a todos esses
crimes que aconteceram aqui muda toda a história, de qualquer forma acho que mestre
Esteban irá querer averiguar, e como bando o apoiaremos.

Henrique Tabbardo (Bruno) - Continuar Evento - Comecarei a agir por conta própria.
Ninguém dá a mínima para os sinais da Besta que ocorrem, mas ainda assim devo honrar meu
legado como Caçador de Infernalistas. É realmente uma pena que eu esteja sozinho nessa
empreitada... Adoraria ter meu ba ndo a meu lado quando for caçar o traidor.

João (Boros) - Interromper Evento - Não tenho a minima ideia do que foi isso e nem
pretendo me intrometer.

Victor (Rafa) - Interromper Evento - Não acho que devemos nos preocupar com os
nosferatu,pois acho que temos problemas mais importantes

Alonso (Neko) - Interromper Evento - Pessoalmente não acho q este caso mereça atenção.
Giovani (Gui) - Continuar Evento - Esses rituais podem se tornar perigosos em mãos erradas
além, por isso desejo investigar mais a respeito. Quem sabe isso me leva a encontrar pistas de
outro caso.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Interromper Evento - Sinceramente nao entendo
dessas coisas ritualisticas e até onde eu sei perdemos qualquer informação que nos leve a
desvendar isso. Se acontecer novamente e for relevante, vamos atrás.

Anderson(Well) - Interromper Evento - Velho, essa porra me assusta um bocado. Por mim, a
gente isola essa porra. Deixe pro Estéban ou o Rodolfo se meterem nessa merda. Por mim, eu
tô fora!

Ellie (Mega) - Continuar Evento - Achar a criança pode nos dar muitas dicas sobre quem está
fazendo isso e porque, então acho que já está na hora da gente botar uns cartazes de criança
desaparecida por aí e ir atrás dela antes que fiquemos de mão abanando(de novo pra variar).

Estéban (Well) - Continuar evento: Não tenho certeza se trata-se de infernalismo aqui, mas
há algo muito sinistro por tras disso. Forças imensas são necessárias para ações como esta, e
por mais que não tenhamos evidências, devemos prosseguir as investigações…

Antonio (Léo) – Continuar Evento – Acredito que podemos tentar progredir com esse evento.
Não tempos recursos sobrando e ele não apresenta risco imediato ao grupo porém o mesmo
está diretamente ligado aos rituais de luxuria e pode nos render conhecimentos valiosos.
Devemos usar de nossos contatos e lacaios para esse evento não focando nosso tempo neles.
Anti play reasons: - To ligado que o personagem do Bruno (Henrique?) vai querer investigar
isso anyway; - Além disso essa mulher parece ser muito valiosa, o que ela sabe ou fez que é
tão importante? - É um dos eventos mais interessantes. hahaha
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 9
O Brinco - Paralelo
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 9 (56%)
Interromper Evento - 7 (44%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Depois que o Carlos voltar, pegar o brinco de volta e
levar pra alguem que tenha conhecimento sobre coisas sobrenaturais.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Um dos poucos eventos que eu tenho
alguma informação, portanto eu voto em continuar.

Caio (Mega) - Interromper Evento - O Carlos levou o brinco embora. Até mesmo o Dr. Jones
parece não gostar desse objeto. Não temos a mínima ideia de como faze-lo ativar e nem se
isso é seguro. Em resumo: o brinco não nos faz nenhum mal longe daqui e não faz bem
nenhum perto de nós

Gabriel - (Rafael) - Continuar Evento - Pode ter alguma relação com o assassinato da denise.

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Continuar Evento - Estava cansado do Caio dizer
que não devemos ir atrás desse brinco, até mesmo o doutor Jones dizer que ele trás a morte
para o portador e para as pessoas próximas, se é que podemos nos considerar pessoas,
definitivamente eu discordo, isso já passou pela orelha de muitos como o próprio cardeal disse
e foi encontrado na orelha da Denise quando ela foi morta. Devemos conseguir todas as
informações possiveis sobre este brinco. Ele não é deste planeta e se é não foi criado por
seres humanos, talvez tenhamos um artefato unico e poderoso na mão que poderá ser usado
pelo bem do sabá e nosso próprio bem. Eu vou continuar procurando por respostas, com ou
sem a ajuda de vocês

Dimitri - (Luiz) - Continuar Evento - Tudo depende do Carlos pois os brincos estão no poder
dele, um dos motivos de sua presença no bando ser necessária o mais rápido possível.

Henrique Tabbardo (Bruno) - Interromper Evento - Que brincos? Aqueles que foram
ignorados por todos o tempo todo? Onde eles estão mesmo?

João (Boros) - Continuar Evento - Como tem relação com a morte da denise, devemos
continuar a procurar respostas.

Victor (Rafa) - Continuar Evento - Devemos prosseguir com este evento até quando
soubermos que tipo de magia este brinco possui
Alonso (Neko) - Continuar Evento - Acho interessante continuar esse pois ainda tive alguma
atuação e fiquei meio intrigado no que são os brincos.

Giovani (Gui)- Interromper Evento - Caso o evento do assassinato da Denise continue imagino
que o brinco seja fundamental para sua solução do assassinato.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Interromper Evento - Temos que nos livrar desses
objetos, ninguem sabe o que faz, só que aparentemente dá muito azar para quem o
porta......e o que menos precisamos agora é má sorte.

Anderson (Well) - Interromper Evento - Nhé... perda de tempo, AGAIN!!!!

Ellie (Mega) - Continuar Evento - Eu tenho medo de mexer com uma coisa que mesmo os
figurões não entendiam NADA sobre, mas já isso está no MEU caminho(e pior, na orelha do
CARLOS) preciso ajudar eles a descobrirem tudo que for possível sobre esse brinco antes que
ele mate o Carlos(e o seu futuro livro junto) e se bobear isso ainda vira uma arma na nossa
mão(não custa nada ser otimista!!!)

Estéban (Well) – Interromper Evento: Acho que isto se tornou a missão do Carlos, e se ele nos
trouxer respostas, ótimo. Que ele siga seu coração…

Antonio (Léo) – Interromper Evento – Esse evento está ligado com a morte da Denise, porém
esses brincos até o momento só serviram para nos distrair e perder tempo. Devemos focar
nossos esforços na investigação da morte do Hunter, caso consigamos progredir, acredito que
a morte da Denise e esses malditos brincos poderão se tornar relevantes.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 10
Ruas Escuras - Principal
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 13 (87%)
Interromper Evento - 2 (11%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Fazer uma hipnose com o Carlos para que ele nos conte
mais detalhes sobre a cidade, placas, lojas, lugares, alguns objetos.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Minhas justificativas acabaram, vocês
entenderam onde eu quero chegar né? Muito bem.

Caio (Mega) - Continuar Evento - Caso o Esteban julgue ser muito importante tentar saber
algo sobre isso, devemos investigar. Porém se não tivermos nenhuma pista e logo devemos
esquecer dessa história de sonhos fantásticos e ir atrás de problemas mais urgentes.

Gabriel (Rafael) - Continuar Evento - Alguma coisa pode estar se comunicando com o Carlos

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Continuar Evento - Não posso garantir que isto
esteja ligado com o brinco com tudo que aconteceu com meu pai no passado. De qualquer
forma eu vou continuar procurando por informações sobre isso.

Dimitri (Luiz) - Continuar Evento - Mais uma vez acho que está ligado há algumas das
mortes.

Henrique Tabbardo (Bruno) - Continuar Evento - Se nem o sonhador corre atrás do sonho, o
sonho não é real. Presságios com o numero 7 advertem para forças divinas, conforme
escrituras antigas, pois sete é o numero perfeito. Talves algum aliado silenciado, ou alguma
mensagem de advertencia. Não é da minha conta.

João (Boros) - Interromper Evento - Sem Carlos, sem pistas, logo ele decide isso quando
voltar.

Victor (Rafa) - Abdicou da Resposta

Alonso (Neko) - Continuar Evento - Parece ter algo a ver com os sonhos do Esteban, então
continua, já que também quero que o outro continue.

Giovani (Gui) - Continuar Evento - Não me recordo se alguem do bando alem do Carlos tinhas
essas visões Caso o Carlos seja o único com essas visões não há sentido continuar esta missão,
porém acredito que ela traria respostas fundamentais para o bando. No caso de alguem estar
tendo essas visões acredito que deveriamos investir em pesquisar mais a respeito.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Continuar Evento - Como o Carlos estava com os
brincos da "má sorte", talvez seja esse o responsável. Mas de qualquer jeito esse sonho e o do
Mestre esteban podem estar ligados......melhor nao ignorar totalmente esses "sinais".

Anderson (Well) - Interromper Evento - Coisa do Estéban. NEXT!!!!

Ellie (Mega) - Continuar Evento - Considerando quem o Carlos é, as pessoas com quem ele
anda e o passado dele, acho melhor a gente descobrir mais alguma coisa sobre esse sonhos
bizarros(que podem estar até ligados com o brinco da morte), e assim quem sabe até ajudar
ele a escrever outro livro também! :)

Estéban (Well) - Continuar evento: Minha missão começa aqui. E isso é tudo.

Antonio (Léo) – Continuar Evento – Esse evento é com o Carlos e o Mestre Esteban. Acredito
que a iniciativa dos dois para revelar se isso é algo relevante ou não é necessária antes que os
demais possam colaborar de alguma forma.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 11
PÕE NA TELA, PÕE NA TELA!!! - Principal
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 13 (81%)
Interromper Evento - 3 (19%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Ver com algum policial (carniçal/amigo/vampiro) sobre
quem fez a denuncia e ir atras.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Interromper Evento - Que se foda os caras.

Caio (Mega) - Continuar Evento - Ter 4 membros do bando acusados de um crime bárbaro em
cadeia nacional é uma completa desgraça pra um bando que não faz questão nenhuma de
ficar famosos(exceto feita ao Carlos), ainda mais quando perdemos nosso informante dentro
da polícia no processo. Merece ser tratado com prioridade máxima

Gabriel - (Rafael) - Interromper Evento - Se não houve problemas, para que se preocupar?

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Continuar Evento - Alguém quer torna-los inimigos
público e esse alguém conseguiu com sucesso absoluto, espero que ninguém tenha
reconhecido, porque se reconheceu acho que a identidade original acaba de ser destruida.
Precisamos saber quem fez isso e porque, só não sei como começar.

Dimitri (Luiz) - Continuar Evento - Estão tentando prejudicar o bando novamente e isso não
ficará assim, temos que dar uma averiguada nesses tais rituais.

Henrique Tabbardo (Bruno) - Continuar Evento - Evento tecnocrata poderoso que merece
nossa total atenção. Caim nos abençoa com um mestre entre os Tzmisce para camuflar nossas
faces entre o rebanho estupido. Não resta dúvida que, ou foi algo tecnocrata, ou algo do
jacob, mas sem provas, não há culpados.

João (Boros) - Continuar Evento - Fazer mortais parecerem com os vampiros caçados e caçar
os culpados.

Victor (Rafa) - Interromper Evento - Este evento deve ser prosseguido apenas de maneira
cautelosa para não sermos identificados por nenhuma autoridade.

Alonso (Neko) - Continuar Evento - Jurava que isso tinha algo a ver com os Tecnocratas,
quero continuar pra ver o porque de estarem nos perseguindo.
Giovani (Gui) - Continuar Evento - É fundamental encontrar os culpados dos casos de
canibalismo porque sinão os membros do nosso bando estarão muito expostos e isso gerará
problemas para todos (posso afirmar que tenho um pensamento um pouco egoista no caso,
porque posso acabar tendo que sair totalmente do emprego caso o grupo inteiro se torne
cumplice e tenhamos que fugir). Obs: Ainda me lembro que minha licença esta sendo caçada,
porém não é por isso que eu vou desistir.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Continuar Evento - Uma situação nada agradavel e
ainda estou sendo procurado pela policia. Isso merece uma atenção, pois nao sabemos quem
pregou essa para nós e porque para algumas pessoas especificas.

Anderson (Well) - Continuar Evento - Caralho... esse Jacob é muito esperto! Fode com os
membros do bando pra que eles não saiam por aí, dando as caras... Temos que limpar a cara
do bando. Só não sei como. Pessoal, e se o Dmitri mudasse a cara de vocês? Identidade é fácil
de se conseguir... basta paga... rem... opa, estamos sem grana, né? Putz... e o caminhão de
merda ainda não terminou de despejar a carga. Isso é algo no qual precisamos trabalhar... não
sei como, mas precisamos.

Ellie (Mega) - Continuar Evento – Acho que a Camarilla está envolvida nisso também, botar 4
dos nossos pra serem caçados pela polícia é tudo o que a gente NÃO precisava agora. Mas não
sei porque ainda acho que o alvo principal é o Victor, afinal do bando ele era o cara com os
contatos mais úteis junto com o Carlos e o Caio pelo que eu soube. Precisamos achar um meio
de inocentar eles ou começar a fazer novos rostos pro pessoal (Ellie estrala os dedos).

Estéban (Well) - Continuar evento: Como eu disse: dividir para conquistar. Nosso Ductus,
nosso general, deverá centralizar seus esforços para este propósito, além de trazer luz ao caos
das mortes e desmoralizações de nosso bando. Dividir para conquistar.

Antonio (Léo) – Continuar Evento – Esse evento é mais uma tentativa de minar o bando.
Estão prejudicando nossos recursos, nossa capacidade de movimentação e nossa reputação
entre os filhos de Cain. Creio que devemos seguir meios mais “mortais” para lidar com esse
problema. Buscar um advogado que possa invesigar a situação e o risco que ela representa.
Podemos usar um mortal para criar alibis para nós e resolver o problema de forma sutil. Não
devemos chamar mais atenção e causar mais barulho para nosso bando, mas devemos buscar
recuperar nossos recursos e mobilidade.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 12
Ataque Tecnocrata - Paralelo
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 8 (50%)
Interromper Evento - 8 (50%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Tentar procurar alguma pista sobre essa criatura, coisas
bizarras acontecendo em SCS, procurar no jornal, bairro, policia.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Interromper Evento - Não vejo necessidade de continuar sendo
que ninguém tem nenhuma pista sobre.

Caio (Mega) - Continuar Evento - Devemos ter um mínimo de informações sobre esse
poderoso e misterioso grupo antes que acabemos tropeçando com eles novamente e nos
lamentemos por isso.

Gabriel (Rafa) - Interromper Evento - Teve realmente alguma relevancia?

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Interromper Evento - Meu, porque diabos vocês
cogitam a hipótese de procurar sobre isso, não é problema nosso, coincidentemente foi
próximo ao estabelecimento comercial do nosso colega de bando, tirando isso não tem nada
que nos ligue com eles. Ponto final. Estavamos no lugar errado na hora errada e acabou.
Chega dessa porra de assunto. E se forem procurar vocês não terão minha ajuda.

Dimitri (Luiz) - Interromper Evento - Muito medo por muito pouco, ja cruzei o caminho deles
uma vez e não aconteceu absolutamente nada, pura paranoia se é que realmente estavam
atrás de nós.

Victor (Rafa) - Continuar Evento - Neste caso devemos retornar a este evento apenas quando
esteban conseguir entender seu sonho caso contrario não temos condiçoes de ajuda-lo.

Henrique Tabbardo (Bruno) - Continuar Evento - Inimigos superiores a Camarilla, com


certeza, mais mortais e muito mais avançados que nossos bizarros irmãos "gente fina"... Que
seria sua influencia em tecnologia? Magia como disse Sultão? Aliás, quem é Sultão... muitas
perguntas pairam sobre esse assunto, nenhuma resposta plausível, e nenhuma forma de
pesqueisar sobre... O que me cabe é que seus poderes ultrapassaram minha barreira de
ABSURDO IRREAL. Se forem algo Não-Cainita, seus poderes beiram os de um antigo, isso se não
ultrapassarem em termos de camuflagem, espionagem, controle mental e ilusão... nem
mesmo os eruditos de Toronto me ensinaram nada a esse respeito, e olha que eles me
ensinaram um monte de coisas legais... tecnocracia deve ser algo totalmente novo, e nós
devemos adaptá-la a nosso modo de "vida".

João (Boros) - Interromper Evento - Se as informações que recebemos for reais, a


tecnocracia não esta atras de nos.

Victor (Rafa) - Continuar Evento - Devemos prosseguir com este caso pois devemos saber que
tipo de criatura é esta.

Alonso (Neko) - Continuar Evento - Ainda não sei por que eles estão nos atacando mas quero
continuar a missão exatamente para descobrir isso, alem de ser uma missão que eu também
estou participando mais.

Giovan (Gui) - Continuar Evento - Procurar mais informações a respeito da tecnocracia é


importante se desejamos fazer algo a respeito de Jacob.

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Continuar Evento - Com relação ao nosso grupo,
caimos de gaiato nessa situação com essa tal de Tecnocracia, mas ao mesmo tempo, a
criatura que estavam atras foi até ao lado da minha loja por algum motivo. Talvez esse fato
merecesse alguma atenção. Mas também pode ser paranoia minha.

Anderson (Well) - Interromper Evento - Entãããão... se o ataque ao refúgio do bando não


tivesse acontecido, eu diria pra ignorar essa merda. O Fabio e o Henrique caíram de gaiato
naquela palhaçada. CONTUDO, houve o ataque ao refúgio... velho, quem são esses caras? Dá
pra peitá-los? Dúvidas... muitas dúvidas.

Ellie (Mega) - Interromper Evento - Nem FERRANDO que eu quero topar com esses caras de
livre e espontânea vontade!!! Se o bando deu sorte de ficar esses anos todos sem chamar a
atenção deles é bom que nós façamos isso de novo antes que a gente arranje sarna pra se
coçar e uma sarna do PIOR TIPO POSSÍVEL!!!

Estéban (Well) - Continuar evento: teriam esses “tecnocráticos” alguma relação com nossa
atual perda de recursos? Tecnologicamente falando, eles são bem aparados, e aparentemente
possuem passe livre dentro das instituições mortais. “Conhecer o inimigo, esperar por uma
fraqueza, ataca-lo na jugular...”

Antonio (Léo) – Interromper Evento – Evento caótico onde aparentemente só tivemos


participação pois fomos lá enfiar o nariz onde não deviamos. Qualquer evidencia ou pista que
poderimos procurar deixou de existir. Não temos porque, nem como, continuar. Insistir nesse
assunto na atual circunstância é perda de tempo.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 13
Chamas Verdes Demoniacas - Exclusivo Esteban (Principal)
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 10 (77%)
Interromper Evento - 3 (23%)

Susana (Camila) - Continuar Evento - Ainda não aconteceu

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Vamos ver o que vai acontecer então…

Gabriel (Rafael) - Continuar Evento - Talvez tenha alguma ligação com os sonhos do Carlos e
os rituais.

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Continuar Evento - Ele é louco e paranóico, mas
esteve "vivo" todo esse tempo, devemos dar um voto de confiança e ajuda-lo no que
pudermos.

Dimitri - (Luiz) - Continuar Evento - Problema do Esteban até que não esteja ligado a todo o
resto " o que acho que esteja", auxiliarei noque for possivel, mas uma coisa de cada vez.

Victor (Rafa) - Interromper Evento - Neste caso devemos retornar a este evento apenas
quando Esteban conseguir entender seu sonho caso contrario não temos condiçoes de ajuda-
lo.

Alonso (Neko) - Continuar Evento - Não participo dela porem achei interessante, acho que
devia dar continuidade pra ver no que da.

Giovani (Gui) - Interromper Evento - Missão que depende do Esteban se ele deseja continuar
ou não, por mim tanto faz (mais pra não do que pra sim)

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Continuar Evento - Nao sou bom com essas situações
paranormais, mas querendo ou nao parece bem importante e parece preocupar o Mestre
Esteban e parece que pode repercutir para todos nós. Como Mestre Esteban que está
recebendo os sinais, acho que ele avisará se vai precisar de nós ou nao.

Anderson (Well) - Interromper Evento - Estéban!!! Cuide do setor “DEMONIO CAUSANDO”,


por favor... eu tô fora!
Estéban (Well) - Continuar evento: Como disse: procuro por companheiros valorosos,
dispostos a encontrar a verdade e expurgar nossos medos. O mal envolve a todos... e nos
queimará, caso não o combatamos…

Antonio (Léo) – Continuar Evento – Sonho por sonho, não estou nem ai. Porém confio no
julgamento do Esteban. Acredito que a iniciativa deve partir dele e, quando possível, os
demais poderam ajudar.
------------------------------------------------------------------------------------------------
Questão 14
Operação Vampiresca - Principal
------------------------------------------------------------------------------------------------
Continuar Evento - 16 (100%)
Interromper Evento - 0

Susana(Camila) - Continuar Evento - Descobrir quem foi que fez os bloqueios e porque,
investigar. Eu acho que o Jacob tem algum dedinho nisso.

William "Will" Bonfigli (Duz) - Continuar Evento - Não faço ideia do que podemos fazer sobre
isso, mas vamos descobrir.

Caio (Mega) - Continuar Evento - Merece tanta prioridade quanto o caso dos 4 caras do bando
que estão sendo acusados de assassinatos e canibalismo. Alta chance de ser algo orquestrado
pelo mesmo grupo, e mesmo que não seja está anulando uma de nossas melhores(e maiores)
armas até o momento: dinheiro $$$

Gabriel (Rafael) - Continuar Evento - Nossos recursos estão sendo "drenados"... não que eu
possua algum

Carlos Denaro (André Luiz dos Santos) - Continuar Evento - Caralho, eu to pobre, e quero
sim ter meu dinheiro de volta. Não preciso nem falar mais nada né?

Dimitri (Luiz) - Continuar Evento - Claro que tenho que solucionar isso ou só eu acho que
bloquearem os bens dos Cainitas mais influentes do nosso bando seja uma forma de nos
enfraquecer?

Henrique Tabbardo (Bruno) - Continuar Evento - Outro ataque tecnocrata de poder imenso.
sem recursos, somos reduzidos apenas a força de nosso bando, estremecida diante da
Monomacia e acovardada devido a tantos ataques... A única coisa que não sai da minha
maldita cabeça é a sincronia perfeita de como as coisas aconteceram para favorecer a
ascenção de nosso novo vizinho, Jacob.

João (Boros) - Continuar Evento - Muitos ainda tem "vidas" mortais, tentar por meios legais
recuperar a grana, porem, pretendo arrumar armamento e continuar as transações do Caio.

Victor (Rafa) - Continuar Evento - Precisamos de alguma maneira recuperar estes bens de
alguma fora,seja por contatos ou a força.(sem sermos descobertos).

Alonso (Neko) - Continuar Evento - Temos que recuperar o dinheiro pelo menos.
Giovani (Gui) - Continuar Evento - Mano, para mim é essencial continuar esta missão para
que meus bens (mesmo que não sejam muitos) retornem. Não sei se todos do bando conseguir
viver sem prazeres mundanos, mas eu não consigo (não é barato pagar as parcelas de uma
casa, de um carro e uma vida de impressões).

Fabio Capri (Vitor Polese Crescencio) - Continuar Evento - Sempre muito ruim perder
dinheiro nessa não-vida, mas isso parece ser muito maior do que só uma intervenção do
Imposto de Renda. Precisamos do maior numero de informação possivel para agirmos na
certeza, antes que piore muito mais.

Anderson (Well) - Continuar Evento - Caralho, eu acho que o Jacob tem um dedinho nessa
merda, mas que teria poder suficiente pra conseguir isso? A Camarilla, talvez? Será que o
Jacob está vendendo informações pra eles??? OHMYDOG, diga-me que eu não estou viajando,
me dê provas e eu serei o seu servo mais fiel!

Ellie (Mega) - Continuar Evento – Considerando o que o bando fez em São Paulo com a cria do
Príncipe, pra mim isso está cheirando a retaliação dos porcos da Camarilla usando os peões
mortais deles. Temos que saber mais sobre isso e reaver a nossa grana de volta (afinal de
pobre já basta eu) e dar o troco(gostaram do trocadilho?) nos bastardos.

Estéban (Well) - Continuar evento: Repito: somente a nossa organização e obstinação nos
trarão respostas. Temos um dos maiores bandos da região metropolitana, se não o maior! Nos
coloquemos a trabalhar, como fazíamos antes do comodismo e faremos grandes feitos.
Três grupos devem ser formados: um, para nossas relações públicas e problemas ligados a
eles; outro, para investigar as mortes e eventos desmoralizadores que sofremos nos últimos
meses; e um terceiro, para ir atrás do que chamdo de “eventos negros”: os rituais de luxuria,
as mortes dos sem-peles, o desmorto pedófilo, a estranha da troca de corpos, etc. Devemos
nos movimentar, ou morreremos atolados nas areias desérticas de nossos medos.

Antonio (Léo) – Continuar Evento – Esse evento não é somente um incomodo pessoal que
atrapalha nossa não-vida. Ele diretamente influência na nossa modo de agir, nosso tempo de
resposta, nossa influência, nossa capacidade de protejer os interesses do Sabá e a segurança
do bando. Acredito que é o principal problema. Devemos buscar informações com os
Nosferatu, investigar independentemente e buscar entender quem causou isso, por que, e
como acabar com essa situação.
------------------------------------------------------------------------------------------------

O inicio de tudo

------------------------------------------------------------------------------------------------

Tudo começou com a incursão de Doni (ex-ductus do bando Trólebus da Morte) para efetuar a
captura do Gabriel (ancião Malkaviano de São Paulo, Senhor do Jacob) e durante o ataque
Doni conjurou uma grande Mortalha das Trevas que resultou na morte de dezenas de mortais
por asfixia e neste momento a história começa.

Através dos noticiários da televisão o Bando ficou sabendo do ocorrido e começaram a buscar
o responsável, um Lasombra com certeza, por causar tamanho alvoroço na mídia dentro do
território deles.

Decidem ir até a catedral, e lá encontram o Arcebispo Marius, que inicia um longo e tedioso
monólogo sobre domínios que devem ser protegidos, de como o gado é importante para a
sobrevivência e quantos Cainitas serão privados de se alimentar por causa das dezenas de
mortais mortos no incidente com a Mortalha das Trevas no Clube Primeiro de Maio. Nada foi
resolvido e nada foi encontrado, e o bando volta a estaca zero.

Retornando ao refúgio, Denise, uma Assamita Antitribu membro do Bando, relata um


estranho incidente sobre sua Senhora ter sido morta no refúgio do Dr. Jones,
renomado Cardeal Sabá que havia chegado a pouco em São Paulo. A atenção devida
não foi dada no momento pelo fato de Denise se mostrar um tanto histérica, e acabou
sem tratativa quando Denise foi dada por morta em seu refúgio, um apartamento na
região central de Santo André. O local possuía sinais claros de luta, mas mas apenas
um monte de cinzas foi encontrado, junto das roupas de Denise e um estranho brinco
que emitia um brilho verde nauseante. As cinzas e o estranho brinco, que na verdade
era um par, foram recolhidos e a força policial, com a ajuda de Victor, ex membro da
Rota e membro do Bando, isolou o local e perícia fez as investigações rotineiras,
contudo nenhuma pista foi encontrada. Hunter, membro da Mão Negra e praticamente um
irmão do Bando, decidiu procurar mais pistas sobre a morte de Denise e Henrique designou
alguns de seus lacaios para buscar informações em suas áreas de especialidade, enquanto o
restante do Bando se focou no incidente no Clube Primeiro de Maio, e foi quando as
mensagens começaram.

Mensagens como “Sabemos o que vocês estão fazendo” e “Seu cão está morto”
começaram a chegar nos telefones móveis de todos os membros do bando e se
provavam ser ameaças reais, pois os lacaios de Henrique foram assassinados enquanto
buscavam informações sobre o assassinado da Denise.
As pistas levam o bando a residência de um dos mortais, chamado Rafael, que foi um dos que
presenciaram e sobreviveram ao ataque no 1º de Maio, o plano consiste em Victor,
acompanhado de Caio ofuscado como outro policial, usar de suas credenciais para interrogar o
garoto enquanto os outros membros do bando esperam em uma van próxima caso se faça
necessário, porém lá encontram Alfredo, tio dele, Victor e Caio interrogam o homem por
informações referentes a Rafael, avisando a Alfredo que a situação de seu sobrinho é delicada
e o fato dele estar desaparecido até o momento o coloca como um dos suspeitos por essa
tragédia, conforme tentam pressionar o velho homem para que forneça qualquer pista de
onde Rafael se encontra Alfredo não resiste e tem um infarto em plena sala, chamando o
resto do bando para vir até a casa a única esperança de fazer com que o homem viva reside
em Dimitri, que entra em cena e milagrosamente, sem nenhuma estrutura médica e
dependendo unicamente de seu sangue e do dom da Vicissitude o opera lá mesmo, o problema
fica pior quando sua mulher, que se encontra na casa, chama por Alfredo, Caio resolve subir
ofuscado como Alfredo para ganhar tempo aos outros, que passam a se ocupar de arrumar e
limpar a sala para não deixar vestígios do ocorrido, porém a essa altura um dos vizinhos,
estranhando a van parada perto da casa e a entrada de vários homens no meio da noite liga
para a mulher de Alfredo, Caio resolve silenciá-la mordendo ela até que perca a consciência.
Dimitri consegue estabilizar Alfredo, porém como não tinham tido nenhuma resposta e Dimitri
ainda precisava terminar a operação, resolvem seqüestrar o velho e em sua saída acabam
tendo uma rápida troca de tiros com um dos vizinhos, no final o bando consegue se evadir do
local.

A vitima é levada até um dos refúgios do bando, no caso a propriedade de Dimitri, lá tentam
obter o máximo de informações, mas aparentemente o tio do rapaz não sabe realmente seu
paradeiro e a dúvida passa a ser sobre o que fazer com Alfredo.

Então para não chamarem mais atenção e dadas as atuais circunstâncias decidem forjar um
seqüestro, justificando assim todo o ocorrido na casa da família de rafael.

Dimitri então resolve enviar Zacharias seu capataz junto com o tio do rapaz para algum lugar
distante e ermo, o que resulta em uma falha catastrófica, sem o retorno do capataz Dimitri
recebe uma ligação avisando que seu leal servo não mais vive.

Outros contatos temporários do bando foram também perdidos durante esse processo.

Victor descobre, através de seus contatos, outros nomes de pessoas que sobreviveram a
Mortalha e o bando decide procurá-los para reunir maiores informações sobre o que realmente
aconteceu no local. Victor também é informado pelo Coronel Telhada da Rota, seu contato e
aliado, que pessoas vem sendo encontradas mortas na região de Santo André, sem sinais
violência ou marcas evidentes, mas os legistas afirmam que os corpos estão totalmente sem
sangue, e está cada vez mais difícil manter a situação longe da mídia.

O Bando segue para investigar a situação exposta por Telhada, que parece urgente, e chegam
a conclusão que os mortos estão na lista dos sobreviventes da Mortalha do Clube. Os 2 casos se
alinham.

O bando então vai atrás para encontrar informações sobre os mortos sem sangue o que leva
diretamente ao parque Celso Daniel (antigo Duque de Caxias), nesse momento eles conseguem
encontrar uma relação da lista de membros da festa do primeiro de maio com um boletim de
ocorrência de ataque no parque, os mesmos mortais estavam envolvidos.

Eles conseguiram o vídeo do ataque no parque, no vídeo era possível ver um homem
mascarado (máscara do Jason) e uma mulher ruiva com rosto pintado, a mulher após matar
uma mortal que estava se exercitando efetua um salto sobre humano e pula para o outro lado
do parque, o que da no terreno de um conjunto de prédio (duas torres) e a altura em que
chegou levaria a morte de qualquer humano. O homem mascarado vai até o estacionamento
ao lado do parque e foge em um veiculo roubado.

Depois de verem o vídeo o bando chega a conclusão de que os adolescentes da festa estão
envolvidos de algum modo com os cainitas que provocaram tanto a mortes no 1º de Maio,
quanto no Duque de Caxias, por isso decidem tentar encontrá-los, investigando as residências
das famílias deles, através (novamente) das informações que a polícia havia coletado até o
momento.

Enquanto o bando continuava atrás de informações, Hunter finalmente manda uma mensagem
dizendo que descobriu quem fez isso, mas fez o que? a morte da Denise ou a mortalha no
Primeiro de Maio, momentos depois da primeira mensagem o Ductus Caio recebe uma segunda
mensagem dizendo que nunca iriam descobrir absolutamente nada e que Hunter estava agora
morto.

Ninguém tinha ideia de como aquilo estava sendo feito, porém o fato era que suas
comunicações estavam sendo grampeadas e mais um membro do bando estava
(hipoteticamente) morto.

Tudo parecia que não poderia piorar, porém, mas durante a busca na república onde um dos
mortais se hospedava, recebem uma ameça direta do mesmo através do telefone. Nesse
momento o bando passar a acusar os mortais pela morte de Hunter e Denise.

Victor usando sua identidade como policial acompanhado de Caio(ofuscado) como outro
policial faz uma visita na república de um dos mortais, porém a ligação inesperada do mortal
para a república, avisando que eles estavam sendo observados (mesmo o Caio que estava
ofuscado) faz com que o grupo passe a cogitar cada vez mais que eles não são apenas “vítimas
das circunstâncias” mas que eles escondem informações importantes sobre tudo que
aconteceu até o momento.

O bando passa a ficar paranóico com todos acontecimentos recentes e o medo passa a
predominar, eles não esperavam uma situação pior, mas ela poderia piorar e iria.
As mortes começam a aumentar e o coronel Telhada faz uma ameça direta dentro da casa do
Dimitri: ou vocês fazem alguma coisa ou então eu mesmo faço.

A vinda dele na casa de Dimitri(onde o bando se encontrava no momento) acompanhado de


dois capangas para os “avisar” sobre sua irritação deixou claro que a situação estava chegando
a um ponto muito perigoso.

Victor faz um mapa com as mortes, descobre que as mortes parecem ser ritualísticas e o
centro das cruzes estão em alguns dos refúgios de membros do bando.

O bando continua hospedado na mansão que Dimitri possui na região de Ribeirão Pires, antigo
refugio coletivo agora dava lugara velha mansão e foi transformada em um verdadeiro quartel
general, porém com diversas regras exigidas pelo proprietário. Todos estão a flor da pele
justamente por causa de todos os acontecimentos recentes, uma pequena discussão se inicia e
novamente Dimitri começa a fazer as exigências quanto as regras que ele estabeleceu para os
demais vampiros continuarem no lugar, nesse momento Victor representante do clã Brujah no
bando começa a se enfurecer e questiona-lo, Dimitri considera uma completa falta de
respeito com sua terra e a discussão piora, Victor não perde tempo para dar uma boa lição em
Dimitri, ele utiliza a potencia do sangue e desfere duros golpes enquanto trocam socos pelo
hall de entrada da casa, Dimitri não consegui resistir aos golpes colossais desferidos por Victor
e cai inconsciente no chão, o restante do bando consegue conter a fúria do brujah. Ao se
acalmar Victor se recusa a continuar utilizando o local como QG e todos decidem passar a usar
a base de operações que Carlos está construindo mesmo ainda estando incompleto.

Neste meio tempo Doni entra em contato com Caio para terem uma conversa. O motivo da
convocação dele era em suma o seguinte:
1. Relatar que um membro do bando dele também havia sido morto, e eles também não
tinham ideia de quem era(m) o(s) responsável(eis) e que ele estava sendo muito criticado pelo
próprio bando por isso.
2. Admitir que havia sido ele mesmo quem havia liderado o ataque ao 1º de Maio e
soltado a Mortalha que vitimou tantos mortais.

O motivo do ataque ele revelou, era o de caçar um ancião da Camarilla chamado Gabriel que
estava no local, embora todo o bando tenha participado do ataque o ancião conseguiu fugir.

Caio decide manter isso em segredo por enquanto até do próprio bando, eles trocam os
celulares, pelo fato do bando de Caio estar sendo “grampeado” pelos responsáveis das mortes
finais de Hunter e Denise.

Nesse momento Caio decidi pedir ajuda aos Nosferatu e descobre duas informações, a
primeira sobre umas festas privadas onde aconteciam orgias cheia de luxuria e mortes e
obtém algumas fotos onde a mesma pessoa sempre aparece na foto e a segunda que uma das
mulheres que sempre estava presente no ritual foi capturada pelos nosferatu.
Nesse caso, Henrique e Antonio tomaram a frente da situação e foram até o local, em plena
cidade de São Paulo, para descobrir maiores informações sobre o que realmente acontecia
nessas festas.
------------------------------------------------------------------------------------------

Um sonho ou um presságio?

------------------------------------------------------------------------------------------

Mestre Esteban tem uma visão ao acordar, gritos agonizantes de uma jovem que estava paa
morrer.

Seu semblante de sucesso e era perceptível mesmo por trás da maquiagem de Coringa que ele
usava.
Seus músculos inflavam enquanto usava a potencia do sangue para aumentar sua força, cada
chute jogava a pobre Malkaviana a alguns metros de distancia e cada vez que isso acontecia
seus dentes apareciam seguidos de uma risada histérica.

- Você realmente achou, mesmo que por um breve momento que poderia descobrir alguma
coisa?

Tudo isso realmente parecia um filme de terror.


Um segundo “monstro“ com aparência de um palhaço maluco, muito semelhante com o do
filme IT aparece diante do Coringa e diz.

- Senhor, não temos mais tempo.

Mesmo com uma expressão desaprovadora concorda com seu súdito e solta a ultima frase que
seria ouvida por ela.

- Acabem com ela!

Todos os monstros de filme de terror pulam encima da pobre vampira que já não tinha mais
forças para se defender.

E os gritos de agonia são transmitidos através da rede da loucura, os últimos gritos de uma
jovem humana que desfrutava a poucos meses a maldição de Cain.

Obs. Na visão consegue ver 7 “mascarados”.


Coringa, IT, HellRaiser, Jason, Freddy Krueger, Panico e
Reagan (Exorcista) aparentemente uma maquiagem e não uma mascará
--------------------------------------------------------------------------------------------

Primeira aparição do Grande Doutor Henry Jones Junior

--------------------------------------------------------------------------------------------

A noite começou como todas as demais noites de São Paulo se não fosse pelo fato de ter uma
reunião com a Vossa Excelêcia Cardeal Jones

A reunião começou com um silencio absoluto enquanto Doutor Jones citava seus feitos desde
Cristal Lake até a Filadelfia e quais as pretenções iniciais para São Paulo, nada que Marius não
tivesse dito. Caio sentia cada vez mais que Marius estava certo ao dizer que o grande Cardeal
era uma farsa, sentia isso por ele se vangloriar de seus feitos e sempre deixar os seus
companheiros em segundo plano.

Após o término daquele ladinha toda o Cardeal solicitou que os ductus reportassem os
acontecimentos para ele.

Bueiro como de costume foi o primeiro a começar, reportando como funciona a segurança da
catedral, o funcionamento da região de osasco como um todo. Apesar de ser um ductus
relativamente jovem possuia grande renome entres os membros do Sabá.
Bueiro não possui um nome, pelo menos ninguém se lembra qual o seu nome verdadeiro,
duirante a guerra civil que aconteceu em São Paulo a alguns anos atrás ele era um dos pilares
de Marius juntamente com o bando de Santo André.

Quando Bueiro terminou de reportar chegou a vez de Jorge que se nomeou Salvatore após o
término da guerra civil. Durante o periodo que o caos predominiou e todos os cainitas do sabá
corriam risco seja por apoiar um lado ou seja por ficarem neutros e foi ai que entrou Jorge ou
melhor Salvatore, por garantir proteção aqueles que queriam apenas curtir suas noites e se
alimentar do gado. Durante muitos anos ele se manteve até perceber que São Bernardo e
Santo André possuium terreno demais para apenas 2 bandos e foi nesse momento que
começaram os desentendimentos. Ele controlava com puinhos de ferros os bandos de Capão
Redondo, basicamente um Bispo da região e Marius não confiava nele. Palavras que Marius
sempre dizia.
- Predatores que se mantém escondidos na relva sempre possuim um veneno mortifero.
E foi nesse momento que (coloca seu nome aqui) perecebeu isso.

- Caros irmãos da noite, após tantos anóssendo subjulgados pelas ordens de Marius
finalmente chegou o momento de dizermos tudo que desgotamos, o momento que a vossa
excelencia nos deu para falarem tudo que sabemos.
Ele fez uma pequena pausa para pigarrear e prossegiu.
- Todos sabemos que Marius admirava muito o bando trilhos da morte e com razão para isso,
apoiaram fielmente a idelogia daquele cainita com pensamento antigo, mas as noites
mudaram irmãos e o liderença também mudou. Doutor Jones como grande estrategista que é
deverá ter uma idéia melhor de como defenbder a cidade e como lançar ataques
avassaladores na Camarilla e tenho uma leve impressão que isso inclui uma distribuição mais
homogenea em toda a região metropolitana. È do conhecimeto de todos que o ABC esta
ruindo e após o ataque insano que fizeram a um clube onde o gado se divertia e deixou duzias
de mortos isso só comprava que estou correto.

Salvatore imediatamente olhou para o Nosferatu em decomposição que estava sentado a


algumas cadeiras ao lado naquela mesa improvisada.

Doutor Jones após o término da tradução falou em inglês.


- Relate o acontecido ductus -- e olhou para o mesmo nosferatu que Salvatore tinha encarado
anteriormente. Um Vampiro efetuou a traudução para os outros membros do Sabpa
entenderem.

Caio olha para o Dr. Jones, depois para Salvatore e com uma voz monótona e fria começa sua
explicação:

- A observação que o caro Ductus Jorge fez é alarmista demais Cardeal Jones.

Abrindo os braços e o sorriso ele continua.

- Me causa grande surpresa ver como alguns de nós são tão pessimistas a ponto de acreditar
que tudo está ruindo só por causa de uma merda que aconteceu com o gado aqui na cidade,
mas o que NÃO me causa surpresa é que alguns de nós tenham esperado TANTO TEMPO pra
fazer o grande e maravilhoso favor de nos dar sua opinião sobre isso.

Olhando para Salvatore com um olhar mais sério ele complementa.

- Como todos os antigos moradores de nossa amada região sabem, meu bando tinha boas
relações com o Bispo Marius e embora eu aceite ser criticado por quem foi abertamente
contra ele durante a guerra civil eu não vou aceitar ser acusado por pessoas que FICARAM EM
CIMA DO MURO durante a nossa guerra civil. Portanto eu digo que Santo André vai BEM e
continuará BEM, tendo alguns problemas ou não na porra do nosso caminho nós vamos
superar, ESPECIALMENTE sob a liderança de alguém do calibre do Dr. Jones!!!

Terminando sua explicação ele se volta para o Dr. Jones a espera de alguma reação.

Antes de permitem que Doutor Jones tivesse tempo para formular uma resposta Marisa
Cachorro Louco intercede.
Caio sempre teve a impressão que Marisa usava a forte personalidade que possui para
submeter os mais fracos a sua vontade, seja ela por intimidação ou por força. Logo após o fim
da guerra civil ela se nomeou ductus e é a a única ductus da cidade dutra.

Um dos grandes feitos recente foi a destruição do antigo primogenito da sua familia (Brujah)
da cidade, após uma longa perseguição que resultou na morte do ancilae e também ta perda
de mais de 20 membros do Sabá. Marius sempre foi contra a ação dele, mas, mas ela ganhou
muito renome após o ataque.

- Não venha com esse papo Caio que tudo esta bem, precisou a Camarilla esconder a merda
que vocês fizeram no ABC, uma merda que não trouxe nenhum beneficio para a seita. Pensa
direito o que vocês estão fazendo pelo bem da região e o que a união dos bandos pode fazer
pelo todo. E não venha atacar Salvatore por não decidir que lado auxiliar, todos sabemos que
a guerra civil só prejudicou o Sabá. Se você é como estes ultraconservadores acho melhor
procurar outro lugar para se estabelecerem.
Alguns ductus menos influentes mostaram apoio a ela seja por medo de contrariar ou por
realmente concordarmos.

Salvatore olha para Marisa e com um sorriso no rosto;


- Faça das palavras dela as minhas, vossa excelencia.
Todos os olhos se voltam novamente para doutor jones, que naquele momento estava com o
rosto baixo apenas ouvindo o debate entre os bandos e novamente antes dele poder
responder ouve-se a voz por tras dos burburinhos.

Bueiro se levanta imponente e diz - durante anos o ABC sempre se mostrou protegido vossa e
bem comandado, apesar das rixas entre os dois bandos sempre houve uma paz estranha. Não
podemos deixar apenas um acontecimento isolado manchar toda a história da região.

Claramente Marisa se destaca entre os demias a paixão que corre em sua vitae imortal e
ativar um dos seus dons.
-Cão de Marius, hoje é um acontecimento isolado, amanha a perda completa do controle da
região.
Doutor Jones ouve todos os lados.
- O que tem a dizer Caio?

- O que eu tenho a dizer em primeiro lugar é que é tocante ver o quanto meus colegas estão
preocupados com a situação da cidade, inclusive temendo pelo pior cenário!!! A perda total
de Santo André e quem sabe de todo o ABC em uma questão de dias por um inimigo que nem
ao menos sabemos quem é.........

Se virando para Salvatore e Marisa, Caio continua.


- Em segundo lugar creio que se há algum problema ou problemas no modo como estamos
conduzindo as coisas em Santo André, o Cardeal ou os Bispos com certeza vão vir nos cobrar a
respeito, pois esse é o papel DELES como guardiões do Sabá, a não ser é claro que vocês
estejam duvidando das decisões deles.
-E em terceiro lugar, como acredito sinceramente nas palavras de Marisa e de Salvatore, e o
bem do Sabá SEMPRE vem em primeiro lugar eu vou entender essas críticas não como uma
tentativa de minar o meu bando frente ao nosso Cardeal, e nem como uma tentativa de
tomarem o lugar de meu bando em Santo André, mas sim como um oferecimento de ajuda,
afinal como alguém mesmo relatou agora a pouco não podemos deixar que disputas por
território ameacem o controle do Sabá sobre a região, não estou certo Marisa?

Marisa, Salvatore e Bueiro permanecem em silêncio após Caio terminar de falar.


Doutor Jones olha para os quatro ductus que são o foco da atenção até o presente momento,
ignorou todos os comentários e fez uma pergunta clara e direta.

- Como estão as investigações do ataque que vocês sofreram? Já possuem algum detalhe?

- Até o momento a única confirmação que temos é que o agressor ou agressores usou a
disciplina dos Lasombra no local do ataque, se o ataque foi voltado contra nós ou se foi uma
luta que saiu do controle isso ainda não pudemos determinar, ou o agressor fugiu da cidade
ou se enterrou em algum lugar bem fundo esperando a poeira baixar, pois até agora não
identificamos nenhum intruso na cidade. E por último considerando o estilo de ataque acho
pouco provável que tenha sido a nossa querida Camarilla quem tenha orquestrado isso, CASO
esse ataque tenha sido realmente planejado por alguém. Isso é o que temos de concreto
atualmente.

Doutor Jones levanta a cabeça novamente olha para todos os presentes.


- Isso lembra os tempos que eu era o Ductus de meu bando, os tempos onde eu não
compreendia muito bem porque o gado precisava se mantido no pasto, comendo e vivendo
feliz.

Fez uma breve pausa


- A Camarilla tem os metódos dela de proteger o gado, nós temos a nossa. Vocês devem
espalhar a notícia que não irei tolerar massacres sem sentido. E se por um acaso vier a
acontecer os bandos que vivem na região devem procurar o responsavel e trazer a público o
desgraçado.
Olha para Caio.
- Sua tarefa é encontrar o responsavel que fez isso, não quero saber os meios que você vai
fazer isso. 3 meses, esse é o prazo que dou para traze-lo.

Doutor Jones não aguardava uma resposta ou qualquer reação de Caio e continuou.

- O arcebispo Marius foi o responsável por acabar com a guerra civil, mas pelo que eu estou
vendo muitos não concordam com a forma de instruir os notáveis membros desse conselho. Eu
como Cardeal e emissário da nossa Regente posso garantir que serei justo com todos. O caso o
abc será analisado cuidadosamente e em breve poderemos concluir o que será o melhor para
a região, e não necessariamente o que é melhor para os bandos e sim para a SEITA.
Um novo burburinho começou enquanto doutor Jones esperou um breve momento para todos
ignorantes que ali estavam entender o que ele disse para poder prosseguir, porém…

Bueiro se levanta da cadeira, aumenta o tom de voz para sobresaltar de todos os membros ali
presentes.

- Vossa excelencia, é do conhecimento de todos que Marius tinha inúmeros inimigos dentro
das próprias fileiras do Sabá, e todos esses inimigos foram adquiridos através da sua forma
justa de conduzir a espada de Caim. Pela forma que você disse ficou claro que Marius não
agiu da forma correta e estava dando privilégios a alguns enquanto não dava para outros.

Pai Pedro se levanta.


Caio conhece pai pedro de algum tempo, ele era só mais um daqeuels pai de santo que fazia
aquelas promeças de fazer tudo para trazer a pessoa amada, dinheiro e outras coisas. E
clararemente sempre foi contra a forma que Marius conduzia o Sabá. Sempre plantado
discórdia entre os membros, hoje ele é vizinho de Santo André, ductus da região de São
Mateus, Aricanduva e proximidades.

- Cão de Marius, como ousa falar assim com nosso Cardeal. Santo André uma região rica e
esta na mão dos seguidores daquele velho, esta na hora de mudar e nosso Cardeal é um das
pessoas mais iluminadas e experientes para fazer isso, se desafia-lo novamente pode ter
certeza que vou desafia-lo sob ritual de monomacia.

- "Como ousa falar assim com nosso Cardeal?" Você é mesmo um cara engraçado Pedro, pois
por um momento me fez sentir como se estivesse na porra da Camarilla! Nosso caro amigo
Bueiro estava APENAS falando algo que ele acredita ser o correto, SEM ameaçar ou insultar
ninguém, se isso não agradou seus ouvidos sensíveis eu lamento por você, mas me deixe antes
de tudo te esclarecer duas coisas:
1º - o Bueiro apenas deu sua opinião sobre o nosso Antigo Arcebispo, ele não desafiou Vossa
Excelência pra merda nenhuma, apenas deu a OPINIÃO dele caralho, se nem isso alguém
puder fazer por aqui eu digo que estamos bem próximos de nos tornarmos os viadinhos que
nossos irmãos da Camarilla são, afinal LÁ é o lugar de puxa sacos sem opinião, não AQUI.
2º - aprenda a diferenciar um questionamento de uma ofensa, o Cardeal tem mostrado até o
momento toda a disposição de fazer o que é melhor pela seita, aprenda um pouco com ele e
pare de fazer polêmica por nada.

Logo após o término da intervenção de Caio, Thiago bate a mão forte na mesa se levanta e
pede por silencio, ja que todos estavam discutindo uns com os outros.

Pai Pedro estava irado com a resposta que sofreu de Caio, Salvatore só continuava rindo
enquanto admirava a situação que se encontrava e Marisa permanecia em silencio enquanto
esperava o desenrolar da cena.
A amizade de Caio e Thiago antecede a guerra civil, ambos fizeram parte do mesmo bando
durante o inicio de suas noites, e ambos sugerem que foram abraçados pela mesma criatura
da noite, já que Thiago não se lembra de como foi abraçado, mas após inúmeras noites
discutindo chegaram a um consenso que fazia sentido a teoria que estavam debatendo a
tantas noites e isso foi apenas o começo de uma amizade longa e duradoura, uma das poucas
pessoas que Caio podia confiar de verdade, uma amizade que atravessava o tempo, uma
amizade que ambos escondiam segredos, erros, sucessos, obstáculos e esse sentimento mesmo
décadas depois continuavam o mesmo, pelo menos foi o que sentiu Caio quando Thiago se
pronuncia pela primeira vez nessa noite onde tudo parecia dar errado.

- Tenho certeza que Caio estava fazendo o melhor para a seita, como fez todos esses anos
que controla a região do ABC juntamente com Doni. Antes o preconceito era por ele não ser
das duas linhagens nobres do Sabá, já que conseguiu subir ao posto de Ductus quando quase
todos tinham mais interesse em povoar São Paulo, agora por ele controlar a região sozinha.

Ele fez uma breve pausa, olhou para o Cardeal aumentou o tom para intimidar aqueles que
ainda ousavam atacar Caio

- Não vejo razão para continuarmos a discutir isso. Estamos tomando um tempo precioso de
nosso cardeal insistindo no mesmo assunto. Não se esqueçam de que foi ele que tomou Saint
Footerman e a Filadélfia e agora ele sabe do descontentamento de todos com relação esse
assunto então BASTA, vamos continuar com outros assuntos que temos em pauta.

Doutor Jones aproveitou o silencio repentino para continuar.

- Obrigado irmão, fiquem tranquilos que todas as vozes aqui presentes foram ouvidas e vou
fazer algumas reuniões com cada um de vocês para assegurar que estou arrancando a verdade
diretamente pela raiz e só depois disso tomarei uma decisão.

A reunião se arrastou por outros inúmeros assuntos. Até que chegou na vez de Doni ser
atacado, por uma pequena desavença que tinha com Pai Pedro e outros dois Tzimisces que
Caio quase não tinha contato.

E naquele momento Caio percebeu que Doni tinha menos aliados que ele e corria até mais
risco de perder a região que ele próprio.
Apenas um Ductus Lasombra se manifestou a favor de Doni, enquanto a bancada do pai Pedro
junto com ambos tzimisce tentavam denegrir a imagem daquele garoto que mal inicio a idade
adulta quando ganhou a vida eterna.

- Sou só eu que estou tentando uma sensação de deja vu aqui? Eu podia jurar que se um
bando tivesse São Caetano eu ia ser obrigado a ver essa cena pela terceira maldita vez.

Se sentando mais displicentemente em sua cadeira Caio arremata.

- Se soubesse disso teria pedido ao Thiago uma pausa para poder gravar aquela frase dele e
depois colocava pra tocar de novo e de novo e de novo........
------------------------------------------------------------------------------------------------

Inicio dos Rituais e Ataque a Camarilla

------------------------------------------------------------------------------------------------
Antonio e Henrique decidiram contratar os serviços de uma prostituta de alto luxo para se
infiltrarem no local, comprando roupas finas e alugando uma limusine conseguem adentrar no
local, enquanto que Antonio estava ofuscado como uma mulher, Henrique se fazia passar por
um membro novo na cidade, e como tal é apresentado ao carniçal que parecia ser o
responsável pela mansão, lá Henrique consegue ficar em uma boa situação devido a um
equívoco cometido pelo carniçal.
Nesse meio tempo o bando que se encontrava em Santo André tem novas notícias sobre as
mortes ritualísticas que estavam acontecendo, pois após uma visita de Caio, acompanhado de
Antonio ao traficante D7, chefe do tráfico do Heliópolis, acaba sabendo que D7 e seus
comparsas “mataram” um homem muito estranho que em plena luz do dia, subiu a favela sem
ser importunado e “ordenou” para que D7 lhe desse crianças, D7 respondeu ao pedido
atirando no homem a queima roupa e mandando que seus homens se livrassem do corpo, tudo
isso devidamente gravadas pelas câmeras de D7. Porém, o homem levantou da sua própria
cova e sumiu em plena luz do dia, intrigando ainda mais os cainitas.
Caio aproveita e pede a D7 que forneça alguns homens em um “arrastão” que estão
planejando fazer a uma mansão em São Paulo, sendo assegurado que teria um lucro alto e
fácil D7 fornece 4 homens para ajudar no ataque.
Além disso Caio usa o contato com o Nosferatu Rodrigo para obter maiores informações do
lugar onde vão invadir, porém sem dar maiores informações (que o próprio Rodrigo não pede).
Victor provém informações sobre o local e a polícia, sendo planejado uma distração para
colocar a polícia o mais longe possível da mansão. Gabriel acaba sendo a mente responsável
pelo ótimo plano de ataque e Susana por prover o armamento pesado para os membros do
bando. É sugerido que o bando tenha algum auxílio para o ataque, e devido a recente
conversa com Doni, todos concordam que do bando de São Bernardo apenas ele seria uma boa
aquisição para o ataque. Caio entra em contato com ele pelo celular, uma visita é feita até a
casa dele em São Bernardo para convidá-lo pessoalmente, convite este que é prontamente
aceito por Doni.
Henrique e Antonio voltam para a mansão, e lá Henrique é apresentado a ninguém menos do
que a cria do Príncipe de São Paulo e ex-xerife da cidade, acompanhado de uma Hárpia,
enquanto ele conversa com os dois cainitas o ataque se inicia.
Todos os seguranças do local são facilmente abatidos ou rendidos, porém a grande resistência
vem da cria do Príncipe, que após uma fuga alucinada pela mansão se vê compelido a lutar
contra o bando que o encurralava, evitando até mesmo a fuga dele de carro, que é sustada
pelo furgão onde Caio e Gabriel estavam. Após dar muito trabalho para o grupo que estava
enfrentando o homem decide se render por se ver em uma batalha sem esperança de vitória e
se deixa empalar. O ataque é bem sucedido, ninguém sai morto e de feridos graves só Dimitri
se encontra nesse estado. O bando finalmente obtém uma ação de sucesso.
Na volta a Santo André o dilema passa a ser aonde esconder o corpo da cria do Príncipe, pois
considerando toda a situação com seus refúgios, o bando teme que a Camarilla possa vir atrás
deles para um resgate.
Após várias considerações é tomada a decisão de entregá-lo ao Bueiro, por se tratar de
alguém de confiança do bando, Bueiro é chamado, aceita pegar o corpo e após isso todos
dispersam a espera do grande evento conhecido como Palla Grande.
-----------------------------------------------------------------------------------------

O Brinco

-----------------------------------------------------------------------------------------
Sabendo da morte da Denise e do brinco misterioso, Carlos decide investigar, e comunica o
bando porém o Mestre Esteban acha muito arriscado pois além da morte da Denise pode estar
ligado a morte de mortais, nesta discussão sobre ir atrás ou não ir atrás, Susana fala que
deveriam levar o brinco a um ourives (profissional que trabalha com metais preciosos), Caio
então decide que devem ir procurar mais informações sobre o brinco.

Susana liga para Sr. Joaquim, seu ourives de muitos anos, um senhor de aproximadamente 80
anos, ele tem uma lojinha na rua das pratas, próximo à Igreja da Sé. Ela pergunta se ele pode
recebê-la a noite em sua loja quando fechar, pois tem um artefato que ela gostaria que ele
desse sua opnião, ele curioso marca um encontro em sua loja.

Susana avisa ao bando que conseguiu um encontro com o ourives, Caio então decide que
devem ir com ela Carlos e Antonio.

Chegando na Igreja da Sé, Susana vai em direção a loja, eles se deparam com um portão de
ferro estreito e um segurança enorme. Susana diz que quer falar com o Joaquim, o segurança
fala com o ponto que ele tem em seu ouvido e deixa eles passarem, Carlos então pergunta se
o segurança o conhece, em resposta obtem um não, então em fração de segundos Carlos
oferece ao seguraça o seu livro de maior sucesso.

Assim que passam o portão eles veem um corredor com uma escadinha no final, eles seguem
até a escada e sobem, Susana vai na frente e se depara com Sr. Joaquim analisando uma jóia,
eles se cumprimentam, Susana apresenta seus dois “amigos”, e lhe mostra os brincos. Sr.
Joaquim analisa e diz que não consegue dar uma resposta de imediato, que precisa de tempo
para analisar com mais cuidado e atenção devida.

Susana conversa com Antonio e Carlos e decidem que vão deixar os brincos até o dia seguinte,
pois esse foi o prazo estipulado. Se encaminham em direção à saida e passam novamente pelo
segurança, Carlos para não perder o costume pergunta para o segurança se ele já teve o
prazer de ler o seu livro e o segurança sem mudar sua expressão diz que não. Susana puxa
Carlos para irem embora na conversa a caminho do carro eles decidem q devem deixar lacaios
observando a loja.

Na noite seguinte os três voltam para a loja, para suas infelicidades Sr. Joaquim diz que o
material não é nenhum composto que existe e que ele já tenha visto, ele não tem ideia do
que possa ser, Sr. Joaquim foi questionado pelo absurdo de não ter nenhuma informação, já
que ele trabalhava com o jóias, em sua defesa Sr. Joaquim disse que nem os seus amigos que
ele consultou sabiam de que material se tratava, poderia ser coisa de outro mundo, planeta.
Susana, Antonio e Carlos voltam para o refugio e comunicam a todos sobre as informações que
tiveram do Sr. Joaquim.
---------------------------------------------------------------------------------------

Ritual de Troca de Corpo - Mulher Criança x Criança Mulher

---------------------------------------------------------------------------------------

Caio que já havia descoberto e reconhecido através do Rodrigo, um rosto que fazia parte dos
rituais de luxuria que aconteciam em São Paulo, duas pessoas sempre estavam nas fotos que
foram tiradas, um deles é um homem alto, esbelto, de cabelos castanho escuro bem cortado,
sempre vestindo roupas finas, relógio de marca, ele aparenta ser o organizador dessas festas.
A outra é uma mulher com um corpo escultural, muito bonita, cabelos lisos e sedosos na cor
âmbar, sempre vestindo roupas que chamam atenção.

Caio decide barganhar com Rodrigo por mais informações, Rodrigo lhe envia através da
SchreckNet mais alguns dados, contendo vídeos, fotos e o mais importante um video da
mulher já capturada e sendo interrogada pelos Nosferatu, não é necessário lembrar que essas
informações são extremamente confidenciais.

O primeiro video mostra a mulher dentro de uma sala que continha apenas uma cama de
solteiro junto com uma criança, que chorava e pedia ajuda para esta mulher tão misteriosa.
Conforme o video corre é possível notar que são mãe e filha.

Ainda no primeiro video a mãe fala para a filha que tudo ficará bem e nada irá acontecer.

Todos os membros do bando estão assistindo os vídeos juntos e enquanto isso começam a
debater, quando termina o primeiro video eles chegam a conclusão que os vídeos foram
cortados, deixando assim visivelmente que falta conteúdo, talvez se Caio tivesse sucesso em
sua barganha ou negociasse algo do interesse de Rodrigo, este poderia ter enviado o video na
íntegra, com isso o bando conseguiria ir muito mais a fundo.

No segundo video é possível ver a mãe passando as unhas na parede de azulejo branco toda
empoeirada, através da câmera (mesmo tendo altíssima resolução) não é possível ver o que
ela esta escrevendo ou desenhando, o vídeo continua e a criança esta dormindo na cama de
solteiro.

A mulher é impedida de continuar seus desenhos quando um homem de aparência peculiar


(mandibulas amostra, olhos profundos, pele rasgada), entra nos aposentos e diz: “você já não
passou tempo bastante presa e já não é hora de começar a falar?”, a mulher responde
fazendo pouco caso do homem diz que não tem nada a tratar com criaturas mortas e que ela
não ficará nesta situação por muito tempo.

O próximo vídeo se inicia com a mulher segurando o rosto da menina com ambas as mãos e
seus olhos não se desviam nenhum momento dos olhos da criança. Esse vídeo é o que tem
maior duração, de aproximadamente 6 horas e durante todo o tempo a mulher apenas segura
o rosto da criança que não demonstra nenhuma reação, no final do vídeo a mulher abre a
roupão (hospitalar) que está utilizando e é possível ver inúmeros cortes em todo o seu corpo.

Caio pede auxilio para Gabriel para ver se o especialista em estudo do sobrenatural conhece
alguma coisa sobre o assunto, o mesmo então começa a descrever tudo o que sabe.

Gabriel mostra para os vampiros que a mulher já não possui mais as pontas dos dedos, e que
provavelmente foi cortada pelos Nosferatu e que algum tempo já havia se passado pois os
ferimentos da “cirurgia” estavam praticamente cicatrizados, depois disso ele aponta para os
símbolos que estão em toda a área na parede, os símbolos foram feitos provavelmente com a
unha desenhando assim através da poeira que se encontrava incrustada na parede, todos
esses símbolos são runas estranhas, Gabriel não consegue decifrar todas elas, porém ele
consegue entender o contexto, foi uma marcação, o local foi marcado com algum proposito.
Após a mulher abrir o roupão e mostrar as marcas ritualistas que ela fez na próprio corpo ele
conclui que são runas para efetuar a troca de corpos, algo que ele nunca havia visto antes e
nem acreditava ser possível, como um mero mortal poderia conseguir fazer algo desse porte,
foi essa a pergunta que ele se fez.

O ultimo vídeo começa com a mulher chorando enquanto tenta enforcar a pobre criança (que
agora mesmo sendo uma criança era possível ver algo de maléfico em sua face) logo após essa
tentativa um Nosferatu aparece na sala e contém a mulher que estava a ponto de matar
asfixiada a criança, mas um corte no video é feito e a próxima cena mostra apenas a criança
saindo de mão dada com um Nosferatu enquanto olha para a câmera e dá um sorriso e um
pequeno aceno malicioso.

A mulher agora esta livre, presa no corpo de uma criança e nenhum membro do bando tem a
minima idéia do que isso significa, alguns acreditam que seja infernalismo, outros apenas um
poder misterioso, mas todos tem uma certeza, que isso é algo muito maior.
---------------------------------------------------------------------------------------

Palla Grande

---------------------------------------------------------------------------------------
O grande dia finalmente chega, o plano que o bando utilizou para atacar as fileiras da
Camarilla deu muito certo e eles tinham a cria do príncipe, como recompensa, ela seria
apresentada pelo Bueiro na festa de comemoração de dia das bruxas, todos estavam muito
ansiosos pois depois de todos os problemas que aconteceram finalmente eles conseguiram
alguma coisa boa, um verdadeiro sucesso absoluto, um presente para Doutor Jones e a chave
para Bueiro se tornar bispo e ajudá-los com a situação que viviam em Santo André…ao menos
esse plano tinha tudo para dar certo ou melhor quase tudo…

O bando chega na catedral e percebe toda a euforia de diversos vampiros que já estavam lá,
conversaram com alguns conhecidos e aguardavam a chegada de Bueiro e o inicio das
festividades. O cenário parecia um mundo pós apocalíptico fogo em latões para todos os
lados, vampiros desafiando seu maior medo pulando sobre fogueiras com chamas gigantes e
alguns só observando todo esse cenário de terror.

A noite continua caindo e Carlos pede inúmeras vezes para Mestre Esteban levá-lo para
conhecer o grande Cardeal Doutor Henry Jones Junior que se encontra em uma sala especial
onde estão os bispos e algumas outras figuras ilustres. Mestre Esteban decide levar os novos
membros (Carlos, Susana e Alonso) para a apresentação do Cardeal, porém ele adverte que
Carlos deveria tirar o brinco que se encontrava em sua orelha, já que poderia colocar em risco
todos os membros do bando, Carlos concorda e o grupo prossegue para fazer a tão esperada
apresentação.

Ao se aproximar do cardeal, Carlos coloca o brinco novamente em sua orelha esquerda, efetua
os devidos comprimentos, para sua surpresa ele foi reconhecido pelo Doutor Jones que é um
grande fã do seu livro, ambos perdem alguns preciosos minutos conversando sobre o livro, os
demais membros do bando só ficam observando a conversa e não entram no assunto, o assunto
começa a esfriar e Carlos deixa o Cardeal para receber os outros membros do bando, Susana
faz uma reverência o cumprimenta e diz que ela pode ser útil pois consegue facilmente o
armamento que ele quiser, Alonso o cumprimenta num gesto meio tímido e seguem para longe
do cardeal, a única coisa que Carlos ficou surpreso foi que o cardeal não reconheceu o brinco,
mas isso ficaria para uma conversa em outro momento.

Ao retornarem ao salão principal o bando passa a observar a movimentação dos seus inimigos,
pois após o Ductus Caio sair da reunião, que os ductus tiveram para se reportarem ao Doutor
Jones ficou claro que Pai Pedro e Salvatore estavam de olho neles ou melhor no território.
Salvatore e Pai Pedro estavam juntos acompanhado da intrigante presença do Bispo Paulo isso
claramente era uma mau presságio para o bando.
Bispo Frank se aproxima de Caio e eles tem uma breve conversa, todos sentiram que tinha
uma pequena inclinação de Frank para com os interesses do bando, isso era muito bom mais
um apoio inesperado, as coisas estavam começando a mudar.

O bando tinha como idéia principal para a Palla Grande nomear Bueiro como bispo, mas como
eles iriam fazer isso, e se todos os demais hostilizassem Bueiro??? então Carlos tem uma
grande idéia, primeiro tentar se aproximar do grupo do Pai Pedro e Bispo Paulo para saber o
que eles estavam conversando e uma outra pessoa se aproximar de Salvatore com o mesmo
propósito.

Paulo e Pai Pedro estavam falando sobre as recentes ações de Bueiro e desaprovando o seu
comportamento completamente, Paulo diz que para Pai Pedro não se preocupar porque ele já
iria tomar as ações necessárias, porque agora que Marius não era mais Arcebispo ninguém
precisava mais dos seus cães andando por ai. Salvatore não estava falando nada demais.

Antes do grupo se reencontrar, Doni e Caio trocam muitas farpas, todas as provocações foram
falsas pois Caio e Doni já tinham um pequeno acordo, um acordo que foi firmado a algumas
noites com as mortes de inúmeros membros do Trólebus da Morte.

O grupo se reencontra em um local um pouco mais afastado e é repassado a informação que


foi obtida através de leitura labial, uma habilidade que poucas pessoas possuem. Carlos
percebe que a idéia de tornar Bueiro um bispo pode dar errado então decide dividir alguns
membros do bando para rechaçar qualquer tipo de resistência que houvesse quando Bueiro
chegasse com os prêmios que seria dado para o Cardeal.

Carlos conversa com o Caio e solicita para ficar em cima do telhado do galpão para ver o
futuro bispo chegar antes de todos e ter tempo de conversar com ele antes e avisá-lo que o
plano teve uma pequena mudança. Caio autoriza a idéia de Carlos e ele antes de ir para o
local fala para Mestre Esteban ficar do lado do Bispo Paulo que era o membro mais influente
que poderia tentar uma ofensiva hostil contra o plano do bando, Dimitri vai ficar próximo do
Pai Pedro em forma de Zulu e Victor ficará próximo a Salvatore, caso qualquer um levante a
voz quando Bueiro começar a falar os membros estão preparados para conter a iniciativa e
começar até mesmo uma pancadaria se fosse necessário .

Carlos já em cima do telhado é o primeiro a notar a chegada de uma VAN de Bueiro com
alguns membros do bando dele, não todos, alguns já estavam presentes. Carlos liga
imediatamente para Caio que segue para interceptar Bueiro e avisá-lo, os demais membros do
bando se dividem entre os demais cainitas presentes para ovacionarem Bueiro durante o
discurso que o mesmo fizesse. Caio conversa com Bueiro e diz o que esta acontecendo, Bueiro
diz que vai entrar da mesma forma e prosseguir com o plano, só esta esperando

Doutor Jones começa a discursso dizendo como o Sabá é poderoso, falando sobre as palla
grande que eles participaram, de como esse ritual é importante para firmar ainda mais laços
entre os membros do Sabá, ele continua com o discurso e quando esta para finalizar os
membros que acompanhavam Bueiro juntamente com Carlos e Caio começam a abrir caminho
em meio a multidão, Bueiro carrega a cria do príncipe enquanto sua sacerdote carrega a
Harpia que a poucos dias haviam sido capturados. Os cainitas começam a abrir caminho e o
silencio passa a reinar de forma absoluta no local. Bueiro chega ao palanque e joga a cria do
príncipe juntamente com a harpia, ambos empalados e fala.

Esta ai seu presente Doutor Jones, o ex xerife e cria do príncipe, eles foram capturados a
algumas noites e agora são seus.

A multidão vai do silencio ao completo êxtase em menos de 1 segundo, Doutor Jones tem uma
pequena dificuldade em silenciá-los para continuar falando.

Isso é o primeiro simbolo do sucesso do Sabá, isso é um simbolo da união e lealdade, isso é o
que vamos fazer com todos os porcos da Camarilla.

A multidão vai a loucura e Doutor Jones pede silencio.

Eu vou deixar ambos pendurados na parede da catedral para cada um de vocês quando entrar
lembrarem quem somos nós e o que vamos fazer com os porcos da Camarilla e muito em
breve toda essa parede estará forrada com aqueles porcos imundos.

Mais uma vez os membros aclamam Doutor Jones, e se nota que tudo o que o Arcebispo Marius
não tinha de carisma Doutor Jones tem de sobra.

Bueiro sobe no palanque e chama a atenção da platéia que tem olhos só para o Cardeal.

A partir da agora eu não devo mais ser chamado de Ductus Bueiro e sim de Bispo Bueiro, vou
honrar o grande ArceBispo Marius e sua ideologia e se alguém tiver alguma coisa contra diga
agora, porque podemos resolver isso aqui e agora.

Ninguém se pronuncia e o bando começa a aplaudir e gritar o nome de Bueiro, quase todos os
cainitas presentes fazem a mesma coisa.

Mestre Esteban que estava próximo do Bispo Paulo e do Pai Pedro ouve as reclamações e a
indignação dos dois, Esteban deixa escapar um pequeno sorriso de satisfação, as coisas
realmente poderiam melhorar.
---------------------------------------------------------------------------------------

Invasão a Catedral, uma conversa entre dois lideres!!!

---------------------------------------------------------------------------------------

A grande garagem de trens já esteve mais cheia. Ele podia ver pouco mais de 15 arruaceiros
que discutiam, conversavam ou mesmo brigavam entre si naquela área inóspita e depreciável.
Que desperdício de eternidade viver assim, como se fossem mendigos brutais sem inteligência
– Balthazar pensou enquanto encaminhava para o galpão que lhe fora indicado.

- Tá perdido Chicão? Não parece tão grande quando tá sozinho – Um homem qualquer
esbraveja para Balthazar que caminha sem se importar com a tentativa de provocação. Não
adianta correr com o rabinho entre as pernas não Chicão! – disse o homem enquanto se
aproximava - A gente tem contas pra acertar agora e você só sai daqui com as pernas
quebradas.

O estranho colocou a mão bruscamente no Ombro de Balthazar na intenção de força-lo a


ficarem frente a frente, mas Balthazar se adiantou e fitou seus olhos de uma maneira
profunda e pode sentir que violava a alma desta criatura insolente de uma maneira quase
perversa. Onde está o Cardeal Jones? – perguntou Balthazar com uma voz seca trovejante que
chamou a atenção, perderia a consciência quando depois de um instante sentiu uma gota de
suor vermelho escorrer por sua testa e ouviu as palavras saírem de sua boca sem perceber
que fora ele que as pronunciava. – No Galpão. No escritório. Subindo as escadas!

Balthazar se desvincilhou do homem, que permaneceu paralisado, e seguiu para o galpão com
passos lentos. O galpão exalava um cheiro de poeira que faria um mortal sentir dificuldades
para respirar e uma escuridão rompida apenas por uma fraca iluminação proveniente de uma
sala escadas acima, provavelmente onde se encontrava o Cardeal Jones. Subindo lentamente
os degraus, Balthazar abre a porta e se depara com dois homens observando um mapa da
cidade de São Paulo. O mapa não possuía nenhuma marcação, que poderia ser uma
informação valiosa para se possuir naquele momento, portanto focou a atenção nas figuras
que estavam a sua frente.

- Saudação Cardeal Jones – Balthazar se introduziu enquanto fechava a porta – Trago meus
sinceros cumprimentos à tão obstinado inimigo, se podemos nos colocar nesta posição. Sou
Balthazar dos Tremere, Príncipe do distrito de São Paulo.

- Que merda você está falando Francisco? – Indaga o homem mais baixo.

- Francisco, sim. Chicão. – Balthazar deixa escapar um pequeno sorriso desdenhoso – Ele é o
veículo que utilizo para vir lhe falar, Cardeal Jones. Não me julgue por este fato. Ele será
entregue de volta a sua própria vontade quando terminarmos nossa confabulação.

Jones cerra os dentes e fita Balthazar com ódio no olhar enquanto desfere um violento golpe
contra a mesa – NÃO TENHO NADA A TRATAR COM VOCÊ, PORCO DA CAMARILLA!

- Devo discordar – comunica Balthazar – do mesmo modo que devo lhes parabenizar pela
ousadia demonstrada. Quando aquela que vocês chamam Cachorro Louco investiu contra
Samuel, representante dos Brujah em São Paulo houve várias baixas. Um número considerável
de vocês encontrou a Morte Final para alcançar seu objetivo, um grande sacrifício em suas
fileiras, e nos causaram vários transtornos – Balthazar se inclina contra uma cadeira e senta
lentamente – mas os Brujah são uma família desunida. O que se pode fazer? Preferem buscar
culpados entre os Aliados ao investir contra os assassinos de seu ancião. Já os Tremere não
podem aceitar o mesmo tratamento, seria imperdoável.

- ONDE É QUE QUER CHEGAR SEU CAMARILLA DOS INFERNOS? – grita o Cardeal Jones não
escondendo sua exaltação.

-Pois bem, você tem algo que me pertence Jones. Quero minha progênie de volta Jones.

- Sua... Progênie? – Jones olha para o Bispo Paulo que desvia o olhar quando é confrontado e
então volta a fitar Balthazar – Não há nada que pertença a você nos nossos domínios, criatura
imunda! Se você perdeu algo, então está perdido para sempre, agora desapareça de minha
presença antes que seu odor fétido fique impregnado em todo o meu escritório.

- Detenha seu ódio Jones, ele o cega. Eu sei que minha Progênie não foi destruída, até então,
sei que Membros o capturaram e eu sei que ele foi trazido para seus domínios. Eu o quero de
volta. Reconheço o valor daqueles que o capturaram e sei que devo tratá-los como inimigos
dignos, assim como faço com sua pessoa Jones e estou disposto a pagar o resgate que me for
exigido, desde que seja justo.

- Resgate? Com quem você pensa que está tratando seu rato imundo? Com seus Anciões...

- Estou tratando com o inimigo, Jones. Não me importa se seu objetivo é o fim da trégua ou
se pretende tomar a cidade, estou aqui para negociar a libertação da minha Progênie e sugiro
que reconsidere.

- Resgate, agora Trégua? - Jones bate na mesa causando um estrondo - Ouço palavras de um
derrotado, e eu não negocio com derrotados, eu apenas os aniquilo!

- Me pergunto por que a Sra. Renita não o perseguiu e o exterminou logo após aquela fatídica
noite que vocês invadiram o principado de Crystal Lake.

Jones começa a fitar Balthazar com mais apreensão e pela primeira vez não responde de uma
maneira agressiva e desdenhosa - Então investigou o meu passado?
- Não, recebi um relatório. Nele relata sua ascensão no Sabá quando você liderou o ataque ao
Principado de Crystal Lake, aponta sua participação na tomada da Filadélfia e sua incursão a
Paris em busca de Infernalistas, o que achei muito honroso da sua parte, por sinal.

- Então vocês me observam? Um motivo a mais para não confiar em vocês.

- Pelo contrário, não nos importávamos com o que você fazia, até agora. Seja livre não é?
Viva e deixe viver, não é o que dizem? Não é como o Sabá vive? Vocês tiraram minha
liberdade me forçando a vir negociar e oferecer uma compensação, não faça com que me
arrependa, portanto, aceite minha oferta Jones.

- Uma oferta vazia, é o que você propõe.

- Uma oferta real. Sofri uma baixa, e devo ser punido. Você pode escolher minha punição, ou
apenas aguardar minha retaliação imediata.

- Me ameaça, em território Sabá...

- Eu o exalto, e admito derrota, mas você mantêm um refém que me é precioso. Diga seu
preço Jones, não irei perguntar novamente, e será pago, contanto que seja justo
----------------------------------------------------------------------------------------

Ruas Escuras e Sem Pele é apenas uma coincidência?

----------------------------------------------------------------------------------------

Alguns dias depois de Carlos começar a estudar o estranho brinco coisas estranhas começam a
acontecer. Tudo começou com um sonho muito estranho, ele estava em mundo onde tudo era
feito de sombras, por algum motivo ele podia enxergar em meio a toda a sombras do mundo,
o universo era algo simples, apenas casas trancadas, com janelas fechadas, tudo feito de
sombras. Ele andou por o que ele considerou dias e ainda assim não encontrou nada. Cansado
ele decide descansar por algum tempo até ter alguma nova idéia. Após se sertir renovado e
pronto para sair desse lugar ele decide escalar uma dessas casas para tentar enxergar o que
tem a frente, mesmo com um pouco de dificuldade ele consegue chegar no seu objetivo e
olha ao fundo e vê uma fogueira vermelha, então decide que por ser a única coisa diferente
em meio a tudo isso poderia ser a chave para escapar desse lugar, ja agoniado por estar preso
poderia ser sua única salvação. Chegando nas chamas vermelhas ele nota que não tem como
ele passar pela rua, pois a chama vai de um lado até o outro, nesse momento existe apenas
uma e pouco tempo depois enquanto ele ainda estava observando surge a segunda chama, isso
chama o intriga demais. Carlos pega o sapato, tira o cardaço, amarra no sapato para poder
arremessar nas chamas e puxar depois, quando ele joga algo estranho acontece, algo muito
estranho, para a sua surpresa o que aconteceu foi exatamente nada, a chama não incenerou o
sapato e quando ele puxou novamente estava completamente normal, estranho simplesmente
estranho.

Intrigado e ainda preso naquele universo paralelo completamente estranho Carlos decide
colocar a mão no fogo literalmente. Carlos acorda e acha que se passaram dias, a única coisa
que ele se lembra é um frio absurdo quando entrou em contato com a chama e entrando em
um estado de catatonia extrema, preso nesse mundo o desespero toma conta dele e se for
para ficar preso nisso é melhor pular nas chamas, quando sai correndo para dar fim na sua
existência ele acorda em sua cama em seu belo apartamento na avenida Portugal.

Na mesma noite que Carlos acorda ele acaba descobrindo através de um dos contatos do
Victor que os assassinatos continuavam, mas dessa vez de forma diferente, claramente outro
tipo de ritual, os sem pele, o assassino matava e arrancava a pele do rosto da vitima.

Carlos chama Giovanni e Susana para acompanhá-lo em uma busca e se apressa para ir até o
IML falar com um dos seus contatos para tentar conseguir alguma informação, chegando la ele
vai direto falar com o seu um dos seus contatos que também é seu amigo de infância. Não foi
surpresa para nenhum dos dois encontrar um cadáver sem a pele do rosto. Giovanni usa de
seus conhecimentos na área de medicina para conseguir informações uteis e proveitosas, além
de tirar um pouco de sangue do cadáver para fazer uma analise mais profunda em breve.
Eles decidem ir ao hospital municipal de Santo André onde Giovanni é traumatologista para
efetuar a analise do sangue do cadáver. Giovanni consegue sem muitas dificuldades convencer
uma biomédica fazer a analise sanguínea, para a surpresa de ambos tinha uma substancia
raríssima, uma erva que não era originária do Brasil e que era de difícil circulação, não
possuía traços de ser medicinal, enfim ela não tinha qualquer uso a não ser a morte, que
causava parada cardíaca e respiratória levando ao óbito em pouco tempo, com o nome da
erva em mãos, eles decidem voltar para o refugio comunitário para transmitir essa informação
para o resto do bando.

O bando inteiro ouve atentamente todas as informações e decidem investigar para obter mais
informações, Susana liga para os seus contatos no porto para saber se há entrada de ervas,
temperos, alguma coisa que possa ser útil, descobre que não há entradas (importação) desse
tipo, então ela solicita uma lista de empresas que trabalham com esse tipo de material, seus
contatos dizem que irão mandar a lista o quanto antes. Enquanto isso Rodolfo por conhecer
contatos com o oculto, sai atrás dos seus contatos para conseguir informações. Durante a
busca ele consegue se lembrar de algo sobre a planta utilizada e decide ir em uma loja de
ervas que por sorte fica aberta até as 22h, chegando la ele conhece um herborista que diz que
essa erva é utilizada por Shamans russos e tem varias lendas sobre licantropia envolvendo essa
mesma planta. Rodolfo e companhia decidem voltar para o refugio e repassar novamente
essas informações.

O grupo chega ao refugio e reporta a ação que tomaram, Carlos vê na garota especialista em
ervas uma excelente oportunidade de adquirir um contato proveitoso, então entra em contato
com ela, explica quem ele é e o que pretende, a convida para um jantar, ela prontamente
aceita.

Na noite seguinte Carlos tem novamente o mesmo sonho estranho, porém dessa vez aparecem
criaturas humanóides de baixa estatura, o mais estranho foi como surgiram próxima a uma
fogueira, três dessas criaturas estavam dançando e param repentinamente uma delas abre os
braços e é apunhalada no peito pela outra, ela cai no chão e desaparece e se torna mais uma
fogueira, os sonhos estão se tornando cada vez mais estranhos.

Ao acordar e se recordar do sonho Carlos pensa ser possível os assassinatos estarem ligados ao
seu sonho, quando procura no jornal do Diário do Grande ABC ele encontra relato de mais uma
morte não explicada, então ele decide ir até o IML para conseguir novas informações com seu
amigo.

Novamente Giovanni o acompanha até o IML, chegando lá eles vão de cara conversar com o
seu contato lá dentro que não se recorda do dia anterior, Carlos que finge de desentendido e
decide mudar um pouco a história dizendo que estava lá em busca de inspiração para o
próximo livro e pede para mostrar os corpos, seu amigo não acha tão estranho a atitude de
Carlos e começa a mostrar os corpos que ali se encontram, Giovanni com seu extraordinário
conhecimento adquirido com a prática na unidade de emergência encontra sinais que
poderiam ser do mesmo assassino, eles pegam novamente amostra de sangue e cabelo, caso
precisem no futuro e decidem voltar para o refúgio.

Mais uma noite se passa e Carlos novamente tem este sonho, porém dessa vez aumentou duas
fogueiras e não uma, o assassino estava agindo mais rápido e isso era claro.

Carlos continua sonhando noite após noite com as chamas na cidade em sombras até que o
círculo se completa com 7 chamas queimando frias e vermelhas.
--------------------------------------------------------------------------------------

Carlos toma uma atitude e muitos o condenam

--------------------------------------------------------------------------------------

Havia se passado inúmeras noites desde o incidente no Primeiro de Maio e o bando continuava
na mesma, sem um norte, sem informações, completamente perdidos e agora também
paranóicos, tudo o que acontecia para eles era algo profano e que poderia levá-los a morte
final.

Carlos já tinha iniciado o seu plano na construção de um refúgio coletivo fortificado e com
toda a segurança necessária para o bando, nele iriam conter armas, segurança privada
contratada para proteger os cainitas durante o dia, além de um local no subsolo onde
pudessem efetuar suas reuniões sem serem incomodados, um verdadeiro pentágono em plena
Santo André.

Mesmo o refúgio não estando pronto, o bando já se encontrava reunido nele para tomar
algumas decisões importantes que refletiria no futuro do bando, entre elas a ideia de Carlos
sobre a contratação de uma empresa de tecnologia para criar um aplicativo para celular onde
eles pudessem obter a localização exata de cada membro e outras ferramentas de
comunicação criptografada com o objetivo de manter o sigilo das conversas, pois o bando
estava com medo de estarem grampeando cada conversa que eles tinham, seja ela por e-
mail, telefone fixo e até mesmo celular, para sua surpresa todo o bando reagiu de forma
positiva e aceitou a idéia.

Mais algumas noites se passaram e Carlos continuava indignado com a falta de atitude do
bando e com a atual situação que eles viviam, decidiu então que era hora de confrontar o
Ductus para extrair os motivos pelos quais Caio não queria pedir ajudar aos Nosferatu. Carlos
começa a questionar Caio que passa a responder defensivamente, que não existe nenhuma
possibilidade de entrar em contato com os Nosferatu. Carlos continua questionando de forma
incisiva para obter uma resposta que seja plausível, Caio continua utlizando a mesma linha de
raciocínio dizendo que não tem como perguntar para os Nofesratu através da rede de
contatos exclusiva e que não tem como ir até o lugar onde eles ficam. Carlos então desiste de
questionar os motivos e decide mudar sua estratégia, pergunta como ele mesmo pode
encontrar com os vampiros informantes. Nesse momento com todo o bando reunido Caio
começa a se contradizer e deixa claro que não quer que ninguém entre em contato com eles.

Carlos então questiona Rodrigo um Nosferatu foragido da Camarilla que faz parte do bando a
algum tempo de se é possível entrar em contato com os Nosferatu, Rodrigo fica numa
situação delicada, se responder a verdade vai contra Caio, se mentir descaradamente vai
contra os interesses de Carlos, ele politicamente responde que existe sim formas de entrar
em contato e passa um endereço para Carlos, Caio então responde dizendo que é território da
Camarilla.

Mestre Esteban intercede a discussão antes que tomasse um ar de briga e diz que se Carlos
esta disposto a fazer isso será por total conta e risco dele, e que ninguém deve restringir a
liberdade de outro membro. Caio indaga que as ações dele podem colocar em risco o bando
como um todo, Carlos imediatamente diz que só estará colocando em risco a própria
existência, então finalmente a discussão termina com a derrota do ductus. Carlos agora tinha
uma missão.

Dimitri após o termino da discussão decide chamar Carlos para uma conversa particular onde
lhe entrega um cartão de visitas e informa que caso aconteça qualquer tipo de problema para
ligar para este número que ele estará seguro. Carlos passa a questioná-lo de quem é o contato
e Dimitri se resume a dizer que se tiver problemas é só ligar e se recusa a dar qualquer
explicação, Carlos cansado de mais uma discussão acata a vontade de Dimitri chama um taxi a
se dirige para o local onde finalmente conseguirá comprar as informações tão desejadas pelo
bando.

O taxista chega no local indicado por Carlos, ele efetua o pagamento e ansiosamente desce
do carro e vai em direção a porta. (Localização do contato Nosferatu)
https://maps.google.com.br/maps?q=vila+mariana&ie=UTF8&ll=-23.581775,-
46.631397&spn=0.001085,0.002064&hnear=Vila+Mariana,+S%C3%A3o+Paulo&t=h&z=20&layer=c
&cbll=-23.581777,-46.631496&panoid=QEsktHqLOPmi8PB7nk4qKw&cbp=12,206.37,,0,-1.87

Carlos toca a campainha momentos depois um homem aparece e pergunta o que deseja, ele
sem saber como iniciar a conversa apenas pergunta que está ali para trocar informações.
Surpreso o homem abre a porta e pede para que entre.

Ao entrar na casa o homem pede para que Carlos se sente na sala e diz que retorna em
instantes, a sala tinha uma decoração antiga e rústica, era uma sala média (nem muito
pequena e nem muito grande), o chão era de madeira e havia um tapete persa, na parede
havia quadros de paisagem, não possuía nenhum aparelho eletrônico, somente um sofá de 3
lugares e duas poltronas separadas por uma mesinha de madeira, haviam cortinas longas e
pesadas na cor vermelho sangue que cobriam as grandes janelas impedindo qualquer
passagem de sol e olhares de curiosos, o ambiente era hostil e pesado, se ele fosse atacado
agora não teria a minima chance de sair bem da situação, sozinho e sem nenhuma técnica de
combate facilmente seria vencido. Cada segundo passa a ser uma eternidade enquanto ele
aguarda o retorno do homem que finalmente aparece portando um bloquinho e uma caneta
em mãos, ele se senta.

- Qual o seu nome senhor?


Carlos surpreso responde.
- Me chamo Daniel e o senhor?
O homem não demonstra nenhuma expressão e diz:
- Não devemos começar nossa entrevista com mentira senhor Carlos, muitos poderiam tentar
mentir para mim, mas você, sendo uma celebridade famosa, acho que fica difícil não é, então
que tal recomeçar?

Carlos esboça um sorriso sem graça e nem se deu conta que poderia ser reconhecido e que as
pessoas ainda poderiam ler livros de terror, se é que podemos chamá-los de pessoas.

Carlos vai direto ao assunto, pois conclui que não vale a pena perder tempo tentando mentir
para quem possui todas as informações possíveis:
- Gostaria de vender algumas informações em troca de outras, primeiro sobre o Cardeal
Doutor Jones que se encontra em São Paulo, eu tenho como entrar em contato com ele e
também posso conseguir mais informações e o mais importante eu sei do paradeiro da cria do
príncipe, porém eu quero acesso a alguns acontecimentos intrigantes que chegou a meu
conhecimento.

O mero ajudante após anotar tudo isso pergunta se tem algo a mais, e diz que alguém entrará
em contato para terem uma conversa pessoal a privada. Carlos por sua vez passa a questioná-
lo se não existe alguma forma de entrar em contato com alguém imediatamente, o mortal
apenas responde que não e que deve esperar o retorno provavelmente na noite seguinte ou na
próxima.

Carlos sai da residência nada satisfeito e com a sensação de que deveria voltar e exigir uma
resposta imediata, esperar receber uma resposta é uma total perda de tempo porém diante
desse conflito a melhor saída é pegar um taxi, enquanto esta no taxi vagando em seus
pensamentos, em ideias para ajudar o bando ou alguma outra alternativa, repara que há um
carro preto atrás do taxi a uns 2 quarterões, crê que deve ser coisa de sua imaginação. Após o
taxi virar mais umas duas ruas vê que esta sendo seguido, ligeiramente ele reconhece o carro
é um Dodge Journey, ele tenta despistar o carro, mas sem sucesso numa tentativa
desesperada ele pede ao taxista para que pare no metrô Santa Cruz.

Quando o taxi para no metrô ele observa o carro para ver se alguém desce, mas as pessoas de
dentro do carro continuam intactas, então ele sai correndo para dentro do metrô ele percebe
que várias pessoas o olham para ele, algumas pessoas curiosas, outras desdenhando se
esquece de que é famoso e fica intrigado de o porquê das pessoas estarem o observando, até
que chega uma mulher jovem de cabelos vermelhos, muito bonita e pergunta se ele não é o
Carlos autor do livro Sobrenatural, ele com uma sensação de alívio, diz prontamente que é
ele mesmo, a mulher então puxa assunto sobre seu livro, eles entram no metrô em direção a
estação Ana Rosa.

Carlos quando passa a catraca do metrô procura para ver se encontra alguém anormal, ou
diferente que lhe apresente uma ameaça, mas nada encontra a não ser os olhares das
pessoas.

Ao embarcar num vagão ele nota que há poucas pessoas, um casal de namorados trocando
caricias, uma velhinha de cabelos brancos que parece um algodão doce, um senhor que não
para de falar ao celular ele balbucia algo sobre uma reunião com alguem poderoso, uma
mulher e duas crianças que ficam pulando de banco para banco, a mãe da voz de ordem mas
as crianças parecem não ouvir, todos no vagão pareciam nem notar a presença de Carlos.

Fazia tempo que Carlos não andava de metrô, aliás ele nem lembrava como era andar em um
transporte público, chegando na Ana Rosa ele olha o mapa para tentar ir para Sto André, ele
vira a cabeça para os lados, mas nada entende, então ele resolve sair do metrô e pegar um
taxi.

Quando vai para o ponto de taxi ele avista varias pessoas, estando num local com várias
pessoas crê que está seguro, liga para Dimitri na esperança de ser salvo, mas Dimitri não
atende, nisso Carlos decide pegar um taxi e novamente tentar ir para Santo André sem ser
seguido dessa vez.

O taxi chega e Carlos rapidamente entra pois algumas pessoas já haviam notado que ele era o
famoso escritor de contos de terror, quando ele está no taxi olha para os lados para ver se
avista novamente o carro no qual estava seguindo, mas por enquanto ele não vê nada.

Apesar de não ver nenhum carro, ou alguma ameaça de que está sendo seguido, ele continua
atento procurando a qualquer carro suspeito.

Quando o taxi está próximo ao Ipiranga ele avista o carro, Carlos não entende como poderiam
continuar seguido ele, tenta lembrar algum fato no metrô, alguém suspeito ou alguém que
tenha feito uma ação diferente ou suspeita mas não consegue lembrar de nada, depois
percebe que é apenas fruto da paranóia generalizada e prossegue sua viagem de forma
tranquila.

Tranquila até Carlos notar que o percurso que tinha solicitado ao taxista era um e o que o
taxista estava o levando era outro, na rua em que estava era vazia e mal iluminada, Carlos
tinha a sensação de que poderia ser uma armadilha e então gritou para o taxista, este que
aumentou as notícias do rádio, frustrado Carlos tenta abrir a porta do carro mas sem sucesso,
sem poder fazer nada ele ficou quieto sentado.

Ao ver que Carlos se acalmou o taxista abaixou o som e falou: sabe Sr. Carlos minha filha é
muito fã do senhor, ela é uma menina muito inteligente, mas no ano passado ela contraiu
uma doença que não permite mais que ela saia da cama e ela adoraria conhece-lo pois ela já
leu o seu livro milhares de vezes.

Depois que eu o levar para vê-la eu levarei o Sr. ao seu destino final, ok? E o taxista deu um
sorriso. Carlos poderia imaginar qualquer coisa, que seria sequestrado, que iriam exigir
dinheiro ou que poderiam sequestrar sua família e mandar para o Himalaya, mas ficou
surpreso ao ouvir o pedido de um simples pai, no lugar do taxista ele faria o mesmo por sua
filha.
O taxista morava numa casinha minuscula na favela, estacionou o carro e entrou com Carlos,
foi até o quarto de sua filha que para surpresa do Carlos era um quarto onde haviam varias
camas, provavelmente todos dormiam juntos, quando a menina viu Carlos, gritou e chorou
por ver o seu ídolo tão de perto.

Carlos se aproximou da menina e lhe deu um livro autografado com uma dedicatória,
trocaram mais algumas palavras mas já estava tarde e precisava realmente voltar ao refúgio
pois nessa brincadeira foram horas e já estava quase amanhecendo.

Carlos então chama o taxista e diz que precisa ir urgente para o seu destino final, o taxista
cumpre sua palavra e a pedido de Carlos que estava começando a ficar aflito quanto ao
horário e começa a correr como um piloto de fuga, cortando ruas, pegando atalhos até que
finalmente chegam no local.

O taxímetro marcou o valor da corrida em R$250,00, para o famoso autor de livros de terror
R$ 250,00 não era nada, então ele paga a corrida, deixa uma gorjeta de 750 reais e segue em
direção ao refugio.

Na noite seguinte Carlos conta tudo o que aconteceu até a parte da perseguição e omite o
final da noite quando foi até a residencia do taxista.

Duas noite se passam e finalmente Carlos recebe a tão esperada ligação, o cainita diz que
quer se encontrar com Carlos para tratar o assunto, Carlos pergunta onde pode ser o ponto de
encontro e para a sua surpresa ele sugere que seja no território do bando no parque
conhecido por Ipiranguinha na Vila Alzira, Carlos aceita e diz que estará lá no horário
marcado.

Chegando lá um homem completamente comum chama pelo seu nome, ele se aproxima e o
homem pergunta se ele se importa de pular o portão do parque para ter uma conversa mais
tranquila sentados em algum banco, Carlos aceita, o homem pergunta também se pode usar
um dos seus dons para deixá-los completamente invisíveis, Carlos novamente aceita e ambos
pulam o portão.

Carlos não perde tempo, mesmo estando na presença de um vampiro que ele julga poderoso
ele vai direto ao assunto dizendo que sabe onde está a cria do Príncipe, que tem muitas
informações do doutor Jones, então ele é questionado sobre quais informações, ele diz que
ninguém sabe ao certo o real motivo para o Doutor Jones estar na cidade e também que o
antigo Arcebispo Márius não confia e não acredita em toda o potencial que o grande Cardeal
possui.

O Nosferatu passa a questioná-lo mais afundo sobre as informações que ele possui e Carlos
não mede esforços para dizer toda a verdade, pois ele pensa que o bando tem problemas
maiores e o auxilio desse poderoso informante será de extramente utilidade, além de que se
o Cardeal é assim tão poderoso como ele acredita tudo o que ele disser não irá causar
nenhum problema porque o Cardeal não correrá nenhum risco de chegar a morte final. O
Nosferatu aparenta acreditar em tudo o que o Carlos disse e se diz satisfeito com as
informações obtidas e pergunta o que quer em troca, Carlos mais uma vez mostrando
sinceridade responde que não sabe quanto essas informações são valiosa para fazer um preço
e diz que entrará em contato solicitando informações e quando o Nosferatu achar que atingiu
o preço o contrato se encerra, até lá Carlos disse que conseguirá ainda mais informações pois
tem algumas formas de entrar em contato com doutor Jones. O Nosferatu demonstra estar
satisfeito e diz que o Doutor Jones está la por causa do de um antigo companheiro atualmente
um traidor do Sabá e que ele mesmo quer captura-lo e enfiar suas presas, o nome do traidor é
Elric.

Carlos retorna esboçando uma felicidade palpável porque conseguiu o que ninguém tinha feito
até então, um acordo para conseguir informações e auxilia-los a resolver os casos, ao contar
tudo isso para o bando, Henrique diz que ele vendeu informações para o inimigo e que deve
ser tratado como traidor, Caio desaprova e diz que colocou em risco todo o bando, Antônio
pelo simples fato de não aturar a personalidade de Carlos vai contra o mesmo, Mestre Esteban
diz que ele foi precipitado e colocou os cavalos na frente da carroça, quase todos vão contra
Carlos.

Carlos então decide conversar com o Doutor Jones sobre alguns assuntos, ele chama Gabriel,
Dimitri e Caio para acompanhá-lo, chegando lá Carlos se depara com um problema o bispo
Frank está conversando com o Doutor Jones, os cainitas decidem esperar, mas Carlos
novamente de forma impetuosa decide abrir a porta e diz que tem noticias urgentes para
comunicar o Cardeal, para a surpresa dos demais cainitas Doutor Jones aceita e pede para ele
entrar, Carlos diz que precisa conversar com ele pessoalmente, então o bispo Frank se retira,
ainda inseguro Carlos pergunta se Doutor Jones poderia fazer alguma coisa para garantir ainda
mais que não seriam ouvidos, o cardeal mostra surpresa e reluta um pouco, mas no final cede
e utiliza uma mortalha com uma abertura no centro para poderem conversar completamente
a sós.

Carlos vai novamente direto ao assunto e como uma rajada de metralhadora começa a falar
tudo o que ele fez de errado indo conversar com o Nosferatu, dizendo que vendeu
informações sigilosas, mas que não via problemas ao fazer isso.

Doutor Jones leva apenas alguns segundos para assimilar toda a informações que Carlos para a
surpresa dele não houve nenhum tipo de repreensão ou hostilização por parte do Cardeal e
ele ficou ainda mais surpreso quando disse que se os Nosferatu já estão sabendo então
qualquer um pode estar. Ele diz que Carlos não cometeu nenhum crime e admirou a coragem
do neófito de conversar pessoalmente com ele, Carlos então pergunta para o Cardeal se
gostaria que ele fosse o canal de comunicação entre as partes, o cardeal limitasse a
responder que não existe necessidade pois ele mesmo tem os contatos dele. Carlos pede
perdão pela suas atitudes, e pede licença para se retirar, a mortalha se desfaz e Carlos agora
mais do que nunca confiano doutor Jones e que o grande Cardeal é isso o que todo dizem.
Todos voltam ao refugio comunitário e Carlos abre o jogo sobre a conversa com o Cardeal,
Caio desaprova completamente a ação que foi tomada e diz francamente que ele é um perigo
para o bando, todos exceto Dimitri e Rodolfo concordam com o Ductus.
--------------------------------------------------------------------------------------

Ataque Tecnocrata ou loucura generalizada

--------------------------------------------------------------------------------------

Tantas coisas aconteceram nesses últimos dois meses que o bando se encontrava em uma
encruzilhada sem saber para que lado seguir, qualquer tipo de decisão levava o bando a
discussões eternas de qual o melhor passo a seguir. Carlos era o mais pró ativo e
inconsequente do bando e por conta das suas atitudes acabou provocando a ira de alguns
outros membros do bando.

Doni já tinha recebido asilo após ser “destituído” do cargo de Ductus e trouxe aquela péssima
noticia que Jacob pretende pedir Monomancia para o Ductus do Trilhos de Sangue, ao menos
por enquanto eles não precisavam se preocupar com isso pois o grande cardeal Jones tinha
proibido o ritual de seleção “natural”.

O bando se encontrava novamente reunido do refugio coletivo que Carlos construiu para mais
uma noite de procura e paranóia, as mortes dos sem pele e todos esses rituais estavam
tomando tempo demais do bando.

Fábio recebe uma ligação inesperada de um dos seus funcionários dizendo que uma criatura
estranha estava sendo perseguidos por homens de ternos e a criatura se refugiou na loja ao
lado, até os carniçais estavam com medo do que viram e ouviram, então ele decide ir até a
loja.

Fábio vai até o ductus pedir permissão para ir até a loja, pois com as mortes que aconteceram
em ambos os bandos foi decidido que era proibido sair sozinho ou se sair por sua conta e risco.
Henrique decide acompanhá-lo até sua loja para averiguar as informações que o gado passou.

Nenhum dos dois notou que o transito fluia absolutamente bem, um mero mortal acostumado
com o dia a dia teria percebido isso e este era apenas o primeiro sinal de que alguma coisa
coisa estava errada. Ao chegar mais próximo notaram que um helicoptero estranho sobrevoava
o centro de São Caetano do Sul, muito próximo a loja de Fábio. Eles param o carro a uma
distancia segura e se aproximam a pé para entender o que estava acontecendo, eles se
deparam com a policia fazendo um cordão de isolamento e as pessoas todas paradas tentando
descobrir o que estava acontecendo, alguns homens vestindo ternos cinza estava conversando
ao lado da loja de Fàbio, realmente aquilo não era nada normal, principalmente depois de
notar que a porta de ferro tinha sido completamente rasgada por garras gigantes, aquilo só
poderia ser obra de lobisomem ou algo muito maior.
Enquanto eles estavam observando um dos homens de terno cinza se aproxima da multidão,
ambos decidem que ali não é o melhor lugar para continuar observando a ação daqueles
homens e se misturar e meio as outras pessoas para se disfarçar e tentar sair o mais rapido
possivel dali, o plano parcialmente da certo, o que não esperavam é que o homem de terno
continuaria indo atrás. Henrique encontra uma loja de lingeries aberta e decide entrar.

Os vampiros passam a ter uma conversa muito engraçada com a atendente e correm para os
trocadores para se esconder do homem de terno que estava na cola, enquanto estavam
escondidos o homem de terno entra, vasculha o lugar, fala algo com a atendente e se retira
do lugar.

Henrique decide levar uma lingerie super sexy para presentear sua esposa (Fábio). Ao sair
Henrique acha que a melhor coisa a se fazer é entrar em um prédio, acessar a cobertura para
ter uma visão privilegiada do local do incidente.
Eles conseguem entrar sem muitos problemas no prédio, porém, ao entrar notam que as
pessoas estão todas dormindo, em um sono profundo e parece que nada pode acorda-los.
Henrique arromba uma porta de uma loja comercial para ter a vista da janela, chegando la
para o espanto deles, todas as pessoas do lado de fora estão dormindo, dormindo em pe,
nesse momento decidem que a melhor coisa a se fazer é sair dali o mais rapido possivel, a
influencia que aqueles homens de terno cinza tinham sobre os humanos era algo muito mais
poderoso que qualquer um dos dois podia imaginar que existisse.

O medo e desespero tomou conta de ambos os cainitas e eles decidem dividir o sentimento e
decisões com os membros dos bando.

Caio destaca Esteban como lider para a auxiliar os vampiros com problemas. Esteban chama
Dimitri, Rodolfo e Antonio para auxilia-lo. Caio deixa claro que Esteban tem total direito de
tomar qualquer tipo de decisão e todos os demais devem acatar.

Todos os vampiros decidem se encontrar no estacionamento do shopping Gran Plaza após um


debate sem fim de como vão se livrar dos seus perseguidores desconhecidos chegam a
conclusão que é melhor deixar o carro que eles estavam usando no shooping e pegar o carro
do Dimitri para continuar a fuga. Henrique e Fábio decidem parar no restaurante mexicano
para conversar com os demais membros e explicar tudo o que viram. Com todo o clima de
tensão Henrique acaba cometendo alguns erros, o primeiro dele foi falar que queria mesa
para apenas dois, sendo que estavam esperando a chegada dos outros membros do bando, a
garçonete começa a achar estranho as atitudes dos vampiros, mas não toma nenhuma atitude.
Alguns instantes depois entra Dimitri e Rodolfo e se sentam na mesma mesa que estava
Henrique e Fábio, eles começam a conversar sobre tudo o que viram. Esteban entra e se senta
em uma mesa sozinho e liga um dos seus poderes para aumentar os sentidos e poder ouvir a
conversar mesmo a uma certa distancia. Antonio fica do lado de fora observando enquanto
espera o desfecho da conversa. Quando Henrique tentava descrever o que estava acontecendo
começou a gaguejar, sua sangue e tremer, nesse momento a garçonete nota que alguma coisa
estranha esta acontecendo e avisa o gerente. Dimitri percebe que estava acontecendo alguma
coisa errada com os funcionário e ouve o gerente no telefone repetindo inenterruptamente -
“Senhor, eles estão aqui”. Eles decidem sair o mais rapido possivel do restaurante. Quando o
grupo decide se saparar para fugir o vinculli que possuem entre si os impede de deixar o outro
sozinho, o risco era iminente e um precisava proteger o outro do que estivesse para
acontecer. Ao fundo Esteban ouve um barulho de helicóptero e todos decidem fugir de carro
para algum outro lugar. Após grande dficuldade para sincronizar as ações eles conseguem
pegar os automóveis e ir em direção ao uma casa abandonada que Rodolfo possui, eles
chegam la sem nenhum acontecimento especial.

Esteban tenta ouvir o que Henrique tem para dizer e acha absolutamente estranho esse
bloqueio que ele esta sofrendo, alguns minutos depois Henrique se acalma e começa a contar
detalhadamente tudo o que ele viu. Uma conferencia em viva voz é feita para decidir qual
será o próximo passo do grupo e o bando se divide na decisão a ser tomada. Caio não quer que
ninguém vá até São Caetano para ver com os próprios olhos com medo que aconteça algo pior
ou que leve os homens de terno até o restante do bando, Antonio e Esteban apoaim essa
decisão, ja Dimitri, Carlos e Roldofo querem fazer alguma coisa.

Carlos desaparece e resolve criar um evento especial para autografar seus livros, ele posta a
noticia no twitter para dar tempo dos vampiros irem até São Caetano para tentar descobrir o
que estava acontecendo. Caio e Antonio desaprovam a atitude dele e a tensão aumenta no
bando.

O carniçal do Fábio continua ligando inúmeras vezes avisando o que esta ouvindo, que estão
tentando dominar o outros funcionários e fica em desespero, passa a ameçar seu senhor
falando que irá chamar os bombeiros, policia, jornal, qualquer coisa para sair de dentro do
armario que ele se encontra.

O grupo decide agir, Dimitri e Fábio vão até o estabelecimento e chegando la encontram a
porta que estava completamente rasgada igualzinho estava antes e se pergunta como se tudo
o que aconteceu foi real. Eles resgatam o funcionáro e voltam para a casa do Rodolfo.
Chegando la informam o resto do bando o que viram e planejam o próximo passo. Esse
momento foi o apice de paranóia e medo que o bando chegou. Antonio passa a ameçar Carlos
e sua familia quando de repente um homem conecta e mente de todos os vampiros juntos e
fala que faz parte da oposição a tecnocracia, que é o sultão, que ele que protegeu esses
meros sugadores de sangue, todos compartilham a mesma mente coletiva e sentem os medos
e opiniões de cada um. Carlos decide sair do bando e Dimitir o acompanha. Caio abandona o
cargo de Ductus e o bando se desmancha. O fim do bando estava próximo e todos agora
sabiam disso. Dimitri resolve voltar para o bando (anti play filho de uma puta). E eles vão
dormir enquanto aguardam a próxima noite.
----------------------------------------------------------------------------------------

Chamas Verdes Demoniacas

----------------------------------------------------------------------------------------

Porém algo a mais estava para acontecer, Mestre Esteban tem um sonho, e nele ele vê muita
fumaça e fogo e em meio a fumaça sai um homem, ele abre um sorriso e diz:

“Estou livre senhor, seu maior súdito finalmente esta livre e em breve o senhor também
estará.”

Quando ele volta a si decide dormir, todos se perguntam o que o grande Mestre Esteban viu.
ele se resume a dizer que não é nada, esboça um breve sorriso e vai dormir. Ele sabe que
agora que a brincadeira começou e se quiser deixar seu nome marcado para sempre na lista
de maiores inquisitores do Sabá ele precisa impedir que isso aconteça, impedir que um mal
maior venha a terra.
-----------------------------------------------------------------------------------------

Busca e Apreensão

-----------------------------------------------------------------------------------------

Logo que Susana e os outros membros do bando se dirigem para a Baixada Santista, Caio,
Giovani, Victor, Henrique, Fábio, Gabriel, Alonso e Doni ficam no refúgio comunitário e
quando recebem mais um corpo empalado como “presente” e resolvem solicitar o auxílio do
contato de Victor na polícia científica, um cara chamado Rodrigo, para colher impressões
digitais e quaisquer outras provas que pudessem ajudar o bando.

Enquanto o mortal se dirige para o refúgio, o bando primeiro vê pelas câmeras de segurança
que foram dois os homens que deixaram o corpo na entrada, e mais importante, vêem na TV
que Alonso, Giovanni, Victor e Antonio estão sendo “caçados” pela polícia por praticarem
crimes de canibalismo em rituais aparentemente satânicos. Caio recebe a ligação de Susana, e
depois de alguma conversa, várias conjecturas sobre o assunto, o contato de Victor chega até
o refúgio (o que era motivo de dúvida, pois havia a possibilidade dele saber sobre a nova
situação de Victor), porém ele chega normalmente ao refúgio, e tanto a precaução de Victor
quanto o disfarce de Henrique como mendigo não são necessárias. Depois de colhidas as
provas, o policial avisa que demorará alguns dias para dar uma resposta e por isso Victor o
avisa que algumas pessoas estão tentando incriminá-lo como ele logo saberá.
Devido ao temor de um ataque ao refúgio todos decidem sair, não sem antes se livrarem do
corpo do mortal empalado e da mulher que havia participado da troca de corpos com a
garotinha no vídeo.

Feito isso, e por falta de um lugar que todos achassem seguro, decidem ir até o local aonde os
Nosferatus entregaram o corpo da mulher, próximo a São Bernardo, em uma casa abandonada.
Lá, depois de um tempo Henrique julga ver um furgão estranho parado próximo a casa e pior,
com luzes voltadas para dentro da casa, isso aumenta ainda mais a tensão entre todos, e para
tentar garantir que não sejam atacados de surpresa Caio decide por fazerem turnos de vigília
até a noite seguinte por precaução, além disso entra em contato com a nova líder dos
traficantes do Heliopolis para que ela disponibilize alguns homens seus para montarem
guardar e alertarem para qualquer movimentação estranha na frente da casa, ligando
imediatamente para ele a qualquer hora do dia.

A primeira dupla foi Henrique e Victor,passadas algumas horas Henrique começa a sentir o
sono chegando, porém Victor ainda alerta faz com que seu colega não durma, porém depois
de mais algumas horas de vigilância ambos caem no sono e assim ninguém é avisado sobre a
troca de turno, até que no meio da tarde, Caio acorda com a ligação de um dos bandidos
deixados do lado de fora da casa, avisando sobre a iminente invasão da polícia. Caio acorda
todos aos berros e todos se resolvem se entrincheirar em um quarto no primeiro andar para se
prepararem para o ataque.

No final das contas 5 “policiais” participam do ataque, Alonso por não ter se escondido direito
recebe vários tiros logo de cara, mas revida alguns no final, Fábio troca alguns tiros, mas
quando uma luz intensa começa a surgir pela janela, quebrando a Tenebrosidade de Doni, é
ele quem pega um colchão para tampar a janela e impedir que o bando se queime ainda mais.
Doni consegue obter uma vantagem tática muito boa ao bando devido a Tenerosidade,
segurando alguns policiais, enquanto que Henrique tenta cortar alguns deles acertando sua
espada a esmo, Caio e Gabriel também atiram constantemente nos policiais, embora Caio
quase seja derrubado devido aos ferimentos que tomou depois que seu disfarce como uma
pequena garotinha caiu ao revidar a primeira onda de ataque.

O ataque é enfim repelido, mas não só os “policiais”, mas suas armas inclusive se desfazem
num feixe de luz, todos ficam surpresos, além de um pouco desolados por não poderem sugar
o sangue desses mortais, porém a defesa é considerada bem sucedida e todos resolvem
esperar uma nova investida que no final acaba não vindo, por fim, a noite chega e eles saem
daquela casa o mais rápido possível para se juntarem com o resto do bando e finalmente
saberem se a incursão em Santos foi bem sucedida ou não.
------------------------------------------------------------------------------------

Pistas do Incidente do Primeiro de Maio

------------------------------------------------------------------------------------
Susana recebe uma ligação de um de seus funcionários dizendo que a polícia federal está no
seu depósito em Santos e que estão lacrando tudo, ela vai falar com seu sócio Denis no
hospital Sirio Libanês para saber mais a respeito dos motivos da policia, eis que recebe a
ligação de Alex (filho do Sócio Denis) que a informa que foram encontrados corpos em um de
seus containers, mais tarde ela recebe uma ligação de outro funcionario dizendo que são
agora 17 corpos necrosados e um container cheio de AK-47, Susana liga pra o Ductus conta o
que houve e diz que vai até o hospital para conversar com Denis, Caio decide que ela deve se
encontrar com ele no refugio para decidir a melhor opção, quando Susana conta para o bando
o ocorrido, o bando fica surpreso ao descobrir a ligação de Denis Jorgüen “ seu sócio” com
Alex Jorgüen “um dos mortais que estavam no incidente do primeiro de maio” então o Ductus
Caio decide que devem ir investigar tanto o sócio como o humano do incidente, então são
escalados Dimitri, Susana, João, Anderson e Antônio e deixa Susana como líder do evento.
Susana liga para o filho de seu sócio o Alex e descobre que ele está no apartamento de Santos
e que Denis está no hospital Sirio Libanês, dividem-se então em dois grupos, o grupo A
(Antônio e Anderson) se dirige à baixada para ir atrás de Alex, enquanto o grupo B (Dimitri,
Susana e João) vão para o hospital tentar falar com o Denis.
Grupo B - dirige para o hospital para obter respostas do Sócio da Susana Grupo do hospital
(João, Susana e Dimitri) - ao entrar no hospital Sírio Libanês logo se deparam em uma situação
delicada, pois todas as visitas haviam sido suspensas, parece que Denis está com uma doença
grave e desconhecida, mas seu dinheiro garantiu uma estadia que não seja numa área de
quarentena. Antes de chegarem ao quarto de Denis, Susana e Dimitri veem um homem de
terno cinza sentado lendo um jornal próximo à U.T.I. Depois de dominar a recepcionista e
obter o acesso ao quarto de Denis Jorgüen, Susana chama Denis mas sem resposta, então ela
tenta tocá-lo mas acaba tomando um choque, ela acha isso muito estranho então pede para
que Dimitri também o toque e ele leva também um choque, vendo que sua mente foi
manipulada e apagada por forças superiores logo decidem se evadir do local e se dirigirem a
baixada, quando saem do quarto de Denis são abordados por um homem de terno cinza
(aparentemente o mesmo tipo de homem que estava no incidente em São Caetano na loja do
Fábio) estava sentado lendo o jornal, este homem pergunta a eles quem são eles e o que eles
querem com Denis, Susana tenta dominá-lo e com sucesso ela faz com que o homem pense
que houve um equivoco em sua ação e os deixa livre para sair.

Na saída do Hospital Susana e Dimitri encontram João, Susana liga pra Caio e ela conta do
ocorrido no hospital e diz que esta se dirigindo para Santos procurar o filho de Denis. Em
seguida ela liga pra Antônio e pede para que ele e Anderson os encontre numa parada de
caminhões sentido Santos.

Quando chegam na parada o grupo decide ir para o apartamento encontrar Alex e depois ir
para o depósito no porto. Por insistencia do Anderson o grupo opta por Antonio e Anderson
conversarem com Alex.

Alex não estava em casa, Anderson se comunica em segredo com Alex e resolve marcar um
encontro com ele num posto de gasolina próximo. Dimitri ao ver que Anderson saiu do carro
de Antonio resolve segui-lo cheio de suspeitas, Susana volta pra o carro de João e descobre
que Anderson saiu e Dimitri foi atrás, ela questiona Antonio que não quer falar sobre o
assunto.

Susana, João e Antonio vão atrás de Anderson e Alex, Alex fica dando várias voltas de carro
para encontrar Anderson, porém Alex desconfia de que Anderson não cumpriu a sua palavra de
ir sozinho ao local de encontro, além de não engolir essa história de Anderson estar com uma
aparencia diferente e foge para seu apartamento. Anderson avista Dimitri e vai ao seu
encontro, logo em seguida aparecem Susana, João e Antonio. Susana questiona ao Anderson
sobre sua relação com o Alex e ele diz que são amigos da sua época de humano então João
critica a ele “dizendo que ele não pensa no bando, que ele não é mais um humano e que
colocou em risco a confiança não só do Antonio que confiou nele mas a confiança do bando
nele”, Após Anderson ter explicado sua relação e suas ações, o grupo decide que o Antonio e
Anderson por ser a pessoa mais próxima e quem Alex mais confia, a conversarem para saber
mais informações sobre o incidente de primeiro de maio.

Chegando novamente ao apartamento Anderson toca o interfone e se identifica, Alex o deixa


subir, Antonio consegue pular o portão do condominio e entra no apartamento, ele vai
ofuscado segue Anderson e fica do lado de fora quando Anderson entra no apartamento.

Na conversa com Alex, Anderson diz o que houve com ele e que ele é uma pessoa diferente,
Alex fica com receio e custa a acreditar nele, Anderson faz uma proposta de somente
conversar com o grupo, sem violencias, sem tortura, Alex propoem então que Anderson vai no
carro dele e mais ninguem, isso garantiria que ninguem pudesse fazer nada com ele.

Enquanto Anderson e Antonio estão conversando com Alex, Susana liga pra Caio e conta o que
aconteceu, a relaçao de Anderson e Alex, no quesito confiança, Caio então decide que devem
levar Alex para o refugio.

Quando saem do apartamento, Alex ve Antonio que estava ofuscado, ele a principio se recusa
a levá-lo mas por insistencia de Anderson ele acaba levando os dois. Antonio então liga para
Susana e avisa que eles estão saindo e que devem segui-los, Susana conta para Antonio a
decisão de Caio, Alex que se encontrar num local onde haja muitas pessoas, leva consigo uma
espada embalada em uma caixa de presente para se defender de possíveis ataques.

O calçadão da praia é o ponto de encontro, descem do carro Anderson, Alex e Antonio, logo
em seguida se aproxima Susana, Dimitri e João. Alex quando avista o outros membros do
bando e fica totalmente amendrotado eles o explicam da nescessidade de voltar até Santo
André, ele se recusa veementemente, mas então o João quase em frenesi com toda a situação
e tensão do momento o ameaça com olhos vermelhos pisicóticos e então o aterroriza, assim
Alex tem um surto histérico e começa a gritar, Susana tenta acalmá-lo e diz que o Caio quer
conhece-lo e Alex fica cada vez mais inseguro, então sem opção em estado catatônico
achando que agora sua vida chega ao fim Alex entra no carro com Susana, Antonio e Anderson
e no outro carro Dimitri e João, ela domina ele e ele dorme, eles seguem em direção ao
porto.

Chegando no porto, Antonio e Dimitri amarram Alex e colocam ele no porta malas para ficar
seguro, assim que chegam no porto eles se deparam com vários carros de polícia, uma faixa
de contenção. Antônio então se ofusca e entra no depósito onde tenta ver o que está
acontecendo, nisso ele vê vários containers e um em especial que se encontra aberto com
vários restos de corpos desconfigurados, tem cadaveres de homens, mulheres e crianças,
parte deles e vários políciais, pericia tudo vesculhando e investigando o que poderia ter
acontecido.

Antonio retorna do container para levar as informações que viu para Suzana, após passar o
telefone de Suzana toca solicitando que ela encontrasse com alguns contatos nas docas um
pouco distante de onde a policia se encontrava.

Então o resto do grupo que se encontra num corredor cheio de containers e longe da policia,
Susana reconhece 3 funcionarios que vem em sua direção, pois eles estão diferentes estavam
rindo histéricamente, enquanto todos tentavam entender o que havia ocorrido Dimitri é
atacado pelas costas por um lobisomem, então imediatamente João solta uma mortalha e
cega a todos num raio de 9 metros.

Agora ninguem mais via ninguem a não ser João que enxergava, então aprisiona o Lobisomem
com seus tentaculos de sombras enquanto todos tentavam escapar da mortalha e tentar
ajudar João do lado de fora, conseguem sair Dimitri machucado em forma de Zulo, Antonio,
Anderson, Susana e João. Anderson tem a ideia de jogar um container dentro da mortalha e
tentar acertar o lobisomem, então Antonio e Anderson são auxiliados por Dimitri a subirem em
cima de uns containers e os empurram fazendo com que um container caia com sorte em cima
do lobisomem e por sorte ele cai, eles tentam derrubar mais um container e este cai em cima
do outro, então o lobisomem fica soterrado. O grupo consegue sair do porto e voltar para o
refugio com Alex ainda no porta malas.

Assim que chegam no refugio Alex, Anderson, Susana, Gabriel e Caio que entra ofuscado, eles
vão para uma sala reservada para tentar extrair informaçoes sobre o incidente de Primeiro de
Maio, não obtem sucesso pois Alex não possui muitas informações ou melhor tudo o que o
bando já sabe se confirma novamente. Num momento Caio se desofusca para pavor de Alex,
ele se mija inteiro de medo do que podem fazer com ele, num tom de ameaça Caio tenta
novamente retirar informações mas foi um total desastre.

Após Caio sem sucesso tentar extrair informações, pois ele ainda acreditava que os mortais
podiam estar envolvidos de algumas formas ele decide que o melhor é mata-lo e nisso começa
uma pequena discussão entre os presentes (Caio, Susana, Anderson e Gabriel). Henrique ja
estava impaciente aguardando a conclusão do interrógatório quando decide ir atrás da porta
tentar ouvir o que acontecia do lado de dentro, para sua surpresa estão definindo o destino do
mortal, então ele chama o resto do bando para ouvir também a decisão.

Caio, Susana, Gabriel e Anderson, ficam numa discussão sem fim então Henrique e o resto do
bando invadem a sala e veem Alex desmaiado no sofá todo mijado. Henrique começa falando
em tom alterado de que deveriamos matar o mortal, afinal ele é um mero GADO como todos
os demais. Caio então abriu para uma votação com uma justificativa para decidir o destino do
mortal.

Votação:
Gabriel - Contra a morte, pois é um mero mortal, quem teria medo de um mortal!?
Caio - Favor, pois pode trazer problemas pro bando
Susana - Contra, não á a necessidade de morte
Anderson - Contra, ele garante que o Alex não irá abrir a boca
Antonio - Contra, confia na palavra do Anderson
Henrique - Favor, se é um simples mortal porque ficar vivo?
Giovani- (não lembro da votação, nem sei se ele estava)
Dimitri - Contra, não devemos temer um mero mortal. Somos caçadores não caça
Rodolfo - Favor, devemos matar todos não somos Camarilla
Fabio - Contra, não á a necessidade de morte
Mestre Esteban - Contra
Alonso- Contra, não á a necessidade de morte
Victor - Contra

Sem mais informações Susana apaga da memória de Alex sobre o bando, Anderson e o refugio.

Quando eles decidem que Alex deve continuar vivo, Anderson caminha para a porta do refugio
para colocar Alex num taxi e então Rodolfo que vai na frente encontra um corpo todo
amarrado com um papel em seu peito que esta escrito: “ESTEBAN”, todos decidem que o
corpo deve ser levado para dentro do refugio.
----------------------------------------------------------------------------------------

Liberação da Monomancia! Fim para um início para outro.

----------------------------------------------------------------------------------------

O clima era de pura tensão, pois a noite mais aguardada pelos membros de Santo André havia
infelizmente chegado, todos já estavam preparados e sabiam que a monomancia era
provavelmente inivitavél, mas será que o pedido seria feito ainda esta noite? Será que Jacob
seria audacioso o bastante para na mesma noite que o grande Cardeal Jones liberar o ritual
ele gritar na frente de todos um desafio, bom, em poucas horas toda essa ansiedade
terminaria de qualquer forma, só deveriam aguardar para ver.

Como o esperado chegaram sem nenhum problema na Catedral (que permanece no mesmo
lugar nos arredores de Carapicuiba em um cemitério de vagões abandonado), para a surpresa
geral tinha um jovem se pronunciando para muitos membros do sabá ja que se encontravam
ali naquele momento.

O jovem que até então não era conhecido pelos membros de Santo André, ao menos ninguem
lembrava da fisionomia dele, tinha a atenção do público como poucos conseguem ter,
conforme gesticulava cada vez mais, conclamando seus irmãos de seita nos seguintes termos:

“Irmãos do Sabá, hoje nesse grande dia, estamos reunidos aqui graças ao grande Dr. JONES!
Libertador da cidade de Crystal Lake, conquistador da Filadélfia, precursor da grande onda
vermelha de sangue que invadiu a Costa Oeste dos Estados Unidos em 99, ele que veio para
trazer ao Sabá de São Paulo aquilo que mais precisamos, LIDERANÇA FIRME E FORTE!!! Com
isso finalmente vamos matar a escória Camarilla que nos impede de conquistar a grande
cidade de São Paulo, os Sabás VERDADEIROS agora possuem alguém que os representa e hoje
veremos mais um capítulo dessa grande mudança, a Espada de Caim finalmente vai ser
apontada para seus inimigos e os fracos, finalmente separados dos fortes!!!”

Ao terminar o discurso apaixonado ele vê o grande Doutor Jones se aproximando, ele grita
gesticulando para que todos abram caminho enquanto o Cardeal vai passando pela multidão
que estava em um frenesi apaixonado.Jonh Faa olha para todos e diz: Agora vou passar a
palavra para nosso Grande Doutor Jones o precursor da destruição da Camarilla.

Doutor Jones ao ouvir tudo o que John Faa diz concorda com a cabeça e vestido com sua
famosa armadura de sombras sobe encima do vagão e começa sua grande declaração.

Membros do Sabá!
Meus irmãos em armas, esta noite nos reunimos para uma ocasião importante...

Lembro da época que eu estava nas fileiras do Sabá, onde vocês estão hoje e lutei em Crystal
Lake contra uma maré infindável de PORCOS DA CAMARILLA e venci.... Mas não sozinho.
Naquele dia da vitória contra os asseclas da Camarilla descobri uma coisa: que unidos não
podemos ser vencidos.

Porém, se escolhermos, como membros, um caminho solitário, a Morte Final será seu destino
final.

Na época que eu pertencia a um bando, cada um de nós tinha um objetivo pessoal, uma
qualidade, vários defeitos, mas o bando foi bem sucedido porque nos unimos... Nos tornamos
fortes e fizemos o que muitos consideravam impossível.

E uma parte do impossível está aqui: diante de vocês.

Obs: A parte inicial do discurso tentei colocar um pouco do que o Dr. Jones está sentindo, de
uma maneira muito implícita, sobre a falta dos companheiros da Philadelphia e a importância
que um grupo tem para ele. Ele explicita isso como uma necessidade do Sabá, pela união dos
bandos para com a seita, mas no que toca o Dr. Jones a união dele com os companheiros.

Devemos buscar força e poder para destruir os anciões e seus peões que planejam dia e noite
pela nossa destruição. VOCÊS QUEREM A MORTE FINAL? (Dr. Jones incita a resposta dos
membros)

Somos a única linha de ataque contra Os Antigos que por milênios tentam a todo custo
manipular os mortais e demais membros para seus objetivos funestos. E eu digo que não.

O Sabá não irá se curvar diante dos PORCOS DA CAMARILLA. Eles estão cercados nesse
momento, tremendo de medo do nosso poder e de transformar São Paulo em outra
Philadelphia, onde destruímos a Camariila e seus mais ferrenhos apoiadores e um golpe que
eles jamais esquecerão pelo resto das suas não vidas.

Obs: A Philadelphia é o maior "caso de sucesso" do Dr. Jones e ele procura que sua "lenda"
perante os membros inspire os mesmos a também realizarem feitos pela seita para
transformar São Paulo em um baluarte da expansão do Sabá.

Vocês, como membros, lembrem-se: lutem pelo Sabá com honra e com força! Não haverá
espaço nesta seita para os fracos ou aqueles que venham a trair nossa causa e garanto a estes
que a Morte Final será infinitamente dolorosa.

Obs: Dr. Jones está sozinho no momento e não confia em ninguém e este é um recado para
qualquer membro presente que por ventura não esteja alinhado à Seita que a Morte Final
será inevitável.

Não importa quem esteja no nosso caminho! Não haverá NADA que o príncipe possa fazer que
impedirá o inevitável: a destruição final da Camarilla em São Paulo!

E São Paulo será somente a ponta da espada... QUEM ESTÁ COMIGO? (Dr. Jones incita a
resposta dos membros)

QUEREM VIVER ETERNAMENTE? (Dr. Jones incita a resposta dos membros)

MORTE À CAMARILLA!! (Dr. Jones incita a resposta dos membros)

Por isso conclamo vocês, meus irmãos, a fazer tudo o que é necessário para que o Sabá se
torne mais forte a cada dia... e a partir de hoje a monomancia está autorizada.

Lembro a todos vocês que a monomancia deverá ser realizada de forma justa. Motivos
forjados ou injustos e em proveito próprio que não seja do interesse do Sabá abrirão
precedentes ao membro desafiado injustamente para pedir monomancia contra o membro
que o desafiou injustamente.

A monomancia é a realizada até a MORTE FINAL de um dos desafiantes e transgredir essa


regra resultará na morte final do transgressor.

Quando o cardeal finalmente termina John Faa toma novamente a frente e começa a falar
sobre a monomancia e o processo natural e finalmente desafia o DUCTUS de Santo André para
enfrentar o seu Ductus, argumentando que o bando estava fraco e domado e isso não era o
melhor para o Sabá, pois a seita precisa de alguém com vontade e que o ductus não fazia nada
desde a ultima guerra civil que aconteceu na cidade. Caio interrompe John Faa e diz quem é
que é o covarde que não teve nem coragem para efetuar o desafio pessoalmente, quando
finalmente aparece por trás de todo Jacob e diz: EU QUE SOU O DESAFIANTE, VOCÊ ACEITA?
toda a platéia que já se encontrava quieta passa a aguardar a resposta de Caio. Caio sem
nenhum medo nos olhos e nenhuma surpresa diz, DESAFIO ACEITO. Então John Faa grita,
alguém tem alguma objeção e em uníssono respondem NÃO.

Jacob ainda em cima do vagão olha para Caio e diz - Escolha o método você tem até o final da
noite para me dizer. Caio por um curto momento pensa e diz: Não preciso aguardar o final
da noite, será sem armas com algum tipo de poder sobrenatural, nenhum dom de
controle de emoções ou de controle mental poderá ser utilizada. Jacob consegue esconder
de muitos a expressão de surpresa, mas, para os olhares mais atentos o rosto de surpresa
estava disfarçado no seu rosto. Jacob olha e diz Entao se prepare porque ela acontecerá
em um galpão abandonado em São Bernardo do Campo a 1. O que Jacob queria dizer com
as 1? Ninguem acreditava que a luta seria as 1. Caio em dúvida então pergunta, as 1 da
tarde. Jacob já com um olhar vencedor diz: É óbvio que é a tarde.
Todos vão a deleite quando Jacob termina a frase. Doutor Jones então diz que todos os
sacerdotes e ductus devem estar presentes.
Ao chegar no galpão o bando tem sua primeira surpresa, o teto de telhas brasilit esta com
inúmeros buracos, consequentemente a luz solar entra diretamente, Caio esta no lado
esquerdo e Jacob para o lado direito, Caio não consegue ver os raios solar, logo não tem como
desviar dos mesmo.
Caio esta vestindo um colete, John Faa olha para isso e diz que para ele é indiferente então
Doutor Jones entrega as armas.
Jacob esta usando roupas pesadas para se proteger do sol e sua unica arma foi uma manopla
com uma lamina longa e grossa. Caio pediu uma escopeta calibre 12, duas desert eagle e uma
faca de caça, não foi dada nenhuma munição.
Prestes a começar a luta todo o bando do Jacob (Ex bando do Doni) se aproxima e fazem uma
mini Valderie, Mestre Esteban nota que Jacob ja entrou utilizando toda a potencia do sangue
para melhorar sua performance fisica, Caio fez a mesma coisa mas tomando de garrafas de 2
litros contendo sangue velho e ruim.
Para os que notaram isso mais um ponto para a inteligencia de Jacob, fez isso de forma
discreta e poucos conseguiram notar isso.
A luta final começa e Caio toma a iniciativa atirando, grande distancia prejudica sua mira,
Jacob começa a se aproximar cautelosamente. Caio continua atirando, Jacob ja se encontra
no meio do terreno, a partir desse momento claramente a velocidade sobre humana dos
vampiros passa a ser notada, o combate ia ficando cada vez mais rápido, Jacob se aproxima
cada vez mais de Caio, enquanto Caio desperdiça bala atrás de bala. Durante uma dessas
movimentações Caio sente o calor da luz solar muito próximo do seu rosto.
Quando finalmente Jacob consegue chegar na distancia de um ataque corpo a corpo Caio tem
sua ultima chance de disparar a pistola antes do combate passar para o corpo a corpo, ele
atira e Jacob consegue desviar do ataque, logo em seguida desfere um golpe utilizando a
lamina que esta presa em sua manopla, o golpe acerta em cheio Caio que não consegue
absorver completamente o dano causado pela lâmina.
Caio então tem a grande idéia tentar agarrar Jacob. Caio agarra sem dificuldades Jacob que
então decide dar dois passos para trás e se jogar na luz solar que se encontrava muito próximo
dos dois. Caio consegue cair por cima do Jacob, a batalha tinha tudo para acabar com a
vitória de Caio, pois o mesmo se encontra em uma posição privilegiada, a não ser o fato do sol
estar machucando seu corpo e colocando medo e terror na sua alma.
O próximo segundo será o começo da definição do combate. Caio usando a sua vantagem
tentar atacar mordendo, Jacob milagrosamente consegue bloquear o golpe. O sol passa cobrar
caro, Caio mesmo com a modificação que Dimitri fez em seu corpo para melhorar sua
resistencia a ataques fisicos, parece que tudo conspira contra pois não consegue sequer
absorver o dano, sendo assim as queimaduras passam a destruir seu corpo, Jacob embaixo
parece não ligar para o preço que o sol esta cobrando.
Caio tenta mais uma vez enterrar suas presas no corpo de Jacob e novamente não obtém
sucesso, a batalha rumava para o seu final. Jacob começa a rir, enquanto Caio tenta mordê-lo
tentativa após tentativa, todas sem sucesso.
Se Caio continuasse por mais tempo o sol cobraria sua não vida, então ele foi corajoso e
mesmo sabendo que a luta estava praticamente perdida, tenta então uma vez acertá-lo,
novamente sem sucesso. Enquanto Caio queimava, Jacob olha nos olhos do vampiro
agonizante e diz que era para o Mestre Esteban estar em seu lugar. O corpo de Caio se
transforma em cinzas e o Malkaviano continua no sol gargalhando em êxtase pela fantástica
vitória que obteve.
O bando fica abatido pelo resultado e temeroso pelo que o futuro trará, agora que Jacob é de
fato e por direito Ductus do Bando Trilhos de Sangue.
Anderson fica a ponto de entrar em frenesi devido a raiva e ódio que sente por Jacob e só é
detido quando alguns membros do bando o empalam. Nisso o Bispo Frank aparece e diz que
agora as coisas tomarão outro rumo e todos devem estar preparados, chamando Dimitri em
especial ele pede ao Tzimisce que cuide de uma cainita de seu clã, recém-chegada de Crystal
Lake, uma cidade na América do Norte, Frank faz questão de frisar de modo “sutil” que sendo
ela uma protegida dele, espera que Dimitri a instrua com sabedoria e que se algo acontecer a
ela será Dimitri e Mestre Esteban os responsáveis por isso.
A garota que aparenta 13 a 15 anos chamada Ellie se apresenta a Dimitri e aos poucos
membros que estão por perto e discute um pouco com eles sobre o que será da cidade daqui
para frente. Enquanto isso Rodolfo e alguns outros vão até Jacob para parabenizá-lo pelo
resultado da disputa. Jacob agradece as palavras de Rodolfo e reconhece seu apoio sincero a
sua pessoa. Outros membros do bando vão até Jacob e igualmente o parabenizam.
Quando chega a vez de Mestre Esteban fazer o mesmo, Jacob diz a ele que aquilo tudo havia
sido preparado para enfrentar o velho cainita em combate, e não Caio, pois ele sim era
respeitado como o homem a ser temido no bando de Santo André, Esteban nada diz sobre isso,
mas o parabeniza do mesmo jeito e deseja que ele faça o melhor pelo Sabá em sua nova
posição dentro da Espada de Caim.
Jacob avisa ao bando que ele não tem interesse em ser o novos Ductus e por isso eles
deveriam eleger um novo para representá-los, pois logo haveriam grandes mudanças.
Depois disso, a conversa do bando gira sobre o que fazer, e nesse interím Mestre Esteban
resolver ligar para Carlos mesmo sendo de dia, que mal lhe deixa tempo para falar alguma
coisa quando começa a xingar ele e a todos pelo bloqueio de seus bens. Mestre Esteban
conversa com ele calmamente e explica a situação, Carlos reluta em aceitar os fatos, pois
ainda não confia plenamente em todos, Dimitri passa a conversar com ele e consegue
estabelecer o compromisso de mandar R$100.000,00 para Carlos(que teme ainda pela
segurança de seus familiares mortais), Dimitri se compromete a mandar o dinheiro, não sem
antes ser interrompido por Ellie, que se revelou uma grande fã de Carlos, tietando ele pelo
telefone enquanto garantia que nada de mal lhe aconteceria, pois caso fosse preciso ela
falaria com Bispo Frank e o Cardeal Jones.
Terminada a ligação, todos os presentes comentam sobre quem deverá ser o novo ductus,
Rodolfo se candidata ao cargo, assim como Dimitri, por acreditarem serem a melhor opção,
quando todos deliberavam sobre qual dos dois reunia mais condições, praticamente fazendo
uma votação para isso, com Esteban, Susana, Rodolfo, Dimitri, João, Gabriel e Fábio e Ellie
decidindo a sorte do bando, embora a presença de Ellie tenha sido questionada por Rodolfo,
Gabriel faz uma intervenção decisiva sobre o direito dela participar e o assunto é encerrado.
No meio da votação, que pendia para Dimitri, eis que Will apoia a escolha de Mestre Esteban,
que até o momento se mantinha aparte do assunto, para ser o novo Ductus, opinião essa que
muda totalmente a votação. Ironicamente quem acaba barrando a essa escolha é o próprio
Esteban, ao avisar a todos que há assuntos que ele julga serem da máxima prioridade,
assuntos esses que podem desviar o foco do bando para o próprio Sabá. Com tais palavras,
Mestre Esteban sela o próprio destino na votação que novamente, e pela última vez, recai em
Dimitri.
Logo em seguida é Gabriel quem faz uma revelação surpreendente ao abdicar do cargo de
Sacerdote, pois segundo ele próprio, suas ações não foram suficientes para impedir a escalada
de eventos que levou o bando a essa situação. Solicitando que alguém ocupe o cargo, essa
escolha acaba recaindo em Ellie, que alega saber sobre os rituais do Sabá, por falta de outro
cainita com esses conhecimentos, Ellie passa de nova integrante do bando para nova
Sacerdote em poucos instantes.
Nisso ocorrem duas defecções do bando, primeiro, Rodrigo o Nosferatu que abandonou a
Camarilla logo depois do ataque a cria do Príncipe em São Paulo resolve sair, por não ver
motivos em estar em um bando com tantos problemas e perigos, porém antes disso Dimitri
solicita dele um meio de contato e recebe em troca um cartão com um telefone de Rodrigo
para quando julgar necessário.
Após entregar o papel ele aguarda o Tzimisce guarda-lo em um local seguro, porém, o mesmo
coloca dentro do bolso de sua calça, inconformado Rodrigo olha para Dimitri e pergunta se
esse era o bolso mais seguro que ele possuia, Dimitri não entende em um primeiro momento o
que o horrendo vampiro quis dizer, o Nosferatu novamente dessa vez de forma mais incisiva
pergunta se ele não possui nenhum outro lugar para guardar algo tão sigiliso, dessa vez o
velho Tzimisce compreende e utilizando um dos seus dons mais exclusivos abra sua pele, logo
depois sua carne e assim guarda o papel em uma pequena bolsa, o Nosferatu agora satisfeito
se retira, pelo ultimo esboço com certeza o bando teve uma perda e se souber o que fazer
tem tudo para reconquista-lo.
O segundo é Doni, que não suportando os rumos que as coisas tomaram e desgostando ao
extremo de Jacob não vê motivos para continuar na região e decide partir.
Depois dessas duas importantes decisões, Ellie e Dimitri se apresentam a Jacob para confirmar
a escolha deles como novos Sacerdote e Ductus do bando, nisso é decidido que o novo Ductus
sofrerá o banho de Sangue para mostrar ao Sabá sua ascensão e também a ascensão do próprio
Jacob.
Ellie conclama todos os presentes a presenciarem o ritual que apresentará o novo ductus do
bando, assim como ao próprio Jacob ao Sabá da Grande São Paulo. Ao se apresentar ao
Cardeal Dr. Jones Ellie é reconhecida por ele, que também veio da cidade de Crystal Lake, o
qual fica muito surpreso com a sua presença, porém o assunto é deixado para uma outra hora
e Dr. Jones dá carta branca para que o Banho de Sangue seja feito, inclusive participando dela
junto aos outros Bispos e Ductus presentes.
Quando chega a noite,humanos são pegos, carnes e ossos moldados por Tzimisces e uma
grande banheira é feita para dar início a esse grande evento no qual todos os Sabás presentes
prestigiam os novos líderes que se erguem.
Após o fim da Monomancia e o retorno de Jacob como único vencedor Doutor Jones inicia um
pequeno discurso dizendo que a Monomancia é um ritual especial e deve ser utilizado de
forma sensata com motivos e não a esmo e quem cometer qualquer crime solicitando uma
Monomancia ou usando de má fé, receberá como punição a morte final. Pede que todos
respeitem o vencedor que teve coragem de ir e correr risco da morte final.

Logo após o Cardeal terminar de falar, a Besta que já influenciava as ações do bispo Bueiro o
faz tomar uma atitude precipitada e diz: Doutor Jones está certo, devemos ter um motivo
justo para pedir uma Monomancia e logo eu vou pedir para você Paulo, esteja preparado pois
seu corpo estará estendido no chão e se tornará cinzas na minha frente, farei isso por Caio e
por Marius, já que sou apenas um cão.

Após sua declaração ele passa pelo bispo Paulo e lhe dá uma ombrada que tira o outro bispo
do lugar, sem esboçar reação Paulo continua parado apenas observando a atitude.

Doutor Jones ao ver a insubordinação de um dos seus bispos decide puní-lo em público:
Bueiro, vá imediatamente tomar um banho de sol e só saia de lá quando a morte o chamar.
Bueiro vai sem pestanejar e começa a ser queimado pela sol, ele consegue ficar algum tempo,
menos do que ele gostaria, menos do que muitos esperavam, ele sai de lá com sua moral
destruída e se junta ao seu bando que está em um canto.

Mestre Esteban que estava observando o local nota a presença de um outro individuo e lá no
seu íntimo ele sabe que quem esta observando é Marius, talvez São Paulo não esteja
completamente perdida ainda. Talvez….

O bando decide se separar, Dimitri acolhe Ellie em seu domínio particular, enquanto que
Mestre Esteban vai até o refúgio de Caio para espairecer melhor e meditar sobre tudo que
aconteceu nesse dia.

É decidido que o melhor a se fazer agora é dar as boas vindas aos bandos de Marisa e Thiago,
para cimentar melhor a união de todos nesse momento, Dimitri liga para ambos e marca um
encontro no Parque Central de Santo André.

Ao chegar no parque Central o bando de Marisa e de Thiago já se encontravam no local, os


bandos se cumprimentam e então decidem sentar no palco no meio do parque. Para os
melhores observadores era possível notar que Marisa estava com uma expressão de poucos
amigos e foi ela mesmo que iniciou a conversa perguntando o porque de Dimitri ter chamados
todos. Dimitri politicamente responde que chamou eles para conversar sobre limites, antes
mesmo de conseguir terminar a frase ele é interrompido pela Brujah.

- Limites? O que esta pensando Tzimisce? Que limites?

Dimitri fica sem reação pois não esperava uma resposta tão hostil da parte de Marisa e tenta
corrigir e novamente é interrompido.

- Morda a língua Tzimisce, somos todos livres, não existe limite para o Sabá, tudo é nosso e
tudo é do Sabá, seus limites acabaram quando seu Ductus foi derrotado durante a
Monomancia, agora me diga porque me chamou aqui? Espero que não tenha sido por causa
disso.

Dimitri estava completamente despreparado para reagir a essa situação, ele planeja um
encontro completamente diferente, então tenta por uma terceira vez iniciar um dialogo
agradável dizendo quais seus planos. Outro erro que estava para cometer.

- Meus planos Tzimisce? Eu já tenho planos e quais são os seus?

A Brujah mostrava toda sua imponência ao rebater cada argumento que Dimitri tentava usar.

- Você me chama para saber os meus planos se você mesmo não tem nenhum? Você me faz
perder tempo e tempo do meu bando para jogar palavras ao vento? Eu tenho meus planos
Tzmisce e espero que tenha os seus, pois quando eu for atacar quero todos ao meu lado.

Dimitri tenta esboçar uma reação para tentar corrigir tudo o que aconteceu. Todos tentam
conter as risadas porque Dimitri estava sendo humilhado publicamente.

- Não temos mais o que conversar, já que a noite esta perdida vou me divertir para mostrar os
limites do Sabá.

Por fim Marisa desdenha completamente da cara de Dimitri com sua ultimas palavras e
finaliza dizendo.
- Tenho mais o que fazer, com sua licença Tzimisce.

Todos permanecem em total silêncio, mas fica claro que muitos queriam dar risada da
situação constrangedora que Dimitri acabara de passar.

Marisa que já estava longe, mas não tão longe o bastante para não ser ouvida e aqueles que
possuem ouvidos apurados conseguiram ouvir ela falando “Próxima vez espero um encontro
mais caloroso”.

No local apenas o bando de Thiago e do próprio Dimitri continua, uma situação


constrangedora e silenciosa prevalece no local e quem quebra o silêncio mortal foi Thiago
soltando uma breve gargalhada, o Nosferatu não conseguiu se conter.

- Que reunião não é mesmo Dimitri, você conhece a personalidade de Marisa e ainda assim a
chama sem nada em mente, apenas para conversar? Isso estava fadado ao fracasso.

Ao longe é possível ouvir o barulho de rojões estourando as vidraças do Shopping ABC então
Thiago olha para Dimitri.

- Está ai sua resposta para os limites. Isso é apenas um sinal de que Marisa está na região.

Todos os membros do bando então percebem que toda a calmaria da região acabou e
percebem finalmente que não perderam apenas um Ductus, um companheiro, um amigo,
perderam também a PAZ.

Dimitri e Thiago iniciam uma pequena conversa que não dura muito apenas perguntando sobre
onde fica o refugio, quais os próximos planos e principalmente a decisão de Thiago que deixa
claro que não quer continuar na região, assim como Marisa que também não quer, o melhor a
se fazer é conquistar algum território para tentar separar os bandos novamente.

Nisso, eles são interrompidos por ninguém menos que Jacob, que acompanhado por um
Nosferatu surge próximo a eles e se anuncia nos seguintes termos:

- Parece que vocês ainda não aprenderam nada não é mesmo? Ainda conspirando contra mim?

Nem Dimitri ou Thiago, ou nenhum dos outros membros presentes esperava isso e todos ficam
sem reação, porém é o próprio Jacob quebra esse silêncio.

- Realmente não acho que Pai Pedro ou Salvatore estejam contentes com essa situação, e pelo
que percebi aqui nem vocês estão, então a dúvida que fica é o que faremos agora não é
mesmo?

Todos reconhecem a implicação dessa afirmação e embora alguns dos cainitas presentes como
Rodolfo expressem preocupação com essa situação, não são capazes de fazer nada mais do
que algumas poucas palavras de concordância com essa avaliação.

Jacob se retira e todos tem a certeza de que as coisas continuam tão perigosas e incertas
quanto antes, e que o Sabá ainda está para sofrer novas mudanças. É com esse sentimento
que Thiago se despede de Dimitri e do bando, aparentando ser o único aliado com quem o
bando pode contar no momento, mas a questão que fica é: até quando e até que ponto ele ou
qualquer um pode ser confiável na Espada de Caim nesses tempos turbulentos.

Assim o que começou como um mero encontro para discutir as ações em conjunto dos bandos
e a união dos mesmos para o bem da Seita, acaba com novas revelações, muita tensão e
muitas e perigosas perguntas sem respostas.
André
Mega
Camila
Luiz
Rafael
Lista de NPCs importantes
Bueiro: Ex Ductus que efetuava a proteção da Catedral, aliado fiel do antigo acerbispo
Marius, atualmente se tornou bispo e se auto plocamou bispo da Diocese do ABCD. Um dos
seus grandes feitos foi além de garantir 100% de proteção a catedral foi como ele lidou com a
guerra civil, foi um dos destaques juntamente com Caio e Thiago em encerrar o que ja durava
alguns meses. Atualmente esta
visivelmente incoformado com a situação que São Paulo vive hoje esta prester a cometer um
grande erro, pedir monomancia para o bispo Paulo.

Gabriel: Ancião da Camarilla que esta em busca da golconda e ajudou a salvar um grupo de
mortais que estava no lugar errado na hora errada.

Coronel Telhada: Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada mais conhecido como Coronel Telhada
é ex comandante da Rota além de ser vereador pela cidade de São Paulo (assumirá em
01/01/2013), amigo pessoal de Victor ja foi ameaçado por vampiros e vive em constante
medo, atualmente está fora da cidade de São Paulo para proteger sua familia.

Jacob: vampiro jovem cria do Gabriel que odeia seu senhor.

Doni: até então Ductus do bando Trolebus da Morte (Região de São Bernado e Diadema).

Thiago: A amizade de Caio e Thiago antecede a guerra civil, ambos fizeram parte do mesmo
bando durante o inicio de suas noites, e ambos sugerem que foram abraçados pela mesma
criatura da noite, já que Thiago não se lembra de como foi abraçado, mas após inúmeras
noites discutindo chegaram a um consenso que fazia sentido a teoria que estavam debatendo
a tantas noites e isso foi apenas o começo de uma amizade longa e duradoura, uma das
poucas pessoas que Caio podia confiar de verdade, uma amizade que atravessava o tempo,
uma amizade que ambos escondiam segredos, erros, sucessos, obstáculos e esse sentimento
mesmo décadas depois continuavam o mesmo

Rodrigo: Ex contato de Caio, Ex membro da Camarilla e atualmente membro do Sabá sem


bando. Perdeu tudo o que tinha vendendo informações que não deveria, atualmente também
é caçado pelos Noferatu, sem aliados hoje sobrevive sozinho em meio ao cenário de terror
que sua vida se transformou. Conhece muitos segredos importantes, se garantir proteção pode
conseguir algumas informações importantes.

Pai Pedro: ele era só mais um daqueles pai de santo que fazia aquelas promeças de fazer tudo
para trazer a pessoa amada, dinheiro e outras coisas. E claramente sempre foi contra a forma
que Marius conduzia o Sabá. Sempre plantado discórdia entre os membros, hoje ele é vizinho
de Santo André, ductus da região de São Mateus, Aricanduva e proximidades.

Salvatore: Durante o periodo que o caos predominiou e todos os cainitas do sabá corriam risco
seja por apoiar um lado ou seja por ficarem neutros e foi ai que entrou Jorge ou melhor
Salvatore, por garantir proteção aqueles que queriam apenas curtir suas noites e se alimentar
do gado. Durante muitos anos ele se manteve até perceber que São Bernardo e Santo André
possuiam terreno demais para apenas 2 bandos e foi nesse momento que começaram os
desentendimentos. Ele controlava com punhos de ferros os bandos de Capão Redondo,
basicamente um Bispo da região e Marius não confiava nele. Palavras que Marius sempre
dizia.
“ - Predatores que se mantém escondidos na relva sempre possuem um veneno mortifero”

Marisa Cachorro Louco: Marisa possui forte personalidade e costuma usar isso para submeter
os mais fracos a sua vontade, seja ela por intimidação ou por força. Logo após o fim da guerra
civil ela se nomeou ductus e é a a única ductus da cidade dutra. Um dos maiores feitos dela
foi capturar o primogenito Brujah em uma perseguiçao maluca em plena marginal tiete, o
combate terminou nas margens do rio após ambos os veiculos cairem dentro do rio.

Interessi correlati