Sei sulla pagina 1di 2

Faculdade Anhanguera, Guarulhos.

História (Licenciatura): 3º/ 4º semestres

História do Brasil Colonial


Tema: Expansão Marítima e Mercantilismo
Prof. Msa. Michelle Britto
Contexto
-A expansão da mentalidade renascentista pela península Ibérica, assim como na Inglaterra e
França, possibilitou a consolidação do conhecimento científico (que vinha sendo desenvolvido em
Portugal desde a Revolução de Avis) voltado para as navegações e conhecimentos marítimos.
-Para o caso português, a historiografia associa a expansão marítima também ao processo de
unificação dos reinos ibéricos sob a Coroa portuguesa.
-O investimento comercial da burguesia e consolidação da classe no cenário socioeconômico
europeu impulsionou a busca por novas rotas comerciais além Mediterrâneo – dominado pelas
cidades-estados italianas (Gênova, Veneza, Florença).
-Novas rotas = busca por metais e produtos orientais = consumir o excedente europeu e expandir
capital.
-O pioneirismo português nas navegações ultramarinas pode ser atribuído a localização geográfica
privilegiada; consolidação e dinamismo comercial da burguesia, criação de centro de estudos
geográficos, cartográficos e náuticos.
-Os demais países europeus (França, Inglaterra, Países Baixos) não se lançaram às navegações por
causa de questões políticas internas e guerras → pirataria.

Ciclos das navegações portuguesas


 Ciclo oriental

-Busca por especiarias e participação nas rotas comerciais do Oriente.


-Conquista portuguesa da Ilha de Java e região da Indochina.
-O ciclo oriental das navegações portuguesas iniciou-se em 1415 com a conquista de Ceuta
pelos portugueses.

 Ciclo Ocidental
- “Descobrimento da América” e início de entrepostos em território americano.
Estabelecimento de feitorias no litoral e, por conseguinte, desenvolvimento (a posteriori) da
colonização da Colônia (Brasil).
-O ciclo ocidental das navegações portuguesas no Ocidente possuíram inúmeras
consequências:
1. Deslocamento do eixo econômico (comercial) do Mediterrâneo para o Atlântico.
Este causou a decadência das cidades italianas;
2. Colonização da América utilizando o trabalho compulsório e escravo de índios e
africanos = estabelecimento de rotas comerciais entre Europa, América e África;
3. Expansão do comércio europeu (revolução comercial) e afluxo dos preços devido o
grande afluxo de metais preciosos da América como, por exemplo, a prata espanhola;
4. Adoção do protecionismo econômico assentado no Mercantilismo;
5. Acumulação primitiva de capital devido a grande circulação comercial
(favorecimento “parcial” aos cofres régios);
6. Fortalecimento da burguesia mercantil;
7. Consolidação do estado moderno absolutista;
8. Europeização do mundo e expansão do catolicismo, sobretudo após a
Contrarreforma.

Mercantilismo
Em linhas gerais, o mercantilismo foi uma política econômica baseada na acumulação de
capital comercial para fortalecimento dos Estados Modernos. O mercantilismo “anulava” a aliança
entre o rei e a burguesia pela unificação e poderio nacional. Redimensionamento do papel da
burguesia no cenário político, econômico e social.
Suas principais características eram:
 Metalismo
 Balança comercial favorável
 Protecionismo
 Colonialismo (sistema colonial)
 Monopólios
 Intervencionismo estatal