Sei sulla pagina 1di 2

DIREITO PENAL IV - CCJ0034

Título
SEMANA 1

Descrição
Leia a situação hipotética abaixo e responda, de forma objetiva e fundamentada, às
questões formuladas:

Em datas e horários diversos, todavia no período compreendido entre meados do mês de fevereiro até o mês de maio do
ano de 2014, RONALDO ESPERTO, prevalecendo-se da condição de perito, nomeado pelo juízo da Xª Vara civil da
Comarca da Capital, com o fim de obter indevida vantagem econômica solicitou aos advogados de determinado
processo, o pagamento de determinada quantia em dinheiro para fins de elaboração de laudo favorecendo o cliente
destes, todavia as vítimas não concordaram em repassar qualquer montante a RONALDO ESPERTO.

Ante o exposto, com base nos estudos realizados sobre os Crimes contra a Administração Pública, responda às questões
formuladas:

a) RONALDO ESPERTO é considerado funcionário público para fins penais? Responda de forma objetiva e
fundamentada.
R: Sim, de acordo com o artigo 327, CP, \u201c Considera-se funcionário público, para
os efeitos penais, quem, embora transitoriamente ou sem remuneração, exerce cargo,
emprego ou função pública.

B)Qual a correta tipificação de sua conduta? Ainda, responda se a mesma restou


tentada ou consumada, haja vista as vítimas não terem concordado em repassar
qualquer montante ao agente. R: A conduta de Ronaldo Esperto se tipifica no crime de
corrupção passiva, definido no art. 317 do CP como: \u201csolicitar ou receber, para si ou
para outros, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas
em razão dela, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal vantagem

Questão objetiva.

Acerca dos crimes contra a Administração pública, assinale a resposta correta.

a) O crime de denunciação caluniosa (art. 339 do CP), além de outros requisitos de configuração, exige que a
imputação sabidamente falsa recaia sobre vítima determinada, ou, ao menos, determinável.

b) Para a configuração do crime de peculato-furto (art. 312, § 1°, CP) é suficiente que o sujeito ativo,funcionário
público, subtraia um bem móvel particular que esteja sob a guarda da Administração pública.

c) Considera-se funcionário público, para efeitos penais, quem exerce múnus público, assim entendido o ônus ou
encargo para com o poder público, como no caso do curador.

d) Nos crimes de inserção de dados falsos em sistemas de informações (art. 313-A do CP) e modificação ou
alteração não autorizada de sistema de informações (art. 313-B do CP) se exige que figure, como sujeito ativo da
conduta, o funcionário público autorizado.

e) Ao contrário do que ocorre na extorsão, o crime de concussão é classificado como delito material, operando-se
quando o agente aufere a vantagem indevida almejada.
Desenvolvimento