Sei sulla pagina 1di 3

CRISTO

O PROBLEMA DA
ONIPRESENÇA
Ser. Deve-se ainda n o t a r que os estar em toda parte, mas como
Pedro Apolinário a t r i b u t o s n ã o s ã o Deus, mas s ã o d i v i n o , isso era perfeitamente
Professor de Crítica Textual no os modos e as qualidades dEle. possível.
Instituto Adventista de I usino V á r i a s c l a s s i f i c a ç õ e s t ê m sido Se em Sua h u m i l h a ç ã o , Cristo
apresentadas: uns f a l a m em n ã o usou os a t r i b u t o s divinos
a t r i b u t o s n a t u r a i s e morais; um independentemente do Pai, é
segundo g r u p o prefere falar em evidente que c o n c l u í d a essa fa-
a t r i b u t o s absolutos e relativos. se na Terra, podia u s á - l o s livre-
Perdeu Cristo a Sua A mais c o m u m , todavia, é falar mente. T a n t o é que Seu p r i m e i -
em atributos i n c o m u n i c á v e i s ou r o ato a p ó s c o n c l u i r Sua m i s s ã o
onipresença ao imanentes, e c o m u n i c á v e i s ou na cruz f o i ressuscitar-Se a Si
tomar sobre Si a emanentes. p r ó p r i o pelo poder d i v i n o que
humanidade? Atributos incomunicáveis são
possuía. 2

p r i v a t i v o s de Deus, e n ã o podem Ensinar que Cristo perdeu a


ser encontrados no ser humano: o n i p r e s e n ç a é mais uma das arti-
o n i p o t ê n c i a , o n i p r e s e n ç a , onis- manhas do inimigo, para d i m i n u i r
U l t i m a m e n t e , v á r i a s pergun-
tas nos t ê m sido feitas para
que e s c l a r e ç a m o s se C r i s t o real-
c i ê n c i a , i m u t a b i l i d a d e . Por ou-
t r o lado, a t r i b u t o s c o m u n i c á -
o Salvador de Seu todo-suficiente
sacrifício em nosso favor.
mente perdeu Sua O n i p r e s e n ç a . veis s ã o aqueles que a D i v i n d a - D e c l a r a r que Ele perdeu a
O p r o b l e m a s u r g i u destas duas de transfere ao ser humano, tais o n i p r e s e n ç a seria negar Sua di-
circunstâncias: como: bondade, amor, j u s t i ç a , vindade, u m a das mais s é r i a s
1 ?) A promessa de C r i s t o de p a c i ê n c i a , longanimidade, mise- heresias que a Igreja C r i s t ã en-
enviar o E s p í r i t o Santo (S. J o ã o r i c ó r d i a , etc. frentou a t r a v é s dos s é c u l o s , e
14:16), e a d e c l a r a ç ã o de Eilen enfrenta em nossos dias.
G. W h i t e : " E m b a r a ç a d o c o m a Conhecendo o Problema Cristo é Deus, pois o Novo Tes-
humanidade, C r i s t o n ã o p o d e r i a tamento assim o denomina sete
estar em toda p a r t e em pessoa. A d e c l a r a ç ã o de O Desejado vezes. (S. J o ã o 1:1; 20:28; Rom. 9:5;
Era, p o r t a n t o , do interesse de- de Todas as Nações, p á g i n a 644 Tito 2:13; Heb. 1:8; II S. Ped. 1:1; I
les que fosse para o Pai, e en- — " E m b a r a ç a d o [ou l i m i t a d o ] S. J o ã o 5:20.)
viasse o E s p í r i t o c o m o Seu su- c o m a h u m a n i d a d e . . . " — se ex- Se é Deus, é perfeito, logo n ã o
cessor na T e r r a . " ' p l i c a p o r si mesma. Cristo, ao pode ganhar nem perder nada. O
2?) Descuidadas notas de l i - estar na T e r r a , era tanto Deus Pastor Daniel Porto declarou con-
ç õ e s da Escola Sabatina, as quais c o m o H o m e m , mas t i n h a u m a vincentemente: "É bastante elimi-
analisaremos nesta m a t é r i a . m i s s ã o a c u m p r i r exclusiva- nar um dos atributos de Deus pa-
mente c o m o H o m e m , n ã o po- ra que Ele deixe de ser Deus." 3

Atributos Divinos dendo, p o r t a n t o , utilizar-Se de


Sua d i v i n d a d e para b e n e f í c i o Ampliando o Problema
Para compreender melhor o as- p r ó p r i o ou no cumprimento de
sunto, seria b o m saber alguma tal m i s s ã o . A prova de que a d i - Quanto às notas de l i ç õ e s da
coisa sobre os atributos divinos. vindade estava n E l e presente é Escola Sabatina, t r ê s merecem
Devemos d i s t i n g u i r e n t r e a que Sua m a i o r t e n t a ç ã o f o i usar destaque:
natureza de Deus e Seus a t r i b u - o poder d i v i n o que p o s s u í a (ver a) Dia 7 de abril de 1977 —
tos. A natureza de Deus consti- S. M a t . 4:1-11). L i m i t a d o pela "Quando Jesus Se t o r n o u carne,
t u i o Ser; os a t r i b u t o s revelam o humanidade, Ele n ã o poderia despiu-Se dos poderes da D i v i n -
dade e Se t o r n o u absolutamente d i v i n d a d e fosse r e s t r i n g i d a ou ça é errado, porque seria crer
dependente do Pai e do E s p í r i t o subtraída." que Ele deixou de ser divino.
Santo." c) Dia 8 de setembro de 1986 " C r i s t o é Deus perfeito, mas
N ã o tive c o n d i ç õ e s de averi- — "Visto, p o r é m , que 'Cristo le- nunca d e i x o u de ser H o m e m
guar se o verbo despir-se foi b e m vou Sua humanidade para a eter- perfeito, desde o m o m e n t o da
traduzido do inglês, ou se foi uma nidade' ( C o m e n t á r i o s de Eilen G. e n c a r n a ç ã o . O Ser que subiu ao
infelicidade de t r a d u ç ã o . W h i t e , SDABC, v o l . 7, p á g . 925) e C é u e e s t á assentado à destra de
Despir-se é p ô r de lado, aban- e s t á restringido a um corpo hu- Deus Pai é H o m e m e t a m b é m
donar, despojar-se. Jesus n ã o dei- mano e n ã o pode mais estar pre- Deus. C r i s t o é H o m e m perfeito,
xou Sua natureza divina ao estar sente em toda a parte como suce- mas nunca d e i x o u de ser Deus
9
na Terra; Ele p o s s u í a as duas na- dia antes da e n c a r n a ç ã o , Ele ha- perfeito."
turezas. De Divindade Ele passou bita agora em Seus seguidores
à humanidade, esvaziou-Se, sem por meio do E s p í r i t o Santo. "É Referências Bíblicas
deixar de Ser Deus. por meio do E s p í r i t o Santo que
O E s p í r i t o de Profecia contes- Cristo habita em n ó s . ' " (Deve-se H á i n ú m e r a s provas b í b l i c a s
ta a i d é i a de Cristo despir-Se ou n o t a r b e m que apenas o que se da o n i p r e s e n ç a de Cristo.
despojar-Se da natureza d i v i n a : e n c o n t r a e n t r e aspas simples S. Mateus 18:20 — "Porque
"Jesus t o m o u a h u m a n i d a d e e pertence a E i l e n G. W h i t e ; o res- onde e s t i v e r e m dois ou t r ê s reu-
a acrescentou à D i v i n d a d e . Ele tante é do a u t o r da lição.) nidos e m M e u nome, a l i estou
revestiu Sua divindade c o m a Como Igreja é i m p o r t a n t e que no m e i o deles."
4
humanidade." n ã o permitamos nenhum erro Hebreus 13:8 — "Jesus C r i s t o
"A Divindade e a h u m a n i d a d e d o u t r i n á r i o entre n ó s . A a f i r m a - o n t e m e hoje é o mesmo, e o s e r á
combinaram-se misteriosamen- tiva do a u t o r da l i ç ã o — " . . . n ã o para sempre." V a l i o s a p r o v a de
te, e o h o m e m e Deus se torna- pode mais estar presente em to- que C r i s t o n ã o p o d e r i a ter per-
ram u m . " 5
da parte c o m o sucedia antes da d i d o nada e s t á e m Sua i m u t a b i -
"Cristo n ã o podia ter v i n d o à e n c a r n a ç ã o . . . " — n ã o se harmo- lidade.
Terra com a g l ó r i a que p o s s u í a niza c o m o u t r a s d e c l a r a ç õ e s d o Os versos 19 e 26 de S. J o ã o 20
nas cortes celestiais. Seres hu- E s p í r i t o de Profecia e c o m os c o m p r o v a m que Cristo, a p ó s a
manos pecadores n ã o suporta- ensinos das E s c r i t u r a s . r e s s u r r e i ç ã o , n ã o e s t a r i a res-
riam vê-Lo. Ele velou Sua d i v i n - A seguinte verdade deve ser t r i n g i d o a um corpo humano.
dade c o m a roupagem da huma- lembrada: cada pessoa da T r i n - A d e c l a r a ç ã o de Lucas (Atos 9:5)
nidade, p o r é m , n ã o Se desfez de dade desempenha e s p e c í f i c a do aparecimento de Cristo a Pau-
6
Sua d i v i n d a d e . " f u n ç ã o em b e n e f í c i o do ser hu- lo, cientifica-nos de que Ele pode
N ã o Se desfazer da d i v i n d a d e mano, mas isso n ã o significa aparecer em qualquer lugar.
é a m a i o r prova de que t a m b é m que cada u m a n ã o possa desem- A maior evidência bíblica de
n ã o Se desfez da o n i p r e s e n ç a . penhar a f u n ç ã o da o u t r a . que Cristo, tomando a natureza
b) Dia 11 de março de 1983 — Nas 50 p r o p o s i ç õ e s sobre nos- humana, n ã o perdeu nada da di-
"Jesus, como Ser h u m a n o , e s t á sas c r e n ç a s e ensinos há esta: vindade se encontra na conhecida
na p r e s e n ç a de Deus no C é u , "Cremos que a Divindade, ou d e c l a r a ç ã o paulina: "Portanto nE-
comparecendo a l i p o r n ó s . V i s t o T r i n d a d e , consiste do E t e r n o le habita corporalmente toda a
que Ele sempre c o n t i n u a r á sen- Pai, Ser Pessoal, e s p i r i t u a l , o n i - plenitude da Divindade." Col. 2:9.
do humano, e s t á r e s t r i n g i d o a potente, onipresente, oniscien- O C o m e n t á r i o A d v e n t i s t a traz
um lugar no e s p a ç o e no tempo. te, i n f i n i t o em sabedoria e a seguinte nota sobre este verso:
(Ver O Desejado de Todas as Na- amor; do Senhor Jesus Cristo, " E m C r i s t o h a b i t a a soma t o t a l
ções, ed. popular, pág. 644.)" F i l h o do E t e r n o Pai, a t r a v é s de da natureza e a t r i b u t o s de Deus.
Como h u m a n o C r i s t o estaria q u e m todas as coisas f o r a m Todas as f u n ç õ e s e poderes da
l i m i t a d o pelo e s p a ç o , mas c o m o criadas e p o r q u e m se r e a l i z a r á divindade residem continua-
d i v i n o jamais, porque Deus n ã o a s a l v a ç ã o dos remidos; do E s p í - mente nEle. Toda a p l e n i t u d e de
pode ser l i m i t a d o n e m pelo es- r i t o Santo, t e r c e i r a pessoa da Deus é revelada em Cristo.
p a ç o nem pelo tempo. Divindade, o grande poder rege- "A e x t e n s ã o do termo pleroma,
nerador na o b r a da r e d e n ç ã o ( S . 'plenitude', é sem l i m i t e no tem-
Uma das provas conclusivas 7
M a t . 28:19)." po, no e s p a ç o e em poder. T u d o
de n ã o estar l i m i t a d o pelo espa-
ço se encontra em Seu apareci- A f u n ç ã o de cada membro da quanto Deus é, cada qualidade da
mento a dois d i s c í p u l o s no ca- Trindade é a seguinte: "Deus no Divindade — dignidade, a u t o r i -
m i n h o de E m a ú s (S. L u c . 24:13- trono do Universo, Jesus no trono dade, e x c e l ê n c i a , poder para
31), e aos o u t r o s em J e r u s a l é m da g r a ç a e o E s p í r i t o Santo no tro- c r i a r e sustentar o mundo, ener-
(S. Luc. 24:36 e 37). no do c o r a ç ã o humano trabalham gia para manter e guiar o Univer-
A p u b l i c a ç ã o adventista Ques- para a nossa s a l v a ç ã o . " 8
so, a m o r que levou a r e d i m i r o
tions on Doctrine ( e x p l i c a ç ã o O Pai p r o v ê , o F i l h o realiza e o ser humano, p r e s c i ê n c i a a f i m de
de nossas c r e n ç a s f u n d a m e n - E s p í r i t o Santo aplica. s u p r i r todas as coisas n e c e s s á -
tais, à p á g i n a 77) a f i r m a : "O fato Concluir que Cristo, p o r con- rias a cada uma de Suas criatu-
10

de Cristo ter-Se t o r n a d o h o m e m servar Seu corpo humano a p ó s a ras — repousa em C r i s t o . "


de modo a l g u m fez c o m que Sua e n c a r n a ç ã o , perdeu a onipresen- Sobre Colossenses 1:19 afir-
ma o mesmo c o m e n t á r i o : " E m C r i s t o é onipresente, mas pode Conclusão
C r i s t o se e n c o n t r a a perfeita ex- ser que n e m sempre f a ç a uso
p r e s s ã o da Divindade de manei- desse a t r i b u t o . N ã o usar algu- Por mais que a l g u é m pesquise
ra c o m p l e t a e eterna." " ma coisa, todavia, n ã o significa t a n t o na B í b l i a q u a n t o no E s p í -
N a c a r t a aos colossenses, a sua perda. r i t o d e Profecia, n ã o e n c o n t r a r á
Paulo e s t á condenando a here- n e n h u m texto que dê m a r g e m à
sia g n ó s t i c a , que n ã o aceitava a No Espírito de Profecia c o n c l u s ã o de que C r i s t o perdeu
p l e n i t u d e da d i v i n d a d e de Cris- Sua o n i p r e s e n ç a ao t o m a r sobre
to, apresentando-0 c o m o um se- A l é m das c i t a ç õ e s já feitas, as Si a humanidade.
mideus, d e s t i t u í d o de alguns seguintes d e c l a r a ç õ e s do E s p í - Possuindo as duas naturezas,
atributos divinos. rito de Profecia quanto à oni- c o m o h u m a n o n ã o pode ser oni-
Colossenses 1:19 e 2:9 contes- p r e s e n ç a de Cristo t a m b é m me- presente, mas c o m o d i v i n o é Se-
t a m hoje, frontalmente, conclu- recem ser destacadas: n h o r de todos os a t r i b u t o s .
s õ e s e r r ô n e a s a que chegaram " O pequeno g r u p o r e u n i d o Demos g r a ç a s a Deus p o r ter-
membros de nossa Igreja, p o r in- para a d o r a r a Deus no Seu san- mos um Salvador perfeito, com-
terpretarem m a l d e c l a r a ç õ e s bí- to dia, t e m d i r e i t o a r e c l a m a r as pleto, banindo da mente a falsa
blicas e do E s p í r i t o de Profecia. b ê n ç ã o s de J e o v á e pode estar idéia de um Cristo mutilado.
Esses dois versos s e r i a m sufi- certo de que o Senhor Jesus se-
rá honroso v i s i t a n t e em suas Referências:
cientes p a r a p r o v a r que C r i s t o 1 2

n ã o p e r d e u o a t r i b u t o da o n i - reuniões." 1) O Desejado de Todas as Nações, p á g . 644.


2) V e r O Desejado de Todas as Nações, p á g . 753.
p r e s e n ç a . O n i p r e s e n ç a é pro- " N ã o obstante a aparente v i - 3) Revista Adventista, m a r ç o de 1984. p á g . 6.
4) Reviewand Herald. 5/7/1887.
priedade inerente a C r i s t o , logo t ó r i a de S a t a n á s , Cristo e s t á le- 5) Signsof lhe Times. 30/6/1896.
c o n t i n u a r á e x i s t i n d o c o m Ele vando avante Sua o b r a no San- 6) Review and Herald. 15/6/1905.
1 3 7) Seventh-day Adventists Answer Questions on
por toda a eternidade. t u á r i o celeste e na T e r r a . " Doctrine, p á g . 45.
8) Revista Adventista. m a r ç o de 1984," p á g . 7.
N ã o perdendo nenhum a t r i b u t o "A divindade n ã o foi degradada 9} Comentário do Evangelho Segundo S. João,
em Sua h u m i l h a ç ã o , é evidente o u m u t i l a d a pela h u m a n i d a d e . " p á g 15. J . C . R y l e .
10) Seventh-da\ Adventist Bible Commentarv. vol
que, terminada essa fase, pode Essas d e c l a r a ç õ e s seriam su- V I I , pag. 202.

perfeitamente usar todos os atri- ficientes para d i r i m i r q u a l q u e r 11) Idem. p á g . 193.


12) Testemunhos Seletos, vol. 3, p á g . 27.
butos que Lhe s ã o peculiares. d ú v i d a que ainda paire na men- 13) Obreiros Evangélicos, p á g . 26.
14) Review and Herald. 18/2/1890, citado em
A C r i s t o l o g i a nos ensina que te de a l g u é m . SDABC. vol. V, p á g . 918.

janela IJ JJ Poética
Sábios, à espera do doce milagre,
Deixa Cristo Nascer reconhecendo a estrela divinal,
deixam o Oriente, trazendo um tesouro,
Myrtes Mathias simbólica oferta — mirra, incenso e ouro:
Presentes para Deus no primeiro Natal.
Desce a noite, lenta, sobre a terra, Homem, não maldigas tua sorte incerta,
bela e triste, quase irreal! não tornes vã a noite sem igual.
Bela demais em seu sublime encanto, Que importa Jesus tenha nascido,
triste demais para nascer um santo: que importa Ele tenha sofrido,
Nasce um Deus no primeiro Natal. se Ele não nascer em ti neste Natal 7

À ordem de César, Belém regurgita, Deixa o orgulho, a indiferença, o ódio,


anima a cidade o decreto real; sê humilde e crente, abandona o mal.
cheia demais está a hospedaria, Não faças do teu coração hospedaria,
à Virgem cansada, resta a estrebaria: onde lugar pra Cristo não havia:
Nela nasce Deus no primeiro Natal. dá lugar a Deus neste Natal.
Pastores que velam na escura montanha, Aceita a história simples da estrebaria,
ouvindo a nova do coro angelical, a estrela linda, o coro angelical.
deixam o rebanho, em busca da luz, Entrega o coração em mística oferta,
primeiros crentes, vão ver a Jesus: em tua alma haverá paz, no Céu haverá festa,
Adoram a Deus no primeiro Natal. se Cristo nascer em ti neste Natal.