Sei sulla pagina 1di 12

Revisão Integrativa

DOI: 10.18554/reas.v7i1.2517

UTILIZAÇÃO DE TEORIAS DE ENFERMAGEM NA SISTEMATIZAÇÃO DA


PRÁTICA CLÍNICA DO ENFERMEIRO: REVISÃO INTEGRATIVA

USE OF NURSING THEORIES TO THE SYSTEMATIZATION OF THE PRACTICE


OF THE NURSE: INTEGRATIVE LITERATURE REVIEW

USO DE TEORÍAS DE ENFERMERÍA PARA LA SISTEMATIZACIÓN DE LA


PRÁCTICA DEL ENFERMERO: REVISIÓN INTEGRADORA

Vívian Mayara da Silva Barbosa1, John Victor dos Santos Silva2

RESUMO
Objetivo: analisar como os enfermeiros utilizam teorias de enfermagem na sistematização de
sua prática clínica. Metodologia: revisão integrativa da literatura, realizada nas bases de
dados LILACS, BDENF e SciELO, de onde foram selecionados 19 artigos que compuseram a
amostra. Resultados: em 79% dos artigos analisados foi enfatizada a necessidade de utilizar
um modelo teórico para implementar o Processo de Enfermagem, sendo as mais utilizadas a
Teoria da Adaptação de Callista Roy e a de Jean Watson, ambas utilizadas para a
implementação da Sistematização da Assistência de Enfermagem em 15,7% da amostra.
Dentre os ambientes foco de sua utilização, destaca-se o hospitalar com 52%, a atenção
primária com 21% e o domiciliar com 15%. Conclusão: na enfermagem brasileira, que apesar
de ser considerada uma das maiores produtoras de publicações científicas na atualidade,
contempla-se ainda uma baixa utilização de teorias de enfermagem aliadas à sistematização
do seu fazer específico.
Descritores: Enfermagem; Teoria de Enfermagem; Processo de Enfermagem.

ABSTRACT
Objective: to analyze how nurses use the nursing theories to the systematization of their
clinical practice. Methodology: integrative review of literature. Searches were held in the
databases BDENF, LILACS and SciELO. Results: 79% of the articles analyzed was
emphasized the need to use a theoretical model for implementing the nursing process, being
the most used the theory of adaptation of Callista Roy and Jean Watson, both used for the
Nursing Process Performance implementation in 15.7% of the sample. One of the focus of its
use, with 52%, the hospital primary care with 21% and 15% with home. Conclusion:
although the brazilian nursing be considered one of the largest producers of scientific
publications at present, includes a low utilization of nursing theories combined with the
systematization of your do.
Keywords: Nursing; Nursing Theory; Nursing Process.

____________________
1
Enfermeira. Mestranda em Enfermagem pela Universidade Federal de Alagoas.
2
Acadêmico de Enfermagem pela Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas. Presidente da Liga
Acadêmica Interdisciplinar de Saúde Mental (LAISME-UNCISAL).

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
261

RESUMEN
Objetivo: analizar cómo los enfermeros utilizan teorías de enfermería en la sistematización
de su práctica clínica. Metodología: revisión integrativa de la literatura, realizada en las bases
de datos LILACS, BDENF y SciELO, de donde fueron seleccionados 19 artículos que
compusieron la muestra. Resultados: en el 79% de los artículos analizados se enfatizó la
necesidad de utilizar un modelo teórico para implementar el Proceso de Enfermería, siendo
las más utilizadas la Teoría de la Adaptación de Callista Roy y la de Jean Watson, ambas
utilizadas para la implementación de la Sistematización de la Atención en 15,7% de la
muestra. Entre los ambientes focales de su utilización, se destaca el hospital con el 52%, la
atención primaria con el 21% y el domicilio con el 15%. Conclusión: a pesar de que la
enfermería brasileña es considerada una de las mayores productoras de publicaciones
científicas en la actualidad, se contempla aún una baja utilización de teorías de enfermería
aliadas a la sistematización de su hacer específico.
Descriptores: Enfermería; Teoría de Enfermería; Proceso de Enfermería.

INTRODUÇÃO Sistematização da Assistência de


As teorias de enfermagem Enfermagem (SAE), de modo que sua
consistem num referencial de trabalho que aplicabilidade é feita por meio do processo
favorece o desenvolvimento do de enfermagem. Esse é um modelo de
conhecimento científico. Em virtude disso, processo de trabalho que sistematiza a
as teorias de Enfermagem têm sido assistência e direciona o cuidado,
descritas na literatura como possibilidade permitindo desenvolver atividades que
de oferecer respaldo científico à prática promovam a segurança do usuário e dos
assistencial, além de proporcionar profissionais do sistema de saúde.3
segurança e qualidade para as ações de O ser e o fazer enfermagem
enfermagem, uma vez que possibilitam necessitam estar apoiados em bases que
intervenções planejadas passíveis de possibilitem tanto a geração de novas
avaliação para alcance de melhores teorias, como a reformulação dos modelos
resultados, possibilitando a visibilidade do por elas utilizados, potencializando a
1
trabalho em Enfermagem. tomada de decisões e a execução
Desde o advento da Enfermagem qualificada das ações de enfermagem nos
moderna, através de Florence Nightingale, diferentes espaços de inserção
viu-se a necessidade de aliar a investigação profissional.4
às práticas assistenciais, abrindo caminho Ao considerar a combinação da
para pesquisas visando à organização do habilidade adquirida durante o processo de
conhecimento já produzido. Teorias de formação e a competência despertada a
conhecimento2 têm subsidiado a partir da consciência sobre o dever de

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
262

prestar um cuidado qualificado, utilização das teorias de enfermagem na


compreende-se a necessidade de o SAE.
enfermeiro incorporar a sistematização da METODOLOGIA
assistência ao seu fazer cotidiano. Para Trata-se de um estudo do tipo
isso, existem múltiplos fatores que revisão integrativa de literatura. Para o
dificultam a implementação da SAE, desenvolvimento do estudo foram
relacionando a desvinculação da ação a utilizadas as seguintes etapas:
algum modelo teórico, estando todos estabelecimento da questão norteadora;
ligados apenas a etapa de aplicação do amostragem ou procedimento para busca
modelo conceitual.5 Pode-se até indagar se na literatura; categorização e avaliação dos
as demais tentativas de implementação têm estudos incluídos na revisão; interpretação
procurado seguir algum modelo conceitual dos resultados e síntese do conhecimento
ou são realizadas empiricamente, sem um ou apresentação da revisão.6
modelo teórico que subsidie essa prática. As bases de dados elencadas para
Partindo do pressuposto de que identificação dos estudos foram: Literatura
aliar a utilização de teorias ao processo de Latino-Americana e do Caribe em Ciências
enfermagem para a sistematização da da Saúde (LILACS), Bases de dados de
assistência possibilita o desenvolvimento enfermagem (BDENF) e Scientific
de uma prática qualificada, entende-se a Electronic Library Online (SciELO).
importância de aliar o conhecimento A coleta de dados foi estabelecida
científico à prática assistencial, visando no período de dezembro de 2015 a
melhoras da assistência, da qualidade das fevereiro de 2016. Na estratégia de busca,
informações, da organização do serviço e utilizaram-se os descritores: (1) - processos
dos resultados obtidos. de enfermagem, (2) - teoria de
Considerando esta problemática e a enfermagem, de acordo com a
importância do papel desempenhado pelo terminologia dos Descritores em Ciências
enfermeiro na assistência, este estudo é da saúde (DeCS), da Biblioteca Virtual em
norteado pela seguinte pergunta: como os Saúde - (http://decs.bvs.br). Os critérios
enfermeiros têm utilizado as teorias de de inclusão utilizados para a seleção da
enfermagem à sistematização da sua amostra foram: artigos indexados frutos de
prática clínica? A fim de responder a esse pesquisas primárias, disponíveis na íntegra,
questionamento, este estudo tem como sobre a utilização das teorias de
objetivo: identificar na literatura nacional e enfermagem à sistematização da prática
internacional, estudos que retratem a clínica do enfermeiro, publicados entre os

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
263

anos de 2011 a 2015. Foram excluídos A análise externa abordou os dados


artigos científicos que não estavam acerca das seguintes variáveis: base de
disponíveis na língua portuguesa, artigos dados de indexação, ano de publicação,
sem resumo ou indisponíveis na íntegra língua, origem e periódico. A crítica
on-line e aqueles que não estejam de interna se debruçou sobre os aspectos
acordo com a temática. ligados ao conhecimento, considerando
Ao final da busca, foram estas variáveis: resultados e conclusões. As
identificados quarenta e quatro (44) artigos informações produzidas foram organizadas
nas bases de dados LILACS, BDENF e com o apoio de tabelas e analisadas de
SciELO, sendo realizadas leituras dos maneira descritiva, através da frequência
resumos, fazendo-se uma triagem quanto à simples e relativa das variáveis em estudo,
relevância e à propriedade que sendo agrupadas por temas pertinentes ao
responderam ao objetivo do estudo. Foram assunto para facilitar a compreensão do
pré-selecionados os artigos científicos mesmo.
analisados quanto às variáveis: ano de
publicação; sujeitos da pesquisa; objetivo RESULTADOS
da pesquisa, e a aplicação da teoria na A partir da busca realizada, 44
prática clínica. publicações foram encontradas nas
Diante dos que correspondiam ao seguintes bases de dados: 9,09% na
objetivo proposto, foram excluídos 25 por LILACS; 15,9% no BDENF e 75% na
não atenderem aos critérios de inclusão. SciELO. Explica-se que na SciELO não
Ao final, 19 trabalhos compuseram a foram encontrados documentos com as
amostra desta revisão, os quais foram estratégias de busca utilizadas para as
eletronicamente arquivados para a análise e outras duas bases, sendo necessário ajustar
são apresentados logo mais no Quadro 1, o método de pesquisa. Esses estudos foram
segundo ano de publicação, título e seus selecionados, considerando os critérios
respectivos autores. estabelecidos, sendo que 19 artigos
Os dados de cada estudo foram demonstraram ser contributivos para a
extraídos através de um instrumento elucidação da questão norteadora desta
elaborado para esta finalidade, o revisão, ressaltando-se que no banco
Instrumento para Análise Crítica Externa e BDENF foram encontradas duas
Interna e, posteriormente, analisados por publicações, anteriormente localizadas na
meio da estatística descritiva simples. base LILACS.

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
264

Quadro 1 - Distribuição dos artigos selecionados segundo ano, título e autores.


Ordem Ano Título Autor(es)
Sistematização da Assistência de Enfermagem:
KRAUZER, Ivete Maroso;
1 2011 potencialidades reconhecidas pelos enfermeiros de um
GELBCKE, Francine Lima
hospital público.
Pessoas com úlceras venosas: estudo do modo
COSTA, Isabelle Katherinne
2 2011 psicossocial do Modelo
Fernandes et al .
Adaptativo de Roy.
COELHO, Sónia Margarida
Da pesquisa à prática de enfermagem aplicando o
3 2011 Santos; MENDES, Isabel
modelo de adaptação de Roy.
Margarida Dias Monteiro.
MEDEIROS, Ana Lúcia de;
Sistematização da assistência de enfermagem na
SANTOS, Sérgio Ribeiro dos;
4 2012 perspectiva dos enfermeiros: uma abordagem
CABRAL, Rômulo Wanderley
metodológica na teoria fundamentada.
de Lima.
Competência para prestar cuidado de enfermagem PAGLIUCA, Lorita Marlena
5 2012 transcultural à pessoa com deficiência: instrumento de Freitag; MAIA, Evanira
autoavaliação. Rodrigues.
SANTOS, Letícia Rosa;
Análise das respostas comportamentais ao câncer de
6 2012 TAVARES, Glaucia Batista;
mama utilizando o modelo adaptativo de Roy.
REIS, Paula Elaine Diniz dos.
Assistência de enfermagem a uma puérpera utilizando a LEITE, Maria Clerya Alvino et
7 2013
teoria de Horta e a CIPE al.
Cuidado de enfermagem a pessoas com hipertensão SILVA, Fabíola Vládia Freire
8 2013
fundamentado na teoria de Parse. da et al.
Teoria do cuidado transpessoal de Jean Watson no
9 2013 cuidado domiciliar de enfermagem a criança: uma GOMES, Ingrid Meireles et al.
reflexão.
Demandas de cuidado domiciliar da criança nascida LIMA, Ivana Cristina Vieira de
10 2013
exposta ao HIV na ótica da teoria ambientalista. et al.
FURTADO, Luciana Gomes;
Modelo de atenção crônica: inserção de uma teoria de
11 2013 NOBREGA, Maria Miriam
enfermagem.
Lima da.
Teoria de Tornar-se Humano na enfermagem LINS, Glauce Araújo Ideião et
12 2013
ecológica: aplicando o método de avaliação de Meleis. al.
GURGEL, Polyanna Keitte
Consulta coletiva de crescimento e desenvolvimento da Fernandes; TOURINHO,
13 2014
criança à luz da teoria de Peplau Francis Solange Vieira;
MONTEIRO, Akemi Iwata.
Implementação do processo de enfermagem em uma
HUITZI-EGILEGOR, Joseba
14 2014 área da saúde: modelos e estruturas de avaliação
Xabier et al
utilizados.
A prática do cuidado do enfermeiro com famílias de SANTOS, Maiara Rodrigues
15 2014
criança à luz de Jean Watson. dos, et al.
Consulta de enfermagem a idosos: instrumentos da SILVA, Juliana Paiva Góes da,
16 2015
comunicação e papéis da enfermagem segundo Peplau. et al.

Construção e validação de conteúdo do histórico de DOMINGOS, Camila Santana,


17 2015
enfermagem guiado pelo referencial de Orem. et al.

Facilitadores do processo de transição para o


18 2015 autocuidado da pessoa com estoma: subsídios para MOTA, Marina Soares, et al.
Enfermagem.
MEDEIROS, Ana Beatriz de
Teoria Ambientalista de Florence Nightingale: Uma Almeida; ENDERS, Bertha
19 2015
Análise Crítica. Cruz LIRA; Ana Luisa Brandão
de Carvalho
Fonte: Autores, 2016.

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
265

A primeira variável analisada foi o Universidade de São Paulo - USP;


ano de divulgação, em que 31,6% (06) dos Revista da Escola de Enfermagem da USP
artigos foram publicados no ano de 2013 e e a REME – Revista Mineira de
os demais divididos entre os anos de 2011, Enfermagem, cada uma com 5,2% de
2012 e 2014 somando respectivamente representatividade, totalizando 31,8%.
15,7% cada um e 2015 com 21,5%. Todos Tem-se com isso que todos os estudos
os 19 trabalhos analisados estavam selecionados foram divulgados em
publicados em português, sendo importante periódicos nacionais e de circulação
ressaltar que apesar dos trabalhos internacional.
selecionados serem originários do Brasil, A crítica interna traz os aspectos
destaca-se um de origem espanhola, relacionados ao conteúdo dos artigos.
proveniente de Gipuzkoa, Província do Quanto aos resultados apresentados pelos
País Basco, localizado ao Norte da estudos, foi possível verificar que 79%
Espanha. Ademais, não foram encontrados enfatizavam a necessidade de utilizar um
trabalhos de outras procedências, modelo teórico para implementar o
provavelmente devido aos critérios de Processo de Enfermagem (PE). Os demais
busca utilizados e as características dos 21% confirmavam os efeitos da construção
bancos de dados consultados. e validação de instrumentos de coleta de
Analisando-se o veículo de dados para a consulta de enfermagem,
publicação, tem-se que 35,2% foram explanando que essa prática oferece
publicados na Escola Anna Nery Revista subsídios para direcionar os enfermeiros a
de Enfermagem; 15,7% da Revista documentarem a consulta sob um
Gaúcha de Enfermagem; 10,5% da referencial teórico. Esse elo gerado entre a
Revista da Escola de Enfermagem da USP; teoria e o instrumento torna-o significativo
e outros 10,5% da Rev. Texto & Contexto para o cuidado de enfermagem, facilitando
Enfermagem. Quanto aos periódicos o fornecimento de dados que guiem as
restantes, identificou-se que pertenciam as decisões clínicas do enfermeiro e
revistas: Revista de enfermagem da colaborem para a implementação de
UFSM; Revista Brasileira de mudanças no fazer da enfermagem.
Enfermagem – REBEn; Rev. Ainda sobre a crítica interna dos
RENE: Revista da Rede de Enfermagem estudos selecionados, passou-se a análise
do Nordeste; Revista Latino-americana de das conclusões contidas nos documentos, o
Enfermagem, vinculada a Escola de que permitiu identificar os achados a que
Enfermagem de Ribeirão Preto da chegaram esses estudos acerca da

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
266

sistematização da assistência de Diabetes Mellitus (DM), aos portadores de


enfermagem, onde, sumariamente, todos os Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS),
estudos estavam voltados para a além dos cuidados prestados ao público
qualificação do cuidado de enfermagem. idoso que procura a atenção primária.
Em 100% dos estudos, visualizou- Dentre os 15,7% que focavam no
se uma consonância a respeito da ambiente domiciliar, destacou-se o artigo
sistematização da assistência de que caracteriza as condições ambientais
enfermagem constituir-se em um desfavoráveis para a saúde das crianças
instrumento fundamental no trabalho do nascidas expostas ao Vírus da
enfermeiro, pois possibilita, segundo os Imunodeficiência Humana (HIV).
autores, visualizar a prática assistencial do Entretanto, os demais não expunham o
profissional e viabiliza a valorização do local exato para a intervenção, abrangendo
seu fazer. Dos 19 artigos analisados, 52% toda e qualquer situação em que seja
tinham o hospital como ambiente de preciso intervir no estado de saúde do
intervenção para aplicação de um modelo usuário.
teórico ou da SAE, e seu público em geral No que se refere às teoristas
variava desde assistência obstétrica nos utilizadas na argumentação dos artigos,
períodos pré/pós-parto, assistência a foram identificadas 11 teoristas
estomizados com enfoque nas suas apresentadas no Quadro 2. Verificou-se
necessidades básicas e seu processo de que 15,7% discutiram sobre a Teoria Da
adaptação, portadores de doenças crônicas, Adaptação de Callista Roy; 15,7% sobre
condutas a pessoas com úlceras venosas, e Jean Watson; 10,5% debatiam sobre
crianças. Florence Nightingale, com a Teoria Da
Quanto aos estudos que focavam na Manipulação Do Ambiente; além de 10,5%
Unidade de Saúde da Família, foram sobre Hildegard Peplau; 10,5% abordaram
identificados que 21% abordavam a visão o referencial de Wanda Horta, discutindo
da assistência à criança na sua consulta de sobre o Processo de Enfermagem e a
crescimento e desenvolvimento, e as Teoria das Necessidades Humanas
condutas frente à pessoa portadora de Básicas; 10,5% Afaf Ibrahim Meleis.

Quadro 2 - Distribuição dos artigos encontrados segundo teoristas.


Teoristas Qnt
Callista Roy 03
Jean Watson 03
Afaf Ibrahim Meleis 02

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
267

Wanda Horta 02
Florence Nightingale 02
Hildegard Peplau 02
Dorothea Elizabeth Orem 01
Madeleine Leininger 01
Rosemarie Rizzo Parse 01
Virginia Henderson 01
Barney Glaser e Anselm Strauss 01
Total 19
Fonte: Autores; 2016.

Ademais, foram encontrados variáveis. As teorias de enfermagem são


artigos que discorriam com as seguintes descritas como alicerces para dar suporte à
teoristas: Dorothea Elizabeth Orem; prática de uma boa assistência, aliadas ao
Madeleine Leininger; Rosemarie Rizzo conhecimento específico, estruturado e
Parse e Virginia Henderson, cada um com organizado.7
5,2% de representatividade. Um artigo em Dentre as teoristas mais utilizadas
particular se destacou por sua abordagem, pelos autores, tem-se a de Callista Roy,
apesar de não tratar diretamente de uma que em seu Modelo de Adaptação objetiva
teoria de Enfermagem, a Grounded contribuir para a saúde, a qualidade de vida
Theory, ou Teoria Fundamentada nos e a morte com dignidade. Ela considera
Dados (TFD). Esta é possível de ser como objetivo primordial da enfermagem,
aplicada na pesquisa em enfermagem e foi a promoção da adaptação dos indivíduos e
utilizada por seus autores para grupos nos quatro modos de adaptação:
operacionalizar a teoria mais adequada ao físico-fisiológico, identidade de
momento. autoconceito, interdependência e
8
desempenho de papel.
DISCUSSÃO A pessoa no Modelo de Adaptação
Tem-se que o termo teoria se refere de Roy é um ser social, mental, espiritual e
a uma explicação sistemática de como os físico, afetado por estímulos do ambiente,
fenômenos estão inter-relacionados. Seus sendo o ser humano um sistema
principais objetivos são: dar significado biopsicossocial com a capacidade de
aos resultados científicos; resumir o ajustar-se ao ambiente bem como
conhecimento existente em sistemas modificá-lo.9
coerentes; estimular novas pesquisas; Nesse sentido, o cuidado de
fornecer direção ao estudo, bem como, enfermagem, visualizado a partir da ótica
explicar a natureza das relações entre as da teoria da adaptação de Roy, direciona as

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
268

ações de enfermagem de forma a abranger enfermagem, reconhecendo a pertinência


a pessoa que recebe o cuidado de articular os elementos da teoria de Jean
considerando-a no todo em suas relações Watson na prática.
com ambiente interno e externo.4 As metas A teoria ambientalista de Florence
visam ao restabelecimento e/ou à Nightingale, a qual foi descrita em dois
manutenção do equilíbrio sendo possível (02) dos estudos analisados, abrange três
relacioná-las às intervenções necessárias. relações principais: ambiente com o
Portanto, trata-se de um sistema adaptativo doente; enfermeira com o ambiente e
holístico, em contínua interação com o enfermeira com o doente. Considera o
meio ambiente mutante. ambiente como o fator principal que atua
A segunda de maior destaque foi a sobre o indivíduo gerando um estado de
Teoria do Cuidado Humano de Jean doença. A precursora da enfermagem, com
Watson, a qual está centrada no conceito vistas nas relações entre o ser humano,
de cuidado e em pressupostos ambiente e natureza, trouxe consigo em
fenomenológicos existenciais, que traz o sua época, incontáveis contribuições para a
olhar para além do corpo físico. A teoria melhoria e o desenvolvimento da saúde,
desenvolvida por Watson ressalta a mantendo-se, até os dias atuais, como fonte
enfermagem como a ciência do cuidado10, de inspiração e alvo de pesquisa para
desde que baseada em paradigmas estudiosos em todo o mundo.12,13
metafísicos, filosóficos e morais, Para Peplau o enfermeiro deve usar
respeitando o ser humano em sua unidade e os instrumentos da comunicação: escuta,
totalidade de mente-corpo-espírito esclarecimento e aceitação, e que a
oferecendo um alicerce para a profissão e enfermagem exerce pelo menos seis papéis
para o cuidar. fundamentais: estranho, provedor de
Existem discordâncias entre recursos, professor, líder, substituto e
autores11 a respeito da adequada utilização assessor. 14
da fundamentação teórica de Watson pelo Observa-se que as teorias quase
profissional enfermeiro. Os conceitos da sempre têm princípios comuns. A exemplo
teoria são pouco reconhecidos na prática disso, não tão distante da realidade
do enfermeiro. Isso reflete diretamente na proposta por Orem, está a Teoria da
execução da assistência, sendo preciso uma Diversidade e Universalidade do Cuidado
consciência clara sobre a importância de Cultural (TDUCC) de Madeleine
aprimorar o conhecimento e ter o respaldo Leininger, que busca uma assistência, onde
de um referencial teórico para a

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
269

o ser cuidado tenha autonomia, liberdade e estudados e discutidos entre os


poder para tomada de decisão.15 enfermeiros.18
Dentre as teoristas descritas nos Nesse processo de reestruturação
estudos e que indicam o estímulo pelo do processo de cuidar em enfermagem, é
enfermeiro ao protagonismo do sujeito em relevante o papel do enfermeiro, que
seu processo de tratamento, identifica-se precisa refletir sobre a necessidade de
um estudo sobre Rosemarie Rizzo Parse, a incrementar assistência com ferramentas
qual considera o ser humano de forma que norteiem a prática de enfermagem de
individual e possuidor de livre arbítrio. O forma segura, organizada e competente, em
enfermeiro aparece como mediador e que se destaca a utilização do processo de
colaborador no processo de recuperação ou enfermagem, baseada em um modelo
manutenção de um tratamento.16 teórico, apropriado por meio da
Percebeu-se uma maior utilização sistematização da assistência de
de teorias de enfermagem atrelada ao enfermagem.19
ambiente hospitalar. Onde, para a Apesar do crescente interesse da
elaboração e implementação de um modelo comunidade acadêmica por identificar
assistencial em um serviço hospitalar, é melhorias na qualidade da assistência
necessária a realização de um diagnóstico prestada ao usuário, e os autores
do trabalho da equipe de enfermagem17, encontrados referirem a inserção das
ressaltando seu preparo técnico-científico teorias de enfermagem na prática clínica,
sobre o processo de enfermagem, bem este estudo apresenta limitações como a
como a existência de problemas existência de poucas publicações a respeito
decorrentes de uma assistência não do uso das teorias de enfermagem na
sistematizada. sistematização da assistência do
Os enfermeiros autores dos estudos enfermeiro no Brasil. Outra limitação
em análise compreendem a sistematização identificada está relacionada ao fato de
da assistência de enfermagem como um terem sido utilizados somente os artigos
método de trabalho derivado do método disponíveis nas bases de dados eletrônicas,
científico. A SAE desenvolve-se através de em língua portuguesa, o que pode ter
uma assistência que valoriza a contribuído, para que outros trabalhos
enfermagem, melhora a qualidade da também relevantes não tenham sido
assistência prestada, e contribui para o acessados e talvez, incluídos a pesquisa.
aprendizado por se apoiar em marcos
teóricos e filosóficos que necessitam ser CONCLUSÃO

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
270

O estudo permitiu apreender que, utilizada na construção da sistematização


apesar de a enfermagem brasileira ser da assistência.
considerada uma das maiores produtoras Estejamos atentos às implicações
de publicações científicas na atualidade, com as quais se atrelam o nosso fazer
contempla-se ainda uma baixa utilização específico e, acima de tudo, engajemo-nos
de teorias de enfermagem aliadas à para uma crítica à própria profissão
sistematização do seu fazer específico, debruçando-nos sobre os aspectos sócio
refletindo a influência do contexto social e históricos determinantes para a conjuntura
político no qual está imersa a profissão, atual, e consequentemente na luta para
bem como seu distanciamento de reflexões possibilitar a comunidade usuária do
sobre seus aspectos ontológicos, sobre os sistema de saúde uma atenção de
quais tem pouco se debruçado, em enfermagem digna e de qualidade, pois
detrimento dos epistemológicos. apenas alcançaremos um sistema mais
Verificou-se preocupação dos justo se nos envolvermos e nos
profissionais que prestam assistência com a comprometermos com as transformações
utilização de teorias de enfermagem, necessárias.
agarrando-se a isso como um esforço para
a valorização das mesmas, objetivando a REFERÊNCIAS
organização do trabalho, com uso de uma 1. Matos JC, Luz GS, Marcolino JS,
Carvalho MDB, Pelloso SM. Ensino de
linguagem própria da profissão e com a
teorias de enfermagem em Cursos de
produção de novos conhecimentos, sendo Graduação em Enfermagem do Estado do
Paraná - Brasil. Acta paul. Enferm.
este, um processo de amadurecimento
2011;24(1):23-28.
gradativo que vêm desde a formação 2. Medeiros AL, Santos SR, Cabral RWL.
Sistematização da assistência de
acadêmica até sua atuação enquanto
enfermagem na perspectiva dos
profissional. enfermeiros: uma abordagem metodológica
na teoria fundamentada. Rev. Gaúcha
Considerando a Enfermagem como
Enferm. 2012;33(3):174-181.
prática social e que grande parte das 3. Menezes SRT, Priel MR, Pereira LL.
Autonomia e vulnerabilidade do
teoristas da área de Enfermagem situa a
enfermeiro na prática da Sistematização da
atuação do enfermeiro vinculada à atenção Assistência de Enfermagem. Rev. Esc.
enferm. USP. 2011;45(4):953-958.
das necessidades humanas, este estudo traz
4. Costa IKF, Nóbrega WG, Costa IKF,
como provocação para a reflexão dos Torres GV, Lira ALBC, Tourinho FSV, et
al. Pessoas com úlceras venosas: estudo do
próprios enfermeiros e demais membros da
modo psicossocial do modelo adaptativo
equipe de enfermagem a metodologia de Roy. Rev. Gaúcha Enferm.
2011;32(3):561-568.

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154
271

5. Hermida PMV. Desvelando a 13. Frello AT, Carraro TE. Contribuições


implementação da Sistematização da de Florence Nightingale: uma revisão
Assistência de Enfermagem. Rev. bras. integrativa da literatura. Esc Anna Nery
enferm. 2004;57(6):733-737. Rev Enferm. 2013; 17( 3 ): 573-579.
6. Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão 14. Silva JPG, Costa KNFM, Silva GRF,
CM. Revisão integrativa: método de Oliveira SHS, Almeida PC, Fernandes
pesquisa para a incorporação de evidências MGM. Consulta de enfermagem a idosos:
na saúde e na enfermagem. Texto contexto instrumentos da comunicação e papéis da
- enferm. 2008;17(4):758-764. enfermagem segundo Peplau. Esc. Anna
7. Raimondo ML, Fegadoli D, Méir MJ, Nery. 2015;19(1):154-161.
Wall ML, Labronici LM, Ferraz-Raimondo 15. Seima MD, Michel T, Méier MJ, Wall
ML. Produção científica brasileira ML, Lenardt MH. A produção científica da
fundamentada na Teoria de Enfermagem enfermagem e a utilização da teoria de
de Orem: revisão integrativa. Rev. bras. Madeleine Leininger: revisão integrativa
enferm. 2012;65(3):529-534. 1985-2011. Esc Anna Nery Rev Enferm.
8. Coelho SMS, Mendes IMDM. Da 2011;15(4):851-857.
pesquisa à prática de enfermagem 16. Silva FVF, Silva LF, Guedes MVC,
aplicando o modelo de adaptação de Moreira TMM, Rabelo ACS, Ponte KMA.
Roy. Esc. Anna Nery. 2011;15(4):845-850. Cuidado de enfermagem a pessoas com
9. Santos LR, Tavares GB, Reis PED. hipertensão fundamentado na teoria de
Análise das respostas comportamentais ao Parse. Esc Anna Nery Rev Enferm.
câncer de mama utilizando o modelo 2013;17(1):111-119.
adaptativo de Roy. Esc Anna Nery Rev 17. Andrade JS, Vieira MJ. Prática
Enferm. 2012;16(3):459-465. assistencial de enfermagem: problemas,
10. Gomes IM, Lima KA, Rodrigues LV, perspectivas e necessidade de
Lima RAG, Collet N. Teoria do cuidado sistematização. Rev. bras. enferm.
transpessoal de Jean Watson no cuidado 2005;58(3):261-265.
domiciliar de enfermagem à criança: uma 18. Krauzer IM, Gelbke FL.
reflexão. Esc Anna Nery Rev Enferm. Sistematização da Assistência de
2013;17(3):555-561. Enfermagem: potencialidades reconhecidas
11. Santos MR, Bousso RS, Vendramim P, pelos enfermeiros de um hospital público.
Baliza, MF, Misko MD, Silva L. A prática Rev. enferm. UFSM. 2011;1(3):308-317.
do cuidado do enfermeiro com famílias de 19. Furtado LG, Nobrega MML. Modelo
criança à luz de Jean Watson. Rev. esc. de atenção crônica: inserção de uma teoria
enferm. USP. 2014;48(suplementar):80-86. de enfermagem. Texto & Contexto -
12. Lopes LMM, Santos SMP. Florence enferm. 2013;22(4):1197-1204.
Nightingale: apontamentos sobre a
fundadora da Enfermagem Moderna. Rev.
RECEBIDO: 15/01/2018
Enf. Ref. 2010; serIII (2):181-189.
APROVADO: 01/05/2018
PUBLICADO: 07/2018

Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. Jan/Jul 2018; 7(1):260-271 ISSN 2317-1154