Sei sulla pagina 1di 5

Equilíbrio ácido básico e seus distúrbios O sódio é um elemento intracelular, ele inverte com o potássio.

Então você vai encontrar no plasma 142 de sódio e intracelular 15,


• Objetivo: Compreender e definir os princípios do já o potássio é o contrario é mais concentrado dentro da célula.
equilíbrio ácido básico.
• Distinguir dentro de uma situação de risco o
diagnóstico de acidose e alcalose e seus principais
distúrbios.
• Definições: Acidose; Alcalose; Situações de
compensação, Outros componentes participantes.
• Quadro Clínico: Como se apresentam, e quais
patologias levam a essa situação.
• Tratamento: Como e quando intervir.

O equilíbrio ácido é mantido por mecanismo


homeostático sendo que o respectivo desequilíbrio
induz à disfunção de órgãos e nos casos graves aumenta
o risco de morte.
O equilíbrio ácido-básico depende primordialmente do
íon Hidrogênio.
Símbolos e definições
o Hidrogênio: H
o Íon Hidrogênio: H+
o Concentração do Íon Hidrogênio em uma
solução: [H+]
o Normal de Hidrogênio no plasma: 40 mEq/l
o pH: logaritmo negativo da [H+] = log 1/ [H+]
o pH normal do plasma: varia entre 7,35 a 7,45
sendo a média 7,40.
o Ácido: Substâncias que libertam H+ ou seja,
fornecem prótons.
o Bases: Substância que acatam H+ ou seja,
aceitam prótons.
o PaCO2: Pressão parcial de CO2 normal: 40
mm/Hg pode variar de 35-45. Co2 é
componente respiratório.
o Bicarbonato: (HCO³) normal= 23 mEq/l (22 a
26 pode variar). No lactente = 20 mEq/l. Ele é Se o pH diminuir (for para a esquerda) = ácido, se aumentar (for
a base, é o metabólico. para a direita)= alcalose. Na acidose: perda de base ou acumulo de
H+. Uma das características do pH ácido é irritabilidade. Mas se eu
O Metabolismo normal do organismo forma ácidos voláteis (CO2) caminhar para a alcalose vai ter aumento do pH em função da
que são eliminados pelos pulmões e ácidos não voláteis. Em perda de ácido, diminuição do íon hidrogênio e acumulo de base.
condições patológicas pode haver acumulo de ácido ou base. O pH A característica da alcalose é a sonolência.
tem potentes efeitos sobre todo as enzimas. Admite-se que a vida
é possível entre os limites de pH 6,8 e 7,7. O PH é obtido através da equação de Henderson
Hassekbarch: pH= pk +log HCO3 dividido por CO 2 . Ou
seja, a base dividida pelo componente respiratório. Se
eu tenho bicarbonato alto a equação vai resultar em um
pH alto também. O valor do bicarbonato é 22 a 26 se
passar de 26 pra 50 -> alcalose. O Co2 é de 35 a 45 se
aumentar o valor do pH diminui -> acidose.

Sistemas tampões:

São mecanismos no organismo para ajudar no equilíbrio. Temos


basicamente três tampões:
Tampões plasmáticos (proteínas e Hb): efeito imediato e Outra situação:
pouco potente.
Sistema pulmonar (retenção ou “lavagem” de PCO2): • Acidose metabólica compensada: diarréia de novo,
efeito em minutos ou horas – potente. (Professor disse perde base mas aqui também perde CO2.
que é uma boa perguntinha de prova!).
Sistema renal (retenção ou excreção de HCO3): efeito Hiperventilação- perde co2 perde base, está em acidose, mas ela
esta compensada, pois o PH esta normal.
em horas ou dias - potente.
o Relação HCO3/ H2CO3= 12/0,6= 20
Outros conceitos: • (a PCO2 se alterou, ou seja, o paciente hiperventilou).
• Se o pH não voltar ao normal apesar da ajuda pulmonar
Excesso de base (Base excess- BE) (hiperventilação) escrevemos: Acidose metabólica
parcialmente descompensada. Mesmo hiperventilando
Expressa o que teria que acrescentar (BE negativo) ou
a criança não corrigiu o pH. Por que não é
subtrair (BE positivo) para corrigir o pH. Valor normal do
descompensada? Pois o pH está em 7,11, 7,28 próximo
BE: - 2,5 a + 2,5 (RN : pode chegar até – 8 mEq/l ).
ao normal, e ela está hiperventilando. Se a criança
BE significa a quantidade que eu precisei pra neutralizar
estivesse com pH 7 ou não estivesse hiperventilando e
uma quantidade de ácido.
estivesse apagada esta criança estaria descompensada.
O que significa BE de – 18? Excesso de ácido mobilizou
18 mEq/l de HCO 3 – do sistema tampão ou depleção de
Valores normais:
líquidos orgânicos ricos em bicarbonato. Ou seja:
significa queda do bicarbonato: há 18 mEq/l de base a
menos em relação a um paCO 2 de 40 mmHg. Significa
que eu tive que gastar 18 de base (por isso o valor é
negativo) para neutralizar a acidez.

Parei aqui

“ANION GAP” - AG

AG= Na+ - [Cl- + HCO3-]


Interpretação de alterações primárias do PH:
Normal: 8 a 16
Na acidose metabólica o AG pode estar normal PH= HCo3/ PCo2 -> Então:
ou aumentado, se estiver aumentado, significa o Elevação da base HCO 3 eleva pH
acumulo de ácido (o contrario do base excess). (descompensação do mesmo sentido).
Pode ocorrer nas intoxicações por salicilatos, Situação de alcalose metabólica (↑ pH =
álcool, Cetoacidose diabética, acidose lática, ↑HCo 3 ).
uremia. Outra situação é aquela que ocorre na o Diminuição da concentração de HCO 3 diminui
acidose metabólica em que o AG esta normal, pH (descompensação no mesmo sentido)
pois não há acumulo de ácido e sim perda de Situação de acidose metabólica (metabólico
bicarbonato. pois é base). pH↓ = HCO 3 ↓.
o Elevação da concentração de PCO 2 diminui PH
• Acidose-alcalose respiratórias e metabólicas: (descompensação no sentido inverso).
o Descompensadas- pH anormal. Situação de acidose respiratória (↓pH =
o Compensadas- pH normal. ↑PCO 2 ).
o Parcialmente compensadas- pH próximo ao o Diminuição do PCO 2 eleva pH
normal (descompensação no sentido inverso).
 Acidose metabólica compensada: pH Situação de alcalose respiratória (↑pH=
= 6,1 + log HCO 3 /H 2 CO 3 -> PCO 2 ↓).
bicarbonato dividido por ácido o Elevação da concentração de HCO 3 +
carbônico. diminuição da concentração de PCO 2 elevam
• Relação HCO3/ H2CO3: 24/ 1,2= 20 (NORMAL) o pH. Situação de alcalose mista. Mista é
(professor disse que esses são os valores normais do porque envolve base e componente
bicarbonato e do ácido carbônico, e que ele não ia respiratório.
explicar os cálculos para chegar neste valor.) o Diminuição da concentração de HCo3 +
• Acidose metabólica descompensada: diarreia. Na elevação da concentração de PCo2= diminuem
diarreia se perde base (bicarbonato). o pH. Situação de acidose mista.
• Relação metabólica: 12/1,2= 10 (a PaCO2 não se
alterou!). Quando o que altera é base é componente
metabólico.
Lactente com diarreia e desidratação do II grau. Acidose
metabólica parcialmente compensada. É parcial porque o pH
não está normal (normal de 7,35 a 7,45) ela ainda está
tetando compensar. O Pco2 está baixo, por isso tem acidose
metabólica.

CASO CLÍNICO 2

• Lactente com diarreia e desidratação do II grau: ph=


7,35(normal). Pco2=25 (baixo). Hco3=14 (baixo). BE= -
11(perdeu base).

Tem acidose metabólica compensada. O ph normalizou a custa da


• O que eu uso se eu tenho uma acidose metabólica: Hiperventilação pulmonar por isso está compensada. Ele perdeu
Hiperventilação. O que eu uso se eu tenho uma acidose base. Se eu consumir base eu tenho um componente metabólico,
respiratória: eu retenho base. Agora vamos para a o pH está normal compensada. A Hiperventilação compensou o
alcalose: se eu aumentar base vou ter alcalose pco2 baixo.
metabólica. Na alcalose respiratória eu diminuo CO 2 e
para compensar tenho que liberar base. CASO CLÍNICO 3

O que saber: PH: 7,52 (alcalose), pCO2: 28 (baixo), HCO3: 22 (normal) BE= +1.
• Paciente (historia clinica)
• Ph: acidose ou alcalose
• Hco3: real e BE: parâmetros metabólicos.
• PaCO2: parâmetros respiratórios.

Caso clínico 1- interpretação da Gasometria

pH = 7,20 (acidose)
pCO2 = 25,0 (baixo)
HCO3 = 9,0 (baixo)
BE = -17,0 (teve que usar base
para tentar neutralizar PH)
Diagrama de Davenport

Segundo o gráfico: alcalose respiratória aguda. Nesta situação o


RN está em um respirador, o PH é alcalótico e o bicarbonato está
normal; esta alcalose só pode ser explicada pela Hiperventilação
alveolar e, portanto temos uma: alcalose respiratória
descompensada. Alcalose respiratória aguda: não houve tempo
para ação dos mecanismos renais que agirão HCO3-. Vai ter que
mudar o respirador dessa criança, tem que melhorar o O 2 dessa
criança para ela sair da alcalose.
CASO CLÍNICO: 4

PH= 7,44 (normal) Pco2= 24 (está baixo - hiperventilando) HCo3=


16 (baixo). BE= -6 (está perdendo base). Alcalose respiratória
compensada. Está compensação foi graças aos mecanismos renais
(tampão) que agiram perdendo bicarbonato.

Alcalose (olhe o pH) metabólica (veja o bicarbonato e o BE) pois


tem retenção de base. Ela é descompensada (veja o pH). Para a
compensação tem que pensar na equação de Henderson-
Hasselbach. Aqui tem bicarbonato em excesso- base aumentada.

CASO CLÍNICO 7

pH: 7,44 (normal), pCO2: 65 (alto), HCO3: 34 (alto) BE +11 (está


com excesso de base). É uma alcalose metabólica compensada.
CASO CLÍNICO 5

ph=7,24 (acidose); pCO2= 44 (normal), HCO3= 18 (baixo), BE= -7


(perdendo base).

CASO CLINICO 8:

Acidose metabólica descompensada ou acidose metabólica e pH= 7,11 (acidose); pO2: 48 (esta baixo), pco2: 45 (normal),
respiratória (acidose mista). É mista mesmo que o componente HCo3: 10 (baixo), BE= -13 (esta perdendo base), Fio 2 = 100%.
respiratório esteja normal, pois esse paciente pode ter
hiperventilado. É descompensada, pois o pH não está normal. É uma acidose mista. Respiratória em função do
(veja no índice de 95% de confiança para a acidose metabólica e comprometimento pulmonar e metabólica devido à
verá que as linhas encontrar-se-ão bem acima da faixa de formação de ácido láctico pelo metabolismo anaeróbio da
confiança). É um caso em que o lactente está com diarreia e glicose consequente a hipóxia. Nessa situação de estresse ela
broncopneumonia. produz uma grande quantidade de acido láctico. Esse bebe
apresenta uma hipoxemia não corrigida (PaO2 menor que
CASO CLINICO 6 50mmHg ) tem perda de base e acumulo de ácido. Não está
compensada.
RN em uso de Furosemide k+ = 2,0

PH= 7,56 (alcalose), pco2= 40 , Hco3: 34 (alto) BE: +11 (está


retendo base)
Essa pessoa não está eliminando bicarbonato. Aí vamos pensar na
base – ta alta. Ela está compensada, mas veja -> Acidose
CASO CLÍNICO 9
respiratório compensada ou insuficiência ventilatria crônica.
Observe o bicarbonato e o BE. A alcalose metabólica é secundaria
pH = 7,11 (acidose)
a acidose respiratória. Não esta respirando.
pO2 = 30 (baixo)
pCO2 = 85(alto)
HCO3 = 24 (normal)
BE = -3
Paciente ingeriu uma superdosagem de opiáceos (indicado
respirador): insuficiência ventilatória aguda ou Acidose
respiratória descompensada com hipoxemia severa não corrigida
(observe a PaCO 2 ).
Tá com depressão respiratória. Não tá eliminando CO 2 . Para haver
a compensação renal, demoraria dias. Raciocine com a equação
de Handerson.

Conclusões:

1. Conhecer sempre a história clínica


2. Raciocinar com os mecanismos respiratórios e renais
3. Não tratar a doença como diferenças de base e sim o
fator causal
4. As fórmulas são secas: deve-se apenas melhorar
CASO CLÍNICO 10
Outro exemplo – Criança com fibrose pulmonar
pH =7,36 (normal)
pCO2 =85
HCO3 =47 (alto)
BE =+ 15 (retendo base)
**cça é mais comum a alcalose.
Tomou ADT da mãe
8m, 7,5kg, vômito e diarreia, irritada, só chora
e quer a mãe  fazer hidratação oral
primeiro; gasometria provavelmente terá
acidose pq está perdendo base na diarreia