Sei sulla pagina 1di 41

1

ETEC

ETEC TAKASHI MORITA

Eletrônica

Alexandre Rodrigues Santos

Alexandre José da Silva

Adriano Silva

Jose Gabriel Dias

Gregori Isaac

Gerenciamento de Nível

São Paulo

2017

2

Alexandre Rodrigues Santos

Alexandre José da Silva

Adriano Silva

Jose Gabriel Dias

Gregori Isaac

Gerenciamento de Nível

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso Técnico em Eletrônica da Etec Takashi Morita, orientado pelo Prof. Tavares S, como requisito parcial para obtenção de título técnico em Eletrônica.

São Paulo

2017

3

Alexandre Rodrigues Santos

Alexandre José da Silva

Adriano Silva

Jose Gabriel Dias

Gregori Isaac

Gerenciamento de Nível

Trabalho de Conclusão de Curso Etec Takashi Morita

Comissão Julgadora

Orientador

Examinador

Examinador

São Paulo, 2017

4

Dedicamos este projeto primeiramente

a nossos familiares, professores e aos

antigos amigos que não estão mais no curso, que nos apoiaram durante todo

o processo, orientando e contribuindo na formação do nosso projeto.

5

Agradecimentos

Ao nosso orientador Sérgio Tavares por auxiliar com a elaboração da nossa monografia.

A instituição ETEC Takashi Morita, do Centro Paula Souza, na pessoa de seu coordenador Dario, pelo apoio recebido.

Aos professores pelas suas contribuições e sugestões no Trabalho.

O agradecimento ao próprio grupo da pesquisa que, estavam sempre presentes em todo o processo de elaboração deste trabalho, nos bons e maus momentos.

6

Nossas virtudes e nossos defeitos são inseparáveis, como a força da matéria. Quando se separam, o homem deixa de existir.

Nikola Tesla

7

Resumo

Neste Trabalho de Conclusão de Curso procura se mostrar uma forma mais prática para que seja feita o gerenciamento da distribuição do abastecimento de água em uma empresa, com objeto de minimizar os custos e assegurar o decreto estadual n° 56819, que obriga uma reserva de água para caso de emergência em uma empresa.

E assim o gerenciamento será feito através de um sistema de sensores que se comunicarão com a manutenção ou operação da empresa de modo que seja constantemente observado o nível da caixa de água central, e assim se evite a observação manual. Sendo que em caso de emergência ou nível crítico um sistema de bombeamento automático será ativado. Porém se ainda não atingir níveis críticos, mas ainda ter um nível de água abaixo do nível máximo, será possível através do mesmo sistema ativar um bombeamento.

Palavra Chave: Gerenciador de Nível, controle de nível.

8

Abstract

In

this Study Course Conclusion seeks to show a more practical for the management

of

the distribution of water supply in a company, with the object of minimizing costs and

ensure the state decree n°56819, which requires a reservation of water for emergencies in a company.

And so, the management will be done through a system of sensors that with the

maintenance or operation of the business so that it is constantly observed the level of the water, and thus avoid the observation manual. In case of emergency or critical level

a system of automatic pumping will be activated. However, if you still do not reach

critical levels, but still have a water level drops below the maximum level, it will be possible through the same system enable a pumping.

Keyword: Level Manager, level control.

9

Lista de Ilustrações

Figura 1

18

Figura 2

19

Figura 3

20

Figura 4

21

10

Lista de Tabelas

Tabela 1

21

Tabela 2

24

Tabela 3

28

Tabela 4

28

Tabela 5

29

11

µ - Micro

- Ohm

A

- Ampere

V

- Volts

m

Metro

cm Centímetro

- Polegada

ºC Graus Celsius

P (cv/Kw)- Potência Elétrica

Lista de Símbolos

12

Sumário

Introdução

13

Objetivo Geral

14

Objetivos Específicos

14

Justificativa

15

4

Metodologia

16

4.1 Etapas do desenvolvimento

16

4.2 Estudo de caso

16

4.3 Planejamento da parte técnica

16

4.4 Montagem dos Circuitos

17

4.4.1 Sensor Ultrassônico

17

4.4.2 Display 16x2

18

4.4.3 Válvula de Retenção

19

4.4.4 Bombas de Água

20

4.4.5 Comando

4.5 Programação e lógica

21

22

6

Resultados

29

6.1 Resultados Esperados

29

6.2 Resultados Obtidos

31

6.3 Dificuldades Encontradas

32

8

Organização do Grupo

35

9

Conclusão

36

Anexo B

33

13

Introdução

de um sistema de

gerenciamento/bombeamento de água em uma estação de tratamento acoplada à uma empresa. Sendo que o objetivo é gerenciar o nível completo de abastecimento de uma empresa, visando garantir as condições essenciais de trabalho e o decreto estadual nº 56819, que obriga uma reserva de água em caso de emergência. Este será organizado em quatro partes, sendo:

Neste

presente

trabalho

vê-se

o

desenvolvimento

1. Pesquisa

2. Levantamento de Dados

3. Projeto

4. Execução

Tendo como metodologia a pesquisa e comparação com os dados obtidos em experiências, que serão contextualizados no projeto e comprovadas na execução.

14

Objetivo Geral O objetivo geral deste projeto é criar um sistema em que se possa gerenciar e

controlar o sistema de abastecimento de uma empresa, de maneira mais rápida e

pratica, e assim se evitando perdas na produção.

Objetivos Específicos Na situação de trabalho encontra-se um problema no abastecimento de água em uma

empresa, para isto este Trabalho vem com objetivo de:

Gerenciar o nível de água de duas Caixas

Controlar e gerir um acionamento automático para emergências

Administrar uma interação homem- máquina para ativação manual do sistema

Cuidar da segurança da empresa, combate a incêndio.

Alimentar e refrigerar os equipamentos que utilizam de água.

Dar condições para os colaboradores na infraestrutura.

15

Justificativa Este projeto vem de encontro a interesses econômicos e obrigações legais.

Na atual situação da empresa, se tem uma verificação dos níveis de água das caixas

manualmente, ou seja, sempre que se precisa saber o nível das caixas um funcionário

de um setor tem de ir as caixas, que ficam afastadas da linha de produção, sendo que

muitas vezes a falhas, causando percas na produção, devido à falta de água até que

as caixas se encham novamente. Deste modo este trabalho visa abastecer as caixas

de maneira pratica, de forma em que se evite percas na produção e eficiência na

empresa. E garantir o cumprimento do decreto estadual nº 56819, que obriga uma

reserva de água para emergências. E de modo indireto, uma vez que se diminua as

perdas da empresa durante sua produção, cause um impacto em seus produtos, de

maneira que se melhore sua qualidade e preço. Este trabalho não possui

antecedentes com objetivos ou processo iguais no Brasil, porém tem alguns trabalhos

com viés manuais semelhantes a partes do projeto deste trabalho.

A primeira etapa foi realizada ao constar-se da necessidade do cumprimento do

decreto estadual nº 56819 e da possibilidade de implementação de novos métodos de

acessibilidade, mais eficientes que os usados na atualidade. Deste modo foi recorrido

a um sistema de equipamentos eletrônicos, e suas especificações de fabricação, para

que se fosse possível realizar as implementações.

16

4 Metodologia 4.1 Etapas do desenvolvimento O desenvolvimento deste projeto foi em etapas, sendo elas: o estudo de caso,

planejamento da parte prática, montagem de circuitos, montagem da maquete, lógica

e programação. Sendo que no estudo de caso será feito o estudo da estrutura física

do projeto, no planejamento da parte prática será testado o conceito anterior, na

montagem de maquete será esquematizada a pré-montagem. Logo nas partes de

lógica e programação se incumbido de interligar a montagem e sua lógica funcional.

4.2 Estudo de caso Nesta etapa foi efetuado o estudo da parte física, para contornar os problemas

e dificuldades de aplicações, de acordo com seus materiais respectivamente e seus

tamanhos, dessa maneira se projetando as específicas implementações para torna-lo

viável e com sua efetividade garantida.

4.3 Planejamento da parte técnica Esta parte se refere a composição da lógica a qual os equipamentos e suas

funções foram-se estruturadas, assim como se foi decidido os equipamentos e suas

proporções.

Tendo a apresentação feita em uma escala proporcional a real, em forma de

maquete, onde se foi decidido por utilizar-se duas bombas de vasão média, para ser

similar ao funcionamento de uma bomba de engrenagem, em que se tem o

bombeamento em duas direções, e para o seu funcionamento e aplicação, foi-se

decidido o uso de duas válvulas de retenção.

17

4.4 Montagem dos Circuitos 4.4.1 Sensor Ultrassônico O sensor ultrassônico HC-SR04 tem como função medir a distância de objetos,

através da emissão de ondas de ultrassom, este podendo estar entre 2cm a 4m, sendo

que para isto é necessário ser alimentado e ter seu pino Trigger em nível alto por mais

de 10µs. E assim ele enviara ondas sonoras que ao rebater em um objeto, fara a onda

voltar ao sensor, sendo que durante este tempo o ECHO estará em nível lógico alto,

logo o sensor usara este tempo para calcular a distância do objeto, ou seja, ele usara

o tempo em que Echo ficara em nível alto para calcular o a distância, isto sendo feito

através da seguinte fórmula:

Distância = [Tempo ECHO em nível alto * Velocidade do Som] /2

Nesta fórmula leva-se em consideração a velocidade do som como 340m/s, por isto a

distância será em metros, e será dividido por dois uma vez que o som terá que ir e

voltar através da distância.

dividido por dois uma vez que o som terá que ir e voltar através da distância.

Figura 1 Sensor Ultrassônico [1]

18

4.4.2 Display 16x2 Este display é formado por vários pequenos quadros que são divididos pela tela, sendo assim 16 colunas em 2 linhas. Nos quais são impressas letras na cor branca, através de um porto de dados, e uma alimentção.

branca, através de um porto de dados, e uma alimentção. Figura 2 – Terminais de dados

Figura 2 Terminais de dados e alimentaçãodo Display[2]

de dados, e uma alimentção. Figura 2 – Terminais de dados e alimentaçãodo Display[2] Figura 2.1

Figura 2.1 Display[2.1]

19

4.4.3 Válvula de Retenção

A válvula de retenção é um dispositivo mecânico que faz o impedimento de qualquer

fluído dentro de si em um sentido inverso a aquele estabelecido, ou seja, ela permite

a passagem do fluído em somente um único sentido e atua como um canal fechado

permanente no outro sentido.

um único sentido e atua como um canal fechado permanente no outro sentido. Figura 3 –

Figura 3 Válvula de Retenção [3]

20

4.4.4 Bombas de Água Ira ser utilizado a Bomba periférica 50AB

20 4.4.4 Bombas de Água Ira ser utilizado a Bomba periférica 50AB Tabela 1 [4] Figura

Tabela 1 [4]

20 4.4.4 Bombas de Água Ira ser utilizado a Bomba periférica 50AB Tabela 1 [4] Figura

Figura 4 Bomba Períferica [5]

21

4.4.5 Comando Este item é formado por duas partes:

Na primeira por uma placa que tem um transistor polarizado, e ao receber um pulso lógico de nivel alto na base faz-se entrar em condução e assim ativar um bloco relé.

Nesse sistema se tem dois blocos relés e transistores pois cada bloco ativará um contator separadamente.

pois cada bloco ativará um contator separadamente. Na segunda parte se tem os blocos contatores e

Na segunda parte se tem os blocos contatores e o sistema de proteção no caso os dijuntores.

contatores e o sistema de proteção no caso os dijuntores. Os dijutores fazem a proteção do

Os dijutores fazem a proteção do sistema sendo ligado a duas fases, que ao ser ativado transmitem as fazes a parte superios dos terminais dos blocos contatores, estes se ativarão ao receberem nivel lógico alto na bobina, vindo do seu módulo relé respectivamente atribuído. E assim ao ser ativado, o contator entrará em condução ativando sua respectiva bomba d’água.

22

4.5 Programação e lógica A Programação foi feita usando a linguagem C/C++ na plataforma Arduino, sobre o microcontrolador Atmel 328p.

#include <LiquidCrystal.h>

#include <NewPing.h>

#define Bomba 4

#define Bomba2 5

int buttonState;

int buttonPin =6;

int buttonState2;

int buttonPin2 =7;

int buttonState3;

int buttonPin3 =8;

int buttonState4;

int buttonPin4 =9;

int b1;

int b2;

long prfdde;

LiquidCrystal lcd(14, 15, 16, 17, 18, 19); // Cria um objeto LCD e atribui os pinos

//Determina o número de sensores no circuito

#define SONAR_NUM

//Determina a distância máxima de detecção

#define MAX_DISTANCE 35

//Intervalo de tempo entre as medições - valor mínimo 29ms

#define PING_INTERVAL 33

//Armazena a quantidade de vezes que a medição deve ocorrer, para cada sensor

2

unsigned long pingTimer[SONAR_NUM];

//Armazena o número de medições

unsigned int cm[SONAR_NUM];

// Armazena o número do sensor ativo

23

NewPing sonar[SONAR_NUM] =

{

//Inicializa os sensores nos pinos especificados //(pino_trigger, pino_echo, distancia_maxima) //Sensor 1 NewPing(11, 10, MAX_DISTANCE), //Sensor 2 NewPing(12, 13, MAX_DISTANCE),

};

void setup()

{

b1 = 0; b2 = 0; pinMode(Bomba,OUTPUT);

pinMode(Bomba2,OUTPUT);

pinMode(buttonPin,INPUT);

pinMode(buttonPin2,INPUT);

Serial.begin(9600);

lcd.begin(2, 16); //Inicia a primeira medição com 75ms pingTimer[0] = millis() + 75; //Define o tempo de inicialização de cada sensor for (uint8_t i = 1; i < SONAR_NUM; i++) pingTimer[i] = pingTimer[i - 1] + PING_INTERVAL;

}

void loop()

{

24

//Faz um loop entre todos os sensores

for (uint8_t i = 0; i < SONAR_NUM; i++)

{ // Loop entre todos os sensores

if (millis() >= pingTimer[i])

{

 

pingTimer[i] += PING_INTERVAL * SONAR_NUM;

if (i == 0 && currentSensor == SONAR_NUM - 1) oneSensorCycle();

sonar[currentSensor].timer_stop();

currentSensor = i;

cm[currentSensor] = 0;

sonar[currentSensor].ping_timer(echoCheck);

}

}

}

void echoCheck()

{

int prfde=35;

//Se receber um sinal (eco), calcula a distancia

if (sonar[currentSensor].check_timer())

cm[currentSensor] = (100 - (((sonar[currentSensor].ping_result /

US_ROUNDTRIP_CM)*100)/prfde));

}

void oneSensorCycle()

{

// Ciclo de leitura do sensor

for (uint8_t i = 0; i < SONAR_NUM; i++)

{

//Imprime os valores lidos pelos sensores, no serial monitor

Serial.print("S : ");

25

Serial.print(i); Serial.print(" = "); Serial.print(cm[i]); Serial.print(" % - ");

lcd.setCursor(0,i);

lcd.print("Nivel=");

lcd.setCursor(8,i);

lcd.print(cm[i]);

lcd.setCursor(12,i);

lcd.print("%"); int MMA =3; int SMA; SMA =digitalRead(MMA);

if (SMA == HIGH)

{

if (cm[i]<=40)

{

if(i==0)

{

digitalWrite(Bomba, HIGH);

}

if(i==1)

{

digitalWrite(Bomba2, HIGH);

}

}

if (cm[i]>=70)

{

if(i==0)

26

{

digitalWrite(Bomba, LOW);

}

if(i==1)

{

digitalWrite(Bomba2, LOW);

}

}

}

if (SMA==LOW)

{

buttonState = digitalRead(buttonPin); if (buttonState == HIGH)

{

b1 = 1;

}

buttonState2 = digitalRead(buttonPin2);

if (buttonState2 == HIGH)

{

b2 = 1;

}

buttonState3 = digitalRead(buttonPin3);

if (buttonState3 == HIGH)

{

b1 = 0; digitalWrite(Bomba, LOW);

}

buttonState4 = digitalRead(buttonPin4);

if (buttonState4 == HIGH)

{

27

b2 = 0; digitalWrite(Bomba2, LOW);

}

if (b1 == 1)

{

digitalWrite(Bomba, HIGH);

}

if (b2 == 1)

{

digitalWrite(Bomba2, HIGH);

}

}

}

Serial.println();

}

28

5 Cronograma de Execução

28 5 Cronograma de Execução Tabela 2 – Cronograma de Execução
28 5 Cronograma de Execução Tabela 2 – Cronograma de Execução

Tabela 2 Cronograma de Execução

29

6 Resultados 6.1 Resultados Esperados

Com base no que foi apresentado durante o curso esperava-se utilizar-se das seguintes propriedades para controlar o nível de um sistema de abastecimento de uma empresa de pequeno a médio porte.

1- Disjuntores

Com base na norma NBR 5410/2008 se faz a atribuição da proteção do circuito de comando e potência através de dois disjuntores.

2- Contatores

Para proteger o circuito de comando de baixa tensão e evitar quaisquer problemas de excesso de corrente nas trilhas das placas de circuito impresso foi se utilizado dois contatores para realizar comutação de estado lógico das bombas.

das placas de circuito impresso foi se utilizado dois contatores para realizar comutação de estado lógico

30

30 3- Comando e Sensor A partir da leitura dos sensores, haverá o acionamento da porta

3- Comando e Sensor

A partir da leitura dos sensores, haverá o acionamento da porta lógica que fara

com que o bloco de relés se ative, assim como falado na descrição dos circuitos,

e assim ative as bombas através da bobina dos contatores. De forma que se

evite problemas de sobre tensão ou corrente nas placas de circuito impresso.

3.1- Painel

O controle poderá ser feito de modo manual através da observação dos valores

lidos, mostrados através de um display 16x2.

4- Atribuindo um Botão

Atribuindo um botão com trava pode se fazer com que o programa trabalhe em automática leitura do sensor para ativar ou desativar o sistema, ou manual para se ter o controle apenas por botão com base na leitura do sensor.

5- Retenção

Para quem a água não volte quando a bomba estiver desligada será atribuído uma válvula de retenção na saída de cada bomba, conforme o desenho acima.

31

6.2 Resultados Obtidos Os resultados obtidos foram todos como os esperados, por isso não tivemos qualquer perca de material por destruição em testes.

qualquer perca de material por destruição em testes. Figura 1- Sensor Ultrassónico [1] Um fator importante

Figura 1- Sensor Ultrassónico [1]

Um fator importante que pode diferir no resultado da aplicação do projeto, é o sensor, ao efetuarmos o estudo de caso e comprovar com teste o sensor tem de ser trocado de acordo com o local e condição em que for aplicado por exemplo, o sensor ultrassônico utilizado (o HC-SR04) é pouco recomendado para locais com alta umidade causada por grande variação climática, não por não funcionar mas porque dependendo pode se reduzir seu tempo de funcionamento, assim sendo melhor se utilizar de um sensor que suporte maior taxa de umidade e temperatura)

Como por exemplo o sensor URM37 V4.0:

suporte maior taxa de umidade e temperatura) Como por exemplo o sensor URM37 V4.0: Figura1.1- Sensor

Figura1.1- Sensor Ultrassônico [1.1]

32

6.3 Dificuldades Encontradas As dificuldades encontradas foram a construção do programa, por exemplo na questão de atribuir questões como a leitura de 2 sensores e suas atribuições individuais.

a leitura de 2 sensores e suas atribuições individuais. Onde se encontrou problemas com a execução

Onde se encontrou problemas com a execução de rotinas, e descobriu-se

particularidades de comandos até então não conhecidos.

Como por exemplo o do comando “pulse”, que somente pode ser atribuído uma vez

em loop pois se aplicado mais de uma vez só um deles é lido e assim o programa

não se executa por completo.

33

7 Orçamento

Este orçamento não é definitivo, já que o processo ainda está em andamento, e será concluído no próximo semestre.

ITEM

Valor

 

R$

Micro controlador ATMEGA328P-PU DIP28

26,80

 

R$

Shield Ethernet com Slot para SD Card-W5100

80,00

 

R$

Sensor Ultrassônico

20,00

 

R$

Contatores

90,00

 

R$

Bomba de Água

260,00

 

R$

Spray preto

11,90

 

R$

Redução 1x3/4

9,00

 

R$

Soquete torneado

5,20

 

R$

Parafusos

12,00

 

R$

Impressões

5,00

 

R$

Veda rosca

4,40

 

R$

Fita isolante

2,50

 

R$

Mangueira

17,50

 

R$

Prendedores

6,00

 

R$

Abraçadeiras

16,00

 

R$

Luvas soldáveis

24,50

 

R$

Válvula plástico

8,00

 

R$

Lixa

0,95

 

R$

Válvula pia

8,90

 

R$

Adaptador 3/4

6,00

 

R$

Caixa de disjuntor

35,00

34

 

R$

Cabo pp

7,50

 

R$

Fotolito

30,00

 

R$

Disjuntores

37,00

 

R$

Total

724,15

Tabela 3- Orçamento parte Prática [6]

(Obs.: O valor do projeto para aplicação não inclui objetos da parte hidráulica, estes só compõe os itens do projeto piloto ou protótipo, sendo que o valor do custo de aplicação pode sofrer alterações de acordo com o porte e local a que se for feito o estudo para se instalar, por exemplo uma empresa grande precisaria de uma grande força na bomba devido a sua maior necessidade de abastecimento, já uma empresa pequena precisaria de menos, logo a bomba a ser utilizada pode variar, logo pode ser que o disjuntor e contator se alterem conforme o estudo de caso aplicado.)

35

8 Organização do Grupo Para melhor organização foi-se feito a separação de pequenos grupos para

realizar certas atividades, com um responsável e seus respectivos integrantes, estes

terão a participação direta no processo, sendo que aqueles que não estiverem

declarados em um item, terão função de revisores.

Com exceção para os itens que demandam a participação de “todos” do grupo

ativamente.

para os itens que demandam a participação de “todos” do grupo ativamente. Tabela 5 – Organização

Tabela 5 Organização do Grupo

36

9 Conclusão Concluiu se que o projeto pode apresentar uma boa solução para empresas de

pequeno à médio porte que não podem ter gastos excessivos em instalações, mas

precisam de um sistema mais compacto e fácil para gerir o abastecimento de água ou

outros fluídos para a empresa, sendo que o valor final pode-se variar um pouco de

acordo com o modelo de empresa a que se destina, já que uma vez dito o estudo de

caso teria que avaliar qual sensor seria mais eficiente para aplicação em cada situação

por assim relevar mais o tempo de funcionamento.

Concluiu-se também que o projeto é adaptativo, por exemplo pode se fazer melhorias

em estudos de casos com poucas alterações deixando de se aplicar de um sistema

de abastecimento de fonte de água potável até uma possível forma de um tratamento

de água salgada” para “água doce”.

37

10 Referências

[3] Válvula de Retenção -

https://pt.wikipedia.org/wiki/V%C3%A1lvula_de_reten%C3%A7%C3%A3o

Acesso em 24 de abril de 2017

[2] Display 16x2

https://www.filipeflop.com/blog/controlando-um-lcd-16x2-com-arduino/

[2.1] Foto Display

https://www.filipeflop.com/blog/controlando-um-lcd-16x2-com-arduino/

Acesso em 17 de abril de 2017

[1.1] Sensor Ultrassônico - http://www.baudaeletronica.com.br/sensor-ultrassonico-

urm37-v4-0-dfrobot.html

Acesso em 10 de abril de 2017

[4] Bomba Periférica 50AB -

http://www.demeo.com.br/bomba-periferica-1-2-cv-monofasico-ics-50ab-eletroplas-

p4029/

[6] Base de Preço - http://www.filipeflop.com/pd-6b8a2-sensor-de-distancia-

ultrassonico-hc-sr04.html

http://www.lojatudo.com.br

http://loja.multcomercial.com.br

http://www.leroymerlin.com.br

Acesso em 1 de maio de 2017

38

Apêndice A

Fonte de Alimentação 110v-9 & 5 v

Para se alimentar o circuito do microcontrolador foi-se atribuído uma fonte de 9v e para se polarizar o circuito relé uma fonte de 5v.

Isto foi feito separadamente pois pretendia-se fazer placas em forma que tenham pequenos módulos para caso houver problemas com uma delas elas possam ser mais brevemente substituídas e assim manter o funcionamento enquanto faz a manutenção do “módulo” retirado.

enquanto faz a manutenção do “módulo” retirado. Assim para manter o sistema modular do projeto a

Assim para manter o sistema modular do projeto a placa do microcontrolador possui

seu próprio regulamento de tenção separada a fonte.

39

Anexo A Diagramas das Placas Fonte DC

39 Anexo A Diagramas das Placas Fonte DC
39 Anexo A Diagramas das Placas Fonte DC

40

Placa Relé

40 Placa Relé Standalone Arduino
40 Placa Relé Standalone Arduino

Standalone Arduino

40 Placa Relé Standalone Arduino

41

41