Sei sulla pagina 1di 2

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS Sistema de esgotos

Roma Segundo Fazio, a construção romana


explorava elementos como os arcos, as
abóbodas e a cúpula como base para suas
O sistema de esgotos de Roma ou A
Cloaca Máxima (em la m Cloa a Maxima,
italiano Cloaca Massima) é uma das mais
construções arquitravadas, resultando na an as redes de esgotos do mundo. Foi
CONTEXTO HISTÓRICO base dos sistemas estruturais para obras construída na an a Roma nos finais do
com dimensões inigagináveis. século VI a.C. pelos úl mos eis de Roma,
Segundo a mitologia romana, a cidade De acordo com Fazio, a arquitetura iniciada por Tarquínio Prisco e concluída
de Roma foi fundada no ano 753 a.C. por romana u lia-se de paredes ou pilastras por Tarquínio, o Soberbo, que usufruíram
Rômulo e Remo. De acordo com a lenda, mais espessas, uma vez que conseguiam da experiência desenvolvida pela
os dois irmãos foram abandonados junto vencer maiores vãos necessitou-se de engenharia etrusca para drenar as águas
ao rio Tibre e salvos por uma loba, que maior estabilidade. residuais e o lixo de uma das populosas
teria os amamentado e cuidado deles Como Fazio aborda, Roma cria sistemas cidades do mundo, Roma, para o rio
até que estes foram achados pelo pastor de aquedutos abastecidos por gravidade, Tibre, que atravessa a cidade, em
Fáustulo, que lhes deu os nomes de feito de pedras seguindo a esté a de direcção ao mar Tirreno, a alguns
Rômulo e Remo. Depois de matar Remo arcos, que vencem longa distância para quilómetros a Oeste.
em uma discussão, Rômulo criou Roma, fornecer água à cidade. Benévolo Ainda que Tito Lívio a descreva como
dando seu nome à cidade. Porém, isso complementa que o sistema de escavada no subsolo da cidade,
tudo não passa de uma lenda, contando aquedutos era bastente complexo para escrevendo no entanto muito depois da
mitologicamente como foi criada a época, contando com poços de sua construção, outras fontes (e pelo seu
cidade de Roma. A origem de Roma decantação, e ainda contavam com percurso) indicam que o sistema original
aconteceu devido ao aglomerado urbano tubulações e sifão em chumbo. se tratasse de um canal a céu aberto que recolhia as águas dos cursos naturais que
naquela área, um núcleo pequeno que Benévolo aborda outro elemento desciam das colinas, drenando também a planície do Fórum Romano. Esse canal, por
vivia, basicamente, da agricultura. bastante explorado pelos romanos, a vezes escavado abaixo do nível do solo, seria progressivamente coberto devido às
A história de Roma está dividida em ponte, que seguia a mesma técnica exigências do espaço do centro citadino.
três períodos: Monarquia (753-509 a.C.), constru a dos aquedutos, porém com A Cloaca Máxima foi man da em bom etado durante toda a erra imperial. Há no cia, por
República (509-27 a.C.) e Império (27 largura de aproximadamente 6 metros e exemplo, de uma inspecção e trabalhos de manutenção sob a alçada de Marco Vipsânio
a.C.-476 d.C.). Cada período da história comprimentos surpreendentes que Agripa, em 33 a.C.. Os traços arqueológicos revelam intervenções em épocas dis tas,
romana possui caracterís as próprias, chegam a quase 800 metros. com diversos materiais e técnicas de construção. O seu funcionamento prosseguiu
demonstrando, dessa forma, a evolução Somando as essa técnicas, o império durante bastante tempo após a queda do Império Romano.
socioeconômica e polí a dessa romando ainda desenvolve suas estradas
sociedade. para melhorar o acesso entre cidades, e
também, cria muralhas para defesa SETORIZAÇÃO E AS EDIFICAÇÕES GOVERNAMENTAIS, RELIGIOSAS E
chegando a trecho de aproximadamente RESIDENCIAIS
500 quilômetros, como afirma Benévolo.
Antes da dominação etrusca, Roma era semelhante à an a sociedade grega, tendo sua Segundo Fazio,dentre os materiais desenvolvidos pelo romanos destaca-se o cimento No projeto de uma cidade romana deveriam exis r intalações com o intuito de servir a
organização baseando em comunidades gen li as. O regime genn lo se estruturava em hidráulico. inicialmente usada para fundações de pontes e portos, posteriormente com toda população, quais sejam: fórum, banhos públicos e sanitários, chafarizes públicos,
torno dos “gens”, que reuniam famílias interligadas por laços de consangüinidade e experiência adquirida passaram a construir com esse novo material aliado, primeiramente aquedutos, mercado central, bairros dos espetáculos com teatro e anfiteatro.
religião. A autoridade máxima de cada grupo era exercida pelo o pai da família. Durante a pedregulho, depois a jolos triangulaes e quadrados, e para melhorar a aparência da
esse período, não exis a a popriedade privada da terra, esta pertencia à comunidade. nova técnica aderiram a acabamentos não estruturais, como reboco, mosaicos e O fórum era o espaço público existente no
Com a dominação etrusca, iniciou-se o processo de desagregação da an a mármores. já no século I, o concreto era usado com uma sofisstação de arquitetura maior. centro da cidade romana (centro
organização em comunidades gen li as. A expansão do comércio provocou o administra o e religioso). Além de servir
desenvolvimento das cidades e o aumento do número de habitantes. tradicionalmente como mercado era uma
Roma havia, então, se transformado em um grande centro urbano e começaram a surgir as Aquedutos romanos
area de encontro de grande importância
desigualdades sociais entre a população. Com a divisão do trabalho, se deu origem ao social, e frequentemente era ponto de
processo de apropriação privada da terra por parte dos chefes das famílias gen li as – os Dentre todas as realizações da engenharia an a, os aquedutos romanos estão entre as
diversas a vidades, incluindo discussões e
"pater". mais notáveis. “Com tantas estruturas indispensáveis para o transporte de águas, quem se
debates polí os, reuniões ao ar livre, entre
O período monárquico romano foi marcado por lendas e mitos, suscitados pela atreveria a compará-las às inertes pirâmides ou às inúteis, mas célebres, obras gregas?”,
outras funções. O fórum era um espaço
escassez de documentação sobre o período. Roma foi governada por sete reis que nham escreveu Sexto Júlio Fron no (35–c. 103 C), governador e comissário de águas.
pavimento que nha orma retangular e
poder absoluto. O Senado, formado por chefes de família, os aconselhava. Por volta de 575 ocupava duas insuale, sendo rodeado de
a.C., os reis etruscos dominaram Roma e influenciaram decisivamente o início da civilização colunatas e de edi cios eligiosos e
romana. Ditaram leis prudentes em favor do artesanato e do comércio, com os quais Roma
administra os. Era conss tuído pelosemplos, rostros, cúria, basílica, lojas e latrinas.
adquiriu grande importância.
O Templo era o local de adoração aos deuses (Júpiter, Juno e Minerva). Os Rostros eram
No ano de 509 a.C., os patrícios, cidadãos romanos herdeiros dos an os clãs
tribunas onde se proferiam discursos e se promulgava decretos. A Cúria era o espaço que
fundadores da cidade, ins tuíam a República por meio de um Golpe de Estado. A
em se reunia o Senado (conselho de notáveis que governavam a cidade). A Basílica era o
República, que significa “coisa pública”, passou a funcionar com base em uma sofisisada
centro das a vidades cívi o jurídicas da população, ou seja, lugar em que o cidadão
rede de ins tui ões, as quais eram compostas por senadores, pelos magistrados e pelos
exercia seus direitos. Tratava-se de um edi cio de pla ta retangular, grande e alongada,
comícios. Por fim, ao Senado era atribuída a função de propor conselhos aos magistrados e
geralmente composto por uma nave central e duas laterais e ao fundo localizava-se a
aprovar as decisões tomadas no âmbito dos comícios.
tribuna.
O império Romano sucedeu a an a República Romana, caracterizada por uma forma
As termas ou banhos públicos não serviam apenas para as pessoas se lavarem. Eram
de governo governada por um Imperador e por extensas possessões territoriais em volta
locais onde podiam se encontrar pessoas, conversar, fazer ginás a, jogar dados e ler.
do Mar Mediterrâneo na Europa, Africa e Ásia. O Império Romano foi uma das mais fortes
Con guo às ermas, havia um gramado com piscina, cercado por uma colunata em dois
potências econômicas, polí as e militares do seu tempo. A longevidade e a extensão do
níveis, tratava-se da palestra, espaço que serviam para prá a de exerrcícios sos e
império proporcionaram uma vasta influência na língua, cultura, religião, técnicas,
lutas.
arquitetura, filosofia, lei e formas de governo dos estados que lhe sucederam.
Os teatros e anfiteatrros nhamorma oval ou circular e pertencia ao bairro dos
Por que eram necessários? espetáculos. A arena penetrava profundamente no solo e era cercada por um muro alto.
Em relação as habitações na cidade romana exis am a domus, as villae e as insulae. A
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E SOCIAIS As cidades antigas eram geralmente construídas perto de onde havia muita água, Domus, casa do patrício rico na cidade, desenvolvia-se na horizontal, embora pudesse
como foi o caso de Roma. Originalmente, o rio Tibre e as fontes e poços nas haver um segundo piso. Ressalta-se que as casas eram encostadas uma na outra, por isso
O projeto de cidade romana era para uma proximidades forneciam toda água de que a cidade precisava. Mas, do quarto só havia janelas na fachada. Estas eram pequenas e guarnecidas por grades por questão
população es mada em 50.000 habiantes, século AEC em diante, Roma cresceu rapidamente, assim como sua demanda por de segurança, além de proteger a casa de ruídos e do frio. Já as Villae eram as casas dos
logo, quando a cidade a ngia esse númeo o água. patrícios ricos no campo e possuíam composição igual ou até mais luxuosa que a domus.
ideal seria se construir outra. Com o aumento da população, houve a
As primeiras providências tomadas para Visto que poucas pessoas tinham água encanada em casa, os romanos
construíram centenas de banhos, ou termas, privativos e públicos. O primeiro subs tui ão de pequenas ccasas por edi cios,
garan r a onstrução da cidade era verificar a denominadosIsulae, cuja altura jamais poderia
banho público de Roma recebia água do Aqua Virgo, aqueduto inaugurado em 19
topografia do lugar para garann r uma boa AEC. Seu construtor, Marco Agripa, amigo achegado de César Augusto, investiu ultrapassar o dobro da largura. As insulae eram
drenagem, depois era examinado o ado dos muito de sua vasta fortuna na modernização e expansão do sistema de habitadas por cidadãos com menos posses,
animais para determinar se o local era salubre abastecimento de água romano. membros da peble. Elas eram construídas no lado
e, por úl m , averiguavam se não exiss am norte e oeste da cidade com intuito de ficarem
pântanos. Os banhos se tornaram lugares onde as pessoas se encontravam socialmente. Os isoladas do resto da cidade, além de protegerem a
maiores deles tinham até mesmo jardins e bibliotecas. Os aquedutos forneciam cidade do frio no inverno. A maior parte dessas
Assim, tomadas às devidas providências, o exército romano assentava acampamentos um constante suprimento de água corrente. Depois de utilizada, essa água fluía
construções era precária, insalubre e com alto
militares permanentes, que em um primeiro momento dava-se por barracas e depois eram para o esgoto, levando embora toda sujeira, inclusive os dejetos das latrinas
instaladas nos banhos. índice de desmoronamento.
subs tuídas por madeia.
Após a determinação do espaço eram traçadas as duas ruas principais seguindo um HISTÓRIA DA CIDADE DE POMPÉIA
plano Note-Sul (Cardo) e Leste-Oeste (Decumanus) em ângulo reto e estabeleciam o Construção e manutenção
Fórum em um terreno no canto do cruzamento delas, de tal forma que ele se localizaria no
Antes de construir um aqueduto, engenheiros avaliavam a qualidade de uma Pompéia foi a cidade an a do Império Romano, fundada no século VII a.C. por
centro da cidade. Os quarteirões, denominados insulae, nham o ormato quadrado de
potencial fonte de água para consumo, examinando a limpidez, a vazão e o sabor. OsciCampani, uma cidade cercada por muros e que nha ceca de oito portões de
70x70 e eram cortados por ruas secundárias e passagens estreitas para pedestres. A cidade
Também levavam em conta a saúde dos moradores da região que bebiam dessa acesso, e entre 10 a 15 mil habitantes. Teve influências das civilizações gregas e estrucas.
era cercada por uma muralha que possuía quatro portas for f adas no final das ruas
água. Se o local fosse aprovado, calculava-se o percurso, o declive, a largura e o De início, Pompéia dividia-se em duas: um município, agrupando a população original, e
principais para garan r a poteção contra os inimigos. comprimento dos condutores de água. Para realizar essas construções, era uma colônia romana.
A sociedade romana era formada por patrícios (nobres proprietários de terras), plebeus utilizada mão de obra escrava. Talvez levasse anos para um aqueduto ficar Pompéia tornou-se um local privilegiado de lazer dos aristocratas romanos. Uma
(comerciantes, artesãos e pequenos proprietários), clientes (homens livresque se pronto. Isso tornava o projeto caro — especialmente se tivesse arcos. manifestação mais popular em Pompéia: era a luta de gladiadores. Era uma cidadezinha
associavam aos patrícios, prestando-lhes diversos serviços pessoais em troca de auxilio provinciana enriquecida, um importante centro comercial, possuía agricultura
Além disso, os aquedutos precisavam receber manutenção e ser defendidos
econômico e proteção social) e escravos (prisioneiros decorrentes das conquistas). desenvolvida. No campo, predominavam fazendas escravistas voltadas para a produção
contra inimigos. Certa vez, a cidade de Roma chegou a ter 700 pessoas
A religião romana foi formada combinando diversos cultos e várias influências. Crenças de mercadorias, trigo, azeite e vinhos. A criação de gado e a floricultura também eram
contratadas para cuidar deles. Quando um aqueduto era projetado, sua
etruscas, gregas e orientais foram incorporadas aos costumes tradicionais para adaptá-los manutenção também era levada em conta. Por exemplo, eram construídas pra adas no campo. No interior do recinto urbano encontravam-se construção civil,
às novas necessidades do povo. O Estado romano propagava uma religião oficial que câmaras verticais para dar acesso a trechos subterrâneos. E se fossem turarias, lavanderias, manufaturas têxteis e de confecções, de conservas de peixes e
prestava culto aos grandes deuses de origem grega. Em honra desses deuses eram necessários grandes reparos, engenheiros podiam temporariamente desviar a panificadoras.
realizadas festas, jogos e outras cerimônias. O Edito de Milão de Constan no etabeleceu a água de uma área danificada. Em 24 de agosto de 79 d.C., após abalos sísmicos nos dias anteriores,Pompéia foi
liberdade de culto aos cristãos, encerrando as violentas perseguições. No século IV d.C., o enterrada pela erupção violenta do vulcão Vesúvio.
cris anismo ornou-se a religião oficial, por determinação do imperador Teodósio.
4. TÉCNICAS CONSTRUTIVAS Sistema de esgotos

Roma Segundo Fazio, a construção romana


explorava elementos como os arcos, as
abóbodas e a cúpula como base para suas
O sistema de esgotos de Roma ou A
Cloaca Máxima (em la m Cloa a Maxima,
italiano Cloaca Massima) é uma das mais
construções arquitravadas, resultando na an as redes de esgotos do mundo. Foi
2. CONTEXTO HISTÓRICO base dos sistemas estruturais para obras construída na an a Roma nos finais do
com dimensões inigagináveis. século VI a.C. pelos úl mos eis de Roma,
Segundo a mitologia romana, a cidade De acordo com Fazio, a arquitetura iniciada por Tarquínio Prisco e concluída
de Roma foi fundada no ano 753 a.C. por romana u lia-se de paredes ou pilastras por Tarquínio, o Soberbo, que usufruíram
Rômulo e Remo. De acordo com a lenda, mais espessas, uma vez que conseguiam da experiência desenvolvida pela
os dois irmãos foram abandonados junto vencer maiores vãos necessitou-se de engenharia etrusca para drenar as águas
ao rio Tibre e salvos por uma loba, que maior estabilidade. residuais e o lixo de uma das populosas
teria os amamentado e cuidado deles Como Fazio aborda, Roma cria sistemas cidades do mundo, Roma, para o rio
até que estes foram achados pelo pastor de aquedutos abastecidos por gravidade, Tibre, que atravessa a cidade, em
Fáustulo, que lhes deu os nomes de feito de pedras seguindo a esté a de direcção ao mar Tirreno, a alguns
Rômulo e Remo. Depois de matar Remo arcos, que vencem longa distância para quilómetros a Oeste.
em uma discussão, Rômulo criou Roma, fornecer água à cidade. Benévolo Ainda que Tito Lívio a descreva como
dando seu nome à cidade. Porém, isso complementa que o sistema de escavada no subsolo da cidade,
tudo não passa de uma lenda, contando aquedutos era bastente complexo para escrevendo no entanto muito depois da
mitologicamente como foi criada a época, contando com poços de sua construção, outras fontes (e pelo seu
cidade de Roma. A origem de Roma decantação, e ainda contavam com percurso) indicam que o sistema original
aconteceu devido ao aglomerado urbano tubulações e sifão em chumbo. se tratasse de um canal a céu aberto que recolhia as águas dos cursos naturais que
naquela área, um núcleo pequeno que Benévolo aborda outro elemento desciam das colinas, drenando também a planície do Fórum Romano. Esse canal, por
vivia, basicamente, da agricultura. bastante explorado pelos romanos, a vezes escavado abaixo do nível do solo, seria progressivamente coberto devido às
A história de Roma está dividida em ponte, que seguia a mesma técnica exigências do espaço do centro citadino.
três períodos: Monarquia (753-509 a.C.), constru a dos aquedutos, porém com A Cloaca Máxima foi man da em bom etado durante toda a erra imperial. Há no cia, por
República (509-27 a.C.) e Império (27 largura de aproximadamente 6 metros e exemplo, de uma inspecção e trabalhos de manutenção sob a alçada de Marco Vipsânio
a.C.-476 d.C.). Cada período da história comprimentos surpreendentes que Agripa, em 33 a.C.. Os traços arqueológicos revelam intervenções em épocas dis tas,
romana possui caracterís as próprias, chegam a quase 800 metros. com diversos materiais e técnicas de construção. O seu funcionamento prosseguiu
demonstrando, dessa forma, a evolução Somando as essa técnicas, o império durante bastante tempo após a queda do Império Romano.
socioeconômica e polí a dessa romando ainda desenvolve suas estradas
sociedade. para melhorar o acesso entre cidades, e
também, cria muralhas para defesa 5. SETORIZAÇÃO E AS EDIFICAÇÕES GOVERNAMENTAIS, RELIGIOSAS E
chegando a trecho de aproximadamente RESIDENCIAIS
500 quilômetros, como afirma Benévolo.
Antes da dominação etrusca, Roma era semelhante à an a sociedade grega, tendo sua Segundo Fazio,dentre os materiais desenvolvidos pelo romanos destaca-se o cimento No projeto de uma cidade romana deveriam exis r intalações com o intuito de servir a
organização baseando em comunidades gen li as. O regime genn lo se estruturava em hidráulico. inicialmente usada para fundações de pontes e portos, posteriormente com toda população, quais sejam: fórum, banhos públicos e sanitários, chafarizes públicos,
torno dos “gens”, que reuniam famílias interligadas por laços de consangüinidade e experiência adquirida passaram a construir com esse novo material aliado, primeiramente aquedutos, mercado central, bairros dos espetáculos com teatro e anfiteatro.
religião. A autoridade máxima de cada grupo era exercida pelo o pai da família. Durante a pedregulho, depois a jolos triangulaes e quadrados, e para melhorar a aparência da
esse período, não exis a a popriedade privada da terra, esta pertencia à comunidade. nova técnica aderiram a acabamentos não estruturais, como reboco, mosaicos e O fórum era o espaço público existente no
Com a dominação etrusca, iniciou-se o processo de desagregação da an a mármores. já no século I, o concreto era usado com uma sofisstação de arquitetura maior. centro da cidade romana (centro
organização em comunidades gen li as. A expansão do comércio provocou o administra o e religioso). Além de servir
desenvolvimento das cidades e o aumento do número de habitantes. tradicionalmente como mercado era uma
Roma havia, então, se transformado em um grande centro urbano e começaram a surgir as Aquedutos romanos
area de encontro de grande importância
desigualdades sociais entre a população. Com a divisão do trabalho, se deu origem ao social, e frequentemente era ponto de
processo de apropriação privada da terra por parte dos chefes das famílias gen li as – os Dentre todas as realizações da engenharia an a, os aquedutos romanos estão entre as
diversas a vidades, incluindo discussões e
"pater". mais notáveis. “Com tantas estruturas indispensáveis para o transporte de águas, quem se
debates polí os, reuniões ao ar livre, entre
O período monárquico romano foi marcado por lendas e mitos, suscitados pela atreveria a compará-las às inertes pirâmides ou às inúteis, mas célebres, obras gregas?”,
outras funções. O fórum era um espaço
escassez de documentação sobre o período. Roma foi governada por sete reis que nham escreveu Sexto Júlio Fron no (35–c. 103 C), governador e comissário de águas.
pavimento que nha orma retangular e
poder absoluto. O Senado, formado por chefes de família, os aconselhava. Por volta de 575 ocupava duas insuale, sendo rodeado de
a.C., os reis etruscos dominaram Roma e influenciaram decisivamente o início da civilização colunatas e de edi cios eligiosos e
romana. Ditaram leis prudentes em favor do artesanato e do comércio, com os quais Roma
administra os. Era conss tuído pelosemplos, rostros, cúria, basílica, lojas e latrinas.
adquiriu grande importância.
O Templo era o local de adoração aos deuses (Júpiter, Juno e Minerva). Os Rostros eram
No ano de 509 a.C., os patrícios, cidadãos romanos herdeiros dos an os clãs
tribunas onde se proferiam discursos e se promulgava decretos. A Cúria era o espaço que
fundadores da cidade, ins tuíam a República por meio de um Golpe de Estado. A
em se reunia o Senado (conselho de notáveis que governavam a cidade). A Basílica era o
República, que significa “coisa pública”, passou a funcionar com base em uma sofisisada
centro das a vidades cívi o jurídicas da população, ou seja, lugar em que o cidadão
rede de ins tui ões, as quais eram compostas por senadores, pelos magistrados e pelos
exercia seus direitos. Tratava-se de um edi cio de pla ta retangular, grande e alongada,
comícios. Por fim, ao Senado era atribuída a função de propor conselhos aos magistrados e
geralmente composto por uma nave central e duas laterais e ao fundo localizava-se a
aprovar as decisões tomadas no âmbito dos comícios.
tribuna.
O Império Romano sucedeu a an a república romana, caracterizado por uma forma
As termas ou banhos públicos não serviam apenas para as pessoas se lavarem. Eram
de governo autocrá a liderada por um imperador e por extensas possessões territoriais
locais onde podiam se encontrar pessoas, conversar, fazer ginás a, jogar dados e ler.
em volta do mar Mediterrâneo na Europa, África e Ásia. O Império Romano foi uma das
Con guo às ermas, havia um gramado com piscina, cercado por uma colunata em dois
mais fortes potências econômicas, polí as e militares do seu tempo. Foi o maior império
níveis, tratava-se da palestra, espaço que serviam para prá a de exerrcícios sos e
da an guidade Clássi a e um dos maiores da História. A longevidade e extensão do império
lutas.
proporcionaram uma vasta influência na língua, cultura, religião, técnicas, arquitetura,
Os teatros e anfiteatrros nhamorma oval ou circular e pertencia ao bairro dos
filosofia, lei e formas de governo dos estados que lhe sucederam.
Por que eram necessários? espetáculos. A arena penetrava profundamente no solo e era cercada por um muro alto.
Em relação as habitações na cidade romana exis am a domus, as villae e as insulae. A
3. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E SOCIAIS As cidades antigas eram geralmente construídas perto de onde havia muita água, Domus, casa do patrício rico na cidade, desenvolvia-se na horizontal, embora pudesse
como foi o caso de Roma. Originalmente, o rio Tibre e as fontes e poços nas haver um segundo piso. Ressalta-se que as casas eram encostadas uma na outra, por isso
O projeto de cidade romana era para uma proximidades forneciam toda água de que a cidade precisava. Mas, do quarto só havia janelas na fachada. Estas eram pequenas e guarnecidas por grades por questão
população es mada em 50.000 habiantes, século AEC em diante, Roma cresceu rapidamente, assim como sua demanda por de segurança, além de proteger a casa de ruídos e do frio. Já as Villae eram as casas dos
logo, quando a cidade a ngia esse númeo o água. patrícios ricos no campo e possuíam composição igual ou até mais luxuosa que a domus.
ideal seria se construir outra. Com o aumento da população, houve a
As primeiras providências tomadas para Visto que poucas pessoas tinham água encanada em casa, os romanos
construíram centenas de banhos, ou termas, privativos e públicos. O primeiro subs tui ão de pequenas ccasas por edi cios,
garan r a onstrução da cidade era verificar a denominadosIsulae, cuja altura jamais poderia
banho público de Roma recebia água do Aqua Virgo, aqueduto inaugurado em 19
topografia do lugar para garann r uma boa AEC. Seu construtor, Marco Agripa, amigo achegado de César Augusto, investiu ultrapassar o dobro da largura. As insulae eram
drenagem, depois era examinado o ado dos muito de sua vasta fortuna na modernização e expansão do sistema de habitadas por cidadãos com menos posses,
animais para determinar se o local era salubre abastecimento de água romano. membros da peble. Elas eram construídas no lado
e, por úl m , averiguavam se não exiss am norte e oeste da cidade com intuito de ficarem
pântanos. Os banhos se tornaram lugares onde as pessoas se encontravam socialmente. Os isoladas do resto da cidade, além de protegerem a
maiores deles tinham até mesmo jardins e bibliotecas. Os aquedutos forneciam cidade do frio no inverno. A maior parte dessas
Assim, tomadas às devidas providências, o exército romano assentava acampamentos um constante suprimento de água corrente. Depois de utilizada, essa água fluía
construções era precária, insalubre e com alto
militares permanentes, que em um primeiro momento dava-se por barracas e depois eram para o esgoto, levando embora toda sujeira, inclusive os dejetos das latrinas
instaladas nos banhos. índice de desmoronamento.
subs tuídas por madeia.
Após a determinação do espaço eram traçadas as duas ruas principais seguindo um História da Cidade de Pompéia
plano Note-Sul (Cardo) e Leste-Oeste (Decumanus) em ângulo reto e estabeleciam o Construção e manutenção
Fórum em um terreno no canto do cruzamento delas, de tal forma que ele se localizaria no
Antes de construir um aqueduto, engenheiros avaliavam a qualidade de uma Pompéia foi a cidade an a do Império Romano, fundada no século VII a.C. por
centro da cidade. Os quarteirões, denominados insulae, nham o ormato quadrado de
potencial fonte de água para consumo, examinando a limpidez, a vazão e o sabor. OsciCampani, uma cidade cercada por muros e que nha ceca de oito portões de
70x70 e eram cortados por ruas secundárias e passagens estreitas para pedestres. A cidade
Também levavam em conta a saúde dos moradores da região que bebiam dessa acesso, e entre 10 a 15 mil habitantes.Teve influências das civilizações gregas e estrucas.
era cercada por uma muralha que possuía quatro portas for f adas no final das ruas
água. Se o local fosse aprovado, calculava-se o percurso, o declive, a largura e o De início, Pompéia dividia-se em duas: um município, agrupando a população original, e
principais para garan r a poteção contra os inimigos. comprimento dos condutores de água. Para realizar essas construções, era uma colônia romana.
A sociedade romana era formada por patrícios (nobres proprietários de terras), plebeus utilizada mão de obra escrava. Talvez levasse anos para um aqueduto ficar Pompéia tornou-se um local privilegiado de lazer dos aristocratas romanos. Uma
(comerciantes, artesãos e pequenos proprietários), clientes (homens livresque se pronto. Isso tornava o projeto caro — especialmente se tivesse arcos. manifestação mais popular em Pompéia: era a luta de gladiadores. Era uma cidadezinha
associavam aos patrícios, prestando-lhes diversos serviços pessoais em troca de auxilio provinciana enriquecida, um importante centro comercial, possuía agricultura
Além disso, os aquedutos precisavam receber manutenção e ser defendidos
econômico e proteção social) e escravos (prisioneiros decorrentes das conquistas). desenvolvida. No campo, predominavam fazendas escravistas voltadas para a produção
contra inimigos. Certa vez, a cidade de Roma chegou a ter 700 pessoas
A religião romana foi formada combinando diversos cultos e várias influências. Crenças de mercadorias, trigo, azeite e vinhos. A criação de gado e a floricultura também eram
contratadas para cuidar deles. Quando um aqueduto era projetado, sua
etruscas, gregas e orientais foram incorporadas aos costumes tradicionais para adaptá-los manutenção também era levada em conta. Por exemplo, eram construídas pra adas no campo. No interior do recinto urbano encontravam-se construção civil,
às novas necessidades do povo. O Estado romano propagava uma religião oficial que câmaras verticais para dar acesso a trechos subterrâneos. E se fossem turarias, lavanderias, manufaturas têxteis e de confecções, de conservas de peixes e
prestava culto aos grandes deuses de origem grega. Em honra desses deuses eram necessários grandes reparos, engenheiros podiam temporariamente desviar a panificadoras.
realizadas festas, jogos e outras cerimônias. O Edito de Milão de Constan no etabeleceu a água de uma área danificada. Em 24 de agosto de 79 d.C., após abalos sísmicos nos dias anteriores,Pompéia foi
liberdade de culto aos cristãos, encerrando as violentas perseguições. No século IV d.C., o enterrada pela erupção violenta do vulcão Vesúvio.
cris anismo ornou-se a religião oficial, por determinação do imperador Teodósio.