Sei sulla pagina 1di 16

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE – Faculdade de Engenharia

Transmissão de calor


Aula prática Nº 8

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 1


Aula Prática-8
❑ Factor de Forma
❑ Radiosidade

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 2


Problema -22.1(I)
(2)
Pretende-se determine dois
a) (1)
factores de forma
D  
associados a três condutas
longas de geometrias
diferentes, apresentadas na
(3)                  (2)
figura. b) (1)
           a

L2  =  a

L3  =  b                                                                                          L4  =  b  
c)
!
                                   L5                                                            L6  

L1  =  a

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 3


Problema -22.1 (Resolução I)
.

Assume-se:
As Superfície são emissores difusos
(2)
a) Superfície (1) é plana portanto, F11 = 0
(1)

D  
Regra de somatório:
F11 + F12 = 1 → F12 = 1

Da regra de reciprocidade:
A1 Ds 2
A 1 F12 = A2 F21 '
'→ F21 = F12 = (1) = = 0.64
A2 & πD # π
$ ! s
% 2 "

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 4


Problema -22.1 (Resolução II)
.

b) Note que a superfície 2 e 3 são simétricas, portanto:


F12 = F13 , e da regra de somatório
(3)                  (2)
F11 + F12 + F13 = 1 !!→ 0 + F12 + F13 = 1 !!→ F12 = 0.5
(1)
           a

c) Do método de diagonais cruzadas: L2  =  a

( L5 + L6 ) − ( L3 + L4 )
F12 = F21 = L3  =  b                                                                                          L4  =  b  
2 L1
!
2 a 2 + b 2 − 2b a 2 + b2 − b                                    L5                                                            L6  
= =
2a a L1  =  a

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 5


Problema -22.2 (I)

As superfícies de um forno
cilíndrico de 1,8 m de raio, são
mantidas a temperatura uniforme.
Considerando as superfícies,
corpos negros e de acordo com os
dados da figura, determine a taxa
de radiação emitida a partir da
base para as outras superfícies. O
factor de forma entre a base e a
superfície lateral é de 0,45.

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 6


Problema -22.2 (Resolução I)
Assume-se:
1.Condições de regime estacionário;
2.As superfícies são corpos negros;
3.Despreza-se a troca de calor por convecção.
Propriedades: a emissividade de todas as superfícies é ε = 1.
Considera-se o forno um corpo fechado. Sendo todas as
superfícies negras, a radiosidade é igual ao poder emissivo das
superfícies e a taxa de radiação pode ser determinada por:

Q! = A2 F21σ (T2 − T1 ) + A2 F23σ (T2 − T3 )


4 4 4 4

A2 = πr 2 = π (1,8m) 2 = 10,2 m 2

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 7


Problema -22.2 (Resolução II)
Sendo o cilindro um invólucro.
F22 + F21 + F23 = 1
F22 = 0 → F21 = 1 − 0,45 = 0,55

E a taxa de radiação emitida será:


Q! = A2 F21σ (T2 − T1 ) + A2 F23σ (T2 − T3 )
4 4 4 4

Q! = (10,2 m 2 )(5,67 × 10 -8 W/m 2 .K 4 ) 0,55(1000 4 K - 600 4 K) + 0,45(1000 4 K − 700 4 K )


[ ]
.
Q = 57,834 x10 −8 (0,55 x870,4 x10 8 − 0,45 x759,9 x10 8 )
.
Q = 57,834(478,72 − 341,96) = 7909,37 W

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 8


Problema -22.3 (I)

Duas superfícies rectangulares e


perpendiculares com uma aresta T2  =  550  K  
comum, são mantidas a uma W  =  1.6  m
(3)
ε2  =  1
temperatura especificada. T3  =  290  K  
Pretende-se determinar a taxa de L2  =  1.2  m A2 (2)
ε3  =  0.85
radiação entre as duas superfícies A1          (1)
 L1  =  0.8  m
e a taxa de radiação que
T1  =400  K  
superfície horizontal emite para
o ambiente. ε1  =0.75

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 9


Problema -22.3 (Resolução I)
Assume-se:
1.Condições de regime estacionário;
2.As superfícies são opacas, difusas e cinzas;
3.Despreza-se a troca de calor por convecção.

As emissividades da superfície horizontal e do ambiente são


ε1 = 0.75 e ε3 = 0.85 respectivamente. Consideremos que o
sistema é composto por três superfícies anexas.

L1 0.8 $
O factor de forma da superfície 1 =
W 1.6
= 0.5 !
!
# F12 = 0.27
para 2 determina-se de. L2 1.2
= = 0.75!
!"
W 1.6

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 10


Problema -22.3 (Resolução II)
As áreas determinam-se de:
A1 = (0.8 m )(1.6 m ) = 1.28 m 2
A2 = (1.2 m )(1.6 m ) = 1.92 m 2

A área do ambiente determina-se assumindo que este tem


a forma de superfícies planas anexas às superfícies 1 e 2.
1.2 × 0.8
A3 = 2 × + 0.82 + 1.22 × 1.6 = 3.268 m 2
2
Da regra de reciprocidade:
A1F12 = A2 F21 !
!→(1.28)(0.27) = (1.92) F21 !
!→ F21 = 0.18

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 11


Problema -22.3 (Resolução III)
Da regra de somatório:
F11 + F12 + F13 = 1 !
!→ 0 + 0.27 + F13 = 1 !
!→ F13 = 0.73

F21 + F22 + F23 = 1 !


!→ 0.18 + 0 + F23 = 1 !
!→ F23 = 0.82

Da regra de reciprocidade:
A1 F13 = A3 F31 !
!→(1.28)(0.73) = (3.268) F31 !
!→ F31 = 0.29

A2 F23 = A3F32 !
!→(1.92)(0.82) = (3.268) F32 !
!→ F32 = 0.48

A radiosidade de cada superfície determina-se de:


1 − ε1
σ T14 = J1 + [F12 ( J1 − J 2 ) + F13 ( J1 − J 3 )]
ε1

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 12


Problema -22.3 (Resolução IV)
Superfície 1.
1− ε1
σT1 4 = J 1 + [F12 ( J 1 − J 2 ) + F13 ( J 1 − J 3 )]
ε1
1 − 0.75
(5.67 × 10 −8 W/m 2 .K 4 )(400 K ) 4 = J 1 + [0.27( J 1 − J 2 ) + 0.73( J 1 − J 3 )]
0.75
Superfície 2.

"→(5.67 × 10 −8 W/m 2 .K 4 )(550 K ) 4 = J 2


σT2 4 = J 2 "

Superfície 3.
4 1− ε 3
σT3 = J 3 + [F31 ( J 3 − J 1 ) + F32 ( J 3 − J 2 )]
ε3
1 − 0.85
(5.67 × 10 −8 W/m 2 .K 4 )(290 K ) 4 = J 3 + [0.29( J 1 − J 2 ) + 0.48( J 1 − J 3 )]
0.85

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 13


Problema -22.2 – Resolução (V)
Calculando o sistema de equações resulta:
J 1 = 1587 W/m 2 , J 2 = 5188 W/m 2 , J 3 = 811.5 W/m 2

E a taxa de radiação emitida da superfície 1 para 2 será:


Q! 21 = −Q! 12 = − A1 F12 ( J 1 − J 2 ) = −(1.28 m 2 )(0.27)(1587 − 5188)W/m 2 = 1245 W

E da superfície 1 para o ambiente:


Q! 13 = A1 F13 ( J 1 − J 3 ) = (1.28 m 2 )(0.73)(1587 − 811.5)W/m 2 = 725 W

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 14


Trabalho Para Casa 07 (I)
São colocadas chapas finas idênticas de alumínio, com emissividade 0,1
em ambos os lados, entre duas grandes placas paralelas, que são
mantidas a temperatura uniforme de T1 = 1000ºC e T2 = 200 ºC e têm

a emissividade de ε1= ε2 = 0,2. Investigue os efeitos do número de

folhas de alumínio e da emissividade das placas na taxa líquida de


transferência de calor por radiação entre as duas placas, fazendo o
número de folhas de alumínio variar de 1 a 15 e a emissividade das
placas de 0,2 a 1,6 com o passo de 0,1.

Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu 15


Trabalho Para Casa 07 (II)
T1  =1000  °C  

ε1  =  0.2
Trace o gráfico da variação da taxa de
transferência de calor por radiação, em
função da quantidade de folhas de
alumínio e da emissividade das placas
T2  =  200  °C   Chapas  de  
para o número fixo de 5 folhas de
Aluminio  
ε2  =  0.2
alumínio. Comente os resultados. ε3  =  0.1

Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu 16