Sei sulla pagina 1di 23

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE – Faculdade de Engenharia

Transmissão de calor


3º Ano

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 1


Aula Prática 4
❑ Regime transiente

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 2


Problema -10.1
Placas de latão de 20 mm de espessura
são aquecidas durante 15 minutos num
forno onde o coeficiente de troca de Forno

calor por convecção é de 75 W/m2.°C. 800°C

Determine a temperatura da superfície


das placas ao sair do forno, sabendo que
as propriedades das placas à temperatura Placas

do forno são k = 98 W/m.°C, α = 30°C

32×10-6 m2/s. Utilize, se possível, os 3


métodos estudados para a solução deste
problema.

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 3


Problema -10.1 (Resolução I)

Assume-se:
1.Condução de calor na placa é unidimensional uma vez que a
placa é grande em relação à sua espessura e não há simetria
térmica em relação ao plano central;
2.As propriedades térmicas da placa são constantes;
3.O coeficiente de transferência de calor é constante e uniforme
em toda a superfície;
4.Se o número de Fourier é τ> 0,2 uma solução aproximada pode
se obtida usando as cartas de temperatura transiente.

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 4


Problema -10.1 (Resolução II)
O número de Biot determina-se de:
hL (75 W/m 2 .°C)(0, 02 m)
Bi = = = 0, 015
k (98 W/m.°C)

As constantes λ1 e Α1 correspondentes ao número de Biot são


retiradas da tabela abaixo.

λ1 = 0,1204 e A1 = 1, 002

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 5


Problema -10.1 (Resolução II)

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 6


Problema -10.1 (Resolução III)
O número de Fourier será:
α t (32 ×10−6 m 2 /s)(15 min × 60 s/min)
τ= 2 = 2
= 72 > 0, 2
L (0, 02 m)

Portanto, a curto prazo uma solução aproximada (ou as cartas


de temperatura transiente) é aplicável. Em seguida, a
temperatura na superfície das placas, torna-se:

T ( x, t ) − T∞ 2 2
θ ( L, t ) wall = = A1e − λ1 τ cos(λ1 L / L) = (1, 002)e − (0,1204) (72) cos(0,1204) = 0,349
Ti − T∞
T ( L, t ) − 800
= 0,349 &&
→ T ( L, t ) = 530,55 °C
30 − 800

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 7


Problema -10.1 (Resolução IV)
Este problema pode ser resolvido facilmente utilizando o
sistema de análise concentrada visto que Bi <0,1.
k k 98 W/m ⋅°C 6 3
α= → ρC p = = -6 2
= 3, 06 × 10 W ⋅ s/m ⋅°C
ρC p α 32 ×10 m / s
hA hA h 75 W/m 2 ⋅°C -1
b= = = = = 0, 0012 s
ρVC p ρ ( LA)C p L ρ C p (0, 02 m)(3, 06 ×106 W ⋅ s/m3 ⋅°C)
T (t ) − T∞
= e − bt
Ti − T∞
− bt − (0,0012 s-1 )(900 s)
T (t ) = T∞ + (Ti − T∞ )e = 800°C + (30-800°C)e = 538,97 °C

Portanto, os resultados são aproximados.

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 8


Problema -10.1 (Resolução V)

O problema pode também ser reolvido usando as cartas de


Heisler.

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 9


Problema -10.1 (Resolução VI)
O inverso do número de Biot é:
1 1
= = 66, 67
Bi 0, 015

e número de Fourier
α t (32 ×10−6 m 2 /s)(15 min × 60 s/min)
τ= 2 = 2
= 72 > 0, 2
L (0, 02 m)
Das cartas resulta que:
T ( x, t ) − T∞
θ ( L, t ) wall = = 0,33
Ti − T∞
T ( L, t ) − 800
= 0,33 $$
→ T ( L, t ) = 545,9 °C
30 − 800

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 10


Problema -10.2 (I)
Um veio cilíndrico de aço de raio 20 cm inicialmente a
temperatura de 500ºC, é colocado num ambiente onde a
temperatura do ar é de 100 ºC para que possa arrefecer
lentamente. As propriedades do aço à temperatura dada do
ambiente são: k = 16 W/m·°C, ρ = 7900 kg/m3, Cp = 477 J/
kg·°C, α = 4×10-6 m2/s. Determine a temperatura no centro do
veio passados 30 minutos e a taxa de transferência de calor por
unidade de comprimento do veio, sabendo que o coeficiente de
troca de calor por convecção é de 60 W/m2· ºC.
Ar
T∞ = 100°C

Veio de aço
Ti = 500°C

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 11


Problema -10.2 (Resolução I)

Assume-se:
1.Condução de calor unidimensional, visto que o veio é longo e
existe uma simetria térmica relativamente ao eixo.
2.Propriedades térmicas constantes
3.Coeficiente de transferência de calor constante em toda
superfície
4. Se o número de Fourier é τ > 0,2 pode-se utilizar a solução
aproximada usando as cartas Heisler

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 12


Problema -10.2 (Resolução II)
O número de Biot determina-se de:
hro (60 W/m 2 .°C)(0, 2 m)
Bi = = = 0, 75
k (16 W/m.°C)

As constantes λ1 e Α1 correspondentes ao número de Biot são


retiradas da tabela apresentada no problema 8.10
λ1 = 1,118 e A1 = 1,163

O número de Fourier será:


α t (4 ×10−6 m 2 /s)(30 × 60 s)
τ= 2 = 2
= 0,18
L (0, 2m)

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 13


Problema -10.2 (Resolução III)
que é muito próximo ao valor de 0,2. Portanto, uma solução
aproximada usando as cartas de temperatura transiente pode ser
considerada, com o entendimento de que o erro envolvido será
um pouco mais de 2 por cento. Em seguida, a temperatura no
centro do veio torna-se:
T0 − T∞ − λ12τ − (1,118)2 (0,18)
θ 0,cyl = = A1e = (1,163)e = 0,928
Ti − T∞
T0 − 100
= 0,928 &&
→ T0 = 471,5 °C
500 − 100

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 14


Problema -10.2 (Resolução IV)
O máximo de calor que pode ser transferido a partir do cilindro
por unidade de comprimento será:
m = ρV = ρπ ro 2 L = (7900 kg/m3 )[π (0, 2 m) 2 (1 m)] = 316 kg
Qmax = mC p [T∞ − Ti ] = (316 kg)(0, 477 kJ/kg.°C)(500 − 100)°C = 60.292,8 kJ

Uma vez que a constante J1= 0,4758 é determinado a partir do


Quadro abaixo correspondente ao constante λ1=1,118, a
transferência de calor torna-se real.

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 15


Problema -10.2 (Resolução V)

# Q $ # T0 − T∞ $ J1 (λ1 ) # 471,5 − 100 $ 0, 4758


& ' = 1− 2& ' = 1− 2& ' = 0, 209
Q
( max )cyl T − T
( i ∞) 1 λ ( 500 − 100 ) 1,118

Q = 0, 209(60.292,8kJ) = 12630, 28 kJ

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 16


Problema -10.3 (I)

Uma maçã de 10 cm de diâmetro é


conservada numa geleira durante uma
Ar
hora. Determine a temperatura no T∞ = -12°C
centro e na superfície da maçã e a
taxa de transferência de calor da maçã,
sabendo que as propriedades da maçã
são k = 0,450 W/m·° C, ρ = 840 kg/ maçã

m3, Cp = 3,8 kJ/kg·° C, e α = 1,3 × Ti = 20°C

1 0 - 7 m 2 s. O c o e f i c i e n t e d e
transferência de calor por convecção é
de 9 W/m2·° C

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 17


Problema -10.3 (II)

Assume-se
1.A condução de calor na maçã é unidimensional;
2.As propriedades térmicas da maçã são constantes;
3.O coeficiente de transferência de calor é constante e uniforme
em toda a superfície;
4. Se o número de Fourier é τ> 0,2 uma solução aproximada
usando as cartas de temperatura transiente é aplicável.

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 18


Problema -10.3 (Resolução I)
O número de Biot determina-se de:

hro (9 W/m 2 .°C)(0, 05 m)


Bi = = = 1, 0
k (0, 450 W/m.°C)
As constantes λ1 e Α1 correspondentes ao número de Biot são
retiradas da tabela apresentada no problema 8.10
λ1 = 1,5708 e A1 = 1, 2732

O número de fourier determina-se de:


α t (1,3 ×10−7 m 2 /s)(1 h × 3600 s/h)
τ= 2 = 2
= 0,1872
r0 (0, 05 m)

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 19


Problema -10.3 (Resolução II)
A temperatura no centro da maçã será:
T0 − T∞ 2 T − (−12) 2
θ o , sph = → 0
= A1e − λ1 τ && = (1, 2732)e − (1,5708) (0,1872) = 0,802 &&
→ T0 = 13, 66°C
Ti − T∞ 20 − (−12)

E a temperature na superfície da maçã determina-se de:

T (ro , t ) − T∞ − λ12τ sin(λ1ro / ro )


θ (ro , t ) sph = = A1e
Ti − T∞ λ1ro / ro
− (1,5708)2 (0,1872) sin(1,5708 rad)
θ (ro , t ) sph = (1, 2732)e = 0,510
1,5708
T (ro , t ) − (−12)
= 0,510 &&
→ T (ro , t ) = 4,32°C
20 − (−12)

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 20


Problema -10.3 (Resolução III)
A taxa máxima de transferência de calor será:

4 $4 %
m = ρV = ρ π ro 3 = (840 kg/m3 ) & π (0, 05 m)3. ' = 0, 439 kg
3 (3 )
Qmax = mC p (Ti − T∞ ) = (0, 439 kg)(3,8 kJ/kg.°C) [20 − (−12) ]°C = 53, 48 kJ

Portanto, a taxa actual de transferência de calor calcula-se de:

Q sin(λ1 ) − λ1 cos(λ1 )
= 1 − 3θ o , sph
Qmax λ13
Q sin(1,5708 rad) − (1,5708) cos(1,5708 rad)
= 1 − 3(0,802) 3
= 0,379
Qmax (1,5708)
Q = 0,379Qmax = (0,379)(53, 48 kJ) = 20,3 kJ

Prof. Dr. Engº Jorge Nhambiu & Engº Paxis Roque 21


Trabalho Para Casa 04 (I)

Uma bola de aço com C=0,46 kJ/kg ◦C , k= 35 W/m ⁰C, de 5 cm


de diâmetro e inicialmente a temperatura uniforme de 600 ◦C é
subitamente colocada num ambiente controlado, onde a
temperatura é mantida a 120 ⁰C. O coeficiente de transferência
de calor por convecção é 10 W/m2 ⁰C. Calcule o tempo
necessário para que a bola atinja a temperatura de 149 ⁰C.

Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu 22


Trabalho Para Casa 04 (II)
No mesmo gráfico represente a variação da temperatura com o
tempo, com incrementos de tempo de 5 minutos, da bola de 5cm
e de uma do mesmo material sob as mesmas condições, mas com
o dobro do diâmetro, até a bola de 5 cm de diâmetro atingir a
temperatura de 149 ⁰C.
Comente os resultados.
Enviar até as 5 horas de quarta-feira dia 29 de Março com o
“subject”: TPCT04

Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu 23