Sei sulla pagina 1di 8

RESPOSTAS DO QUESTIÓNÁRIO

FORÇA DE ATRITO

Parte I

8.5.2 –

Dados do Bloco 1

Peso (N) Massa calculada(kg)


Dinamômetro 3,425 0,3495 Peso médio (N) 3,391
Desvio médio 0,034
Massa (kg) Peso calculado (N) Peso (N) 3,391 ± 0,034
Balança 0,3425 3,357
Considerando g ≈ 9,8 m/s²
8.5.4 -
Força de atrito estático (face maior de madeira)
Valor máximo
0,755 0,850 0,802 0,650 0,690 0,749 0,064
da força (N)
Medidas 1 2 3 4 5 Média (N) Desvio médio (N)

Força de atrito estático (N) 0,749 ± 0,064

8.5.5 – O bloco de madeira se movimentou ao aplicar uma força média de 0,749 N?

Não, o bloco apenas entrou em iminência de movimento ao aplicar uma força média de 0,749 N.

8.5.6 – Pode-se perceber que existiu duas forças que atuaram no bloco para colocá-lo em iminência
do movimento: a força F que foi necessária para tirá-lo do repouso e a força de atrito que se opôs ao
sentido do movimento, logo como o bloco permaneceu parado, essa força de atrito será estática.

F= Fate
Fate= 0,749 N

8.5.7 – Notou-se que ao aplicar forças menores, o bloco não se moveu, isso se deu devido a força de
atrito estático exercido pela superfície de contato onde ele estava localizado. Logo, a força de atrito
será a mesma das forças aplicadas (0,749N). Vale ressaltar que se aumentássemos as forças sobre o
bloco, a força de atrito estático também aumentaria até um dado valor crítico, correspondente ao
valor máximo de forças de atrito estático que a superfície poderia exercer.

8.5.8 – O bloco na superfície horizontal estava submetido a ação da força de peso (P) para baixo e
de uma força contrária para cima (N), força normal, como o sistema encontrava-se em equilíbrio N
= P, logo o valor da força normal será (3,391 ± 0,034) N.

𝐹𝑎𝑡 0,749𝑁
8.5.9 – = 𝜇𝑒𝑚 𝜇𝑒𝑚 = 3,391𝑁 𝜇𝑒𝑚 = 0,221
𝑁
2 2
1 −𝐹𝑎𝑡
𝛥𝜇𝑒𝑚 = √( ) ⋅ 𝛥𝐹𝑎𝑡 + ( ) ⋅ 𝛥𝑁
𝑁 𝑁2

1 2 −0,749 2

𝛥𝜇𝑒𝑚 = ( ) ⋅ 0,064 + ( ) ⋅ 0,034
3,391 3,3912

𝛥𝜇𝑒𝑚 ≈ 0,022
𝜇𝑒𝑚 = 0,221 ± 0,022
Parte II
8.5.11 –

Força de atrito estático (face menor de madeira)


Valor máximo
0,630 0,650 0,702 0,620 0,600 0,640 0,028
da força (N)
Medidas 1 2 3 4 5 Média (N) Desvio médio (N)

Força de atrito estático (N) 0,640 ± 0,028

8.5.12- O bloco de madeira se movimentou ao aplicar uma força média de 0,640 N?

O bloco não se movimentou, ele entrou em iminência de movimento quando aplicamos uma força
de 0,640N.
8.5.13 – Assim como no experimento anterior a força que se opõe ao movimento é a Fate e o
sistema está em equilíbrio, logo:
F = Fate
Fate= 0,640 N

8.5.14 – As forças menores não moveram o bloco, já que a superfície horizontal abaixo dele exercia
uma força igual e contrária (força de atrito estático), então a força de atrito equivale ao mesmo valor
das forças aplicadas.

8.5.15 – A força de atrito estático será maior ao aumentar a área de contato.

8.5.16 – O sistema encontra-se em equilíbrio N = P, Logo, a força normal será (3,391 ± 0,034) N.

𝐹𝑎𝑡 0,640𝑁
8.5.17 – = 𝜇𝑒𝑚 𝜇𝑒𝑚 = 3,391𝑁 𝜇𝑒𝑚 = 0,189
𝑁
2 2
1 −𝐹𝑎𝑡
𝛥𝜇𝑒𝑚 = √( ) ⋅ 𝛥𝐹𝑎𝑡 + ( ) ⋅ 𝛥𝑁
𝑁 𝑁2

1 2 −0,640 2

𝛥𝜇𝑒𝑚 = ( ) ⋅ 0,028 + ( ) ⋅ 0,034
3,391 3,3912

𝛥𝜇𝑒𝑚 ≈ 0,050
𝜇𝑒𝑚 = 0,189 ± 0,050
8.5.18 – Pode-se observar que será dentro do limite de incerteza máxima admitida (5%)

Madeira Coeficiente estático (𝝁𝐞) Erro relativo (%)


Parte I 0,221
Parte II 0,189 3,2%

Parte III
8.5.20 –

Dados do Bloco 2

Peso (N) Massa calculada (kg)


Dinamômetro 1,901 0,1925 Peso médio (N) 1,894
Desvio médio 0,007
Massa (kg) Peso calculado (N) Peso (N) 1,894 ± 0,007
Balança 0,1925 1,887
Considerando g ≈ 9,8 m/s²

8.5.21 –
Força de atrito estático (bloco 2 sobre o bloco 1)
Valor máximo
1,460 1,320 1,555 1,650 1,503 1,498 0,086
da força (N)
Medidas 1 2 3 4 5 Média (N) Desvio médio (N)

Força de atrito estático (N) 1,498 ± 0,086

8.5.22 – F = Fate = 1,498 N


8.5.23 – A força de atrito estática aumentará, em razão da força normal aumentar por conta do
aumento do peso (soma dos pesos dos blocos) já que o sistema está em equilíbrio.

8.5.24 – A relação entre a força de atrito estático e a força normal de reação é linear, pois sua razão
𝐹𝑎𝑡
se obtém uma constante de acordo com a fórmula = 𝜇.
𝑁

8.5.25 – Já foram medidos.


8.5.26 – Nesse caso o valor da normal terá o seu módulo igual ao peso do conjunto de blocos.
Usando o pelo do Bloco 1 e 2 teremos o valor das forças normal do conjunto, que corresponderá a
soma dos pesos dos blocos.

N = P1(bloco 1) + P2(bloco 2) = (𝑃¯1 + 𝑃¯2) ± √(𝛥𝑃¯ 1)2 + (𝛥𝑃¯2)2

N = (3,391 + 1,894) ± √(0,034)2 + (0,007)2

N = (5,285 ± 0,035) N

𝐹𝑎𝑡 1,498𝑁
8.5.27 – = 𝜇𝑒𝑚 𝜇𝑒𝑚 = 5,285𝑁 𝜇𝑒𝑚 = 0,283
𝑁

2
1 2 −𝐹𝑎𝑡

𝛥𝜇𝑒𝑚 = ( ) ⋅ 𝛥𝐹𝑎𝑡 + ( 2 ) ⋅ 𝛥𝑁
𝑁 𝑁

1 2 −1,498 2

𝛥𝜇𝑒𝑚 = ( ) ⋅ 0,086 + ( ) ⋅ 0,035
5,285 5,2852

𝛥𝜇𝑒𝑚 ≈ 0,056
𝜇𝑒 = 0,283 ± 0,056
Parte IV

8.5.28 – P = (3,391 ± 0,034) N

8.5.30 –
Força de atrito estático (face de borracha)
Valor máximo
1,200 0,804 0,755 0,953 1,020 0,946 0,134
da força (N)
Medidas 1 2 3 4 5 Média (N) Desvio médio (N)

Força de atrito estático (N) 0,946 ± 0,134


8.5.31 – O bloco com a face de borracha voltada para baixo se movimentou ao aplicar uma força
média de 0,946 N?
Ao aplicar uma força média de 0,946 N, o bloco não se movimentou, ele entrou em iminência de
movimento.

8.5.32 – Considerando que o sistema se encontrava em equilíbrio, logo F = Fate = 0,946 N.

8.5.33 – A força normal de baixo para cima se opõe a força de cima para baixo, exercida pela
gravidade sobre o bloco. Como o sistema está em equilíbrio N = P, logo N = (3,391 ± 0,034) N.

𝐹𝑎𝑡 0,946𝑁
8.5.34 – = 𝜇𝑒𝐵 𝜇𝑒𝐵 = 3,391𝑁 𝜇𝑒𝐵 = 0,279
𝑁

2 2
1 −𝐹𝑎𝑡
𝛥𝜇𝑒𝐵 = √( ) ⋅ 𝛥𝐹𝑎𝑡 + ( 2 ) ⋅ 𝛥𝑁
𝑁 𝑁

1 2 −0,946 2
𝛥𝜇𝑒𝐵 = √( ) ⋅ 0,134 + ( ) ⋅ 0,034
3,391 3,3912

𝛥𝜇𝑒𝐵 ≈ 0,109
𝜇𝑒𝐵 = 0,279 ± 0,109
8.5.35 – Sim, quando os corpos apresentam rugosidade na superfície ou até mesmo apresentam
superfícies lisas eles recebem uma grande influência na força de atrito, e isso dificulta o
deslocamento dos corpos sobre a superfície.
O coeficiente de atrito estático depende da natureza da superfície de contato, já que eles apresentam
um grau de rugosidade existente entre as superfícies de contato. Quando paramos para comparar o
coeficiente de atrito da Parte I (Face de madeira) (µe = 0,221), com a da Parte IV (Face de
borracha) (µe = 0,279), constatamos que a face de madeira apresenta uma superfície menos rugosa
que a de borracha, sendo, portanto, o valor esperado, já que esperava-se que o valor do primeiro
fosse menor.

Parte V

8.5.37 –
Força de atrito cinético (face maior de madeira)
Valor da força em MRU (N) 0,770 0,720 0,660 0,700 0,630 0,696 0,041

Medidas 1 2 3 4 5 Média (N) Desvio médio (N)

Força de atrito cinético (N) 0,696 ± 0,041

8.5.38 – MRU é uma situação de equilíbrio, logo a força de atrito cinética média será igual a força
média que foi aplicada ao bloco para mantê-lo em movimento.
Fate = 0,696 N

8.5.39 – N = (3,391 ± 0,034) N

¯
𝐹𝑎𝑡 0,696𝑁
8.5.40 – = 𝜇¯𝑐 𝜇¯𝑐 = 3,391𝑁 𝜇¯𝑐 = 0,205
𝑁¯

2 2
1 −𝐹𝑎𝑡
𝛥𝜇𝑐 = √( ) ⋅ 𝛥𝐹𝑎𝑡 + ( 2 ) ⋅ 𝛥𝑁
𝑁 𝑁

1 2 −0,696 2
𝛥𝜇𝑐 = √( ) ⋅ 0,041 + ( ) ⋅ 0,034
3,391 3,3912

𝛥𝜇𝑐 ≈ 0,061
𝜇𝑐 = 0,205 ± 0,061
8.5.41 – A força de atrito estática é uma força que atua sobre um bloco em repouso e impossibilita
que o movimento inicie, e a força de atrito cinética é uma força que surge em oposição ao
movimento do bloco que está se movendo. Espera-se que µc < µe, pois o atrito é mais intenso
quando o bloco está em repouso devido as maiores interações das partículas do bloco com o solo e
isso pode ser comprovado comparando o experimento Parte I e Parte IV.
µc < µe
0,205 < 0,221

Parte VI

8.5.42 – P = (3,391 ± 0,034) N

8.5.45 –
Decompondo P temos:
Px = Psen ϴ
Py = Pcos ϴ

Segundo a Primeira Lei de Newton, a força normal deve ter módulo igual a |Py|, logo: |N| = |Py|.
Quando um corpo está na iminência do movimento ou em MRU, tem-se:
|Px| = |Fat|
Fat = µ.N

𝐹𝑎𝑡 |𝐹⃑𝑎𝑡 | ⃑⃑⃑⃑⃑⃑


|𝑃 𝑥| P.sen𝜃
𝜇= , → 𝜇 = ⃑⃑ = ⃑⃑⃑⃑⃑⃑ → 𝜇 = = tg𝜃
𝑁 |𝑁| |𝑃𝑦 | P.cos𝜃

Ângulo da iminência do movimento do bloco 1 (face de madeira) num plano inclinado


Ângulo (°) 15,5 15,0 13,0 14,3 15,4 14,6 0,8

Medidas 1 2 3 4 5 Média (°) Desvio médio (°)

Ângulo (°) 14,6 ± 0,8


Face de madeira:

μe = tg α = tg 14,6 = 0,260 μem= 0,221 ± 0,022

Face de borracha:
Ângulo da iminência do movimento do bloco 1 (face de borracha) num plano inclinado
Ângulo (°) 18,0 20,0 16,0 15,0 17,0 17,2 1,4

Medidas 1 2 3 4 5 Média (°) Desvio médio (°)

Ângulo (°) 17,2 ± 1,4

μe = tg α = tg 17,2 = 0,309 μeB= 0,279 ± 0,109


8.46

Madeira Coeficiente estático (𝝁𝐞) Erro relativo (%)


Parte I 0,221
Parte VI 0,260 3,9%

Borracha Coeficiente estático (𝝁𝐞) Erro relativo (%)


Parte IV 0,279
Parte VI 0,309 3,0%

O eixo relativo entre a face de madeira e de borracha está dentro do limite de incerteza máxima
admitida (5%), logo os valores são iguais.