Sei sulla pagina 1di 12

Engenharia Clínica e

Engenharia Biomédica

Rio de Janeiro - RJ
1. Sumário

1. O Inatel...................................................................................................................................................3
1.1 Infraestrutura..............................................................................................................................3
1.2 ICC..............................................................................................................................................4
1.3 Prêmios.......................................................................................................................................4
2. Sobre o curso........................................................................................................................................5
2.1 Objetivo.......................................................................................................................................5
2.1.1 Objetivos específicos.....................................................................................................5
2.2 Público-Alvo................................................................................................................................5
2.3 Coordenação..............................................................................................................................6
2.4 Carga Horária.............................................................................................................................6
2.5 Conteúdo Programático.............................................................................................................6
2.5.1 Relação de Disciplinas por Módulo, Cargas Horárias e Créditos.................................6
2.6 Ementas......................................................................................................................................8
2.7 Corpo Docente.........................................................................................................................10
2.8 Controle de Frequência............................................................................................................10
2.9 Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)..................................................................................10
2.10 Certificação.............................................................................................................................11
2.11 Local e Horário.......................................................................................................................11
2.12 Tabela de Preços....................................................................................................................11
2.13 Inscrição.................................................................................................................................11

www.inatel.br/pos
1. O Inatel
Há mais de 50 anos, o Instituto Nacional de Te- Nossa Incubadora de Empresas já graduou mais
lecomunicações (Inatel) é um centro de excelência de 60 startups em Minas Gerais. O espaço prepara até
em Ensino, Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação de 20 projetos de alunos e ex-alunos simultaneamente.
tecnologias globais. Com forte presença em empre- Oferecemos todo o suporte a abertura de empresas.
endedorismo, projetos sociais e culturais, formamos Estamos entre os principais centros mundiais
profissionais com alto índice de empregabilidade no de pesquisa sobre a viabilidade do novo padrão 5G,
Brasil e no exterior. com previsão para 2020.
Quando se fala em pioneirismo, não ficamos Desde 2016, somos unidade da Empresa Brasileira
para trás: em parceria com a Ericsson e a Telefónica de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). A partir de
Open Future, o primeiro espaço de Crowdworking do então, empresas que desejam desenvolver seu projeto
Brasil está no Inatel. Também somos a primeira insti- em Sistemas de Comunicação Digital e Radiofrequência,
tuição de ensino a lançar o curso superior de Enge- área de atuação do Inatel - podem receber investimen-
nharia de Telecomunicações no Brasil. tos federais para Pesquisa e Desenvolvimento.

1.1 Infraestrutura

O campus do Inatel, em Santa Rita do Sa-


pucaí - MG, oferece estrutura completa para seus
diversos públicos, como alunos e egressos, pes-
O Teatro Inatel está
quisadores e empreendedores. entre os maiores de
Minas Gerais, e recebe
shows de diversos portes.

As instalações do
campus ocupam
75 mil m².

Biblioteca com
extenso acervo
físico e digital,
além de locais de
convivência e espaços
para estudos.

Mais de 40 laboratórios
tecnológicos, entre os
mais modernos do país. Ampla área esportiva.

www.inatel.br/pos
1.2 ICC

A faculdade ainda possui um centro de compe- • Ensaios e calibração de equipamentos


tências, o Inatel Competence Center (ICC), que desen- • Consultoria
volve soluções tecnológicas para o mercado brasileiro • Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação
e internacional. • Educação continuada
• Cursos de Extensão, presenciais e a distância
(EaD): www.inatel.br/pos
• Mestrado em Telecomunicações, no campus:
www.inatel.br/mestrado

1.3 Prêmios

Em menos de cinco anos, fomos reconhecidos


com prêmios nacionais de importantes segmentos:

Prêmio Nacional Prêmio da Sociedade de


Santander Universidades 2015 Engenharia de Televisão (SET)
Guia do Estudante 2013

Prêmio Nacional de Prêmio Nacional


Empreendedorismo Santander Universidades 2013
Inovador 2014 Guia do Estudante

Prêmio Tele.Síntese Prêmio Finep


“Destaques Inovadores” de Inovação
2013 2012

www.inatel.br/pos
Engenharia Clínica e Engenharia Biomédica 5

2. Sobre o curso

2.1 Objetivo

O Curso de Especialização em Engenharia Clíni- • Compreender e controlar sistemas biológicos huma-


ca e Engenharia Biomédica do Inatel tem por objetivo nos e animais;
geral formar profissionais das áreas de Ciências Exatas • Entender e desenvolver a tecnologia presente no
e de Saúde para, através da aplicação de princípios ambiente odonto-médico-hospitalar.
científicos e técnicos dessas áreas:

2.1.1 Objetivos específicos

Como objetivos específicos, o curso de Especia- b) Na área das ciências exatas:


lização propõe-se a formar profissionais capazes de: • Aplicar princípios técnicos e científicos da enge-
nharia, computação, química, ótica, fisiologia,
a) Na área da saúde: entre outras, para controlar sistemas biológicos
• Aplicar nas atividades profissionais as diversas humanos e animais;
tecnologias ligadas à área da saúde; • Produzir e desenvolver equipamentos e produ-
• Participar da definição, do planejamento e tos para diagnóstico e tratamento de pacientes;
da incorporação de tecnologias no ambiente • Participar da definição, do planejamento e
odonto-médico-hospitalar. da incorporação de tecnologias no ambiente
odonto-médico-hospitalar.

2.2 Público-Alvo

O curso de especialização em Engenharia Clíni-


ca e Engenharia Biomédica destinase a engenheiros,
médicos, odontólogos e profissionais das áreas de ci-
ências exatas e da saúde, interessados em se manter
atualizados com o estado da arte do controle de sis-
temas biológicos humanos e animais e do desenvol-
vimento e gerenciamento da tecnologia presente no
ambiente odonto-médico-hospitalar.

www.inatel.br/pos
Engenharia Clínica e Engenharia Biomédica 6

2.3 Coordenação

Prof. André Luis da Rocha Abadde. Titulação: Mestre


Prof. Fabiano Valias de Carvalho. Titulação: Mestre

Fabiano Valias de Carvalho: Possui graduação biomédica, processamento digital de sinais biomédi-
em Engenharia Elétrica Ênfase em Telecomunicações cos - DSP, eletrônica básica, eletrônica digital, sistemas
e Eletrônica pelo Instituto Nacional de Telecomunica- microcontrolados e redes de computadores.
ções - Inatel (1995) e mestrado em Engenharia Elétrica
pela Universidade Federal de Itajubá - Unifei (2002). André Luis da Rocha Abadde: Coordenador do
Atualmente é coordenador do curso de Graduação Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Telecomu-
em Engenharia Biomédica do Inatel. Tem experiência nicações e Gerente da Educação Continuada do Inatel
na área de Eletrônica e Engenharia Biomédica, atuan- Competence Center. Tem experiência na área de Enge-
do principalmente nos seguintes temas: engenharia nharia Elétrica, com ênfase em Comunicações Ópticas.

2.4 Carga Horária

O curso possui uma carga horária total de 392


horas, não computado o tempo para elaboração do
Trabalho de Conclusão do Curso (TCC), desenvolvidas
segundo calendário específico para cada turma.

2.5 Conteúdo Programático

O curso de Pós-Graduação em Engenharia Clíni-


ca e Engenharia Biomédica está organizado em quatro
módulos, sendo dois módulos de Tecnologias e dois mó-
dulos de Aplicação. Ao final dos módulos o aluno deve
desenvolver, em conformidade com o regulamento do
curso, um Trabalho de Conclusão do Curso.

2.5.1 Relação de Disciplinas por Módulo, Cargas Horárias e Créditos

O curso é composto de 09 disciplinas nos mó-


dulos de Tecnologia e 10 disciplinas nos módulos de
Aplicações, cujas ementas são fornecidas na Seção 2,6
deste documento e cujos programas detalhados es-
tão apresentados no Caderno de Disciplinas do curso.

www.inatel.br/pos
Engenharia Clínica e Engenharia Biomédica 7

Módulo Tecnologias – Semestre I


Sigla Disciplina C. H. Créditos
EB102 Introdução à Eletricidade e Eletrônica 1, 2 24 3
EB103 Anatomia e Fisiologia Humana I 1,2 24 3
EB105 Tecnologias em Equipamentos Médico-Hospitalares I 24 3
EB109 Interação da Radiação Ionizante e da Radiação Não Ionizante com o Tecido Biológico 24 3
EB113 Engenharia Clínica I 24 3
Totais do Módulo 96 / 723
4
12 /9

Módulo Tecnologias – Semestre II


Sigla Disciplina C. H. Créditos
EB106 Tecnologias em Equipamentos Médico-Hospitalares II 24 3
EB114 Engenharia Clínica II 24 3
EB115 Processo de Avaliação e de Certificação da Qualidade dos Serviços de Saúde 24 3
EB119 Biomateriais 24 3
EB121 Metodologia Científica3 08 1
Totais do Módulo 96 / 1043
4
12 / 13

1 As disciplinas EB102 e EB103 serão ministradas em paralelo e os créditos não se somam.


2 Disciplina oferecida somente às turmas que iniciam o curso pelo módulo Tecnologias.
3 Para as turmas que iniciam o curso pelo Módulo Aplicações.
4 Para as turmas que iniciam o curso pelo Módulo Tecnologias.

Módulo Aplicações – Semestre I


Sigla Disciplina C. H. Créditos
EB102 Introdução à Eletricidade e Eletrônica 5,6
24 3
EB103 Anatomia e Fisiologia Humana I 5,6 24 3
EB107 Tecnologias em Equipamentos de Imagem 24 3
EB108 Tecnologias em Imagens Médicas 16 2
EB110 Normas regulamentadoras 16 2
EB123 Metrologia Médica 24 3
Normas de Segurança e desempenho aplicadas a equipamentos médicos e
EB116 16 2
odontológicos
Totais do Módulo 967 / 1208 11 / 14

Módulo Aplicações – Semestre II


Sigla Disciplina C. H. Créditos
Regulamentação para Fabricação de Equipamentos em Conformidade com os
EB117 16 2
Organismos de Regulamentação Nacionais
EB118 Processamento Digital de Sinais Biomédicos 24 3
EB120 Bioestatística 24 3
EB122 Automação e Instrumentação Hospitalar 32 4
EB121 Metodologia Científica7 08 1
Totais do Módulo 967 / 1048 12 / 13

5 As disciplinas EB102 e EB103 serão ministradas em paralelo e os créditos não se somam.


6 Disciplina oferecida somente às turmas que iniciam o curso pelo módulo Aplicações.
7 Para as turmas que iniciam o curso pelo Módulo Tecnologias.
8 Para as turmas que iniciam o curso pelo Módulo Aplicações.

www.inatel.br/pos
Engenharia Clínica e Engenharia Biomédica 8

2.6 Ementas

Módulo Tecnologias – Semestre I Módulo Tecnologias – Semestre II

EB102 – Princípios de Eletrônica e Eletricidade EB106 - Tecnologias em Equipamentos Médico-


Revisão sobre números fracionários, exponencial e lo- Hospitalares II
garitmos; Utilização de calculadora científica; Frequ- Equipamento de hemodiálise e osmose reversa; Má-
ência, período e comprimento de onda. Conceitos de quinas de anestesia; Ventiladores pulmonares; Auto-
tensão, corrente e resistência. Lei de Ohm. Associação clave; Equipamentos de laboratório de análises clíni-
de resistores. Condutor, semicondutor e supercondu- cas; Seminário sobre equipamentos.
tor. Diodo semicondutor. Transistores, transistor
funcionando como chave. EB114 - Engenharia Clínica II
Ferramentas da qualidade; Infraestrutura e custos da
EB103 - Anatomia e Fisiologia Humana manutenção; Rotinas de manutenção; Critérios de ma-
Fisiologia celular e de membranas. Fisiologia cardior- nutenção preventiva; Especificação de equipamentos
respiratória. Fisiologia do sistema digestivo. Fisiologia médicos; Metodologia para aquisição de equipamen-
do sistema renal e controle do meio interno. Sistema tos médicos; Licitações; Contratos de manutenção;
nervoso autônomo. Sistema endócrino. Sistema mús- Elaboração de laudos técnico-científicos.
culo-esquelético. Sistema neurológico.
EB115 - Processo de Avaliação e de Certificação da
EB105 - Tecnologias em Equipamentos Médico- Qualidade dos Serviços de Saúde
Hospitalares I Visão geral do Manual ONA. Temas críticos para im-
Eletrocardiógrafo e Monitores Cardíacos; Oximetria plementação e avaliação do Manual ONA. (Sistema de
de pulso; Capnografia; Cardioversores e Desfibrilado- medição de Desempenho, Mapas de Processo, con-
res (Inclui manuais, semi-automáticos e automáticos e ceitos e métodos, Gerenciamento e Controle de Ris-
DEA de uso externo); Bisturi Elétrico e Eletrocautério; cos, Seleção, Avaliação e reavaliação de Fornecedores,
Incubadoras e Berços Aquecidos; Equipamento de fo- NBR ISO 10.015 – Diretrizes para treinamento).
toterapia; Bomba de infusão.
EB116 - Normas de Segurança e Desempenho Apli-
EB109 - Interação da Radiação Ionizante e da Ra- cadas a Equipamentos Médicos e Odontológicos
diação Não Ionizante com o Tecido Biológico Definição das características básicas dos equipamen-
Definição de radiação. Tipos de radiação - ionizante e tos eletromédicos. Normas de segurança para equipa-
não ionizante. Características da radiação. Campo elé- mentos eletromédicos. Normas de compatibilidade
trico. Intensidade de campo de um sistema radiante. eletromagnética para equipamentos eletromédicos. Ca-
Efeitos biológicos da radiação ionizante. Efeitos bio- racterísticas de instalações elétricas de energia e de co-
lógicos da radiação não ionizante. Classificação dos municações para atender equipamentos eletromédicos.
efeitos biológicos quanto ao tipo de célula atingida. A
radiação do sistema de telefonia celular. EB119 - Biomateriais
Biomateriais metálicos: Estrutura, composição, cor-
EB113 - Engenharia Clínica I rosão, propriedades e comportamento biológico.
Desenvolvimento e evolução da Engenharia Clínica; O Aplicações. Biomateriais cerâmicos: Estrutura, com-
sistema Hospitalar; Equipamentos médico-hospitalares; posição e propriedades. Comportamento bioativo e
Inventário de Equipamentos; Codificação de equipamen- reabsorvível. Aplicações. Biomateriais poliméricos: Es-
tos médicos; Grupo de compatibilidade; O setor de En- trutura. Reações de polimerização. Biodegradação dos
genharia Clínica Hospitalar. Indicadores da Manutenção. polímeros. Propriedades. Aplicações. Biocompósitos:

www.inatel.br/pos
Engenharia Clínica e Engenharia Biomédica 9

Estrutura, previsão de propriedades e aplicações. EB117 - Regulamentação para Fabricação de Equi-


Técnicas de caracterização físico-química e Estrutura, pamentos em Conformidade com os Organismos
previsão de propriedades e aplicações. Técnicas de ca- de Regulamentação Nacionais
racterização físico-química e microestrutural de bio- Autorização de funcionamento da empresa na ANVI-
materiais: Difração de raios X, fluorescência de raios X, SA – AFE. Regularização do produto na ANVISA (RDC
espectroscopia no Infravermelho, microscopia ele- 185/2001 e RDC 32/2007) - cadastro/registro; classi-
trônica de varredura e de transmissão, microanálise, ficação de risco dos produtos; certificação INMETRO
análise térmica, análise BET e medidas de densidade. (Portaria 86 - 03.04.06 – regra específica do INMETRO);
Avaliação da compatibilidade biológica de materiais: auditoria de fábrica; ensaios de rotina: funcional; cor-
Testes “in vitro” e “in vivo”. rente de fuga; rigidez dielétrica; aterramento de pro-
teção; ensaios laboratoriais; emissão do certificado.
Módulo Aplicações – Semestre I Boas Práticas de Fabricação (RDC 59/2000).

EB107 - Tecnologias em Equipamentos de Imagem EB118 - Processamento Digital de Sinais Biomédicos


Aparelho de Ultrassom para diagnóstico de imagem. A natureza dos sinais biomédicos: Potencial de ação.
Tomografia. Ressonância Magnética. Aparelhos de Eletroneurograma. Eletromiograma. Eletrogastrograma.
raios-X. Aparelho de Mamografia. Eletroencefalograma. Fonocardiograma. Pulso da caró-
tida. Sensores em Cateter. Sinal de Voz. Vibromiograma.
EB108 - Tecnologias em Imagens Médicas Vibroartograma. Sinais oto-acústicos. Objetivos da análise
Tecnologias de geração, transporte e armazenamento de sinais biomédicos. Aquisição e digitalização de sinais:
de imagens médicas. Sistemas de numeração. Informações analógicas e infor-
mações digitais. Amostragem, quantização e codificação.
EB110 - Normas regulamentadoras Filtragem para remoção de interferências: Fontes de ruído
Normas regulamentadores (NR) relativas à segurança e interferência. O espectro de freqüências. Filtros digitais.
e medicina do trabalho. Filtros no domínio do tempo, filtros no domínio da fre-
qüência, filtragem ótima e filtros adaptativos. Aplicações
EB123 - Metrologia Médica em sinais biomédicos. Detecção de eventos. Análise do
Fundamentos da metrologia. Metrologia na área formato da onda e da complexidade da forma de onda.
da saúde aplicada à Engenharia Clínica. Procedi-
mentos técnicos de calibração de equipamentos EB120 - Bioestatística
eletromédicos. Introdução à bioestatística: importância e papel da
bioestatística na pesquisa científica na área de Enge-
EB122 - Automação e Instrumentação Hospitalar nharia Biomédica e Engenharia Clínica. População e
Introdução à Instrumentação. Sensores e Transduto- amostra. Medidas de tendência central, medidas de
res. Normas e Simbologia de Instrumentação. Siste- dispersão e variabilidade. Noções básicas de cálculo
mas de Medidas. Atuadores e Acionamento de moto- de probabilidade. Amostragem. Inferência estatística.
res e sistemas de potência. Estimativas de população.
Módulo Aplicações – Semestre II
EB121 – Metodologia Científica (8h)
Pesquisa Científica. Texto Científico. Orientação para
elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC.

*As disciplinas podem sofrer alterações sem aviso prévio.

www.inatel.br/pos
Engenharia Clínica e Engenharia Biomédica 10

2.7 Corpo Docente

Docente Titulação Currículo Lattes


André Luís da Rocha Abbade Mestre http://lattes.cnpq.br/7127377740462616
Antônio Marcos de Souza Mestre http://lattes.cnpq.br/9259557866385637
Bruno Nunes Bono Mestre http://lattes.cnpq.br/0869299767360495
Bernardo Augusto Chaves Dória Especialista http://lattes.cnpq.br/7556163688375099
Carlos Alberto Ynoguti Doutor http://lattes.cnpq.br/5678667205895840
Crishna Irion Mestre http://lattes.cnpq.br/4517182559392560
Elisa Rennó Carneiro Mestre http://lattes.cnpq.br/3354085261025299
Fabiano Valias de Carvalho Mestre http://lattes.cnpq.br/7210105269537510
Felipe Emanuel Chaves Doutor http://lattes.cnpq.br/5851108432756265
Francisco E. de Carvalho Costa Doutor http://lattes.cnpq.br/1623314952832728
Jefferson Davis Pena Cária Mestre http://lattes.cnpq.br/5546357172923470
João Paulo Carvalho Henriques Mestre http://lattes.cnpq.br/1087198355857090
Kássio André Lacerda Doutor http://lattes.cnpq.br/8231582619991046
Karina Perez Mokarzel Carneiro Mestre http://lattes.cnpq.br/0707973396671344
Mário Ferreira Silva Júnior Especialista http://lattes.cnpq.br/8081014141979805
Marcelo de Moraes Antunes Especialista http://lattes.cnpq.br/5298755631297784
Patrícia de Azambuja Setúbal Especialista http://lattes.cnpq.br/3683321328660072
Rômulo Mota Volpato Doutor http://lattes.cnpq.br/7415923786157515
Viviane Viana Silva Doutor http://lattes.cnpq.br/5088986901900874

2.8 Controle de Frequência

O aluno deve frequentar pelo menos 75% (se-


tenta e cinco por cento) das atividades presenciais
em cada módulo, com controle de presença feito pelo
professor da disciplina.

2.9 Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

O aluno deve desenvolver, sob orientação de


um professor designado pela coordenação do curso,
um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), conforme
artigo específico do regulamento do curso.

www.inatel.br/pos
Engenharia Clínica e Engenharia Biomédica 11

2.10 Certificação

O certificado de conclusão do curso é emitido O certificado do curso é registrado pela Seção


pelo INATEL - Instituto Nacional de Telecomunicações, de Registros Acadêmicos do Instituto, onde é depo-
após o aluno ter completado todos os créditos com o sitada e controlada toda a documentação referente
aproveitamento mínimo definido no regulamento do ao mesmo.
curso e ter sido aprovado em seu Trabalho de Conclu-
são de Curso (TCC).

2.11 Local e Horário

Hospital da Força Aérea do Galeão • Início das aulas em março


Estrada do Galeão, 4101 - Galeão • Aulas aos sábados: 8h30 às 12h30 / 13h30 às 17h30.
Rio de Janeiro - RJ • Pelo menos 1 sábado livre ao mês.

*Sujeito a alterações.

2.12 Tabela de Preços

Matricula até 21/12/2016 a


Após 24/2/2017
20/12/2016 24/02/2017

Valor do Curso Com desconto + 9% de desconto + 7% de desconto + 5% de desconto

A vista
R$ 21.360,00 R$ 17.088,00 R$ 15.550,08 R$ 15.891,84 R$ 16.233,60
(20% de desconto)
1 +1
R$ 21.360,00 R$ 19.224,00 R$ 17.493,84 R$ 17.878,32 R$ 18.262,80
(10% de desconto)
24 vezes
R$ 21.360,00 R$ - R$ 809,90 R$ 827,70 R$ 845,50
de R$ 890,00

*Desconto aplicado para pagamentos em até cinco dias úteis após a emissão do boleto.
**Ex-alunos graduados pelo Inatel possuem 50% de desconto no curso. Para outras opções de desconto entre em contato conosco.

2.13 Inscrição

Para efetuar a inscrição no curso, é preciso pre-


encher o formulário de inscrição localizado no site:
www.inatel.br/pos e enviar a documentação necessá-
ria para o e-mail: pos@inatel.br

www.inatel.br/pos
www.inatel.br/pos

35 3471-9292
pos@inatel.br

Instituto Nacional de Telecomunicações


Av. João de Camargo, 512 - Santa Rita do Sapucaí
Minas Gerais - Brasil - CEP 37540-000
fb.com/inatel