Sei sulla pagina 1di 1

�O amor � saber que existe uma parte de n�s que deixou de nos pertencer.


Jos� Lu�s Peixoto

A verdade sobre o amor � que ele faz o que quer com a gente.

Nos deixamos levar pela m�o, nos deixamos ser pegos pelo umbigo, empurrados,
levados como que numa enxurrada ou corrente marinha, um vai & vem de loucuras,
sentimentos, dores, culpas, planos, caminhos, perdas, ganhos, encontros &
desencontros, passados que j� n�o existem mais.

Nos deixamos levar, sim, como que hipnotizados pela beleza que ele deixa
transparecer, pelas vontades insaci�veis que sentimos quando amamos, pelo excesso.
Amar nos torna t�o excessivos como um porre hom�rico, como uma obsess�o,
transtornos psicol�gicos, o consumo exacerbado de qualquer subst�ncia altamente
viciante.

Quando amamos, nos tornamos junkies: transubstanciamos, criamos espa�os pra que o
amor caiba, cedemos gavetas & um lado espec�fico da cama, e n�o por acaso seguimos
o estilo de vida determinado pelo amor. Colocamos o amor em primeiro plano, e n�o
poderia ser diferente: basta um trago desse sentimento e voc� est� fadado a sofrer
miseravelmente pro resto de sua vida - e de todos os poss�veis tipos de amor.

Uma outra verdade sobre o amor � que ele n�o s� pode como nos leva � loucura mais
incur�vel.

O amor tem cor de sangue, forma l�quida, cheiros & gostos que variam
incansavelmente.

H� os amores expressos, feito socos no est�mago: t�o r�pido quanto chegou, se vai
embora, deixando uma dorzinha inc�moda durante dias.

H� os amores imediatos, que sentimos sem saber exatamente o porqu�: quando vemos, a
coisa j� est� fervilhando dentro da gente, e n�o h� nada a ser feito.

H� os amores contidos, plat�nicos, calados, fadados a nos matar com a boca cheia de
sil�ncio.

H� tamb�m os velhos amores, que carregam tons de fotografias antigas, mem�rias


olfativas & sorrisos nost�lgicos.

Os principais sintomas do amor s�o: saudades, pontadas no cora��o (cuja intensidade


varia de acordo com a urg�ncia), medo, vergonha, desespero, sensa��es estranhas no
est�mago, sudorese, aumento dos batimentos card�acos, buscas incessantes, leve
depress�o, quedas, recome�os, instabilidades emocionais, suscetibilidade, sede &
fome, sensa��o de quase morte, falta de ar, ins�nia, adolesc�ncia.

E, no entanto, al�m de todos os pormenores & apesar de todos os sintomas vis�veis


pra quem quiser ver, o amor � inconfess�vel.