Sei sulla pagina 1di 3

Controle Social

O controle social é a participação do cidadão na gestão pública, na fiscalização, no


monitoramento e no controle das ações da administração pública no acompanhamento
das políticas, um importante mecanismo de fortalecimento da cidadania.

O Controle Social do Bolsa Família é realizado por meio das Instâncias de Controle
Social (ICS), instituídas formalmente pelo municípios no ato de adesão ao Programa,
garantindo aos cidadãos espaço para o seu acompanhamento e buscando assegurar os
interesses da sociedade. É uma parceria entre Estado e sociedade que possibilita
compartilhar responsabilidades e proporciona transparência às ações do poder público,
buscando garantir o acesso das famílias mais pobres à política de transferência de renda.

As ICS do PBF devem atuar no acompanhamento de todos os componentes do


Programa e do o Cadastro Único para Programas Sociais, a Gestão de Benefícios, as
Condicionalidades, a Fiscalização e as oportunidades de desenvolvimento das
capacidades das famílias desenvolvidas ou articuladas pelo município e os Programas
Complementares.

O MDS desenvolve documentos com informações sobre a estruturação, o


funcionamento e a atuação das ICS, buscando subsidiar de ferramentas a gestão
municipal. Elabora também capacitações para gestores e conselheiros, que podem ser
acessadas na parte de Capacitação, com o objetivo de fortalecer e melhorar a atuação
destes relevantes espaços de articulação entre o governo e a sociedade, no
acompanhamento do Bolsa Família.

As publicações “Exercendo o Controle Social do PBF” e “Atuação das Instâncias de


Controle Social” estão disponíveis na Biblioteca do Bolsa Família, assim como os
“Vídeos de Capacitação para Conselheiros” podem ser acessados no Saiba Mais,
localizado na coluna ao lado. Pelo Sistema de Gestão do Bolsa Família (SIGPBF) é
possível acessar às informações cadastrais das ICS do PBF, por meio do aplicativo
Informações dos Municípios no item do menu Estados e Municípios. Os Guias de
Navegação, principalmente dos Aplicativos de Adesão Municipal e Estadual,
contribuem para a utilização do Sistema.

Instância de Controle Social (ICS)


O que é o Controle Social?
O Controle Social é a participação da sociedade civil nas ações da gestão pública. Em
cada município existe um Conselho ou Comitê de Controle Social com a função de
auxiliar o gestor no acompanhamento, monitoramento e fiscalização da gestão de
políticas públicas e programas implementados no município.

Instância de Controle Social é o nome dado ao conselho municipal do Programa Bolsa


Família. O Conselho verifica a situação das famílias e de quem pode receber o
benefício. Ele pode ser procurado quando houver dúvidas sobre o Programa ou para
fazer reclamações e denúncias.

Todo município que aderiu formalmente ao Programa Bolsa Família tem uma Instância
de Controle Social constituída. O prefeito, ao assinar o Termo de Adesão ao PBF criou
um Conselho ou Comitê ou indicou (designou), por meio de decreto ou portaria, algum
já existente no município que pudesse assumir o papel de controle social do PBF.

Como é formada a Instância de Controle Social (ICS)?


A Instância de Controle Social (ICS) é formada por membros da sociedade civil e do
governo local, podendo funcionar no mesmo local onde acontece a gestão do PBF e a
sua atuação depende da integração entre o gestor municipal, membros do Conselho e da
participação da sociedade civil.

Na formação da ICS o número de participantes do Governo não pode ser superior ao


número de membros da Sociedade Civil.

Qual é o objetivo da Instância de Controle Social (ICS)?


A Instância de controle social tem o objetivo de facilitar o acesso e a participação da
população local no acompanhamento, monitoramento e fiscalização do Programa Bolsa
Família para garantir que as famílias mais necessitadas do município, que tenham perfil
para receber o benefício, sejam realmente atendidas. A ICS também pode contribuir
para uma maior transparência das ações de gestão do PBF.

Caso a família tenha dúvidas ou necessite de auxílio para questões em que o setor
responsável pelo PBF no município não está conseguindo resolver, pode consultar a
Instância de Controle Social.

Controle Social
Um dos aspectos fundamentais da assistência social brasileira é o controle das ações
desenvolvidas. Destacado na Constituição Federal de 1988, na Lei Orgânica da
Assistência Social (Loas), na Política Nacional de Assistência Social (PNAS) e na
Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social (NOB/Suas), o
exercício do controle social implica o planejamento, acompanhamento, avaliação e
fiscalização da oferta dos programas, serviços e benefícios socioassistenciais.

Levando em conta que a legitimidade desse processo está na participação dos cidadãos,
para viabilizar o controle social do Sistema Único de Assistência Social (Suas) foram
criados espaços institucionais, compostos igualitariamente por representantes do poder
público e da sociedade civil. Trata-se dos conselhos gestores e das conferências.
Instituído pela Loas, o Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) é órgão
superior que está à frente desse processo. Ele tem caráter permanente e composição
paritária: metade dos membros são representantes do poder público e metade são
representantes da sociedade civil – eleita em foro próprio e composta de modo a
preservar as representações dos usuários, dos trabalhadores e das entidades e
organizações da assistência social. Suas principais competências são aprovar a política
pública de assistência social, normatizar e regular a prestação de serviços de natureza
pública e privada, zelar pela efetivação do Suas, apreciar e aprovar propostas
orçamentárias, entre outras.

A partir desse modelo de governança, o Distrito Federal, os estados e os municípios


instituem seus próprios conselhos, leis, políticas e sistemas de assistência social. Com
isso, é possível articular o controle social completo e integrado sobre a gestão da
assistência social brasileira, em seu modelo descentralizado e participativo, consolidado
no Suas.

Entre outras competências, os conselhos de assistência social têm a função de convocar


as conferências de assistência social. O CNAS convoca a Conferência Nacional de
Assistência Social ordinariamente, de quatro em quatro anos, ou extraordinariamente.
Ela tem o objetivo de avaliar a situação da assistência social no Brasil e propor
diretrizes para o aperfeiçoamento do sistema