Sei sulla pagina 1di 96

edizione

EDUCAÇÃO COMPARADA NA
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO:
caderno de resumos
ODALÉIA ALVES DA COSTA
Organizadora

EDUCAÇÃO COMPARADA NA
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO:
caderno de resumos

2017
Comitê Científico:
Profª Drª Rosa Fátima de Souza (UNESP)
Profª Drª Virginia Pereira Silva de Ávila (UPE)
Profª Drª Marli Clementino Gonçalves (UFPI)
Profª MsC Maria do Perpétuo Socorro Castelo Branco Santana (UESPI)
Profº Dr César Augusto Castro (UFMA)
Profª Drª Raimunda Nonata da Silva Machado (UFMA)
Profª MsC Maria das Dores Cardoso Frazão (UFMA)
Profª Drª Iran de Maria Leitão Nunes (UFMA)
Profº MsC Cristiano de Assis Silva (IESM)
Profª MsC Vilma da Silva Mesquita Oliveira (IFMA)
Profª MsC Mariane Vieira da Silva (IFPI)
Profª MSC Cleidiane de Carvalho Pereira (Instituto Sinapses)

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos

© Odaléia Alves da Costa

1ª edição: 2017

Revisão
Francisco Antonio Machado Araujo

Editoração
Francisco Antonio Machado Araujo

Diagramação
Wellington Silva

Capa
Mediação Acadêmica

Reprodução e Distribuição
Editora Garcia

Ficha Catalográfica elaborada de acordo com os padrões estabelecidos no


Código de Catalogação Anglo-Americano (AACR2)

E21 Educação comparada na História da Educação: caderno de resumos


/ Odaléia Alves da Costa, organizadora. – São Paulo: Garcia
Edizione, 2017.

E-Book.

ISBN: 978-85-5512-293-4

1. Educação.  2. História da Educação.  3. Formação Docente. 


I. Costa, Odaléia Alves da.  II. Título.

CDD: 370.09

Bibliotecária Responsável:
Nayla Kedma de Carvalho Santos CRB 3ª Região/1188
Realização
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão

Reitor
Prof. Dr. Francisco Roberto Brandão Ferreira

Pró-Reitora de Ensino
Profa. MsC. Ximena Paula Nunes Bandeira Maia da Silva

Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação


Profa. Dra. Natilene Mesquita Brito

Pró-Reitor de Extensão
Prof. Dr. Fernando Antônio Carvalho de Lima

Pró-Reitor de Planejamento e Gestão


Prof. Dr. Carlos Cesar Teixeira Ferreira

IFMA Campus Timon


Diretora Geral
Profa. MsC. Jackellyne Georgia Dutra e Silva

Diretora de Ensino
Esp. Hélis Regina de Sousa Costa

Diretora de Administração e Planejamento


Nayara Coelho da Costa

Departamento de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação


Prof. MsC. Marcos Antônio Alves Batista Filho

Departamento de Extensão e Relações Institucionais


Profa. MsC. Roseane da Conceição Santos Serra

Promoção
Núcleo de Estudos e Pesquisas
“História eMemória de Instituições Escolares”

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 5


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO............................................................................... 15
COMITÊ DE ORGANIZAÇÃO............................................................ 17
PROGRAMAÇÃO.............................................................................. 19

GT 01- HISTORIOGRAFIA DA EDUCAÇÃO:


PESQUISA, ENSINO E FONTES

MAPEAMENTO DE FONTES DOCUMENTAIS DO PRIMERIO GINÁSIO


ORIENTADO PARA O TRABALHO EM JUAZEIRO DO NORTE (1977-1987)
Pergentina Parente Jardim, Virgínia Pereira da Silva de Ávila
........................................................................................................ 23

HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA


DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ
Juniel Pereira da Silva, Ednardo Monteiro Gonzaga do Monti
........................................................................................................ 24

A PRODUÇÃO ACADÊMICA EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NOS CURSOS


DE GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA DE HISTÓRIA E PEDAGOGIA EM
TERESINA-PI (UFPI-UESPI)
Marta Susany Moura Carvalho e Enayde Fernandes Silva
........................................................................................................ 25

A CONSTITUIÇÃO DO ENSINO PRIMÁRIO NOTURNO NO PIAUÍ (1871-1933)


Cleidiane de Carvalho Pereira, Antônio de Pádua Carvalho Lopes
........................................................................................................ 26
A PESQUISA SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO PIAUIENSE NOS
PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO
PIAUÍ: UMA ABORDAGEM HISTORIOGRÁFICA
Camila Oliveiras Neves, Maria do Socorro P. de S. de Andrade
........................................................................................................ 27
A DIREÇÃO ESCOLAR NAS ESCOLAS REUNIDAS E NOS GRUPOS
ESCOLARES PIAUIENSES (1910-1933)
Mariane Vieira da Silva, Antônio de Pádua Carvalho Lopes
........................................................................................................ 28

“A INSTRUÇÃO AO ALCANCE DE MUITOS”: A IMPLANTAÇÃO DO GINÁSIO


ESTADUAL EM SANTA MARIA DA BOA VISTA- PE-(1965-1973)
Ygor Gomes de Santana Barros Leal, Virginia Pereira da Silva de Àvila
........................................................................................................ 29

GT 02 - MOVIMENTOS SOCIAIS, GÊNERO E


ETNIA NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

MEMÓRIAS DE ESCOLARIZAÇÃO: RELATOS DE EX-ALUNAS DE


ESCOLAS DO ENSINO PRIMÁRIO E GINASIAL DO SERTÃO DO PIAUÍ
- 1960 A 1980
Jéssica Oliveira da Costa, Jamyla Ysnayla da Silva Nunes Carvalho
Marilde Chaves dos Santos
........................................................................................................ 33

A MULHER, A PROFESSORA E A HISTORIOGRAFIA: CONCEPÇÕES SOBRE


O SUJEITO FEMININO E TRAJETÓRIA HISTORIOGRÁFICA DA MULHER
Maria Alda Pinto Soares, Maria do Amparo Borges Ferro
........................................................................................................ 34

MÚSICA E RESISTÊNCIA: HISTÓRIA E MEMÓRIA NAS MÚSICAS DE


CHICO BUARQUE E GONZAGUINHA
Glémisson David Batista Marques, Maria das Graças do Nascimento Prazeres
Miguel Vinicius da Silva Moura
........................................................................................................ 35

GT 03 - INSTITUIÇÕES ESCOLARES E
POLÍTICAS EDUCACIONAIS

HISTÓRIA E MEMÓRIA DA CIDADE DE TIMON, MA: UM OLHAR


ATRAVÉS DAS BIOGRAFIAS DE PATRONOS DE ESCOLAS MUNICIPAIS.
Tiago Rodrigues da Silva, Beatriz Bacelar Barbosa, Odaléia Alves da Costa
........................................................................................................ 39

BIOGRAFIAS NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: DE PROFESSORES A


PATRONOS ESCOLARES MUNICIPAIS DE TIMON - MA
Beatriz Bacelar Barbosa, Tiago Rodrigues da Silva, Odaléia Alves da Costa
........................................................................................................ 40
GESTÃO ESCOLAR: SABERES NECESSÁRIOS PARA PRÁTICA
Francisco Marcelo Catunda de Oliveira, Pergentina Parente Jardim
........................................................................................................ 41

O SURGIMENTO DO GINÁSIO MUNICIPAL OEIRENSE NA


CONJUNTURA EXPANSIONISTA DO ENSINO SECUNDÁRIO NO PIAUÍ
NA DÉCADA DE 1950
Amada de Cássia Campos Reis, Maria do Amparo Borges Ferro
........................................................................................................ 42

EDUCAÇÃO ESCOLAR BRASILEIRA DO SÉCULO XIX: TESSITURAS DE


HISTÓRIA, MEMÓRIA E LITERATURA
José Marcelo Costa dos Santos, Maria do Amparo Borges Ferro
........................................................................................................ 43

VOZ UNIVERSITÁRIA: ANÁLISE DOS DISCURSOS ACERCA DA POLÍTICA


EDUCACIONAL NO ENSINO SUPERIOR POR MEIO DE PERIÓDICOS
UNIVERSITÁRIOS EM SÃO LUÍS, DÉCADAS DE 1950 A 1960
Tatiane da Silva Sales
........................................................................................................44
HISTÓRIA E MEMÓRIA DO GRUPO ESCOLAR PADRE DELFINO:
1959 E 1989
Maiara Iasmin Alves da Silva, Odaléia Alves da Costa
........................................................................................................ 45

MEMÓRIA E HISTÓRIA DE UMA INSTITUIÇÃO ESCOLAR: GINÁSIO


PARNAIBANO (1927-1959)
Juliana Brondani da Costa, Antonio de Pádua Carvalho Lopes
........................................................................................................ 46

IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS NO ENSINO


SUPERIOR A PARTIR DA LDB Nº 9.394/96
Frazia Regina Sousa Ibiapina, Lisiane da Silva Chaves, Mara Andreia Alves Cunha
Marcos Fabricio Rodrigues da Costa, Nhabilla Fernanda Araújo Silva
Joelson de Sousa Morais
........................................................................................................ 47

OS DESAFIOS ENCONTRADOS PELOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO DE


JOVENS E ADULTOS
Francileia da Cruz Machado, Oziane Lima Conceição, Joanna D'arc Medeiros
Samara dos Reis Sousa, Tatiane Medeiros de Moura, Joelson de Sousa Morais
........................................................................................................ 48
GT 04 - EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

OS “MENINOS DESVALIDOS” DAS ESCOLAS DE APRENDIZES ARTÍFICES


(1909-1942)
Antonio Meneses Filho
........................................................................................................ 51

PERSPECTIVA HISTÓRICA (1939-2014), LEGAL E AS PERCEPÇÕES DOS


PROFESSORES DO BRASIL E DE PORTUGAL SOBRE FORMAÇÃO E
PERFIL PROFISSIONAL
Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento
........................................................................................................ 52

O REMARKETING APLICADO À INDÚSTRIA DE SERIOUS GAMES


EDUCACIONAL NOS ÚTIMOS 3 ANOS
Francisco Nivaldo Monteiro Cardoso
........................................................................................................ 53

GT 05 - DISCIPLINAS ESCOLARES E ENSINO


DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

MEMORIAL ESCOLAR DE FUTUROS PROFESSORES PARA


COMPREENSÃO DO PERFIL DO ALUNO INGRESSANTE NUM CURSO
DE LICENCIATURA
Jackson Rafael do Nascimento França
Odaléia Alves da Costa
........................................................................................................ 57

O ENSINO RELIGIOSO NOS CURRÍCULOS ESCOLARES DAS ESCOLAS


PÚBLICAS PRIMÁRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO – UMA ANÁLISE
DO PROGRAMA DE ENSINO RELIGIOSO DA ARQUIDIOCESE DE SÃO
PAULO DE 1952
Andréia Martins
........................................................................................................ 58
GT 06 - PROFISSÃO DOCENTE E
FORMAÇÃO DE PROFESSORES

O PROCESSO EMANCIPATÓRIO DO PROFESSOR BACHAREL EM


ENGENHARIA EM SEU PERCURSO FORMATIVO (1975 A 2016)
Magnaldo de Sá Cardoso, Maria do Amparo Borges Ferro
........................................................................................................ 61

AS HISTÓRIAS FORMATIVAS DE PROFESSORAS INICIANTES NA


ESCOLHA DA PROFISSÃO E SUAS IMPLICAÇÕES NO COTIDIANO
PROFISSIONAL
Joelson de Sousa Morais
........................................................................................................ 62

OS PORTA-VOZES DOS IDEAIS DA ESCOLA NOVA: A FORMAÇÃO DE


PROFESSORES PRIMÁRIOS NO PIAUÍ (1930 A 1961)
Vilma da Silva Mesquita Oliveira, Maria do Amparo Borges Ferro
........................................................................................................ 63

UTILIZAÇÃO DE PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO COMO METODOLOGIA


DE ENSINO NA EDUCAÇÃO BÁSICA
Jonas de S. Camilo, Ana Paula Martins Trindade, Thais Cristina V. de Carvalho
Raimundo Nonato de Souza, Maria Nazaré B. dos Santos
........................................................................................................64

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL


E TECNOLÓGICA A PARTIR DA ESCOLA NORMAL VENCESLAU BRÁS
Antonio Meneses Filho
........................................................................................................ 65

FORMAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL NA PERCEPÇÃO


DOS PROFESSORES DO BRASIL E DE PORTUGAL
Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento
........................................................................................................ 66

HISTÓRICO DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES SOB A ANÁLISE DA


TRAJETÓRIA DA LEI DE DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL
Andressa Layane dos Santos Sousa, Galeno Sampaio Fernandes
Joelson de Sousa Morais
........................................................................................................ 67
A INDISCIPLINA ESCOLAR ENTRE ONTEM E HOJE: REPERCUSSÕES E
IMPACTOS NA PRÁTICA EDUCATIVA
Fernanda de Sousa Prudencio, Ana Karina Sousa Limeira, Rejane Cardoso Pereira
Andressa Layane dos Santos Sousa, Joelson de Sousa Morais
........................................................................................................ 68

A CADES NO PIAUÍ: HISTÓRIA E MEMÓRIA DA FORMAÇÃO DE


PROFESSORES SECUNDÁRIOS (1956-1971)
Francisco Gomes Vilanova
........................................................................................................ 69

GT 07 - FAMÍLIA, INFÂNCIA E JUVENTUDE

LONGEVIDADE ESCOLAR DE ESTUDANTES DA CAMADA POPULAR DE


UMA ESCOLA PÚBLICA NO MARANHÃO
Mariana Cardoso de Abreu, Mateus da Costa Oliveira, Mônica Rochelle Alves Silva
Odaléia Alves da Costa
........................................................................................................ 73

GT 08 - HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E
EDUCAÇÃO COMPARADA

RASTROS DE CONCEIÇÃO CARVALHO NAS ATAS DO CENTRO DE


CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO NA UFPI: 1976 A 1983
Raimundo Nonato de Sousa Neto, Ednardo Monteiro Gonzaga do Monti
........................................................................................................ 77

A EDUCAÇÃO CLÁSSICA E OS PARADIGMAS DO MODELO


EDUCACIONAL BRASILEIRO
Mauricio Sergio Ferreira Soares da Silva Junior, Ana Karine da Silva Sousa
Silvailde de Souza Martins Rocha
........................................................................................................ 78

A ABORDAGEM TECNICISTA COMO PARADIGMA CONSERVADOR:


DA DIDÁTICA PASSADA AOS IMPACTOS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA
CONTEMPORÂNEA
Júlio José Nogueira Pereira
........................................................................................................ 79
ENTUSIASMO PELA EDUCAÇÃO: O COMBATE ENGANOSO DA
BURGUESIA CONTRA O ANALFABETISMO
Frazia Regina Sousa Ibiapina, Lisiane da Silva Chaves, Mara Andreia Alves Cunha
Marcos Fabricio Rodrigues da Costa, Nhabilla Fernanda Araújo Silva
Joelson de Sousa Morais
........................................................................................................ 80

GT 09 - HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO RURAL

A EDUCAÇÃO DO CAMPO NA PERSPECTIVA DE DESENVOLVIMENTO


DO SER EM PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO
Francisca Sousa Ibiapina, Jeane Teixeira de Novazes, Márcia Raika e Silva Lima
........................................................................................................ 83

PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO DO CAMPO NO PORTAL DE PERIÓDICOS


DA CAPES (2013-2016)
Eulina da Silva Lima, Elivelton dos Santos Silva,
Cheylla Jayna Silva Nascimento Leite, Odaleia Alves da Costa
........................................................................................................84

AÇÃO ESTATAL E ENSINO DE 1º GRAU NO MEIO RURAL NO PIAUÍ:


AMENIZAR OU SOLUCIONAR? (1971-1983)
Enayde Fernandes Silva, Marli Clementino Gonçalves
........................................................................................................ 85

GT 10 - LIVROS, LEITURAS E IMPRESSOS ESCOLARES

HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO MARANHENSE EM CAZUZA,


DE VIRIATO CORRÊA
Shelton dos Santos Sousa, Maria das Graças do Nascimento Prazeres
........................................................................................................ 89

PRODUÇÃO, CIRCULAÇÃO E CONSUMO DE LIVROS DIDÁTICOS DE


BIOLOGIA
Erislania Sousa Silva, Odaléia Alves da Costa
........................................................................................................ 90

ANÁLISE DE IMAGENS DO CAMPO CIENTÍFICO BIOLOGIA CELULAR


NOS LIVROS DIDÁTICOS DE BIOLOGIA
Camila Iorrane Costa Santana, Odaléia Alves da Costa
........................................................................................................ 91
ANÁLISE DA 2ª EDIÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA DE AMABIS
E MARTHO (2004)
Richardson Rodrigues de Araújo, Odaléia Alves da Costa
........................................................................................................ 92
APRESENTAÇÃO

O I Encontro de História da Educação do Meio-Norte do Brasil,


sediado no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do
Maranhão – Campus Timon irá discutir como tema central a Educação
Comparada na História da Educação.
O encontro pretende estreitar as relações entre pesquisadores (as)
da área de História da Educação do Meio-Norte (Maranhão e Piauí),
buscando fortalecer vínculos e estabelecer as relações já existentes entre
instituições e pesquisadores(as) destes dois Estados. Além de contar com
a participação de pesquisadores dos Estados do Ceará e Pernambuco.
Em duas semanas de divulgação, conseguimos atrair o número
de 197 inscritos e recepcionar 46 trabalhos científicos, devidamente
avaliados pelo comitê científico, que serão apresentados nos 10 grupos
de trabalhos (GTs) pensados para este evento, a fim de discutirmos
a temática central do evento: “Educação Comparada na História
da Educação”. A necessidade da realização de pesquisas em rede
de colaboração, de desenvolver pesquisas comparadas, envolvendo
objetos de estudo semelhantes, em um mesmo recorte temporal, porém
em Estados/Províncias diferentes, faz com que a análise de dados e as
conclusões dos trabalhos científicos sejam mais sólidos.
Pensando nisso, organizamos a programação do evento,
selecionando criteriosamente pesquisadores(as) palestrantes renomados
vinculados a diferentes instituições de ensino e pesquisa do Brasil, tais
como: UNESP, UPE, UFPI, UESPI e UFMA, para no IFMA Campus Timon
sediarmos o I Encontro de História da Educação do Meio-Norte do Brasil.
Este evento é uma promoção do IFMA Campus Timon, por meio
do Núcleo de Estudos e Pesquisas “História e Memória das Instituições
Escolares”, tendo como instituição parceira a Faculdade IESM, sediada
em Timon.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 15


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
A disciplina História da Educação inicialmente estudada nos
cursos de formação de professores em nível médio – Magistério, e hoje
ministrada nos cursos de formação de professores – Pedagogia e demais
Licenciaturas, historicamente ministradas em universidades federais,
estaduais e privadas, aos poucos, passa a compor o rol de disciplinas
dos institutos federais, que tem se constituído, nos últimos 15 anos,
como uma rede em pleno processo de expansão e que paulatinamente,
tem conquistado para o seu corpo docente pesquisadores da área de
História da Educação, e que hoje fazem pesquisa nos institutos federais.
No EnHEMB, em sua primeira edição, recebemos trabalhos
científicos de mais diferentes lugares no Maranhão como: Caxias,
Alcântara, Pinheiro, Timon, São Luís. Do Piauí, abraçamos trabalhos
de Floriano, Piripiri, Teresina. O que demonstra o processo de
interiorização do ensino e da pesquisa nas mais diferentes cidades,
o que enriquece demasiadamente as pesquisas, suscitando novas
investigações.
Nesse sentido que acreditamos ser possível através de encontros
como este fortalecermos vínculos para a criação de novos programas
de pós-graduação, nos interiores dos Estados, pois até então, na
Região Meio-Norte do Brasil, os poucos programas de Pós-graduação
na área de Educação que temos são sediados apenas nas capitais
dos Estados. E à medida que a oferta dos cursos de graduação
tem se expandido para o interior dos Estados nas últimas décadas,
concomitantemente surge a necessidade de verticalização do ensino,
em nível de pós-graduação stricto sensu.
Assim, abrimos o convite, para que outras instituições, localizadas
em outras cidades do Maranhão e do Piauí possam sediar as próximas
edições deste evento que nasceu em um Campus do continente do
Maranhão, e pretende ser um evento itinerante, buscando agregar os
pesquisadores(as) de História da Educação.
Sejam bem-vindos(as) ao I Encontro de História da Educação do
Meio-Norte do Brasil.

Odaléia Alves da Costa

16  ODALÉIA ALVES DA COSTA


COMITÊ DE ORGANIZAÇÃO

Profa Dra Odaléia Alves da Costa – IFMA


Prof Dr Francisco Cristiano da Silva Macêdo – IFMA
Profa MsC Amanda Ribeiro da Silva – UFPI
Prof MsC Abilio Soares Coelho – IFMA
Profa MsC Jackellyne Geórgia Dutra e Silva Leite – IFMA
Profa MsC Teresa Cristina Ferreira da Silva – IFMA
Prof MsC George Ventura Alves Neri – IFMA
Prof MsC Wesley de Sousa Santos – IFMA
Prof Esp Francisco Nivaldo Monteiro Cardoso – IFMA
Prof Esp Antonio Jorlan Soares de Abreu – IFMA
Prof Esp César Augusto de Albuquerque Araújo – IFMA
Esp. Luís Cláudio de Melo Brito Rocha (Diagramador) – IFMA
Esp Stênio Klaydson Alves de Andrade (Analista de TI) – IFMA
Zedequias de Oliveira Campos Júnior (Técnico de TI) – IFMA

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 17


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
PROGRAMAÇÃO

03/07/2017 – segunda-feira

08:00 às 09:00 – Credenciamento dos participantes


09:00 às 10:00 – Cerimônia de Abertura do Evento
10:00 às 10:30 – Intervalo
10:30 às 12:00 – Conferência de Abertura (O campo de pesquisa
sobre a História da Educação no Brasil).
Profª Drª Rosa Fátima de Sousa (UNESP)
14:00 às 17:00 – Apresentação das Comunicações Orais
18:00 às 20:00 – Mesa Redonda (A pesquisa comparada em História
na Educação no Brasil)
Profº Msc Cristiano de Assis Silva (IESM) –
Coordenador
Profº Dr Antônio de Pádua Carvalho Lopes (UFPI)
Profª Drª Jane Bezerra de Sousa (UFPI)
20:00 às 22:00 – Lançamento de livros

04/07/2017 – terça-feira

08:00 às 10:00 – Apresentação das Comunicações orais


10:00 às 10:30 – Intervalo
10:30 às 12:00 – Mesa Redonda (A História da Educação Rural no
Brasil: Um Olhar sobre a Educação Comparada)
Profº Msc Maria das Dores Cardoso Frazão (UFMA)
– Coordenadora

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 19


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
Profº Drª Virginia Pereira Silva de Ávila (UPE)
Profº Drª Marli Clementino Gonçalves (UFPI)
Profª Msc Maria do Perpétuo Socorro Castelo
Branco Santana (UESPI)
14:00 às 17:00 – Apresentação das Comunicações orais / Exposições
17:00 às 19:00 – Conferência de Encerramento (História da Educação
no Brasil: Diferentes olhares).
Profª Drª Iran de Maria Leitão Nunes (UFMA)

20  ODALÉIA ALVES DA COSTA


GT 01
HISTORIOGRAFIA DA EDUCAÇÃO:
PESQUISA, ENSINO E FONTES
MAPEAMENTO DE FONTES DOCUMENTAIS DO
PRIMERIO GINÁSIO ORIENTADO PARA O TRABALHO
EM JUAZEIRO DO NORTE (1977-1987)
Pergentina Parente Jardim
Virgínia Pereira da Silva de Ávila

Este texto tem como objetivo apresentar o mapeamento de fontes


documentais relativas à Escola Polivalente de 1º Grau Presidente Ernesto
Geisel, localizada no município de Juazeiro do Norte, uma das quatro
escolas criadas no estado do Ceará, na década de 1970, na perspectiva dos
Ginásios Orientados para o Trabalho. Esse modelo de escola foi alvo das
políticas implementadas durante o regime militar, que buscavam associar
formação acadêmica, técnica e profissional. Desse modo, interessa-
nos examinar determinados elementos constitutivos da cultura escolar
presentes nas fichas de matrículas, fichas individuais de resultados e de
frequência de alunos e alunas, fotos, plantas arquitetônicas, livro ponto,
livro de frequência de professores e professora, atos oficiais de nomeação
de cargos). Na escolha do referencial teórico, privilegia-se o diálogo com
diferentes autores do campo da história e da historiografia da educação,
especificamente os que tratam dos arquivos escolares como fonte de
pesquisa para a história da educação, entre os quais destacam-se: Cunha
(2015), Souza (2013), Furtado (2011), Mogarro (2005). Com base no
mapeamento realizado é possível identificar um modelo de organização
e funcionamento escolar com ênfase na disciplina, no culto das festas
comemorativas, religiosas e esportivas.

Palavras-chave: Ginásio Orientado para o Trabalho. Arquivo escolares.


Fontes documentais.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 23


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
HISTÓRIA DA CRIAÇÃO DO CURSO DE
LICENCIATURA EM MÚSICA DA UNIVERSIDADE
FEDERAL DO PIAUÍ
Juniel Pereira da Silva 
Ednardo Monteiro Gonzaga do Monti
 
Este trabalho tem como objetivo refletir sobre a criação do curso de
licenciatura em Música da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Numa
perspectiva da História da Educação, considerando o período de transição
do curso de Educação Artística – Habilitação em Música (2008) até o
início do funcionamento da primeira turma do curso de Licenciatura em
Música (2011) da UFPI. Esse recorte histórico é parte significativa da
educação musical piauiense, por realçar a inclusão da Música no ensino
superior com um curso específico de formação de professores. O trabalho
tem como questão norteadora: como se deu o processo de transição
do curso de Educação Artística – Habilitação em Música para o curso
de Licenciatura em Música? Baseado nas ideias de autores como Ferreira
Filho (2009), Monti (2015) e Le Goff (1998) a investigação é teoricamente
fundamentada nos conceitos da Nova História Cultural, fazendo uso da
pesquisa documental, abarcando os projetos pedagógicos dos dois cursos
e as atas das assembleias docentes do Departamento de Música e Artes da
UFPI. A pesquisa colabora na compreensão do processo de consolidação
da formação de professores de Música no Estado do Piauí na medida em
que aponta avanços no que se refere a autonomia do ensino de música,
sobretudo, pelo distanciamento da proposta polivalente do curso de
Educação Artística em processo de extinção na Universidade.

Palavras-chave: História-música. Período-transição. Arte. Música

24  ODALÉIA ALVES DA COSTA


A PRODUÇÃO ACADÊMICA EM HISTÓRIA DA
EDUCAÇÃO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DE
LICENCIATURA DE HISTÓRIA E PEDAGOGIA EM
TERESINA-PI (UFPI-UESPI)
Marta Susany Moura Carvalho
Enayde Fernandes Silva

Esta pesquisa é resultado parcial da investigação sobre a produção


acadêmica, em História da Educação, nos cursos de Licenciatura em
Pedagogia e História da Universidade Federal do Piauí - UFPI e da
Universidade Estadual do Piauí – UESPI, na cidade de Teresina -PI.
Objetiva investigar a escrita, nesses cursos, sobre o campo da História da
Educação. Neste sentido, buscamos responder a seguinte questão: sob
quais perspectivas esse tema tem se desenvolvido nos cursos de graduação
de Pedagogia e História (UFPI-UESPI) na capital? O recorte temporal não
foi limitado, devido às diversas temporalidades encontradas. A pesquisa
é de caráter bibliográfico e tem por fontes, resumos das monografias dos
cursos investigados encontrados nos seguintes locais de busca, Bibliotecas
Setoriais do CCE e CCHL da UFPI; Biblioteca Central do Campus Torquato
Neto e Clóvis Moura da UESPI; no Blog do curso de História da UFPI e
Currículos lattes dos Professores da UFPI. A investigação está ancorada,
na Nova História Cultural, o artigo foi organizado a partir das seguintes
categorias: autor, ano, título, tema, objetivo, recorte temporal e espacial,
fontes, historiografia, corrente historiográfica e a metodologia. Como
referencial teórico, consideramos os estudos de Burke (1992), Lopes e
Galvão (2001), Barros (2005) e Prost (2008). No resultado da pesquisa,
inferimos que a concentração da pesquisa em História da Educação,
está na UFPI, no curso de Pedagogia e na UESPI, no curso de História.
Observa-se ainda que a corrente teórica mais difundida nessas pesquisas
é a Nova História Cultural, e uso de fontes hemerográficas e relatos orais.

Palavras-chave: Historiografia. História da Educação. Monografias.


EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 25
DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
A CONSTITUIÇÃO DO ENSINO PRIMÁRIO NOTURNO
NO PIAUÍ (1871-1933)
Cleidiane de Carvalho Pereira 
Antônio de Pádua Carvalho Lopes 

O objetivo deste trabalho foi apresentar uma discussão sobre a


organização do ensino primário noturno piauiense no período de 1871-
1933. Com base no objetivo, o estudo foi desenvolvido a partir da seguinte
problemática: Como acontecia a organização do ensino noturno piauiense
no período de 1871-1933? No estudo foi utilizada a pesquisa documental e
bibliográfica no qual analisamos as fontes primárias e secundárias, sendo
as principais fontes: os Relatórios Provinciais, Mensagens Governamentais,
as Legislações Educacionais; os documentos da Direção da Instrução
Pública, os documentos do Centro Proletário e escola 14 de julho, dentre
outras. Além dessas fontes, foram utilizados também os jornais de época.
O estudo tem embasamento em Beisiegel (1974), Paiva (1987), Bastos
(1870), Freitas (1988), Nogueira (2012), Paiva (2010), dentre outros. Os
resultados da pesquisa demonstrou que o ensino primário noturno foi
organizado conforme as exigências estabelecidas pelas leis educacionais
do período analisado. Consideramos este estudo não como um trabalho
definitivo, mas como uma janela que se abre para o diálogo com outras
leituras e interpretações esperando que esse trabalho abra um leque de
novas interpretações.

Palavras-chave: Ensino Primário Noturno. Piauí. Educação.

26  ODALÉIA ALVES DA COSTA


A PESQUISA SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
PIAUIENSE NOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO
DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ: UMA
ABORDAGEM HISTORIOGRÁFICA
Camila Oliveiras Neves 
Maria do Socorro P. de S. de Andrade 

O presente texto é resultado de trabalho empreendido na busca de mapear


a produção historiográfica dos Programas de Pós-graduação em História
do Brasil (PPGHB) e Programa de Pós-graduação em Educação (PPGED)
da Universidade Federal do Piauí (UFPI), tendo como elemento central os
títulos que estabelecem relação com a História da Educação, especialmente
a piauiense. O estudo objetiva analisar a produção historiográfica da
educação piauiense realizada nos citados cursos de pós-graduação da
UFPI para compreender como a educação piauiense tem sido analisada
em seus diversos períodos. Os autores que fundamentaram este trabalho
foram Ferreira (2002) e Lopes&Galvão (2001). Conforme levantamento
realizado no PPGED foram destacadas 47 dissertações no universo de 457,
o que corresponde a 10,28% do total de dissertações produzidas entre os
anos de 1994 a 2016. No PPGHB foram catalográfadas 166 dissertações a
partir da primeira turma no ano de 2004, até as defendidas em 2016, sendo
selecionados 24 títulos com a correlação pretendida. O estudo, além do
panorama já explicitado, revela que a História da Educação também é uma
das temáticas estudadas no PPGHB, seja de maneira central ou articulada
com outros elementos pertinentes à cidade ou estado. Deste modo o
discurso gerado de que essa abordagem historiográfica não se configura
como objeto de estudo a outros campos perde força. O que é percebido
com este estudo é que as duas estão inter-relacionadas, ainda que os objetos
de análise sejam considerados como específicos de cada área.

Palavras-chave: História da Educação. Piauí. Historiografia

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 27


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
A DIREÇÃO ESCOLAR NAS ESCOLAS REUNIDAS E
NOS GRUPOS ESCOLARES PIAUIENSES (1910-1933)

Mariane Vieira da Silva 


Antônio de Pádua Carvalho Lopes 

A função de direção escolar no Piauí foi instituída pela Lei nº 548 de 1910.
Esta tratava da Reforma da Instrução Pública no estado e estabeleceu
mudanças para o cenário educacional de então. Considerando esse
contexto, o presente artigo tem por objetivo principal apresentar a
constituição histórica da direção escolar nas instituições de ensino primário
piauienses, nas escolas reunidas e nos grupos escolares, até 1933, onde a
instituição do Decreto nº 1.438 daquele ano marcou uma outra reforma
para a instrução pública. A metodologia utilizada para a construção desse
texto contou com fundamentação teórica sobre o assunto investigado
baseado em autores como Lopes (2002), Brito (1996), Vidal (2006), Faria
Filho (1998), Veiga (2007), Irlen Gonçalves (2006), Jorge Nagle (1974),
Horta (1994), Nascimento (1994), Queiroz (2008) e Castelo Branco
(2013), além de pesquisas biográficas, documentais (leis, decretos e
manuscritos) que nos levaram a compreender que a presença de diretores
e diretoras aos poucos transformou as escolas em uma “repartição pública
de verdade” (Lopes, 2001) tendo em vista, a partir dos objetivos incutidos
no período, a necessidade do trabalho de organização e administração
destes espaços.

Palavras-chave:  Direção escolar. Escolas Reunidas. Grupos Escolares.


Piauí

28  ODALÉIA ALVES DA COSTA


“A INSTRUÇÃO AO ALCANCE DE MUITOS”: A
IMPLANTAÇÃO DO GINÁSIO ESTADUAL EM SANTA
MARIA DA BOA VISTA- PE-(1965-1973)
Ygor Gomes de Santana Barros Leal 
Virginia Pereira da Silva de Àvila 

O presente artigo apresentado é parte de uma pesquisa em andamento,


em nível de mestrado, que investiga a implantação do primeiro Ginásio
Estadual em Santa Maria da Boa Vista- PE e sua relação com a Cidade no
período entre 1965- 1973. O recorte escolhido se justifica por 1965 ser a
fundação do Ginásio e 1973 quando foi extinto. O processo de expansão
e interiorização do ensino secundário no País obedeceu a ritmos diferentes
no território nacional; na região do Vale do São Francisco, somente na
virada da primeira para segunda metade do século XX implantou-se esse
nível de escolarização. As elites politicas locais viram com entusiasmo a
chegada do Ginásio, era a sonhada ampliação do ensino, a oportunidade
em dar continuidade aos estudos na própria cidade. Investigamos nesse
estudo quais foram as tramas, as motivações e dificuldades enfrentadas
pelos atores políticos e representantes educacionais ao levaram adiante
a iniciativa. Entre elas, destacam-se a falta de professores, recursos
financeiros e a condição econômica dos alunos. A metodologia utilizada é
da história oral, com entrevista de ex-alunos e professores, como também,
análise dos documentos do Diário Oficial de Pernambuco e do arquivo
da Escola Padre Maurilo Sampaio. Dessa forma, é possível compreender
como a implantação e consolidação do ensino secundário na cidade
permitiu a criação de novas práticas e ritos simbólicos, articulando um
importante papel educacional da instituição na localidade. O referencial
teórico se baseia em ARAGÃO (2013), JULIA (2001), LIMA (2001),
MOGARRO (2005) SOUZA (2013) LOPES (2012).

Palavras-chave:  Ensino secundário. Ginásio. Interiorização do ensino.


Política

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 29


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
GT 02
MOVIMENTOS SOCIAIS, GÊNERO E
ETNIA NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
MEMÓRIAS DE ESCOLARIZAÇÃO: RELATOS DE EX-
ALUNAS DE ESCOLAS DO ENSINO PRIMÁRIO E
GINASIAL DO SERTÃO DO PIAUÍ - 1960 A 1980
Jéssica Oliveira da Costa 
Jamyla Ysnayla da Silva Nunes Carvalho 
Marilde Chaves dos Santos
 
O presente trabalho objetiva investigar as memórias escolares de mulheres
que estudaram no ensino primário e ginasial no período de 1960-1980
no interior do Piauí. A questão norteadora da pesquisa é: Como ocorreu
o processo de escolarização feminina nas escolas primárias e ginasiais na
cidade de Floriano e seu entorno no período de 1960 a 1980? Ao propor
esta pesquisa queremos entender como foi se efetivando a presença
de meninas e como foi ocorrendo sua escolarização. Os autores que
subsidiarão nossa análise serão: Halbwachs (2006), Lopes (2011), Burke
(1992), Saviani (2006), Le Goff (1994), Lakatos (2009), Rodrigues (2003),
Romanelli (2010), Foulcault (2008), Luckesi (2011), Demes (2002), Ferro
(2006) e Castro (2012). Esta pesquisa situa-se no campo da história da
educação, utilizaremos a história oral como metodologia, pois, esta da
voz ao sujeito. Os relatos orais trazem consigo vivências, subjetividade e
memórias que não podem ser quantificadas. Os instrumentos de coleta de
dados foram entrevistas semiestruturadas e relatos orais. As participantes
das entrevistas apresentam lembranças de um sertão brasileiro atrasado,
onde a educação formal desenvolveu-se de forma lenta, de professores
mal formados, de escolas desestruturadas, onde se pouco ensinava e se
pouco aprendia, pouca presença feminina nas escolas, e quando presentes
alto índice de evasão escolar. Foi apresentando carência de investimento
financeiro, que fazia a educação ser precária, colocando as alunas em
péssimas condições de aprendizagem.

Palavras-chave: História da Educação. Ensino Escolar. Mulheres. Floriano-PI.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 33


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
 A MULHER, A PROFESSORA E A HISTORIOGRAFIA:
CONCEPÇÕES SOBRE O SUJEITO FEMININO E
TRAJETÓRIA HISTORIOGRÁFICA DA MULHER
Maria Alda Pinto Soares 
Maria do Amparo Borges Ferro 

Este trabalho fomenta discussões acerca do recente debate teórico e


metodológico sobre a História das Mulheres. Situada na linha de pesquisa
“História, Memória e Educação” a presente pesquisa tem por objetivo
geral apresentar algumas concepções sobre o sujeito feminino através
de uma interpretação sobre a trajetória historiográfica da mulher. Mais
especificamente, objetiva investigar as abordagens, espaços e desafios sobre
e/do sujeito mulher dentro do debate historiográfico; fomentar discussões
oriundas do debate teórico e metodológico sobre a mulher a partir da história
da educação e; analisar as visões estereotipadas sobre a mulher na sociedade
Maranhense/Codoense. O encaminhamento metodológico compôs-se
de: levantamento bibliográfico; levantamento documental no acervo de
periódicos da Biblioteca Pública do Estado do Maranhão (Biblioteca Benedito
Leite) e; visita ao Arquivo Público do Estado, com análise e interpretação de
jornais maranhenses que retratavam a temática. Nos resultados e discussões
apresenta a firmação da história enquanto disciplina científica e a reavaliação
do conhecimento histórico, o movimento feminista, a terceira geração dos
Annales, a feminização nas universidades e o surgimento dos estudos de
Gênero em 1980. Analisa ainda, a problemática gerada em torno das visões
estereotipadas da mulher e as brechas de emancipação feminina geradas a
partir da frequência das mulheres nas escolas normais. Por fim, conclui-se
que a inserção do sujeito mulher na historiografia vem sendo fortalecida
por um movimento mais amplo de apropriação que as mulheres têm de si e
ainda, dos esforços desenvolvidos em prol de sua ampliação enquanto seres
partícipes da vida em sociedade.

Palavras-chave: Mulher; Professora; Historiografia; Educação.

34  ODALÉIA ALVES DA COSTA


MÚSICA E RESISTÊNCIA: HISTÓRIA E MEMÓRIA NAS
MÚSICAS DE CHICO BUARQUE E GONZAGUINHA
Glémisson David Batista Marques
Maria das Graças do Nascimento Prazeres
Miguel Vinicius da Silva Moura

Este projeto tem por objetivo analisar a produção musical de Luiz Gonzaga
do Nascimento Júnior e Chico Buarque de Holanda na resistência e
militância durante a ditadura civil e militar. Para tanto, utilizaremos
pesquisa bibliográfica sobre a militância e a resistência à ditadura, pesquisa
da produção musical de Chico e Gonzaguinha, especialmente a produzida
nas décadas de 1970 e 1980 e análise das letras das músicas, buscando
identificar trechos que tem referência no movimento de militância próprio
da década de 1970. Em 1964, os militares ocuparam o poder instalando
um novo sistema que se caracterizou dentre outras, pelo autoritarismo,
repressão e controle. Os “anos de chumbo” se tornaram o ápice da política
autoritária com um forte sistema de censura e repressão, que tinha como
principais alvos jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas
e quaisquer outras formas de expressão artística e cultural que fossem
consideradas ofensivas ao estado. Com esta política repressiva, muitos
professores, políticos, músicos, artistas e escritores foram investigados,
presos, torturados ou exilados do país. É neste contexto que os jovens
músicos Chico Buarque e Gonzaguinha aparecem com suas músicas
recheadas de teor político e contestatório. Assim, busca-se compreender a
contribuição da produção musical destes para o movimento cultural que
fortaleceu o grito dos jovens nas décadas de 1970 e 1980 em resistência ao
sistema político vigente no Brasil, bem como seus valores de moral, ética
e cultura. Para fundamentar esta pesquisa, trabalharemos com autores
como Le Golf, Chiavenato, Nadine Habert, Paulo Arns e Glaúcio Dillo.

Palavras-chave: História. Ditadura Militar. Censura. Produção Musical.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 35


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
GT 03
INSTITUIÇÕES ESCOLARES E
POLÍTICAS EDUCACIONAIS
HISTÓRIA E MEMÓRIA DA CIDADE DE TIMON,
MA: UM OLHAR ATRAVÉS DAS BIOGRAFIAS DE
PATRONOS DE ESCOLAS MUNICIPAIS
Tiago Rodrigues da Silva 
Beatriz Bacelar Barbosa 
Odaléia Alves da Costa 

A presente pesquisa faz parte de uma maior onde foram construídas as


biografias de seis patronos das escolas municipais de Timon, Maranhão,
Brasil. Como os nomes em escolas são designados a indivíduos que
desenvolveram atividades com a finalidade de melhorias em sua
comunidade o foco das biografias foi analisar quem são esses patronos e
quais as suas contribuições para a cidade de Timon. Para tanto, adotou-
se uma abordagem qualitativa por meio de entrevistas semi-estruturadas
com sujeitos ligados ao convívio social e familiar dos biografados, bem
como pesquisas iconográficas e fontes documentais. Benedito Silvestre de
Sousa exerceu o cargo de vereador durante os anos de 1972 a 1982. O
patrono era popularmente conhecido como o “vereador abridor de ruas”.
Em sua homenagem o ex-prefeito e amigo político e pessoal designou seu
nome para uma escola da cidade. Urbano de Sousa Martins foi coronel
e interventor do município entre os anos de 1930 a 1945. Durante sua
gestão ocorreu a mudança do nome da cidade de Flores para Timon. Tem-
se, assim, a escrita biográfica dos patronos correlacionadas as análises
dos fatores sociais e históricos situados a sua época permitiram o resgate
de memórias destacando fragmentos da história da cidade de Timon.
Desse modo, as construções dessas biografias contribuem com a escrita
da historiografia da educação de Timon e da escola em que o patrono é
condecorado.

Palavras-chave: Biografias. Patronos Escolares. História e Memória.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 39


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
BIOGRAFIAS NA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO:
DE PROFESSORES A PATRONOS ESCOLARES
MUNICIPAIS DE TIMON - MA

Beatriz Bacelar Barbosa 


Tiago Rodrigues da Silva 
Odaléia Alves da Costa 

A escolha dos nomes de pessoas em escolas é um modo de homenageá-las,


pois de alguma forma contribuíram para a instrução pública. Com isso,
através do enfoque da História e Memória objetivou-se a construção de
biografias de patronos de duas escolas municipais de Timon, Maranhão:
Prof. Hermenegildo da Silva Osório e Profa. Antônia Diva Rodrigues dos
Santos. A escolha dessas instituições escolares partiu da problemática
de verificar como professores receberam a nomeação para se tornarem
patronos escolares. Metodologicamente, a pesquisa centrou-se na
História Oral através de uma abordagem biográfica com entrevistas semi-
estruturadas com sujeitos situados no convívio familiar do (a) patrono (a),
bem como pesquisas iconográficas e fontes documentais. Como resultados
tem-se que o patrono Hermenegildo da Silva Osório (1964-2003) exercia
a docência em Matemática em escolas do município de Timon, além
disso, foi militante de partido político que fazia apoio a ex-prefeita que o
escolheu como patrono da escola. A patrona Antônia Diva Rodrigues dos
Santos (1964-1985) trabalhava como professora da Educação Infantil na
localidade em que residia (Parque União) e na alfabetização de jovens e
adultos. Em sua homenagem a Associação de Moradores do Parque União,
em parceria com a Câmara Municipal de Vereadores da cidade institui
o seu nome para a escola do bairro. Diante disso, os usos de biografias
constituem ferramentas importantes para a investigação científica no
campo da história da educação, pois narram trajetórias de vida de sujeitos
ligados às camadas mais populares da sociedade timonense.

Palavras-chave: Patronos escolares. biografia. história e memória.

40  ODALÉIA ALVES DA COSTA


GESTÃO ESCOLAR: SABERES
NECESSÁRIOS PARA PRÁTICA
Francisco Marcelo Catunda de Oliveira 
Pergentina Parente Jardim 

A intencionalidade deste estudo é identificar quais os saberes que o gestor


escolar deve se apropriar para que a escola esteja dentro dos padrões
educacionais e éticos favoráveis e esperados pela comunidade escolar.
Realizou-se uma pesquisa bibliográfica considerando as contribuições de
autores como Luck (2005 e 2008), Paro (1999 e 2001), Rios (2000) e
Rosini (2006) entre outros, onde se enfatizou a definição do gestor, suas
tarefas e funções bem como as ferramentas utilizadas pelo mesmo para
imprimir uma rotina escolar favorável para o clima escolar. Concluiu-se
que é de primordial importância o reconhecimento de Gestor escolar
como intelectual da área e que esses saberes devem protagonizar um plano
de atitudes coletivas dentro da escola, onde a participação e colaboração
dos atores escolar sejam evidenciados e valorizados.

Palavras-chave: Gestor. Saberes. Gestão Participativa

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 41


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
O SURGIMENTO DO GINÁSIO MUNICIPAL OEIRENSE
NA CONJUNTURA EXPANSIONISTA DO ENSINO
SECUNDÁRIO NO PIAUÍ NA DÉCADA DE 1950
Amada de Cássia Campos Reis 
Maria do Amparo Borges Ferro 

Esse artigo está inserido na temática sobre instituição escolar e tem como
proposta central a apresentação do surgimento do Ginásio Municipal
Oeirense, escola de ensino secundário, criada em Oeiras em 1952. Procura
dar resposta para o seguinte questionamento: como se deu a inserção
do Ginásio Municipal Oeirense na rede secundária ginasial do Piauí, no
momento de expansão das escolas desse nível de ensino no Estado? Este
trabalho é resultante de pesquisa histórica no campo da educação apoiada
nos pressupostos teóricos da Nova História Cultural, tendo como base as
ideias de Certeau (2003), Lopes (2011), Queiroz (1998), Queiroz (1999),
Reis (2009) entre outros autores. A pesquisa utilizou como metodologia
estudos bibliográfico e documental, lançando mão das fontes localizadas
em arquivos públicos e particulares, além do uso da legislação vigente. Em
síntese esse trabalho vem confirmar que o Ginásio Municipal Oeirense,
surgiu seguindo a tendência modernizadora vivenciada na década de 1950
pelo país e estado. Vem contribuir para ampliar o acervo historiográfico
educacional piauiense trazendo informações enriquecedoras sobre a
história das instituições educativas local.

Palavras-chave: História de Educação. Instituição Escolar. Ginásio


Municipal Oeirense

42  ODALÉIA ALVES DA COSTA


EDUCAÇÃO ESCOLAR BRASILEIRA DO SÉCULO XIX:
TESSITURAS DE HISTÓRIA, MEMÓRIA E LITERATURA
José Marcelo Costa dos Santos 
Maria do Amparo Borges Ferro 

O presente artigo trata de um estudo sobre lembranças de escola a partir


de obras literárias, tendo como objeto de investigação dois textos do
escritor Machado de Assis: O Conto de Escola e fragmentos do romance
Memórias Póstumas de Brás Cubas, no recorte do capítulo XIII. O
problema estudado foi: quais os traços da educação escolar brasileira
do século XIX estão presentes nas obras machadianas? Os objetivos
propostos foram: analisar obras machadianas, no tocante às narrativas
sobre lembranças de escola, estabelecendo uma relação com aspectos
da história da educação escolar no Brasil do século XIX; apreciar obras
machadianas que tratam de memórias de escola; relacionar essas obras
com aspectos da história da educação do século XIX; e estabelecer uma
discussão em torno da relação entre memória, história e literatura, com
base em obras de Machado de Assis. Por meio de um estudo bibliográfico,
no qual foram contemplados autores como Bosi (1997), Ferro (2010),
Halbwachs (1994), Souza (2000), dentre outros, essa pesquisa mostrou
que há uma estreita relação entre história, memória e literatura e que as
obras contempladas retratam o tipo de escola e de formação que existiam
no referido período, o qual foi marcado por transformações de várias
naturezas e fomentou uma instrução escolar pautada na rigidez, disciplina
e hierarquias de poder.

Palavras-chave: Escola. História. Literatura. Memória.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 43


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
VOZ UNIVERSITÁRIA: ANÁLISE DOS DISCURSOS
ACERCA DA POLÍTICA EDUCACIONAL NO
ENSINO SUPERIOR POR MEIO DE PERIÓDICOS
UNIVERSITÁRIOS EM SÃO LUÍS,
DÉCADAS DE 1950 A 1960

Tatiane da Silva Sales 

Os jornais estudantis são importantes fontes de informações sobre a vida


acadêmica de uma instituição, além de demonstrarem os conteúdos mais
leves, como exemplo a escolha da garota mais bonita, discutem também as
insatisfações, incertezas, políticas voltadas para educação e divulgação de
congressos e pesquisas. Para composição deste trabalho utilizaremos como
fonte principal os seguintes jornais escritos por discentes universitários
em São Luís: “Universitário em Marcha”, “Voz Universitária”, “Esporte
Universitário” que ao longo da década de 1950 debateram os rumos do
ensino superior no estado. Desta feita, este trabalho objetiva identificar,
por meio destes três jornais, produzidos e veiculados entre alunos/as de
nível superior em São Luís, como se deu a dinâmica do ensino superior,
pelas lentes de alunos/as redatores, a discussão da política estudantil em
centros acadêmicos e os debates acerca da política educacional voltada
para os cursos de graduação no estado, com ênfase aos cursos de Direito,
Farmácia, Odontologia e Medicina que disputavam os espaços de maior
prestígio local. Sendo assim esta pesquisa trata-se de analisar a política
educacional para o ensino superior no Maranhão a partir das observações
e divulgações feitas pelos/as próprios/as alunos/as e compreender a
importância de tais debates para a fundação da primeira instituição de
ensino superior no Maranhão discutindo o processo de federalização e as
tentativas de fomento da universidade até sua fundação, em 1966.

Palavras-chave: Jornais Estudantis. Ensino Superior. Política Educacional.

44  ODALÉIA ALVES DA COSTA


HISTÓRIA E MEMÓRIA DO GRUPO ESCOLAR
PADRE DELFINO: 1959 E 1989
Maiara Iasmin Alves da Silva 
Odaléia Alves da Costa 

Objetivou-se reconstituir a história e a memória do Grupo Escolar Padre


Delfino localizado no município de Timon, Maranhão. Para tanto, fez-se
uso de fontes documentais, levantamento realizado junto à secretaria da
escola, em seguida fez-se uso de fontes orais, através de entrevistas com
uma ex-diretora, duas ex-professoras e duas ex-alunas. Posteriormente,
realizou-se o cruzamento das fontes documentais com as fontes orais.
Utilizou-se como referencial teórico autores como: Gatti Junior (2002),
Buffa (2002), Ferreira (2000) e Motta (2006). As entrevistadas relataram
suas rotinas dentro da instituição de ensino, onde as alunas diariamente
deveriam cumprir regras estabelecidas pela direção escolar, realizando,
por exemplo, atividades cívicas e religiosas. A partir do depoimento das
entrevistadas acredita-se que existia a moralidade e o respeito entre
funcionários e alunos, além disso, as entrevistadas também relataram
como ocorria os preparativos das atividades cívicas e culturais realizadas na
instituição de ensino, principalmente aos desfiles cívicos de 7 de setembro.
As comemorações através de festas e de demonstrações culturais foram
momentos marcantes nas vidas dos discentes e docentes e favoreceram o
aprendizado dos alunos.

Palavras-chave: História e Memória. Grupo Escolar Padre Delfino. Timon/


MA.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 45


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
MEMÓRIA E HISTÓRIA DE UMA INSTITUIÇÃO
ESCOLAR: GINÁSIO PARNAIBANO (1927-1959)
Juliana Brondani da Costa 
Antonio de Pádua Carvalho Lopes 

O objetivo desse artigo é o resgaste da história e memória do Ginásio


Parnaibano no período de 1927 a 1959. Justifica-se a temporalidade dado que
em 1927 ocorreu sua fundação e 1959 a sua estadualização. Busca-se, portanto
resgatar sua história, seu processo de criação e instalação, sua cotidianidade
institucional em vista da educação secundária oferecida por instituição escolar.
Para a estruturação do trabalho serão privilegiados os documentos da própria
instituição, a imprensa local, bem como materiais oriundos de acervos de ex-
alunos. A metodologia de investigação dos aspectos envolvidos na construção
da história do Ginásio Parnaibano, a movimentação entre o embasamento
teórico e as fontes permitiram a reconstrução do período histórico analisado.
Contudo, optou-se pela análise documental, bem como a história oral como
técnica de pesquisa com o objetivo de elucidar questões específicas acerca da
temática do ponto de vista local. A criação do Ginásio resultou da articulação
da elite econômica e intelectual da cidade e visava oferecer a juventude,
principalmente masculina, o ensino secundário necessário para inserção em
um curso superior. Esse nível de escolaridade era considerado importante
para o desenvolvimento do país, por ser uma forma de propiciar aos jovens
uma formação escolar que os preparava para o ensino superior e para assumir
postos sociais importantes, compondo as lideranças da sociedade brasileira. O
movimento de investigação permitiu inferir que a instituição escolar estudada,
tinha centralidade no processo de escolarização em nível secundário na
cidade de Parnaíba, porém de modo algum, exclusividade, dado que outras
instituições escolares atendiam esse mesmo nível de ensino. A pesquisa tem
como fundamentação teórica e historiográfica os postulados elaborados por
Le Goff (2003), Ecléa Bosi ( 2004), Rosa Fátima de Sousa (2008), Iweltman
Mendes (2007), Alvarenga (2013), Julia Napoleão (2013), Antonio de Pádua
Carvalho Lopes (2001), dentre outros.

Palavras-chave: História. Memória. Ginásio Parnaibano

46  ODALÉIA ALVES DA COSTA


IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS
NO ENSINO SUPERIOR A PARTIR DA LDB
Nº 9.394/96
Frazia Regina Sousa Ibiapina
Lisiane da Silva Chaves
Mara Andreia Alves Cunha
Marcos Fabricio Rodrigues da Costa
Nhabilla Fernanda Araújo Silva
Joelson de Sousa Morais

O presente trabalho tem como tema a “Implementação de políticas


educacionais no Ensino Superior a partir da LDB nº 9.394 de 1996”. Tendo
como objetivos compreender a reforma universitária através da referida lei, bem
como desvelar as contribuições referentes a avaliação, a autonomia e a melhoria
do ensino ao longo de todo esse processo. O referido trabalho foi desenvolvido
por meio de pesquisa bibliográfica realizada a partir de livros, sites e artigos.
Abordou-se como problema de central de pesquisa: Quais implicações de
políticas educacionais foram relevantes no Ensino Superior visando o benefício
da população de acordo com a LDB nº 9.394/96? A fundamentação teórica
e metodológica foi baseada nos estudos de Shiroma (2011), Morais (2011),
Evangelista (2011), dentre outros; os quais retratam fatos históricos marcantes
acerca das reformas de políticas educacionais do ensino brasileiro no âmbito
do Ensino Superior. Obtivemos como resultados os benefícios das reformas
universitárias no âmbito da melhoria da qualidade de ensino, mostrando as
principais mudanças que ocorreram com o advento da LDB nº 9.394/96,
dentre as quais destacaram-se a capacitação do recurso humano e a expansão
do número de matrículas. Diante disso conclui-se que a LDB nº 9.394 de 1996
foi crucial para a implementação de políticas educacionais no ensino superior
que consequentemente possibilitou avanços de grande relevância na educação
nacional, contribuindo assim, para a construção de uma sociedade capaz de
formar indivíduos críticos, reflexivos e democráticos.

Palavras -chave: Políticas Educacionais. Ensino Superior. LDB nº 9.394/96.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 47


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
OS DESAFIOS ENCONTRADOS PELOS ALUNOS DA
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
Francileia da Cruz Machado 
Oziane Lima Conceição 
Joanna D’arc Medeiros 
Samara dos Reis Sousa 
Tatiane Medeiros de Moura 
Joelson de Sousa Morais 

O presente trabalho tem como temática “Os desafios encontrados pelos


alunos da Educação de Jovens e Adultos”, para o qual faz uma abordagem
sobre os principais desafios que professores e alunos encontram na escola,
visto que a educação de jovens e adultos é permeada por varias dificuldades
como evasão escolar, e o enfrentamento aos problemas oriundos da
situação de analfabetismo, além do árduo processo de retornar à escola,
uma vez que na maioria das vezes, esses jovens e adultos trabalham durante
o dia e estudam a noite. Os principais objetivos que nortearam a pesquisa
foram: Analisar os desafios e perspectivas de alunos e professores frente
à Educação de Jovens e Adultos; bem como refletir acerca dos principais
avanços e desafios enfrentados na EJA na prática docente. Trata-se de uma
pesquisa de abordagem bibliográfica no qual foram utilizadas investigações
em livros, artigos, revistas científicas, internet, teses e dissertações acerca
do assunto. Para fundamentar este estudo foram utilizadas as reflexões de
Freire (2011); Ferreira (1990); Aranha (2012); Gadotti; Romão (2011); entre
outros. Os resultados mostraram que o processo de ensino e aprendizagem
muitas vezes ocorre diante de uma série de dificuldades, ora enfrentadas pela
inexistência de políticas públicas para essa modalidade de educação, como
também na necessidade de melhoria da prática pedagógica dos professores,
em relação à falta de materiais didático-pedagógicos, à motivação para
ensinar e a heterogeneidade dos alunos, que impactam diretamente na
mobilização dos saberes e fazeres de professores no cotidiano da atuação
profissional.

Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos. Analfabetismo. LDB.

48  ODALÉIA ALVES DA COSTA


GT 04
EDUCAÇÃO PROFISSIONAL
OS “MENINOS DESVALIDOS” DAS ESCOLAS DE
APRENDIZES ARTÍFICES (1909-1942)
Antonio Meneses Filho 

O presente artigo tem como tema a criação das Escolas de Aprendizes


Artífices (1909-1942), com foco nos “meninos desvalidos”. De natureza
documental e bibliográfica, tem por objetivo apreender quem são os
“meninos desvalidos” das Escolas de Aprendizes Artífices, com recorte
no período de 1909 a 1942. O marco temporal demarca as atividades
de funcionamento dessas Escolas por três décadas (SOARES, 1982). Em
julho de 1909, Nilo Peçanha assina, em 23 de setembro, o Decreto nº
7.566, que institui oficialmente a educação profissional. Esse momento
representou para a História da Educação Profissional do Brasil um
movimento importante nas iniciativas de se empreender um novo
jeito de pensar a educação, ofertando ao menor da época o ensino
profissional primário e gratuito, promovidas pelo assistencialismo e pela
“preservação” da infância, expressos no decreto. Essa normativa traz
algumas qualificações a esses menores que, a princípio, podem causar
juízo de valor sem apreender o contexto histórico-sociocultural de então.
Nesse sentido, a pesquisa parte dessa problemática, a fim de se alcançar o
objetivo. Como referencial teórico, parte-se das ideias de Chamon (2008),
Gonçalves (2012), Moura (2007), Soares (1980), dentre outros autores. A
pesquisa constata, portanto, que, nos ditames da legislação, os “meninos
desvalidos” eram os sujeitos da incipiente República que, em troca da
educação escolar, trabalhavam para o “desenvolvimento” do País, na qual
a disciplina o definia em troca de um “ofício”.

Palavras-chave: Escolas de Aprendizes Artífices; Meninos “desvalidos”;


Educação Profissional.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 51


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
PERSPECTIVA HISTÓRICA (1939-2014), LEGAL E
AS PERCEPÇÕES DOS PROFESSORES DO BRASIL
E DE PORTUGAL SOBRE FORMAÇÃO E PERFIL
PROFISSIONAL
Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento 

O presente trabalho analisa os cursos de formação de professores do Brasil e


de Portugal, neste recorte abordamos a histórica, a base legal e a contribuição
de suas formações para o desenvolvimento profissional docente. Partimos
do seguinte problema de pesquisa: Quais as percepções dos professores
formadores sobre formação inicial e desenvolvimento profissional? Como
objetivo geral: analisar a história, base legal e a percepção dos professores
do Brasil e de Portugal sobre formação e desenvolvimento profissional
decente. A metodologia baseia-se na pesquisa comparativa com base
qualitativa/quantitativa, como instrumentos e técnicas de coleta de dados,
realizamos: observação, questionário e a entrevista semiestruturada.
Fundamentamo-nos em autores, tais como: Freire (2010); Marcelo García
(1999); Ramalho, Nuñez e Gauthier (2004); Houssaye (2004); Pintassilgo
e Oliveira (2013); Shulman (2005); Saviani (2010); Nóvoa (1997);
entre outros. Realizamos ainda um estudo dos documentos oficiais. Os
resultados da pesquisa apontaram diferenças e semelhanças entre os cursos
de formação de professor do Brasil e de Portugal. É preciso ampliar as ações
por uma formação que adote os princípios reflexivos e críticos de modo
que a profissão conquiste credibilidade e respaldo profissional, enquanto
processo de construção da profissionalização. A trajetória profissional dos
professores é marcada pelas primeiras experiências na Educação Básica e
depois Educação Superior, assim, os professores tem respaldo e respostas
aos problemas vivenciados durante os estágios e nas atividades pedagógicas.
Sugerimos que a UEMA e a ESELx repensem a atual formação, superem o
distanciamento entre teoria-prática e reestruturem o currículo, atualizando
a formação do professor, que ensina no século XXI.

Palavras-chave: Pedagogia. Profissional. Pedagógica. Desenvolvimento


Profissional

52  ODALÉIA ALVES DA COSTA


O REMARKETING APLICADO À INDÚSTRIA DE
SERIOUS GAMES EDUCACIONAL NOS
ÚTIMOS 3 ANOS
Francisco Nivaldo Monteiro Cardoso 

Apresenta-se aqui uma síntese do consumo de bens simbólicos


representados pelo processo de artificação da indústria de games (Heinich,
2013, p.21), focado no seguimento de ecossistema serious educacional na
forma específica de publicidade Remarketing do Google. O objetivo aqui,
portanto, é compreendê-lo enquanto nova forma de estratégia publicitária
e como tem sido utilizada em função do mercado cultural de games na
atualidade. Quais os fatores que desencadeiam o desejo ou concretização
de consumo de serious games educacional quando utilizadas as diversas
formas de publicidade do Remarketing? Percebe-se o uso das redes sociais
e os gerenciadores de busca para a disseminação de bens simbólicos, o que
é ratificado também por Miskolci (2016). Fez-se levantamento dos dados
estatísticos de vendas deste ecossistema por mercados, baseados no último
Mapeamento da Indústria Brasileira e Global de Jogos Digitais (BNDES,
2014), após observou-se os gastos de markentig que a indústria costuma
utilizar e, por último, a análise das vantagens e resultados que a solução
Remarketing oferece para a economia de bens culturais. Os investimentos
convencionais em marketing mostra uma quantia baixa. Outra explicação
é que, uma grande quantidade de serious games educacional é feita por
encomenda, o que dispensa o investimento em grande escala (BNDES,
2014), corroborando para a solução inovadora, de baixo custo e com alta
confiabilidade do Remarketing. A publicidade, mais do que nunca, precisa
ser o espaço e tempo do negócio, seja ela presencial ou mediada por
tecnologias, como nessa situação o olhar fixado na Web.

Palavras-chave: remarketing; serious games; educacional.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 53


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
GT 05
DISCIPLINAS ESCOLARES E ENSINO
DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
MEMORIAL ESCOLAR DE FUTUROS PROFESSORES
PARA COMPREENSÃO DO PERFIL DO ALUNO
INGRESSANTE NUM CURSO DE LICENCIATURA
Jackson Rafael do Nascimento França 
Odaléia Alves da Costa  

Qual o perfil do aluno ingressante no curso de Licenciatura em Ciências


Biológicas? Para responder a essa questão, analisamos memoriais escolares
escritos por alunos da disciplina História da Educação no 1º p. do curso
de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas (LPCB) do IFMA – Campus
Timon. Os memoriais tiveram como pontos em comum: as instituições, as
festividades, as disciplinas, os(as) professores(as) marcantes, dentre outros.
Teve-se como objetivo analisar o perfil dos alunos ingressantes no curso
de LPCB a partir dos memoriais produzidos pelos estudantes, das turmas
de 2013 e 2016. Para as análises dos memoriais foram adotadas algumas
categorias fundamentadas em Bourdieu (2002): habitus, capital cultural e
capital econômico, que se relacionam umas com as outras. Também foram
utilizados como referenciais teóricos Pollack (1989) e Halbwachs (2006).
Foram analisados 44 memoriais escolares dos estudantes ingressantes,
sendo 22 alunos do sexo feminino e 22 alunos do sexo masculino, com
faixa etária variável entre 17 e 31 anos de idade. Informações sobre o capital
econômico e habitus tiveram grande destaque, onde eles relataram sobre a
situação econômica das famílias. Os alunos ingressantes no ensino superior
público, são provenientes uma parte exclusivamente da rede pública,
outros apenas da rede privada de ensino. E ainda, uma parcela teve sua
trajetória escolar em escola pública e em escola privada. Concluímos que
os ingressantes além de suas memórias individuais relataram memórias
coletivas, quer sejam vivências nas mesmas instituições escolares, opiniões
sobre professores, participação em desfiles cívicos, feiras de ciências, festa
junina, viagens técnicas, dentre outros.

Palavras-chave: trajetórias escolares. memoriais. instituições escolares

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 57


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
O ENSINO RELIGIOSO NOS CURRÍCULOS
ESCOLARES DAS ESCOLAS PÚBLICAS PRIMÁRIAS
DO ESTADO DE SÃO PAULO – UMA ANÁLISE
DO PROGRAMA DE ENSINO RELIGIOSO DA
ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO DE 1952
Andréia Martins

Esta pesquisa objetiva analisar o programa de ensino religioso proposto


pela Cúria Metropolitana de São Paulo para a disciplina de religião que
deveria compor, como disciplina facultativa, os currículos das escolas
públicas primárias paulistas no ano de 1952. A pergunta que norteia este
trabalho é: Como a Igreja Católica se apropriou da forma escolar para
ensinar seus princípios religiosos nas escolas púbicas primárias paulistas?
As análises foram realizadas a partir dos debates em torno dos conceitos
de disciplina escolar e história dos currículos, fundamentados em Goodson
(1990, 1995, 2001), Chervel (1990) Forquin (1992) e Bittencourt (2003). O
trabalho situa-se no campo da historia da educação, entendemos que fazer
historiografia é dar voz aos fatos, interrogar sobre os indícios, questionar
os documentos, transformando-os em fontes de pesquisa, é um processo
que requer a compreensão do que seja o ofício do historiador. Após análises
dos documentos, percebemos que a concepção teológica da Igreja estava
presente no programa de ensino, que são reescritas e detalhadas em seu
plano de ensino. O que diferencia o conteúdo teológico ensinado nas
escolas do catecismo aplicado nas paroquias e a apropriação da forma
escolar, da racionalização do ensino, da esta estrutura do planejamento,
a disciplina foi sendo constituída com um conteúdo teológico do século
XV, porem revestido pelas novas pedagogias do século XX.

Palavras-chave: História da Educação. Ensino Religioso. Currículo.


Disciplina escolar. Escola pública

58  ODALÉIA ALVES DA COSTA


GT 06
PROFISSÃO DOCENTE E FORMAÇÃO
DE PROFESSORES
O PROCESSO EMANCIPATÓRIO DO PROFESSOR
BACHAREL EM ENGENHARIA EM SEU PERCURSO
FORMATIVO (1975 A 2016)
Magnaldo de Sá Cardoso 
Maria do Amparo Borges Ferro

O presente trabalho analisa o processo emancipatório do profissional


docente bacharel em engenharia da UFPI, em seu percurso de formação
acadêmica e de práticas educativas. Busca compreender como esse
professor, oriundo de um Centro de Ensino de Formação em Ciências
Exatas e, por conseguinte, não tendo na sua formação inicial estudos
voltados à docência, atuou na prática em sala de aula de forma livre e
emancipatória. A questão central que este trabalho busca responder é
qual a contribuição da instituição acadêmica no processo de emancipação
das relações e as interações que se estabelecem, tanto fora quanto no
próprio interior do ambiente de trabalho e de aprendizagem. Propõe-se
uma análise acerca do processo de desenvolvimento profissional docente
do professor engenheiro perpassando pelo resgate/reconstrução de sua
história de vida, segundo Nóvoa (1992), “[...] um indivíduo reconhece-se
na história de vida que conta a si próprio sobre si próprio”. Dessa forma,
procura resgatar essa questão inquietadora acerca do desenvolvimento
emancipatório das práticas pedagógicas de docentes do ensino superior
oriundos de cursos de graduação que não têm objetivo de formar
profissionais da educação. O recorte compreende o período 1975 a 2016
e apoia-se em estudo historiográfico fundamentado na História Cultural
através de autores como Roger Chartier. Recebe influência de Michel de
Certeau, Viñao Frago, António Nóvoa, Maurice Halbwachs, Cecília Souza,
alguns dos quais merecem maior destaque.

Palavras-chave:  História da Educação. Engenharia. Formação de


professores

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 61


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
AS HISTÓRIAS FORMATIVAS DE PROFESSORAS
INICIANTES NA ESCOLHA DA PROFISSÃO E SUAS
IMPLICAÇÕES NO COTIDIANO PROFISSIONAL
Joelson de Sousa Morais 

O presente artigo que tem como tema “As histórias formativas de


professoras iniciantes na escolha da profissão e suas implicações no
cotidiano profissional” é fruto de uma pesquisa qualitativa realizada
com 03 professoras iniciantes que atuam nos anos iniciais do ensino
fundamental na rede pública municipal de Caxias-MA. Trata-se de um
recorte da dissertação de mestrado do autor realizado na Universidade
Federal do Rio Grande do Norte-UFRN e financiada pela CAPES. Os
instrumentos de investigação realizadas foram: observações, diário de
pesquisa e entrevista narrativa. Nos questionamos como problema de
pesquisa: Quais as implicações das histórias formativas de professoras
iniciantes no desenvolvimento profissional? O objetivo deste trabalho
é: compreender as histórias formativas de professoras iniciantes e suas
implicações no processo de profissionalização. Nos fundamentamos
teórico-metodológica e epistemologicamente nos Estudos do Cotidiano
com Oliveira (2010), Alves (2001), Certeau (2010); entrelaçando-se com o
Paradigma da Complexidade em Morin (2010) e em autores que discutem
sobre formação de professores e profissionalização docente como
Huberman (2000), Marcelo Garcia (1999), Nóvoa (2009), Tardif (2012),
entre outros. Os resultados da pesquisa mostraram que as professoras
iniciantes se mostraram potencialmente implicadas em suas histórias
de vida, ao narrarem que suas escolhas profissionais tem intrínseca
relação com os saberes e fazeres que se materializam no cotidiano do seu
desenvolvimento profissional. Do mesmo modo, os percursos formativos
aos quais trilharam, permitiram ir tecendo múltiplas identidades como
professoras, constituindo a carreira e a profissão ao longo do tempo.

Palavras-chave: Professoras Iniciantes. Histórias Formativas.


Profissionalização Docente

62  ODALÉIA ALVES DA COSTA


OS PORTA-VOZES DOS IDEAIS DA ESCOLA NOVA:
A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRIMÁRIOS NO
PIAUÍ (1930 A 1961)
Vilma da Silva Mesquita Oliveira 
Maria do Amparo Borges Ferro 

O presente estudo visa discutir a formação dos professores primários no


Piauí, ressaltando o papel dos educadores, enquanto difusores da proposta
pedagógica da Escola Nova entre os anos de 1930 a 1961. A problemática
centra-se no seguinte questionamento: Quais as contribuições dos ideais
da Escola Nova para a formação dos professores primários no Piauí? Como
modo de desenvolver esse estudo, traçamos o seguinte objetivo geral:
analisar a propagação dos ideais da Escola Nova, através da formação
dos professores primários no Piauí, entre os anos de 1930 a 1961. E como
objetivos específicos: descrever as propostas educacionais da Escola
Nova na educação primária; identificar os discursos que influenciavam
os professores a seguir as inovações educacionais propostas pela Escola
Nova e verificar nas reformulações curriculares e legislações educacionais,
indicativos que demonstrem os professores primários como propagadores
do modelo educacional da Escola Nova. De natureza historiográfica, esse
estudo se fundamenta na Nova História Cultural em autores como: Burke
(1992, 2008); Le Goff (2001) e em autores que discutem a temática como:
Azevedo (2010); Brito (1996); Castelo Branco (2009); Queiroz (2008),
entre outros. Foram utilizados os jornais Diário Oficial e O Dia e Relatórios
Governamentais, para as análises do período que compreende o estudo.
Os resultados apontam que a formação dos professores primários no
Piauí, teve a intenção de propagar os novos modelos educativos da Escola
Nova, além de torná-los porta-vozes do ideal a ser estabelecido.

Palavras-chave: Formação de Professores. Escola Nova. Piauí.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 63


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
UTILIZAÇÃO DE PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO COMO
METODOLOGIA DE ENSINO NA EDUCAÇÃO BÁSICA
Jonas de S. Camilo 
Ana Paula Martins Trindade 
Thais Cristina V. de Carvalho 
Raimundo Nonato de Souza 
Maria Nazaré B. dos Santos 

Na Educação Básica os professores de Física se deparam com grandes desafios


ao tentar relacionar os conteúdos da disciplina com o cotidiano dos alunos,
buscando fazer com que os mesmos tenham interesse e motivação para
desenvolver seu pensamento. Este trabalho tem como problema de pesquisa:
Como acontece a prática pedagógica de professores de física na perspectiva
do ensino com projetos de investigação no cotidiano da sala de aula? Nessa
perspectiva, esse artigo descreve uma das ações pedagógicas sugeridas por
vários autores, tais como Ventura (2002), Nicolini e Moraes (2005), Antunes
(2008), Matos (2009) entre outros, como uma das alternativas que poderá
minimizar as dificuldades de aprendizagem dos alunos da contemporaneidade.
Trata-se de uma metodologia ativa de aprendizagem, a metodologia de
projetos usada no processo de ensino e aprendizagem. Trata-se de uma
artigo que se inscreve como um relato de experiência desenvolvid, no qual
aplicamos essa metodologia no ensino de Física, no ano de 2016, em uma
escola pública estadual em Teresina, como uma das atividades desenvolvidas
pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) da
área de Física, visando desenvolver no aluno a motivação pelas atividades
escolares, a autonomia, criatividade, habilidades de trabalhar em grupo,
entre outras habilidades. Por se tratar de uma nova metodologia de ensino
encontrou-se várias dificuldades ao longo de sua execução porém ao final
da realização das atividades notou-se a adaptação a essa nova metodologia e
o comprometimento da maioria dos alunos com as atividades desenvolvidas
tornando as aulas mais proveitosas e discursivas.

Palavras-chave: Metodologia de Projetos. Processo de Ensino e Aprendizagem.


Criatividade.

64  ODALÉIA ALVES DA COSTA


A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO
PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA A PARTIR DA
ESCOLA NORMAL VENCESLAU BRÁS
Antonio Meneses Filho 

O presente artigo tem como tema a Formação de professores, focalizando-


se essa formação na Educação Profissional e Tecnológica (EPT). Produto
da disciplina História da Educação Profissional no Brasil, no Programa de
Pós-Graduação em Educação Tecnológica do Centro Federal de Educação
Tecnológica de Minas Gerais, este artigo é de natureza documental e
bibliográfica, e tem por objetivo fornecer subsídios para a compreensão
da formação de professores para a EPT, com recorte na Escola Normal
de Artes e Ofícios Venceslau Brás, em 1917, no então Distrito Federal. No
Brasil, a ausência de políticas perenes tem caracterizado, historicamente,
as iniciativas de formação de professores para a EPT (COSTA, 2016;
MACHADO, 2008; MOURA, 2008; OLIVEIRA, 2008). Para se fornecer
subsídios para o entendimento da formação docente, apropriou-se das
ideias de Brandão (1999), Cunha (2005), Manfredi (2002), Machado
(2008) e Soares (1982), dentre outros autores. Constata-se que esse
campo carece de políticas perenes.

Palavras-chave: Formação de professores; História da Educação


Profissional; Escolas de Aprendizes Artífices; Escola Normal de Artes e
Ofícios Venceslau Brás.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 65


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
FORMAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL
NA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES DO BRASIL E
DE PORTUGAL
Franc-Lane Sousa Carvalho do Nascimento 

Neste trabalho discutimos a formação e o desenvolvimento profissional


do professor da Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental.
Definimos como objetivo: analisar os cursos de formação inicial de
professores do Brasil e de Portugal, em vista do desenvolvimento profissional
e a importância das dimensões pedagógica, didática, tecnológica e científica.
Delimitamos como problema de pesquisa: Quais as dimensões que orientam a
formação e o desenvolvimento profissional do professor do Brasil e de Portugal?
Optamos pela pesquisa comparativa de caráter qualitativa/quantitativa,
como instrumentos e técnicas de estudo a observação, questionário e a
entrevista semiestruturada. Fundamentamo-nos em autores, como: Freire
(1996); Marcelo García (1999); Ramalho, Nuñez e Gauthier (2004); Saviani
(2009); Nóvoa (1997); entre outros. Os resultados da pesquisa apontaram
diferenças e semelhanças, assim, no Brasil, há maior relevância nas dimensões
pedagógica e didática, desfavorecendo a tecnológica e científica. Em Portugal
há o predomínio das dimensões pedagógica e científica, em detrimento da
didática e tecnológica. Os professores apontam a necessidade de mudança
no currículo para que sejam vivenciadas essas quatro dimensões. Portanto,
nas duas realidades estudadas, as dimensões não estão sendo trabalhadas
de forma equilibradas, o que dificulta a consolidação do desenvolvimento
profissional. No entanto, nos últimos anos houve maior incentivo na
formação de professores, melhoria na atuação, aumento na oferta de
disciplinas, acréscimo da carga horária das práticas e reformulação da matriz
curricular. Sugerimos que a UEMA e a ESELx repensem a formação, superem
o distanciamento entre teoria-prática e reestruturem o currículo, atualizando
as dimensões pedagógica, didática, tecnológica e científica.

Palavras-chave: Formação Inicial. Desenvolvimento Profissional.


Profissionalização

66  ODALÉIA ALVES DA COSTA


HISTÓRICO DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES SOB
A ANÁLISE DA TRAJETÓRIA DA LEI DE DIRETRIZES E
BASES DA EDUCAÇÃO NACIONAL
Andressa Layane dos Santos Sousa 
Galeno Sampaio Fernandes 
Joelson de Sousa Morais 

Esta investigação visa a análise histórica acerca da formação de professores


de acordo com a trajetória da Lei de Diretrizes e Bases da Educação
Nacional, com enfoque nos elementos que determinaram a direção do
processo formativo de educadores no país. Faz-se necessário realizar a
breve contextualização acerca da trajetória da educação brasileira, com
foco na chegada dos jesuítas, até sua configuração atual. O objetivo desta
pesquisa é compreender o processo histórico da formação de professores;
e refletir seus impactos na atual LDB. Esta pesquisa é fundamentada
em documentos bibliográficos, a fim de conceber uma discussão crítica
por meio das fontes literárias. O problema de pesquisa instiga: como
a formação de professores se configurou com as mudanças na Lei de
Diretrizes e Bases da Educação Nacional? Assim, a problematização e
contextualização estão baseadas em Romanelli (2003), Saviani (2004),
Tanuri (2000), além de outros teóricos que estão vinculados a formação de
educadores. É necessário evidenciarmos que as modificações no cenário
político, econômico, social, e cultural, foram elementos decisivos quanto
às modificações em relação à formação docente através dos tempos,
levando em consideração as mudanças na lei e suas consequências no
atual processo de construção de conhecimentos entre os educadores.

Palavras-chave: História da Educação. Formação de Professores. Lei de


Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 67


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
A INDISCIPLINA ESCOLAR ENTRE ONTEM E HOJE:
REPERCUSSÕES E IMPACTOS NA PRÁTICA EDUCATIVA
Fernanda de Sousa Prudencio 
Ana Karina Sousa Limeira 
Rejane Cardoso Pereira 
Andressa Layane dos Santos Sousa 
Joelson de Sousa Morais 

Este trabalho aborda uma das maiores adversidades pedagógicas na educação:


a indisciplina na sala de aula e sua interferência na prática educativa no ensino
fundamental. A razão de investigar a indisciplina na sala de aula justifica-se
através da interferência desta no trabalho docente, pois o comportamento
dos alunos intervém fundamentalmente no objetivo primordial da missão de
ensinar, que é a base da atividade educativa. A problemática desta pesquisa
questiona: Quais os desafios dos educadores frente a indisciplina na sala de
aula? O objetivo deste trabalho é compreender a interferência da indisciplina
nas ações docentes em sala de aula. Os instrumentos utilizados para dar
fundamentação a esta pesquisa são de cunho bibliográfico e de natureza
qualitativa e descritiva, através da utilização de artigos, livros, monografia,
revista e outros. O embasamento teórico-metodológico e epistemológico nos
estudos é formado por Aquino (1999), Parrat-Dayan (2009), Vasconcellos
(2008), Marcelo Garcia (1999) e ente outros. Os resultados da pesquisa
mostraram que na maioria das vezes, a indisciplina interfere na prática
educativa dos profissionais docentes ocasionando consequências na ação
pedagógica. O professor quanto ao gerenciamento dos atos indisciplinares,
defronta com muitos desafios que interfere em suas atividades docentes,
barreiras estas atreladas a fatores externos e internos, como contexto
social, familiar, ambiente escolar e a mídia. Constata-se que o professor
tem atribuição de conduzir as relações interpessoais frente às consequências
negativas causadas pela indisciplina no processo educativo.

Palavras-chave: Indisciplina na Sala de Aula. Prática Educativa. Relação


Professor-Aluno.

68  ODALÉIA ALVES DA COSTA


A CADES NO PIAUÍ: HISTÓRIA E MEMÓRIA DA
FORMAÇÃO DE PROFESSORES SECUNDÁRIOS
(1956-1971)
Francisco Gomes Vilanova 

O presente estudo é resultado de uma investigação sobre as ações da


Campanha de Aperfeiçoamento de Difusão do Ensino Secundário (CADES)
no processo de formação e qualificação de professores secundários no
Piauí no período 1956-1971. Cronologicamente, o marco inicial-1956- se
justifica por ter sido o ano em que a CADES começou sua atuação no
Estado com a realização de cursos de qualificação de professores e se
estende até 1971, por ser considerado como ultimo ano de atuação da
Campanha. O objetivo da pesquisa incide em analisar como ocorreu a
atuação da CADES no processo de formação dos professores secundários
do Piauí. O arcabouço teórico da pesquisa fundamenta-se em: Pinto
(2008), Xavier (2008), Baraldi e Gaertner (2010), Carvalho (2013),
Reis e Ferro (2016), além de outros. A metodologia do estudo partiu de
uma análise documental que trata da temática abordada como escritos
oficiais, fontes hemerográficas disponível no arquivo público do Piauí
e relatos de memória de sujeitos cujo o processo de formação vincula-
se as ações da Campanha no Estado. A análise preliminar das fontes
disponíveis mostram que a CADES contribuiu de maneira significativa
para a formação emergencial dos professores secundários piauienses
por meio da oferta de cursos preparatórios para exames de suficiência
que concedia aos aprovados autorização para o exercício do magistério
secundário piauiense

Palavras-chave:  História. Formação de Professores. Ensino Secundário.


CADES

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 69


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
GT 07
FAMÍLIA, INFÂNCIA E JUVENTUDE
LONGEVIDADE ESCOLAR DE ESTUDANTES DA
CAMADA POPULAR DE UMA ESCOLA PÚBLICA
NO MARANHÃO
Mariana Cardoso de Abreu 
Mateus da Costa Oliveira 
Mônica Rochelle Alves Silva 
Odaléia Alves da Costa 

O sucesso neste referido trabalho é definido e caracterizado pelo acesso


e permanência das alunas, em universidades públicas e no mercado de
trabalho. Objetivou-se identificar os fatores que justificam como alunas
egressas do Centro de Ensino Jacira de Oliveira e Silva, provenientes
da classe popular avançaram na carreira profissional e no mercado de
trabalho. Adotou-se como referencial teórico os estudos de Lahire (1997),
Viana (1998) e Piotto (2007): estudos fundamentais para investigação
do “fenômeno” de sucesso escolar nos meios improváveis e, também, a
importância da família para a formação de alunos originados da camada
popular. As egressas estudaram na referida escola entre os anos de 2000 a
2006 onde cursaram os três anos do Ensino Médio. Para coleta de dados,
foram realizadas entrevistas guiadas, com 4 alunas egressas do Jacira de
Oliveira e Silva, provenientes da classe popular e que foram aprovadas em
universidades públicas. Ingressaram e concluíram seus cursos, dedicando-se
aos estudos, obtendo assim, sucesso na formação acadêmica e profissional
e no mercado de trabalho. Os professores do Centro de Ensino Jacira de
Oliveira e Silva cobravam dedicação dos estudantes, incentivando-os para
prestarem exames vestibulares, e alguns docentes presenteavam os alunos
mais esforçados com livros didáticos, uma vez que a escola não distribuía
livros para todos os discentes. É muito difícil traçar uma conclusão em
situações como estas, onde as trajetórias analisadas são “casos singulares”,
uma vez que irmãos provenientes de uma mesma família, e que estudaram
nas mesmas escolas, tiveram trajetórias completamente diferentes.

Palavras-chave: trajetórias de sucesso. acesso e permanência. classe popular

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 73


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
GT 08
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E
EDUCAÇÃO COMPARADA
RASTROS DE CONCEIÇÃO CARVALHO NAS ATAS DO
CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO NA UFPI:
1976 A 1983
Raimundo Nonato de Sousa Neto 
Ednardo Monteiro Gonzaga do Monti 

Este trabalho tem como temática a realização de um estudo sobre a trajetória


da professora Conceição Carvalho na UFPI, a partir de seus rastros nas atas
das reuniões do conselho departamental do Centro de Ciências da Educação
– CCE. O presente trabalho busca dar visibilidade à trajetória histórica da
figura docente feminina que atuou no ensino superior da Universidade Federal
do Piauí, passando por alguns cargos dentro da instituição e prestando
contribuição no campo da pesquisa e produção científica na área educacional.
Como norteamento para a pesquisa foi estabelecido o seguinte objetivo:
Investigar a participação da professora Conceição Carvalho nas reuniões do
Conselho Departamental do Centro Ciências da Educação – CCE, da UFPI,
por meio das Atas de 1976 a 1983. No enfoque da pesquisa a problemática
é a seguinte: Qual a participação da professora Conceição Carvalho nas
reuniões departamentais do Centro de Ciências da Educação – CCE na UFPI?
Como aporte teórico o presente trabalho tem suas bases em: BORDIEU,
Pierre; ARTIÈRES, Philippe; LE GOFF, Jacques; ALBERTI, Verena; Mignot,
Ana Chrystina Venancio; BARROS, José D’Assunção; MEIRELLES, Heloisa
Helena; POLLACK, Michael e outros. As bases metodológicas se constituem
em análise documental e entrevistas, assim buscaram-se documentos, como
atas de reuniões, e fontes orais, para a construção dos dados e produção de
um trabalho escrito. Como resultado, ressalto a participação da docente nas
deliberações realizadas no conselho departamental do Centro de Ciências da
Educação da UFPI, durante o período investigado. Concluo que a presença da
professora Conceição Carvalho em momentos destacáveis na história dessas
reuniões departamentais foi importante.

Palavras-chave: Conceição Carvalho. Atas. Reuniões. Educação. Universidade.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 77


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
A EDUCAÇÃO CLÁSSICA E OS PARADIGMAS DO
MODELO EDUCACIONAL BRASILEIRO
Mauricio Sergio Ferreira Soares da Silva Junior 
Ana Karine da Silva Sousa 
Silvailde de Souza Martins Rocha 

A Educação Clássica é fundamental para a formação dos alunos, em


processos como, leitura, escrita e interpretação, o que acaba não sendo
observado no modelo educacional contemporâneo. Dessa forma, buscou-
se apresentar fundamentos históricos, teóricos e pressupostos filosóficos
da Educação Clássica para com a formação de alunos, e compará-los com
o atual modelo educacional brasileiro, que é responsáveis pela má formação
da linguagens, interrompendo no processos de raciocínio, e relações entre
a lógica e a retórica, prejudicando também na formação posterior, com
diversas disciplinas das ciências naturais. Pautado nas linguagens propostas
no ensino fundamental dentro da Base Nacional Comum Curricular
(BNCC), e nas Artes Liberais e seus ensinos, demonstrados por Miriam
Joseph, Marshall McLuhan, Mortimer Adler, e o estilo clássico proposto por
Harvey e Laurie sobre o Triuvim. Fez-se uma análise do modelo educacional
brasileiro e seus reflexos no ensino escolar, em comparação com as
ferramentas da Educação Clássica. O resultado mostraram que o ensino das
disciplinas de linguagens, que são conectadas entre si, mas são ensinadas
separadamente, justificam as dificuldades encontradas no contexto dos
alunos brasileiro, como o desestímulo da leitura, analfabetismo funcional, e
principalmente, o mau desempenho nas ciências naturais. Historicamente,
o bom desempenho nas Artes Liberais proporcionam, aos alunos,
habilidades que melhor se desenvolvem nas ciências naturais, o que revela-
se intimamente ligado ao ensino da gramática, lógica e retórica, algo que
no modelo padrão, aplicado ao ensino atual brasileiro, mostra-se deficiente
para uma formação aprimorada.

Palavras-chave: Educação Clássica, Ensino brasileiro, Artes Liberais.

78  ODALÉIA ALVES DA COSTA


A ABORDAGEM TECNICISTA COMO PARADIGMA
CONSERVADOR: DA DIDÁTICA PASSADA
AOS IMPACTOS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA
CONTEMPORÂNEA
Júlio José Nogueira Pereira
 
O presente artigo com o tema “A abordagem tecnicista como paradigma
conservador: da didática passada aos impactos na prática pedagógica
contemporânea” é fruto de estudos feitos nas disciplinas de Didática Geral
e Legislação e Organização da Educação Básica, cursadas na Universidade
Federal do Piauí. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica realizada por meio
de uma análise do ensino tecnicista no decorrer da história da educação
brasileira. Foi resultado de discussões, debates, leituras em livros,
artigos e revistas acerca do assunto. Questionamo-nos como problema
de pesquisa: quais os efeitos da abordagem tecnicista no processo de
ensino-aprendizagem? O objetivo deste trabalho é: compreender a
abordagem tecnicista como paradigma conservador, e o seu papel ao
longo da história na educação brasileira. Fundamentamo-nos em autores
como Libâneo (2012), Saviani (2009); e em autores que discutem sobre
pedagogia tecnicista, como Menezes (2001), Santos (2001), entre outros.
Tendo em vista os estudos e experiências feitos sobre esse tema, podemos
concluir que essa abordagem resulta no ensino propedêutico, além de não
preparar os alunos para serem partícipes da vida social, mas, sobretudo,
para o mercado de trabalho, tornando a competência técnica como
exigência da sociedade moderna. Dessa forma, o professor vem sendo um
contribuinte para a reprodução do conhecimento, atrelando-se a uma
prática repetitiva, conservadora e muitas vezes engessada, quando na
verdade deveria ser este profissional, um elo entre a verdade científica e o
aluno, convertendo sua prática de modo significativa e em consonância
com as necessidades e realidades do alunado e da sociedade.

Palavras-chave: História da Educação. Paradigma Conservador.


Reprodução do Conhecimento

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 79


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
ENTUSIASMO PELA EDUCAÇÃO: O COMBATE
ENGANOSO DA BURGUESIA CONTRA O
ANALFABETISMO
Frazia Regina Sousa Ibiapina
Lisiane da Silva Chaves
Mara Andreia Alves Cunha
Marcos Fabricio Rodrigues da Costa
Nhabilla Fernanda Araújo Silva
Joelson de Sousa Morais

O presente artigo tem como tema “Entusiasmo pela educação: o combate


enganoso da burguesia contra o analfabetismo” é fruto de uma pesquisa
realizada no curso de Pedagogia na Faculdade de Ciências e Tecnologia do
Maranhão-FACEMA, na Disciplina História da Educação Brasileira, com o
intuito de proporcionar um aprimoramento das ideias sobre o tema proposto
objetivando a conscientização e o despertamento de curiosidades e interesses
em relação à importância das etapas da Educação em seus aspectos económico,
político, social e educacional e seus conflitos. Este trabalho tem como
objetivo: compreender o papel da burguesia no processo de escolarização com
ênfase para os impactos do analfabetismo no Brasil nos períodos da década de
1970-1980? Questionamos-nos como problema de pesquisa: Quais os motivos
que levaram a Burguesia a combater contra o analfabetismo. Fundamentamos-
nos teoricamente nos estudos de Saviani (2000), Nagle (1976), Ghiraldelli (1991),
entre outros, no qual enfatizam que os problemas que o analfabetismo gerou
acabaram impedindo o progresso nacional, fazendo com que surgissem as lutas
para a desanalfabetizacão da população. O trabalho exposto foi desenvolvido por
meio de pesquisa bibliográfica, por intermédio de livros, sites e alguns artigos. Os
resultados mostraram que os processos de lutas pela alfabetização da população
era uma visão enganosa na qual tinha como real motivo não só alfabetizar
mas sim manipular o povo em geral. Diante disso conclui-se que o processo de
alfabetização iniciou-se não para que o povo participasse ativamente da política,
mas para satisfazer interesses da Classe Burguesa.
Palavras-chave: Analfabetismo. Burguesia. História da Educação.

80  ODALÉIA ALVES DA COSTA


GT 09
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO RURAL
A EDUCAÇÃO DO CAMPO NA PERSPECTIVA DE
DESENVOLVIMENTO DO SER EM PROCESSO
DE ESCOLARIZAÇÃO
Francisca Sousa Ibiapina
Jeane Teixeira de Novazes
Márcia Raika e Silva Lima

O presente trabalho intitulado como “A educação do campo na perspectiva


de desenvolvimento do ser em processo de escolarização,” trata-se de uma
pesquisa realizada na disciplina Projeto de Pesquisa a fim de ser incluído,
posteriormente, na elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso- TCC.
As discussões apresentadas neste trabalho estão voltadas para os desafios e
perspectivas da Educação do Campo, com destaque para a contextualização
histórica e para o processo de ensino-aprendizagem voltado para as práticas
cotidianas dos educandos. Para a concretização da pesquisa foi elaborado
o seguinte problema de pesquisa: qual a contribuição da Educação do
Campo para o processo de desenvolvimento e aprendizagem escolar
dos educandos? Tem como objetivo investigar o contexto histórico da
educação no campo mediada por reflexões acerca das condições de ensino-
aprendizagem, da estrutura física escolar e do currículo adequado para
a escolarização de alunos nesta modalidade de ensino, garantindo assim
o seu ingresso e permanência na escola, com qualidade. Os autores que
embasaram as discussões serão Freire (2013), Molina (2006), Mennucci
(1946), entre outros. Para coleta dos dados utilizamos a técnica de entrevista
narrativa. E, para analisarmos os dados optamos pela análise do discurso,
pois propiciará reflexão das diretrizes curriculares nacionais diante de sua
materialização na sociedade, na perspectiva de ressaltar a importância da
educação para todos e possibilitar um ensino-aprendizagem que além de
incluir o aluno no âmbito escolar, o torne emancipado, sendo um ser critico
e reflexivo frente a sua realidade e não seja alienado, mas desenvolva as
práticas sociais com responsabilidade.

Palavras-chave: Educação do campo. Ensino-aprendizagem. Escolarização.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 83


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO DO CAMPO NO
PORTAL DE PERIÓDICOS DA CAPES (2013-2016)
Eulina da Silva Lima 
Elivelton dos Santos Silva 
Cheylla Jayna Silva Nascimento Leite 
Odaleia Alves da Costa 

O propósito do presente estudo é relatar pesquisas com temas direcionados


à educação do campo visando contribuir para a ampliação dos estudos
das politicas educacionais nesse contexto. Buscou-se junto ao Portal de
Periódicos da Capes/MEC resumos de Teses/Dissertações relacionados ao
tema em estudo. Para seleção dos resumos a serem analisados, utilizou-se
o descritor Educação rural, sem aspas, refinando por idioma português
e o recorte temporal entre 2013 e 2016. Essa primeira busca resultou
em um total de 29 documentos. No entanto após verificar o conteúdo
de cada documento, selecionaram-se aquelas pesquisas que tinham
o termo Educação do campo inserido no título, assim reduzimos para
10 documentos. Através de revisão bibliográfica destacou-se o objetivo
do autor e os seus resultados. As análises apontam que as pesquisas
estão voltadas para a aplicação da educação do campo e análise dos
processos educacionais envolvidos. Conclui-se que a ampliação do acesso
às universidades públicas está relacionada aos movimentos sociais, mas
as políticas educacionais não conseguem impactar algumas escolas do
campo.

Palavras-chave:  Educação do campo. educação rural. políticas


educacionais

84  ODALÉIA ALVES DA COSTA


AÇÃO ESTATAL E ENSINO DE 1º GRAU NO
MEIO RURAL NO PIAUÍ: AMENIZAR OU
SOLUCIONAR? (1971-1983)
Enayde Fernandes Silva 
Marli Clementino Gonçalves 

O artigo que se expõe tem por objetivo analisar a ação estatal em relação
ao ensino de 1º grau na zona rural piauiense no período de 1971 a 1983.
O recorte espacial é o Piauí. Já o recorte temporal considera inicialmente
a implantação da Lei n° 5.692/ 71, que fixou diretrizes para o ensino de
1° grau. O recorte temporal final remete à criação do Departamento
de Educação Rural na Secretaria Estadual de Educação que centralizou
as ações educacionais relacionadas ao ensino no meio rural no Piauí. A
pesquisa se caracteriza como análise documental e tem como fontes as
mensagens governamentais do período e a legislação piauienses (leis,
decretos e resoluções) em relação ao ensino de 1° grau. A documentação
escolhida se encontra guardada no Arquivo Público do Estado do Piauí
nas caixas de falas e mensagens governamentais, além do Diário Oficial
do Estado. Como aporte teórico, contaremos com os estudos de Brito
(1995), Leite (1999), Mendes (2003), Mendonça (2007) e Gonçalves
(2015). A pesquisa até o momento aponta uma preocupação estatal
com o ensino de 1° grau na zona rural em busca de uma adequação do
meio aos projetos de desenvolvimento do Estado, para isso, destacam-se,
principalmente, as ações voltadas para a construção e reforma de escolas
e a formação de professores.

Palavras-chave: Ensino de Primeiro Grau. Rural. Piauí.

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 85


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
GT 10
LIVROS, LEITURAS E IMPRESSOS
ESCOLARES
HISTÓRIA E MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO
MARANHENSE EM CAZUZA, DE VIRIATO CORRÊA
Shelton dos Santos Sousa 
Maria das Graças do Nascimento Prazeres 

Este trabalho tem por objetivo analisar a educação durante o Estado


Novo através da obra literária Cazuza de autoria do literato maranhense
Viriato Corrêa. Para tanto, utilizamos da pesquisa bibliográfica no que
se refere à educação no Estado Novo, além de textos que versam sobre
o literato Viriato Corrêa e sua obra em questão. Também foi necessária
uma leitura pormenorizada de Cazuza, bem como um mapeamento dos
trechos e aspectos que abordam a educação, seja por mostrar um castigo
que era deferido em um aluno, seja por mostrar os aspectos físicos em que
se encontrava a escola, etc. A devida pesquisa ainda está em andamento,
mas já obtivemos alguns resultados como: o professor na sala de aula se
tinha como autoridade maior, mas não só como autoridade mais também
como o que tinha todo o conhecimento; sempre estava a procurar as
falhas dos alunos para enfim castigá-los; foram identificados os métodos
punitivos usados pelo o professor; e enfim, tivemos a questão da ordem
e disciplina, que para ser estabelecida a escola teve de se apropriar de
alguns métodos. A referida obra, publicada em 1938 e considerada uma
obra memorialista, traz questões importantes para compreendermos
a educação no Estado Novo. A política autoritária de Getúlio Vargas
implantada a partir de 1937 tinha na educação um dos seus mais fortes
elementos, uma vez que, a educação era vista como um sistema eficaz de
controle. Assim, além de educar as mentes sobre a questão da moral e dos
bons costumes, a educação também precisava ser um meio de disciplinar,
civilizar o corpo. Portanto, esta pesquisa se propõe a discutir os aspectos
da educação maranhense durante a ditadura varguista.

Palavras-chave: História. Educação. Literatura. Estado Novo

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 89


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
PRODUÇÃO, CIRCULAÇÃO E CONSUMO DE
LIVROS DIDÁTICOS DE BIOLOGIA
Erislania Sousa Silva 
Odaléia Alves da Costa 

Investigou-se a produção, circulação e consumo de livros didáticos de


Biologia financiados pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD),
no ano de 2009, buscando compreender um pouco mais sobre a produção
didática da disciplina escolar Biologia e, sobretudo, com a formação dos
futuros professores dessa disciplina. Os livros didáticos de Biologia, do
Ensino Médio, eleitos inicialmente para análise foram: Amabis e Martho
(2004), Laurence (2005), Paulino (2005) e Silva Júnior e Sasson (2005).
Para desenvolver esta pesquisa utilizou-se os seguintes procedimentos
metodológicos: revisão de literatura em busca de referencial teórico,
análise dos guias nacionais dos livros didáticos (2009), da disciplina
escolar Biologia, análise dos livros didáticos do PNLEM (2009), do
componente curricular do Ensino Médio – Biologia. Por fim aplicamos
um questionário direcionado aos professores de Biologia ativos em salas
de aulas do Instituto Federal do Maranhão, Campus Timon. Os principais
teóricos utilizados foram: Bonazzi e Eco (1980), Schäffer (1988), Corrêia
(2000), Ferrano (2009), Silva (2011), Luca (2012), Cunha, Lisboa, Silva
(2016). Concluímos que os livros didáticos assumem um caráter central
nas discussões das aulas de Biologia, sendo elemento de fundamental
importância no processo ensino-aprendizagem no IFMA Campus Timon.

Palavras-chave: PNLD 2009. Biologia. Livro didático.

90  ODALÉIA ALVES DA COSTA


ANÁLISE DE IMAGENS DO CAMPO CIENTÍFICO
BIOLOGIA CELULAR NOS LIVROS DIDÁTICOS
DE BIOLOGIA
Camila Iorrane Costa Santana 
Odaléia Alves da Costa 

O objetivo deste trabalho foi analisar em três diferentes livros didáticos de


Biologia presentes no Guia Nacional de Livros Didáticos de Biologia 2014,
as imagens, nos conteúdos presentes no campo científico Biologia Celular,
conteúdos esses Citoplasma, Respiração Celular e Fermentação. No
primeiro momento as imagens foram quantificadas relacionadas quanto
ao tipo de imagem, posteriormente a análise se deu sobre a qualidade da
imagem, considerando sua cor, nitidez e tamanho, por conseguinte foi
feita uma verificação referente à presença da informação do instrumento
de obtenção da imagem, escala e fonte, em último instante a avaliação se
deu com base na relação existente entre textos e imagens. No que se refere
ao conteúdo de citoplasma tornando como base que se existe pelo menos
1 imagem com falha no conteúdo completo, o mesmo é considerado com
falhas, desta forma a ocorrência de falhas dentre os três livros L1, L2 e L3
é de 78%. Enquanto nos conteúdos de respiração celular e fermentação
a ocorrência de falhas foi de 34%. Isto posto, nas imagens referentes ao
conteúdo de citoplasma dentre os três livros analisados a ocorrência de
falhas é maior, em detrimento da presença de imagens fotomicrográficas,
tendo em vista que para a compreensão das mesmas o aluno necessita de
um maior número de informações. Já nos conteúdos de respiração celular
e fermentação, a ocorrência menor de falhas está relacionada tanto ao
menor número de imagens quanto a ausência de fotomicrografias e
desenhos que necessitem de uma maior quantidade de informações.

Palavras-chaves: Biologia celular. Livro didático. Imagens

EDUCAÇÃO COMPARADA NA HISTÓRIA 91


DA EDUCAÇÃO: caderno de resumos
ANÁLISE DA 2ª EDIÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO DE
BIOLOGIA DE AMABIS E MARTHO (2004)
Richardson Rodrigues de Araújo 
Odaléia Alves da Costa 

Este trabalho pretende analisar a 2ª edição do livro didático de Biologia


de José Mariano Amabis e Gilberto Rodrigues Martho (2004), do
2° ano do ensino médio, quanto ao conteúdo vírus. O problema da
pesquisa consistiu em examinar de uma maneira geral o livro didático,
considerando as recomendações do Guia Nacional do Livro Didático
Biologia. Para o desenvolvimento deste trabalho foi necessário, de início,
uma revisão bibliográfica pautada em autores como Mazzotti (2001),
Engelke (2009), Mizukami (2011), Matos (2012), Ramos (2013), Mariano
(2014) e Silva (2014), que deram suporte teórico à compreensão do tema
a ser trabalhado. A obra teve como critérios gerais de análise “Os aspectos
físicos”, “Análise do livro de acordo com os Parâmetros Curriculares
Nacionais (PCN’s), “Análise dos conteúdos segundo os aspectos Teóricos
Metodológicos” e “Recursos visuais”. Posteriormente foi realizada uma
avaliação do livro de Biologia onde pôde-se observar que quanto ao
quesito TOTALMENTE SATISFATÓRIO apresentou a porcentagem de
62,5% e como SATISFATÓRIO EM PARTE apontou 31,25%. No critério
INSATISFATÓRIO EM PARTE apontou 6,25%, enquanto no TOTALMENTE
INSATISFATÓRIO não apresentou nenhum percentual. Assim, de acordo
com a porcentagem mais significativa, 62,55% representada pelo critério
TOTALMENTE SATISFATÓRIO, consideramos as 2ª edição do livro de
Biologia de Amabis e Martho (2004) adequado ao processo de ensino-
aprendizagem.

Palavras-chave: Livro didático. Biologia. Vírus

92  ODALÉIA ALVES DA COSTA


Ebook disponível em:
http://leg.ufpi.br/ppged/index/pagina/id/8517
ISBN 978-85-5512-293-4

ESCOLA PÚBLICA
Núcleo de
Estudos e
Pesquisas

NEPHIME
História e Memória das Instituições Escolares

PARCEIROS: