Sei sulla pagina 1di 25
A ADOLESCÊNCIA E SEU SIGNIFICADO EVOLUTIVO Jesús Palacios e Alfredo Oliva

A ADOLESCÊNCIA E SEU SIGNIFICADO EVOLUTIVO

Jesús Palacios e Alfredo Oliva

A DOLESCÊNCIA COMO FENÔMENO RECENTE

ADOLESCÊNCIA COMO FENÔMENO RECENTE

A adolescência é um estágio psicológico necessário?

É um período natural do desenvolvimento ou mais uma construção artificial determinada pela cultura ou sociedade?

O que caracteriza a adolescência tal como a concebemos?

artificial determinada pela cultura ou sociedade?  O que caracteriza a adolescência tal como a concebemos?
 Crianças se incorporavam no mercado de trabalho.  Sete e o começo da puberdade

Crianças se incorporavam no

mercado de trabalho. Sete e o começo da puberdade

Nem permaneciam no sistema

educacional

se incorporavam no mercado de trabalho.  Sete e o começo da puberdade  Nem permaneciam

Cozinhar e fiar

Menarca

Masturbação

Rito de passagem

 Cozinhar e fiar  Menarca  Masturbação  Rito de passagem
 Cozinhar e fiar  Menarca  Masturbação  Rito de passagem
 Industrialização  Importância dos estudos  Principalmente da Classe Média  Escolarização

Industrialização

Importância dos estudos

Principalmente da Classe Média

Escolarização Obrigatória

Industrialização  Importância dos estudos  Principalmente da Classe Média  Escolarização Obrigatória

Na nossa cultura, a incorporação da adolescência ao status adulto sofreu um atraso notável, formando um grupo novo, com seus próprios hábitos e maneiras

adolescência ao status adulto sofreu um atraso notável, formando um grupo novo, com seus próprios hábitos
adolescência ao status adulto sofreu um atraso notável, formando um grupo novo, com seus próprios hábitos
A DOLESCÊNCIA E P UBERDADE

ADOLESCÊNCIA E PUBERDADE

Adolescência

Fato psicossociológico, não necessariamente universal,

não ocorrendo, necessariamente da mesma maneira em todas as culturas

Puberdade

Conjunto de mudanças físicas que, ao longo da segunda

década de vida transformam o corpo da criança em um corpo adulto.

de mudanças físicas que, ao longo da segunda década de vida transformam o corpo da criança

Meninos

Aumento dos testículos

Surgimento dos pelos pubianos

Crescimento do pênis

Mudança na Voz

Pelo facial e nas axilas

Estirão

Aumento da oleosidade da pele

Meninas

Crescimento das mamas

Surgimento dos pelos pubianos

Arredondamento dos quadris

Estirão, começa antes dos meninos

Alargamento da pélvis

Útero, vagina e lábios aumentam de tamanho

 Estirão, começa antes dos meninos  Alargamento da pélvis  Útero, vagina e lábios aumentam

Consequências sociais

Consequências sociais
Consequências sociais
Consequências sociais
Consequências sociais
Consequências sociais
Consequências sociais
Consequências sociais
T EORIAS SOBRE A ADOLESCÊNCIA

TEORIAS SOBRE A ADOLESCÊNCIA

Biológico Vs Ambiental

Mudanças biológicas

Mudanças de aspectos sociais e contextuais

Mudanças Psicológicas

de aspectos sociais e contextuais Mudanças Psicológicas Mudanças psicológicas  Adolescência, enquanto conflito
de aspectos sociais e contextuais Mudanças Psicológicas Mudanças psicológicas  Adolescência, enquanto conflito

Mudanças psicológicas

Adolescência, enquanto conflito

de aspectos sociais e contextuais Mudanças Psicológicas Mudanças psicológicas  Adolescência, enquanto conflito
 Pioneiro no estudo da adolescência.  1904 – Adolescence  Darwin  Teoria da

Pioneiro no estudo da adolescência. 1904 Adolescence

Darwin

Teoria da recapitulação

O desenvolvimento ontogenético, recapitula o filogenético

Adolescence  Darwin  Teoria da recapitulação  O desenvolvimento ontogenético, recapitula o filogenético

A adolescência representa um momento crítico no desenvolvimento humano por corresponder ao momento da evolução da espécie humana que supunha a passagem da selvageria para o mundo civilizado.

Conflito entre os impulsos do adolescente e a vida em sociedade.

a passagem da selvageria para o mundo civilizado.  Conflito entre os impulsos do adolescente e

Fim do período de latência

Sexualidade genital

Revivência do Édipo

Anna Freud

Mecanismos de defesa insuficientes, precisando de novos, a intelctualização.

Ascetismo

Édipo  Anna Freud  Mecanismos de defesa insuficientes, precisando de novos, a intelctualização.  Ascetismo
Édipo  Anna Freud  Mecanismos de defesa insuficientes, precisando de novos, a intelctualização.  Ascetismo
 Peter Blos  Adolescência segundo processo de individuação  Distanciamento emocional em relação aos

Peter Blos

Adolescência segundo processo de individuação

Distanciamento emocional em relação

aos pais e aproximação do grupo de

iguais.

Vazio emocional

Episódios regressivos

Atração incondicional

Idolatria

Fusão emocional

Inconformismo

emocional  Episódios regressivos  Atração incondicional  Idolatria  Fusão emocional  Inconformismo

Erik Erikson

Conflitos

Aproximação sociológica

Mudanças de papéis e novas

demandas

Robert Havighust

Tarefas evolutivas

 Aproximação sociológica  Mudanças de papéis e novas demandas  Robert Havighust  Tarefas evolutivas
 Aproximação sociológica  Mudanças de papéis e novas demandas  Robert Havighust  Tarefas evolutivas
 Margaret Mead  Estudo antropológico  Adolescentes em Samoa não apresentam o conflito

Margaret Mead

Estudo antropológico

Adolescentes em Samoa não apresentam o conflito

 Margaret Mead  Estudo antropológico  Adolescentes em Samoa não apresentam o conflito

Jean Piaget

Os adolescentes tem um acesso cognitivo maior

Crescente capacidade de pensar de forma abstrata

Passagem do prático para o simbólico

acesso cognitivo maior  Crescente capacidade de pensar de forma abstrata  Passagem do prático para
acesso cognitivo maior  Crescente capacidade de pensar de forma abstrata  Passagem do prático para
 John C. Coleman  Teoria Focal  Embora se possa dizer que durante esses

John C. Coleman

Teoria Focal

Embora se possa dizer que durante esses anos (11 a 17 anos), os adolescentes

tenham de enfrentar novos papéis e

compromissos e conflitos, as dificuldades não costumam apresentar-se de forma simultânea, mas subsequentemente, de forma que vão sendo enfrentadas em

diferentes momentos.

apresentar-se de forma simultânea, mas subsequentemente, de forma que vão sendo enfrentadas em diferentes momentos.
A DOLESCÊNCIA COMO TRANSIÇÃO

ADOLESCÊNCIA COMO TRANSIÇÃO

Adolescência, descontinuidade da infância

Transição não supõe uma mudança significativa na trajetória vital

Rompimento do equilibro emocional

Capacidade de pensar sobre os próprios pensamentos

Egocentrismo

Audiência imaginária

Pessoas estão tão preocupadas com o que é importante pra ele, quanto ele mesmo

Fábula pessoal

Suas experiências são únicas e não regidas pelas mesmas regras que os outros

ele mesmo  Fábula pessoal  Suas experiências são únicas e não regidas pelas mesmas regras