Sei sulla pagina 1di 5

P.M. BIRITIBA MIRIM CP 01/2014

P.M. BIRITIBA MIRIM CP 01/2014 CARGO: FISCAL SANITÁRIO Inscrição nº: Assinatura do Candidato: www.pciconcursos.com.br

CARGO: FISCAL SANITÁRIO

Inscrição nº:

Assinatura do Candidato:

www.pciconcursos.com.br

Fiscal Sanitário

Língua portuguesa

01.

significado de todas as palavras abaixo, exceto:

a)

b)

c)

d)

e)

O

prefixo

da

palavra

DESCONSTRUIR

desvirar.

desvantagem.

desarranjar.

desatar.

desenvolver.

tem

o

mesmo

02.

a)

b)

c)

d)

e)

O verbo está incorretamente empregado em:

É necessário rever as contas do mês com urgência. Eu me precavenho contra imprevistos. O banco reouve parte do dinheiro roubado. Temos que reaver esta cláusula contratual. É claro que ele precisa que se reveja a sua situação na direção

da empresa.

03.

palavra “analista”:

a)

b)

c)

d)

e)

Não apresenta vocábulo com valor diferente para o sufixo da

Negativista.

Realista.

Positivista.

Futurista.

Sulista.

04.

período.

promoveram debates e reportagens

a)

b)

c)

d)

e)

A alternativa que é inadequada para preencher as lacunas do

“Rádios,

jornais

e

televisão

autônomos / esclarecedores autônomos / esclarecedoras autônomas / esclarecedoras autônoma / esclarecedoras autônoma / esclarecedores

”, é:

05.

a)

b)

c)

d)

e)

Em “Ela lê muito e aumenta sua cultura.”, temos:

Orações coordenadas. Orações subordinadas. Orações substantivadas. Uma oração principal e uma subordinada. Orações reduzidas.

06.

“Ele me parece forte como um touro.”, temos:

a)

b)

c)

d)

e)

Observe o grifo:

Oração adverbial causal. Oração adverbial comparativa. Oração adverbial consecutiva. Oração adverbial condicional. Oração adverbial final.

07.

a)

b)

c)

d)

e)

A concordância encontra-se correta apenas na alternativa:

As paredes da clínica eram pintadas de azuis-turquesa. Era um vestido rosa-choques. A bolsa escolhida era amarelo-clara. As ondas do mar estavam azuis-esverdeadas. A cama continha lençol e fronha amarelos-limões.

08.

palavra que completa o período é:

a)

b)

c)

d)

e)

Em “Apresentava a face e os braços

arranhada / arranhados. arranhada. arranhados. arranhadas. arranhado.

”,

a

09.

a)

b)

c)

d)

e)

A concordância está correta em:

A gente parecemos uns bobos quando se trata de filhos. Eles vão com a gente. “A gente somos inúteis”.

As gentes parecem bobas A gente de sempre irão às festas de fim de ano.

10.

incorretamente separadas.

a)

b)

c)

d)

e)

Temos incorreta apenas uma palavra cujas sílabas estão

su-bscre-ver; pres-cin-dir subs-cri-tar; res-cin-dir sub-lin-gual; ab-ro-gar in-ters-tí-cio; ad-ja-cen-te ex-su-dar; in-sig-nia

11.

“palhaço”?

8 e 7 7 e 6 6 e 7 7 e 8 7 e 7

b)

c)

d)

e)

a)

Temos, respectivamente, quanto fonemas e letras na palavra

12.

a)

b)

c)

d)

e)

Há um pronome indefinido em:

Estava esperando a bastante tempo. Não sei quem telefonou. Este ou aquele local será o escolhido para a recepção. Quem disse que ele não viria?

As pessoas de quem falas não vieram.

13.

I Vossa Excelência queres essa oportunidade? II Você quer essa oportunidade? III Vossa Eminência partirás hoje cedo? Estão corretas apenas as frases:

a)

b)

c)

d)

e)

Observe:

I, II e III. I e II. I e III. II e III. II.

14.

a)

b)

c)

d)

e)

A regência nominal encontra-se incorreta apenas em:

Fique atento a ruídos noturnos. “Água imprópria para consumo.” O homem foi muito mau para com seu filho. Ele estava alheio em tudo o que ouvia. Ele apertou a mão aos ouvintes que entravam, menos a João,

o intruso.

15.

a)

b)

c)

d)

e)

Em “O trabalho dignifica o homem.”, temos:

apenas um substantivo: “trabalho” dois substantivos: “trabalho” e “homem” três substantivos: “trabalho”, “dignifica” e “homem”

apenas um substantivo: “homem”. nenhum substantivo.

16.

Identifique a frase onde ela se encontra:

a)

b)

c)

d)

e)

Em uma das frases há uma palavra incorretamente grafada.

Coloque aí a tua rubrica e pronto! São indignos da tua confiança. Somos ambos cidadãos honrados. As moças eram tenentes da aero-náutica. Espero um telefonema teu.

Conhecimentos Específicos

As propostas de sistema de vigilância epidemiológica e de

vigilância sanitária surgiram no Brasil em meados da década de

no bojo de intervenções na questão saúde e na legislação

sanitária, como respostas do governo militar ao agravamento da

contradições nas relações

produção-consumo no setor farmacêutico. Qual das alternativas melhor preenche a lacuna acima:

a)

b)

c)

d)

e)

17.

,

questão

50.

60.

70.

80.

90.

social

e

às

profundas

Os modelos institucionais de organização da proteção da

saúde são os mais variados entre os países, podendo-se

18.

1

www.pciconcursos.com.br

descrever para o Brasil as seguintes funções de vigilância sanitária:

I- Normatização e controle de bens, da produção,

armazenamento, guarda, circulação, transporte, comercialização

e

suas matérias-primas, coadjuvantes de tecnologias, processos e equipamentos. II- Normatização e controle de tecnologias médicas, procedimentos e equipamentos e aspectos da pesquisa em

saúde. III- Normatização e controle de serviços direta ou indiretamente relacionados com a saúde, prestados pelo estado e modalidades do setor privado. IV- Normatização e controle específico de portos, aeroportos e fronteiras, contemplando veículos, cargas e pessoas. V- Normatização e controle de aspectos do ambiente, e processos de trabalho, e saúde do trabalhador. Está correto o que se afirma em:

a)

b)

c)

d)

e)

consumo de substancias e produtos de interesse da saúde,

Apenas I e II. Apenas II e III. Apenas III e IV. Apenas IV e V. Todas as afirmativas.

19.

I-

produção de conhecimentos ou de dificuldades de acesso ao saber já produzido, à medida que as ações de vigilância sanitária lidam diretamente com o conhecimento científico e o

desenvolvimento tecnológico, que são fundamentais para o estabelecimento e a permanente atualização das normas, técnicas e jurídicas.

II-

Chamam a atenção para a distribuição desigual do conhecimento cientifico e desenvolvimento tecnológico entre as nações, daí que as mesmas limitações que o consumidor individualmente enfrenta para reconhecer a qualidade, eficácia e utilidade de um produto, enfrentam-nas correlativamente as organizações sociais públicas ou privadas. Dessa desigualdade entre os centros produtores de saberes e tecnologias e os centros consumidores, junto com práticas de aliciamento político pelos interesses comerciais, resultam fraudes em escala coletiva.

III- As ações de vigilância sanitária abrangem várias categorias de objetos de cuidado, partilhando competências com órgãos e instituições de outros setores que também desenvolvem ações de controle sanitário. A vigilância sanitária um campo transdisciplinar, compondo-se de um conjunto de saberes de natureza multidisciplinar e práticas de interferência nas relações sociais produção consumo para prevenir diminuir ou eliminar riscos e danos á saúde relacionados com objetos historicamente definidos como de interesse da saúde. Tendo por objeto a proteção e defesa da saúde individual e coletiva, à vigilância sanitária cabe desenvolver ações dinamizando um conjunto de instrumentos, compondo políticas publicas para a qualidade de vida. Está correto o que se afirma em:

a)

b)

c)

d)

e)

O saber é uma das dimensões críticas da vigilância sanitária.

Mas os riscos e danos também podem resultar da insuficiente

Analise as informações sobre o objetivo da vigilância sanitária:

Apenas I e II. Apenas II e III. Apenas III. Apenas I. Todas as afirmativas.

como

conjunto de ações que proporciona o conhecimento, a

fatores

determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva,

com

20.

“um

detecção

A Vigilância Epidemiológica é definida pela

a

ou

prevenção

de

qualquer

finalidade

de

recomendar

e

mudança

adotar

as

nos

medidas

de

prevenção

alternativas melhor preenche a lacuna acima?

a)

b)

c)

d)

e)

e

controle

das

doenças

ou

agravos”. Qual das

Lei n° 8.080/90 Lei n° 8.080/91 Lei n° 8.080/92 Lei n° 8.080/93 Lei n° 8.080/94

21.

I- Sintomas - infecção bacteriana generalizada, caracterizando-se pôr febre contínua, aparecimento de manchas róseas no abdômem, dor de cabeça, língua seca, constipação intestinal (prisão de ventre), diarreia, etc. Obs: É uma doença intestinal.

II- Transmissão - o homem infectado elimina pelas fezes e urina as bactérias, constituindo as fontes de infecção. Os veículos usuais são: água contaminada, moscas, leite, alimentos, etc. III- Profilaxia - tratamento da água de abastecimento. Disposição adequada dos dejetos humanos. Fervura ou pasteurização do leite. Saneamento dos alimentos, especialmente os que se consomem crus. Controle de moscas. Vacinação. Educação sanitária do público, etc. Está correto o que se afirma em:

a)

b)

c)

d)

e)

Analise as informações sobre a febre tifoide:

Apenas I. Apenas II. Apenas III. Todas as afirmativas. Nenhuma das afirmativas.

22.

estar, dores abdominais, seguida de icterícia, perda de apetite, possibilidade de vômitos, fadiga, dor de cabeça, etc. É uma moléstia do sangue e dos tecidos. Estamos falando de qual doença de veiculação hídrica:

a)

b)

c)

d)

e)

Infecção aguda que se caracteriza por febre , náusea, mal

Febre Paratifóide.

Cólera.

Hepatite Infecciosa.

Esquistossomose.

Leptospirose.

23.

adulta,

manifestação

Dermatose. Cirrose do fígado. Distúrbios no baço, etc. Estamos

falando de qual doença de veiculação hídrica:

a)

b)

c)

d)

e)

do hospedeiro. Ocasiona

Doença causada pôr verme(helmintos) que na sua fase

vivem

no

sistema

ou

venoso

do

intestinal

aparelho

urinário.

Diarreia.

Febre Paratifóide.

Cólera.

Hepatite Infecciosa.

Esquistossomose.

Leptospirose.

24.

de iodo a água ou a algum alimento (por ingestão do sal). Trocar de manancial. As quotas diárias exigidas pelo organismo humano, para conferir imunidade ao bócio variam de:

a)

b)

c)

d)

e)

O Bócio carência de iodo nas águas e nos alimentos- adição

10 a 300 mg/dia. 30 a 300 mg/dia. 50 a 300 mg/dia. 70 a 300 mg/dia. 90 a 300 mg/dia.

25.

junto ao homem, a despeito da vontade deste.

Qual das alternativas melhor preenche a lacuna acima?

a)

b)

c)

d)

e)

Animais

são aqueles que se adaptaram a viver

sanantrópicos.

sinantrópicos.

sinuntrópicos.

senantrópicos.

sinentrópicos.

26.

I- identificação da sua etiologia; II- identificação das fontes e modos de transmissão; III- identificação de grupos expostos a maior risco. Está correto o que se afirma em:

a)

b)

c)

d)

e)

Temos como objetivo principal das investigações de surtos:

Todas afirmativas. Apenas I. Apenas II. Apenas III. Apenas I e III.

27.

características semelhantes às da pesquisa epidemiológica, cabe salientar pelo menos três diferenças importantes entre ambas:

Embora a investigação de surtos possa apresentar algumas

2

www.pciconcursos.com.br

I- As investigações epidemiológicas de campo iniciam-se com freqüência sem hipótese clara. Geralmente, requerem o uso de estudos descritivos para a formulação de hipóteses, que posteriormente serão testadas por meio de estudos analíticos, na maior parte das vezes, de caso-controle.

II- Quando ocorrem problemas agudos que implicam medidas imediatas de proteção à saúde da comunidade exposta ao risco, a investigação do surto deve se restringir, num primeiro momento, à coleta dos dados e agilizar sua análise, com o objetivo de desencadear rapidamente as ações de controle. III- A amplitude e grau de aprofundamento de uma investigação de um surto de doença aguda vai depender do nível de conhecimento da etiologia, da fonte e modos de transmissão e das medidas de controle disponíveis. Os referenciais teóricos aplicados nas investigações epidemiológicas de campo originam- se da clínica médica, da epidemiologia e das ciências de laboratório. Está correto o que se afirma em:

a) Todas as afirmativas.

b) Apenas I e II.

c) Apenas II e III.

d) Apenas I e III.

e) Nenhuma das afirmativas.

28. Estratégias de prevenção e programas de controle específico

de doenças requerem informações confiáveis sobre a situação dessas doenças ou seus antecedentes na população atendida. Sistemas de vigilância, portanto, são redes de pessoas e atividades que mantêm esse processo e podem funcionar em níveis locais e internacionais. São funções da vigilância epidemiológica:

I- Coleta de dados. II- Diagnóstico de casos. III- Processamento de dados coletados. IV- Análise e interpretação dos dados processados. V- Recomendação das medidas de controle indicadas. Está correto o que se afirma em:

a) Apenas I e II.

b) Apenas III e IV.

c) Apenas V.

d) Todas as afirmativas.

e) Nenhuma das afirmativas.

29. No Brasil, a Campanha de Erradicação da Varíola (CEV) − é

reconhecida como marco da institucionalização das ações de vigilância no país, tendo fomentado e apoiado a organização de

unidades de vigilância epidemiológica na estrutura das secretarias estaduais de saúde. O modelo da CEV inspirou a Fundação Serviços de Saúde Pública (FSESP) a organizar, em:

a) 1961

b) 1963

c) 1965

d) 1967

e) 1969

30. A operacionalização da vigilância epidemiológica compreende

um ciclo de funções específicas e intercomplementares, desenvolvidas de modo contínuo, permitindo conhecer, a cada momento, o comportamento da doença ou agravo selecionado como alvo das ações, de forma que as medidas de intervenção pertinentes possam ser desencadeadas com oportunidade e eficácia. São funções da vigilância epidemiológica:

I- coleta de dados. II- processamento dos dados coletados. III- análise e interpretação dos dados processados. IV- recomendação das medidas de controle apropriadas. Está correto o que se afirma em:

a) Todas as afirmativas.

b) Nenhuma das afirmativas.

c) Apenas I e II.

d) Apenas II e III.

e) Apenas III e IV.

31. Os parâmetros para a inclusão de doenças e agravos na lista

de notificação compulsória devem obedecer os alguns critérios, sendo assim, definimos magnitude:

a) Aplicável a doenças de elevada freqüência, que afetam grandes contingentes populacionais e se traduzem por altas taxas de incidência, prevalência, mortalidade e anos potenciais de vida perdidos.

b) Representado pelo elevado poder de transmissão da doença, por meio de vetores ou outras fontes de infecção, colocando sob risco a saúde coletiva.

c) Expressa-se por características subsidiárias que conferem

relevância especial à doença ou agravo, destacando-se:

severidade, medida por taxas de letalidade, de hospitalização

e de seqüelas; relevância social, avaliada, subjetivamente,

pelo valor imputado pela sociedade à ocorrência da doença e que se manifesta pela sensação de medo, repulsa ou indignação; e relevância econômica, avaliada por prejuízos decorrentes de restrições comerciais, redução da força de trabalho, absenteísmo escolar e laboral, custos assistenciais e previdenciários, etc.;

d) Medida pela disponibilidade concreta de instrumentos

específicos de prevenção e controle da doença, propiciando a atuação efetiva dos serviços de saúde sobre os indivíduos e coletividades. e) Relativos ao cumprimento de metas continentais ou mundiais de controle, de eliminação ou de erradicação de doenças, previstas em acordos firmados pelo governo brasileiro com organismos internacionais. Esses compromissos incluem obrigações assumidas por força do Regulamento Sanitário Internacional, estabelecido no âmbito da Organização Mundial da Saúde, que ainda exige a notificação compulsória dos casos de cólera, febre amarela e peste. Entretanto, este regulamento está sendo objeto de revisão e, possivelmente, os Estados-Membros da OMS passarão a notificar eventos inusitados que possam ter repercussões internacionais.

32. Os parâmetros para a inclusão de doenças e agravos na lista

de notificação compulsória devem obedecer os alguns critérios, sendo assim, definimos Vulnerabilidade:

a) Aplicável a doenças de elevada freqüência, que afetam grandes contingentes populacionais e se traduzem por altas taxas de incidência, prevalência, mortalidade e anos potenciais de vida perdidos.

b) Representado pelo elevado poder de transmissão da doença, por meio de vetores ou outras fontes de infecção, colocando sob risco a saúde coletiva.

c) Expressa-se por características subsidiárias que conferem

relevância especial à doença ou agravo, destacando-se:

severidade, medida por taxas de letalidade, de hospitalização

e de seqüelas; relevância social, avaliada, subjetivamente,

pelo valor imputado pela sociedade à ocorrência da doença e que se manifesta pela sensação de medo, repulsa ou indignação; e relevância econômica, avaliada por prejuízos decorrentes de restrições comerciais, redução da força de trabalho, absenteísmo escolar e laboral, custos assistenciais e previdenciários, etc.

d) Medida pela disponibilidade concreta de instrumentos

específicos de prevenção e controle da doença, propiciando a atuação efetiva dos serviços de saúde sobre os indivíduos e coletividades. e) Relativos ao cumprimento de metas continentais ou mundiais de controle, de eliminação ou de erradicação de doenças, previstas em acordos firmados pelo governo brasileiro com organismos internacionais. Esses compromissos incluem obrigações assumidas por força do Regulamento Sanitário Internacional, estabelecido no âmbito da Organização Mundial da Saúde, que ainda exige a notificação compulsória dos casos de cólera, febre amarela e peste. Entretanto, este regulamento está sendo objeto de revisão e, possivelmente, os Estados-Membros da OMS passarão a notificar eventos inusitados que possam ter repercussões internacionais.

33. As medidas quantitativas de avaliação de um sistema de

vigilância epidemiológica incluem sensibilidade, especificidade,

3

www.pciconcursos.com.br

representatividade e oportunidade; e as qualitativas, simplicidade,

d) Todas as afirmativas.

flexibilidade e aceitabilidade. Sendo assim, analise as afirmativas:

e) Nenhuma das afirmativas.

I-

Sensibilidade é a capacidade de o sistema detectar casos;

especificidade expressa a capacidade de excluir os “não-casos”.

37.

Quando do diagnóstico de uma epidemia, faz-se importante

A

representatividade diz respeito à possibilidade de o sistema

observar os cuidados necessários para o descarte de uma série de outras circunstâncias que não uma epidemia, as quais podem explicar porque o número de casos da doença superou o valor esperado, tais como:

identificar todos os subgrupos da população onde ocorrem os casos. A oportunidade refere-se à agilidade do fluxo do sistema

de

informação.

II-

A simplicidade deve ser utilizada como princípio orientador dos

I- mudanças na nomenclatura da doença.

sistemas de vigilância, tendo em vista facilitar a operacionalização

II- alteração no conhecimento da doença que resulte no aumento da sensibilidade diagnóstica. III- melhoria do sistema de notificação. IV- variação sazonal. V- implantação ou implementação de programa de saúde que resulte no aumento da sensibilidade de detecção de casos. Está correto o que se afirma em:

a) Todas as afirmativas.

reduzir os custos. A flexibilidade se traduz pela capacidade de adaptação do sistema a novas situações epidemiológicas ou operacionais (inserção de outras doenças, atuação em casos emergenciais, implantação de normas atualizadas, incorporação

e

de

novos fatores de risco, etc.), com pequeno custo adicional.

III- A aceitabilidade se refere à disposição de indivíduos, profissionais ou organizações, participarem e utilizarem o sistema.

Em geral, a aceitação está vinculada à importância do problema e

b) Apenas I e II.

à

interação do sistema com os órgãos de saúde e a sociedade em

c) Apenas III e IV.

geral (participação das fontes notificantes e retroalimentação). Está correto o que se afirma em:

d) Apenas IV e V.

e) Apenas I e IV.

a) Apenas I e II.

 

b) Apenas I e III.

38.

O período de encubação da Hepatite “B” é de:

c) Apenas II e III.

a) 30 a 160 dias.

d) Todas as afirmativas.

 

b) 35 a 160 dias.

e) Nenhuma das afirmativas.

c) 40 a 160 dias.

 

d) 45 a 160 dias.

34.

Pode-se dizer, de modo sintético, que uma investigação

e) 50 a 160 dias.

epidemiológica

de

campo

consiste

na

repetição

das

etapas

listadas a seguir, até que os objetivos sejam alcançados:

39.

Tratamento da água – os vírus “A” resistem aos métodos de

I-

consolidação e análise de informações já disponíveis;

cloração da água, porém, a água fervida durante:

II-

conclusões preliminares a partir dessas informações;

a) 05 a 10 minutos os inativa.

III- apresentação das conclusões preliminares e formulação de

b) 10 a 15 minutos os inativa.

hipóteses; IV- definição e coleta das informações necessárias para testar as hipóteses. Está correto o que se afirma em:

c) 15 a 20 minutos os inativa.

d) 20 a 25 minutos os inativa.

e) 25 a 30 minutos os inativa.

a) Apenas I e II.

 

40.

Período de incubação da hepatite A é de:

b) Apenas I e III.

a) 5 a 50 dias.

c) Apenas III e IV.

 

b) 10 a 50 dias.

d) Todas as afirmativas.

 

c) 15 a 50 dias.

e) Nenhuma das afirmativas.

d) 20 a 50 dias.

 

e) 25 a 50 dias.

35. Dados obtidos mediante entrevista com o paciente, familiares, médicos e outros informantes:

I-

Identificação do paciente − nome, idade, sexo, estado civil,

profissão, local de trabalho e de residência, com ponto de referência; II- Anamnese e exame físico − data de início dos primeiros sintomas, história da moléstia atual, antecedentes mórbidos, antecedentes vacinais, mudanças de hábitos nos dias antecedentes aos sintomas e dados do exame físico; III- Suspeita diagnóstica − na pendência de dados complementares para firmar o diagnóstico, devem ser formuladas

as

principais suspeitas visando possibilitar a definição de medidas

de

controle preliminares e a solicitação de exames laboratoriais.

Está correto o que se afirma em:

 

a) Apenas I e II.

 

b) Apenas I e III.

c) Apenas III.

d) Todas as afirmativas.

 

e) Nenhuma das afirmativas.

36.

O propósito desta etapa é identificar casos adicionais

(secundários

ou não) ainda não notificados ou aqueles

oligossintomáticos que não buscaram atenção médica, e tem

como finalidade:

 

I-

tratar adequadamente esses casos;

 

II-

determinar a magnitude e extensão do evento;

 

III-

ampliar o espectro das medidas de controle.

Está correto o que se afirma em:

 

a) Apenas I e II.

 

b) Apenas I e III.

c) Apenas III.

4

www.pciconcursos.com.br