Sei sulla pagina 1di 40

SEL 329 – CONVERSÃO

ELETROMECÂNICA DE ENERGIA

Aula 10
Aula de Hoje
• Princípios de conversão eletromecânica de energia
• Processo de conversão de energia
• Forças em sistemas de campo magnético
• Energia e co-energia
Princípios de Conversão Eletromecânica de Energia

Energia elétrica Energia mecânica


Energia
Armazenada

Dispositivo de conversão
eletromecânica de energia

Os dispositivos de conversão eletromecânica podem ser baseados em:


• Campo magnético
• Campo elétrico
Princípios de Conversão Eletromecânica de Energia

Exemplos de transdutores eletromecânicos:


• Motores e geradores
• Microfones
• Instrumentos de medição analógicos
• Alto-falantes
• Aplicações de materiais piezoelétricos
• etc
Princípios de Conversão Eletromecânica de Energia

Mas, anteriormente vimos que:

A capacidade de um dispositivo magnético de armazenar energia é 10000


vezes maior do que a de um dispositivo de campo elétrico de mesmo
volume

Logo,
Na prática, a conversão eletromecânica de energia é realizada com
dispositivos baseados em campo magnético
Princípios de Conversão Eletromecânica de Energia

Para analisarmos as relações de força e conjugado (torque) que aparecem


nos processos de conversão eletromecânica de energia, será empregado um
método baseado no Princípio da Conservação da Energia (1a Lei da
Termodinâmica):

Aumento
Energia
Energia Energia da energia
Elétrica = Mecânica + no campo + convertida
em calor
magnético

Energia convertida em calor (perdas nos sistemas):


•Potência dissipada nas resistências dos enrolamentos e no núcleo do
material ferromagnético
•Atrito e ventilação nas partes móveis
Princípios de Conversão Eletromecânica de Energia

Assim:

Pelet Pmec
Sistema Campo de Sistema
elétrico acoplamento mecânico

Perda Perda Perda


elétrica magnética mecânica
Equação do Balanço de Energia

 Energia elétrica fornecida   Energia mecânica de saída   Aumento da energia armazenada no 


       
 - Perda elétrica    atrito  ventilação   campo magnético  Perdas no núcleo 

Considerando um intervalo de tempo incremental dt, no qual uma quantidade de


energia elétrica incremental dWe flui pelo sistema, e desprezando todas as perdas,
tem-se:

dWe  dWmec  dWcampo

Ou seja, parte da energia é armazenada no campo e parte é convertida em energia


mecânica
Dispositivos Eletromecânicos com Excitação Única

Situação 1: Admitir a parte móvel bloqueada, dWmec= 0, resulta

dWe  dWcampo

Toda a energia fornecida é armazenada no campo magnético, dl


estabelecendo um fluxo magnético e, portanto, uma tensão induzida: e
dt
dl
a energia elétrica adicional pode ser dada por: dWe  dWcampo  eidt  idt  idl
dt
Dispositivos Eletromecânicos com Excitação Única

Logo: l2
Wcampo  l idl
1

a energia armazenada no campo magnético é dada pela área sobre a


curva li:

Considerando a parte móvel bloqueada, toda a energia elétrica


incremental fornecida pela fonte será armazenada no campo magnético
(desprezando as perdas)
Dispositivos Eletromecânicos com Excitação Única

Situação 2: Admitir que a fonte fornece uma quantidade constante de


energia, ou seja, dWe=0, e desprezando as perdas, resulta:

dWcampo  dWmec

Toda a energia mecânica incremental exigida é fornecida através do


campo magnético.

A análise dos casos 1 e 2 mostra que a energia mecânica demandada


é retirada da energia armazenada no campo magnético, que por sua vez
retira energia da fonte elétrica.
Dispositivos Eletromecânicos com Excitação Única

Conclusão:

A conversão de energia da forma elétrica


para mecânica, ou vice-versa, se dá usando
o campo magnético como agente intermediário
Energia e Co-Energia

A característica li de um dispositivo eletromagnético depende do


entreferro. Quanto maior o entreferro mais linear é a característica li,
uma vez que a permeabilidade do ar é constante.
Energia e Co-Energia

Para um dado comprimento do entreferro, a energia armazenada no


campo magnético é representada pela área entre o eixo l e a
característica li,

lo
Wcampo  
0
idl
Energia e Co-Energia

A área entre o eixo i e a curva li é definida como co-energia, e pode


ser obtida por:

io
'
Wcampo  
0
ldi
Energia e Co-Energia

Esta quantidade não tem significado físico, mas é útil na obtenção das
expressões da força ou torque desenvolvido por um sistema
eletromagnético.

Tem-se então, que:

'
Wcampo  Wcampo  l o io

Se Wcampo=W’campo o sistema é linear, ou seja, é regido pelo entreferro.


Força Magnética

 Considere que a parte móvel desloca-se da uma posição inicial


(x=x1) para outra posição (x=x2) de forma que o entreferro na
posição x2 seja menor do que em x1;
Força Magnética

Caso 1: Corrente Constante


Força Magnética
Neste caso o ponto de equilíbrio é b

l2 d
dWe  l
1
idl  i (l2  l1 )  Área abcd

 Energia armazenada inicial = Área Oad


 Energia armazenada final = Área Obc

 variação da energia armazenada é:

dWcampo  Área Obc - Área Oad


Força Magnética
Assim, a variação da energia mecânica é:

dWmec  dWe - dWcampo


dWmec  Área abcd  Área Oad - Área Obc
 Área Oab

 Considerando que o movimento ocorre


sob condições de corrente constante, o
trabalho mecânico realizado é
representado pela área Oab, e equivale a
um aumento na co-energia

'
dWmec  dWcampo
Força Magnética
Assim, a variação da co-energia é que produz a força mecânica
causadora do movimento

'
f m dx  dWmec  dWcampo

daí:
'
dWcampo
fm  |i constante
dx

 Através da variação da co-energia pode-se determinar a força


mecânica responsável pelo pelo trabalho realizado no
deslocamento da parte móvel.
Força Magnética

Caso 2: Fluxo Magnético Constante


Neste caso o novo ponto de
equilíbrio será em p
Força Magnética
Como o fluxo é constante, a energia
elétrica fornecida não varia:

l2
dWe   idl  0
l1

E assim:

dWe  dWmec  dWcampo  0


dWmec  dWcampo

 A energia mecânica necessária para


produzir a força é totalmente
retirada do campo magnético
Força Magnética
A força mecânica é dada por:
f m dx  dWmec  - dWcampo

E assim:

dWcampo
fm  - |l constante
dx

 O deslocamento da parte móvel


ocorre graças à diminuição da
energia armazenada no campo
magnético
Força Magnética
A variação da energia mecânica é dada
por:
dWmec  Área Oap

 Quando o deslocamento dx é
suficientemente pequeno, as áreas
Oap e Oab são aproximadamente
iguais. Assim, a força pode ser
calculada tanto em função do
aumento incremental da co-energia,
quanto através da diminuição
incremental da energia.

'
dWcampo
fm  |i  constante
dx
Exemplo
Dada a relação l-i por:
2
 lg  0,09i1/ 2
i   l
 0,09  g
Válida para 0 < i < 4 A; e 3 < g < 10 cm

1. Para corrente de 3A e entreferro de


5cm encontre a força mecânica sobre
a parte móvel, usando a energia e a
co-energia do campo.
A co-energia é:
i i 0,09i1 / 2 0,09 2 3 / 2
'

W campo  ldi 
0 0 g
di 
g 3
i J
Exemplo

A força é dada por:

'
dW campo d  0,09 2 3 / 2  2
fm  |i cte   i   - 0,09 i 3/2 g -2 N
dg dg  g 3  3

Daí:
fm=-124,7 N

Obs: O sinal negativo indica que a força age de maneira a


diminuir o entreferro
Exemplo

A energia é:
2
l l lg  g 2 l3
W
campo 
 idl 
0 0
  dl 
 0,09 
2
0,09 3
J

A força é dada por:

dW d  g 2 l3  2 g l3
campo
fm   |l cte   - N
dg  2
dg  0,09 3  2
0,09 3

fm=-124,7 N

Obs: As forças obtidas a partir da energia e da co-energia são


iguais.
Sistema Eletromagnético Linear
 Se a relutância do núcleo for desprezível comparada com a
relutância do entreferro, a relação l-i torna-se linear.
l

i
Com isso: l=L(x)i

 L(x) é a indutância do enrolamento e depende do comprimento


do entreferro. 2
N
L
Rg
Sistema Eletromagnético Linear
 A energia armazenada no campo é:

l l l l2

Wcampo  idl 
0 0 L( x)
dl 
2 L( x)

( L( x)i ) 2 1
Wcampo   L( x)i 2  Wcampo
'
2 L( x) 2

 Em um sistema linear a energia e a co-energia são iguais.


l

energia

co-energia
i
Sistema Eletromagnético Linear
 A força mecânica sobre a parte móvel é:
W 'campo  1 2 1 dL( x)
Co - Energia : f m 
x
|i  cte
  L( x)i 
x  2
|  i2
 i cte 2 dx

W   l2  l2 d  1 
Energia : f m  
x
campo
|
l  cte

  |
x  2 L( x)  l cte
  
2 dx  L( x) 

 Em um sistema linear as forças obtidas pelos métodos da energia e


da co-energia são iguais.

l2 d  1  l2 dL( x )
Energia : f m       (  L( x ) 2 )
2 dx  L( x )  2 dx
l2 dL( x ) 1 2 dL( x )
fm  2
 i  Co -Energia
2 L( x ) dx 2 dx
Sistema Eletromagnético Linear
Sabemos que:

N2 2g
L e Rg 
Rg o A

Daí:
N2  o AN 2
L(g)  
2g 2g
o A

e: dL(g)  o AN 2

dg 2g 2
Sistema Eletromagnético Linear
A força mecânica sobre a parte móvel é:

2
1 2 dL(g) 1 2 i
fm  i    o AN
2 dg 4 g2

 Quanto maior a corrente maior a força;


 Quanto menor o gap maior a força;
 O sistema mecânico pode ser projetado
de tal forma a bloquear um determinado
valor de corrente (ImaxFmax para a qual
o circuito é aberto);
 O sinal negativo indica que a força age
de maneira a diminuir o gap;
Sistema Eletromagnético Linear
 A força também pode ser calculada em
termos de medidas magnéticas:
Da lei de Ampere e desprezando a
relutância do núcleo, tem-se:
Bg
Ni  H c lc  H g 2 g  2g
μo
 o Ni
Bg 
2g
A energia armazenada no entreferro é:

Warm, g  warm, g *Vol g  Warm,total


Bg2
Warm, g  * A * 2g
2 o
Sistema Eletromagnético Linear
A força é dada por:
dWarm Bg2
fm    *A
dg o

A área total do entreferro é 2A, daí a força pode ser expressa por:

dWarm Bg2
fm    * 2 A [N]
dg 2o

Bg2
Dividindo a força pela área total, resulta: Fm   [N/m 2 ]
2o

Que é definida como a pressão magnética sobre a parte móvel do


dispositivo eletromecânico.
Exemplo
Para o sistema ao lado:
N=300 espiras
R=6 ; V=120 Volts DC
Ag=6cm*6cm; g= 5mm,
Desprezando a relutância do núcleo, calcule:
a) A energia armazenada no gap;
b) A força sobre a parte móvel;

V  Ri  e
Bg
dl Ni  H c lc  H g 2 g  2g
e  0 para VDC μo
dt
o Ni
V Bg   0,754 T
i   120 / 6  20 A 2g
R
Exemplo
a) A energia armazenada no gap;

B g2 0,754 2
Warm  * vol g  2(0,06 * 0,06 * 0,005)
2o 2o
Warm  8,1434 J

b) Força

B g2 0,754 2
f m  Fm * Área g   * Área g   2(0,06 * 0,06)
2o 2o
f m  1628,7 N
Exemplo
Considerando o mesmo sistema, porém
V=120 Volts AC
e desprezando a relutância do núcleo, calcule:
a) A energia armazenada no gap;
b) A força sobre a parte móvel;

2
N 2  o Ag N
L   40,7 mH
R 2g

daí : Z  R  jL  6  j15,34 Bg


Ni  H c lc  H g 2 g  2g
V μo
I RMS   7,29 A
Z  o Ni
BRMS , g   0,2748 T
2g
Exemplo

a) A energia armazenada no gap;


B g2 0,2748 2
Warm  * vol g  2(0,06 * 0,06 * 0,005)
2o 2o
Warm  1,082 J

b) Força
B g2 0,2748 2
f m  Fm * Área g   * Área g   2(0,06 * 0,06)
2o 2o
f m  216,3 N

13% do valor DC
Próxima Aula
• Máquinas rotativas
• Produção de torque