Sei sulla pagina 1di 7

Os dons miraculosos

Nosso último estudo sobre o tema DONS ESPIRITUAIS será com


respeito aos dons miraculosos. Existe muita dúvida e muitos
conceitos erroneamente absorvidos sobre este assunto, e por
isso deixamos para o final gerando uma expectativa muito
grande...assim espero que os irmãos estejam nesta manhã. Não
só com relação a este assunto, devemos sempre ter uma sede e
grandes expectativas no estudo da palavra de Deus. A Bíblia nos
diz:

1 Peter 2:2 desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite


espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação,

Os dons miraculosos são assim chamados porque envolvem algo


sobrenatural. É logico que os outros dons também envolvem
algo sobrenatural, pois todos são habilidades dadas por Deus.
Mas o sobrenatural destes dons tendem a ser mais evidentes,
como por exemplo o falar em linguas. Foi evidente para todos
que estavam alí presenciando os discípulos falando em línguas.
Alguém que exerce fé, como foi o caso de George Muller, pode
não ser tão perceptível no exato momento que a fé está sendo
exercida. Os dons miraculosos são muito evidentes e imediatos,
por isso os chamamos de miraculosos.

Os dons miraculosos são: curas, milagres, falar em línguas e


interpretação de línguas. Mais do que identificar e explicar estes
dons, o nosso maior interesse hoje é entender se eles são válidos
e presentes no dia de hoje. O recente movimento pentecostal
(início foi em 1906) e neo-pentecostal tem colocado muita ênfase
nestes dons, e é importante entendermos à luz da Palavra de
Deus se, o que vemos em muitas igrejas hoje em dia, é mesmo
de Deus. Vamos ler algumas passagens para auxílio no
entendimento do assunto.

Acts 14:3 Entretanto, demoraram-se ali muito tempo, falando ousadamente no Senhor, o
qual confirmava a palavra da sua graça, concedendo que, por mão deles, se fizessem
sinais e prodígios.

Lemos neste trecho que Paulo e Barnabé, na cidade de Icônio,


realizavam sinais e prodígios. Estes sinais e prodígios, que
historicamente por todo o livro de Atos podemos ver que eram
curas, milagres, línguas e até ressurreição de mortos, visavam
dar força e respaldo para a mensagem do evangelho.

Romans 15:19 por força de sinais e prodígios, pelo poder do Espírito Santo; de maneira
que, desde Jerusalém e circunvizinhanças até ao Ilírico, tenho divulgado o evangelho de
Cristo,

Novamente vemos aqui Paulo confirmando que os sinais e


prodígios acompanharam a divulgação do evangelho desde
Jerusalém ao Ilírico. Veremos que estes sinais eram
características pertinentes apenas aos apóstolos, ou no máximo
as pessoas diretamente ligados à eles. Historicamente pelo livro
de Atos é possível perceber que as línguas, as curas, os milagres
eram apenas realizados pelos apóstolos, e com o objetivo
exclusivo de potencializar a pregação do evangelho.

John 20:30-31 Na verdade, fez Jesus diante dos discípulos muitos outros sinais que não
estão escritos neste livro. 31 Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é
o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.

Lemos aqui em João que os sinais que Jesus realizou tinha um


propósito: “para que creiais que Jesus é o Cristo”. Como as
pessoas iriam crer nas palavras de Jesus, que era um Nazareno,
carpinteiro, filho de José e Maria? Como as pessoas iriam crer
que ele era o filho de Deus, e que ele era o Messias prometido?
Da mesma forma os apóstolos foram dotados de poderes e sinais
miraculosos para que as pessoas pudessem crer na mensagem, e
entender que aquilo vinha de Deus! Imaginem os judeus, depois
de séculos de sacrifícios e religiosidade judaica...de repente
chega um homem e seus seguidores dizendo que agora era tudo
diferente? Que tudo aquilo serviu para um propósito, mas que
agora os sacrifícios não eram mais necessários?! Imagina se
alguém aparecesse dizendo para esquecer tudo que você e seus
antepassados creram por anos e anos...a não ser que você visse
algo sobrenatural e que te provasse que aquilo era de Deus, você
nunca daria ouvidos para esta pessoa!

Acts 2:22 varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado
por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou
por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis;
Em Atos 2 do versículo 1 ao 14 lemos um relato magnífico sobre
os discípulos falando em línguas, recebendo o Espírito em forma
de línguas de fogo, e o resultado de tudo isso foi a conversão de
quase três mil pessoas! Vejam o sinal milagroso servindo para o
seu propósito – o testemunho da pregação de Pedro. E
observem que as línguas foram para os incrédulos que alí
estavam, e não para a edificação dos crentes.

2 Corinthians 12:12 Pois as credenciais do apostolado foram apresentadas no meio de


vós, com toda a persistência, por sinais, prodígios e poderes miraculosos.

Concluindo, estes dons miraculosos foram dados apenas aos


apóstolos e para que a pregação do evangelho fosse mais eficaz
no início da igreja quando era mais necessário. Naquele
momento, era necessário confirmar a autoridade de Jesus e de
seus discípulos primitivos. Note a palavra credenciais. É
necessário hoje? Seria muito útil, mas temos a Palavra de Deus,
coisa que antes eles não tinham. Imagine um trem dando
partida. Para colocar em movimento todo aquele peso é
necessário um esforço muita grande no começo, até que o trem
ganha velocidade e inércia, então o esforço se torna mínimo para
mantê-lo em movimento. É uma ilustração que prova que estes
dons milagrosos serviram como inércia para o surgimento no
início da igreja.

Mark 16:15-18 E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.
16
Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. 17 Estes
sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão
novas línguas; 18 pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes
fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.

Lemos aqui que estes sinais seriam acompanhados daqueles que


crêem, mas pelo estudo da história da igreja, aprendemos que
apenas a primeira geração dos pais da igreja é que realizaram
estes sinais. Quem crê que as línguas e as curas são para hoje
em dia, por este texto, precisam crer também que beber veneno
e pegar em serpentes faz parte destes dons realizados na
presente era.

Existe um texto bíblico que fortemente apoia a idéia que estes


dons foram úteis naquele momento, e que hoje já não estão mais
presentes na igreja.
Hebrews 2:3-4 como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual,
tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a
ouviram; 4 dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários
milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade.

Aqui o autor de Hebreus fala que Deus deu testemunho pelo


Senhor e pelos que ouviram posteriormente através de sinais,
prodígios e vários milagres, e ele usa o verbo no passado, dando
a entender que quando esta carta foi escrita (por volta do ano 65
A.D.) estas coisas não estavam mais acontecendo.

Outro texto importante se encontra em Atos 20: 17-38. Neste


texto, Paulo está se despedindo de Éfeso e está se dirigindo a
irmãos na fé, e não à descrentes. Ele não cita nada sobre
milagres, ou curas, ou línguas, pois estes dons miraculosos
serviam para os descrentes, e para que eles crescem. A ênfase
aqui está na palavra de Deus (Acts 20:32 Agora, pois, encomendo-vos ao
Senhor e à palavra da sua graça, que tem poder para vos edificar e dar herança entre todos
os que são santificados) e no serviço às necessidades dos irmãos (Acts
20:35 Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é mister socorrer os
necessitados e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar
que receber) . O tipo dos dons miraculosos nem sequer é
mencionado por Paulo neste trecho das escrituras, já que ele
estava se direcionando a uma igreja já formada (Acts 20:17 mandou a
Éfeso chamar os presbíteros da igreja).

Vejamos algumas situações na história aonde estes sinais e


prodígios aconteceram, numa forma de lista:

Lucas 17: 11-19 dez leprosos curados


Mateus 8: 5-13 cura do servo do centurião
Mateus 8: 28-29 expulsão dos demônios à manda de porcos
João 5: 1-16 cura do enfermo – tanque de Betesda
Atos 14: 8-10 Paulo cura um homem aleijado
Atos 3: 1-11 Pedro cura um paralítico
Atos 5: 14-16 Até a sombra de Pedro cura os enfermos
Atos 9: 32-43 Pedro ressuscita Dorcas em Jope
Atos 8: 5-8 Filipe na cidade de Samaria

Além de Jesus, Paulo, Pedro e Filipe, não encontramos mais


ninguém operando o milagre de curas. Filipe, apesar de não ser
um apóstolo, foi um dos sete homens escolhidos pelos apóstolos
para servirem às mesas em Jerusalém. Filipe recebeu autoridade
diretamente dos apóstolos, e provavelmente foi testemunha
ocular da ressurreição do Senhor Jesus Cristo.

Algumas características são comuns em todos estes textos:


- os milagres foram realizados em lugares públicos, e não dentro
da sinagoga ou do tempo. Hoje em dia a “sessão” de curas é
realizada dentro da igreja
- as pessoas curadas e beneficiadas pela cura eram descrentes,
ou seja, aquele milagre visava o evangelismo e destinava-se aos
incrédulos. Hoje em dia muitas “curas” destinam-se aos crentes
- o milagre era concretizado alí em público, na frente de todas as
testemunhas. Hoje em dia a “cura” oferecida requer um
determinado prazo de tempo, que a pessoa vá para casa, e tenha
fé para ser curada. Além do mais a cura oferecida é contra o
desemprego, ou a falta de dinheiro, e não algum problema de
saúde evidente. Precisamos tomar cuidado com as doenças
psicosomáticas. Não eram estas doenças que Jesus e seus
apóstolos curaram.

Vejamos mais algumas situações na história aonde estes sinais


aconteceram (particularmente as línguas):

Atos 10: 44-48


Atos 19: 1-7
Atos 2: 1-13

É interessante notar que são apenas três incidentes aonde


encontramos pessoas falando em línguas. Obviamente existe
também a igreja de Corinto, mas o uso indevido das línguas
naquela igreja não é modelo para ser seguido. Mais expressivo
do que estes poucos relatos, é observar quantas situações o
milagre das línguas nem sequer é mencionado. Na conversão de
quase três mil homens não encontramos as pessoas falando em
línguas. Em Atos 4: 4 lemos que mais cinco mil pessoas
aderiram ao evangelho de Cristo, mas novamente não lemos
nada sobre línguas. Em Atos 6: 7 lemos que se multiplicavam os
discípulos, e não lemos nada sobre o falar em línguas. No
milagre da cura de Dorcas, lemos que muitos creram no Senhor,
mas não encontramos nada sobre línguas em Jorpe. Em Atos 8
lemos sobre os convertidos em Samaria, mas nada sobre o falar
em línguas em Samaria. Seria um exercício interessante
continuar fazendo este levantamento dos incidentes em que
encontramos a ausência de línguas, mas não temos tempo para
isso e, com estes poucos exemplos, já fica claro que falar em
línguas não é sinal de uma vida cheia do espírito santo, e nem
que é necessário que todos falem em línguas. Os pentecostais
ensinam isso e dizem que o falar em línguas é o segundo batismo
do Espírito, mas então existem inúmeros discípulos durante a
igreja primitiva e durante toda a história da igreja que nunca
receberam o “segundo batismo” e nunca falaram em línguas.

É interessante notar que durante a reforma da igreja, na época


de Lutero, não encontramos nenhum sinal de línguas, milagres
ou curas. Não seria extremamente necessário naquele momento
histórico e tão pesado para o futuro da igreja de Cristo? Com
certeza teria ajudado muito Lutero para provar que o que ele
estava dizendo era de Deus, mas foi a palavra de Deus e o
estudo das escrituras que trouxe libertação para a igreja.
Precisamos tomar cuidado quando ouvimos pessoas falando que
precisamos resgatar tudo que acontecia na igreja primitiva,
voltando para o princípio de tudo. Deus é imutável, mas não
significa que ele age da mesma forma durante todo o tempo da
história. Só porque existiam milagres, curas, e línguas naquele
tempo, não significa que precisamos forçar a presença destes
dons hoje para sermos uma igreja mais saudável. Evidências
bíblicas indicam que não, e um estudo histórico também revela
que não. Estes dons tinham um propósito para aquela época.
Deus operou na história através dos judeus, sendo o seu povo
escolhido. Hoje Deus opera através da igreja. Deus já destruiu
a terra pela água, e no futuro ele vai destruir os incrédulos pelo
fogo. Deus opera de formas diferentes durante o tempo, que é o
conceito do dispensacionalismo, e é extremamente importante
entendermos isso perante a Palavra de Deus.

Em I Cor 14: 22 lemos que “as línguas constituem sinal não para
os crentes, mas para os incrédulos”. Os três incidentes em Atos
também serviram de sinal para os incrédulos: em Atos 2 para
vários judeus vindo de diferentes regiões para a celebração da
páscoa; em Atos 10 e 19 para os judeus convertidos que não
estavam crendo que os gentios pudessem ser do mesmo
Caminho.
É absurdo o que vemos acontecendo hoje nas igrejas
pentecostais. Várias pessoas falando em línguas ao mesmo
tempo. Línguas que nem são identificáveis, mas simplesmente
elocução estranha. Pessoas se jogando no chão, espumando na
boca, e outras coisas que são comuns em centros espíritas e
outras religiões pagãs. Pessoas que perdem o controle de sí
dizendo que é o Espírito de Deus se manifestando. Que
incoerência com o que aprendemos de Paulo em Gálatas 5 que o
fruto do Espírito é domínio próprio. Me perdoem a severidade
contra este movimento, mas é preciso ter zelo pela palavra de
Deus e entender que falsos mestres e falsos ensinamentos
podem destruir a igreja e dividi-la ao meio.

Precisamos lembrar que os dons são uma ferramenta para servir


uns aos outros na igreja. Os dons são meios para chegar num
determinado fim. O que tem acontecido, e o que estava
acontecendo em Corinto, é que os dons estavam se tornando o
fim, ou seja, possuir o dom e exercer o dom estava sendo
assemelhado a espiritualidade. Ser uma pessoa espiritual e uma
igreja espiritual é o nosso propósito (fim) e os dons (meio) vão
nos equipar para chegar lá! Espero que este breve curso sobre
dons nos ajude como igreja a crescermos na graça e no
conhecimento do nosso Senhor Jesus Cristo através de serviços
prestados uns aos outros.